FELIZ PÁSCOA

https://www.recadosonline.com/img-33713.html https://img1.recadosonline.com/229/127.gif

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Nº 3 5 0 9 - SÉRIE DE 2018 - 169 - SANTOS DE CADA DIA - 18 DE JUNHO DE 2018 - 11º ANO

Caros Amigos




Foto do autor
Abril-2018


Nº 3 5 0 9



Série - 2018 - (nº 1 6 9)


18 de JUNHO de 2018


SANTOS DE CADA DIA

11º   A N O



 miscelania 008



LOUVADO SEJA PARA SEMPRE 
NOSSO SENHOR JESUS CRISTO 
E SUA MÃE MARIA SANTÍSSIMA



**********************************************************

Todos os Católicos com verdadeira Fé, 
deverão Comemorar e Lembrar 
os Santos e Beatos de cada dia, além de procurar seguir os seus exemplos

___________________________________________________________________________

*********************************
***************************
*********************

»»»»»»»»»»»»««««««««««««



GREGÓRIO BARBARIGO Santo





Texto do livro SANTOS DE CADA DIA, da Editorial A. O. de Braga:


 GREGÓRIO BARBARIGO nasceu em Veneza, a 18 de Setembro de 1625, numa família patrícia. Em 1648, acompanhou o embaixador de Veneza, Contarini, às negociações realizadas em vista da conclusão do Tratado de Vestefália, e foi em Munster que travou conhecimento com o Núncio, FÁBIO CHIGI que depressa lhe dedicou a mais alta estima,. Tendo o Núncio CHIGI subido a Papa com o nome de ALEXANDRE VII, nomeou, em 1655, GREGÓRIO BARBARIGO cónego de Pádua e prelado da Casa Pontifícia. Dois anos mais tarde, o mesmo Papa, que reinou de 1655 a 1667, colocou GREGÓRIO BARBARIGO à frente da diocese de Bérgamo. Em 1660, foi nomeado membro do Colégio dos cardeais e, em 1664, bispo de Pádua, onde morreu, a 18 de Junho de 1697GREGÓRIO BARBARIGO foi proclamado beato por CLEMENTE XII em 1761.
(...) (...) (...)
A 26 de Maio de 1960, festa da Ascensão do Senhor, o Papa João XXIII assim exaltou São GREGÓRIO BARBARIGO, a quem nesse dia inscreveu no Catálogo dos Santos:
«Bispo e cardeal, confessor e Pontífice, em virtude da proclamação de hoje toma, no culto da piedade litúrgica e popular, o lugar de honra e de intercessão que o secular costume da Igreja reconhece aos mais eminentes.
(...)  (...) (...)
E para aumentar ainda mais a alegria desta festividade, temos o prazer , caríssimos irmãos e filhos,. de vos mostrar a singular e bela coroa de almas de escol que, segundo o testemunho do Papa BENTO XIV tiveram as honras e o título de canonização equipolente, como hoje o nosso santo GREGÓRIO BARBARIGO: ei-los que desfilam diante de Nós, em magnifico cortejo de grandes santos altamente venerados: São ROMUALDO, São NORBERTO, São BRUNO, São PEDRO NOLASCO, São RAIMUNDO NONNATO, São JOÃO DA MATA e São FÉLIX DE VALOIS, Santa MARGARIDA DA ESCÓCIA, Santo ESTÊVÃO DA HUNGRIA, São VENCESLAU DA BOÉMIA, São GREGÓRIO VII e Santa GERTRUDES DE EINSLEBEN.
Outros santos se vieram juntar a estes, depois de BENTO XIV. Nesta categoria, na verdade, incluiu LEÃO XII, São PEDRO DAMIÃOPIO IX procedeu a quatro canonizações equipolentes, todas as quatro interessantíssimas - os santos CIRILO e METÓDIO (1880), santo AGOSTINHO DE CANTUÁRIA, São JOÃO DAMASCENO e São BEDA VENERÁVEL. PIO XI acrescentou-lhes Santo ALBERTO MAGNO, a 16 de Dezembro de 1931 e PIO XII, santa MARGARIDA DA HUNGRIA.




OSANA, Beata





Texto do livro SANTOS DE CADA DIA da Editorial A. O,. de Braga:

 Em Mântua, na Lombardia, nasceu em 1449 e morreu em, 1595. Toda a sua existência decorreu em palácios, cumulada de graças e oprimida com sofrimentos, umas e outros invisíveis aos olhos dos homens. Foi o confessor que revelou depois da sua morte que ela ficava, por vezes, sete horas imóvel em oração e tinha misteriosas feridas interiores que renovavam nela as dores da Paixão.
(...)  (...)
Quando ela estava a morrer, ajoelhados junto ao leito, pediram-lhe a benção; respondeu que pertencia ao sacerdote presente abençoá-los; foi preciso que este tomasse a mão dela para lhe traçar na testa o sinal da cruz. Francisco II isentou de contribuições, por vinte anos, todos os membros da família dela. E a duquesa ISABEL ergueu-lhe um belo mausoléu, que ainda agora se vê na catedral de Mântua.



MARCOS e MARCELIANO, Santos

Roma - Mártires - (304)- Fenícia hoje Líbano - (séc. IV)

LEÔNCIO, Santo

Soldado e mártir - Trípoli

CIRÍACO e PAULA, Santos

Mártires - Dorósforo - África Setentrional - (séc. IV)


AMANDO, Santo

Bispo - Bordéus - Aquitânia - França - (séc. V)

CALÓGERO , Santo


Eremita - monte Gemmariaro - Sciacca - Sícilia - Itália - (séc. V)


ISABEL, Santa

Virgem - Schonau - Renânia da Germânia - Alemanha - (1164)
HOSSANA ANDREÁSI, Beata

Virgem das Irmãs da Penitência de São Domingos - Mântua - Lombardia - Itália - (1505)


GREGÓRIO BARBARIGO, Santo

Bispo - Pádua - Véneto - Itália - (1697) 



miscelania 003

»»»»»»»»»»»»»»»»


»»»»»»
&&&&&&&&&&&
Local onde se processa este blogue, na cidade do Porto





Os meus cumprimentos e agradecimentos pela atenção que me dispensarem.

Textos recolhidos

In




MARTIROLÓGIO ROMANO
Ed. Conferência Episcopal Portuguesa - MMXIII

e através dos sites:


 Wikipédia.org; Santiebeati.it; es.catholic.net/santoral, 
e do Livro SANTOS DE CADA DIA, da Editorial de Braga, além de outros, eventualmente 

"""""""""""""""

Também no que se refere às imagens que aparecem aqui no fim das mensagens diárias, são recolhidas aleatoriamente ou através de fotos próprias que vou obtendo, ou transferindo-as das redes sociais e que creio, serem livres. 
Quanto às de minha autoria, não coloco quaisquer entraves para quem quiser copiá-las











MARTIROLÓGIO ROMANO
Ed. Conferência Episcopal Portuguesa - MMXIII

e através dos sites:


 Wikipédia.org; Santiebeati.it; es.catholic.net/santoral, 
e do Livro SANTOS DE CADA DIA, da Editorial de Braga, além de outros, eventualmente 

"""""""""""""""

Também no que se refere às imagens que aparecem aqui no fim das mensagens diárias, são recolhidas aleatoriamente ou através de fotos próprias que vou obtendo, ou transferindo-as das redes sociais e que creio, serem livres. 
Quanto às de minha autoria, não coloco quaisquer entraves para quem quiser copiá-las







Estádio do Dragão, um dos mais bonitos estádios de futebol.




ANTÓNIO FONSECA

domingo, 17 de junho de 2018

Nº 3 5 0 8 - SÉRIE DE 2018 - 168 - SANTOS DE CADA DIA - 17 DE JUNHO DE 2018 - 11º ANO

Caros Amigos




Foto do autor
Abril-2018


Nº 3 5 0 8



Série - 2018 - (nº 1 6 8)


17 de JUNHO de 2018


SANTOS DE CADA DIA

11º   A N O



 miscelania 008



LOUVADO SEJA PARA SEMPRE 
NOSSO SENHOR JESUS CRISTO 
E SUA MÃE MARIA SANTÍSSIMA



**********************************************************

Todos os Católicos com verdadeira Fé, 
deverão Comemorar e Lembrar 
os Santos e Beatos de cada dia, além de procurar seguir os seus exemplos

___________________________________________________________________________

*********************************
***************************
*********************

»»»»»»»»»»»»««««««««««««



RAINÉRIO DE PISA, Santo





Texto do livro SANTOS DE CADA DIA, da Editorial A. O. de Braga:


 RAINÉRIO, natural de Pisa, era tocador de lira. Encontrou um dia ALBERTO DE CÓRSEGA; era este pessoa de grande santidade, que tudo abandonara para seguir a Cristo; visitara como peregrino os Lugares Santos e iria morrer perto de Paris, no reinado de Luís VII.
RAINÉRIO pediu ao homem  de Deus que rogasse por ele. Obteve converter-se. RAINÉRIO confessou os pecados e chorou-os tão amargamente que os seus julgaram que estava doido e não fizeram caso dele. Viveu como solitário. Durante algum tempo esteve cego. Os pais, vindo a saber isto, voltaram consternados a encontrar-se com ele. Foi o amor filial que o levou a pedir e obter a própria cura.
Por ordem de Deus embarcou para a Terra Santa, como mercador. Só comia duas vezes por semana, e durante quatro anos não restabeleceu as forças senão aos domingos, embora se entregasse a trabalhos pesados. Vestiu o hábito de peregrino que ardentemente desejava.
Por inspiração secreta, o Senhor chamou-o para voltar a Pisa. Esteve primeiro com os cónegos regulares, depois no mosteiro de São GUIDO. veio a ser, digamos assim, o director espiritual dos seus concidadãos e tornou-se notável pelos milagres: revelava segredos dos corações e expulsava  demônios. Predisse a sua própria morte.
Pouco antes de abandonar este mundo, formulou uma prece de benção para o pão e água. A água e o pão, assim benzidos por RAINÉRIO ou por outro mas com a fórmula,. serenaram tempestades, curaram numerosos doentes e libertaram possessos e prisioneiros.
RAINÉRIO morreu santamente em Pisa, na sexta-feira, 17 de Junho de 1160. Foi depositado no túmulo pelos cônsules desta cidade. depois da morte, actua ainda ele com  milagres, realizados sobretudo por meio da água que tenha sido benzida com a sua oração ou tenha estado no seu túmulo. Em 1591, ossadas suas foram colocadas com grande solenidade numa nave nova da catedral de Pisa; outras relíquias, devido à fama dos milagres, foram pedidas e obtidas pela rainha Joana de Aragão, em 1372.




MANUEL, JABEL e ISMAEL, Santos





Texto do livro SANTOS DE CADA DIA da Editorial A. O,. de Braga:

 Nasceram na Pérsia, de mãe cristã, que os mandou educar religiosamente por EUNÓLEO varão muito culto na fé.
Sendo enviados os três por Alamundaro, rei da Pérsia, ao imperador Julião, o Apóstata, para terminarem as pazes que entre os ditos príncipes estavam entabuladas, Julião levou-os consigo para Calcedónia e Bitínia, com muita honra. Mas, negando-se os três irmãos a assistir aos sacrifícios ordenados pelo imperador, foram, primeiro encarcerados e depois atormentados de vários modos. Foram, por fim, degolados a 17 de Junho de 362. Neste dia louva-os o Martirológio Romano.




MANUEL, Santo
     



Este santo é celebrado em 22 de Janeiro. Era arcebispo de Adrianopólis, na Turquia. Foi aprisionado pelos búlgaros, quando tomaram conta da cidade. estes fizeram.-no perecer, com muitos outros, no ano de 818.

Existem mais santos e beatos com o nome de MANUEL ( EMANUEL, Deus está connosco). Em 17 de Julho também são recordados alguns Beatos portugueses, companheiros de martírio do Beato INÁCIO DE AZEVEDO, como: MANUEL RODRIGUES, MANUEL FERNANDES, MANUEL PACHECO e MANUEL ÁLVARES


EMÍLIA DE VIALAR, Santa



Veio ao mundo numa nobre família de barões, em Gaillac (França) a 12 de Setembro de 1797. Sendo menina, foi para Paris com a progenitora, a fim de receber uma melhor formação literária e religiosa. Infelizmente aos 13 anos perdeu a mãe, que a educara com sentimentos de caridade e oração.
O pai entendia pouco destas coisas. Contudo, ela aos 18 anos consagrou-se secretamente a Deus, mas devia esperar ainda muito tempo para descobrir o que o Senhor queria a seu respeito. Entretanto, ocupou-se com os afazeres de casa, com  a Educação de um irmão mais novo, sem descuidar a vida de oração e a prática da caridade.
or fim, na noite de Natal de 1832, assistida pelo pároco, fundou em Gaillac uma congregação que tinha por objectivo socorrer os pobres, ajudar as obras nas missões, cuidar dos doentes e da educação sob todas as formas. A espiritualidade recorda de modo particular São JOSÉ, que foi o primeiro homem a conhecer o mistério da Encarnação. Por isso o Instituto, leva o nome de Irmãs de São José da Aparição.
(...)
À morte da fundadora, em 1856, a congregação contava 42 casas distribuídas por França, Itália, Grécia, Malta, Turquia, Palestina, Líbano, Chipre, Birmânia e Austrália.

Foi beatificada a 18 de Junho de 1939 e canonizada a 24 do mesmo mês em 1951.
AAS 45 (1953) 112-23, DIP 3, 1128-9; 8, 515-16. 



BLASTO e DIÓGENES, Santos

Roma - Mártires - (data incerta)

ISAURO, INOCÊNCIO, FÉLIX, HÉRMIAS, PEREGRINO e BASÍLIO, Santos

Mártires - Apolónia - Macedónia hoje Pojáni - Albânia - (data incerta)

NICANDRO e MARCIANO, Santos

Mártires - Dorósforo - Mésia hoje Silistra - Bulgária - (297)

ANTÍDIO, Santo

Bispo e mártir - Besançon - Galia Lionense - França - (411)

HIPÁCIO, Santo

Hegúmeno e mártir - Bitínia - actual Turquia - (446)

HERVEU, Santo

Eremita e cego  -  Bretanha Menor - França - (séc. VI)
AVITO, Santo

Abade - Orleães - Gália hoje França - (530)


RAINÉRIO, Santo

Peregrino - Pisa - Etrúria - Itália - (1160)

TERESA DE PORTUGAL, Santa

Filha de D. Sancho I e irmã das Beatas SANCHA e MAFALDA - (1250) 

PEDRO GAMBACORTA , Beato

Fundador da Ordem dos Eremitas de São Jerónimo - Veneza - Itália - (1435)


PAULO BURÁLLI, Beato

Presbitero da Ordem dos Clérigos Regrantes Teatinos, bispo de Piacenza e depois der Nápoles - - Itália - (1578)


FILIPE PAPON, Santo
  
Presbitero de Autun e mártir - Rochefort - França - (17

PEDRO DÁ, Santo

Mártir - Qua-Linh - Tonquim - Vietname - (1862)

 JOSÉ MARIA CASSANT (Pedro José Cassant), Beato

Pres bitero da Ordem Ciusterciense da Antiga Observância (Trapista)  - mosteiro de Santa Maria do Deserto - Casseneuil - Toulouse - França - (1903)



miscelania 003

»»»»»»»»»»»»»»»»


»»»»»»
&&&&&&&&&&&
Local onde se processa este blogue, na cidade do Porto





Os meus cumprimentos e agradecimentos pela atenção que me dispensarem.

Textos recolhidos

In




MARTIROLÓGIO ROMANO
Ed. Conferência Episcopal Portuguesa - MMXIII

e através dos sites:


 Wikipédia.org; Santiebeati.it; es.catholic.net/santoral, 
e do Livro SANTOS DE CADA DIA, da Editorial de Braga, além de outros, eventualmente 

"""""""""""""""

Também no que se refere às imagens que aparecem aqui no fim das mensagens diárias, são recolhidas aleatoriamente ou através de fotos próprias que vou obtendo, ou transferindo-as das redes sociais e que creio, serem livres. 
Quanto às de minha autoria, não coloco quaisquer entraves para quem quiser copiá-las











MARTIROLÓGIO ROMANO
Ed. Conferência Episcopal Portuguesa - MMXIII

e através dos sites:


 Wikipédia.org; Santiebeati.it; es.catholic.net/santoral, 
e do Livro SANTOS DE CADA DIA, da Editorial de Braga, além de outros, eventualmente 

"""""""""""""""

Também no que se refere às imagens que aparecem aqui no fim das mensagens diárias, são recolhidas aleatoriamente ou através de fotos próprias que vou obtendo, ou transferindo-as das redes sociais e que creio, serem livres. 
Quanto às de minha autoria, não coloco quaisquer entraves para quem quiser copiá-las







Estádio do Dragão, um dos mais bonitos estádios de futebol.




ANTÓNIO FONSECA

sábado, 16 de junho de 2018

My Heart Will Go On (Titanic) Taylor Davis - Violin Cover

N. 3 5 0 7 - SÉRIE DE 2018 - 167 - SANTOS DE CADA DIA - 16 DE JUNHO DE 2018 - 11º ANO

Caros Amigos




Foto do autor
Abril-2018


Nº 3 5 0 7



Série - 2018 - (nº 1 6 7)


16 de JUNHO de 2018


SANTOS DE CADA DIA

11º   A N O



 miscelania 008



LOUVADO SEJA PARA SEMPRE 
NOSSO SENHOR JESUS CRISTO 
E SUA MÃE MARIA SANTÍSSIMA



**********************************************************

Todos os Católicos com verdadeira Fé, 
deverão Comemorar e Lembrar 
os Santos e Beatos de cada dia, além de procurar seguir os seus exemplos

___________________________________________________________________________

*********************************
***************************
*********************

»»»»»»»»»»»»««««««««««««



CIRO e JULITA, Santos





Texto do livro SANTOS DE CADA DIA, da Editorial A. O. de Braga:


Santa JULITA habitava em Icónio com o filho CIRO, de três anos apenas. Quando o governador da Licaónia, Domiciano, começou a aplicar os éditos persecutórios de Diocleciano, ela foi procurar refúgio, primeiro em Selêucia e depois em Tarso. Foi nesta última cidade que foi presa por ordem do governador da Cilícia, ALEXANDRE. declarou-se cristã, o governador tirou-lhe o filho e mandou-a flagelar. Nos tormentos, ela não parava de repetir: «Sou Cristã», e CIRO seu filho forcejava por escapar aos braços do governador e voltar para os da mãe, gritando: «Eu também sou cristão». Enfurecido. Alexandre apanhou a criança por um pé e atirou-a violentamente contra os degraus do tribunal, resultando a fractura do crânio. JULITA, em lugar de chorar, agradeceu a Deus ter visto morrer o filho ornado com a coroa do martírio. Os suplícios que a ela foram infligidos em seguiida não lhe abalaram a constância; por último, foi decapitada. Estes martírios aconteceram no século IV.




LUTGARDA, Santa




No mosteiro das monjas cistercienses de Aywières no Brabante, hoje Bélgica, Santa LUTGARDA virgem insigne pela sua devoção ao Sagrado Coração do Senhor. (1246)

Texto do livro SANTOS DE CADA DIA da Editorial A. O,. de Braga:

 Santa LUTGARDA, monja belga do século XIII, foi favorecida com graças verdadeiramente raras e extraordinárias. Por outro lado, a sua Vida escreveu-a um contemporâneo, que admitia sem verificação nem crítica o que lhe parecia edificante.
LUTGARDA nasceu em Tongres, em 1182. Esteve como interna, durante uns doze anos, entre as monjas beneditinas de Santa Catarina, na diocese de Liège, no Limburgo. Não tinha dote para casamento honroso; os pais tinham posto isso de parte. A pequenina gostava de vestir bem, dos jogos e das graças; recebia algumas visitas. Era uma vida um pouco mundana ainda, mas um dia, na sala de visitas, durante uma conversa, Jesus apareceu-lhe, mostrou-lhe as suas chagas sagradas e pediu-lhe que O amasse com  amor exclusivo. Ela tomou-O por Esposo e para mostrar que este Esposo sagrado não O amava sem seriedade, mudou imediata e radicalmente de vida. Adeus a jogos e a risos ! Agora, oração e mortificação. 
As religiosas ficaram pasmadas com tal mudança. Fogo de pouca dura? - pensavam. Mas o fogo tornou-se tal que bem poderia incendiar os cedros do Líbano como tochas, para iluminarem os passos do Muito Amado percorrendo as colinas eternas. 
Ela imaginava a presença do Senhor de maneira material. Se lhe impunham  uma maçada absorvente, ela dizia: «Esperai aqui, Senhor Jesus. Eu volto logo que termine o meu trabalho». As suas visitinhas de outrora eram substituídas pelas da Virgem Maria ou de Santa Catarina; uma águia simbolizava o evangelista São JOÃO, em conformidade com  as estampas medievais. Meditava a Paixão com tal intensidade que por vezes se formava na sua cabeça um orvalho de sangue. Um dia, tão intensa foi a oração que o sangue correu. O Senhor tomou-lho como martírio. Ela intercedia pelos seus irmãos, os homens, e, segundo o testemunho da beata MARIA D'OIGNIES, convertia muitos pecadores e libertava muitas almas da demora no Purgatório.
Para levar vida mais austera, imigrou, em 1206, para entre as cistercienses de Aywières, na diocese de Namur. A língua nesse mosteiro era o francês e ela era flamenga. Facilitou-lhe isto levar vida de silêncio e humildade, recusando qualquer ofício importante. Mas as suas frases imperfeitas conseguiam aliviar maravilhosamente as almas.
Onze anos antes de morrer perdeu a vista. Alma tão interior podia acaso afligir-se? O admirável salmo 118 diz ao Senhor: «Aparta os meus olhos da vaidade...». Deus livrava-a, com tal prova, de todo o supérfluo que prejudica a contemplação. Jejuava demorada e amorosamente, com intenções nobres, grandes e católicas, por exemplo, pela conversão dos albigenses.
Um dia, convidou-a o Senhor a preparar-se para a morte, agradecendo a Deus, pedindo pelos pecadores e abandonando-as à sua vontade. Trocou esta vida pela vida verdadeira,  no sábado a seguir à Santíssima Trindade, 16 de Junho de 1246. As matinas do domingo - domingo, esse dia que todas as semanas comemora a vitória de Cristo saindo do túmulo - estavam a começar.



QUIRÍCO e JULIETA, Santos
     

  

Na Ásia Menor, na actual Turquia, a comemoração dos santos QUIRÍCO e JULIETA mártires.(data incerta)


FERRÉOLO e FERRÚCIO, Santos


Em Besançon, na Gália Lionense, hoje França, os santos FERRÉOLO e FERRÚCIO mártires (211-212)


SIMILIANO, Santo



Em Nantes, na Gália Lionense, hoje França, São SIMILIANO bispo que é louvado como grande confessor da fé por São GREGÓRIO DE TOURS.


TICÃOSanto


Em Limassol, na ilha de Chipre, São TICÃO bispo no tempo do imperador Teodósio o Jovem. (séc. V)


ÁUREO, JUSTINA e companheirosSanto



Em Mogúncia, na Gália Bélgica, hoje Alemanha, os santos ÁUREO bispo, JUSTINA sua irmã e Companheiros mártires, que, segundo a tradição, durante a celebração da Eucaristia foram cruelmente assassinados pelos Hunos. (séc. V)

AURELIANOSanto



Em Lião, na Gália, hoje França, o sepultamento de Santo AURELIANO bispo de Arles, que, nomeado pelo papa VIGÍLIO seu vicário na Gália, construiu na cidade dois mosteiros, um para homens e outro para mulheres, dando-lhes uma regra própria. (551)


CECARDOSanto



Em Carra, na Etrúria, hoje na Toscana, Itália, São CECARDO bispo de Lúni e de Sarzano que, iniquamente assassinado por obreiros nas pedreiras de Mármore, foi considerado mártir. (860)


BENÃO, Santo



Em Meissen, na Saxónia, hoje na Alemanha, São BENÁO bispo que, por querer conservar a unidade da Igreja e a fidelidade ao Romano Pontifice, foi expulso da sua sede episcopal e enviado para o exílio. (1106)



TOMÁS SCRYVEN, Beato

  

Em Londres, Inglaterra, o Beato TOMÁS SCRYVEN mártir, monge da Cartuxa desta cidade que, no reinado de Henrique VIII permaneceu na fé da Igreja e, por isso, consumido pela fome no cárcere, recebeu a coroa do martírio. (1537) 


PEDRO SNOW e RODOLFO GRIMSTON, Beatos

 Em York, Inglaterra, os beatos mártires PEDRO SNOW presbitero e RODOLFO GRIMSTON que, no reinado de Isabel I, foram condenados à morte; o primeiro porque era sacerfdote, o outro porque tentou livrá-lo da captura, ambos sofreram o suplício do patíbulo. (1598)


GERMANA, Santa

 

Em Pibrac, Toulouse, França, Santa GERMANA virgem que, nascida de pais desconhecidos e suportando desde a infância uma vida servil e de penosas enfermidades, aceitou todo o género de tribulações com fortaleza de alma e rosto alegre, até que, aos vinte e dois anos de idade, descansou em paz. (1601) 


LUÍS MARIA PALÁZZOLO, Beato

 

Em Bérgamo, Itália, o beato LUÍS MARIA PALLÁZZOLO presbitero que fundou a Congregação das Irmãs Pobrezinhas e dos Irmãos da Sagrada Família. (1886) 


BÁRBARA CUI LIANZHI, Santa

Em Qianschengzhuang, perto da cidade de Liushuitao, no Hebei, na China, Santa BÁRBARA CUI LIANZHI mártir que, depois de ter sido assassinado o seu filho, ao fugir de noite para salvar a vida, foi presa pelos inimigos dos cristãos e crudelissimamente torturada até à morte. (1900)


ALBERTINA BERKENBROCK, Beata


 

Em São Luís, cidade de Santa Catarina, no Brasil, a beata ALBERTINA BERKENBROCK virgem e mártir que aos 12 anos foi assassinada por defender heroicamente a sua castidade. (1931)


CLEMENTE VISMARA, Beato

  

Em Mong Ping na Birmânia, hoje Myanmar, o Beato CLEMENTE VISMARA presbitero missionário. (1988) 




 ... E AINDA  ...


ANTÓNIO COSTANZO AURIELBeato

All’àncora davanti al porto di Rochefort in Francia, beato Antonio Costanzo Auriel, sacerdote e martire, che, vicario parrocchiale di Cahors, durante la rivoluzione francese fu rinchiuso per il suo sacerdozio in una sudicia galera e, rimasto contagiato mentre prestava assistenza ai suoi compagni di prigionia, rese al Signore lo spirito
ELIDANO ou ELIDAN, Santo


Sebbene questo nome non appaia in alcuna genealogia di santi, nei Iolo MSS. (1848, p. 144) è presentato come quello di un santo nella valle di Glwyd. Esso è attualmente una delle forme gal­lesi (l'altra è Ilid) del nome di Julitta, la madre del bimbo martire s. Quirico. Sembra che una monaca così chiamata risiedesse a Llangurig. La chiesa di Llanelidan, nel Denbighshire, presuppo­ne un s. Elidan, presumibilmente gallese. « Egli è stato variamente presentato come un cavaliere, un re in Snowdonia ed un vescovo » (Lloyd-Verney, Description of parish churches of Llangurig, 1892, p. 60). La sua festa era celebrata il 16 giugno

GASPAR BURGHERRE, beato


Procuratore generale dell’Ordine Mercedario presso la Curia Romana, il Beato Gaspare Burgherre, si dimise spontaneamente da tale incarico per dedicarsi alla redenzione.
Recatosi in Africa liberò 200 schiavi dalle tirannie dei nemici della fede cattolica e altri ne liberò in Andalusia (Spagna). Finché vecchio e pieno di meriti morì nell’anno 1497.
L’Ordine lo festeggia il 16 giugno



GRICINIANA e ACTÍNIA, Santas



Purtroppo le notizie sulle due sante Griciniana e Actinea, sono davvero poche e nel contempo poco attendibili.
È probabile che fossero originarie di Volterra o dei territori circostanti; sembra che siano state decapitate nel 303, al tempo dell’ultima sanguinosa persecuzione contro i cristiani, attuata dall’imperatore Diocleziano (243-313) e dal suo associato l’imperatore Massimiano (250-310).
Actinea e Griciniana sono menzionate in una lettera di un papa Innocenzo, ma si è discusso inutilmente se fosse Innocenzo II (1130-1143) o Innocenzo III (1198-1216), con la quale si permetteva di solennizzare il giorno della traslazione delle loro reliquie e di cantarne l’Ufficio liturgico proprio.
Le loro reliquie furono scoperte nel 1140, a Volterra, nel monastero dei Santi Giusto e Clemente; attualmente le reliquie o buona parte di esse, sono venerate nella Collegiata della Madonna Assunta, della medioevale cittadina di Casole d’Elsa, a poca distanza dall’etrusca Volterra, dove furono ritrovate.
Altro non si sa, la loro festa liturgica a Volterra, Val d’Elsa e nella provincia senese, si celebra il 16 giugno, forse a ricordo del giorno della traslazione delle reliquie.


GUILHERME DE MONFERRATO, Beato


Di nobile discendenza, era parente prossimo, se non figlio di un marchese di Monferrato che l’imperatore mandò in legazione nel reame di Arles e a cui affidò la Quarta crociata.
Guglielmo abbracciò la vita ecclesiastica.
Recatosi a Roma nel 1217 per celebrare la quaresima, fu ospitato dal cardinale di Ostia Ugolino, erede dello spirito di Innocenzo III, collaboratore del vivente papa Onorio III e futuro papa Gregorio IX


miscelania 003

»»»»»»»»»»»»»»»»


»»»»»»
&&&&&&&&&&&
Local onde se processa este blogue, na cidade do Porto





Os meus cumprimentos e agradecimentos pela atenção que me dispensarem.

Textos recolhidos

In




MARTIROLÓGIO ROMANO
Ed. Conferência Episcopal Portuguesa - MMXIII

e através dos sites:


 Wikipédia.org; Santiebeati.it; es.catholic.net/santoral, 
e do Livro SANTOS DE CADA DIA, da Editorial de Braga, além de outros, eventualmente 

"""""""""""""""

Também no que se refere às imagens que aparecem aqui no fim das mensagens diárias, são recolhidas aleatoriamente ou através de fotos próprias que vou obtendo, ou transferindo-as das redes sociais e que creio, serem livres. 
Quanto às de minha autoria, não coloco quaisquer entraves para quem quiser copiá-las











MARTIROLÓGIO ROMANO
Ed. Conferência Episcopal Portuguesa - MMXIII

e através dos sites:


 Wikipédia.org; Santiebeati.it; es.catholic.net/santoral, 
e do Livro SANTOS DE CADA DIA, da Editorial de Braga, além de outros, eventualmente 

"""""""""""""""

Também no que se refere às imagens que aparecem aqui no fim das mensagens diárias, são recolhidas aleatoriamente ou através de fotos próprias que vou obtendo, ou transferindo-as das redes sociais e que creio, serem livres. 
Quanto às de minha autoria, não coloco quaisquer entraves para quem quiser copiá-las







Estádio do Dragão, um dos mais bonitos estádios de futebol.




ANTÓNIO FONSECA

Lista de Papas por ordem de data

%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%

I - São PEDRO (42 a 47); II - São LINO; 67-76; III - ANACLETO I ou CLETO (76-88);

IV São CLEMENTE I (88-97); V - Santo EVARISTO I (97-105;

VI - Santo ALEXANDRE I (105-115); VII - São SISTO I (115-125);

VIII - São TELÉSFORO (125-136); IX - Santo HIGINO (136-140);

X - São PIO I (140-155); XI - Santo ANICETO (155-166);

XII - São SOTERO (166-175); XIII - Santo ELEUTÉRIO (175-189); XIV -

São VÍTOR I (189-199); XV - São ZEFERINO (199-217); XVI - São CALISTO I (217-222);

I -Santo HIPÓLITO (217-235) *Embora Anti-Papa foi considerado Santo*;

XVII - Santo URBANO I (222-230); XVIII - São PONCIANO (230-235);

XIX - Santo ANTERO (235-236); XX - São FABIÃO ou FABIANO (236-250);

XXI - São CORNÉLIO (251-253);

II - NOVACIANO (251) - II ANTI-PAPA;

XXII - São LÚCIO I (253-254); XXIII - Santo ESTÊVÃO (254-257);

XXIV - São SISTO II (257-258); XXV - São DIONÍSIO (259-268);

XXVI - São FÉLIX I (269-274); XXVII - Santo EUTIQUIANO (275-283);

XXVIII - São CAIO (283-296); XXIX - São MARCELINO (296-304);

VACATURA DA SANTA SÉ (305-308);

XXX - São MARCELO I (308-309); XXXI - Santo EUSÉBIO (309);

XXXII - São MILCÍADES ou MELQUÍADES (310-314);

XXXIII - São SILVESTRE I (314-335); XXXIV - São MARCOS (336);

XXXV - São JÚLIO I (337-352); XXXVI - São LIBÉRIO (352-366);

III - São FÉLIX II (335-358) - ANTI-PAPA;

XXXVII - São DÂMASO I (366-384);

IV - Santo URSINO (366-367) - ANTI-PAPA;

XXXVIII - São SIRÍCIO (384-399); XXXIX - Santo ANASTÁSIO I (399-401);

XL - Santo INOCÊNCIO I (401-417); XLI - São ZÓZIMO (417-418);

XLII - São BONIFÁCIO I (418-422);

V - EULÁLIO (418-419 - ANTI-PAPA;

XLIII - São CELESTINO I (422-432); XLIV - São SISTO III (432-440);

XLV - São LEÃO I MAGNO (440-461);

XLVI - Santo HILARIO ou HILARIÃO (461-468); XLVII - São SIMPLÍCIO (468-483); XLVIII - São FÉLIX III (483-492) (*) É considerado como Félix III, apesar o seu antecessor Félix II ter sido Anti-Papa; XLIX - São GELÁSIO I (492-496);

L - Santo ANASTÁSIO I (496-498) - LI - São SÍMACO (498-514);

VI - LOURENÇO (498 e 501-505) ANTI-PAPA;

LII - Santo HORMISDAS (514-523); LIII - São JOÃO I (523-526);

LIV - São FÉLIX IV (526-530);

VII - DIÓSCORO (530) - ANTI-PAPA;

LV - BONIFÁCIO II (530-532); LVI - JOÃO II (533-535); LVII - Santo AGAPITO I (515-536); LVIII - São SILVÉRIO (536-536); LIX - VIGILIO (537-555); LX - PELÁGIO I (556-561);

LXI - JOÃO III (561-574); LXII - São BENTO I (575-579); LXIII - PELÁGIO II (579-590); LXIV - São GREGÓRIO I MAGNO (590-604); LXV - SABINIANO (604-606);

LXVI - BONIFÁCIO III (607); LXVII - São BONIFÁCIO IV (608-615);

LXVIII - São DEODATO I ou ADEODATO (615-618); LXIX - BONIFÁCIO V (619-625); LXX - HONÓRIO I (625-638); LXXI - SEVERINO (640); LXXII - JOÃO IV (640-642); LXXIII - TEODORO I (642-649); LXXIV - São MARTINHO I (649-655);

LXXV - Santo EUGÉNIO I (654-657);

LXXVI - São VITALINO ou VITALIANO (657-672);

LXXVII - DEODATO II ou ADEODATO (672-676); LXXVIII - DONO (676-678);

LXXIX - Santo AGATÃO (678-681); LXXX - São LEÃO II (682-683);

LXXXI - São BENTO II (684-685); LXXXII - JOÃO V (685-686);

LXXXIII - CÓNON (686-687); LXXXIV - São SÉRGIO I (687-701);

VIII - TEODORO (687) - ANTI-PAPA; IX - PASCOAL (687) - ANTI-PAPA;

LXXXV - JOÃO VI (701-705); LXXXVI - JOÃO VII (705-707); LXXXVII - SISÍNIO (708); LXXXVIII - CONSTANTINO I (708-715); LXXXIX - São GREGÓRIO II (715-731);

XC - São GREGÓRIO III (731-741); XCI - São ZACARIAS (741-752);

XCII - ESTÊVÃO II (752-757); XCIII - São PAULO I (757-767);

X - CONSTANTINO II (767-769) - ANTI-PAPA;

XCIV - ESTÊVÃO III (768-772);

XI - FILIPE (768) - ANTI-PAPA;

XCV - ADRIANO I (772-795); XCVI - São LEÃO III (795-816);

XCVII - ESTÊVÃO IV (816-817); XCVIII - São PASCOAL I (817-824);

XCIX - EUGÉNIO II (824-827); C - VALENTIM (827); CI - GREGÓRIO IV (827-844);

CII - SÉRGIO II (844-847);

XII - JOÃO (844) - ANTI-PAPA;

CIII - São LEÃO IV (847-855); CIV - BENTO III (855-858);

XIII - ANASTÁSIO (855) - ANTI-PAPA;

CV - São NICOLAU I MAGNO (858-867); CVI - ADRIANO II (867-872);

CVII - JOÃO VIII (872-882); CVIII - MARINHO I (882-884);

CIX - Santo ADRIANO III (884-885); CX - ESTÊVÃO V (885-891);

CXI - FORMOSO (891-896); CXII - BONIFÁCIO VI (896);

CXIII - ESTÊVÃO VI (896-897); CXIV - ROMANO (897); CXV - TEODORO II (897);

CXVI - JOÃO IX (898-900); CXVII - BENTO IV (900-903); CXVIII - LEÃO V (903);

XIV - CRISTÓVÃO (903-904) - ANTI-PAPA;

CXIX - SÉRGIO III (904-911); CXX - ANASTÁSIO III (911-913);

CXXI - LANDON (913-914); CXXII - JOÃO X (914-928); CXXIII - LEÃO VI (928);

CXXIV - ESTEVÃO VII (928-931); CXXV - JOÃO XI (931-935);

CXXVI - LEÃO VII (936-939) CXXVII - ESTEVÃO VIII (939-942);

CXXVIII - MARINHO II (942-946); CXXIX - AGAPITO II (946-955);

CXXX - JOÃO XII (955-964); CXXXI - LEÃO VIII (963-965);

CXXXII - BENTO V (964-966); CXXXIII - JOÃO XIII (965-972);

CXXXIV - BENTO VI (973-974);

XV - BONIFÁCIO VII (974 e 984-985) - ANTI-PAPA;

CXXXV - BENTO VII (974-983); CXXXVI - JOÃO XIV (983-984);

CXXXVII - JOÃO XV (985-996); CXXXVIII - GREGÓRIO V (996-999);

XVI - JOÃO XVI (997-998) - ANTI-PAPA;

CXXXIX - SILVESTRE II (999-1003); CXL - JOÃO XVII (1003);

CXLI - JOÃO XVIII (1003-1009); CXLII - SÉRGIO IV (1009-1012);

XVII - GREGÓRIO VI (1012) - ANTI-PAPA;

CXLIII - BENTO VIII (1012-1024); CXLIV - JOÃO XIX (1024-1032);

CXLV - BENTO IX (1032-1044, 1045 e 1047-1048)(**); CXLVI - SILVESTRE III - (1045)

CXLVII - GREGÓRIO VI (1045-1046); CXLVIII - CLEMENTE II (1046-1047);

CXLIX - DÂMASO II (1048); CL - São LEÃO IX (1049-1054)

(**) Possível Anti-Papa, embora apareça em algumas listas como Papa legítimo, apesar de ter causado alguns problemas com SILVESTRE III e com DÃMASO II;

CLI - VÍTOR II (1055-1057); CLII - ESTEVÃO IX (1057-1058);

XVIII - BENTO X (1058- 1059) -ANTI-PAPA;

CLIII - NICOLAU II (1059-1061); CLIV - ALEXANDRE II (1061-1073);

XIX - HONÓRIO II (1061-1072) - ANTI-PAPA;

CLV - São GREGÓRIO VII (1073-1085);

XX - CLEMENTE III (1080-1084) ANTI-PAPA;

CLVI - BEATO VÍTOR III (1086-1087); CLVII - BEATO URBANO II (1088-1099); CLVIII - PASCOAL Ii (1099-1118);

XXI - TEODORICO (1100) - ANTI-PAPA; XXII - ALBERTO (1102 - ANTI-PAPA;

XXIII - SILVESTRE IV (1105-1111) - ANTI-PAPA;

CLIX - GELÁSIO II (1118-1119);

XXIV - GREGÓRIO VIII (1118-1121) - ANTI-PAPA;

CLX - CALISTO II (1119-1124); CLXI - HONÓRIO II (1124-1130);

XXV - CELESTINO II (1124); - ANTI-PAPA;

CLXII - INOCÊNCIO II (1130-1143);

XXVI - ANACLETO II (1130-1138) - ANTI-PAPA; XXVII - VÍTOR IV (1138) - ANTI-PAPA;

CLXIII - CELESTINO II (1143-1144); CLXIV - LÚCIO II (1144-1145);

CLXV - BEATO EUGÉNIO III (1145-1153); CLXVI - ANASTÁSIO IV (1153-1154); CLXVII - ADRIANO IV (1154-1159); CLXVIII - ALEXANDRE III (1159-1181);

XXVIII - VÍTOR IV (1159-1164) - ANTI-PAPA; XXIX - PASCOAL III (1164-1168) - ANTI-PAPA; XXX - CALISTO III - (1168-1178) - ANTI-PAPA;

XXXI - INOCÊNCIO III (1179-1180); - ANTI-PAPA;

CLXIX - LÚCIO III (1181-1185); CLXX - URBANO III (1185-1187);

CLXXI - GREGÓRIO VIII (1187); CLXXII - CLEMENTE III (1187-1191);

CLXXIII - CELESTINO III (1191-1198); CLXXIV - INOCÊNCIO III (1198-1216);

CLXV - HONÓRIO III (1216-1227); CLXXVI - GREGÓRIO IX (1227-1241);

CLXXVII - CELESTINO IV (1241); CLXXVIII - INOCÊNCIO IV (1243-1254);

CLXXIX - ALEXANDRE IV (1254-1261); CLXXX - URBANO IV (1261-1264);

CLXXXI - CLEMENTE IV (1265-1268); CLXXXII - BEATO GREGÓRIO X (1271-1276); CLXXXIII - BEATO INOCÊNCIO V (1276); CLXXXIV - ADRIANO V (1276);

CLXXXV - JOÃO XXI (1276-1277) CLXXXVI - NICOLAU III (1277-1280);

CLXXXVII - MARTINHO IV (1281-1285); CLXXXVIII - HONÓRIO IV (1285-1287); CLXXXIX - NICOLAU IV (1288-1292); CXC - SÃO CELESTINO V (1294);

CXCI - BONIFÁCIO VIII (1294-1303) CXCII - BEATO BENTO XI (1303-1304);

CXCIII - CLEMENTE V (1305-1314); CXCIV - JOÃO XXII (1316-1334);

XXXII - NICOLAU V - ANTI-PAPA (1328-1330);

CXCV - BENTO XII (1334-1342); CXCVI - CLEMENTE VI (1342-1352);

CXCVII - INOCÊNCIO VI (1352-1362); CXCVIII - BEATO URBANO V (1362-1370); CXCIX - GREGÓRIO XI (1370-1378); CC - URBANO VI (1378-1389);

CCI - BONIFÁCIO IX (1389-1404); CCII - INOCÊNCIO VII (1404-1406);

CCIII - GREGÓRIO XII (1406-1415);

XXXIII - CLEMENTE VII - ANTI-PAPA (1378-1394);

XXXIV - BENTO XIII - ANTI-PAPA (1394-1420);

XXXV - ALEXANDRE V - ANTI-PAPA (1409-1410);

XXXVI - JOÃO XXIII ANTI-PAPA (1410-1415);

XXXVII - CLEMENTE VIII ANTI-PAPA (1423-1429);

CCIV - MARTINHO V (1334-1342);

XXXVIII - BENTO IV ANTI-PAPA (1425-1430);

CCV - EUGÉNIO IV (1431-1447);

XXXIX - FÉLIX V ANTI-PAPA (1439-1449);

CCVI - NICOLAU V (1447-1465); CCVII - CALISTO III (1455-1458);

CCVIII - PIO II (1458-1464); CCIX - PAULO II (1464-1471); CCX - SISTO IV (1471-1484); CCXI - INOCÊNCIO VIII (1484-1492); CCXII - ALEXANDRE VI (1492-1503);

CCXIII - PIO III (1503); CCXIV - JÚLIO II (1503-1513); CCXV - LEÃO X (1513-1521); CCXVI - ADRIANO VI (1522-1523); CCXVII - CLEMENTE VII (1523-1534);

CCXVIII - PAULO III (1534-1549); CCXIX - JÚLIO III (1550-1555);

CCXX - MARCELO II (1555); CCXXI - PAULO IV (1555-1559);

CCXXII - PIO IV (1559-1565); CCXXIII - SÃO PIO V (1566-1572);

CCXXIV - GREGÓRIO XIII (1572-1585); CCXXV - SISTO V (1585-1590);

CCXXVI - URBANO VII - (1590); CCXXVII - GREGÓRIO XIV (1590-1591);

CCXXVIII - INOCÊNCIO IX (1591); CCXXIX - CLEMENTE VIII (1592-1605);

CCXXX - LEÃO XI (1605); CCXXXI - PAULO V (1605-1621):

CCXXXII - GREGÓRIO XV (1623-1644); CCXXXIII - URBANO VIII (1623-1644); CCXXXIV - INOCÊNCIO X (1644-1655); CCXXXV - ALEXANDRE VII (1655-1667); CCXXXVI - CLEMENTE IX (1667-1669); CCXXXVII - CLEMENTE X (1670-1676); CCXXXVIII - BEATO INOCÊNCIO XI (1676-1689);

CCXXXIX - ALEXANDRE VIII (1689-1691); CCXL - INOCÊNCIO XII (1691-1700);

CCXLI - CLEMENTE XI (1700-1721); CCXLII - INOCÊNCIO XIII (1721-1724);

CCXLIII - BENTO XIII (1724-1730); CCXLIV - CLEMENTE XII (1730-1740);

CCXLV - BENTO XIV (1740-1758); CCXLVI - CLEMENTE XIII (1758-1769);

CCXLVII - CLEMENTE XIV (1769-1774); CCXLVIII - PIO VI (1775-1799);

CCXLIX - PIO VII (1800-1823); CCL - LEÃO XII (1823-1829); CCLI - PIO VIII (1829-1830); CCLII - GREGÓRIO XVI (1831-1846); CCLIII - BEATO PIO IX (1846-1878);

CCLIV - LEÃO XIII (1878-1903); CCLV - SÃO PIO X (1903-1914);

CCLVI - BENTO XV (1914-1922); CCLVII - PIO XI (1922-1939);

CCLVIII - PIO XII (1939-1958); CCLIX - SÃO JOÃO XXIII (1958-1963);

CCLX - PAULO VI (1963-1978); CCLXI - JOÃO PAULO I - (1978);

CCLXII - SANTO JOÃO PAULO II;

CCLXIII - BENTO XVI - PAPA DESDE 18 DE ABRIL DE 2005 até 28 DE FEVEREIRO DE 2013 data em que renunciou passando a ser PAPA EMÉRITO;

CCLXIV - FRANCISCO - Eleito em 28 de Fevereiro de 2013

por renúncia de BENTO XVI - Papa Emérito

Etiquetas