OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

A ESCULTURA DE S. PAULO

No jornal TOTUS TUUS da paróquia da Senhora do Porto, no seu número 13 - Ano 4 - Janeiro 2009 que começou a ser distribuido no passado sábado e que infelizmente não chega a tanta gente como desejariamos, traz vários textos da actualidade que dizem respeito a eventos recentes que sucederam na paróquia da Senhora do Porto e na Comunidade de S. Paulo do Viso, nomeadamente (e entre outros) sobre a Festa de Natal em S. Paulo do Viso, a actuação do Coro Mille Voci na Igreja da Senhora do Porto, actividades do GASP - Grupo de Acólitos da Senhora do Porto, visita do Senhor Bispo do Porto para inaugurar a imagem de S. Paulo nesta Comunidade e uma entrevista com a escultora ANA CARVALHO que projectou e construiu a referida imagem em ferro.

Não vou aqui publicar a referida entrevista, o que me parece não ser de muito bom tom - diga-se de passagem - já que é muito recente e foi feita e muito bem, quanto a mim, pela colaboradora Ana Cristina. Talvez daqui a uns tempos eu me permita efectuar essa transcrição - quem sabe ?

No entanto gostaria de dar a conhecer o Curriculum Vitae colhido directamente por mim, através do site da referida escultora: http://ana@etc.pt
CURRICULUM Formação
Licenciatura em Artes Plásticas – Escultura, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto em 1997 Actividade Profissional
2006
Esculturas atribuídas no Prémio "Empresa Mais Familiarmente Responsável", Promovido pela Deloitte em Lisboa. Esculturas em bronze com 35 cm de altura e medalhas com 11 cm de diâmetro encomendadas pela Work-Agência de Publicidade, Lda. Projecto "Paisagens de Interior"
2005
Prémios atribuídos na "Investor Relations Awards 2005" promovida pela Deloitte, em Lisboa. Esculturas em bronze com 35cm de altura encomendadas pela Work-Agência de Publicidade, Lda. Escultura em bronze, edição de 25 peças, para a Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto. 2004Escultura em bronze para o hotel Sheraton, no Porto.
2003/2004
Três esculturas em betão patinado para o restaurante "D. Duarte", no Porto. 2002
Baixo-relevo em bronze para o Edifício “Olimpus” da autoria do Arquitecto Pedro Aroso, em Matosinhos. Animação do espaço reservado à empresa “Praxair” na EMAF 2002, com esculturas em ferro, em Matosinhos. Exposição individual de escultura na "Galeria 4Chats", em Lisboa. Exposição colectiva de escultura em ferro, na Câmara Municipal de Marco de Canaveses. Exposição colectiva de escultura e gravura na "Galeria de Arte da Liga dos Combatentes", no Porto. 2001/2002
Colaboração com o Escultor José Rodrigues nos monumentos ao Futebol Clube do Boavista (Pantera Negra) e ao Carnaval de Ovar. Colaboração com o Escultor Sousa Pereira nos monumentos à Castanha em Cantanhede e aos trabalhadores em Vila do Conde. Exposições colectivas de escultura, gravura, desenho, pintura e fotografia nas Câmaras Municipais de Castelo de Paiva, Murça e Marvão. 2001
Menção honrosa no concurso de arte sacra da Vigararia de Vila Real. Bienal de Artes Plásticas de Vila Verde. I Bienal Internacional de Gravura de Alijó. Participação nas exposições subordinadas ao tema “A vinha e o Vinho”, em Bucelas, organizada pela Câmara Municipal de Loures. 1999/2002
Exposições colectivas de gravura em Alijó, Póvoa de Varzim, Paços de Ferreira, Castelo de Paiva, Porto e Murça. 1998/99
Docente na Escola Secundária de Alijó das disciplinas do 3º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Recorrente Nocturno, exercício da função do cargo de Delegada do 5º Grupo. 1997/98
Docente na Escola Secundária Infante D. Henrique, nas disciplinas do 3º ciclo do ensino básico e no 12º ano do curso de Design Tridimensional, leccionado pela primeira vez naquela escola. 1997
Exposição de Finalistas na Fundação Cupertino de Miranda. IX Bienal Internacional de Arte de Vila Nova de Cerveira.
http://ana@etc.pt
LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO PARA SEMPRE
E SUA MÃE MARIA SANTISSIMA
António Fonseca

Resenha histórica

Caros amigos:
Conforme indiquei na minha mensagem anterior, vou agora incluir uma pequena resenha histórica sobre a Igreja da Comunidade de S. Paulo do Viso.
A construção da Igreja desta Comunidade que se encontra integrada na Paróquia da Senhora do Porto, que por sua vez faz parte da autarquia (freguesia) de Ramalde foi iniciada em 1 de Agosto de 1983, a fim de poder dar resposta às necessidades pastorais do Bairro do Viso que vinham sendo exercidas com muito afinco e dedicação, pelo saudoso Padre António Inácio Gomes que havia sido nomeado em 12 de Junho de 1964 Pároco responsável pela criação da Paróquia Experimental da Senhora do Porto pelo Administrador Apostólico da Diocese do Porto, o Bispo D. Florentino de Andrade e Silva,
a qual (Paróquia):
(foi delimitada a norte, pela estrada da Circunvalação Exterior, desde a Via rápida até ao entroncamento com a Avenida Fabril do Norte, a poente, desde o último ponto atrás indicado, na perpendicular à Rua Direita de Pereiró, nesta mesma rua para nordeste até à linha do caminho de ferro (hoje metro) em direcção a Sul até ao km 1,5. Depois a sul em linha recta até à Rua Central de Francos, até ao nº 449 da mesma rua, seguindo o traçado da futura Anular interna, excluindo todas as habitações da travessa da Prelada. A leste será delimitada pelo prolongamento da Via Norte).
Existia na Rua de Requesende uma capela dedicada à Senhora do Porto, que passou a ser a Igreja Paroquial experimental. Entretanto no bairro do Viso que se situa lateralmente junto da linha do metro e até à estrada da Circunvalação, constituiu-se desde sempre, pelas suas características, uma entidade com vida própria dentro da Paróquia, pelo que o Administrador Apostólico D. Florentino ao nomear Pároco desta extensa e populosa comunidade da Senhora do Porto, o saudoso Pde Inácio, responsabilizou-o para que logo que fosse oportuno deveria procurar criar um centro secundário de culto neste local.
Assim em 1967 (14/9) foi escrita uma carta à Câmara Municipal do Porto pela Confraria da Senhora do Porto diligenciando obter apoio para resolver este problema ...
(... sendo um Bairro, nesta primeira fase, com 294 fogos onde vivem cerca de 1 500 crianças ... (...) ... propomo-nos instalar num terreno sito na rua Padre Francisco Rangel, um pavilhão cedido pelo Centro de Caridade de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, para que a partir do próximo mês de Outubro, se possa iniciar a celebração da Santa Missa, o ensino da catequese e o funcionamento de toda a acção que compete à Igreja)
Simultaneamente a empresa F. Ramada, conseguiu obter a cedência de pessoal especializado e nos primeiros dias de Outubro - obtido o "SIM" da Câmara iniciou-se a instalação do pavilhão. Em 22/11 foi recebida na Comunidade, uma carta do Pároco na qual era participado que no dia 26 de Novembro, às 11 horas, seria celebrada a 1ª missa no pavilhão-capela pelo Senhor Bispo D. Florentino - um pormenor curioso foi então noticiado pelo já extinto vespertino "Diário do Norte" - que era o seguinte: "cerca de 1 700 crianças dispostas pelas diversas artérias de acesso àquele bairro, aplaudiram à sua passagem, o Sr. D. Florentino que, sorridente, acenava às criancinhas"; e, ainda: "O sr. D. Florentino de Andrade e Silva, visitou a seguir, três carros eléctrticos (aliás, 4), que estão ao lado da capela e que foram adaptados para servir de escola."
Enquanto prosseguiam as actividades conducentes a dotar a Paróquia da Senhora do Porto, duma nova igreja para substituir a capela em que foi iniciada. Estas obras começaram em 1970 e em Maio de 1971 foi inaugurada a cripta e apenas em 2 de Julho de 1977 pôde ser celebrada a 1ª missa na actual Igreja, pelo Bispo D. António Ferreira Gomes. e posteriormente nos anos seguintes, foi-se colocando o Sacrário e o Cristo crucificado, sendo a sagração do altar e a dedicação da Igreja à Senhora do Porto, celebradas por D. Júlio Tavares Rebimbas, em 18/6/1989.
Em Fevereiro de 1980 foi formada uma Comissão com o repto decisivo "Vamos construir a Igreja do Viso". Dessa Comissão inicial constaram Alfredo Tavares de Almeida, António Moreira Estevão, Fernando Ferreira Rodrigues (todos já falecidos) e Gonçalo Manuel Castro, José Maria Correia, Luís Lobo Ferreira e Manuel Alves Ferreira. Formou-se uma outra Comissão para Angariação de fundos em que além dos já citados, integrou também Rosa Costa, António Paixão, Bernardino Chamusca, Carlos Freitas, Alfredo Pereira, Júlio Teixeira, José Nicolau, Arlindo Ribeiro, Bernardino Cruz, Abel Alves, Henrique Rocha, José Caldeira, Manuel Baldaia e Fernando Saraiva.
Em 1983 (1/Agosto) iniciaram-se as obras. Antes porém de se desmontar o pavilhão, e na última celebração que ali teve lugar, o Pde António Inácio Gomes sugeriu aos fiéis que se constituisse padroeiro da Comunidade, São Paulo, o Apóstolo das Nações o que foi aceite unanimemente passando então a existir oficialmente a Comunidade de São Paulo do Viso.
A Direcção Escolar entretanto já havia montado uns pavilhões pré fabricados (em 1970/71, salvo erro) que vieram substituir os eléctricos que existiam à volta da capela. Posteriormente mandou construir a actual Escola Primária (na qual, os meus filhos, fizeram a sua instrução primária). A pedido do Pároco, a Direcção Escolar autorizou a cedência do seu salão principal para ser ali celebrada a Missa ao sábado e domingo, e ministrada a Catequese, desde 1 de Agosto de 1983 até 17 de Março de 1985, data em que foi inaugurada a Igreja pelo Bispo D. Júlio Tavares Rebimbas. Em 18 de Dezembro de 1987, colocou-se Cristo Crucificado nesta Igreja e em 2 de Junho de 1990, foi colocado o Sacrário.
Em 21 de Março de 2004, foi feita a Sagração do Altar e a Dedicação da Igreja a S. Paulo do Viso. Em 2008 por Decreto Diocesano foi nomeada como Igreja Jubilar do Ano Paulino iniciado em 29 de Junho de 2008 e que terminará em 29 de Junho de 2009. Em Novembro de 2008 procedeu-se à remodelação do pavimento do presbitério que passou a ser de madeira, retirando-se a alcatifa que ali existia. Procedeu-se a novo arranjo da iluminação total da nave e do presbitério, tendo-se retirado o tecto falso que estava em condições precárias de segurança, resultando daí melhor visão do altar e do Cristo crucificado para toda a assembleia.
Finalmente, sábado, dia 24 de Janeiro foi colocada e benzida a imagem do nosso Padroeiro, na véspera do dia em que se celebra a Sua Conversão, pelo senhor Bispo do Porto D. Manuel Clemente, conforme comuniquei na mensagem anterior.
Falta agora - e espera-se que seja em breve - inserir a frase
"COMBATI O BOM COMBATE, TERMINEI A CORRIDA"
da 2ª carta de S. Paulo a Timóteo, na cruz-torre à entrada da Igreja, que pretende figurar um livro aberto (Cartas) e a espada, símbolos comuns na iconografia paulina e que o saudoso Padre António Inácio Gomes, tanto desejava fosse ali colocada.
Há ainda um ponto que eu gostaria de salientar. Desde o Administrador Apostólico D. Florentino de Andrade e Silva, que substituiu durante o seu exílio em Espanha, o Senhor D. António Ferreira Gomes, todos os Bispos que estiveram a comandar os destinos da Diocese do Porto, D. Júlio Tavares Rebimbas, D. Armindo Lopes Coelho e D. Manuel Clemente, já visitaram oficialmente a nossa Igreja (e vieram cá sempre para inaugurar e benzer algo de importante). É curiosa - pelo menos para mim - esta coincidência, o que significa apenas que esta Comunidade está viva e bem presente no coração da Igreja Diocesana do Porto.
Além disso também podemos referir - e a título de mais curiosidades - que uma das presenças mais assíduas desde 1964, tem sido a do Bispo emérito de Setúbal, Senhor D. Manuel Martins. Uma outra presença nesta Comunidade, bem mais posterior possivelmente (penso eu, porquanto eu vim viver para cá apenas em 1971) foi a do nosso actual Pároco, Dr. Manuel Correia Fernandes (que, inclusivamente presidiu às celebrações da comunhão dos meus filhos), além do Padre Mário Salgueirinho, (que continua em plena actividade) e do Padre Álvaro Tavares que há alguns anos deixou de poder colaborar por motivos de saúde.

Bem, esta "pequena resenha" já vai muito longa e por isso, por hoje fico-me por aqui.

"LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO PARA SEMPRE

E SUA MÃE MARIA SANTISSIMA"

Actual Igreja da Comunidade de S. Paulo do Viso

António Fonseca