OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

domingo, 26 de abril de 2009

Peregrinação do Ano Paulino

Acaba de sair da Igreja da Comunidade de S. Paulo do Viso, (Igreja jubilar do Ano Paulino) uma peregrinação composta por 10 (dez) elementos da paróquia da Boavista, capela de Francos.
Foram recebidos por uma delegação composta por mim próprio, Presidente da Conferência Vicentina de S. Paulo (entre outras actividades) e pela Catequista e leitora desta Comunidade, Catarina Torres. Depois de completarem o Rosário que haviam encetado quando começaram a caminhada, de Francos até aqui à Igreja, tiraram algumas fotografias, e trocaram impressões connosco sobre as comemorações Paulinas que se estão a desenrolar até Junho próximo.
Visitaram em seguida todas as instalações da Igreja e cerca das 17 horas foram novamente a pé para suas casas, tendo ficado muito satisfeitos com a recepção que lhe foi feita (que não teve absolutamente nada de especial) pois limitamo-nos a franquear a entrada e a dar alguns exemplares do Totus tuus e um prospecto com a resenha histórica da igreja de S. Paulo do Viso, datas significativas desta Comunidade, nota pastoral sobre o Ano Paulino e a Oração de S. Paulo, nada mais.
Fica aqui para a história a foto de grupo junto do altar.
Pela nossa parte agradecemos também a visita que nos fizeram e fazemos votos para que voltem em breve, com mais gente se possível e sempre que quiserem.
Bem hajam. António Fonseca

UM ANO COM SÃO PAULO (7)

CONTINUAÇÃO (7) Do livro "Um ano com São Paulo" da Editorial Missões - Cucujães, escrito pelo Pde. Januário dos Santos, com os textos bíblicos retirados da BÍBLIA SAGRADA, (tradução dos Monges de Maredsous) e publicado em Junho de 2008, passo a transcrever (com a devida vénia) alguns dos textos dos Actos dos Apóstolos e das Epístolas de S. Paulo, - ali inseridos - desde 19 de Abril:
Dias 6, 7, 8, 9 e 10 de Fevereiro PAULO DIANTE DO PROCÔNSUL (Act. 18, 12-17)
Paulo é levado a Galião, governador da priovincia romana de Acaia (Grécia), e vagamente acusado de pregar um culto contra a lei. Galião despreza a acusação, questões de doutrina a que estava alheio, e nem sequer intervém quando alguns gregos espancaram Sóstenes descarregando nele os seus sentimentos anti-judaicos.
12 Sendo Galião procônsul da Acaia, levantaram-se os judeus de comum acordo contra Paulo e levaram-no ao tribunal e disseram: 13 "Este homem persuade os ouvintes a (adoptar) um culto contrário à lei." 14 Paulo ia falar, mas Galião disse aos judeus: "Se fosse, na realidade, uma injustiça ou verdadeiro crime, seria razoável que vos atendesse. 15 Mas se são questões de doutrina, de nomes e da vossa lei, isso é lá convosco. Não quero ser juiz dessas coisas." 16 E mandou-o sair do tribunbal. 17 Então todos pegaram em Sóstenes, chefe da sinagoga, e espancaram-no diante do tribunal, sem que Galião fizesse algum caso disso.
Frase para recordar: Este homem persuade os ouvintes a adoptar um culto contrário à lei.
VOLTA A ANTIOQUIA - PARTE PARA A TERCEIRA MISSÃO (Act, 18, 18-23) Em Cêncris, Paulo, corta o cabelo para cumprir um voto. Não se sabe a razão desse voto.
18 Paulo permaneceu ali (em Corinto) ainda algum tempo. Depois despediu-se dos irmâos e navegou para a Síria e com ele Priscila e Áquila. Antes, porém, cortara o cabelo em Cêncris, porque terminara um voto. 19 Chegaram a Éfeso, onde os deixou. Ele entrou na sinagoga e discutia com os judeus. 20 Pediram-lhe estes que ficasse com eles ali mais tempo, mas ele não quis. 21 Ao despedir-se, disse: "Voltarei a vós, se Deus quiser." E partiu de Éfeso. 22 Viajou até Cesareia, subiu a Jerusalém e saudou a comunidade e, logo de seguida, desceu a Antioquia. 23 Aí se demorou apenas por algum tempo, partiu de novo e atravessou sucessivamente as regiões da Galácia e da Frígia, fortalecendo todos os discipulos.
Frase para recordar: ... Ia fortalecendo todos os discipulos.
ACTIVIDADE DE APOLO EM ÉFESO (Act. 18, 24-28) Paulo inicia a terceira viagem missionária. Éfeso será, no futuro, um campo importante para Paulo. Aí exercia actividade Apolo um homem versado nas Escrituras, possivelmente discípulo do movimento do Baptista, brilhante orador, admirador de Jesus e da sua doutrina, mas não baptizado. Áquila e Priscila, o casal expulso de Roma, encarregam-se da sua educação na fé. Manifestando o desejo de ir à Acaia, os irmãos entusiasmaram-no a empreender a viagem e escreveram aos discípulos para que o recebessem bem.
24 Entrementes, um judeu chamado Apolo, natural da Alexandria, homem eloquente e muito versado nas Escrituras, chegou a Éfeso. 25 Era instruído no caminho do Senhor, falava com fervor de espírito e ensinava com precisão a respeito de Jesus, embora conhecesse somente o baptismo de João. 26 Começou pois, a falar na sinagoga com desassombro. Como Priscila e Áquila o ouvissem, levaram-no consigo, e expuseram-lhe mais profundamente o caminho do Senhor. 27 Como ele quisesse ir à Acaia, os irmãos animaram-no e escreveram aos discípulos para que o recebessem bem. A sua presença (em Corinto) foi pela graça de Deus, de muito proveito para os que tinham acreditado. 28 pois com grande veemência refutava publicamente os judeus, provando, pelas Escrituras que Jesus era o Messias.
Frase para recordar: Áquila e Priscila expuseram-lhe mais profundamente o caminho do Senhor.
RECEBESTE O ESPÍRITO SANTO? (Act. 19, 1-7) Paulo encontra-se em Éfeso com os membros da comunidade do Baptista que, após a sua morte, continuavam com o convite ao arrependimento. O seu baptismo, exteriormente muito semelhante ao de Jesus, era facilmente confundido pelos pagãos com este.
1 Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo atravessou as províncias superiores e chegou a Éfeso, onde encontrou alguns discípulos e indagou deles: 2 "Recebestes o Espírito Santo, quando abraçastes a fé?" Responderam-lhe: "Não, nem sequer ouvimos dizer que há um Espírito Santo!" 3 "Então em que baptismo fostes baptizados?", perguntou Paulo. Disseram: "No baptismo de João." 4 Paulo então replicou: "João só dava um baptismo de penitência, dizendo ao povo que cresse naquele que havia de vir depois dele, isto é, Jesus." 5 Ouvindo isto, foram baptizados em nome do Senhor Jesus. 6 E quando Paulo lhes impôs as mãos o Espírito Santo desceu sobre eles, e falavam em línguas estranhas e profetizavam. 7 Era, ao todo uns doze homens.
Frase para recordar: E quando Paulo lhes impôs as mãos o Espírito Santo desceu sobre eles.
APOSTOLADO DE PAULO EM ÉFESO (Act. 19, 8-12) Seguindo o esquema normal da sua actuaçao apostólica, Paulo fala com desassombro na sinagoga mas, vendo que alguns desacreditavam a sua doutrina, começou a reunir-se em particular com os discípulos para os instruir melhor. Através dos seus objectos pessoas operavam-se muitos milagres.
8 Paulo entrou na sinagoga e falou com desassombro durante três meses, disputando e persuadindo-os acerca do Reino de Deus. 9 Mas, como alguns se endurecessem e não cressem, desacreditando a sua doutrina diante da multidão, apartou-se deles e reuniu à parte os discípulos, onde os ensinava diariamente na escola de um certo Tirano. 10 Isto durou dois anos, de tal maneira que todos os habitantes da Ásia, judeus e gentios, puderam ouvir a palavra do Senhor. 11 Deus fazia milagres extraordinários por intermédio de Paulo, de modo que lenços e outros panos que tinham tocado o seu corpo eram levados aos enfermos, 12 e afastavam-se deles as doenças e retiravam-se os espíritos malignos.
Frase para recordar: Paulo entrou na sinagoga e falou com desassombro durante três meses.
Recolha e transcrição do livro UM ANO COM SÃO PAULO Pde Januário dos Santos Ed. Editorial Missões Cucujães-2008 António Fonseca