OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

sexta-feira, 12 de junho de 2009

UM ANO COM SÃO PAULO (44)

Dia 23 de Agosto
ÚLTIMO AVISO (2ª Cor. 13, 1-10)
O capítulo 13, último da segunda carta aos Coríntios, soa como um aviso final. Se perdoei da primeira e segunda vez, à terceira, vence-se o prazo e farei justiça
1 É esta a terceira vez que vou visitar-vos. Pelo depoimento de duas ou três testemunhas se resolve toda a questão.
2 Quando da minha segunda visita, já adverti àqueles que pecaram, e hoje, que estou ausente, torno a repeti-lo a eles e aos demais; se eu for outra vez, não usarei de perdão!
3 Simplesmente porque exigis a prova de é Cristo que fala em mim. Ora, para convosco ele não é fraco, mas exerce o seu poder entre vós.
4 É verdade que ele foi crucificado por fraqueza, mas está vivo pelo poder de Deus. Também nós somos fracos nele, mas com ele viveremos, pelo poder de Deus para actuar entre vós.
5 Examinai-vos a vós mesmos, se estais na fé. Provai-vos a vós mesmos. Acaso não reconheceis que Cristo Jesus está em vós? A não ser que a prova vos seja, talvez, desfavorável.
6 Mas espero que reconheçais que ela não é contra nós.
7 Entretanto, rogamos a Deus que não façais mal algum, não para que pareçamos aprovados, mas para que vós façais o bem, embora nós sejamos tidos como reprovados.
8 Contra a verdade não temos poder algum; temo-lo apenas em favor da verdade.
9 Alegramo-nos de ver-vos fortes enquanto nós somos fracos. E até oramos pela vossa perfeição.
10 Eis porque eu vos escrevo de longe para que, estando presente, não tenha que usar de rigor, em vista do poder que o Senhor me conferiu para edificar, e não para destruir.
Frase para recordar:
Não reconheceis que Cristo está em vós?
24 de Agosto
SAUDAÇÃO FINAL (2ª Cor. 13, 11-13)
A saudação de despedida da 2ª carta aos Coríntios é breve. Convida à alegria, à perfeição, à paz e ao amor.
É impessoal. Termina com uma das fórmulas trinitárias mais claras do
Novo Testamento que a reforma litúrgica do Concílio Vaticano II
aproveitou para a saudação inicial, da Eucaristia.
11 Por fim, irmâos, vivei com alegria. Tendei à perfeição, animai-vos, tende um só coração, vivei em paz, e o Deus de amor e da paz estará convosco.
12 Saudai-vos uns aos outros no ósculo santo. Todos os santos vos saúdam.
13 A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vós!
Frase para recordar:
Vivei com alegria. Tendei à perfeição.
25 de Agosto
SAUDAÇÃO AOS GÁLATAS (Gal. 1, 1-5)
Nesta saudação aos Gálatas, chama a nossa atenção a triplíce invocação que Paulo faz, em poucos versículos, de Deus Pai, quase como se tivesse de justificar a sua vocação e a missão que lhe fora confiada. Ele frisa que é apóstolo não da parte dos homens, nem por meio de algum homem. Além da saudação da paz que é costume, ele apresenta Jesus, como um novo Moisés, que nos libertou da escravidão e da perversidade do pecado.
1 Paulo Apóstolo nâo da parte dos homens, nem por meio de algum homem, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai que o ressuscitou dos mortos
2 e todos os irmãos que estâo comigo, às igrejas da Galácia:
3 a vós, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e da parte do Senhor Jesus Cristo,
4 que se entregou pelos nossos pecados, para nos libertar da perversidade do mundo presente, segundo a vontade de Deus, nosso Pai,
5 Da quem seja dada glória pelos séculos dos séculos. Ámen.
Frase para recordar:
O Senhor Jesus Cristo entregou-se pelos nosso pecados para nos libertar da perversidade.
26 de Agosto
SÓ HÁ UM EVANGELHO AUTÊNTICO (Gal. 1, 6-10)
Alguns tentavam falsificar o evangelho pregado por Paulo assegurando que ele não bastava para obter a salvação. Pretendiam ser necessário a circuncisão e a observância da Lei de Moisés. O Apóstolo insurge-se audazmente contra estes falsos doutores afirmando que se alguém vier com pregação diferente da sua seja excomungado. O Evangelho que ele anunciou, e continua a anunciar, nâo admite alternativa.
6 Estou admirado de que tão depressa passeis daquele que vos chamou à graça de Cristo para um evangelho diferente.
7 De facto, não há dois (evangelhos): há apenas pessoas que semeiam a confusão entre vós e querem perturbar o Evangelho de Cristo.
8 Mas, ainda que alguém, nós ou um anjo baixado do céu, vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema.
9 Repito aqui o que acabei de dizer: se alguém pregar doutrina diferente da que recebestes, seja excomungado!
10 É, porventura, o favor dos homens que eu procuro, ou o de Deus? Por acaso tenho interesse em agradar aos homens? Se quisesse agradar aos homens, não seria servo de Cristo.
Frase para recordar:
Se quisesse agradar aos homens, não seria servo de Cristo
27 de Agosto
RECEBEU A MISSÃO DIRECTAMENTE DO PAI (Gal. 1, 11-23)
11 Asseguro-vos, irmãos, que o Evangelho pregado por mim não tem nada de humano.
12 Não o recebi nem aprendi de homem algum, mas mediante uma revelação de Jesus Cristo.
13 Certamente ouvistes falar de como outrora eu vivia no judaísmo, com que excesso perseguia a Igreja de Deus e a assolava;
14 avantajava-me no judaísmo a muitos dos meus companheiros de idade e nação, extremamente zeloso das tradições de meus pais.
15 Mas, quando aprouve àquele que me reservou desde o seio de minha mãe e me chamou pela sua graça,
16 para revelar seu Filho na minha pessoa, a fim de que o tornasse conhecido entre os gentios, imediatamente, sem consultar a ninguém,
17 sem ir a Jerusalém para ver os que eram apóstolos antes de mim, parti para a Arábia; de lá regressei a Damasco.
18 Três anos depois subi a Jerusalém para conhecer Cefas, e fiquei com ele quinze dias.
19 Dos outros apóstolos não vi mais nenhum, a não ser Tiago, irmão do Senhor.
20 Isto que vos escrevo, Deus me é testemunha, não o estou a inventar.
21 Em seguida, fui para as regiões da Síria e da Cilícia.
22 Eu era ainda pessoalmente desconhecido das comunidades cristãs da Judeia;
23 tinham apenas ouvido dizer: "Aquele que antes nos perseguia, agora prega a fé que outrora combatia." E glorificavam a Deus por minha causa.
Frase para recordar:
O Evangelho pregado por mim não tem nada de humano.
Do livro
UM ANO COM SÃO PAULO,
do Pde Januário Santos
Recolha e trancrição de
António Fonseca