OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

quarta-feira, 24 de junho de 2009

UM ANO COM SÃO PAULO (56)

1 de Novembro
SAUDAÇÃO AOS TESSALONICENSES (1ª Tes. 1, 1)
É a primeira carta de Paulo. Todas as cartas, na saudação inicial, seguiam o mesmo esquema: Fulano para Fulano, deseja isto ou aquilo.
Aqui temos três remetentes. Paulo não se apresenta como Apóstolo. A saudação junta a forma grega "graça" e a forma hebraica "paz".
1 Paulo, Silvano e Timóteo à igreja dos tessalonicenses, reunida em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo. A vós , graça e paz!
SAUDAÇÃO DA 2ª EPÍSTOLA AOS TESSALONICENSES (2ª Tes. 1, 1-2)
A saudação da segunda carta aos Tessalonicenses é igual à da primeira com leve acrescento.
1 Paulo, Silvano e Timóteo à Igreja dos Tessalonicenses, reunida em Deus, nosso Pai, e no Senhor Jesus Cristo.

2 A vós, graça e paz da parte de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo!

2 de Novembro
ACÇÃO DE GRAÇAS (1ª Tes. 1, 2-10)
Paulo dá graças a Deus e reza por uma comunidade que aceitou o Evangelho no meio de dificuldades e se tornou imitadora do apóstolo como ele o é de Cristo.

2 Não cessamos de dar graças a Deus por todos vós e de lembrar-vos em nossas orações

3 Com efeito, diante de Deus, nosso Pai, pensamos continuamente nas obras da vossa fé, nos sacrifícios da vossa caridade e na firmeza da vossa esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, sob o olhar de Deus, nosso Pai.

4 Sabemos. irmãos amados de Deus, que sois eleitos.

5 O nosso Evangelho foi-vos pregado não somente com palavras, mas também com poder, com o Espírito Santo e com plena convicção. Sabeis o que temos sido entre vós para a vossa salvação.

6 E vós fizeste-vos imitadores nossos e do Senhor, ao receberdes a palavra , apesar das muitas tribulações, com a alegria do Espírito Santo,

7 de sorte que vos tornastes modelo para todos os fiéis da Macedónia e da Acaia.

8 Em verdade, partindo de vós, não só ressoou a palavra do Senhor pela Macedónia e Acaia, mas também se propagou a fama da vossa fé em Deus por toda a parte , de maneira que sobre isto não temos necessidade de dizer coisa alguma.

9 De facto, conta-se a nosso respeito por toda a parte qual foi o acolhimento que da vossa parte tivemos, e como abandonastes os ídolos e vos convertestes a Deus, para servirdes ao Deus vivo e verdadeiro

10 e aguardardes dos céus o seu Filho que Deus ressuscitou dos mortos, Jesus, que nos livra da ira iminente.

Frase para recordar:

E vós fizeste-vos imitadores nossos e do Senhor.

3 de Novembro

CONDUTA DE PAULO EM TESSALÓNICA (1ª Tes. 2, 1-6)

Paulo recorda a sua conduta em Tessalónica. No meio de muitas lutas, ele anunciou o Evangelho da verdade procurando agradar a Deus e não buscando glórias humanas, com simplicidade e ternura, trabalhando para não ser pesado a ninguém... Repete as expressões "sabeis, lembrai-vos" quase como se estivesse a dialogar com os destinatários da carta.

1 Bem sabeis, irmãos, que a nossa ida a vós não foi em vâo.

2 Apesar de maltratados e ultrajados em Filipos, como sabeis, ousámos, confiados no nosso Deus, pregar-vos o Evangelho de Deus no meio de muitas lutas.

3 A nossa pregação não provém do erro, nem de intenções fraudulentas, nem de engano.

4 Mas como Deus nos julgou dignos de nos confiar o Evangelho, falamos, não para agradar aos homens, mas sim a Deus, que sonda os nossos corações.

5 Com efeito, nunca usamos de adulação, como sabeis, nem fomos levados por fins interesseiros. Deus é testemunha.

6 Não buscamos glórias humanas, nem de vós nem de outros.

Frase para recordar:

Não falamos para agradar aos homens.

4 de Novembro
CONDUTA DE PAULO EM TESSALÓNICA (2) (1ª Tes. 2, 1-12)
7 Na qualidade de apóstolos de Cristo, poderiamos apresentar-nos como pessoas de autoridade. Todavia, fizemo-nos discretos no meio de vós. Como a mãe a acariciar os seus filhinhos,

8 assim, em nossa ternura por vós, desejávamos não só comunicar-vos o Evangelho de Deus mas até a nossa própria vida, porquanto nos sois muito queridos.

9 Vós lembrai-vos irmãos, dos nossos trabalhos e da nossa fadiga. Trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, pregámo-vos o Evangelho de Deus.

10 Vós sois testemunhas , e também Deus, de quão santa, justa e irrepreensivelmente nos portamos convosco que crestes.

11 E sabeis que procedemos com cada um de vós como um pai com os seus filhos.

12 nós vos exortamos, estimulamos e admoestamos a vos comportardes de maneira digna de Deus, que vos chama ao seu Reino e à sua glória.

Frase para recordar:
Como a mãe a acariciar os seus filhinhos, assim, em nossa ternura por vós, desejávamos não só comunicar-vos o Evangelho de Deus mas até a própria vida...
5 de Novembro
PROCEDER FIEL DOS TESSALONICENSES (1ª Tes. 2, 13-20)
Paulo dá, mais uma vez, graças a Deus, pela maneira como os tessalonicenses receberam a palavra de Deus e lembra a oposiçao que é feita ao Evangelho pelops pagãos e pelos próprios judeus.
A quem o impediu de ir visitar a comunidade de Tessalónica, ele chama Satanás (rival).
13 Por isso é que também nós não cessamos de dar graças a Deus, porque recebestes a palavra de Deus, que de nós ouvistes, e a colhestes, não como palavra de homens, mas como aquilo que realmente é, como palavra de Deus, que age eficazmente em vós, os fieis.

14 Com efeito, irmãos, vós vos tornastes imitadores das igrejas de Deus que estão na Judeia, da igrejas de Jesus Cristo. Tivestes que sofrer da parte dos vossos compatriotas o mesmo que eles sofreram dos judeus,

15 aqueles judeus que mataram o Senhor Jesus, que nos perseguiram, que não são do agrado de Deus, que são inimigos de todos os homens,

16 visto que nos proíbem de pregar aos gentios para que se salvem. E com isto vão enchendo sempre mais a medida dos seus pecados. Mas a ira de Deus acabou por atingi-los.

17 Nós, irmãos, separados de vós por algum tempo - de vista, não de coração - , temos o mais vivo e ardente desejo de vos rever.

18 Pelo que fizemos o possível por ir visitar-vos, ao menos eu, Paulo, em diversas ocasiões. Mas Satanás impediu-nos.

19 Pois quem, se não vós, será a nossa esperança, a nossa alegria e a nossa coroa de glória diante de nosso Senhor Jesus, no dia da sua vinda?

20 Sim, sois vós a nossa glória e a nossa alegria!

Frase para recordar:
Sim, sois vós a nossa glória e a nossa alegria!
6 de Novembro
MISSÃO DE TIMÓTEO (1ª Tes. 3, 1-8)
Impedido de ir a Tessalónica, Paulo, movido pela solicitude por todas as igrejas, envia Timóteo a saber o estado em que se encontra a comunidade. As notícias que o emissário lhe traz são tão belas que o apóstolo sente-se reviver. Da sua alma brota um hino de acção de graças e um pedido a Deus que torne os tessalonicenses irrepreensíveis e santos.
1 Assim, não podendo mais esperar, resolvemos ficar sozinhos em Atenas,
2 e enviar-vos Timóteo, nosso irmão, e ministro de Deus no Evangelho de Cristo. Ele tem a missão de vos fortalecer e encorajar na vossa fé,
3 a fim de que, no meio das presentes tribulações, ninguém se amedronte. Vós mesmos sabeis que esta é a nossa sorte.
4 Estando ainda convosco, vos predizíamos que haveríamos de padecer tribulações. Foi o que aconteceu, como sabeis.
5 É este o motivo porque, não podendo mais suportar a demora, mandei colher informações a respeito da vossa fé, pois receava que o tentador vos tivesse seduzido e resultasse em nada o nosso trabalho.
6 Mas, agora, Timóteo acaba de voltar da visita que vos fez, trazendo excelentes notícias da vossa fé e caridade. Ele nos falou da afectuosa lembrança que de nós sempre conservais e do desejo que tendes de nos rever, desejo que é também nosso.
7 Assim, irmãos, fomos consolados por vós, no meio de todas as nossas angústias e tribulações, em virtude da vossa fé.
8 Agora, sim, tornamos a viver, porque permaneceis firmes no Senhor.

Frase para recordar:

Irmão, fomos consolados por vós.
Missão de Timóteo (2) (1ª Tes. 3, 9-13)
Feliz pela constância da comunidade de Tessalónica, da alma de Paulo broia um hino de acção de graças, enquanto pede a Deus que torne os tessalonicenses irrepreensíveis e santos.
9 E como poderíamos agradecer a Deus por vós, por toda a alegria que tivemos diante dele por vossa causa?!
10 Noite e dia, com intenso, com extremo fervor, oramos para que nos seja dado ver novamente a vossa face e completar o que ainda falta à vossa fé.
11 Que Deus, nosso Pai, e nosso Senhor Jesus nos preparem o caminho até vós!
12 Que o Senhor vos faça crescer e avantajar na caridade mútua e para com todos os homens, como é o nosso amor para convosco.
13 Que Ele confirme os vossos corações, e vos torne irrepreensiveis e santos na presença de Deus, nosso Pai, por ocasião da vinda de nosso Senhor Jesus com todos os seus santos!

Frase para recordar:
Que o Senhor vos faça crescer e avantajar na caridade mútua.
8 de Novembro
EXORTAÇÃO À PUREZA, À CARIDADE E AO TRABALHO (1ª Tes. 4, 1-12)
1 No mais, irmãos, aprendestes de nós a maneira como deveis proceder para agradar a Deus e já o fazeis. Rogamo-vos, pois, e vos exortamos no Senhor Jesus a que progridais sempre mais.
2 Pois conheceis que preceitos vos demos da parte do Senhor Jesus.
3 Esta é a vontade de Deus: a vossa santificação; que eviteis a impureza,
4 que cada um de vós saiba possuir o seu corpo santa e honestamente,
5 sem se deixar levar pelas paixões desregradas, como os pagãos que não conhecem a Deus;
6 e que ninguém, nesta matéria, oprima nem defraude o seu irmão, porque o Senhor faz justiça de todas estas coisas, como já antes vo-lo dissémos e asseverámos.
7 Pois Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade.
8 Por conseguinte, desprezar estes preceitos é desprezar não a um homem, mas a Deus, que nos deu o seu Espírito Santo.
9 A respeito da caridade fraterna, não temos necessidade de vos escrever, porquanto vós mesmos aprendestes de Deus a amar-vos uns aos outros.
10 E é o que estais a praticar com todos os irmãos em toda a Macedónia. Mas ainda vos rogamos, irmãos, que vos aperfeiçoeis mais e mais.
11 Procurai viver com serenidade, ocupando-vos das vossas próprias coisas e trabalhando com as vossas mãos, como vo-lo temos recomendado.
12 Assim vivereis honradamente em presença dos de fora e não sereis pesados a ninguém.
Frase para recordar:
Esta é a vontade de Deus: a vossa santificação.
9 de Novembro
A NOSSA RESSURREIÇÃO (1ª Tes. 4, 13-18)
Certos cristãos da Igreja primitiva esperavam uma vinda iminente de Jesus na sua glória. Imaginavam que os mortos eram dignos de comiseração por não poderem assistir a este solene triunfo que Jesus tinha anunciado no Evangelho (Mt. 26, 64; Mc. 14, 62; Act. 1, 11). Paulo responde que os mortos ressuscitarão.
13 Irmãos, não queremos que ignoreis coisa alguma a respeito dos mortos, para que não vos entristeçais, como os outros homens que não têm esperança.
14 Se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, cremos também que Deus levará com Jesus os que nele morreram.
15 Eis o que vos declaramos, conforme a palavra do Senhor: por ocasião da vinda do Senhor, nós que ficamos ainda vivos não precederemos os mortos.
16 Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da tromnbeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do céu e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro.
17 Depois nós, os vivos, os que estamos ainda na terra, seremos arrebatados juntamente com eles sobre nuvens ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.
18 Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.
Frase para recordar:
Não vos entristeçais como os outros que não têm esperança.
10 de Novembro
VINDA DO SENHOR (1ª Tes. 5, 1-11)
Paulo fala da certeza da morte e do momento inesperado em que virá "como um ladrão". Recomenda aos cristãos que vigiem e se revistam de armaduras bélicas para resistir ao combate. A vinda do Senhor não será um dia de trevas mas um dia de luz e de triunfo.
1 A respeito da época e do momento, não há necessidade, irmãos, de que vos escrevamos.
2 Pois vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como um ladrão de noite.
3 Quando os homens disserem: "Paz e segurança", então repentinamente lhes sobrevirá a destruição, como as dores à mulher grávida. E não escaparão.
4 Mas vós, irmãos, não viveis nas trevas, de modo que esse dia vos surpreenda como um ladrão.
5 Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia. Não somos da noite nem das trevas.
6 Não durmamos, pois, como os demais. Mas vigiemos e sejamos sóbrios.
7 Porque os que dormem, dormem de noite; e os que se embriagam, embriagam-se de noite.
8 Nós, ao contrário, que somos do dia, sejamos sóbrios. Tomemos por couraça a fé e a caridade, e por capacete a esperança da salvação.
9 Porquanto não nos destinou Deus para a ira, mas para alcançar a salvação por nosso Senhor Jesus Cristo.
10 Ele morreu por nós, a fim de que nós, quer em estado de vigília, quer de sono, vivamos em união com ele.
11 Assim, pois, consolai-vos mutuamente e edificai-vos uns aos outros, como já o fazeis.
Frase para recordar:
Não durmamos como os demais. Vigiemos e sejamos sóbrios.
11 de Novembro
CONSELHOS DIVERSOS (1ª Tes. 5, 12-22)
12 Suplicamo-vos, irmãos, que reconheçais aqueles que arduamente trabalham entre vós para dirigir-vos no Senhor e vos admoestar.
13 Tende para com eles singular amor, em vista do cargo que exercem. Conservai a paz entre vós.
14 Pedimo-vos, porém, irmãos, corrigi os desordeiros, encorajai os tímidos, amparai os fracos e tende paciência para com todos.
15 Vede que ninguém pague a outro o mal com o mal. Antes, procurai sempre praticar o bem entre vós e para com todos.
16 Vivei sempre contentes.
17 Orai sem cessar.
18 Em todas as circunstâncias, dai graças, porque esta é a vosso respeito a vontade de Deus em Jesus Cristo.
19 Não extingais o Espírito.
20 Não desprezeis as profecias.
21 Examinai tudo; abraçai o que é bom.
22 Guardai-vos de toda a espécie de mal.
Frase para recordar:
Examinai tudo; abraçai o que é bom.
12 de Novembro
CONCLUSÃO (1ª Tes. 5, 23-28)
Concluindo a primeira carta aos Tessalonicenses, Paulo empregando a divisão grega do homem "espírito, alma e corpo", convida-os a uma total consagração a Deus. Recomenda também que rezem por ele e que esta carta seja lida a todos os irmãos.
23 O Deus da paz vos conceda a santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo!
24 Fiel é aquele que vos chama, e o cumprirá.
25 Irmãos, orai também por nós.
26 Saudai a todos os irmãos com o ósculo santo.
27 Peço-vos encarecidamente, no Senhor, que esta carta seja lida a todos os irmãos.
28 A graça de nosso senhor Jesus Cristo esteja convosco!
Frase para recordar:
O Deus da paz vos conceda a santidade perfeita.
Do: livro UM ANO COM SÃO PAULO,
do Pde Januário dos Santos
Recolha e transcrição de
António Fonseca

PRÓSPERO DE AQUITÂNIA, Santo (e outros) 25 JUNHO

Próspero de Aquitania, Santo Secular, Junho 25 Próspero de Aquitania, Santo Secular Se não fosse por seus escritos, todos marcados pela controvérsia semipelagiana, e pelo testemunho do historiador Gennadio não saberíamos grande coisa de sua vida que se destaca por sua virtude, pela perseverança na luta pela ortodoxia e pela paixão pela verdade. Parece ser que era natural de Aquitania que assim se acresce ao seu nome, como apelido, o de sua pátria em que viu a luz nos finais do século IV. Deve ter recebido uma boa e sólida formação e parece que frequentou a companhia dos monges que estavam no mosteiro de S.Víctor, em Marselha, no sul de França. Consta que nunca entrou no mundo dos clérigos, sempre permaneceu em estado secular e há indícios prudentes que levam a pensar que esteve casado; de facto, se lhe atribui o «Poema de um esposo a sua esposa» em cujo caso não haveria dúvida sobre seu estado matrimonial e incluso se lhe podería aplicar a profundidade de pensamento e as claras atitudes de vida cristã que nele aparecem, mas não pode afirmar-se com total segurança por negar algum autor de peso a autoría prosperoniana do poema. Bem conhecida é a controvérsia teológica suscitada no século V pelo desviado ensino de Pelagio contrário ao pensar cristão possuido pacíficamente na Igreja. A reação de santo Agostinho -com toda a classe de argumentos bíblicos e teológicos- não se fez esperar na defesa da fé e a sanção dos concilios de Cartago nos anos 416 e 418 com a posterior aceitação do papa parecía haver solucionado para sempre o problema. Mas não foi assim e é aquí onde entra em jogo Próspero de Aquitania. Os monges de S. Víctor em Marselha começam a influenciar as Gálias com um pelagianismo camuflado que ensina o abade Cassiano, escritor e teólogo, secundado por seus monges. Dizen suas «Colaciones» que admite a doutrina contra os pelagianos exposta por s. Agostinho e aprovada pelos concilios e os papas,mas sustenta com seus monges que depende do homem a primeira eleição que em términos teológicos se denominará desde então o «initium fidei». Este es el pensamiento teológico que en el siglo XVI recibirá el nombre de semipelagianismo. Próspero detecta el mal larvado y habla, y discute, y visita, y escribe a Agustín propiciando la escritura de los tratados maduros agustinianos «Sobre el don de la perseverancia» y «De la predestinación de los santos» que escribió, ya anciano, el obispo de Hipona. Es toda una controversia de alto nivel. Como es laico y su fuerza termina en su pobre persona, no cede en la verdad teológica y marcha a Roma para implicar en la defensa de la fe al mismo papa Celestino I que era ya un hombre avezado en este tipo de discusiones y escribió a los obispos galos pidiendo sometimiento al magisterio de la Iglesia recogido de san Agustín. Se trataba de intrincadas cuestiones que, en sus matices, son para especialistas teólogos y en las que los incautos son fácil presa al engaño. En juego está la idea de Dios y del hombre, el valor de la Redención y la necesidad de los sacramentos. No era poca cosa la que estaba sobre el tapete. Había que saber conciliar la evidencia del absoluto poder de Dios, su voluntad salvífica universal, y su absoluta libertad con la libertad del hombre que es un ser dependiente y el papel que le concierne en su propia salvación, correspondiendo personalmente a la gracia. Si se concedía excesivo protagonismo a la libertad humana se llegaba al extremo inaceptable de que el hombre puede llegar a la salvación sobrenatural por sus propias fuerzas; si, por el contrario, se acentuaba la absoluta dependencia del hombre con respecto a Dios, se hacía a Dios responsable de la condenación, cosa igualmente imposible. Llegar a la expresión técnica de la fe era cosa de preclaras inteligencias, grandes teólogos y extraordinarios santos. Muerto Casiano y fallecido también san Agustín, no se acabó la discusión entre los seguidores del fraile y tuvo que ser el laico o seglar Próspero quien mantuviera firme y alta la bandera de la ortodoxia. Que se sepa, escribió «La vocación de todos los gentiles», «Contra el autor de las Colaciones», «Sobre la Gracia y el libre albedrío» y «De los ingratos». Terminó sus días el seglar Próspero siendo secretario nada menos que del papa san León Magno y hasta se piensa que pudo poner su aportación en la Epístola Dogmática escrita a los Orientales para exponer magisterialmente el misterio de la Encarnación, declarando la unión Personal en Cristo contra la herejía de Nestorio y contra Eutiques y los monofisitas las dos naturalezas de Cristo. Murió después del año 455, sin que se pueda aventurar con más exactitud la fecha de su muerte en el actual estado de investigación. Da gusto ver en el siglo V la entrega de un laico sabio y santo responsable de su misión y puesto en la Iglesia sin renunciar al estado que Dios quiso para él. Aunque en aquella época no se hablaba aún de «promocionar al laicado», ni de «laicos comprometidos», se demuestra una vez más que, para cada uno en particular, la santidad no depende del modo de ser Iglesia en la Iglesia, sino de la fidelidad a la gracia de Dios y del esfuerzo por poner en juego todos los dones recibidos. • Eurosia u Orosia de Jaca, Santa Junio 25 Mártir, Junio 25
Eurosia ou Orosia de Jaca, Santa Mártir, Junho 25 Eurosia ou Orosia de Jaca, Santa
Mártir
Santa Orosia é patrona da Jacetania e o Alto Gállego. Se celebra sua festividade em 25 de Junho; é também padroeira de endemoninhados ou espirituados. A tradição diz que Orosia era uma princesa de Bohemia que vinha a Espanha para casar-se com un príncipe visigodo. Sua comitiva, apesar de buscar em sua viagem refúgio nos Pirineos, foi descoberta por tropas islámicas. O chefe destas tropas propôs matrimónio à jovem princesa que, para não abandonar sua fé em Cristo se negou, depois do que foi martirizada. Se conta que uns 300 anos depois, no século XI, apareceu a um pastor que guardava seu rebanho nas proximidades de Yebra de Basa, para revelar-lhe a história do martirio eo local das reliquias e expressando sua vontade de que se erigisse nesse lugar uma ermida onde se venerasse sua cabeça e se trasladasse o resto do corpo à Catedral de Jaca. Tudo isto dignificava a importância de Jaca e sua Catedral e as orígens do reino que Sancho Ramírez estava consolidando nestas terras após a morte de seu pai Ramiro I. Seu culto se difundiu por toda a Espanha chegando incluso ao norte de Itália. Foi canonizada por S.S. León XIII em 1902.
Junho 25 Monge, Junho 25
Nasceu no ano 1085 em Vercelli, como indica seu nome, no norte de Itália. Poucas coisas sabemos de seu nascimento e infância, mas sim de sua juventude e mocidade como um prodigio de mortificação e de dom de milagres. Ele dizia aos monges que tratavam de imitar sua vida e pretendiam segui-lo a todas as partes: "É necessário que mediante o trabalho de nossas mãos procuremos o sustento para o corpo, o vestido ainda que pobre e meios necessários para poder socorrer aos pobres. Mas ele não deve ocupar todo o día, já que devemos encontrar tempo suficiente para dedicá-lo ao cuidado da oração com a que granjeamos nossa salvação e a de nossos irmãos". Ahí estaba sintetizada la vida que él llevaba y la que quería que vivieran también cuantos quisieran estar a su lado.Cuando todavía era un joven hizo una perigrinación a Santiago de Compostela que en su tiempo era muy popular y que hacían casi todos los cristianos que podían. Pero él lo hizo de modo extraordinario: Se cargó de cadenas, que casi no podía arrastrar por su gran peso, y apenas tomaba bocado. Un día llegó a las puertas de una casa de campo y parecía desfallecer. A pesar de ello habló así al dueño de la misma que parecía ser un valiente caballero: "Señor, estas cadenas se me rompen continuamente y me hacen muchos honores porque son vistas por todos. ¿No serías tan bueno que me dieras una coraza para llevarla escondida junto a mis carnes y un casquete para mi cabeza? Dicho y hecho. Guillermo salió de la presencia de aquel caballero con gran esfuerzo, ya que apenas podía moverse con tanto hierro y con los dolores enormes que le proporcionaban. Vuelto a Palermo, el rey Rogerio que había oído ya hablar muchas maravillas de aquel raro peregrino, sintió grandes deseos de verlo.En la corte se contaban chascarrillos a su costa y cada uno lo tomaba a chacota y decía de él las cosas más raras e inverosímiles. En aquella corte había una mujer que llamaba la atención por su vida deshonesta y ella al oír hablar de la santidad del peregrino dijo a todos los cortesanos: "Yo os prometo que le haré caer a ese pobre hombre en mis redes de lascivia". Se arregló lo mejor que pudo y se dirigió a visitarle. El santo hombre la recibió con grandes muestras de simpatía y tuvo con ella una larga conversación creyendo la dama que ya lo había conquistado para el pecado. Así volvió contenta a la corte y contó sus victorias. Pero habían quedado que volvería aquella noche para pasarla con él. El santo peregrino la invitó, la tomó el brazo y le dijo: "Ven y acuéstate conmigo en este lecho nupcial". El extendió las brasas y llamaradas de una gran hoguera que había hecho preparar y se arrojó en ellas. La pobrecilla mujer, que se llamaba Inés, cayó avergonzada y prorrumpió a llorar al ver que no le tocaba el fuego al siervo de Dios. Hizo penitencia, abrazó la vida religiosa y murió santamente.En Montevergine fundó un célebre monasterio y purificó la corte y los palacios de tanto pecado como se cometía. Príncipes y labriegos, hombre y mujeres abandonaban su mala vida y seguían su ejemplo dejándolo todo por seguir a Jesucristo.Desde este Monte Sacro, que ahora se llama como en tiempos de San Guillermo, Monte de la Virgen (Montevergine), nuestro Santo continuaba ejerciendo un gran influjo por medio de su oración y vida de sacrificio. Lleno de méritos, murió el 25 de junio de 1142
Junho 25 bispo e Mártir, Junho 25
Nascido em Baena, Espanha, em 19 de Dezembro de 1766. Ingressou na Ordem de Pregadores (Dominicanos) e foi ordenado em 18 de Setembro de 1790. Em 1789 é destinado às Missões de Tonkin (hoje Vietnam). Consagrado bispo em 9 de Janeiro de 1802. Detido e preso em Junho de 1838, é condenado a morte e decapitado em 25 de Junho de 1838. Beatificado em 27 de Maio de 1900, por León XIII, é canonizado por Juan Pablo II el 19 de junio de 1988. Para ver más sobre los 117 mártires en Vietnam haz "click" AQUI
Junho 25 Catequista e Mártir, Junho 25
Francisco nasceu numa familia cristã em Vietnam, era catequista e colaborador de seu bispo, san Domingo Henares, quando se iniciou, em 1838, a perseguição anti crisã em seu país. Os perseguidores colocaram crucifixos nas ruas e reconhecíam os cristãos, porque aqueles não só que não os pisavam, mas os que veneravam. Francisco passou por um desses caminhos e para evitar que os crucifixos fossem pisoteados se apressou a recolhe-los apertando-os logo, com profunda reverência, contra seu peito. Foi violentamente preso, logo julqado e sentenciado à morte por decapitação pelo delito de negar-se a pisar as cruzes. É um dos 117 mártires en Vietnam canonizados por S.S. Juan Pablo II em 19 de junho de 1988. LISTA DOS 117 MÁRTIRES DE VIETNAM 1 Andrés DUNG-LAC, Sacerdote 21-12-18392 Domingo HENARES, Obispo O.P. 25-06-18383 Clemente Ignacio DELGADO CEBRIAN, Obispo O.P. 12-07-18384 Pedro Dumoulin BORIE, Obispo M.E.P. 24-11-18385 José María DIAZ SANJURJO, Obispo O.P. 20-07-18576 Melchor GARCIA SAMPEDRO SUAREZ, Obispo O.P. 28-07-18587 Jerónimo HERMOSILLA, Obispo O.P. O1-11-18618 Valentín BERRIOCHOA, Obispo O.P. 01-11-18619 Esteban Teodoro CUENOT, Obispo M.E.P. 14-11-186110 Francisco GIL DE FEDERICH, Sacerdote O.P. 22-O1-174511 Mateo ALONSO LECINIANA, Sacerdote O.P. 22-O1-174512 Jacinto CASTANEDA, Sacerdote O.P. 07-11-177313 Vicente LE OUANG LIEM, Sacerdote O.P. 07-11-177314 Emanuel NGUYEN VAN TRIEU, Sacerdote 17-09-179815 Juan DAT, Sacerdote 28-10-179816 Pedro LE TuY, Sacerdote 11-10-183317 Francisco Isidoro GAGELIN, Sacerdote M.E.P. 17-10-183318 José MARCHAND, Sacerdote M.E.P. 30-11-183519 Juan Carlos CORNAY, Sacerdote M.E.P. 20-09-183720 Vicente DO YEN, Sacerdote O.P. 30-06-183821 Pedro NGUYEN BA TUAN, Sacerdote 15-07-183822 José FERNANDEZ, Sacerdote O.P. 24-07-183823 Bernardo VU VAN DUE, Sacerdote 01-08-183824 Domingo NGUYEN VAN HANH (DIEU), Sacerdote O.P. 01-08-183825 Santiago Do MAI NAM, Sacerdote 12-08-183826 José DANG DINH (NIEN) VIEN, Sacerdote 21-08-183827 Pedro NGUYEN VAN TU, Sacerdote O.P. 05-09-183828 Francisco JACCARD, Sacerdote M.E.P. 21-09-183829 Vicente NGUYEN THE DIEM, Sacerdote 24-11-183830 Pedro VO BANG KHOA, Sacerdote 24-11-183831 Domingo TUOC, Sacerdote O.P. 02-04-183932 Tomás DINH VIET Du, Sacerdote O.P. 26-11-183933 Domingo NGUYEN VAN (DOAN) XUYEN, Sacerdote O.P. 26-11-183934 Pedro PHAM VAN TIZI, Sacerdote 21-12-183935 Pablo PHAN KHAc KHOAN, Sacerdote 28-04-184036 Josée DO QUANG HIEN, Sacerdote O.P. 09-05-184037 Lucas Vu BA LOAN, Sacerdote 05-06-184038 Domingo TRACH (DOAI), Sacerdote O.P. 18-09-184039 Pablo NGUYEN NGAN, Sacerdote 08-11-184040 José NGUYEN DINH NGHI, Sacerdote 08-11-184041 Martín TA Duc THINH, Sacerdote 08-11-184042 Pedro KHANH, Sacerdote 12-07-184243 Agustín SCHOEFFLER, Sacerdote M.E.P. 01-05-185144 Juan Luis BONNARD, Sacerdote M.E.P. 01-05-185245 Felipe PHAN VAN MINH, Sacerdote 03-07-185346 Lorenzo NGUYEN VAN HUONG, Sacerdote 27-04-185647 Pablo LE BAo TINH, Sacerdote 06-04-185748 Domingo MAU, Sacerdote O.P. 05-11-185849 Pablo LE VAN Loc, Sacerdote 13-02-185950 Domingo CAM, Sacerdote T.O.P. 11-03-185951 Pedro DOAN LONG QUY, Sacerdote 31-07-185952 Pedro Francisco NERON, Sacerdote M.E.P. 03-11-186053 Tomás KHUONG, Sacerdote T.O.P. 30-01-186154 Juan Teofano VENARD, Sacerdote M.E.P. 02-02-186155 Pedro NGUYEN VAN Luu, Sacerdote 07-04-186156 José TUAN, Sacerdote O.P. 30-04-186157 Juan DOAN TRINH HOAN, Sacerdote 26-05-186158 Pedro ALMATO RIBERA, Sacerdote O.P. 01-11-186159 Pablo TONG VIET BUONG, Laico 23-10-183360 Andrés TRAN VAN THONG, Laico 28-11-183561 Francisco Javier CAN, Catequista 20-11-183762 Francisco DO VAN (HIEN MINH) CHIEU, Catequista 25-06-183863 José NGUYEN DINH UPEN, Catequista T.O.P. 03-07-183864 Pedro NGUYEN DicH, Laico 12-08-183865 Miguel NGUYEN HUY MY, Laico 12-08-183866 José HOANG LUONG CANH, Laico T.O.P. 05-09-183867 Tomás TRAN VAN THIEN, Seminarista 21-09-183868 Pedro TRUONG VAN DUONG, Catequista 18-12-183869 Pablo NGUYEN VAN MY, Catequista 18-12-183870 Pedro VU VAN TRUAT, Catequista 18-12-183871 Agustín PHAN VIET Huy, Laico 13-06-183972 Nicolás BUI DUC THE, Laico 13-06-183973 Domingo (Nicolás) DINH DAT, Laico 18-07-1839 74 Tomás NGUYEN VAN DE, Laico T.O.P. 19-12-1839 75 Francisco Javier HA THONG MAU, Catequista T.O.P. 19-12-1839 76 Agustín NGUYEN VAN MOI, Laico T.O.P. 19-12-183977 Domingo Bui VAN UY, Catequista T.O.P. 19-12-183978 Esteban NGUYEN VAN VINTI, Laico T.O.P. 19-12-183979 Pedro NGUYEN VAN HIEU, Catequista 28-04-184080 Juan Bautista DINH VAN THANH, Catequista 28-04-184081 Antonio NGUYEN HUU (NAM) QUYNH, Laico 10-07-184082 Pietro NGUYEN KHAC Tu, Catequista 10-07-184083 Tomás TOAN, Catequista T.O.P. 21-07-184084 Juan Bautista CON, Laico 08-11-184085 Martín THO, Laico 08-11-184086 Simón PHAN DAc HOA, Laico 12-12-184087 Inés LE THi THANH (DE), Laica 12-07-184188 Mateo LE VAN GAM, Laico 11-05-1847 89 José NGUYEN VAN Luu, Catequista 02-05-1854 90 Andrés NGUYEN Kim THONG (NAM THUONG), Catequista 15-07-185591 Miguel Ho DINH HY, Laico 22-05-185792 Pedro DOAN VAN VAN, Catequista 25-05-185793 Francisco PHAN VAN TRUNG, Laico 06-10-185894 Domingo PHAM THONG (AN) KHAM, Laico T.O.P. 13-01-185995 Lucas PHAM THONG (CAI) THIN, Laico 13-01-185996 José PHAM THONG (CAI) TA, Laico 13-01-185997 Pablo HANH, Laico 28-05-185998 Emanuel LE VAN PHUNG, Laico 31-07-185999 José LE DANG THI, Laico 24-10-1860 100 Mateo NGUYEN VAN (NGUYEN) PHUONG, Laico 26-05-1861101 José NGUYEN DUY KHANG, Catequista T.O.P. 06-11-1861102 José TUAN, Laico 07-01-1862103 José TUC, Laico 01-06-1862104 Domingo NINH, Laico 02-06-1862105 Domingo TORI, Laico 05-06-1862106 Lorenzo NGON, Laico 22-05-1862107 Pallo (DONG) DUONG, Laico 03-06-1862108 Domingo HUYEN, Laico 05-06-1862109 Pedro DUNG, Laico 06-06-1862110 Vicente DUONG, Laico 06-06-1862111 Pedro THUAN, Laico 06-06-1862112 Domingo MAO, Laico 16-06-1862113 Domingo NGUYEN, Laico 16-06-1862114 Domingo NHI, Laico 16-06-1862115 Andrés TUONG, Laico 16-06-1862116 Vicente TUONG, Laico 16-06-1862117 Pedro DA, Laico 17-06-1862_______________________O.P. : Orden de los Predicadores (Dominicos) T.O.P.: Terciario de la Orden de los Predicadores M.E.P.: Sociedad de las Misiones Extranjeras de París
Junho 25 Viúva, Junho 25

A célebre contemplativa Beata Dorotea Swartz de Montau, nasceu em Montau, em 6 de febrero del año 1347, murió en Marienwerder, el 25 junio de 1394.

Com a idade de diecisiete años se casó con el artesano cuchillero Albrecht de Danzig, un hombre muy temperamental, de carácter violento, que la golpeaba sin piedad. Llevando una vida de santa paciencia, logró, con su humildad y gentileza, cambiar poco a poco el carácter de su marido. Los dos hicieron frecuentes peregrinaciones a Colonia, Hacheen, y Einsiedeln, y en 1390 pensaban visitar Roma; pero Albrecht fue impedido por una enfermedad y permaneció en su casa donde murió, mientras Dorotea viajaba sola a Roma. De sus nueve niños todos se murieron, salvo una hija que se hizo Benedictina. En el verano del año 1391 Dorotea se mudó a Marienwerder, y el 2 de mayo de 1393, con el permiso del Capítulo y de la Orden Teutónica, levantó una ermita cerca de la catedral. Llevó una vida muy austera. Numerosos visitantes buscaron su consejo y consuelo, tenía visiones y revelaciones. Su confesor, el diácono John de Marienwerder, un sabio teólogo, escribió sus conversaciones y una biografía en latín de siete libros, "Septililium", además escribió en alemán su vida en cuatro libros. Nunca fue canonizada formalmente, aunque en algunos sitios la llaman Santa Dorotea. El pueblo la ha honrado como la protectora del país, de la Orden Teutónica y Patrona de Prusia. La iglesia de Marienwerder en la actualidad es luterana; sus reliquias no se han encontrado. En algunos lares la festejan el 30 de octubre http://es.catholic.net/santoral

Recolha, transcrição e tradução

(muito defeituosa)

de António Fonseca

S. JOÃO BAPTISTA - 24 JUNHO

Fuente: Catholic.net Autor: P. Elí Ricardo Marín Lucas 1, 57-66.80
Cumpriu-se em Isabel o tempo de dar a luz, e teve um filho. Ouviram seus vizinhos e parentes que o Senhor lhe havia feito grande misericórdia, e congratulavam-se com ela. E sucedeu que ao oitavo día foram a circuncidar o menino, e queríam pôr-lhe o nome de seu pai, Zacarías, mas sua mãe, tomando a palavra, disse: «Não; se há-de chamar João». Diziam-lhe: «Não há ninguém em tua parentela que tenha esse nome».
E perguntavam por sinais a seu pai como quería que se lhe chamasse. Ele pediu uma tabuínha e escreveu: «João é o seu nome». E todos ficaram admirados.
Até ao ponto em que se abriu sua boca e sua língua, e falava bendizendo a Deus. O temor invadiu a todos seus vizinhos, e em toda a montanha de Judeia se comentavam todas estas coisas; todos os que as ouviam as gravavam em seu coração, dizendo:
«Pois ¿que será este menino?»
Porque, com efeito, a mão do Senhor estava com ele. O menino crescía e seu espírito se fortalecía; viveu nos desertos até ao día de sua manifestação a Israel.
Reflexão
Todas as vocações são histórias muito interessantes. Hoje o evangelho narra-nos a vocação do primeiro apóstolo de Cristo, e não me refiro a Santo André ou a São Pedro mas sim a São João Baptista, pois ele também foi apóstolo.
Apóstolo significa enviado e justamente isso foi S. João Baptista um enviado que antecipava a vinda do Salvador.
E como toda a vocação se preparou, o evangelho diz que crescía e seu espírito se fortalecía e que viveu no deserto. Me imagino a um jovem que sabe sua missão, que sabe seu caminho - como diría o escritor espanhol Miguel Delibes - e que põe os meios para levá-la a cabo.
O exemplo do Baptista pode-nos servir muito pois damo-nos conta da importância que tem seguir a Cristo. Ele foi capaz de deixar tudo para ir antecipar sua chegada.
Hoje, graças a Deus, nos encontramos todavía com muitos baptistas que antecipam a chegada de Cristo a nossos corações, são esses jovens generosos que escutam a chamada de Deus e estão dispostos a segui-la.
Peçamos hoje por eles.
Conhece a orígem da festa

João Baptista, Santo

Nascimento de João Baptista

Origem da festa

A Igreja celebra normalmente a festa dos santos no día de seu nascimento para a vida eterna, que é o día de sua morte. No caso de São João Baptista, se faz uma excepção e se celebra o día de seu nascimento. São João, o Baptista, foi santificado no ventre de sua mãe quando a Virgem María, grávida de Jesus, visita a sua prima Isabel, segundo o Evangelho. Esta festa comemora o nascimento "terreal" do Precursor. É digno de celebrar-se o nascimento do Precursor, já que é motivo de muita alegría, para todos os homens, ter a quem corre adiante para anunciar e preparar a próxima chegada do Messías, o seja, de Jesús. Foi uma das primeiras festas religiosas e, nela, a Igreja nos convida a recordar e a aplicar a mensagem de João.

O nascimento de João Baptista

Isabel, a prima da Virgem María estava casada com Zacarías, que era sacerdote, servía a Deus no templo e esperava a chegada do Messías que Deus havia prometido a Abraão. Não haviam tido filhos, mas não se cansavam de pedi-lo ao Senhor. Vivíam de acordo com a lei de Deus. Um día, um anjo do Senhor apareceu a Zacarías, que se sobressaltou e se encheu de medo. O Arcanjo Gabriel lHe anunciou que iam ter um filho muito especial, mas Zacarías duvidou e lhe perguntou como sería isso possível se ele e Isabel já eram velhos. Então o anjo lhe respondeu que, por ter duvidado, ficaría mudo até que tudo sucedesse. E assim foi. A Virgem María, ao saber da notícia da gravidez de Isabel, foi visitá-la. E no momento em que Isabel ouviu a saudação de María, o menino saltou de júbilo em seu ventre. Éste é um dos muitos gestos de delicadeza, de serviço e de amor que tem a Virgem María para com os demais. Antes de pensar nela mesma, também grávida, pensou ir ajudar a sua prima Isabel. O anjo havia encarregado Zacarías de lhe pôr o nome de João. Com o nascimento de João, Zacarías recupera sua voz e a primeira coisa que diz, é: "Bendito o Senhor, Deus de Israel". João cresceu muito perto de Deus. Quando chegou o momento, anunciou a vinda do Salvador, pregando o arrependimento e a conversão e baptizando no río Jordão.

A pregação de João Baptista

João Baptista é o Precursor, quer dizer, o enviado por Deus para preparar o caminho ao Salvador. Portanto, é o último profeta, com a missão de anunciar a chegada imediata do Salvador. Juan iba vestido de pelo de camello, llevaba un cinturón de cuero y se alimentaba de langostas y miel silvestre. Venían hacia él los habitantes de Jerusalén y Judea y los de la región del Jordán. Juan bautizaba en el río Jordán y la gente se arrepentía de sus pecados. Predicaba que los hombres tenían que cambiar su modo de vivir para poder entrar en el Reino que ya estaba cercano. El primer mensaje que daba Juan Bautista era el de reconocer los pecados, pues, para lograr un cambio, hay que reconocer las fallas. El segundo mensaje era el de cambiar la manera de vivir, esto es, el de hacer un esfuerzo constante para vivir de acuerdo con la voluntad de Dios. Esto serviría de preparación para la venida del Salvador. En suma, predicó a los hombres el arrepentimiento de los pecados y la conversión de vida. Juan reconoció a Jesús al pedirle Él que lo bautizara en el Jordán. En ese momento se abrieron los cielos y se escuchó la voz del Padre que decía: "Éste es mi Hijo amado...". Juan dio testimonio de esto diciendo: "Éste es el Cordero de Dios...". Reconoció siempre la grandeza de Jesús, del que dijo no ser digno de desatarle las correas de sus sandalias, al proclamar que él debía disminuir y Jesús crecer porque el que viene de arriba está sobre todos. Fue testigo de la verdad hasta su muerte. Murió por amor a ella. Herodías, la mujer ilegítima de Herodes, pues era en realidad la mujer de su hermano, no quería a Juan el Bautista y deseaba matarlo, ya que Juan repetía a Herodes: "No te es lícito tenerla". La hija de Herodías, en el día de cumpleaños de Herodes, bailó y agradó tanto a su padre que éste juró darle lo que pidiese. Ella, aconsejada por su madre, le pidió la cabeza de Juan el Bautista. Herodes se entristeció, pero, por el juramento hecho, mandó que le cortaran la cabeza de Juan Bautista que estaba en la cárcel.

¿Qué nos enseña la vida de Juan Bautista? Nos enseña a cumplir con nuestra misión que adquirimos el día de nuestro bautismo: ser testigos de Cristo viviendo en la verdad de su palabra; transmitir esta verdad a quien no la tiene, por medio de nuestra palabra y ejemplo de vida; a ser piedras vivas de la Iglesia, así como era el Papa Juan Pablo II.Nos enseña a reconocer a Jesús como lo más importante y como la verdad que debemos seguir. Nosotros lo podemos recibir en la Eucaristía todos los días.Nos hace ver la importancia del arrepentimiento de los pecados y cómo debemos acudir con frecuencia al sacramento de la confesión.Podemos atender la llamada de Juan Bautista reconociendo nuestros pecados, cambiando de manera de vivir y recibiendo a Jesús en la Eucaristía. El examen de conciencia diario ayuda a la conversión, ya que con éste estamos revisando nuestro comportamiento ante Dios y ante los demás.

En el siguiente enlace encontrarás más información sobre el

Nacimiento de Juan el Bautista

La natividad de San Juan Bautista por Jesús Martí Ballester

Recolha, transcrição e tradução parcial de António Fonseca

Blogger: Conferência Vicentina de S. PAULO - Editar mensagem "JOÃO BAPTISTA, Santo (e outros) - 24- JUNHO"

Blogger: Conferência Vicentina de S. PAULO - Editar mensagem "JOÃO BAPTISTA, Santo (e outros) - 24- JUNHO"