OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

terça-feira, 8 de setembro de 2009

CONVITE AO ANIVERSÁRIO DE MARIA SANTÍSSIMA

Convite ao aniversário de María Santíssima...

Fuente: Catholic.net
Autor: María Susana Ratero


Os pássaros cantam desde as árvores mais altas. As flores balançam sobre o ar saturando-o de aromas simples. O céu abraça o mundo num horizonte não tão longínquo.

¿Porque me parece que a natureza é um grito silencioso de esperanças novas?


+ Porque é o aniversário de Maria Santíssima- recorda à minha alma a voz forte e serena do Anjo Gabriel.
- ¡Ai! Torpe de mim, que me esqueci - e é outro esquecimento que se soma a tantos... Estes  são os esquecimentos que vão pondo cinzenta a alma.
+ Não desesperes, amiga- Sorri Gabriel, para que recorde que a misericórdia de Deus me envolve e protege quando mais a imploro.-
Não desesperes, pois ainda tens tempo de chegar à grande festa.
-
¿Festa? ¿Acaso na paróquia....?
+ Não te falo dessas festas, mas sim da que o Espírito Santo prepara cada ano para sua fidelíssima esposa.
- ¡Ah! Mas, amigo ¿Como vou eu a assistir a semelhante festa? Não, não sou digna...
Gabriel fica em silêncio. Busca palavras e gestos para chegar ao meu coração.
+ Verás. O aniversário de Maria é, no Reino Celestial, uma muito formosa festa. Todos os anjos suspiramos de amor pelo nascimento da Cheia de Graça. Todos os jardins eternos se inundam de canto: ¡Salvé, Salvé Maria!. A Santíssima Trindade se dispõe a presentear-lhe o que mais deseja seu coração de Mãe: Uma grande mesa rodeada de todos seus filhos, precedida por Jesus... E quando digo todossignificatodos”.
-
Ou seja que... eu...¿Poderia assistir?
+ Claro que sim. Tua Mãe te espera. Não estaria completa sem ti. Não estará completa se falta só um de seus filhos.
-
E ¿ Como chego?¿Qual é o caminho?.
+ O caminho, amiga, parte de teu coração. Nasce de um sincero desejo de aproximar-se a Ela. Recorda que pode ver teu coração e conhece tuas intenções.
- Graças, amigo. Pedirei ao Senhor que aumente minha fé e meu amor e me dê a graça necessária para desejar estar sempre na preciosa companhía de minha Mãe. Mas ainda não compreendo como chegarei ao banquete, nem como hei-de apresentar-me, nem quais prendas posso levar.
+
É muito importante a tua pergunta, pelo que a responderei por partes. Primeiro me perguntas onde. Olha, a melhor das mães jamais se separa do melhor dos filhos. ¿Onde encontras o Filho?l
- Pois.. na Eucaristia. ¡Claro! Ali é o banquete. ¡A Santa Missa! ¡A tinha tão perto e não me dava conta!. Então.. compartilharemos os irmãoso manjar mais cobiçado, este pão angelicalcomo diz essa canção de que tanto gosto. Graças amigo por ajudar-me a compreender.
+
Também me perguntavas acerca de como ir apresentada. É um ponto muito importante. ¿Como irá tua alma ao banquete? Recorda que o mesmo Jesus te espera no confessionário. Ali serás preparada adequadamente para tão precioso momento. Enquanto aos presentes que podes llevar a tua Mãe ¿Qual crês que lhe agradará mais? 

Fico em silêncio. O melhor presente para Maria bem o conheço. Mas temo não o ter em boas condições.

 
- Creio, Gabriel, que o melhor presente para ela é dar-lhe meu coração, minha vida, todo meu ser, para que ela me conduza aos braços de seu Filho.
+ Assim é... Mas não esqueças que teu coração deve ir acompanhado constantemente da oração, uma oração que é um diálogo formoso comquem sabes que te ama”, como bem soube conhecer Santa Teresa. Assim, te aproximarás dela com a alma plena de agradecimento. Quanto mais sincero seja teu agradecimento mais cedo chegará a seu Imaculado Coração. Depois, oferece-lhe teu coração assim como está. Com chagas e dores, com tristezas e perguntas, com a simples alegria de teus dias. Ela o tomará gostosa, o protegerá com suas delicadas mãos e, com seus beijos puríssimos, curará todas suas chagas.
+ Logo… logo diz-lhe quanto a amas. Di-lo por todas as vezes que não lho disseste. Di-lo por todos os que não puderam dizê-lo. Di-lo também por todos os que não souberam. Ela se alegrará e sentirás seu abraço nas profundidades de tua alma. Mais, não te inquietes se passeia seu olhar pelos bancos vazios da Paróquia. Fica em silêncio junto a Ela, para fazer-lhe companhía. Seguramente te contará que, na sua festa sonhada, cada filho estaria em seu banco... no sitio que Ela lhe cuidou amorosamente.
+ Te dirá que os espera todos os dias, que os vê caminhar pela vida entre alegrias e tristezas, solidões e companhia, certezas e duvidas. Maria quisera dizer-lhes quanto os ama, por isso os esperará sempre junto aos bancos vazios

O anjo Gabriel e eu ficamos em silêncio um momento. O coração nos viaja pelo mundo contemplando os sítios que ficam vazios em tantas missas. Não sou juiz de ninguém, pois nem sequer posso recordar os motivos pelos que, meu próprio sítio, muitíssimas vezes esteve vazio. Sei que, em cada lugar vazio há uma dor, uma solidão, uma distância...

Gabriel vai-se afastando entre as flores e as laranjas do pátio de minha casa. Me fica na alma a recordação deste momento. De seu convite ao aniversário de Maria.


Tomo papel e lápiz. Transformo em letras os sentimentos que me transbordam do coração.

Te deixo este relato, Maria querida, como um presente mais em teu aniversário. Também o mandarei a meus amigos, talvez chegue ao do banco vazio, como uma simples recordação de que há um lugar no mundo que tem seu nome, que não pode ser ocupado mais que por ele. Um lugar em que o espera sua Mãe Celestial para abraçá-lo, consolá-lo e amá-lo, como ninguém o fez jamais.
Feliz aniversário, Mãe querida, te abraça tua filha, a que muitas vezes te deixou esperando... a que buscava a paz e a felicidade por outros caminhos. A que não sabia que tu tinhas mil presentes perfumados, esperando-a, em silêncio, junto a um banco vazio.


NOTA da autora:

"Estes relatos sobre Maria Santíssima hão nascido em meu coração e na minha imaginação pelo amor que sinto por ela, baseados no que tenho lido. Mas não deve pensar-se que estes relatos sejam consequência de revelações ou visões ou nada que se lhe pareça. O mesmo relato fala de "Cerrar os olhos e vê-la" ou expressões parecidas que aludem exclusivamente à minha imaginação, sem intervenção sobrenatural alguma."

  • Perguntas ou comentários ao autor María Susana Ratero.
  • Recolha, transcrição e tradução de um e:mail hoje recebido de http://es.catholic.net
  • António Fonseca
  • NATIVIDADE DA SANTÍSSIMA VIRGEM (e outros) – 8 de Setembro

    Natividade da Santíssima Virgem

    Festa, 8 de Setembro

    Natividad de la  Santísima Virgen

    Natividade da Santíssima Virgem

    Festa da Natividade da bem-aventurada Virgem Maria, da estirpe de Abraão, nascida da tribo de Judá e da progenitura do rei David, da qual nasceu o Filho de Deus, feito homem por obra do Espírito Santo, para libertar a humanidade da antiga servidão do pecado.

    Uma antecipação e anúncio imediato da redenção operada por Jesus Cristo é o nascimento de sua Mãe a Virgem Maria, concebida sem mancha de pecado, cheia de graça e bendita entre todas as mulheres.
    Em Jerusalém, na Igreja de Santa Ana. A primeira fonte da narração do nascimento da Virgem é o apócrifo Protoevangelho de Santiago, que coloca o nascimento da Virgem em Jerusalém, no lugar en que deve ter existido uma basílica em honra a Maria Santíssima, junto à piscina probática, segundo contam diversos testemunhos entre os anos 400 e 600. Depois do ano 603 o patriarca Sofronio afirma que esse é o lugar onde nasceu a Virgem. Posteriormente, a arqueologia há confirmado a tradição.
    A festa da Natividade da santíssima Virgem surgiu no oriente, e com muita probabilidade em Jerusalém, no século V. Ali estava sempre viva a tradição da casa natalícia de Maria. A festa surgiu muito provavelmente como dedicação de uma igreja a Maria, junto à piscina probática; tradição que se relaciona com o actual santuário de Santa Ana.


    Consulta também: ¡Feliz aniversário María!

    ¡Feliz cumpleaños María!

    ¡Feliz aniversário Maria!

    A NATIVIDADE DA SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA
    8 DE SETEMBRO

    A Virgem Maria foi a Mãe de Jesus e, com este feito, se cumpriram as Escrituras e todo o que foi dito pelos profetas. Deus escolheu esta mulher para ser a Mãe de seu Filho. Com ela se aproximou a hora da salvação. Por esta razão a Igreja celebra esta festa com louvores e acções de graças.

    Um pouco de história
    O nascimento da Virgem Maria teve privilégios únicos. Ela veio ao mundo sem pecado original. Maria, a eleita para ser Mãe de Deus, era pura, santa, com todas as graças mais preciosas. Tinha a graça santificante, desde sua Conceição.
    Depois do pecado original de Adão e Eva, Deus havia prometido enviar ao mundo a outra mulher cuja descendência esmagaria a cabeça da serpente. Ao nascer a Virgem Maria começou a cumprir-se a promessa. 
    A vida da Virgem Maria nos ensina a louvar a Deus pelas graças que lhe outorgou e pelas bênçãos que por Ela derramou sobre o mundo. Podemos encomendar nossas necessidades a Ela. 
    A festa da Natividade da Santíssima Virgem Maria começou-se a celebrar oficialmente com o Papa São Sérgio (687-701 d.C.) ao estabelecer que se celebrassem em Roma quatro festas em honra de Nossa Senhora: a Anunciação, a Assunção, a Natividade e a Purificação.
    Se desconhece o lugar onde nasceu a Virgem Maria. Alguns dizem que nasceu em Nazaré, mas outros opinam que nasceu em Jerusalém, no bairro vizinho à piscina de Betesda. Aí, agora, há uma cripta na igreja de Santa Ana que se venera como o lugar em que nasceu a Mãe de Deus.

    Algo que não deves esquecer
    Maria veio ao mundo sem pecado original e com a graça santificante.
    A Virgem Maria foi escolhida para ser a Madre de Deus.
    A Virgem Maria foi pura e santa.
    Ao nascer a Virgem María se cumpriu a promessa de Deus de que mandaria ao mundo a uma mulher da que nasceria o Salvador para libertar-nos do pecado.

    Como viver a festa em família
    Levar flores à Virgem em alguma capela, em sinal de que a amamos e dando graças a Deus por havê-la  criado e escolhido para essa grande missão.
    Pedir à Santíssima Virgem Maria, para que nos consiga a graça que mais necessitemos neste momento de nossa vida, como família.

    Oração


    Maria, neste dia que festejamos teu nascimento, te peço que me ajudes a estar sempre perto de ti e de teu Filho Jesus.


    Consulta também Festa da Natividade da Virgem Maria Por Jesús Martí Ballester
    Escuta o Podcast de Maurício I. Pérez, A Festa da Natividade de Maria


    Escuta o Podcast de Maurício I. Pérez, A Festa da Natividade de Maria

     

    Adrián (ou Adriano) e Natália, Santos
    Esposos, 8 de Setembro

    Esposos

    Martirológio Romano: Em Roma, comemoração de santo Adriano ou Adrián, mártir em Nicomedia, de Bitinia, em cuja honra o papa Honório I converteu em igreja a sala do Senado Romano (s. inc.).
    Data de canonização: Informação não disponível, a antiguidade dos documentos e das técnicas usadas para arquivá-los, a acção do clima, e em muitas ocasiões do mesmo ser humano, hão impedido que tenhamos esta concreta informação no dia de hoje. Se sabemos que foi canonizado antes da criação da Congregação para a causa dos Santos, e que seu culto foi aprovado pelo Bispo de Roma, o Papa.

    Adrián morreu em Nicomedia no ano 304. Se celebra sua festa hoje porque foi neste dia quando se trouxeram suas relíquias para Roma.
    Sua conversão ao cristianismo foi obra de Deus. Tanto o comoveu a força de vontade dos cristãos que maltratava e martirizava o imperador Maximiano na corte imperial de Nicomedia, que pediu a formação necessária para se fazer crente em Cristo.
    Gritava com força:"Deixai que eu seja como um desses porque me sento cristão como eles".
    Quando sua mulher Natália, que já era cristã, soube a razão da prisão de seu marido, se sentiu muito contente.
    Foi ela mesma que ajudou a seu marido e aos demais cristãos encarcerados.
    Quando o sentenciaram à morte, as visitas se proibiram. Ela se disfarçou de menino e pôde entrar no cárcere para pedir orações a Adrián.
    Teve a valentia de ir ao mesmo sitio en que executaram a seu esposo. O iam a que mar, mas nesse instante caiu uma tormenta e apagou o fogo.
    Passados uns meses somente, um oficial do exército imperial pediu a Natália que se casasse com ele. Não tinha nem ideia da negativa da viúva. 
    Foi para Constantinopla com a relíquia da mão de seu esposo.
    Morreu na paz do Senhor e se diz que a enterraram entre os mártires e as relíquias de Adrián se trasladaram a Roma, ainda que na actualidade estejam na abadia que leva seu nome na Flandres.

    ¡Felicidades a quem leve este nome!
    Comentários ao P. Felipe Santos:
    fsantossdb@hotmail.com

     

    Virgem de Nuria
    Invocação, 8 de Setembro

    Invocação Mariana

    A Virgem de Núria é uma invocação mariana que se venera no município de Queralbs, situado no Valle dos Pirenéus, (província de Gerona), na Catalunha (Espanha). Sua aparição teve lugar no Valle de Núria, e o vocábulo Núria significa aquela nascida num vale entre montanhas. 
    A devoção à Senhora está tão arraigada em Espanha e no mundo que em cada lugar toma um nome distinto. 
    A de hoje se encontra situada no precioso vale dos Pirenéus de Gerona. No vale desta alta montanha, estação invernal por sua abundante neve, se acha o santuário da Virgem de Núria.
    Conta a lenda que São Gil no século VIII esculpiu em madeira a primeira imagem da virgem. Ao cabo dos anos, em 1079, uns pastores, entre eles Amadeo de Dalmácia encontraram a gruta de São Gil, e nela a imagem de madeira da virgem deste vale. Desde então a imagem foi venerada, num santuário que se erigiu em sua honra.
    Durante a Guerra Civil Espanhola, pelo temor de ser destruída, um gerundense trasladou a imagem para a Suíça, para devolvê-la novamente quando terminou a guerra. 
    No dia 5 de Janeiro de 1965 o papa Paulo VI autorizou a coroação canónica da imagem, e sua festa se estabeleceu em 8 de Setembro.
    ¡Felicidades a quem leve este nome!

    Nossa Senhora da Saúde de Vailankanni
    Invocação Mariana, 8 de Setembro

     

    Nuestra Señora de la Salud de Vailankanni

    Nossa Senhora da Saúde de Vailankanni

    Nossa Senhora da Saúde.

    Vailankanni, Índia.


    Desde o século XVI até nossos dias, e com progressivo entusiasmo, os católicos da Índia vêm invocando a que eles denominam "Vailankánni Arókia Matha"; denominação que, traduzida, significa "Mãe da Saúde Vailankanni".
    Tudo começou, como em tantas outras ocasiões, com a simplicidade ingénua de dois pastorinhos que diziam ter visto a Mãe de Jesus. O primeiro pastorinho contava aos vizinhos da aldeia como uma formosa Senhora, com um Menino nos braços, lhe havia pedido um pouco de água fresca de que ele  levava num cântaro e como, ao chegar a sua casa, se havia levado a grande surpresa de ver que a água se havia transformado em sumarento leite fresco... O outro menino pastor havia sido curado milagrosamente por essa mesma Senhora assim o afirmava ele, e a Senhora lhe havia pedido que para lhe agradecer a recuperação da saúde, conseguisse levantar uma capela  naquele lugar onde as pessoas acudiriam e Ela lhes mostraria de contínuo sua maternal benevolência. Um senhor rico de Nagapathnam, com a ajuda de toda a vizinhança, havia respondido pontualmente à reiterada petição do menino pastor e a capela elevava ao pouco seus muros no cimo do monte. Ao pé da montanha da Virgem, como começava já a designar as boas gentes daquele lugar, a larga baía do mar de Bengala, é cenário dos afãs dos pobres pescadores da aldeia de Vailankánni e surpresa, admirável por sua beleza, para as caravelas lusas que o sulcavam com impulsos de descobrimentos, ideais de evangelização e avarezas incontáveis de ouro, rubis e especiarias... 
    E ocorreu o que tinha que ocorrer. Uma má noite as águas do mar de Bengala se encresparam porque os monções estavam a ponto de irromper com seus dilúvios e os navegantes portugueses, ainda que habituados às muitas tormentas, viram em perigo suas vidas. Uma resplandecente luz, na altura de um alto monte vizinho, lhes infundia esperança, sem que soubessem a ciência certa o porquê desse sentimento de esperança e, sobretudo, o porquê daquela insólita claridade... Um dos marinheiros recordou de repente que, numa travessia anterior, havia divisado os muros de uma capela e toda a tripulação, sem mais argumentos, se pôs acto contínuo a invocar a protecção de Nossa Senhora.
    Pelo que em consideração deste favor que devolvia a  vida desde uma iminente morte a uns marinheiros. E em atenção aos outros dois anteriores da água convertida em leite fresco e do pastorinho curado de suas enfermidades, as gentes do lugar começaram a invocar a Virgem da ermida como "Santa María, Mãe da Saúde".
    Daquela primitiva construção nada ficou no presente, salvo que a curiosidade dos arqueólogos se concentre algum dia em forçar escavações de velhas construções. A piedade dos católicos da Índia construiu um templo maior e logo outro ainda mais espaçoso, este sobreposto ao primeiro. Os arquitectos quiseram imitar um tanto ao Santuário de Lourdes, e traçaram uma ampla escadaria de dois braços, erigiram as catorze cruzes da Viacrucis, fizeram saltar a água de umas rochas vizinhas... João XXIII, a instâncias do episcopado índio, elevou o templo à categoria de basílica menor e todos começaram a qualificar o santuário da "Mãe da Saúde de Vailankanni" como “a Lourdes da Índia". 
    A festividade da "Mãe da Saúde" se celebra em 8 de Setembro de cada ano. Mais de 1,000,000 de peregrinos se concentra na jornada para honrar a natividade de Nossa Senhora. Chegam ao Estado de Támil Nádu, a diocese de Thanjavur e a esta aldeia de 5,000 habitantes, desde todas partes do imenso país. Chegam os que são e se professam católicos, índios logicamente; mas chegam também e isto é novidade, milhares e milhares que se confessam muçulmanos, hindus, jainistas, shiks, parsis. As concentrações massivas não se fazem só no dia 8 de Setembro. Durante todo o ano e particularmente na Páscoa, em Maio, em Agosto..., as multidões se apinham no santuário. A Igreja de Índia, que conta com muitos outros templos dedicados à Virgem, não tem procedido pelo momento, ao menos a declarar ao da "Mãe da Saúde" como o Santuário Mariano nacional, mas poucas dúvidas cabem de que este da aldeia de Vailankanni seja o principal e talvez o mais antigo de todos os santuários marianos da Índia, seguido muito de perto também é verdade pelo da "Virgem das Graças", em Sardana, diocese de Meerut no Norte do país, e pelo da "Virgem do Monte", em Bçdra, arquidiocese de Bombaim.
    Resultava lógico que o Santuário da "Mãe da Saúde" expressasse o amor maternal de Nossa Senhora em instituições de assistência e de beneficência para os mais desvalidos: as crianças e os anciãos. E assim se fez, com efeito. À sombra do Santuário construíram-se dois orfanatos. Um para meninos, e outro para meninas.
    Funcionam também aqui mesmo um asilo para anciãos e anciãs e um dispensário para urgências que não fecha suas portas nem de dia nem de noite pela extraordinária afluência de peregrinos que de dia e de noite sobem até à colina.
    Os orfanatos do Santuário, como os outros 800 que a Igreja tem na Índia para bem das crianças órfãs e abandonadas, estão financiados, ao menos parcialmente pela obra da Infância Missionária.

     

    http://es.catholic.net/santoral

     

    Recolha, transcrição e tradução de António Fonseca