OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

CALIXTO I, Santo (e outros) - 14 de Outubro

Calixto I, Santo
XVI Papa, Outubro 14

Calixto I, Santo

Calixto I, Santo

XVI Papa

Martirológio Romano: São Calixto I, papa e mártir, que, quando era diácono, depois de um desterro na ilha de Sardenha teve a seu cuidado o cemitério da via Ápia que leva seu nome, donde deixou para a posteridade as memórias de mártires, e eleito papa, promoveu a recta doutrina, reconciliou benignamente aos apóstatas, terminando seu intenso pontificado com a glória do martírio. Neste dia se comemora sua sepultura no cemitério de Calepodio, na via Aurélia, em Roma (c. 222).
Etimologia: Calixto = Aquele de grande beleza, vem do grego

As catacumbas são uma meta obrigatória para os peregrinos e turistas que vão a Roma. Particularmente célebres e frequentadas são as de São Calixto, que o Papa João XXIII definiu “as más importantes e as mais célebres de Roma”. Ficam perto das também famosas catacumbas de São Sebastião e de Santa Domitila. Compreendem uma área de 400 metros por 300, com quatro pisos sobrepostos; Calcula-se que têm pelo menos 20 kilómetros de corredores.
Esta obra colossal recorda para sempre a São Calixto, porque foi ele quem se preocupou por sua realização, primeiro como diácono do Papa Ceferino e depois como Papa. Mas este lugar não é precioso só por suas dimensões, mas também pelo grande número e a importância dos mártires que foram “depositados” ali: particularmente célebres são as criptas de Santa Cecilia e a contígua dos Papas Ponciano, Antero, Fabião, etc. Por isso, pode parecer estranho que falte precisamente a de São Calixto que foi quem fez construir essa cripta.
A tumba de São Calixto se encontra no coração da antiga e genuína Roma: na basílica de Santa María em Trastevere, que foi construída pelo Papa Júlio em meados do século IV, intitulada também de
São Calixto.
Calixto
nasceu em Trastevere na segunda metade do século II, e seu pai era um tal Domicio. Era de humilde condição, mas muito apreciado pelo correligionário o Carpóforo, que lhe confiou a administração de seus bens. Mas algo não correu bem, pois pouco depois o pobre Calixto foi condenado a fazê-lo dar voltas a uma roda de moinho para pagar ao patrão e à comunidade cristã os prejuízos ocasionados. Pouco tempo depois Calixto teve que suportar outra dura condenação, a flagelação e a deportação para a Sardenha, por  acusações dos judeus.
A comunidade cristã o resgatou, inclusive com a intervenção de Márcia, a concubina de Commodo, e então Calixto colaborou com o Papa Victor e com Ceferino, a quem sucedeu como Papa em 217.
Sua eleição provocou o cisma de Hipólito, que reprovava a Calixto sua origem servil e sobretudo sua flexibilidade com os pecadores. São Calixto teve também que lutar contra a heresia sabeliana. Morreu “mártir”, não às mãos da autoridade imperial como assegura o Martirológio Romano, mas sim durante uma sublevação popular.

 
¿Queres saber mais? Consulta ewtn

14 de Outubro

São Calixto
Papa
Ano 222

Senhor: envia-nos teu Espírito Santo que nos volte 
valentes e perseverantes para mostrarmo-nos bons 
crentes até ao último momento de nossa vida.

San Calixto

Calixto é um nome que em grego quer dizer: "muito formoso".

Este Pontífice se há feito famoso p'Las Catacumbas de São Calixto, em Roma, que ele organizou (catacumba significa: cova subterrânea). Estas catacumbas são as mais famosas de Roma (segundo dizia João XXIII). Têm 4 pisos sobrepostos, e mais de 20 kilómetros de corredores. Ali se encontram o famoso sepulcro de Santa Cecilia e os sepulcros de muitíssimos mártires dos primeiros séculos.

Dizem que era um escravo que um tempo esteve condenado a trabalhos forçados nas minas. Recobrada a liberdade se dedicou a estudar a religião de Cristo e a ensiná-la a seus vizinhos. O Papa San Ceferino o nomeou como seu homem de confiança no ano 199 e lhe encomendou a direcção das Catacumbas onde sepultavam aos cristãos. Calixto alargou notavelmente estas catacumbas e as organizou muito bem.

Ao morrer São Ceferino, o povo de Roma elegeu como Sumo Pontífice a Calixto, como o melhor preparado para isso. Mas se lhe opôs terrivelmente um tal Hipólito, aduzindo como razões para pedir que o destituíssem do Pontificado, a que Calixto afirmava que se um pecador fazia penitências e deixava suas maldades se lhe podia voltar a admitir entre os fieis cristãos católicos, e que a um bispo não se lhe podia destituir por um grave pecado que houvesse cometido, se se arrependia e começava uma vida de conversão e penitência. Calixto sabia ser compreensivo.

Este Santo Pontífice converteu a muitos romanos ao cristianismo, curou a vários enfermos que padeciam de enfermidades muito graves, e defendeu quanto mais pôde aos crentes perseguidos.

Nosso santo jejuava dias e semanas e até 40 dias seguidos. Quando os perseguidores o levaram preso por proclamar sua fé em Jesus Cristo, o deixaram num obscuro calabouço, esperando que se desesperasse com fome. Mas depois de uns dias o encontraram muito tranquilo. Lhe perguntaram como conseguia manter-se sereno sem comer nem beber e lhes disse:  "Acostumei o meu corpo a passar dias e semanas sem comer nem beber, e isto por amor a meu amigo Jesus Cristo, assim que já sou capaz de resistir sem desesperar-me".

Na cadeia conseguiu com suas orações a cura da esposa do carcereiro quando já a pobre mulher estava agonizando. Em acção de graças, o carcereiro e toda sua família se fizeram baptizar por ele.

Então o chefe pagão de Roma ordenou que o deixassem num poço profundo e que cobrissem a boca do poço com terra e escombros. Todavia em Roma assinalam aos turista o poço de São Calixto, de onde sua alma voou ao céu para receber o prémio prometido por Cristo Jesus aos que o proclamam na terra.

Román Lysko

, Beato
Sacerdote e Mártir, 14 de Outubro

Román Lysko, Beato

Román Lysko, Beato

Mártir Ucraniano

Martirológio Romano: Em Lviv, de Ucrania, beato Román Lysko, presbítero e mártir, que durante a perseguição contra a fé, seguindo de perto as pegadas de Cristo, por sua graça chegou ao reino celestial (1949).
Etimologia: Román = Aquele que pertence a Roma, vem do latim


Nasceu em 14 de agosto de 1914 em Horodok (Lvov). Em 1938 casou-se com Neonila Huniovska. Em 28 de agosto de 1941 foi ordenado sacerdote(*); desenvolveu seu apostolado na  arquiparóquía de Lvov. Durante 1944 foi pároco de Belzets.
Em 1946, o Governo soviético, que havia anexado essa parte de Polónia ao estalar a segunda guerra mundial, suprimiu a Igreja greco-católica e obrigou a seus bispos, sacerdotes e fieis a passar para a ortodoxia. Os Lysko se refugiaram em seu povo natal, em Horodok.
Roman seguia exercendo seu ministério pastoral sem criar problemas. Baptizava no pátio de casa e celebrava bodas no bosque, dizia missa nos povos, nas casas dos fieis, com as janelas cerradas, junto a uma mesa com vodka para fazer crer que era uma festa entre amigos, em caso de que irrompessem os agentes da NKVD (a policia secreta de Stalin).
Sua recusa a passar-se para a Igreja ortodoxa lhe custou a cadeia em Lvov, em que morreu, na idade de 35 anos (1949), por uma "paragem cardíaca", a causa exacta de sua morte se desconhece, alguns prisioneiros testemunharam que foi golpeado brutalmente por seus carcereiros e colocado numa grade incandescente. Segundo outra versão, foi encerrado vivo entre quatro paredes cerradas com cimento.

Foi beatificado dentro de um grupo de 25 mártires, integrado por:

Mykolay Charneckyj, bispo, 2 Abril
Josafat Kocylovskyj, bispo, 17 Novembro
Symeon Lukac, bispo, 22 agosto
Basilio Velyckovskyj, bispo, 30 Junho
Ivan Slezyuk, bispo, 2 Dezembro
Mykyta Budka, bispo, 28 Setembro
Gregório (Hryhorij) Lakota, bispo, 5 Novembro
Gregório (Hryhorij) Khomysyn, bispo, 28 Dezembro
Leonid Fedorov, Sacerdote, 7 Março
Mykola Konrad, Sacerdote, 26 Junho
Andrij Iscak, Sacerdote, 26 Junho
Román Lysko, Sacerdote, 14 Outubro
Mykola Cehelskyj, Sacerdote, 25 Maio
Petro Verhun, Sacerdote, 7 Fevereiro
Alejandro (Oleksa) Zaryckyj, Sacerdote, 30 Outubro
Klymentij Septyckyj, Sacerdote, 1 Maio
Severijan Baranyk, Sacerdote, 28 Junho
Jakym Senkivskyj, Sacerdote, 28 Junho
Zynovij (Zenón) Kovalyk, Sacerdote, 30 Junho
Vidal Vladimir (Vitalij Volodymyr) Bajrak, Sacerdote, 16 Maio
Ivan Ziatyk, Sacerdote, 17 Maio
Tarsicia (Olga) Mackiv, Monja, 18 Julho
Olympia (Olha) Bidà, Suora, 28 Janeiro
Laurentia (Leukadia) Harasymiv, Monja, 26 agosto
Volodymyr Pryjma, Laico, 26 Junho


(as datas indicadas correspondem às de seu martírio)


(*)   Os varões casados podem ordenar-se nas Igrejas católicas de rito oriental.

 

Domingo Loricato, Santo
Eremita, Outubro 14

Domingo Loricato, Santo

Domingo Loricato, Santo

Eremita

Martirológio Romano: Em São Severino Marche, do Piceno, em Itália, santo Domingo, chamado Loricato, pela couraça de ferro que levava cingida o corpo, presbítero da Ordem Camaldulense, o qual, havendo sido ordenado simoníacamente, se fez monge eremita e, discípulo de são Pedro Damiani, levou uma vida austera e disciplinada (1060).
Etimologia: Domingo = Aquele que é consagrado ao Senhor, vem do latim


A severidade com que o jovem Domingo se condenou a fazer penitência por um crime que ele não havia cometido, é uma censura para todos aqueles que, após de ofender a Deus, esperam o perdão, sem pôr as condições da verdadeira penitência. Os pais de Domingo, que ambicionavam para seu filho uma brilhante carreira eclesiástica, deram ao bispo uma pele de cabra para que o ordenasse sacerdote. Quando Domingo se inteirou de isso, concebeu graves escrúpulos sobre sua ordenação e jamais voltou a celebrar a missa nem a exercer os ministérios sacerdotais. Por então havia em Umbría, nas fragosidades dos Apeninos, um santo varão chamado Juan de Montefeltro que se consagrava à vida eremítica com seus dezoito discípulos. Domingo acudiu a ele e lhe rogou que o admitisse na comunidade. Juan de Montefeltro aceitou gostoso. O fervor com que Domingo se entregou à penitência, era a melhor prova da pena que consumia seu coração, Alguns anos depois, em 1042, Domingo se retirou para a ermida de Fonte Avellana, governada então por San Pedro Damião. 
O abade ficou surpreendido pelo espírito de penitência de Domingo, por mais que estava acostumado aos exemplos de penitência heróica. Domingo vestia uma espécie de cota de malha atava-se com cadeias nos membros, e suas frequentes disciplinas sobrepujavam toda a medida. Se alimentava exclusivamente de pão, ervas e água, em quantidades muito reduzidas, e dormia de joelhos. Vestido com sua couraça de cilício e cheio de cadeias costumava fazer numerosas prostrações ou permanecer com os braços em cruz até que se esgotava sua resistência. O santo praticou esse género de penitências até ao fim de sua vida. Deus o chamou a Si poucos anos depois de que Domingo havia sido nomeado superior da ermida que São Pedro Damião fundou em São Severino. Santo Domingo rezou matinas e laudes com seus monges a última noite de sua vida, e morreu quando estes começavam a cantar prima, em 14 de Outubro de 1060.

Outros Santos e Beatos
Completando o santoral deste dia, Outubro 14

São Lúpulo, mártir


Na cidade de Capua, na Campania, são Lúpulo, mártir (s. inc.).


São Fortunato, bispo


Em Todi, cidade da Umbría, são Fortunato, bispo, que, como relata o papa são Gregório I Magno, demonstrou uma abundante caridade no cuidado dos enfermos (s. V).

Santa Manequilde, virgem 


No território de Châlons, em Champagne, da Gália, santa Manequilde, virgem (s. V).


Santo Jacobo Laigneau de Langellerie, presbítero e mártir

Em Angers, na França, beato Jacobo Laigneau de Langellerie, presbítero e mártir, que durante la Revolução Francesa foi degolado por ser sacerdote (1794).

 

SAN GAUDENCIO

São Gaudêncio, bispo


Em Rimini, na província de Emilia, são Gaudêncio, bispo, que é venerado como primeiro pastor durante o tempo de perseguição (s. IV).


SAN DONACIANO

São Donaciano, bispo


Na cidade de Brujas, na Gália Bélgica, são Donaciano, bispo de Reims, cujas relíquias se conservam nessa povoação (389).


SAN VENANCIO

São Venâncio, bispo

 
Na cidade de Luni, na Ligúria, comemoração de são Venâncio, bispo, que se ocupou do clero e dos monges, e foi amigo do papa são Gregório I Magno (s. VII).


SANTA 
ANGADRISMA

Santa Angadrisma, abadessa


Em Beauvais, cidade de Neustria, santa Angadrisma, abadessa do mosteiro fundado por são Ebrulfo, chamado Oratório (hoje Oroër) por possuir vários lugares de oração, de modo que se servia a Deus sem interrupção (c. 695).


BEATA ANA MARÍA ARANDA RIERA

Beata Ana María Aranda Riera, virgem e mártir

Na localidade de Picadero de Paterna, na região espanhola de Valência, beata Ana María Aranda Riera, virgem e mártir, que durante a perseguição contra a fé derramou seu sangue por Cristo (1936).


BEATOS ESTANISLAO MYSAKOWSKI y FRANCISCO ROSLANIEC

 

Beatos Estanislao Mysakowski e Francisco Roslaniec, presbíteros e mártires

No campo de concentração de Dachau, perto de Munich, na Baviera, de Alemanha, beatos Estanislao Mysakowski e Francisco Roslaniec, presbíteros e mártires, que durante a guerra, ao ser ocupada Polónia por gente contrária a Deus e aos homens, consumaram seu martírio na câmara de gás (1942).

http://es.catholic.net/santoral

 

Recolha, transcrição e tradução por António Fonseca