OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

terça-feira, 17 de novembro de 2009

COMUNICAÇÃO

Caros Amigos:


Devido a um problema técnico, no meu computador, fui obrigado a publicar novamente 2 mensagens que já tinha publicado em dias anteriores. As minhas desculpa pelo acontecido.

António Fonseca

DEDICAÇÃO DA BASÍLICA DE S. JOÃO DE LATRÃO - 9 de Novembro

Salvador da Basílica do dedicação
É a catedral do papa que, ao tomar posse dela, ou mapa ou o poder supremo de Roma e poderes eclesiásticos do mundo.
Dedicación de la Basílica del Salvador
Salvador da Basílica do dedicação
Basílica significa: "Casa do Rei"
Várias Maneiras deste templo é chamado: Basílica de Constantino "Do Salvador" e "De São João de Latrão". É a catedral do papa que, ao tomar posse dela, ou mapa ou o poder supremo de Roma e poderes eclesiásticos do mundo, por isso se chama Basílica esta escrito na sua própria frente "mãe e cabeça de todas as Igreja da Graça e do Orbe Urbe.
O nome vem do palácio de Latrão que os tinham "Laterani " Não monte Celio a partir de ou para queimar século I seus bens pela Autoridade confiscou atrevem a conspiração contra Nero parece ser "propriedade passou Fausta, esposa de Constantino; aconselhada, segundo dizem, por Osio de Córdoba, ou anos, doou sua residência Batatas freqüência, como de facto ou de Através foi bastante secular até ao período de Avinhão.
Mas não uma história muito longa provada uma lenda ou à une esta basílica também por outros motivos família imperial. Ou obrigatório parece legalizou Igreja e contraiu ou incurável e terrível da hanseníase foi mal milagrosamente curada por São Silvestre; Em agradecimento pela recuperação da saúde, necessaries você entregou para a construção de terrenos e prestou ajuda a dar informações econômicas. Este é também é a razão de chamar "Constantino"Ou"Constantina.
Sabemos que nem 313 nela já houve um sínodo cedeu porque a esposa de Constantino ou ao Papa Milcíades; Que ou Papa Dâmaso foi nela e ordenou que dedicou o Dia 9 Novembro do ano 324, dando-lhe Silvestre ou o título "El Salvador"Até que não acrescentaram século XIII lhe os de São João Baptista e de São João Evangelista.
Este templo foi agosto para hospedar muitos tem mais de vinte e cinco de conciliação ou ao século XVI e IV, dar-lhes cinco foram ecumênico.
Ali Firmou, já mais em tempos, ou Tratado de Latrão, em 11 de Março de 1929, ou com o Papa Pio XI, conseguiu a liberdade do todo ou de soberania ou temporário e com ele Livre Exercício de sua missão evangelizadora, a assinatura -- com.br ou Mussolini.
Esta basílica poderia ter uma longa série forças históricas, mas também fala um sacrilégio, saques, queimando, e mesmo Terramoto ou o abandono de seus batatas sobretudo no tempo do Avinhão banido. Olhando para esses factos um sentido, ainda pergunta se não é tão Serão força do inferno que o PE poema, Raivo, com a intenção de terminar com pedras do templo que é o símbolo supremo poder espiritual e do indefectível na Igreja. Também há que dizer Renascimento quanto ou como a arte barroca ou Deixaram sua aura perene nela e restauração, e que Sisto V e Leão XIII realmente fizeram uma sumptuosa, de modo que falar não foi até ali Francisco de Assis em 1210 a pedido do Papa Inocêncio III de Aprovação de sua Ordem.
Quando com sua Consagração é dedicado a Deus ea seu culto, afirma que a propriedade passa e sede da Majestade divina com essa Estados cerimónia que passa a "uma casa de Deus entre os homens.
Aos católicos, vende-a, nós enfrentamos seguinte ou mistério da salvação, presente nos parecendo jantar aquela em que Jesus Cristo chamou Evangélica para aquele Zaqueu, buquê agarrado ao da Figueira, que se sentem chamados por Deus em sua casa para viver e comer, apesar de estar com um só ele desprezável pobre publicano e pecador.
Deus É próprio como Quisesse ou dar-nos a compreender que, por tudo ou culto meio ali que é realizada Missa, que é o sacrifício redentor da Cruz, com os sacramentos, com a escuta de sua palavra face atual é peeling Pregação-Quisesse lembrar seu veemente desejo aos homens incorporar um mo-nos Ele Pedras fazendo-nos viver juntos pela caridade bem de sua noiva mística Igreja-como-um físico como material de Pedras é UNEM na construção da Basílica . De facto, esta ideia é expressa quando já apresenta Apocalipse não uma Nova Jerusalém.
¿E porque não dize-lo? A Basílica, com sua grandeza e sua miséria, é também um símbolo da Igreja de Todos os Tempos onde houve, há e haverá perseguições e fraquezas, interesses humanos e divinos, política, arte, espiritismo, dogma e santidades.
Também Search
Salvador Dedicação da Basílica do Latrão Jesus Martí Ballester
Se queres mais informação em
EWTN Formoso encontrar um sitio para continuar a navegar

Nossa Senhora de Almudena
Festa, 9 de Novembro

Nuestra Señora de la Almudena
Nossa Senhora de Almudena
A Virgem de Almudena está ligada a partir ou primeiro tempo, os historiadores Cristã Madrid.
Segundo uma tradição, avalizada pela história, em 9 de Novembro do ano 1085, é uma frente Rasgou uma torre da muralha da Porta de la Vega e uma imagem da Virgem que apareceu Cristão Madrilenos haviam escondido.
Há documentação do ano 1382, em que Nomeia com ou título "Almudena"A imagem da uma Virgem para Madrid ou povo singular COM DEVOÇÃO venerou semper.
A imagem da atual Virgem de Almudena fortes solene foi em 10 de Novembro, 1948 e declarada padroeira da diocese de Madrid dá cabelo Pope Paul VI em 1 de Julho de 1977.
Também hoje, um qualquer Hora do dia e da noite, o cabelo carinhoso é reverenciado Madrilenos uma imagem em pedra de Nossa Senhora de Almudena Nós do complexo localizado paredes da catedral.

Orestes da Capadócia, St.
Terça-feira 9 Novembro

Orestes de Capadocia, Santo
Orestes da Capadócia, St.
Martyr - Novembre 9
Etimologicamente significa "habitante duas montanhas. Vem da lingua grega.
Cristão Há mulheres e homens de boa vontade e fazem DOM que se dão testemunho mesmos e não humanos não estar apegados ou desespero.
Etimologia deixar de lado dois deuses gregos, um jovem hoje com nós achamos que uma das mais remota Antiguidade um Cristo e venerado como um mártir.
Não é conciliar a Nicéia se tem notícias de um monge que nele Participou e que provinha do Mosteiro de Orestes São, Na Capadócia.
Diocleciano é sabido que dispersou Cristão que então havia por lá.
Havia um mosteiro em sua honra acima, com cabelos que impõe razão de ter existido.
Na Idade Média compostagem jogar uma ou "Paixão"Isso é dito em que vida, trabalho e mártir, milagres deste confessar sua fé em Cristo.
Dizem um médico. Um dos seus conselhos que dava aos pacientes era dar a idolatria afastaram. Eu não ajudava tanto física e não espiritual.
E ter doído como aconteceu ou alguém denunciou às autoridades que era Cristão.
Ele, minimamente duvidar semana, disse pura e simplesmente a verdade. Mais ameaçou ou povo e as autoridades de que algo ia Ocorre importante.
Ou quando ninguém esperava, e deu um forte como estátuas dos Deuses Sopro caíram apenas como Folhas ao vento leva o que.
Suas Mosteiro seguem Relíquias não Capadócia que leva seu nome na.
Parabéns a quem leve este nome!

Ursino e Monaldo Santos
Biografias, 9 de Novembro

Novembre 9
Etimologicamente significam ursinho "e muito feliz. Vem da lingua alemã.
Diz ou Salmo: " Deus é nosso refúgio e nossa força, perigo nenhum campeão poderoso. Por isso ainda não o medo que move uma terra.
Deus, em cada tempo e lugar, vale a pena para estes dois homens, em seu nome, no mundo inteiro façam maravilhas.
Segunda São Gregório de Tours, Escrever uma biografia tão dado a dois santos, especialmente em França foi enviada com cabelo Papa expressa uma missão de evangelizar Igreja de Bourges em Aquitaine.
Dia e noite Trabalhou duro para dar a conhecer a Palavra de Deus eo conhecimento do Evangelho.
Seu campo num corpo está enterrado, no ano 560, foi uma visita ou iShop grandes de Paris,
São Germain.
Monaldo
Foi um santo franciscano que passou à história da Igreja por suas muitas obras, desgraçadamente, Hao é perdida.
Delas ficam somente uma "Além " de direito civil e direito canónico a chamou "Monaldina.
Morreu no convento de Istria, cidade do antigo estado de Veneza, em 9 de Novembro de 1305.
Seu corpo sepultado na igreja de Nossa Senhora dos Anjos da Cidade dos Canais inumeráveis.
Deus foi para os dois ou refúgio ea fortaleza para fazer obras de Evangelização.
Parabéns a quem leve estes nomes!


María del Carmen del Niño Jesús, Beata
Maria del Carmen (ou do Carmo) do Menino Jesus, Beata
Fundador das Irmãs Franciscanas Dois Corações Santo
Nasceu em Antequera, Diocese de Málaga (Espanha), em 30 de Junho de 1834. Seus pais, Salvador Gonzalez Garcia e Juana Prieto Ramos, bons Cristão e da POSIÇÃO social elevado a levaram a batizar no dia seguinte de seu nascimento na paróquia de Santa Maria Maior da cidade.
Carmencita, Para o sexto lugar filhos nove que chegaram dois adultos, destacou-se cedo inteligência por sua simpatia, espécie de coração, sensibilidade e às Necessidades de entrega alheia, Piedade, amor santíssima Eucaristia e à Virgem. Foi uma menina jovem e encantador, que distinguiu por fazer quanto a rodeavam feliz; soube ou por fazer Paz e bem como Necessidades alheia antes.
Chegou à juventude com uma personalidade tão queridos, que suscitava Admiração a todos os que conheciam. Assim entrou cabelos Difíceis caminhos que lhe foi Providência marcação. Com um desejo profundo seguir a vontade de Deus na sua vida, buscou na oração, na reflexão na direcção e espiritual.
Teve que enfrentam grandes dificuldades graves na hora das opções da vida: primeiro, a oposição de um possível seus pais antes do casamento contrário às garantias que Dom Salvador Desejava para sua filha tarde, mais, antes ou propósito de registración nas Carmelitas Descalços, desgosto, reveses e dos seus oposição nova. Carmen Manteve é forte, Pondo sua fé e sua confiança em Deus. Don Salvador via que Carmen tinha algo especial, que não era e todos, por isso ele repetia com freqüência "Minha filha é uma santa.
No fim, um pulso batendo fortemente fazer amor em seu coração, mas não às cegas convencido de que sim mas queria Deus ou um uma missão ea chamava, Carmen, aos 22 anos, saltar todos os obstáculos e se casar com Joaquin Muñoz Cano, onze anos mais velho que ela, Cuja conduta tanto preocupava, e com razão, Dom Salvador.
Pedra descobrir que o casamento foi ou teste de templo espiritual, uma fortaleza de Capacidade un amor Carmen. Comungava diária; tirava força da Eucaristia, instituições de caridade Integridade e sabedoria para penetrar, com a profundidade com que o fazia, ou vida espiritual que dá sentido.
Cuidou vida para casado; anos seguiu visitando e socorrendo-voz e em suas casas ou doente no hospital e, levantando-lhes, junto com ou material DOM, confortado e luz para uma alma, compreensão de seus alimentos e Suportar Sofrimento Uma Vida Escassez na difícil fazer imprescindível cobrado. Alívio que prestava pessoalmente e associada à Conferência de São Vicente de Paulo, Pertenceu To.
Dom JoaquimOu cônjuge, com suas raridades, seus ciúmes e suas intemperança, fez muito a Sofrer Carmen. Ela jamais deixou escapar uma crítica, uma queixa ou um comentário de reprovação contra o seu marido, nem quando Sequer Próprios entregou seus bens para salvá-lo da situação uma dolorosa. As pessoas mais perto de sua casa compadeciam-se do sofrimento de Carmen, Mas sua força sobretudo admiravam.
Depois de vinte anos de espera do paciente, o amor, oração e penitência, cumprida viu sua esperança e seus Sacrifícios compensada com uma conversão de seu marido. Mais tarde lhe ouviria repetir: "
Todos dou os meus Sofrimento por uma empregados bem como com a salvar almas ".
Quatro anos de "Vida Nova"Confirmaram a conversão e autenticidade Preparação da Dom Joaquim para sua saída deste mundo. Com sua morte, a missão de esposa terminou doa CarmenMas, feita de coisas grandes, tinha outra faceta de luz dá vida. Já Viúva, sentada "Absoluto"Está plenamente entregou mais Deus. Cabelo Espírito aprofundava cada vez mais animados Franciscana Fraternidade ou sentido universal, a pobreza eo amor de Cristo à humanidade. A Ordem Terceira Franciscana secular, aos pertences, admirado por sua força Piedade e undertone anos de dedicação elegeu mestra Novica.
Não teve filhos, mas isso não a ter um coração de mãe impediu semper OS disponível para que Necessitavam. Uma outra vez e se perguntava: eles Posso fazer algo? Com realismo, começou por lhe onde era possivel. Fez um ensaio da casa da escola e sua prosseguiu em suas visitas aos pobres e doentes.
Incansável, teve outra vez o valor dizer ao Senhor, como mestres em seus jovens: O que nós queremos faça? Consultou, reflectiu, Orou. Ajuda por seu diretor espiritual, ou frei Barnabé Capuchinhas Astorga, 8 de Maio em 1884 fundou ou religiosa das Irmãs do Instituto Corações dois santos franciscanos.
Voltar ficava como exemplaridade luminosa estrela de sua jovem vida secular, esposa e viúva. Com um grande peso Maturidade e virtude enfrentou fundador prolife como você começa a jogar uma na Igreja. A mãe Carmen foi um modelo semper religiosos.
A Congregação, dentro da família franciscana peculiar Tem umas mensagens e uma própria espiritualidade, mistério Baseada não Coração do amor de Cristo e na fidelidade ao Coração de Maria. Destas fontes sacava para mãe Carmen Inspiração para trazê-lo para queimar-necessitava, e de conduzir e orientar força apostólica da Congregação para a educação da infância e da Juventude, ou o cuidado ea assistência de dois doentes, ancião e tom, com um estilo ou uma reminiscência de São Francisco de Assis"Sem o Espírito fora.
A mãe Carmen viu em aumento no número de Congregação Irmãs e casas, que estendiam pela geografia espanhola em Andaluzia, Castela e Catalunha. Como uma obra de Deus a prestar tinha eo foi na pessoa de sua fundadora. Dificuldades, humilhações e incompreensões, tanto mais dolorosa quanto mais próximo de proveniência, em um recaíram mãe Carmen semana para arredo. Quem a conheceu a fundo, pode dizer "Esta mulher tem mais fé que Abraão.
Cada curso de tribulação para Introduzindo foi morto no mistério de Cristo e da salvação do mundo pela Ressuscita. Por isso, dizia às Irmãs "A vida é a mais proveitosa do Calvário para um sistema seguro e alma. Com a atitude serena de abandono nas mãos de Deus dos Assuntos da Congregação ocupava. Chegou até onze casas abertas para todos os seu e interesse de cada uma das irmãs foi constante.
Esteve vida é toda voltada para Deus sua, na extensão Acelerou ou passo, falava muito do céu. Assim, independente de tudo, vendo uma imagem da Virgem do Socorro, Morreu no convento de Nossa Senhora da Vitória, em Antequera primeira casa da Congregação, em 9 de Novembro de 1899.
Com uma altura de Melhor pular espiritual extraordinário que toda a vida como situações um Apresentar uma mulher pode: menina jovem e piedosa, alegre e de caridade; mulher entregou um fiel seu Deus e ao marido, sem Esforço seu malabarismo nos longos anos de casamento dura magnânimo Viúva Espiritualidade e profundas, religiosa exemplar e consagrada ao Senhor.
Todas as fases da vida sua parecem ter um denominador comum: uma profunda raiz no amor de Deus, e da empresa para aumentar a vontade em comunhão quanto a rodeavam. Sua Congregação das Irmãs Franciscanas Fraternidade Santo Dois Corações traduzir a simplicidade da vida em família franciscana e desinteressado, confiante na Providência e vigilante ao semper Pai do Espírito que em verdadeira união Mantêm.
Foi beatificado em 6 de Maio de 2007, eo oficial SS Bento XVI a esta foi Celebração ou cardeal J. Saraiva Martins.
Texto reproduzido com autorização do
Vatican.va
Gracia (Graciano) de Cattaro, Beato
Agostinho, 9 de novembro

Gracia (Graciano) de Cáttaro, Beato
Gracia (Graciano) de Cattaro, Beato
Ou Bendito Grace veio à luz em Mula (Muo), Montenegro, uma pequena aldeia pitoresca na Baía de Cattaro, nas costa da Dalmácia, a pouca distância da capital muito, Kotor hoje, ou central do Golfo da diocese mais é importante. Há 1423 Cattaro espontaneamente submetia ao governo de Veneza, se bem que com orgulho mantivesse uma independência relativa, já que reservava ou direito de fazer suas própria leis e eleger seus juízes. Como conseqüência desta vinculação com um Sereníssima, converteu num porto cedo é animada e rica, Povoado de muitos comerciantes, marinheiros e pescadores. Iniciou assim ou período de brilhantismo que se manifesta na actualidade ainda em sua clara gosto da arquitectura veneziana.
Gracia era um homem do mar e como tal permaneceu até trinta idade de dois anos. Numa Numa de suas viagens Entrou igreja de Veneza, onde ou por ambos, ou Sermão comoveu Agostinho cabelo acentuada Simón da Camerino, Que entram Decidiu Ordem em sua mesma. Irmão de petróleo não foi clérigo como nenhum convento do Monte Orton, perto da cidade de Pádua. O convento foi Congregações ou berço de uma das novas da Ordem em Itália formou, juntamente distinguindo-se as demais seu zelo especial por nenhum campo disciplinar. Em 1433 foi Prior Geral Gerardo óleo de cabelo em Rimini, que até agora ou na Província das Marcas incorporou em Treviso, com uma condição de não Receber irmãos mais que determinado a fidelidade Manter com os ideais da reforma Próprios.
Ou Irmão GraceQue trabalhava no jardim, em não ganhar tardou cômputo da comunidade eo Reconhecimento inteira. Ao incorporar-se-á dois conventos mais ao movimento de Monte Orton, este ficou oficialmente em Congregação erguido. Entre 1472 e 1474 é Simão de Camerino quem aparece nos registos Vigário Gerais. Uns anos mais tarde Gracia foi transferido para São Cristobal de Veneza, E nesta cidade morreu 8 de Novembro de 1508.
Poucos Fora dado até aqui duas referências, e não adoração de lhe seguiu na ordem tributados tanto como em sua terra de origem, não conheço outras notícias de Grace. As biografias de língua em Lazzerini italiano (1643) ea Latino Eliseo de Jesus e Maria (1677) bases carecem bem documentado. Não no entanto, eu repetia as histórias sobre a vida de sua austeridade e da sua força prodigiosa resultam Intercessão uma válidos Autêntica santidades testemunhos fama.
A continuidade de seu culto por Leão XIII em 1889 foi Reconhecido. Restos mortais de 1810 que você faz Bendito Grace Mula descansam na igreja.

Agripino de Nápoles, Santo
Bispo, 9 novembre

Agripino de Nápoles, Santo
Agripino de Nápoles, Santo
Diz ou Martirológio Romano: "Em Nápoles Campania Santo Agripino, IShop, famoso por seus milagres.
No século IX, o autor da Gesta neapolitanorum Episcoporum dá-nos uma sucessão com duas Bispo de Nápoles, fazendo elogios breve de cada um em termos vagos.
O Agripino sexto da lista, mais que o dos outros quentes, revela um Popularidade do santo "Agripino, IShop, patriota, defensor da cidade, Deus não cessa de implorar por nós, seus servidores.
Acrescentou ou dois rebanho o senhor não acredita em mim e não reuniu seio da Santa Madre Igreja. Por isso mereceu ouvir as palavras: Bem bom é ou servo, que tem sido fiel posto nas pequenas coisas, sobre as grandes constituirei você; alegria entra no teu Senhor.
Seus restos foram finalmente transportado para Estefânia, onde repousam honra com
.
Agripino Viveu em fins do século III. Não se pode esclarecer alguma coisa, nem mais o menos dar detalhe sobre a sua actividade. A traslação a menção SE FAZ O autor da GestaPara efectuou-ou iShop JohnQue governou a sede há anos.
Suas relíquias, que dão Catacombs Estavam num Oratório São Genaro, Foram cobrados por Estefânia ao fim ileso construída do século V. Em 1744, ou cardeal Joseph Spinelli, Desejado identificado como relíquias de sua catedral encontrou uma urna de mármore com esta inscrição "Relíquias duvidosa que é pensado Sejam do corpo de São Paulo (Divus) Agripino.
Durante os séculos IX e X, muitos autores ou consignaram história dos Milagres obtidos pela Intercessão de Santo AgripinoTão quase que na actualidade é famoso como São Genaro.

Joan of Signa, Beata
Virgem recluso, 9 de Novembro





Juana de Signa, Beata
Joan of Signa, Beata
Ordem Terceira da reclusa Virgem (1244-1307). Pio VI concedeu em sua honra Ofício e Missa em 17 de Setembro de 1798.
A parte mais antiga da cidade de Signa, não morro alto, com aparência medieval é comum chama "Beata. Lembre-se, e honra, assim diariamente Beata Signa por excelência, a Beata Joana. Signa Nasceu em 1244, filha de pais humildes, e como St. Joan of Arc e Santa Bernardete de Lourdes Juventude foi pastora em sua vida simples e sem patch soul. Às vezes se reuniram na pastores e outros lhes falava das coisas do céu e fazer amor às virtudes.
Fazia trinta anos pode fazer seu ideal de vida religiosa, fazendo-se um exemplo de voluntariado da presos Beata Veridiana, Prisioneiros de Castel Fiorentino. Depois de haver recebido em qualquer dos Irmãos Menores Carmignano ou hábito da Ordem Terceira Franciscana, foi fechado em paredes fez numa pequena cela junto ao rio Arno. Ali permaneceu em penitência por quatro décadas. A partir desse Estreito Refúgio Derramou dons misericórdia sobre quantos recorriam a ela: sarou Aflitos consolou doentes, os pecadores converteu ao duvidoso iluminou, undertone anos ajudou. Sua fama perdura até aos nossos dias também Devido às graças milagres póstumos e reconhecê-los como recebida.
As lendas sobre pitoresque Juana se referem à sua juventude como pastor. Uma, por exemplo, diz que durante as tempestades e como você Aguaceiros, ela montou seu rebanho com uma grande árvore, que foi prodigiosamente livre da chuva, do granizo e dos raios. Por isso, quando se acercava a tempestades, corriam os outros pastores com ela aonde seus animais. Juana aproveitava para ensinar aquelas Ocasiões com palavras de seus companheiros maneira simples e eficaz para salvar e sua alma ou de mérito ou Paraíso.
Outras vezes quando o rio Arno impedido Cresco passagem de uma para a outra margem Juana são sobre as Águas Estender viu ameaçado manto e sobre ele ou atravessar seu rio, e um barco seguro se fosse.
Juana a vida como um recluso Viveu mais uma angelical que humana. Recebi Da caridade ou dois Trust ye necessario para uma vida. É austeridade exercitou na na oração fervente mais rigoroso, na assidu contemplação, em simpósios estático com seu amado. O Senhor glorificou santidades de fiéis em sua serva com número prodigioso feito especialmente para os doentes, obtinha de Deus Os Quais a cura do corpo e da alma. Na sua cela morreu, aos 63, em 9 de Novembro de 1307. Ela diz que nenhum momento seios de sua morte dar-lhe uma festa para solenizar soaram igrejas ou ingresso de Juana na gloria do céu.

http://es.catholic.net/santoral
Recolha, Transcrição e tradução de António Fonseca

MARTÍN (MARTINHO) DE TOURS (Santo) e outros - 11 de Novembro

Martin (Martinho) de Tours, Santo
Bispo, 11 de Novembro
Martín de Tours, Santo
Martinho de Tours, Santo
Bispo
11 de novembro
Martinho de Tours é um desses homens que fizeram a falar sobre isso por muitas gerações têm sido apresentados em episódios apto para despertar a imaginação popular. Muitas vezes episódio da narrativa de Saint Martin, que, montando o seu amplo manto enrolado no guarda imperial, encontrou um pobre, tiritando de frio, cortou seu manto gesto generoso e deu metade ao pobre. À noite, em sonhos, viu Jesus envolto no meio de seu manto, sorrindo agradecido.
Martin, filho de um tribuno romano, nasceu em Sabari, na Panônia, para o 315. Aos quinze anos ele já usava o uniforme. O episódio do manto deve ser colocado neste período, porque aos 18 anos foi batizado e saiu da milícia para ir a São Hilário de Poitiers, seu professor. Após um breve noviciado da vida de eremita no Galinari Isle, Martin fundou dois mosteiros: Ligugé, mais antigas da Europa e Marmoutier, que se tornou um grande centro da vida religiosa.
Após o contemplativo parênteses, seguido do ativo: Martin, eleito bispo de Tours, tornou-se o maior evangelista da França. Tinha sido, como dizem, sem significado soldado, monge e bispo eleito do direito. Nos 27 anos de vida episcopal ganhou o amor entusiástico dos pobres, os necessitados e os que sofreram injustiças, mas não foi bem vista pelo seu clero, que queria viver em paz. Na verdade, ele foi acusado por um sacerdote chamado Brice. Sua resposta foi proverbial: "Se Cristo suportou Judas, por que eu não suporto Brice?"
Ele morreu em 8 de Novembro em 397 Candes, durante uma visita pastoral. Seu funeral, realizado três dias depois, eles foram uma verdadeira apoteose, naquele dia, dia 11, comemoramos sua memória. Ela pode ser considerada como a não primeiro-santo mártir na celebração litúrgica. Essa data também foi um ponto de referência nos contratos de arrendamento de terras, o comércio, no mundo agrícola, "o novo vinho é bebido em San Martin", diz-se ainda hoje em muitas regiões da Itália e França.
Metade do manto que - segundo a lenda - San Martin partilhada com os pobres de Amiens, ciosamente preservada em uma capela. O zelador da capela, é chamado de "capelão", sem ele, porque ele é o protetor da camada "do Bispo de Tours.
Pesquisar consulta mais
EWTN

Bartolome el Joven de Rossano, Santo
Young Bartolomeu de Rossano, Saint
Nós estamos hoje com Bartolomeu, nascido em Rossano (Calábria, Itália) em 980 e morreu em 1055.
Veio de uma família de Constantinopla. Nomearam Basil.
Desde a infância tinha uma inclinação acentuada para o estado religioso. Ele confiou a sua educação aos monges d um mosteiro. Pouco depois de fazer seus votos, ele foi enviado para Monte Cassino. O abade então foi Nilo
Juntos, foram a Roma para ver o papa Gregório V e ver como resolver os conflitos que levaram a auto-proclamou o papa João XVI.
Nilo morreu logo sucedeu-lhe Bartolomeu. Então ele construiu uma igreja à Virgem estava no Concílio de Latrão de 1044, no qual ele demonstrou a sua habilidade diplomática acalmar as disputas entre os Adenolfo Duque e Príncipe de Salerno.
Tornou-se amigos íntimos com os papas Bento VIII e IX, tornando Bento IX abdicou e deixar o mosteiro.
Bartolomeu morreu em 1055.
Era uma pessoa muito inteligente. Ele escreveu um excelente livro intitulado "Tipicón", que é um código litúrgicas e disciplinares para reger a mosteiros. E junto com este documento deve mencionar também a excelente biografia do seu amigo Nilo san
Pio XII, no nono aniversário de sua morte, chamado de "luz e ornamento da Igreja da Sé Apostólica".
Parabéns a quem carrega este nome!

Summer St.
Bispo, 11 de novembro

Bispo
11 de novembro
Etimologicamente significa "verão". Ela vem do latim.
O Senhor diz: "Embora seus pecados sejam como o escarlate, branco como a neve, apesar de serem vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã.
Vai parecer estranho que o nome entre os milhares e milhares de nomes de santos no calendário.
Foi um século quinto bispo
Há em Roma Summer Camp, isto é, o Campo da Primavera de l.
Hoje é ao lado da Basílica de San Lorenzo, o cemitério mais visitado pelos romanos.
San Verão foi bispo da França, um século depois de outra grande bispo, o mais querido e famoso na França, de São Martinho de Tours.
Ele foi bispo de Provença, e hoje já tão amado para pintores por causa de seu tom e luminosidade.
O local em que exerceu o seu ministério episcopal chamado Vence.
O filho de Eucherius, bispo de Lyon, e tinha um irmão chamado Solônia.
O pai ajudou incansavelmente com sua dedicação e bom exemplo para os seus filhos a serem santos no episcopado.
Para se preparar bem, enviada para o mosteiro, no bairro melhor, o de Lérins.
Ao longo do tempo, dada a sua preparação intelectual e religiosa boas foram, respectivamente, nomeado bispo de Vence e Genebra.
Cherish os papas, especialmente Leão I e Hilary.
Summer escreveu para eles com freqüência. Em uma de suas cartas, ele lhes disse: "Eu, Verão, escreve o Papa, que represento no apostolado, ele escreveu para sua felicidade e por favor reze por mim."
Parabéns quem leva esse nome!

Studite Teodoro Santo
Abad, 11 de novembro

Teodoro el Estudita, Santo
Studite Teodoro Santo
St. Platão, abade do mosteiro de Simbóleon no Monte Olimpo, na Bitínia, tinha um irmão de três filhos foram se estabelecer em suas posses Sakkoudion, perto do Monte Olimpo, para obtê-los lá a vida de eremita.
Os mais fervorosos dos três irmãos era o mais velho, Teodoro, que foi twenty-dois anos. Jovem San Platão convenceu a renunciar ao governo de sua abadia e se encarregam de governar eremita Sakkoudion. Mais tarde, São Teodoro foi enviada para Constantinopla para receber a ordenação sacerdotal. O jovem fez tal progresso na virtude e de aprendizagem, seu tio Platão confiada a direção da comunidade, com o consentimento unânime.
O jovem imperador Constantino IV, se divorciou de sua esposa e Theodota casado, um parente de Platão e São Teodoro. Ambos protestaram contra esse abuso. Constantino, que queria conquistar Theodore, fez promessas e tentou particularmente bem com seus parentes. Ele não obteve qualquer resultado, Constantino foi, então, banhos Brusa, perto Sakkoudion, esperando que São Teodoro foi em uma visita de cumprimento, mas nem o abade nem nenhum dos seus monges foram introduzidas para conhecê-lo.
O imperador voltou ao seu palácio furioso e imediatamente enviado pelotão de soldados com ordens para banir Theodore e seus partidários outros. Todos foram exilados para a Tessalônica, onde ele emitiu um édito que as pessoas proibidas e ajudar a dar-lhes asilo, para que nem os monges da região se atreveu a chegar.
St. Platão, muito antiga, foi preso em uma cela em Constantinopla. San Teodoro de Thessaloniki escreveu um relato da viagem, que lhe disse que as vicissitudes que tinha atravessado ele e seus colegas e expressou sua admiração por seu antigo mestre.
O exílio durou apenas alguns meses. A forma como ele terminou, é um exemplo típico da ambição brutal que prevaleceram naquela época. Na verdade, o ano 797, Irene, a mãe do imperador, deposto de seu filho e enviou os seus olhos. Irene, que reinou seis anos de exílio, chamado Theodore e seus companheiros.
O santo voltou ao mosteiro e Sakkoudion reorganizada, mas no ano 799, como o mosteiro foi uma presa fácil para os árabes, os monges se refugiaram dentro dos muros da cidade.
Então ele confiou em São Teodoro a orientação do famoso mosteiro de Studios, o cônsul Studius tinha construído no ano 463, em uma viagem que fez de Roma a Constantinopla. Constantino Copronymus expulsou os monges, de modo que quando ela chegou San Teodoro tinha apenas uma dúzia.
Sob seu governo, o mosteiro passou a ter mil pessoas, incluindo monges e servos. Na legislação monástica, Theodore foi quem mais contribuiu para desenvolver a tradição de San Basilio. Santo Atanásio a Lauriot aplicada a lei de San Teodoro, no Monte Athos, e de lá se espalhou para a Rússia, Bulgária e Sérvia, onde ainda é a base do monástica.
San Teodoro promoveu os estudos e as artes da caligrafia, ele fundou a escola era famoso por um longo tempo. Os escritos do santo são uma série de sermões, instruções, hinos e tratados ascetismo monástico, que é muito moderado quando comparado com outros orientais.
O santo disse uma vez um eremita: "não praticar a austeridade para satisfazer o seu ego. Comer pão, bebida, por vezes, no inverno sapatos usados e comer carne como você precisa." Mosteiro Teodoro governou pacificamente durante oito anos, em meio ao turbilhão da política imperial até à emissão de Constantino adultério ressurgiu.
O imperador Nicéforo eu escolhi o futuro de São Nicéforo, que era então um leigo, a ocupar a Sé Patriarcal de Constantinopla. Como São Nicéforo não tinha recebido ordens, San Teodoro, San Platão e outros monges se opôs à nomeação. O imperador mandou-os presos durante vinte dias, após o que, a pedido de Nicéforo e um pequeno grupo de bispos, o tribunal restabeleceu o padre José, que tinha sido degradado por ter abençoado a união de Constantino IV Theodotus. San Teodoro e outros se recusaram a realizar a comunhão com José e aceitar a decisão que o casamento tinha sido válida. Assim, San Teodoro, Platão e San José (que era irmão de São Teodoro, arcebispo de Tessalónica), foram presos no Princess Island. Teodoro disse que a questão por carta para o Papa, São Leão III tinha respondido por elogiar a sua sabedoria e perseverança. Theodore inimigos em Roma se espalhou o boato de que este havia caído em heresia, e ficou irritado por não ter sido nomeado patriarca, para que São Leão III preferiu não um veredicto. Studite monges foram dispersos em diferentes mosteiros e Matrats muito. O banimento de São Teodoro e seus companheiros, levou dois anos até a morte do imperador Nicéforo, que ocorreu no ano 811
Teodoro e Patriarca Nicéforo reconciliados, desde a sua atitude no doloroso problema da veneração das imagens foi idêntica. Em nosso artigo sobre São Nicéforo (13 de março) que já deram alguns detalhes sobre a perseguição iconoclastaque segunda teve lugar durante o reinado de Leo V the Armenian. San Teodoro abertamente negou que o imperador tinha o direito de interferir nos assuntos da Igreja e, no Domingo de Ramos quando São Nicéforo havia sido expulso e ordenou a seus monges a sair à rua em procissão com as imagens sagradas, cantando um hino começa assim: "Nós adoramos a sua imagem de santo, santo abençoado." Desde então, San Teodoro tornou-se líder do movimento ortodoxo. Como continuar a defender o culto das imagens, o imperador baniu a Mísia, onde continuou a exortar os fiéis para os cartões que são mantidos alguns. Quando ele descobriu sua correspondência, o imperador baniu a Bonita, na Anatólia, e mandou para o carcereiro, Nicetas, que afligem a vítima. Que foi tocado pela alegria com que San Teodoro tirou o casaco e se ofereceu para chicotear seu corpo consumido pelo jejum e, felizmente, puxado para fora do calabouço a todos os presentes, colocou um pergaminho de pele de carneiro na cama do santo e desembarcados golpes nela para que aqueles que estavam fora ouvida. Por fim, os braços Nicetas foram riscados a mancha de sangue o chicote e foi mostrá-la aos outros. San Teodoro poderia escrever mais cartas para os fiéis, os patriarcas e os pascal Papa, que disse: "Ouça, bispo apostólica, o pastor que Deus colocou para guiar o rebanho de Jesus Cristo, que recebeu as chaves do Reino dos Países Puxa, você é a rocha sobre a qual a Igreja foi construída, tu és Pedro, porque eles podem tomar seu lugar. Vinde em nosso auxílio. " O pontífice escreveu algumas letras para Constantinopla, que foi infrutífera.
Então, San Teodoro escreveu para agradecer-lhe com estas palavras: "Você tem sido desde o início a fonte pura da ortodoxia, que são o porto seguro da Igreja Universal, sua defesa contra os ataques dos hereges e da cidade de refúgio Deus nos deu. "
San Teodoro Nicolau e seu fiel discípulo, foram presos em Bonita du: Rant três anos. Seus sofrimentos indizíveis foram: No inverno, o frio era intenso, no verão, o calor é sufocante e com fome e sede, pois os guardas atirou-as apenas por uma clarabóia uma fatia de pão todos os dias. San Teodoro disse que muitas vezes pensei que ele iria morrer de fome e acrescenta: Mas Deus é misericordioso demais para nós. "Provavelmente teria morrido de fome, se um funcionário do tribunal, que visitou a prisão por acaso, tinha ordenado que fossem dadas boa comer. Imperador interceptado uma carta na qual o santo exortou os fiéis a desafiar a seita infame dos iconoclastas, ordenou ao prefeito do leste para punir o agressor. O prefeito não estava a ser ganha pela compaixão, como o carcereiro Nicetas e requisitado para o chicote Nicholas monge, Theodore quem ditou a carta, e sentenciou a sofrer uma centena de chicotadas. Após a tortura, os torturadores deixou o santo no chão por longos períodos, expostos aos rigores do frio fevereiro. San Teodoro não conseguia comer ou dormir por muitos dias, e se ele escapou com vida, foi graças a Nicolas que esqueceu seus sofrimentos próprios, gota a gota o alimentava com uma colher e enfaixado suas feridas, mas não antes de cortar pedaços de carne infectada em feridas. San Teodoro indescritivelmente sofridas por três meses. Antes que seja totalmente restaurado, não havia um oficial imperial encarregado de levá-lo a Esmirna, junto com Nicholas. Durante o dia eles caminharam e marchas forçadas, pela noite, eles estavam acorrentados.
O arcebispo de Esmirna, que era um iconoclasta raivoso, ele acompanhou de perto o santo e veio dizer que ia pedir o imperador a enviar-lhe decapitar ou pelo menos reduzir a sua língua. Mas a perseguição terminou o ano 820 com o assassinato de alguém que tinha causado. Sucessor de Leo, Miguel, o Gago, em primeiro fingiu a máxima moderação e ergueu as penas de banimento. São Teodoro o Estudita retornou após sete anos de prisão, e escreveu uma carta de agradecimento ao imperador, exortando-o a permanecer unidos a Roma, a primeira das igrejas, e para permitir que o culto das imagens. Mas Michael recusou a adoração de imagens e retornar as suas taxas ao patriarca, o abade de estúdios e todos os bispos ortodoxos que não concordam com esta medida. San Teodoro, depois de fazer vãs tentativas de convencer o imperador, ele partiu de Constantinopla (na verdade uma forma de exílio), e fez uma turnê dos mosteiros na Bitínia incentivar e conforto aos seus adeptos, "O inverno passou-les ele disse, mas ainda não chegou primavera. O céu limpa há boa esperança. O fogo está fora, mas as cinzas ainda fumegantes ". São Teodoro influência tornou-se tão grande que os monges em geral e em particular Studite tornou-se o baluarte da ortodoxia. Alguns dos discípulos do santo foi se encontrar com ele na península mosteiro Akrita. No início de Novembro, 826, San Teodoro doente lá. No quarto dia de sua doença, ele poderia ir à igreja para celebrar o santo sacrifício, mas o mal estava aumentando, eo santo ditou a sua secretária suas instruções finais. Deus o chamou para si o domingo seguinte, 11 de Novembro. Seus restos mortais foram transportados para o mosteiro de Studios dezoito anos depois.
No leste, há grande veneração por São Teodoro o Estudita. O Matirologio Romano diz que é "famosa em toda a Igreja." O santo que merece um elogio como legislador monástico, como um defensor da autoridade suprema de Roma e como defensor corajoso o culto das imagens, que sofreu. San Teodoro entra em guerra contra os iconoclastas, por razões teológicas, porque não consideram as imagens como um adorno essencial das igrejas, como absolutamente reprovado representação pictórica dos vícios, virtudes e outros "excessos de fantasia religiosas injustificadas." Além disso Parita não acreditar que a devoção a imagens era absolutamente necessário (ele parece ter praticado muito pouco), mas apenas uma ajuda para os irmãos "mais fracos". Em suas instruções sobre a oração fala da união de mente e coração com Deus, sem imagens de assistência externa. Mas claro que para negar a validade da imagem de culto, destinada a negar a validade de certos princípios básicos de teologia. São preservados muitos escritos de São Teodoro, entre os quais cartas, tratados sobre a vida monástica e ao culto de imagens, uma série de sermões e hinos. Estes escritos refletem sua integridade e distanciamento do mundo, beirando o puritanismo que caracteriza muitos dos seus discípulos e, em alguns de seus sucessores atingiu extremos que perturbou a paz da Igreja.
Em PG., Vol. XCIX, duas biografias de San Teodoro e outros documentos relerentes ele e seus escritos. Sua vida foi tão intimamente relacionados com as controvérsias da época, para compreender, deve-se referir às obras de história geral da Igreja. Veja Pargoire, L'Eglise bizantino 527-874 (1923); Hefele-Leclercq, Histoire des concitos, particularmente lib. 18, vol. III, Pte. 2, Bispo Mann, Lives of the Popes vol. II, pp. 795-858; e Bréhier, La Querelle lmages des (1904). Entre as obras mais directamente relacionadas com a San Teodoro, mencionar a J. Hausherr, St Theodore.,. d'après ses catequeses (1926) na série Orientalia Christiana, n. 22, Alice Gardner, Teodoro de Studium (1905); H. Martin, St. Theodore (1906); Dobschütz, um Studite Metódio em Byzantinische Zeitschrilt, vol. XVIII (1909), pp. 41-105, e G. A. Hl Schn 'Der. Theodor van Studion (1900). Em vários artigos Bollandiana Analecta San Teodoro. Fr C. Van de Vorst elogio publicado pela primeira vez do Theophanes santo (Vol. XXXI, 1912), e outro texto grego da transposição de suas relíquias (XXXII), e um estudo de suas relações com Roma e outro sobre "catecismo curto San Teodoro (Vol. XXXIlI). Veja também sob DAR., artigo sobre a atitude do santo na controvérsia iconoclasta (Vol. VII, cc. 272-284). The Max Príncipe de Saxónia emitido um excelente retrato de um tipo popular, , Der hl. Theodor (1929), e cf. CLB NH Baynes e Moss, Brzantium (1948).

Menas do Egito, Santa
Terça-feira, novembro 11

Menas de Egipto, Santo
Menas do Egito, Santa
The Great Martyr Menas, era um egípcio de nascimento, oficial militar e serviu na região da Frígia Konya sob o centurião Firmilian durante os reinados dos imperadores Diocleciano (284-305) e Maximiano (305-311). Quando os imperadores começou a mais terrível perseguição contra os cristãos na história, o santo recusou-se a servir estes perseguidores. Menas tirou o cinto de uniforme (linha de um sinal do Exército) e retirou-se para uma montanha onde ele vivia uma vida ascética de oração e jejum.
Uma vez que no âmbito da cidade, durante uma festa pagã. Em meio ao "boom" do santo jogos levantou a voz, pregando a fé em Cristo, o Salvador do mundo. Fu, em seguida, submetido ao pirrus prefeito, diante do qual o santo corajosamente confessou a sua fé, dizendo que ele tinha vindo a denunciar a maldade. O prefeito estava irritado, e Menas foi preso.
Pirrus oferecido para retornar o intervalo que estava no exército se Menas ofereceu o sacrifício aos deuses pagãos. Quando ele se recusou, ele colocou a torturas cruéis, e depois decapitado. Isso ocorreu em 304.
Alguns cristãos recolheu as relíquias do mártir durante a noite e se escondeu até o fim da perseguição. Depois ele foi levado para o Egito e colocado em uma igreja dedicada a São Menas, a sudoeste de Alexandria.
O santo recebeu a graça de Deus para realizar milagres, e ajudar aqueles que precisam sofrimento: doenças de cura, livrar as pessoas possuídas por demônios. É aplicado como um protetor, especialmente durante a guerra.

Marina Omura, Santa
Virgem e Mártir, 11 de novembro

Marina Omura, Santa
Marina Omura, Santa
Japonês. Em 1626 entrou na Ordem Terceira Dominicana, sendo de grande ajuda para os missionários.
Preso em 1634, é submetido a humilhação e finalmente levou ao jogo, dando um exemplo sublime de "mulher".
Informação muito pouco se sabe sobre o nascimento, batismo e familiares deste grande mártir do Japão. Seus biógrafos dizem que ele "foi um exemplo para todos os cristãos de Omura.
Diz-se também que a sua caridade era tão grande que sua casa era o refúgio de ambos os missionários e os cristãos perseguidos. Houve quem entrou no transe do teste para recuperar a força perdida e coragem.
Para mais informações sobre o seu companheiro de 15 mártires do Japão "clique"
AQUI
Lorenzo Ruiz y 15 compañeros, Santos
Lorenzo Ruiz e 15 colegas, Santos
Mártires do Japão
Martirológio Romano: Santos Lorenzo Ruiz de Manila e companheiros de quinze anos, mártires, religiosos e sacerdotes seculares como semeadores da fé cristã nas Filipinas, Formosa e outras ilhas do Japonês, pelo que, por decreto do líder supremo do Japão, Tokugawa Yemitsu, em dis dia vermelho em Nagasaki consumado seu martírio por amor a Cristo, mas somente realizada em comemoração (1633-1637)
Até o grupo: Ibanez Erquicia Santos Dominic James Kyuhei Gorobioye Tomonaga, Antonio González, Miguel de Aozaraza, Guillermo Courtet Vicente Shiwozuka, Lucas Afonso Gorda, Jordânia (Jacinto) e Thomas Hioji Rokuzayemon Ansalone Nishi, os padres da Ordem Dominicana; Shoyemon Francisco, Miguel Kurobioye Kohioye e Mateus, os religiosos da Ordem; Madalena de Nagasaki, Virgem da Terceira Ordem de Santo Agostinho Marina Omura, Virgem da Terceira Ordem Dominicana, Lazaro de Kyoto, secular.
Data de canonização: Pope John Paul II mártires beatificados neste grupo em 18 de Fevereiro de 1981 em Manila (Filipinas), e entrou no catálogo dos santos, em 18 de outubro de 1987.


1633 (agosto-outubro)
Domingo Erquicia Ibanez, espanhol, padre dominicano. Nascido em Regil (San Sebastian), filho da província de Espanha a sua participação na província de Rosário. Em Manila ensina na faculdade de São Tomé pregou o Evangelho em diferentes partes das Filipinas. Ir para o Japão em 1623, onde trabalha clandestinamente. Denunciado por um apóstata cristão é preso e executado. Ele desempenhou um papel importante como o Vigário Provincial da missão. Ela mantém algumas das suas cartas. Idade, 44.
SHOYEMON FRANCISCO, cooperador, japonês Dominicana. Companheiro de apostolado do Padre Ibanez Erquicia. Preso em 1633, tornando o hábito dominicano na cadeia. É executado junto com seu pai espiritual.
SANTIAGO DE SANTA MARIA KYUSHEI Tomonaga, sacerdote japonês Dominicana. De Kyudetsu nobre família cristã, estudou com os jesuítas em Nagasaki. Ele foi expulso do Japão em 1614 como catequista. Em Manila, foi ordenado um missionário em Taiwan, retorna à sua terra natal em 1632, a fim de ajudar os seus irmãos cristãos. Ele é preso e torturado, morrendo por "ser religioso e ter fé difundir o Evangelho". É o mais antigo do grupo de 51 anos.
MIGUEL KUROBIOYE, japonês, leigo catequista. Companheiro de apostolado do Padre Santa Maria, OP, é preso e torturado para revelar o esconderijo de P. Santa Maria. Desculpe, vai com ele ao martírio em confessar sua fé.
LUCAS ALONSO DEI. ESPÍRITO SANTO, espanhol, padre dominicano. Nascido em Carracedo (Astorga), um dominicano da Província de Espanha, é a província de Rosário em 1617. Professor no Colégio de Santo Tomás, em Manila, Cagayan missionário em 1623 vai para o Japão, onde trabalhou com grande coragem e arriscar sua vida por dez anos. Preso em Osaka, em 1633, foi torturado e martirizado em Nagasaki. Idade, 39.
KOHIOYE DEL ROSARIO MATEO, japonês, nascido em Arima. Assistente catequista e B. Lucas Alonso, um noviço da Ordem. Preso em Osaka, em 1633, rejeita qualquer proposta de dinheiro e apoia torturas horríveis, permanecendo fiel a Cristo até a morte. Ele tinha 18 anos.
1634 (outubro-novembro)
Madalena de Nagasaki terciário, japonês, agostinianos e dominicanos. Filha de mártires cristãos, é consagrada a Deus e espiritualmente guiado pelo agostiniano e, em seguida, o Ansalone Dominicana. Após a prisão do padre Ansalone, Magdalena é apresentado à guarda proclamou cristão. Torturado de forma cruel, imóvel em sua fé, está pendurado na forca, onde permaneceu vivo por treze dias.
MARINA Omura, Japão. Em 1626 entrou na Ordem Terceira Dominicana, sendo de grande ajuda para os missionários. Preso em 1634, é submetido a humilhação e finalmente levou ao jogo, dando um exemplo sublime de "mulher".
JOSHUA JORDÂNIA Ansalone, sacerdote italiano Dominicana. Nativo de S. Stefano Quisquina (Agrigento), tendo professado na província da Sicília, passou para a Província do Santo Rosário. Nas Filipinas, desenvolve seu apostolado entre os pobres e doentes. No ano de 1632 vai para o Japão, onde trabalhou por dois anos. Preso em 1634, apoia a tortura, e está pendurado na forca. Idade, 36 anos.
NISHI HIOJI THOMAS San Jacinto, padre, japonês Dominicana. Filho de cristãos martirizados do Hirado, e aluno dos jesuítas em Nagasaki. Expulsos de seu país pela perseguição, ele emigrou para Lisboa em 1614. Estudante do Colégio de St. Thomas, mudou-se para missões de Taiwan, retornando mais tarde à sua terra natal em plena perseguição religiosa. Entre as obras de grandes perigos por cinco anos. Preso, torturado e condenado a morrer. Idade, 44.
1637 (Setembro)
Em 1636 os dominicanos em Manila, organizou uma expedição de voluntários para ajudar os cristãos do Japão. Quando chegaram à ilha de Okinawa foram presos e permaneceram na cadeia por mais de um ano antes de ser transferido e condenado à morte pelo tribunal de Nagasaki. Eles são:
Antonio González, espanhol, padre dominicano. Natural de León, é um Dominicana, na província de Espanha e, em seguida passou para a Província do Rosário, e mudou-se para Lisboa em 1631, onde foi professor e reitor do Colégio de St. Thomas, sendo um homem de muita oração e penitência. Em 1636 um grupo de missionários guia para o Japão, onde ele é imediatamente preso e morreu na prisão um ano mais tarde, exaustos por tortura. Idade, 45.
WILLIAM S. Courtet ou DOSES Domingo, padre dominicano francês. Nascido em Sérignan (Montpellier), de família nobre, entrou como um dominicano na Congregação Reformada de São Luís, vai para a província do Rosário e mudou-se para as Filipinas, em 1634, onde é professor no Colégio de St. Thomas. No Japão, morreu de tortura trazendo louvores à Virgem do Rosário, recitando salmos. Idade, 47.
MIGUEL DE Aozaraza, espanhol, padre dominicano. Natural Oñate (Guipúzcoa), entra como um dominicano, na província de Espanha e, em seguida, passou para a Província do Rosário. Nas Filipinas, a trabalhar na Missão de Bataan (Luzon). Refutada abandonar a sua fé e aceito com alegria terríveis torturas. Idade, 39.
SCHIWOZUKA VICENTE DE LA CRUZ, sacerdote japonês Dominicana. Família cristã, um aluno dos jesuítas em Nagasaki, catequista. Em 1614 foi expulso do Japão por serem cristãos. Em Manila, e foi ordenado sacerdote desenvolve seu apostolado entre os exilados japonês. Antes de retornar à sua terra natal com o P. Gonzalez, tornando o hábito dominicano em 1636. Após um ano de prisão e torturado cede à apostasia, mas rapidamente se arrepender e sair com os demais companheiros da estrada forca, professar a sua fé.
Lazaro de Kyoto, Japão, secular. Atacada pela lepra, leprosos deportados com outros cristãos nas Filipinas. Em 1636 juntou-se como um guia e intérprete para o grupo de P. Gonzalez, não suportando as torturas, nega algumas horas de fé, mas Cristo morre arrependido com os outros.
Lorenzo Ruiz, filipino, leigo. Nascido em Binondo (a) pai chinês e mãe filipino. Educado pelos dominicanos e seu assistente, torna-se um membro da Confraria do Rosário. Ele se casou e teve três filhos. Incorporados em um fato escuro de sangue, se juntou ao grupo de P. Gonzalez de segurança. No Japão, ele foi preso e se declarou disposto a dar a vida mil vezes através de Cristo. É o primeiro mártir das Filipinas.
O milagre proposto para a canonização
Ocorreu em Manila, em 1983, invocando o grupo Alegria de Cecília Polycarpo, filho de dois anos, completamente curada e permanente paralisia cerebral anatômica e funcional, sem terapia eficaz. O milagre foi reconhecido por João Paulo II em 1 de Junho de 1987.
As razões para os perseguidores
"Os seguidores de Cristo, chegando inesperadamente no Japão, os bens não só estão trazendo em seus armazéns, mas também, sem autorização, se espalharam e propagada seu direito perverso, que destrói boa, legítima e conspirar para derrubar o poder em nosso país. Este é o começo de uma grande calamidade, que todos os meios devem ser evitadas. O Japão é um país budista e xintoísta, que venera os deuses, honrar o Buda e é realizado em alta estima o caminho da benevolência (Confucionismo).
Os seguidores dos Padres (dos cristãos) foram todos desobedecido as ordens dadas pelo governo, desprezando a religião ... e destruindo o bom. Vendo aqueles que devem ser executados (mártires) estão felizes e correr atrás deles, espontaneamente, pelo culto e cumprimentar. Esse é o ideal supremo da religião. Caso não seja imediatamente proibida, calamidades vêm interminavelmente sobre o estado. Que os cristãos estes são eliminados sem demora em todas as regiões do Japão, então você não tem lugar para colocar os pés ou as mãos. Se alguém se atrevesse a violar este fim, ser punido com a morte. "(A partir do edital de 1614, cuja doutrina é aumentou substancialmente em 1633 e 1636).
Reproduzido com a permissão de
Vatican.va
Vicenta Maria (Luísa) Polónia, Beata
Fundador, 11 de novembro






Vicenta María (Luisa) Poloni, Beata
Vicenta Maria (Luísa) Polónia, Beata
Martirológio Romano: Em Verona, Itália, abençoado Vicenta Maria Poloni, fundadora do Instituto das Irmãs da Misericórdia de Verona. (1855)
Etimologicamente Vicenta = Um que é bem sucedida, é de origem latina.
Etimologicamente Lady Mary = bonito que nos orienta, é de origem hebraica.


Em 21 de setembro de 2008 foi beatificada Vicenta Maria Poloni
Vicenta Maria Poloni, fundadora do Instituto das Irmãs da Misericórdia de Verona, nascido em Verona em 26 de janeiro de 1802 e faleceu em 11 de novembro de 1855.
O berço da Luisa (Luigia) Polônia está no número 8 da "Piazza delle Erbe," onde os pais atendem a uma empresa de óleos e plantas medicinais. Sua família, apoiada por profundas princípios cristãos e jogado por muitos eventos dolorosos, é o mais rico Luigia lugar de incentivo e de formação. Sua inteligência prática e prática, tranquila e simpática atitude, qualidades que caracterizam, facilitar a prestação de serviço sério e livre. Desde muito jovem, é dada aos irmãos em necessidade extrema e inúmeros sobrinhos que vê-la como mãe. Após a morte de seu pai, graves problemas económicos de equilíbrio na família. Luigia, em seguida, desenvolver e praticar as qualidades de gestor na condução da administração e da família, sem descurar o apoio de voluntários na instituição de um lar de idosos na cidade. O padre
Charles Steeb, Seu diretor espiritual, que aprecia as suas qualidades e confia, ele disse: "Minha filha, o Senhor quer fundador de um Instituto das Irmãs da Misericórdia, assustam qualquer dificuldade ou pará-lo, para Deus nada é impossível" . Luigia, certo de que o seu caminho, já marcado por uma instituição de caridade sem dormir, vai para um plano que só Deus sabe, com simplicidade e confiança infantil no Pai misericordioso, respondeu: "Eu sou o mais incompetente de todos, mas o Senhor usa, vezes mais fracos de instrumentos para exercer a sua finalidade: para cumprir a sua vontade ".
Em 2 de novembro de 1840, Luigia Poloni, apoiado e acompanhado pelo padre Charles Steeb, começou o Instituto das Irmãs da Misericórdia. Seu serviço humilde e preciosa para os idosos e órfãos abandonados, encontra a sua expressão máxima em serviço da mãe e da professora de muitos jovens que, imitando o seu exemplo, aprender a doar, com humildade, simplicidade e amor a sua vida a Deus como Sisters of Mercy. Luigia Poloni, que os votos para ter o nome religioso de Irmã Maria Vicenta, morreu no dia 11 de novembro de 1855, deixando como testamento a sua afeição por suas irmãs uma coisa: o amor.
Instituto Irmãs da Misericórdia de Verona, fundada em 2 de novembro de 1840 em Verona, Itália, pelo beato Charles Steeb (sua comemoração em 15 de Dezembro), e Beata Madre Vicenta Maria Poloni, o Instituto das Irmãs da Misericórdia de Verona tem o carisma para honrar Nosso Senhor, servindo-nos física e espiritualmente as pessoas pobres, crianças, jovens, idosos, doentes, presos e abandonados por suas atividades e obras em escolas, paróquias, hospitais, lares de idosos, salas primeiros socorros em bairros carentes, prisões.

http://es.catholic.net/santoral

Recolha, Transcrição e tradução muito defeituosa, Devido a problemas técnicos encontrados nenhum computador hoje, meu cabelo como minhas maiores peço desculpas todos quem porventura Passem para esta página.
António Fonseca

ISABEL DE HUNGRIA, Santa (e outros) - 17 de Novembro

Isabel da Hungria, Santo
Viúva, Novembro 17, 1231

Isabel de Hungría, Santa

Isabel de Hungría, Santa

Viuda
Novembro 17

A los cuatro años había sido prometida en matrimonio, se casó a los catorce, fue madre a los quince y enviudó a los veinte. Isabel, princesa de Hungría y duquesa de Turingia, concluyó su vida terrena a los 24 años de edad, el I de noviembre de 1231. Cuatro años después el Papa Gregorio IX la elevaba a los altares. Vistas así, a vuelo de pájaro, las etapas de su vida parecen una fábula, pero si miramos más allá, descubrimos en esta santa las auténticas maravillas de la gracia y de las virtudes.
Su padre, el rey Andrés II de Hungría, primo del emperador de Alemania, la había prometido por esposa a Luis, hijo de los duques de Turingia, cuando sólo tenia 11 años. A pesar de que el matrimonio fue arreglado por los padres, fue un matrimonio vivido en el amor y una feliz conjunción entre la ascética cristiana y la felicidad humana, entre la diadema real y la aureola de santidad. La joven duquesa, con su austeridad característica, despertando el enojo de la suegra y de la cuñada al no querer acudir a la Iglesia adornada con los preciosos collares de su rango: “¿Cómo podría—dijo cándidamente—llevar una corona tan preciosa ante un Rey coronado de espinas?”. Sólo su esposo, tiernamente enamorado de ella, quiso demostrarse digno de una criatura tan bella en el rostro y en el alma y tomó por lema en su escudo, tres palabras que expresaron de modo concreto el programa de su vida pública: “Piedad, Pureza, Justicia”.
Juntos crecieron en la recíproca donación, animados y apoyados por la convicción de que su amor y la felicidad que resultaba de él eran un don sacramental: “Si yo amo tanto a una criatura mortal—le confiaba la joven duquesa a una de sus sirvientes y amiga—, ¿cómo debería amar al Señor inmortal, dueño de mi alma?”.
A los quince años Isabel tuvo a su primogénito, a los 17 una niña y a los 20 otra niña, cuando apenas hacía tres semanas había perdido a su esposo, muerto en una cruzada a la que se había unido con entusiasmo juvenil. Cuando quedó viuda, estallaron las animosidades reprimidas de sus cuñados que no soportaban su generosidad para con los pobres. Privada también de sus hijos, fue expulsada del castillo de Wartemburg. A partir de entonces pudo vivir totalmente el ideal franciscano de pobreza en la Tercera Orden, para dedicarse, en total obediencia a las directrices de un rígido e intransigente confesor, a las actividades asistenciales hasta su muerte, en 1231.
¿Quieres saber más? Consulta
Santa Isabél de Hungría de Jesús Martí Ballester
Consulta también
Ewtn

Hilda de Whitby (Ilda), Santa
Abadessa, 17 de Novembro

Hilda de Whitby (Ilda), Santa

Hilda de Whitby (Ilda), Santa

No se sabe el lugar de nacimiento de Hilda, pero de acuerdo a Beda el Venerable fue en el año 614. Ella fue la segunda hija de Hereric, sobrino de Edwin de Northumbria, y su esposa Breguswita. Su hermana mayor, Hereswita, se casó con Ethelric, hermano del rey Anna de Anglia Oriental. Cuando era apenas una bebe su padre fue envenenado mientras pasaba su exilio en la corte del rey de Elmet (en lo que hoy en día es West Yorkshire). Se asume que ella creció en la corte de Ediwn en Northumbria.
En 627 el rey Edwin de Northumbria fue bautizado durante la Pascua junto a toda su corte, la cual incluía a Hilda, en una pequeña capilla de madera construida especialmente para la ocasión, cerca de lo que hoy en día es la Catedral de York Minster.
La ceremonia fue oficiada por el monje-obispo Paulinus, quien había venido desde Roma junto a San Agustín de Canterbury. Luego acompaño a Ethelburga, una princesa cristiana, cuando ella regreso a Kent para casarse con Edwin.
Hilda como monja
No se sabe dónde fue que Hilda empezó su vida como monja, excepto que fue al norte de las orillas del río Wear. Aquí, con unos cuantos compañeros aprendieron las tradiciones del monasticismo del Cristianismo Celta el cual San Aidan había traído desde Iona. Después de un año San Aidan nombró a Hilda como la segunda Abadesa de Hartlepool. No quedan rastros de esta abadía pero el cementerio monástico se ha encontrado cerca de la presente Iglesia de Santa Hilda.
En 657 Hilda fundo un nuevo monasterio en Whitby (en ese entonces conocida como Streonshalh), donde permaneció el resto de su vida hasta su muerte en 680.
Vida monástica en Whitby
En el acantilado oriental de Whitby se levantan las impresionantes ruinas de un abadía benedictina del siglo XII. Este, sin embargo, no fue el edificio que Hilda conoció. Evidencia arqueológica muestra que el monasterio era en estilo celta con sus miembros viviendo en pequeñas casas para dos o tres personas. La tradición de monasterios dobles, como los de Hartlepool y Whitby, era para que hombres y mujeres vivieran separadamente pero que pudieran rezar juntos en misa.
No se sabe donde exactamente la iglesia monástica de Hilda se levantó, tampoco sabemos cuantos monjes y monjas vivían en Whitby. Lo que Beda nos cuenta es que las ideas originales de monasticismo eran estrictamente seguidas en la abadía de Hilda. Todas las propiedades y bienes eran de propiedad común, los valores cristianos eran ejercidos, especialmente paz y caridad, todos tenían que estudiar la Biblia y hacer obras de caridad.
Cinco hombres del monasterio se convirtieron en obispos y uno fue venerado como santo, San Juan de Beverley.
La Reina Eanfleda de Deira, y su hija Alfleda se convirtieron en monjas y juntas fueron abadesas de Whitby después de la muerte de Hilda.
Carácter de Santa Hilda
Beda describe a Hilda como una mujer de gran energía quien era una audaz y eficaz administradora y maestra. Ella se ganó una reputación de sabiduría, que incluso reyes, príncipes y obispos buscaban su ayuda, pero también se preocupaba por la gente ordinaria como Caedmon, un pastor y bardo religioso. Aunque Hilda tenía un carácter fuerte ella también inspiraba afecto. Beda dijo "Todos aquellos que la conocían la llamaban madre por su gran devoción y gracia".
Muerte de Santa Hilda
Hilda sufrió de una fiebre los últimos seis años de su vida, pero continuó trabajando hasta su muerte el 17 de noviembre, de 680, en lo que entonces era una edad muy avanzada de sesenta y seis. En su último año ella fundo otro monasterio, a 14 millas de Whitby, en Hackness. Ella murió después de recibir el viaticum, y según la leyenda, en el momento de su muerte las campanas del monasterio en Hackness sonaron.

Acisclo e Victoria Santos
Irmãos Mártires, 17 de Novembro

Acisclo y Victoria, Santos

Acisclo e Vitória, Santos

Patronos de Córdoba

Martirologio Romano: En Córdoba, en la provincia hispánica de la Bética, san Acisclo, mártir (s. IV).
Etimología:
Acisclo = aquel que maneja bien las herramientas, viene del latín.
Victoria = aquella que es victoriosa frente al mal, viene del latín

Estamos en Córdoba en el año 303. El pretor Dión mandaba en la ciudad y eran tiempos de los emperadores Diocleciano y su amigo Maximiano.
Es la décima persecución contra los cristianos.
España estaba ya en gran parte cristianizada.
Córdoba contaba ya con muchos fieles.
Dos hermanos, Acisclo y Victoria, eran conocidos por su caridad y su entrega a los pobres y marginados.
El gobernador los denunció por rebeldes a las leyes imperiales.
Victoria, tranquila y serena, le dijo al gobernador:" Me harás un gran favor si cumples en mí las amenazas que me has lanzado. Vale más morir por Cristo que por todas las promesas que me haces".
Los encerraron en los calabozos para hacerles nuevos interrogatorios.
Después de desgarrarles sus pies, los echaron al fuego.
Victoria gritaba y le cortaron la lengua y a Acisclo el cuello.
Fueron los primeros mártires de Córdoba y sus patronos.
La fuerza de su valor se las daba la oración en común. Dios estaba presente en ellos.
¡Felicidades a quien lleve este nombre!

Juan del Castillo, Santo
Jesuíta mártir, 17 de Novembro

Juan del Castillo, Santo

Juan del Castelo, Santo

Nace en Belmonte, España, el día 14 de septiembre de 1596. Sus padres, Alonso del Castillo y María Rodríguez se cuentan entre las personas importantes y adineradas de la ciudad. Una semana después recibe el sacramento del bautismo en la Colegiata de la villa. Por ser el primogénito recibe el nombre del abuelo paterno.
Después de él, los padres tienen nueve hijos. Sus hermanas Juana, Jerónima y Jacinta ingresan como religiosas de clausura en el convento de las Concepcionistas franciscanas de Belmonte. Don Alonso, el padre, es el Corregidor de la villa.
Los padres de Juan se esmeran por formarlo muy cristianamente. Desde joven estudia en el Colegio de la Compañía de Jesús en su ciudad natal.
El Colegio ha sido fundado por san Francisco de Borja. "El Señor sea servido de poner gente de la Compañía, porque tengo particular esperanza de Belmonte". El Colegio tiene m s de cuatrocientos alumnos, no sólo del pueblo, sino también de los lugares de la comarca.
Uno de los maestros de Juan es el P. Diego de Boroa quien va a ser más tarde su compañero de misión en las Reducciones paraguayas.
En el Colegio conoce y lee con gusto las cartas de San Francisco Javier, el gran apóstol de la Compañía de Jesús. A través de esas cartas y bajo la dirección de los jesuitas hace su discernimiento vocacional.
Después estudia derecho en la Universidad de Alcalá, un año, para dar gusto a sus padres.
El 21 de marzo de 1614 ingresa a la Compañía de Jesús, en el Noviciado de Madrid. El P. Boroa dice: "Se ejercitaba en los oficios más humildes y trabajosos de la Compañía, de cocinero, panadero y hortelano".
Después del noviciado y sus votos religiosos de pobreza, castidad y obediencia, Juan es destinado al Colegio de Huete para iniciar los estudios de filosofía. Es otro Colegio también fundado por el incansable San Francisco de Borja.
Recién iniciado el curso de 1616, escucha allí al Procurador del Paraguay y Chile, el P. Juan de Viana, quien tiene la misión de llevar refuerzos a las Indias de occidente. El padre Procurador pondera la abundancia de la mies americana, las penas y fatigas de los misioneros y señala la esperanza de un martirio. Juan se ofrece. Logra de sus superiores que se le cambie su destino al Perú por el más duro de Chile y Paraguay. Es aceptado.
El 2 de noviembre de 1616 inicia el viaje al continente americano en el gran puerto de Lisboa.
A bordo traba amistad con el joven jesuita Alfonso Rodríguez, de Zamora, quien también viaja en la misma expedición de misioneros. Tiene éste dos años menos, pero los deseos son los mismos.
Entre mareos y tormentas, entre calmas y calores, llegan al puerto de Santa María de los Buenos Aires, el 15 de febrero de 1617. Descansan unos días en el Colegio, los necesarios para reponer las fuerzas. El Colegio es modesto, pero para los viajeros la caridad de recibimiento los llena de consolación.
Desde Buenos Aires los dos estudiantes jesuitas viajan a la ciudad de Córdoba del Tucumán, al Colegio Máximo, para terminar allí sus estudios de filosofía. Es un caminar cansino, a través de la inmensa pampa argentina. La carga y los libros van en carretas tiradas por bueyes y ellos montan a caballo.
Con su amigo Alfonso Rodríguez, Juan mira, asombrado, la inmensidad sin horizonte. A veces, a lo lejos, observa, con algún entusiasmo y temor, a los indios pampas que sienten invadido el territorio.
En la docta y universitaria ciudad de Córdoba, Juan del Castillo es un muchacho que no pierde el tiempo. No se distingue mucho en los estudios. La salud no parece buena. El duro clima de la ciudad lo agota m s de la cuenta. Tiene, por cierto, mejor éxito en los cortos apostolados entre los pobres de la ciudad y sus alrededores.
En el silencio y la oración, se decide a trabajar en esta América que ya empieza a querer.
En los finales de 1619, al terminar la filosofía, es destinado a la ciudad de Concepción, en el vecino país de Chile. Es la experiencia de magisterio.
Tal vez influye en los superiores el hecho de que el otro lado de la cordillera tenga un mejor clima. Juan ahí, sin duda, podrá reponerse.
Los informes de los superiores no lo favorecen. Las expresiones lacónicas poco dicen: "Es mediano de inteligencia y también en la prudencia. La experiencia es poca. El progreso en el estudio de filosofía es mediocre. Pero es capaz de enseñar gramática".
Eso último es suficiente para su magisterio en Chile, en el muy modesto Colegio de Concepción.
Antes de viajar conversa muy largamente con el jesuita Alonso de Ovalle y Manzano. El es nacido en Santiago de Chile y estudia ahora en la ciudad de Córdoba. Ovalle conoce bien los paisajes, las costumbres y los habitantes de su país. Juan, a través de Alonso, empieza a amar ese último rincón de la tierra.
Otro largo viaje. A caballo y en carretas, termina por atravesar la pampa. Está contento. Puede decir que la conoce ahora casi entera.
Unos pocos días descansan los viajeros en la ciudad de Mendoza, en la Residencia y el pequeño Colegio de la Compañía. Ya están en Chile, el cual comienza en la Provincias de Cuyo. Pero Juan y los otros jesuitas que viajan a Santiago parecen impacientes por continuar y atravesar la imponente cordillera.
El cruce de la gran cordillera de los Andes, lo hacen en mula y a pie, entre cuestas y precipicios enormes. El sendero va por la ladera escarpada, tan estrecho que apenas cabe la mula. Una de las bestias pisa mal y cae con su carga hacia el río que corre en lo profundo. Es un ruido que aterroriza.
La admiración de Juan parece infinita. Sus ojos, incansables, recorren, uno a uno, los paisajes. Agradece a Dios esas alturas con nieves eternas, esos saltos sonoros de las cascadas, los ríos correntosos.
Al bajar de las cimas, empiezan los viajeros a recorrer el valle del río Aconcagua. Algunos Padres del Colegio han venido a recibirlos. Juan se maravilla de los campesinos tan tranquilos, de sus campos y los frutos. Será una hermosa experiencia la del magisterio en Chile.
Santiago, la capital de Chile, lo recibe sonriendo. El gran Colegio de San Miguel, tan junto a la catedral, es ahora su casa. Los jesuitas chilenos insisten. Es necesario descansar, conocer los alrededores y prepararse para el largo viaje al sur. El joven jesuita no se cansa de agradecer a Dios por la caridad de sus hermanos.
Los jesuitas han llegado a Chile en 1593. Desde un comienzo educan en la capital y son misioneros. Los indios mapuches son los preferidos. Los catequizan en los alrededores y hacen excursiones hacia el sur. Aprenden la lengua y establecen catequistas con el nombre de "fiscales" para asegurar el fruto.
Desde 1608 forman una Provincia independiente con jurisdicción en Chile, Buenos Aires, Tucumán y el Paraguay. El provincial Padre Pedro de Torres Bollo vive en Santiago, pero la Provincia tiene el nombre del Paraguay. El Noviciado, que estuvo en los comienzos en Santiago, está ahora en la ciudad de Córdoba.
Ese mismo año se ha celebrado en Santiago la primera Congregaci¢n provincial. Los jesuitas se muestran muy contentos con los resultados. Sus decretos son notables, especialmente los referentes a los indios, a la abolición de la esclavitud, a la supresión del servicio personal y al modo de evangelizar.
Juan escucha. Se admira de los inicios de las misiones en Arauco y Chiloé, en el extremo sur. Se siente bien con esos nuevos amigos. Con los jesuitas jóvenes recorre la ciudad y los alrededores.
Un mes después, poco más que menos, inicia su peregrinación al sur. Hasta la ciudad de Concepción son otros 500 kilómetros. Lo normal es hacerlo a caballo y por etapas. El camino es malo, pero no hay en ‚l el peligro de los indios en guerra. La lucha, entre españoles y mapuches, se desarrolla al sur de Concepción.
La ciudad está junto al mar, en una tranquila bahía en el puerto de Penco. Es el bastión ubicado en la frontera. Esta es la causa del por qué vive en ella el Gobernador del Reino.
Concepción tiene un Colegio. Es muy reciente. Lo ha fundado el célebre jesuita P. Luis de Valdivia hace seis años, en 1614.
Al llegar Juan a su destino todo parece estar en calma. El excelente rector Padre Juan Romero lo abraza con cariño. La primera misión, que da al recién llegado, es descansar.
Las veladas comunitarias son agradables. El clima, el suave murmullo del mar, los lomajes siempre verdes, los ríos y la gente, ayudan a la paz y a la oración.
A los pocos días ya conoce con detalles la historia de los mártires de Elicura. Son tres jesuitas que, por obediencia, se internaron en el país de los mapuches. La guerra parecía haber terminado. Unicamente la guerra defensiva está permitida.
Ese fue el mejor logro y la gloria del P. Luis de Valdivia, el fundador del Colegio.
Los Padres Martín de Aranda Valdivia, Horacio Vecchi y el Hermano Diego de Montalbán fueron elegidos para la difícil misión de predicar el Evangelio entre los mapuches. El primero es chileno, el segundo italiano y el tercero, español o mejicano. Los elige el Superior porque ellos se han distinguido como los mejores defensores de los derechos del pueblo mapuche, de la mujer y de la paz. Los tres deciden entrar sin armas, sólo con la cruz.
Martín ha nacido m s al sur, en Villarrica, a la sombra de un volcán que aún humea. Se inició en la carrera de las armas casi siendo un niño.
En plena juventud, Martín asciende a capitán y el Virrey del Perú lo envía como Corregidor de Riobamba en Ecuador. Los informes del soldado son, pues, excelentes.
En uno de sus viajes a Lima, por razones de su cargo, se decide a hacer los Ejercicios espirituales del Fundador de los jesuitas. Después de terminarlos, ingresa a la Compañía de Jesús en la ciudad de los Reyes. Martín tiene treinta y dos años. En Lima también, recibe la ordenación sacerdotal. Martín regresa a Chile, en 1607, al crearse la Provincia del Paraguay, separada de la del Perú.
Horacio Vecchi es un italiano que también llega a Chile en 1607. Es también sacerdote.
Diego de Montalbán es un soldado. Ingresa en la Compañía de Jesús en Chile. En la hora de su muerte todavía es un novicio.
Juan del Castillo se impone del desenlace de esa misión por obediencia. Un cacique descontento, Ancanamón, les ha dado muerte en el pequeño valle de Elicura, el 14 de diciembre de 1612. La causa del martirio es de todos conocida. Martín de Aranda, Horacio Vecchi y Diego de Montalbán defendían los derechos de dos mujeres españolas, cautivas, que defendían su religión.
Los restos de esos mártires están en el Colegio. Juan los venera.
En 1626 Juan y su amigo Alfonso Rodríguez son destinados a las nuevas fundaciones del río Uruguay.
Ha rogado a Dios, ha suplicado tanto a los superiores. En un momento ha tenido miedo de que su débil salud pudiera ser un obstáculo. Se ha preparado, también, en el idioma guaraní. Los tiempos libres cordobeses han sido para la lengua paraguaya. La vida dura del misionero no le asusta.
El juicio del P. Diego de Boroa es excelente: "Su fervor es grande, su observancia es completa. Su celo se manifiesta en el tesón por aprender la lengua guaraní. Su afabilidad y mansedumbre entusiasman a todos. Es bondadoso, desprendido y puro, amable de Dios y de los hombres".
Después del martirio de los Padres Roque González y Alfonso Rodríguez en la Reducción de Todos los Santos en el Caaró, los caciques seguidores de ¥ezú se presentan, al día siguiente, en la Reducción de la Asunción de Yjuhí.
Son las tres de la tarde. Juan está a la puerta de su choza rezando el breviario. ¿Qué te dice el libro? le preguntan. Juan contesta: "Nada, estoy rezando". Ellos dicen: "Aquí te traemos a estos indios forasteros para que les des anzuelos".
La narración de los hechos pertenece a un testigo presencial, Pablo Arayú. La hace con juramento:
"Preguntado si se halló presente cuando echaron mano y prendieron al Padre, respondió que sí. Preguntado si se halló presente cuando lo mataron, respondió que sí, que vio cuando lo arrastraron y lo mataron en el lodazal.
El Padre estaba matriculando a un cacique llamado Chetihagu‚ y su gente y les di anzuelos y alfileres. Después el viejo cacique Quarabí mandó a un cacique, llamado Araguirá, que embistiera al Padre. Él lo hizo. Lo abrazó por la espalda y le torció los brazos. Así lo arrastraron hacia el bosque. Le rasgaron la ropa, sólo dejaron una media y las mangas en los brazos.
Un indio, llamado Mirungá, lo derribó en tierra. Le pusieron dos cuerdas en las muñecas y lo arrastraron por el bosque. Desconcertaron un brazo. Otro indio, llamado Tacandá, con una maza de piedra lo golpeó varias veces en el vientre. Lo siguieron arrastrando, hasta un lodazal. Iba todo desgarrado, hecho sangre.
Allí le destrozaron con una piedra grande la cabeza. Después quebraron los huesos y lo dejaron diciendo: déjenlo para que se lo coman los tigres. El no estuvo con los que quemaron el cuerpo, cuando volvieron en la mañana siguiente.
Preguntado de lo que hizo y dijo el Padre cuando lo prendieron y mataron, respondió: Cuando le echaron mano, hizo fuerza por soltarse. Dijo: Hijos, ¿qué pasa, qué es esto? Mientras lo tenían asido, llamó a los amigos en su favor. Cuando lo arrastraban le oyó decir: ¡Ay, Jesús! Y otras palabras en su lengua que no entendió. Cuando le rompían la ropa pedía que se la sacaran poco a poco.
Después entraron en su casa e iglesia. Repartieron entre ellos las cosas pequeñas. Los ornamentos sagrados se los llevaron a ¥ezú".
Esta narración concuerda con la de otros cinco testigos con juramento, todos presentes.
Juan repartió su vida jesuita casi por igual: tres años en España, seis en Córdoba del Tucumán en dos etapas iguales, tres en Chile y casi tres en Uruguay

Salomé de Cracóvia, Beata
Rainha da Hungria, 17 de Novembro

Salomé de Cracovia, Beata

Salomé de Cracóvia, Beata

Religiosa de la Segunda Orden Franciscana (1211‑1268). Clemente X aprobó su culto el 17 de mayo de 1673.
Salomé, princesa de Polonia, hija de Leszek el Blondo, príncipe de Cracovia, nació en 1211. De sólo 3 años fue prometida como esposa, por Acuerdo con Andrés II rey de Hungría, al hijo de éste, Colomanno, de seis años; en el otoño de 1214 tuvo lugar la coronación, que con la autorización del Papa Inocencio III, fue celebrada por el obispo de Strigonia.
El reinado de los dos niños en Halicz duró menos de tres años, porque la ciudad fue ocupada por el príncipe Ruteno Mistislaw, que los hizo prisioneros. En aquellos tiempos (Salomé tenía sólo 9 años y Colomanno 12) ellos hicieron de común acuerdo voto de castidad. Cuando Andrés, hijo del rey de Hungría, vino a ser rey de Halicz, ellos retornaron a la corte húngara.
Salomé, en 1227, cumplidos los 16 años, llegó a la mayor edad, pero siempre se mantuvo ligada al voto de castidad y a pesar de su belleza, evitaba la compañía de hombres, vestía modestamente, no tomaba parte en las fiestas y diversiones de la corte, dedicaba el tiempo libre a la oración. Colomanno, mientras vivía todavía su padre, gobernó la Dalmacia y la Eslavonia hasta 1241, cuando murió en una batalla contra los Tártaros, Salomé en este período protegía los conventos de los franciscanos y de los dominicanos.
Un año después de la muerte de su marido volvió a Polonia, donde en 1245 vistió en Sandomierz el hábito de las hermanas clarisas. Junto con su hermano Boleslao, en 1245 fundó la iglesia y el convento de los franciscanos en Zawichost, el hospital y el monasterio de las clarisas, donde entró ella misma.
Ante la amenaza de los Tártaros, en marzo de 1259 una parte de las clarisas se trasladó a Skala, donde Salomé fundó un nuevo monasterio y lo dotó con los utensilios y ornamentos litúrgicos.
Vivió 28 años en el silencio del monasterio, y fue modelo de penitencia, de abnegación, de humildad, de inocencia y de caridad. Por largos años fue abadesa buena, afable, servicial, amante del ideal de la seráfica pobreza. El 17 de noviembre de 1268 fue regalada con una aparición de la Santísima Vrigen María y de su Hijo, reunió a sus cohermanas y las exhortó a la mutua caridad, a la paz, a la pureza del corazón, a la obediencia sin límites y al desprendimiento de las cosas del mundo. Poco después las cohermanas vieron una pequeña estrella que desde la bienaventurada madre se dirigía hacia el cielo.
Salomé de Cracovia había entregado su bella alma a Dios a la edad de 57 años. Sus restos más tarde fueron trasladados a la iglesia de los Franciscanos de Cracovia, donde se encuentra hasta hoy.

Hugh de Lincoln, Santo
Bispo, 17 de Novembro

Hugo de Lincoln, Santo

Hugo de Lincoln, Santo

Nace en el castillo de Avalon, entre 1135 y 1140, noble descendiente de la casa de Borgoña.
Acompaña a su padre, viudo, al convento de Canónigos Regulares de Villard-Benoit, donde a los 15 años también él hace los votos religiosos.
Con ansias de vida más perfecta, pasa a la Cartuja.
A la edad de 30 años es ordenado sacerdote, y en 1173 nombrado procurador.
El rey Enrique II de Inglaterra, enterado de la santidad de su vida, le reclama para regir la cartuja de Witham, que él mismo había erigido. Asombra que un extranjero, a los seis años de residencia, sea consagrado obispo de Lincoln el 21 sept. 1163.
Defendió con valentía los derechos de la Iglesia, frente a las intromisiones de tres reyes, que él conoció, siendo llamado Martillo de reyes.
Alternaba sus quehaceres pastorales con la vida retirada de la cartuja de Witham.
Murió en Londres, camino de Lincoln, el 16 nov. 1200. Ante la fama de santidad y de sus milagros el papa Honorio III le canonizó el 17 feb. 1220.

Rioplatenses Mártires, Santos
Mártires, 17 de Novembro

Mártires Rioplatenses, Santos

Mártires Rioplatenses, Santos

Santos Roque González, Alfonso Rodríguez e Juan del Castilho, mártires
Novembro 17

Primeiros mártires das regiões americanas do Rio da Prata. São Roque González de Santa Cruz nasceu em Assunção do Paraguai. Fundou 10 povos nas famosas regiões guaranis do Paraguai. Um desses povos foi a actual Yapeyú, berço do Libertador Geral São Martinho. Os três sacerdotes –pertencentes à Companhia de Jesus– foram mortos pelos sequazes de um índio feiticeiro. Roque González, de 52 anos, e seu companheiro Alfonso Rodríguez, morreram na região de Todos os Santos de Caaró, em 15 de Novembro de 1658, e Juan del Castilho, dois dias depois no povo de Assunção de Ijuhí. Os três mártires foram canonizados em 1988 por João Paulo II durante sua visita apostólica ao Paraguai.

Ansalone Jordânia, Santo
Mártir, 17 de Novembro

Jordán Ansalone, Santo

Jordán Ansalone, Santo

Jordán Ansalone nasceu na Sicília em 1598. Aos dezassete anos abraçou a vida dominicana. Fez seus estudos em Palermo e Salamanca. Apaixonado pelo ideal missionário, partiu primeiro para o México e depois de um ano para Filipinas. Dedicou-se à assistência espiritual dos chineses em Manila. Depois de seis anos, foi para o Japão, onde enfrentou a perseguição. Foi tomado prisioneiro e torturado, e morreu em Nagasaki junto com outros quinze mártires dominicanos.
Para ver mais sobre seus 15 companheiros mártires no Japão faz "click"
AQUI

Ver também mensagem aqui publicada sobre o mesmo tema na última semana. Afonseca

http://es.cathgolic.net/santoral

Recolha, transcrição e tradução incompleta, por falta de tempo, por António Fonseca