OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

quarta-feira, 3 de março de 2010

3 de MARÇO de 2010 - REZAR A QUARESMA e SANTOS DO DIA

3 DE MARÇO

QUARTA-FEIRA – 2ª SEMANA DA QUARESMA

Mateus 20, 17-28

“O filho do homem não veio para ser servido mas para servir….”

*************

Deus tem uma lógica diferente da nossa.

Não se sente ameaçado e por isso não precisa de Se proteger.

Não Se sente carente e por isso não precisa de quem O sirva.

O coração de Deus está cheio de amor.

Por isso, ama.

Ama sempre.

Sem limites.

E a verdade é que quando começamos a passar mais tempo com Ele, começamos a agir como Ele.

Já não olhamos para os outros em função dos nossos interesses.

Olhamos com mais confiança e liberdade para nós e para o tanto que temos para dar.

»»»»»»»»»

A tua Palavra e a tua vida, Jesus, ensinam-me a amar e a servir.

Acolher a tua Palavra leva-me a ver os outros como Tu os vês.

Escutar a tua Palavra faz-me ver a mim mesmo como Tu me vês.

E então… tudo muda.

Já não preciso de ter medo.

Posso tentar amar como Tu.

 

edisal@edisal.salesianos.pt

www.edisal.salesianos.pt

NOTA:  Ver nota em 17-Fevereiro-2010

António Fonseca  -  www.aarfonseca@hotmail.com

***********************

«««««««««««««««««««««««

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

SANTOS DO DIA DE HOJE

3 DE MARÇO DE 2010

Emetério e Celedónio, Santos
Marzo 3 Mártires

Emeterio y Celedonio, Santos

Emetério e Celedónio, Santos

Mártires

Martirológio Romano: Em Calahorra, na Hispânia Tarraconense, santos Emeterio e Celedonio, os quais, estando cumprindo a milícia nos acampamentos junto a León, na província de Galicia, por confessar o nome de Cristo ao inicio da perseguição foram conduzidos a Calahorra e ali coroados com o martírio (c. s. IV).
Etimologicamente: Emetério = Aquele que é defensor, é de origem grega,
Em verso recolheu por escrito os relatos de sua morte o poeta hispano Prudêncio.
Calahorra (La Rioja, Espanha) está unida a estes soldados pelo facto de seu martírio e talvez também por ser o lugar de seu nascimento. Outros assinalam a León como berço pelos livros de orações leoneses -antifonários, leccionários e breviários do século XIII- ao interpretar «ex legione» como lugar de sua proveniência, quando parece ser que a frase latina é melhor referida á Legión Gemina Pia Felix a que pertenceram e que esteve acampada perto da antiga Lancia, hoje León, segundo se encontra no documento histórico denominado "Actas de Tréveris" do século VII. 
Na parte alta de Calahorra está a igreja do Salvador -provavelmente em testemunho perpétuo do facto martirial- por onde antes esteve um convento franciscano e antes ainda a primitiva catedral visigótica que se construiu, segundo o costume da época, junto à residência real, para defesa ante possíveis invasões e que foi destruída pelos muçulmanos na invasão de 923, segundo consta no códice primeiro do arquivo catedralicio.
Não se conhecem as circunstãncias do martírio destes santos; não as refere Prudêncio. ¡Que pena que o imperador Diocleciano ordenasse queimar os códices antigos e expurgar os escritos de seu tempo! Com isso intentou, pelo que nos refere Eusébio, que não ficasse constância nem servisse como propaganda dos mártires e evitar que se estendesse o incêndio.

(VER MAIS SOBRE SANTOS EMETÉRIO E CELEDÓNIO em http://es.catholic.net/santoral, POIS NÃO TIVE POSSIBILIDADE DE TRADUZIR COMPLETAMENTE AS BIOGRAFIAS. OBRIGADO. AF.)

Catalina Drexel, Santa
Março 3   -  Fundadora

Catalina Drexel, Santa

Catalina Drexel, Santa

Fundadora da Congregação
das irmãs do Santíssimo Sacramento

Martirológio Romano: Em Filadélfia, do estado de Pensilvânia, nos Estados Unidos de Norteamérica, santa Catalina Drexel, virgem, que fundou a Congregação das Irmãs do Santíssimo Sacramento e utilizou os bens de sua herança com largueza e benignidade, em educar e ajudar a indios e negros (1955).
Etimologicamente: Catalina = Aquela que é pura e casta, é de origem grega.
Nascida em Filadélfia, Pensilvânia, nos Estados Unidos de América, em 26 de novembro de 1858, Catalina Drexel foi a segunda filha de Francis Anthony Drexel e Hannah Langstroth. Seu pai era um bem conhecido banqueiro e filantropo. Ambos os pais inculcaram em suas filhas a ideia de que sua riqueza simplesmente era emprestada a eles e devia ser compartilhada com outros.

(VER MAIS SOBRE SANTA CATALINA DREXEL, EM HTTP://ES.CATHOLIC.NET/SANTORAL, POIS NÃO ME FOI POSSÍVEL TRADUZIR TODA A BIOGRAFIA. OBRIGADO. AF.)


traducido por Xavier Villalta

Ticiano de Brescia, Santo
Março 3   -  Bispo

Ticiano de Brescia, Santo

Ticiano de Brescia, Santo

Bispo

Martirológio Romano: Em Brescia, na região de Veneza, são Ticiano, bispo (c. 526).
Etimología: Ticiano = Tito = o valente defensor, é de origem italiana.
Ante as rivalidades que imobilizam, nada tão essencial como pôr-se em marcha para se visitar uns a outros, escutar, e celebrar juntos o mistério pascal.
Não se sabe muito da vida deste bispo de Brescia, cidade de que têem saído muitos ao longo da história da Igreja.
Lhe tocou viver em finais do século V. Intentou – como o Papa são Simplicio, reconstruir tudo o que haviam destruído os Bárbaros.
Seus restos mortaisoram sepultados na igreja de são Cosme e Damião. 
Sabe-se que foi ele próprio quem a mandou construir. Muito cedo se lhe fez mesmo ao lado dela, um mosteiro.
Mais tarde, em 1202, o bispo Berardo Maggi mandou que se destruisse tudo para que o Palácio Broletto tivesse mais espaço. Na actualidade é o que ocupa a Praça del Duomo. 
A igreja e o mosteiro foram reconstruidos na parte occidental da cidade, na zona dos Campos Baixos onde segue ainda.
Suas reliquias se tiraram. E o bispo Paolo Zane, em 1505, mandou construir uma arca de mármore na capela da esquerda. Nela estão agora.
Seu sarcófago primitivo está hoje na fonte da praça de Tito Speri.
¡Felicidades a quem leve este nome!
Comentários ao P. Felipe Santos:
al Santoral">al Santoral">al Santoral">al Santoral">al Santoral">al Santoral">al Santoral">al Santoral">al Santoral">fsantossdb@hotmail.com

Pedro Renato Rogue, Beato
Março 3   -  Mártir

Pedro Renato Rogue,  Beato

Pedro Renato Rogue, Beato

Martirológio Romano: Em Vannes, da Bretanha Menor, em França, beato Pedro Renato Rogue, presbítero da Congregação da Missão e mártir, que em tempo da Revolução Francesa, recusando o injusto juramento imposto ao clero, permaneceu secretamente na cidade, para atender com seu ministério aos fieis, e finalmente, condenado a pena capital, descansou na misericórdia do Senhor na mesma igreja onde celebrava os sagrados mistérios (1796). 
A figura do Beato Pedro Renato Rogue, missionário paúl e mártir durante a Revolução francesa, é uma figura atraente e de grande actualidada. Se chama "Mártir da Eucaristía e da Caridade". Com este sobrenome se compendia sua jovem vida, ao serviço de Deus e dos irmãos.

(Por ser bastante extensa esta biografia, não me é possível traduzi-la por completo, pelo que convido os mneus eventuais leitores a consultarem o site http://es.catholic.net/santoral. Obrigado.AF


• Pedro Geremía, Beato
Marzo 3   -  Sacerdote Dominícano

Pedro Geremía, Beato

Pedro Geremía, Beato

Presbítero Dominicano

Martirológio Romano: Em Palermo, na Sicilia, beato Pedro Geremia, presbítero da Ordem de Pregadores, que, confirmado por são Vicente Ferrer no ministério da palavra de Deus, se entregou de todo à salvação das almas (1452).
O Beato Pedro Geremia nasceu em Palermo (Itália), em 1399.
Estudou direito em Bolonha e em 1424, na véspera de sua graduação, entrou num convento da Ordem Dominicana.
Foi noviço de Santo António. Participou na reforma espiritual de Ordem e ajudou na reforma do clero diocesano. 
Morreu em 1452. 
O culto foi confirmado pelo Papa Pío VI em 12 de Maio de 1784.

Teresa Eustochio Verzeri, Santa
Março 3   -  Fundadora

Teresa Eustochio Verzeri, Santa

Teresa Eustochio Verzeri, Santa

Virgem e Fundadora
das Filhas do Sagrado Coração de Jesus

Martirológio Romano: Em Brescia, na Lombardía, santa Teresa Eustoquio (Ignacia) Verzeri, virgem, fundadora do Instituto das Filhas do Sacratísimo Coração de Jesús (1852).
Teresa Verzeri nasceu em Bérgamo de Lombardía, em 31 de julho de 1801. Era uma das filhas de Antonio Verzeri e de sua esposa Elena, pertencente à familia dos condes de Pedroça-Grumelli. Os Verzeri professavam grande devoção a São Jerónimo. Um de seus filhos, que foi mais tarde bispo de Frescia, se chamava Jerónimo e Teresa tinha como segundo nome Eustóquio, em recordação da filha de Santa Paula. Como é bem sabido, estas duas santas haviam sido muito amigas de São Jerónimo e haviam exercido, por turno, o superiorado do convento de mulheres que este havia fundado em Jerusalém. No caso de Teresa, o nome Eustóquio resultou profético.

(VER MAIS SOBRE SANTA TERESA EUSTOCCHIO VERZERI EM HTTP://es.catholic.net/santoral POR NÃO ME TER SIDO POSSÍVEL TRADUZIR TODA A BIOGRAFIA. OBRIGADO. AF.)


Inocêncio de Berzo, Beato
Março 3   -  Presbítero Capuchinho

Inocencio de Berzo, Beato

Inocencio de Berzo, Beato

Presbítero Capuchino

Martirológio Romano: Em Bérgamo, também de Lombardía, em Itália, beato Inocencio de Berzo (Juan) Scalvinoni, presbítero da Ordem dos Irmãos Menores Capuchinohs, que brilhou por sua eximia caridade difundindo a palavra de Deus e escutando as confissões (1890).
Etimologicamente: Inocêncio = Aquele que não tem maldade, é de origem latino
Sacerdote da Primeira Ordem (1844‑1890). Beatificado por João XXIII em 12 de novembro de 1961.
Inocêncio, filho de Pedro Scalvinoni e Francisca Poli, nasceu em 19 de março de 1844 em Niardo em Valcamonica (Brescia), no baptismo se lhe chamou Juan. Perdeu cedo a seu pai. Entrou no Seminário e se ordenou sacerdote em 2 de junho de 1867. Coadjutor paroquial, se distinguiu por seu desprendimento das coisas, pela assiduidade no confessionário e sua caridade para com os pobres, a assistência aos enfermos e a pregação humilde.
Nomeado por seu bispo Vice-reitor do Seminário, um ano depois foi novamente destinado ao trabalho pastoral paroquial em Berzo, onde desenvolveu uma intensa actividade apostólica, a base de oração, bom exemplo e uma pregação simples e paternal, acompanhamento individual às pessoas para as conduzir a Deus. Mas o Senhor o chamava a uma vida mais austera. Depois de uma maior preparação espiritual, superadas não poucas dificuldades, pediu ser admitido entre os Irmãos Menores Capuchinhos, onde ingressou em 1874, com o nome de Frei Inocêncio.
Foi a Albino, logo ao convento da Santíssima Anunciata, como vice‑mestre de noviços; em 1880 foi assinalado á redacção dos Anais franciscanos em Milão. Depois foi a Crema, levando a todas partes a irradiação de sua santidad. Novamente destinado ao convento da Santíssima Anunciata, onde encontrou o que seu espírito ansiava: ser santo a todo o custo. No solitário convento tinha modo de submergir-se em aquela união com Deus que era acorde com seu temperamento, secundar sua intensa ânsia de sacrificio, de penitência e de ocultamento. Seu ideal era anular-se e fazer-se olvidar, o exercicio de prolongadas horas de oração e de contemplação, o desempenho dos humildes ofícios do ministério sacerdotal e de aqueles todavía mais humildes da vida conventual, como a petição de esmola de casa em casa, com a pregação do bom exemplo e de uma boa palavra. A beleza de sua alma transparecia através destas manifestações.
Pregou cursos de exercícios espirituais a seus co-irmãos, nos quais derramou a abundância de seu espírito seráfico. Neste ministério da pregação de exercícios espirituais deveu impor-se violência, pois não se consideraba capaz de nada.
Morreu aos quarenta e seis anos em 3 de março de 1890, na enfermaría do convento de Bérgamo. O Senhor chamou a si ao servo bom e fiel, que havia vivido na humildade e na pobreza. Seus paisanos de Berzo reivindicaram o cuerpo deste auténtico filho de São Francisco.

• Cunegunda, Santa
Marzo 3   -  Imperatriz de Alemanha

Cunegunda, Santa

Cunegunda, Santa

Imperatriz de Alemanha e Monja

Martirológio Romano: No mosteiro de Kaufungen, em Hesse, santa Cunegunda, que aportou muitos benefícios à Igreja juntamente com seu cônjuge, o imperador são Enrique, e após a morte deste abraçou a vida cenobítica no mosteiro onde se havia retirado. Ao morrer fez a Cristo herdeiro de todos seus bens e seu corpo foi colocado junto os restos de são Enrique, em Bamberg (1033/ 1039).
Etimologicamente: Cunegunda = Aquela guerreira de origem nobre, é de origem germánica.
Imperatriz alemã. Nasceu hacia em 980, filha do conde Sigfredo de Luxemburgo. Em 998-1000 casou-se com o último sucessor da casa reinante de Saxónia, duque Enrique de Baviera (Enrique II o Santo), eleito em 1002 rei de Alemanha e que em 1014, junto com sua esposa, foi coroado Imperador em Roma pelo papa Bento VIII. O matrimÓnio, ainda que muito feliz, não teve descendência.
Cunegunda possuia uma formação muito boa para sua época, participou em muitas gestões de governo, acompanhou a seu esposo em viagens e campanhas, exercendo como suas predecessoras uma grande influência política. Em 1012 e 1016 representou a Enrique como governadora do reino de Saxónia. Constantemente tratou de moderar o Imperador, impulsivo e iracundo por natureza, intercedendo sempre pela paz interior e exterior, assim como pela justiça social.
Cunegunda estava em relação com o mosteiro reformado de Cluny em França, que também visitou pessoalmente. Desde esse lugar o casal imperial era animado a levar a cabo a reforma do sistema eclesiástico em Alemanha (que tantas falhas mostrava, sobretudo nos mosteiros beneditinos e no alto clero), tal como ordenava específicamente o sínodo de Pavía de 1022, convocado pelo Papa e o Imperador. Por meio de ricas fundações sufragadas com seu dote, Cunegunda apoiou o episcopado de Bamberg, de nova criação, assim como o de Merseburg, desde onde se iniciou a evangelização.
Ao morrer Enrique II em 1024, Cunegunda fez de regente tomando parte activa na nomeação de Conrado 11 como rei de Alemanha, retirando-se logo para a abadia de monjas beneditinas de Kaufungen (Hessen-Kassel), fundada por ela, onde, já como monja, realizou grandes obras de caridade. Morreu nesta abadia em 3 março 1033, sendo enterrada na catedral de Bamberg, junto a seu defunto esposo.
Enrique foi canonizado em 1145 e Cunegunda em 1200. O povo e a liturgia a veneram como a imperatriz virgem que manteve uma relação muito especial com a Virgem Maria. Em redor de sua recordação se tecem várias lendas (por exemplo, a prova de fogo narrada pela Lenda áurea de Jacobo de Varagine a que se submeteu por pretendida infidelidade). Segundo a versão das novas investigações, também é fruto de lenda popular a versão de voto de castidade no matrimónio imperial. 
A festa de Cunegunda se celebra em 3 de março. As principais fontes para connhecer sua vida são especialmente a crónica de seu contemporáneo, o Bispo Thietmar de Merseburg (ed. R. Holtzmann, MGH, Scriptores reruin Germanicarum, IX), e a bula de canonização (Acta Sanct., marzo 1,281 ss.).

• Jacobino de Canepacis, Beato
Março 3   -  Religioso Carmelita

Jacobino de Canepacis, Beato

Jacobino de Canepacis, Beato

Religioso Carmelita

Martirológio Romano: Em Vercelli, no Piamonte, beato Jacobino de’ Canepacci, religioso da Ordem dos Carmelitas, preclaro por sua dedicação á oração e à penitência (1508).
Etimologicamente: Jacobino = Pertencente à família de Jacobo, é de origem latina.
Nasceu em Piasca, diocese de Vercelli (Itália), em 1438. Seus pais, bons cristãos, o educaram em todas as virtudes humano-divinas. O menino e o jovem Jacobino ia pouco a pouco assimilando estes ensinamentos.
Sendo já um jovem maduro e atraído pela especial devoção que conheceu que os carmelitas professavam á Santíssima Virgem, pediu ser acolhido entre eles.
Desde o princípio rogou ser admitido como irmão de obediência e se pôs ao serviço de todos e á disposição incondicional tanto dos superiores como de todos os demais irmãos.
Ao professar, o primeiro ofício que o encarregaram os superiores foi o de esmoler. Maus tempos aqueles para a débil economia conventual. Abundavam também as pestes e outras enfermidades. Tudo isso contribuía a penúria que reinava em quase todos os conventos.
Frei Jacobino percorría, com grande sacrificio e bondade, ruas e praças, tanto de Vercelli como de outros povos vizinhos, para recolher quantas esmolas lhe davam os bons cristãos.
Com estas esmolas, além de ajudar a sua própria comunidade, ajudava também, com permissão dos superiores, a quantos pobres encontrava á sua passagem.
Outro cargo que também desempenhou com a admiração de todos foi o de porteiro do convento de Vercelli durante muitos anos. Ele sabia muito bem que quantos visitam os conventos a imagem que levam dele é o que lhes há dado o irmão porteiro. O Irmão Jacobino procurava dar bom exemplo sempre e a todos com sua afabilidade, humildade e distinto trato. Todos ficavam admirados de sua bondade e o tinham por santo. 
Cheio de méritos, aos 70 anos de idade, e depois de lhe haver sido anunciado a Santíssima Virgem Maria, É conhecido com o duplo nome de Jacobino de Canepacis ou de Crevacuore
O papa Gregório XVI, em 5.3.1845, aprovou seu culto imemorial.

• Liberato Weiss e companheiros, Beatos

Samuel Marzorati (de secular, António Francisco) e

Miguel Pío Fasoli
Março 3   -  Mártires

Liberato Weiss y compañeros, Beatos

Liberato Weiss e companheiros, Beatos

Samuel Marzorati (de secular, António Francisco) e

Miguel Pío Fasoli

Mártires Franciscanos

Martirológio Romano: Em Gondar, na Etiópia, beatos Liberato Weiss, Samuel Marzorati, e Miguel Pío Fasoli da Zerbo, presbíteros, da Ordem dos Irmãos Menores e mártires, que morreram lapidados por causa da fé católica (1716).
Etimologicamente: Liberato = Aquele que há sido libertado, é a derivação italiana do nome Librado que é de origem latina.
Liberato Weiss (de secular, Juan Lorenzo) nasceu em Konnersreuth (Baviera, Alemanha), em 4 de Janeiro de 1675. Com a idade de 18 anos pediu seu ingresso na Província franciscana de São Bernardino, na Áustria. Começou o noviciado em Graz (Stiria, Austria) em 17 de outubro de 1693. Recebeu a ordenação sacerdotal em Viena cinco anos mais tarde. Tão cedo como soube quos superiores pedíam voluntários para a missão de Etiópia, se ofereceu para ser enviado.
Samuel Marzorati (de secular, António Francisco) nasceu em Biumo Inferiore, bairro de Varese (Itália), em 10 de setembro de 1670, perto do convento franciscano da Anunciação, onde passou os primeiros anos de sua vida. Aos 22 anos entrou no conventoam para Roma, ao Colégio erigido em São Pedro in Montorio para preparar aos que iam a ser enviadossão de Etiópia.
Miguel Pío Fasoli nasceu em Zerbo, perto de Pavía (Itália), em 3 de Maio de 1670. Ingressou na Província de São Diego da região de Insubria (Milão) e, ordenado sacerdote, começou sua actividad ensinando teología, mas em seguida se ofereceu também para integrar-se na missão de Etiópía.
Três vidas semelhantes e divergentes, três franciscanos que haveriam percorrido caminhos diversos se a Providência não os houvesse unido para sempre no caminho do martirio.
Desde há muito tempo a Igreja católica se esforçava grandemente por restabelecer a comunhão plena e a união com a Igreja copta, sem o conseguir. Em 20 de Janeiro de 1697, a Santa Sede, por meio da Congregação de Propaganda Fide, abriu de novo a missão de Etiópia e a encomendou aos franciscanos. O Ministro geral da Ordem fez então um chamamento a seus religiosos buscando voluntários para tal missão, e muitos se ofereceram. Entre eles se achavam nossos três Beatos. A missão franciscana tinha como objectivo levar de novo à Igreja copta de Egipto e à de Etiópia à união com a de Roma.
Os padres Liberato e Miguel Pío foram destinados a Etiópia; o padre Samuel, á ilha de Socotra, no Oceano Indico, mas não conseguiu seu objectivo e regressou ao Cairo, onde se uniu à segunda expedição de seus companheiros.

 
No ano 1705 (ver continuação destas biografias, em http://es.catholic.net/santoral, por favor… )…

….após recusar os frades por última vez a oferta de absolvição se renegassem de seu credo, foram condenados á morte, trasladados a um lugar chamado Amba-Abo e lapidados em 3 de março de 1716. O padre Liberato morreu quase imediatamente, pouco depois faleceu o padre Samuel, enquanto o padre Miguel Pío, antes de expirar, ainda se levantou por três vezes do montão de pedras. 
A notícia do martírio chegou de imediato a Europa pelas relações escritas que enviaram testemunhas presenciais dos factos. Contudo, o processo de beatificação se atrasou consideravelmente por diversas circunstãncias.
Os beatificou João Paulo II em 20 de novembro de 1988.

Anselmo de Nonántola, Santo
Março 3 Abade

Anselmo de Nonántola, Santo

Anselmo de Nonántola, Santo

Abade

Martirológio Romano: Em Nonántola, na Emilia, santo Anselmo, fundador e primeiro abade deste monsteiro, em que durante cinquenta anos promoveu a disciplina monástica, tanto com seus preceitos como no exercicio das virtudes (803).
Etimologicamente: Anselmo = Aquele que tem a protecção divina, é de origem germánica.
Quando o rei Aistulfo governava Itália, seu cunhado Anselmo, duque de Friuli, o acompanhou em suas campanhas militares. O duque não sólo era um valente soldado, mas também um fervoroso cristão.
Primeiro fundou um mosteiro e um hospital em Fanano, na provincia de Módena e mais tarde, uma grande abadía a uns 30 kilómetros ao sul de Nonántola.
Desejoso de consagrar-se inteiramente a Deus, Santo Anselmo foi para Roma, onde tomou o hábito de São Bento e foi nomeado abade da nova comunidade. 
O Papa Esteban III lhe deu também permissão de trasladar a Nonántola o corpo do Papa São Silvestre.
Astiulfo enriqueceu muito a abadía, e lhe concedeu grandes privilégios, de sorte que se fez famosa em toda Itália. 
O abade Anselmo chegou a governar a mais de mil monges. Igualmente estava encarregado de um grande hospital e de um albergue para os enfermos e peregrinos que ele mesmo havia construido perto do mosteiro, em honra de Santo Ambrósio. Desidério, o sucessor de Aistulfo, desterrou o santo abade a Monte Cassino, onde passou sete anos; mas Carlomagno o restituiu a Nonántola, e aí morreu, já muito ancião, depois de haver passado cinquenta anos na religião.

Outros Santos e Beatos
Março 3 Completando santoral deste día

Santos Marino e Astério, mártires

Em Cesareia de Palestina, santos Marino, soldado, e Astério, senador, mártires sob o imperador Galieno. O primeiro, delatado que era cristão por um companheiro invejoso, professou sua fé ante o juiz com palavras muito claras e, decapitado, alcançou a coroa do martírio. Astério, por haver honrado o corpo do mártir estendendo por debaixo a própria veste com que se cobria, mereceu por sua vez ser martirizado (c. 260).

Santos Cleónico e Eutrópio, mártires

Em Amasea, no Ponto, santos Cleónico e Eutrópio, mártires na perseguição sob o imperador Maximiano, sendo procurador Asclepiódato (s. IV).

São Winwaleo, abade

Na península de Armórica (Bretanha), são Winwaleo, primeiro abade de Landevenec, do qual a tradição narra que era discípulo de são Budoco na ilha de Lavret, e que com sua vida ilustrou a regra monástica (533).

Santa Artelaides, virgem

Em Benevento, na Campânia, santa Artelaides, virgem (c. 570).

Beato Federico, abade

Em Frisia, beato Federico, presbítero, que sendo pároco na cidade de Hallum, chegou a ser depois abade do mosteiro de Mariengaarde, da Ordem Premostratense (1175).

 

http://es.catholic.net/santoral

 

Recolha, transcrição e tradução de espanhol para português (1), por António Fonseca.

NOTA (1).  A partir de hoje, sempre que aparecerem biografias muito extensas que dificultem a tradução que venho efectuando e após a mesma ter sido efectuaqa no que concerne aos dois primeiros parágrafos, farei uma anotação para que os meus prezados leitores, procurem no site http://es.catholic.net/santoral a versão em espanhol, pelo que solicito a vossa compreensão para o facto. Muito obrigado pela atenção que me dispensarem. António Fonseca.