OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Nº 999 – Notícias nacionais e estrangeiras da Agência Ecclesia, em 12/Maio/2010 – 16,20 horas

 

In: Agência Ecclesia – 12-Maio-2010 – 16,20 horas

 

 

Notícias nacionais

Fátima: Bento XVI vai usar cálice utilizado por João Paulo II

Bento XVI vai utilizar na missa de 13 de Maio o mesmo cálice de ouro usado por João Paulo II na sua primeira peregrinação ao Santuário, a 13 de Maio de 1982, informa o Departamento de Arte e Património do Santuário de Fátima. Segundo uma nota informativa, o cálice, de ouro, esmalte, pedras preciosas e pérolas, oferecido ao Santuário...

Santuário de Fátima: Peregrinos esperam palavras de esperança de Bento XVI

A visita do Papa a Portugal é providencial considera uma peregrina chegada de Viana do Castelo. “Da maneira como o país caminha está muito mal. Pode ser que haja maior equilíbrio entre as classes com a bênção do Papa”, afirma Amélia Maranhão à Agência ECCLESIA na expectativa de ver Bento XVI que pelas 17 horas chega a...

«Temos a sorte de ter um Papa português», diz D. Carlos Azevedo

Bento XVI fez uma “adaptação excepcional” ao contexto português, com o seu discurso e os gestos, quebrando o protocolo e as regras de segurança, e a fazer vibrar os portugueses nesta sua viagem, afirmou o Coordenador-geral da Visita, D. Carlos Azevedo, ao site oficial (www.bentoxviportugal.pt). “Temos a sorte de ter um Papa português”,...

Papa é «culto e afável», diz primeiro-ministro

O primeiro-ministro, José Sócrates, afirmou hoje ter ficado com uma  boa impressão de Bento XVI, salientando que o Papa é «culto e afável». Em declarações no final da audiência de 30 minutos na Nunciatura Apostólica, o primeiro-ministro disse ter transmitido ao Papa a "alegria que o povo experimenta pela sua visita"...

Postura de sabedoria e humildade de Bento XVI

No encontro de Bento XVI com os agentes da cultura, realizado esta manhã (dia 12 de Maio), no Centro Cultural de Belém (Lisboa), o Papa teve “uma postura de sabedoria e, em simultâneo, de humildade” – disse à Agência ECCLESIA Rui Vieira Nery, musicólogo. Com este evento, Bento XVI mostrou que “há um diálogo entre a Igreja...

Os passos do Papa Peregrino em Fátima

Conhecidos os encontros e as celebrações do Papa Bento XVI em Portugal, entre os dias 11 e 14 de Maio, a Coordenação-Geral da visita do Papa a Portugal foi envolvendo pessoas e instituições necessárias à concretização dos vários momentos da visita de Bento XVI. Por implicação protocolar, nuns casos,...

Fátima acolhe peregrinos

O Santuário de Fátima é o destino dos muitos peregrinos que querem juntamente com Bento XVI participar na celebração da Peregrinação Internacional Aniversária A chegada a Fátima pela Auto-estrada nº 1 ainda se faz de forma acessível, mas ao chegar às rotundas devido ao avolumar de trânsito, encontram polícias...

Bento XVI «fugiu à segurança» e saiu do carro para saudar crianças

Bento XVI quebrou o protocolo e as regras de segurança hoje de manhã, à saída do Centro Cultural de Belém, abandonando a viatura blindada para ir cumprimentar algumas crianças, noticia o site oficial da visita do Papa (www.bentoxviportugal.pt) O gesto inesperado provocou não só o espanto das crianças mas como o sobressalto dos elementos da segurança...

Encontro de Bento XVI com o mundo da cultura é «ponte de diálogo entre dois sectores que estiveram de costas voltadas»

Rui Vieira Nery acredita que o encontro do Papa com a cultura portuguesa é “uma ponte de diálogo importante entre dois sectores que estiveram de costas voltadas durante muitas décadas”. Ao pronunciar-se sobre a sessão realizada na manhã de hoje em Lisboa, durante a qual Bento XVI se dirigiu ao mundo das artes, ciência e pensamento, o musicólogo...

Bento XVI em encontro privado com primeiro ministro

À hora prevista chegava José Sócrates e Luis Amado para o encontro com Bento XVI. Foi permitida a entrada a repórteres de imagem na chegada e cumprimento ao Papa. Todos se mostravam sorridentes e dispostos ao diálogo. De seguida a porta fechou-se ficando a sós o Primeiro Ministro e o Ministro dos Negócios Estrangeiros com Bento XVI. Este encontro deve...

O olhar intenso de Bento XVI

No contacto pessoal, “Bento XVI é muito diferente”. A imagem transmitida pela Comunicação Social “não corresponde àquilo que é o Papa”. Em declarações à Agência ECCLESIA Emília Nadal, Presidente da Sociedade Nacional de Belas Artes, sublinha que quando cumprimentou Bento XVI, “ele olhou-me intensamente...

Bento XVI deu grande relevância à cultura

A comunidade cultural “estava ansiosa pelo discurso Bento XVI” – disse à Agência ECCLESIA Gabriela Canavilhas, Ministra da Cultura, após o encontro de Papa com agentes da cultura esta manhã (dia 12 de Maio) no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. A ministra da cultura destaca também a proximidade que teve com o Papa e as “suas...

Celebrações em Fátima transmitidas na Internet

Vai ser possível acompanhar a peregrinação do Papa a Fátima através da página oficial do Santuário de Fátima na Internet www.fatima.pt. O projecto de transmissão on line de imagens da Capelinha as 24h do dia, iniciado em Janeiro de 2009 em resposta aos muitos pedidos de devotos de Nossa Senhora que chegavam à instituição,...

Família canta para o Papa em Fátima

Dez anos depois de terem cantado para João Paulo II, Madalena Vidal e os seus quatro filhos vão cantar para Bento XVI, em Fátima. Dos sete temas musicais previstos para o encontro dos agentes da pastoral social com Bento XVI, no dia 13 de Maio, apenas o «Sanctus» será ouvido na igreja da Santíssima Trindade (Fátima) quando o Papa estiver presente...

Discursos e Saudações no dia 12 de Maio - Português

Centro Cultural de Belém Saudação de D. Manuel Clemente Intervenção de Manoel de Oliveira Discurso de Bento XVI

Bispo de Leiria-Fátima manifesta «regozijo e gratidão» pela visita de Bento XVI

O Bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, manifestou «todo o regozijo e toda a gratidão» pela visita de Bento XVI ao Santuário mariano, nos dias 12 e 13 de Maio. O Papa vai presidir à Peregrinação Aniversária de Maio e assinalar o décimo aniversário da beatificação de Jacinta e Francisco Marto. Falando...

Os Papas na história de Fátima

A relação dos Papas com Fátima tem ganho uma visibilidade maior desde as viagens pontifícias realizadas por Paulo VI e, sobretudo, João Paulo II. Mais cedo, contudo, se começara a manifestar o interesse do Bispo de Roma por Fátima e pela sua mensagem. A 31 de Outubro de 1942, Pio XII - consagrado bispo precisamente no dia 13 de Maio de 1917, dia da primeira...

Onde dorme Bento XVI em Fátima?

Bento XVI vai ficar no quarto que acolheu João Paulo II aquando da terceira e última peregrinação do Papa polaco a Fátima, no ano 2000. O alojamento, situado no segundo piso da Casa de Nossa Senhora do Carmo, pertencente ao Santuário de Fátima, inclui casa de banho, escritório e sala de estar, de pequenas dimensões. O quarto, voltado para...

Bento XVI de regresso à Nunciatura

Bento XVI regressou à Nunciatura Apostólica às 11h15, no final da cerimónia no Centro Cultural de Belém. À chegada ao edifício, o Papa recebeu um ramo de flores das mãos de algumas crianças, a quem abençoou. Antes de entrar na Nunciatura, Bento XVI saudou ainda as pessoas concentradas no local. Depois de um período de descanso,...

Bento XVI deixa CCB em direcção à Nunciatura

Apesar de ter iniciado com cerca de 10 minutos de atraso, o encontro de Bento XVI com o mundo da Cultura terminou à hora prevista (11h00)  O Papa já está a caminho da Nunciatura Apostólica para o encontro com o Primeiro-Ministro, José Sócrates e o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Luis Amado, que vai decorrer a partir do meio-dia.

Bento XVI aplaude de pé coro da Gulbenkian

No fim da interpretação do coro da Gulbenkian, Bento XVI levanta-se e, de pé, vira-se para bater palmas. No rosto abria um grande sorriso e saudou todos os presentes de braços abertos. Nos cumprimentos da despedida, Joana Carneiro foi agraciada com o sorriso de Bento XVI e algumas palavras mais demoradas. A maestrina ao beijar a mão do Papa mostrou-se visivelmente...

Papa recebe cumprimentos de representantes de 5 confissões religiosas

Bento XVI depois de ter discursado foi agraciado por um caloroso aplauso. A sala do Centro Cultural de Belém colocou-se de pé para aplaudir as palavras proferidas pelo Papa. Ao som do «Magnificat», entoado pelo coro da Gulbenkian, foi cumprimentado por vários participantes convidados. Entre eles encontram-se os representantes das cinco principais confissões religiosas...

Bento XVI preocupa-se em falar para «os seus piores ouvintes»

Este Papa preocupa-se sempre por falar numa linguagem da modernidade para as pessoas que se esforçam por pensar o mundo e por criar alguma coisa de novo”, sublinhou Pacheco Pereira à entrada do encontro de Bento XVI com o mundo da cultura, que decorreu hoje em Lisboa. Para o deputado do PSD, a formação filosófica e teológica Joseph Ratzinger contribuiu...

Cultura: Papa admite conflito entre tradição e modernidade, destacando esforço de diálogo da Igreja

Bento XVI defendeu hoje no Centro Cultural de Belém (CCB) que o conflito entre “presente e tradição”, na sociedade actual, levou a uma “crise da verdade”. Falando perante representantes do mundo cultural português, no segundo da sua visita ao país, o Papa referiu que “a missão ao serviço da verdade” é “irrenunciável”...

Bento XVI destaca «alma portuguesa»

Bento XVI deixou hoje rasgados elogios à “alma portuguesa”, considerando que o país tem uma “forte tradição cultural”. Num encontro com representantes do pensamento, da ciência, da cultura e da arte em Portugal, o Papa mostrou a sua admiração pelo “sentido da vida e da história, de que fazia parte um universo ético...

O cristianismo foi pródigo em expressões artísticas, diz Manoel de Oliveira

Desde os primórdios, que as artes estiveram “estreitamente ligadas às religiões e o cristianismo foi pródigo em expressões artísticas depois da passagem de Cristo pela terra e até aos dias de hoje”, afirmou esta Quarta-feira o cineasta Manoel Oliveira no encontro dos agentes da cultura com Bento XVI Convidado pela organização...

Papa recebe obra de ourivesaria

Depois do discurso de Manoel de Oliveira, Bento XVI recebeu das mãos da maestrina Joana Carneiro o ovo, em prata e biscuit da autoria do arquitecto Siza Vieira. Segue-se mais um cântico entoado pelo coro da Gulbenkian, sob a direcção do maestro Jorge Matta.

Convidados para o encontro do Papa com o mundo da cultura esperam uma palavra que supere pertenças religiosas

O presidente executivo da Portugal Telecom, Zeinal Bava, diz que é “uma honra para todos a visita do Papa ao país, e em particular ao Santuário de Fátima". No entender do gestor, a presença de Bento XVI naquele espaço traduz o reconhecimento do que ele “significa para todos os portugueses, independentemente da religião que praticam”...

D. Manuel Clemente reconhece dificuldades levantadas à reflexão

A intenção cultural de Bento XVI “é entendida e bem aceite por muitas personalidades das letras, das ciências e das artes, ainda além das fronteiras da confessionalidade estrita” – disse esta manhã (12 de Maio) D. Manuel Clemente, Presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações, na saudação...

Salva de palmas assinala entrada de Bento XVI no CCB

Uma prolongada salva de palmas saudou Bento XVI à sua entrada no auditório do Centro Cultural de Belém, onde vai decorrer o encontro com a cultura. O Papa entrou na sala com 9 minutos de atraso em relação ao horário previsto, com a cerimónia a começar às 10h10. Cumprimentou todos os que se encontravam em cima do palco e as palmas soaram...

Encontro do Papa com o mundo da cultura: Igreja espera mensagem iluminadora

D. Tomaz Silva Nunes espera ouvir no encontro do Papa com o mundo das artes, da ciência e do pensamento que começa às 10h00 desta Quarta-feira, em Lisboa, “uma mensagem iluminadora da cultura do nosso tempo”. O prelado aguarda uma palavra de “esperança” que, ao afirmar “a verdade do cristianismo, seja um desafio para a sociedade portuguesa”...

Papa deixou a Nunciatura às 09h45

Bento XVI saiu às 09h45 de hoje da Nunciatura Apostólica em direcção ao Centro Cultural de Belém, Lisboa, para um encontro com o mundo da cultura, um dos três eixos da sua visita de quatro dias a Portugal. Ao sair do edifício foi acolhido com aplausos e gritos de “Viva o Papa” por parte das pessoas que ali o aguardavam. Bento XVI acenou e...

Um Papa que sorri

Portugal descobriu ontem um Papa que sorri, começando a desmontar a ideia de um homem frio, distante e completamente desajustado a situações de grandes multidões e manifestações festivas. Apesar do cansaço da viagem, logo de manhã foi possível perceber que Bento XVI estava a viver a viagem ao nosso país – 15ª do pontificado...

Pedofilia: Papa reforça discurso da responsabilização contra o da vitimização

A intervenção de Bento XVI sobre a pedofilia na Igreja a bordo do avião que o trouxe até Portugal reforçou a sua política de responsabilização e mudança na Igreja, evitando um discurso de vitimização. Ao afirmar que a “maior perseguição à Igreja” não vem de “inimigos de fora, mas...

Bento XVI encontra-se com cultura portuguesa

O Centro Cultural de Belém, em Lisboa, recebe esta Quarta-feira, pelas 10h00, o encontro do Papa com a cultura portuguesa, naquele que é um dos temas centrais da visita de Bento XVI, juntamente com a Pastoral Social e a Vida na Igreja.O Papa vai ser conduzido ao palco do grande auditório pelo Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, onde é recebido pelo Presidente...

Cultura e Fátima na agenda de hoje

Ao segundo dia de presença em Portugal, o Papa chega a Fátima durante a tarde, depois de uma manhã preenchida com um encontro com a Cultura, que vai reunir no Centro Cultural de Belém cerca de 1.500 personalidades portuguesas ligadas ao mundo das artes e da ciência. Depois do banho de multidão em Lisboa, ao longo do percurso entre a Nunciatura Apostólica...

O Papa foi muito português

No final do primeiro dia da visita de Bento XVI a Portugal, o Coordenador-Geral desta visita, D. Carlos Azevedo, sublinhou à Agência ECCLESIA que “o Papa foi muito português e os portugueses vibraram com Bento XVI”. Desde o Aeroporto até ao «Boa-Noite» aos jovens que estiveram Nunciatura Apostólica, em Lisboa, D. Carlos Azevedo, reconhece que...

Quinze minutos inesquecíveis

Passadas algumas horas depois da visita de Bento XVI ao Mosteiro dos Jerónimos, Lisboa, o Cón. José Manuel Ferreira, pároco de Santa Maria de Belém, ainda saboreava aqueles “quinze minutos inesquecíveis”. No final do dia, o pároco de Santa Maria de Belém, recordou à Agência ECCLESIA aqueles momentos e “a forma...

Temas da vida e da família na agenda do Papa

O porta-voz do Vaticano, Pe. Federico Lombardi, admitiu que Bento XVI aborde os temas do aborto e do casamento entre pessoas do mesmo sexo durante a visita a Portugal. “Vamos ver aquilo que o Papa dirá sobre esses temas nos próximos dias e como o dirá”, afirmou o director da sala de imprensa da Santa Sé, num encontro com jornalistas no final do primeiro dia da...

Notícias internacionais

Porta-voz do Vaticano nega mudanças no discurso do Papa sobre Fátima ou os casos de pedofilia na Igreja

O porta-voz do Vaticano considera que as declarações de Bento XVI a bordo do avião que o transportou até Portugal não implicam qualquer mudança no discurso do Papa sobre Fátima ou os casos de pedofilia na Igreja. Em conferência de imprensa, o Pe. Federico Lombardi respondeu a vários questões sobre a leitura que o Papa faz da terceira...

INICIO | EDITORIAL | NACIONAL | INTERNACIONAL | DOCUMENTOS | DOSSIER | ENTREVISTA | AGENDA | ESTANTE | FOTOS | ÁUDIO | VÍDEO | TEMAS | AUTORES | TODAS AS NOTÍCIAS

 

Recolha e transcrição do Boletim da Agência Ecclesia recebido por e-mail hoje pouco depois das 16 horas, por António Fonseca

Nº 998 - 12 de Maio de 2010 - SANTOS DO DIA

• JOANA DE AVEIRO, Beata
Maio 12   -  Monja

Juana de Portugal, Beata

Juana de Portugal, Beata

Monja Dominicana

Martirológio Romano: Em Aveiro, em Portugal, beata Juana, virgem, filha do rei Afonso V, que renunciou a contrair matrimónio em várias ocasiões, preferindo servir na Ordem de Pregadores e ingressar no mosteiro de Aveiro, convertendo-se em refúgio de pobres, órfãos e viúvas (1490).
Etimologicamente: Juana = Aquela a que se deu a  graça de Deus, é de origem hebraica.

Se tiverem informação relevante para a canonização da beata Joana, contacte a:
Mosteiro Pio XII do Rosário Perpétuo
Rua do Rosário 1
2495-559 Fátima, PORTUGAL

Ver biografia em espanhol em http://es.catholic.net/santoral

Nasceu a beata Joana em Lisboa, no ano 1452. Era filha de D. Afonso V e de sua mulher D. Isabel. Logo desde criança começou a mostrar o gosto  que tinha pelas coisas de Deus. Recolhia-se muitas vezes num oratório, lia e meditava as vidas dos santos. A sua formosura era tanta que, segundo afirma Frei Luis de Sousa, vieram pintores doutras nações para a retratar; o que se dava naqueles tempos, sobretudo quando qualquer príncipe desejava parda sua esposa uma princesa estrangeira. Sua mãe faleceu, tendo Joana quatro anos. Conhecendo D. Afonso V o grande talento  da filha, ordenou que nada se alterasse no governo da casa real, ficando ela a substituir a sua falecida mãe. A santa donzela soube aproveitar a nova situação para se entregar com mais liberdade à prática da penitência. Usava camisas de estamenha áspera, que trazia juntamente com um cilício por debaixo das roupas reais.

Jejuava muitos dias a pão e água, particularmente às sextas-feiras, empregando vários meios para dissimular a suas abstinência. Os pobres tinham nela uma protectora desvelada. Encarregou um homem muito virtuoso de distribuir as suas esmolas. Tinha um livro com os nomes dos necessitados, grau de pobreza de cada um e dia em que lhe devia ser dada esmola. Em quinta-feira santa mandava chamar doze mulheres pobres, das mais desamparadas, lavava-lhes os pés e despedia-as, depois de lhes ter dado roupas novas e dinheiro. Várias vezes foi pretendida  para esposa por príncipes estrangeiros. Conseguiu porém, satisfazer o grande desejo que tinha de conservar sempre a Jesus como seu único esposo.

Um  dos sonhos dourados da Beata Joana era entrar para uma ordem religiosa. As dificuldades eram muitas, mas a sua confiança em Deus venceu-as todas. Em 1476 partiu D. Afonso V para a África, onde tomou Arzila e ocupou Tânger, que os mouros lhe abandonaram. A noticia desta vitória causou grande alegria em todo o reino. Logo que viu seu pai, correu para ele e saudou-o respeitosa e alegremente. Aproveitando a ocasião, disse-lhe que os monarcas da antiguidade costumavam oferecer sacrifícios aos deuses quando alcançavam qualquer vitória.Que ele também devia oferecer ao Deus verdadeiro o sacrifício da sua única filha. D. Afonso não pôde negar o que lhe pedia, consentindo que entrasse para um convento, apesar dos inconvenientes que nisso achavam o príncipe e as senhoras da corte.

Depois de estar algum tempo no mosteiro de Odivelas, partiu para o convento de Jesus em Aveiro, onde, passado algum tempo, recebeu o hábito de noviça. desde que o vestiu, abandonou por completo todas as galas reais, querendo parecer-se em tudo com a mais humilde noviça . Levou a sua humildade até ao ponto de lavar roupa , amassar pão, varrer as casas, não querendo ser privilegiada em coisa alguma. Aprendeu a fiar e a tecer, e do linho por ela preparado se faziam os corporais para a igreja. Caindo gravemente doente, o rei mandou que tirasse o hábito. Consultado o vigário geral dos Dominicanos em Portugal e vários teólogos , estes foram de parecer que ela não devia professar, por causa dos seus poucos anos. Estando reunida a comunidade, declarou à Prioresa que, por obediência, desistia de professar. Tirou o hábito e colocou-o sobre o altar; passadas algumas horas, tornou a vesti-lo, dizendo que dali em diante o traria por devoção. Embora não estivesse obrigada à regra, cumpria-a-a com todo o esmero.

O Senhor pagou-lhe tanta generosidade, concedendo-lhe abundantes graças e inundando-lhe a alma de alegria, que se manifestava sobretudo quando recebia a Sagrada Comunhão. Em 1479 começou uma peste a assolar o país. A vila de Aveiro não foi poupada ao flagelo. O rei, vendo o perigo em que estava sua filha, ordenou que saísse da vila e do convento. A santa obedeceu, dirigindo-se para o Alentejo, aonde a peste ainda não tinha chegado. Passados onze meses, voltou a Aveiro. Em 1481 perdeu o seu querido pai, a quem sucedei D. João II. Todas estas contrariedades foram aproximando mais de Deus a alma da beata Joana. Nada havia neste mundo que a prendesse, suspirava pelo céu. Em 1489 começou a ter febre contínua , acompanhada de vómitos. Foi piorando, até que em princípios de Maio de 1490 reconheceu estar próxima a sua última hora. No dia 12 de Maio , pelas 2 horas da madrugada, estando reunida a comunidade em volta do seu leito, começaram as religiosas a rezar o oficio da agonia e, ao chegarem à invocação Omnes Sancti Innocentes, abriu os o olhos e, levantando-os por um pequeno espaço para o céu, despediu a inocente alma em companhia dos Santos Inocentes. Ao fim  da manhã do mesmo dia realizou-se o funeral, cujas exéquias solenes se celebraram no dia seguinte. Em Aveiro chorou-se durante muito tempo a memória da beata Joana. Muitos milagres se operaram por sua intercessão. Em 4 de Abril de 1693 foi beatificada pelo papa Inocêncio XII. Depois da beatificação, D. Pedro II mandou construir um túmulo luxuoso para onde foram trasladadas e onde ainda hoje se conservam as relíquias da Serva de Deus. Paulo VI, a 5 de Janeiro de 1965, declarou a Beata especial protectora da cidade de Aveiro.

Nereu, Aquileu e Pancrácio, Santos
Maio 12 Mártires

Nereo y Aquileo, SantosPancracio, Santo

 

Nereu, Aquileu e Pancrácio, Santos

Mártires

Martirológio Romano: Santos Nereu e Aquileu, mártires, os quais, segundo refere o papa santo Dâmaso, eram dois jovens que se haviam enrolado no exército e que, arrastados pelo medo, estavam dispostos a obedecer às ordens ímpias do magistrado, mas depois de se converterem ao Deus verdadeiro deixaram o exército, arrojando seus escudos, armas e uniformes, contentes de seu triunfo como confessores de Cristo. Seus corpos foram sepultados neste dia no cemitério de Domitila, situado na via Ardeatina de Roma (s. III ex.).Etimologicamente: Nereu = Aquele que domina o mar, é de origem grega. Etimologicamente: Aquileu = Aquele que luta sem espada, é de origem grega.
São Pancrácio, mártir, que, segundo a tradição, morreu também em Roma em plena adolescência por sua fé em Cristo, sendo sepultado na via Aurélia, a dois miliários da Urbe. O papa santo Símaco levantou uma célebre basílica sobre seu sepulcro e o papa são Gregório I Magno convocava a miúdo ao povo em torno ao mesmo sepulcro, para que recebessem o testemunho do verdadeiro amor cristão. Neste dia se comemora a sepultura deste mártir romano (s. IV in.) . Etimologicamente: Pancrácio = Aquele que é totalmente forte, é de origem grega. Para saber mais em espanhol, sobre estes Santos, poderão consultar http://es.catholic.net/santoral

Em seguida biografias destes santos, em www.jesuitas.pt

Dos santos Nereu e Aquileu há umas Actas do martírio do século V, que já Barónio considerava dignas de pouca fé. Não se pode determinar se estes dois morreram no tempo de Domiciano, que os desterrou para a ilha Pôncia, ou no tempo de Nerva, como dizem as Actas, ou ainda no tempo de Trajano. Duas coisas certas conhecemos deles: o martírio e o lugar da sepultura. Parece que estavam ligados à casa de Domitila, a jovem, sobrinha de Flávia Domitila, casada com Flávio Clemente. Deportados para a dita ilha por serem cristãos, foram depois mudados para Terracina e aí decapitados. Os corpos foram levados para Roma e sepultados no cemitério de Domitila. Efectivamente, aqui se encontraram os nomes dos dois mártires Aquileu e Nereu, escritos com letras do século IV, gravadas em colunas que formavam parte duma capela.

A vida deles antes do martírio pode deduzir-se do elogio métrico redigido por S. Dâmaso, que também se encontrou. Os dois santos parecem ter pertencido à coorte pretoriana de Nero. São distinguidos como valentes e assinalados como possuidores das mais altas condecorações romanas. Um dia sentiram-se atraídos pelos encantos da verdade cristã. Segundo as Actas, pela pregação mesma de S. Pedro, mas isto não consta. Recebido o baptismo, Nereu e Aquileu deram baixa no exército e, com a subida ao poder da dinastia Flávia, uniram-se, não se sabe a que título, com a casa de Domitila.

S. Pancrácio, rapaz de 14 anos, parece que veio do oriente e morreu em Roma, decapitado no tempo  do imperador Vespasiano, como dizem as suas Actas, que foram revalorizadas pelas investigações de João Baptista Rossi. Conservamos também o texto latino da epígrafe que Honório I (625-638) mandou lavrar no sepulcro do jovem mártir: «Pelo insigne mérito e singulares graças do bem-aventurado Pancrácio, o Bispo Honório, Servo do Senhor, para bem do povo de Deus derribou o velho edifício que ameaçava ruína e estava privado do corpo do santo por descuido dos antigos; mandou levantar de raiz outra igreja e nela colocou, dentro do altar adornado com  preciosos mármores, as relíquias que antes estavam na parede exterior do edifício». O culto a S. Pancrácio foi, desde o princípio, intenso. A Igreja gloria-se em todos os tempos dos seus mártires. O sangue, o heroísmo da fé e as flores das virtudes que mostraram, são neles o fruto mais sazonado e digno que se pode apresentar a Deus, como prova do amor e gratidão que merecem a morte e o sangue de Cristo, derramado tão generosamente por nós.

 

Epifânio de Salamina, Santo
Maio 12   -  Bispo

Epifanio de Salamina, Santo

Epifânio de Salamina, Santo

Bispo de Constância, antiga Sálamis
Um dos Heresiólogos mais importantes da
antiguidade e notável Teólogo Mariano do século IV
Martirológio Romano: Em Salamina, em Chipre, santo Epifânio, bispo, o qual sobressaiu por sua vasta erudição e por seu conhecimento das ciências sagradas, e foi admirável também por sua santidade de vida, por sua zelosa defesa da fé católica, por sua generosidade para com os pobres e por seu poder taumatúrgico (403).
Etimologicamente:
Aquele que apresenta sua opinião, é de origem grega.

Se quiserem saber mais em espanhol sobre a vida de S. Epifânio, consultar http://es.catholic.net/santoral

Segue-se versão de www.jesuitas.pt

Nasceu na Palestina pelo ano de 315; faleceu em 403. Judeu helenizante convertido, foi trinta e seis anos (376-403) bispo de Salamina em Chipre. Entre numerosos escritos, o seu Panarion (caixa de medicamentos) continua indispensável para os historiadores da Igreja antiga. Epifânio dá cabo nele de 80 heresias, «precisamente tantas, diz ele, como há concubinas no Cântico dos Cânticos» (6, 8). parecem heresias demais! Como polemista, não é agradável para se ler; primeiro, porque não escreve bem; depois, porque é demasiado áspero para com os opositores.

Imelda Lambertini, Beata
Maio 12   -  Virgem

Imelda Lamertini, Beata

Imelda Lamertini, Beata

Padroeira das crianças que recebem a Primeira Comunhão

Martirológio Romano: Em Bolonha, da Emília, beata Imelda Lambertini, virgem, aceite desde muito pequena como monja na Ordem de Pregadores e que, sendo ainda jovem, depois de haver recebido de modo admirável a Eucaristia, entregou imediatamente seu espírito (1333).
Etimologicamente: Imelda = Aquela que luta até o último alento, é de origem germânica.

A tradição diz que a Beata Imelda Lambertini, filha do Conde Egano Lambertini de Bolonha e Castora Galuzzi, foi uma menina devota e piedosa que entrou na vida religiosa com a idade de nove anos.
Seu maior desejo era receber a Sagrada Comunhão, mas era demasiado jovem. Finalmente, na Vigília da Ascensão, ajoelhada em oração, uma hóstia apareceu por cima de sua cabeça. O capelão lha deu. Um pouco mais tarde, quando a prioresa foi a comprovar, estava morta - ajoelhada ainda ante o altar. Era em 12 de Maio de 1333.
Independentemente do que realmente sucedera (ou não sucedera) com a Beata Imelda, uma coisa está clara: Imelda estava disposta a aguardar pacientemente a que suas preces fossem respondidas.


Imelda Lamertini, Beata

Imelda Lamertini, Beata

Quando oramos, a miúdo desejamos uma resposta imediata.Queremos que Deus diga sim ou não, e que o diga no momento. Se não podemos obter uma resposta imediata, queremos algum sinal de que Deus escuta nossa petição e ao menos está considerando seriamente o assunto. Demasiado a miúdo sem embargo, lançamos nossas preces em direcção ao céu, sem estar nunca seguros de que hajam sido realmente recebidas.
Nossas principais dificuldades com a oração têm lugar porque as respostas não vêm do modo que esperamos. Olhamos fixamente numa direcção, enquanto a resposta vem da outra. Toma, por exemplo, o caso da Beata Imelda. Orava para receber a Comunhão, não para que aparecesse uma hóstia milagrosa. ¡E vejam o que recebeu!
Quando oramos, necessitamos manter nossos olhos e corações abertos para observar a resposta. Sempre virá, mas quase nunca do modo em que a esperamos. 
No ano 1826 S.S. Leão XII confirmou seu culto. 
O Papa São Pío X a nomeou padroeira das crianças que vão a receber a primeira comunhão.
Se tiverem informação pertinente para a canonização da beata Imelda, comunique-se a:
Chiesa San Sigismondo
Via San Sigismondo, 7

 

Domingo de la Calzada, Santo
Maio 12   -  Presbítero

Domingo de la Calzada, Santo

Domingo de la Calzada, Santo

Padroeiro dos Engenheiros de Caminhos, canais e portos 
e dos Engenheiros de Obras Públicas

Martirológio Romano: Na região de Castela, em Espanha, na localidade que posteriormente foi distinguida com seu nome, santo Domingo de la Calzada, presbítero, que dispôs pontes e caminhos empedrados para uso dos peregrinos jacobeus e, movido por sua imensa piedade, construiu também um hospital de peregrinos, provisionado de salas destinadas a socorrê-los (1060/1109
Etimologicamente: Domingo = Aquele que é consagrado ao Senhor, é de origem latino.

Domingo García, conhecido como Santo Domingo de la Calzada (Vilória de Rioja, província de Burgos, 1019 - † Santo Domingo de la Calzada, La Rioja, 12 de Maio de 1109). Foi um religioso de Espanha e um dos maiores impulsionadores do Caminho de Santiago. 
Filho de um lavrador chamado Ximeno García e de sua esposa Orodulce, após o falecimento de seus pais, intentou ser admitido nos mosteiros beneditinos de Valvanera e San Millán de la Cogolla mas não o conseguiu. Após este revés se retirou como eremita a um lugar afastado nos bosques de azinheiras de Ayuela, lugar próximo ao actual Santo Domingo de la Calzada, levando uma vida contemplativa até 1039. Sobre esse ano começou a colaborar com Gregório, bispo de Ostia, chegado a Calahorra como enviado papal para combater uma praga de lagostas que assolava os territórios navarros e riojanos. Este lhe outorgou a ordenação sacerdotal. Juntos construíram uma ponte de madeira sobre o rio Oja para facilitar o trânsito dos peregrinos para Compostela. Até à morte de Gregório em 1044. 
Após morrer Gregório, voltou à zona de Ayuela e empreendeu um profundo labor de colonização. Talhou bosques, rotulou terras e começou a construção de uma calçada de pedra que supôs um desvio do caminho tradicional pela calçada romana entre Logroño e Burgos, mas que se converteu, a partir de então, na rota principal entre Nájera y Redecilla del Caminho. Por este trabalho é conhecido como Domingo de la calzada.
Para melhorar as condições dos peregrinos que começaram a transitar a nova calçada, substituiu a ponte de madeira que havia construído com Gregório por uma mais robusta de pedra, e construiu um complexo integrado por hospital, poço e igreja, para atender às necessidades dos viajantes, onde na actualidade se encontra a Casa do Santo, utilizada como albergue de peregrinos.
Ao apoderar-se em 1076 de La Rioja, Afonso VI de Castela e vendo que o desenvolvimento do Caminho contribuía a seu projecto da castelanização da zona, se fez partidário do santo, de suas obras, e de sua vila, visitando a Domingo em 1090 e responsabilizando-o das obras viárias que se realizavam ao longo do Caminho de Santiago. Nesses momentos, e com a ajuda de seu discípulo João de Ortega, havia iniciado já a construção de um templo dedicado ao Salvador e Santa María. Este foi consagrado pelo bispo de Calahorra em 1106. No exterior do templo e junto a seus muros, o santo escolheu um lugar para sua própria sepultura. 
O burgo, chamado Masburguete ou Margubete que se diz hoje em dia, de Santo Domingo de la Calzada começou com umas poucas de casas construídas em torno da ermida do santo durante sua vida. Ao morrer Domingo em 1109 já contava a vila com uma crescente população. A igreja de Santo Domingo de la Calzada, em que foi enterrado, foi elevada ao posto de catedral pouco depois, ao trasladar-se para esta a diocese de Calahorra em 1232 até 1235.
Nove tábuas pintadas, adornam hoje uma parede da catedral e recorda os milagres de Santo Domingo.

Germano de Constantinopla, Santo
Maio 12   -  Bispo,

Germán de Constantinopla, Santo

Germán de Constantinopla, Santo

Bispo

Martirológio Romano: Em Constantinopla, santo Germano, bispo, o qual, insigne por sua doutrina e virtudes, refutou com grande persuasão o édito contra as imagens sagradas promulgado pelo imperador León o Isáurico (733).
Etimologicamente: Germán = Aquele que é um guerreiro forte, é de origem germânica.

Nasceu em 635, sendo Heráclio imperador bizantino. Seu pai foi um prestigioso patrício, chamado Justiniano, morto em redor de 669 por ordem do  invejoso imperador Constantino Pogonato.
Da vida e actividade de Germán antes de obter sua primeira prelatura não sabemos nada. Dos documentos antigos (um menológio e um sinaxário) nos ponderam sua afeição às Escrituras e à contemplação, sua vivacidade de engenho e experiência dos negócios. Em todo caso parece que já antes de 711 era bispo de Cízico, no Helesponto. Pouco depois o monotelismo (heresia defensora de uma só vontade em Cristo), ainda que tenha recebido o golpe de morte no VI concilio ecuménico de 681, reviveu por curto espaço com o imperador Filípico (711-713), o qual pressionou de tal modo a Germán, que o ancião prelado teve a debilidade de no sínodo de Constantinopla, ano 712. Mas sua reacção em prol da ortodoxia foi rápida. Ao subir ao trono de Oriente o católico Artemio (Anastásio II) melhora a situação.
Ver mais sobre este Santo em http://es.catholic.net/santoral, que não foi traduzido por ser muito longa.

• Felipe de Agira, Santo
Maio 12   -  Presbítero

Felipe de Agira, Santo

Felipe de Agira, Santo

Presbítero

Martirológio Romano: Em Agira, na Sicília, são Felipe, presbítero, que, oriundo de Trácia, se estabeleceu nesta cidade (s. V).
Etimologicamente: Felipe = Aquele que é amigo dos cavalos, é de origem grega.

A vida deste santo  foi escrita por um monge chamado Eusébio, que se diz companheiro de Felipe, e que nasceu na Trácia, região a sudeste da península balcânica, naquele então província romana, nos tempos de Arcádio imperador romano de oriente, (395 -408).
Foi instruído nas disciplinas eclesiásticas e também na língua siríaca, aos 21 anos recebeu o diaconato e logo chegou a Itália junto ao monge Eusébio, que lhe serviu de intérprete em Roma. Depois de haver sido ordenado sacerdote, recebeu o encargo de evangelizar a Sicília centro-ocidental, onde os habitantes, aterrorizados pela actividade eruptiva do Etna, seguiam vendo no vulcão uma manifestação do demónio, quando chegou à ilha se estabeleceu em Agira, província de Enna, sempre com a companhia do monge Eusébio.
Desenvolveu com fervor apostólico seu ministério sacerdotal entre as povoações sicilianas, ficando célebre pelos numerosos milagres que obrou, especialmente por libertar a possessos dos demónios que os atormentavam.
Morreu em 12 Maio do século V, o ano exacto não é conhecido mas está entre 453 e 457, tinha 63 anos.
Sobre o lugar de seu sepulcro, foi edificada uma igreja e posteriormente um mosteiro, em redor dos que o antigo ´Agyrium´ ressurgiu com o nome de S. Felipe de Agira, nome conservado até 1939, (actualmente se chama tão só Agira); um reconhecimento das relíquias foi feito em 21 de Julho de 1625.
Numerosas são as procissões e as manifestações de divorciou que se desenvolvem naquela parte de Sicília, onde é mais forte o culto a são Felipe; como o oferecimento dos círios durante a procissão de 12 de Maio, feita pelos fieis que hão recebido graças.
Reproduzido com autorização de Santiebeati.it

responsável da tradução (para espanhol): Xavier Villalta

Rictrudis de Marchiennes, Santa
Maio 12   -  Abadessa

Rictrudis de Marchiennes, Santa

Rictrudis de Marchiennes, Santa

Abadessa

Martirológio Romano: No mosteiro de Marchiennes, na região de Cambray, na Austrásia, santa Rictrudis, abadessa, que, depois da violenta morte de seu esposo Adalbaldo, tomou o santo véu religioso por conselho de santo Amando, governando com grande acerto a suas monjas nesse mosteiro (c. 688).

Santa Rictrudis nasceu quanto em Gasconha (França) em 612 de uma família tão rica como devota. Em jovem idade teve como director espiritual Santo Amando de Maastricht, desterrado justamente para aquela região pelo rei Dagoberto, a quem condenou sua conduta licenciosa.
Amando viveu naquele período como hóspede da família de Rictrudis e desde este lugar o santo francês empreendeu a obra de evangelização na Gasconha. Outro nobre francês, Santo Adabaldo, costumava visitar aquela casa, ganhando o favor do rei Clodoveo II e logrando, apesar da oposição dos aristocratas gascões, que Rictrudis seja sua esposa. Os dois foram a viver perto de Ostrevant, na região de Flandres, e tiveram quatro filhos, também todos eles venerados como santos: Adalsinda, Clotsinda, Mauronto e Eusébia.
Amando os visitava frequentemente, eles levavam uma vida "Devota e encantadora", como afirma seu biógrafo. Sem embargo esta feliz existência não estava destinada a durar e em 652 Adabaldo foi assassinado por gascões, presumivelmente ainda hostis à boda celebrada com Rictrudis. Mereceu assim ser mencionado como mártir, ainda que sua comemoração, em 2 de Fevereiro, em honra à  verdade já não está incluída no  Martirológio Romano. 
Por causa da trágica desaparição do marido, Rictrudis expressara o desejo de se fazer monja, mas Amando a aconselhou esperar todavia, ao menos até outros projectos para ela, pensava entregá-la como esposa de um dos protegidos. Amando conseguiu ditosamente persuadi-lo a deixá-la livre e assim ela pôde felizmente ir a Marchiennes, onde fundou um mosteiro masculino e um feminino. Foi abadessa dele por muitos anos e as suas duas filhas mais velhas, Adalsinda e Clotsinda, foram também monjas nesse mosteiro. Mais tarde também ingressou Mauronto. A primeira filha morreu jovem, enquanto em troca a segunda foi a sucessora como abadessa quando Rictrudis morreu em 678. A última filha, Eusébia, viveu com a avó.
Esta família, incluída toda na glória dos altares, não é mais que um dos muitos casos parecidos verificados nos dois mil anos de cristianismo. Santa Rictrudis é comemorado pelo Martirológio Romano a 12 de Maio.

responsável da tradução: Xavier Villalta

Reproduzido com autorização de Santiebeati.it

 

SANTA LÚCIA FILIPPINI

 

Educadora (1672-1732)

 

Veio ao mundo em Turquinia (Itália), a 13 de Janeiro de 1672, no seio de uma nobre e cristã família. Aos poucos meses perdeu a mãe e aos sete anos, o pai. Recolhida pelos tios maternos recebeu a educação própria dos nobres daquela época. Em 1688, o cardeal Marcantónio Barbarigo, admirado com o comportamento exemplar de Lúcia, pediu licença aos parentes para levá-la com ele para Montefiascone, a fim de lhe proporcionar uma sólida formação. Hospedada como educanda no mosteiro de Santa Clara, em 1694 o cardeal Barbarigo confiou-lhe a direcção das escolas populares femininas abertas na diocese dois anos antes por Rosa Venerini.

Lúcia Filippini consolidou as escolas existentes, abriu outras novas e, associada ao cardeal Barbarigo, fundou o Instituto das Mestras Pias, que mais tarde tomará o nome de Mestras Pias Filippini. A sua fama de educadora estendeu-se de tal forma que em 1707 o Papa Clemente XI convidou-a para fundar algumas escolas populares e um  conservatório em Roma. Tornou-se assim  a primeira  das escolas populares na cidade eterna e no Estado Pontifício. Depois de uma longa e dolorosa enfermidade, morreu aos 60 anos, em Montefiascone (Viterbo) no dia 25 de Março de 1732. Pio XI na alocução de 29 de Setembro de 1926, classificou-a: «A mestra santa».  DIP 5, 745-6.  www.jesuitas.pt

 

Outros Santos e Beatos
Maio 12   -  Completando o santoral deste dia

Santo Cirilo, mártir

Em Axiópolis, em Mesia (hoje Bulgária), são Cirilo, mártir, que foi martirizado junto com seis companheiros (c. s. III).

Santo Modoaldo, bispo

Em Tréveris, da Renânia, na Austrásia, santo Modoaldo, bispo, que fundou e enriqueceu várias igrejas e mosteiros, e constituiu também diversos grupos de virgens, sendo sepultado junto a sua irmã Severa (c. 647).

http://es.catholic.net/santoral  e   www.jesuitas.pt

Recolha, transcrição e tradução parcial de espanhol para português por António Fonseca