OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Nº 1149 - 8 DE OUTUBRO DE 2010 - SANTOS DE CADA DIA

 

Taíde (ou Thais) de Egipto, Santa
Penitente

Taide (o Thais) de Egipto, Santa

Taíde (ou Thais) de Egipto, Santa

Penitente

(Esta biografia foi já publicada ontem (7/10) conforme texto de www.es.catholic, agora aproveito para a transcrever do livro Santos de Cada Dia, de www.jesuitas.pt. a respectiva versão)

Taís levava vida de pecado no Egipto, quando Pafnúcio deixou o seu retiro para a converter ao bom caminho. Tendo chegado a casa dela, disse-lhe que desejava falar-lhe a sós, onde ninguém os pudesse ver. «Se tens medo dos homens, observou a cortesã, eles não nos poderão ver aqui; mas se é de deus que temes, bem sabes que Ele está em toda a parte». Aproveitando essas palavras para tema de reflexões, Pafnúcio falou-lhe dos novíssimos e, porque era santo, converteu-a com a graça de Deus. Taís arremessou às chamas os vestidos de luxo e as joias; o eremita acompanhou-a então até um mosteiro do deserto e encerrou-a numa cela emparedada, depois de lhe dizer: «Os teus lábios estão manchados demais para te atreveres a pronunciar o nome de Deus. Limita-te, portanto, a rezar a seguinte oração: “Vós que me criastes, tende compaixão de mim”». Taís passou três anos na cela, orando e chorando sem cessar, mas acabou por encontrar a paz. Julgando, depois de consultar Paulo, o Simples, que a sua reclusão já tinha durado tempo suficiente, Pafnúcio restituiu-a à liberdade. A penitente juntou-se então às outras religiosas do mosteiro, mas quinze dias depois morria. Isto no século IV. A grande atriz francesa Eva Lavallière (1886-1929), lembrando que tinha imitado no pecado e na conversão a santa egípcia, mandou pôr na sua campa este epitáfio: «Eva Lavallière, 190 de Julho de 1929. Ó Vós, que me criastes, tende compaixão de mim» (Oração de Santa Taís). Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt.

 

Pelágia de Antioquia, Santa
Outubro 8

Pelagia de Antioquía, Santa

Pelágia de Antioquia, Santa

Virgem e Mártir
Esta jovem cristã de quinze anos escolheu a morte, antes que deixar-se manchar por um magistrado que queria abusar dela. Numa homilia célebre em que exalta o seu acto, S. João Crisóstomo indica como Pelágia zombou dos soldados que uma personalidade desbragada tinha incumbido de lha trazerem. «O demónio, diz, vangloria-se por vezes de anunciar o futuro. É pena que não tenha profetizado nesse dia a confusão de que se ia cobrir; porque nunca foi mais ridículo. Vedes esta virgem que está presa nas suas redes, mas que ele não conseguiu manter nelas? Pelágia imaginou um estratagema tão habilidoso que os soldados não se desenganaram ainda. Com  ar calmo e alegre, fingindo ter mudado de parecer, ela pede-lhes que a deixem retirar um momento, só quanto é preciso para vestir os adornos convenientes a uma noiva. Eles não só não veem nisso o menor inconveniente, mas dizem-se felizes podendo oferecer ao juiz uma menina bem enfeitada. No que a ela respeita, sai descansadamente do quarto, sobe a correr ao tecto da casa e lança-se no vazio. E foi assim que Pelágia furtou o corpo à mancha; assim que ela libertou a sua alma para lhe permitir que subisse ao céu; assim que ela entregou os seus restos mortais a um inimigo desde agora inofensivo». O suicídio contraria uma lei geral e portanto não se pode admitir. Mas num caso particular, como neste e nalgum outro, as circunstâncias levam a concluir ter havido por parte de Deus uma dispensa e indicação, para se aproveitar destas a pessoa e segundo estas proceder. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt.

Félix de Como, Santo
Outubro 8 bispo,

Felix de Como, Santo

Félix de Como, Santo

bispo

Etimologicamente significa “feliz”. Vem da língua latina.
No Diário de Dostoievski encontramos a bela palavra hebraica “Hosanna”. Expressa um louvor a Deus, um agradecimento. Todo o crente, começando pelos santos são pessoas gratas.
Félix foi bispo no século IV. Esta preciosa cidade tem contado ao longo de sua história com vários bispos santos:
Abúndio, Ermágora e Amâncio.
Mas entre todos eles, Félix sobressaiu porque chegou a muito velho e porque foi o primeiro bispo deste sitio encantador.
Cada ano é recordado em 18 de outubro. O Martirológio romano coloca sua festa tal dia como hoje.
Tocou-lhe viver na metade do século IV. A data de sua morte aconteceu no ano 390.
Quando foi eleito bispo de Como, os pagãos acampavam nos arrabaldes. Eram maioria absoluta.
Desde que ele entrou na posse do cargo desta pequena diocese, tudo foi mudando lentamente mas com firmeza.
A comunidade cristã constituiu para muitos pagãos uma forma excelente de viver a fé no Deus que proclamavam e a que oravam várias vezes por dia.
As cerimónias religiosas, seus cantos, sua participação na Eucaristia deixava atónitos aos pagãos.
Sua nomeação como bispo provinha do grande santo Ambrósio de Milão.
Disse este santo milanês que Félix trabalhava tanto que nem sequer teve tempo para lhe escrever uma carta. Toda sua vida foi um puro louvor a Deus.
¡Felicidades a quem leve este nome!

Comentários a P. Felipe Santos: fsantossdb@hotmail.com

Hugo de Génova, Santo
Outubro 8 Religioso,

Hugo de Génova, Santo

Hugo de Génova, Santo

Religioso

Martirológio Romano: Em Génova, da província de Ligúria, santo Hugo, religioso, que, depois de haver lutado longo tempo na Terra Santa, foi designado para reger a Comenda da Ordem de São João de Jerusalém  nesta cidade, e se distinguiu por sua bondade e sua caridade para com os pobres (c. 1233).
Etimologia: Hugo = aquele de inteligência clara, vem do germano
Nascido em redor de 1186 em Alexandria (Itália), converteu-se num cavaleiro da Ordem de São João de Jerusalém. Depois de longas campanhas na Terra Santa, foi eleito Mestre da Comenda de São João em Génova (Itália) e trabalhou na enfermaria mais próxima. Foi famoso por poderes milagrosos sobre os elementos naturais. Se crê que morreu em 1233.
Fue el Comandante en Génova y su hospital alcanzó mucha fama durante su administración. Eso no le impidió ser un religioso ejemplar, logrando "el ejercicio de la religión hacia Dios y sus vecinos". Es bien sabido cuánto sacrificio y devoción puede contener esta frase.
De acuerdo a un retrato escrito en sus tiemmpos sabemos que San Hugo era delgado, con un rostro ascético, y pequeño en estatura.
Él era bastante gentil y amable con todos. Su mortificación no resultaba una malestia para los demás. Dormía en un tablero, en un rincón del sótano del Hospital; sirvió a los pobres con amor y tacto, dándoles comida, dinero, consuelo espiritual y amor fraternal. Él lavaba los pies a los pascientes, cuidaba de ellos, y cuando ellos morían, él los enterraba. La cruz de ocho puntas, (símbolo de su orden), no sólo estaba en su capa, él la llevaba en su corazón. Tan grande era su celo que él se ciñó con un cinturón metálico que usaba dentro de sus vestiduras, hacía ayunos continuamente durante todo el año y durante la Cuaresma no comía nada cocinado.
Todos los días recitaba el oficio y oía Misa con tal fervor que muchas veces cayó en éxtasis y se elevaba del suelo a la vista de todos. Su oración era, evidentemente, continua, y Dios le recompensó por ello con un don de poder realizar milagros.
Estos milagros fueron presenciados por el arzobispo de Génova, Otto Fusco, así como por cuatro venerable canónigos que frecuentaban la casa del santo y atestiguaron sobre lo que vieron.
Se cuenta, por ejemplo, que en uno de esos días sofocantes en Italia, de aquellos en que se siente que el calor lo aplasta, algunas mujeres se encontraban en la sala común de la enfermería lavando la ropa de los enfermos; el suministro de agua falló y no llegaba líquido a la fuente del monasterio, la única solución era recorrer una gran distancia para acarrear el agua necesaria. Ellas comenzaron a quejarse a viva voz, por lo que San Hugo pudo oírlas y acudió para ver que era lo que pasaba. Cuando llegó le pidieron que les diera agua, y ante su negativa ellas rompieron en llanto exclamando: "¿Acaso usted no es capaz de conseguir cualquier cosa de Dios?", "debemos orar" fue su respuesta, "¡todo debemos hacerlo nosotras!", "no soy el Señor, Él dijo que la fe obra milagros, ¿tienen fe ustedes?", ellas lloraban diciendo que estaban agotadas por el trabajo y el calor. Él no estaba muy convencido pero en un gesto de caridad, oró al Creador, y luego hizo la señal de la cruz y las aguas brotaron de las rocas de la fuente ante las exclamaciones de sorpresa de las empleadas.
Por su fe, capaz de mover montañas, su vigilante e incansable caridad, así como por sus otras virtudes diarias, especialmente su gentileza y cortesía, es para nosotros un ejemplo vigorizante, y tal vez imitándolo podamos compartir la gloria eterna.

Outros Santos e Beatos
Outubro 8 Completando o santoral deste dia,

Otros Santos y Beatos

Outros Santos e Beatos

Santa Reparada, virgem e mártir
Comemoração de santa Reparada, que é venerada em muitos lugares como virgem e mártir (c. s. IV).

São Félix, bispo – Ver biografia acima.

Santo Evódio, bispo
Em Rouen, na Gália Lugdunense, santo Evódio, bispo (s. V).


Santa Ragenfreda, abadessa
No mosteiro de Denain, no Hainaut, santa Ragenfreda, abadessa, que com seus bens fundou esse cenóbio a que presidiu dignamente (s. VIII).


Beatos João Adams, Roberto Dibdale e João Lowe, presbíteros e mártires
Em Londres, - Inglaterra, beatos Juan Adams, Roberto Dibdale e Juan Lowe, presbíteros e mártires, que em tempo da rainha Isabel I, por ter servido ao povo fiel cada um em seu lugar, foram condenados à morte e martirizados atrozmente em Tyburn, alcançando assim o reino dos céus (1586).
 

95140 > Santa Benedetta di Origny-sur-Oise Martire 
73570 > Sant' Evodio di Rouen Vescovo MR
73560 > San Felice di Como Vescovo  MR
73590 > Beati Giovanni Adams, Roberto Dibdale e Giovanni Lowe Martiri  MR
91207 > Beato Marzio Eremita in Umbria
93663 > Sante Palazia e Laurenzia Martiri 
73550 > Santa Pelagia  MR
73580 > Santa Ragenfreda (Ragenfrida) Badessa 8 MR
73575 > Santa Reparata di Cesarea di Palestina Martire  MR
90463 > Santa Taisia (Taide) Penitente 
90466 > Sant' Ugo da Genova Religioso dell'Ordine di Malta  MR

António Fonseca