OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

terça-feira, 28 de junho de 2011

Nº 964 (179) - 28 DE JUNHO DE 2011 - SANTOS DE CADA DIA - 3º ANO

67 SANTOS E BEATOS

Nº 964

SANTO IRENEU

Bispo de Lião (202)

Ireneo di Leone

Ireneu, Santo

A 2 de Junho celebramos os mártires de Lião, imolados no ano de 177. Os sobreviventes, impressionados com a perturbação que despertava o movimento profético montanista, nascido na Ásia menor, enviaram cartas aos irmãos da Ásia e da Frígia, assim como a Santo Eleutério, bispo de Roma, papa. E pediram a Ireneu que lhes servisse de embaixador. Veio munido da seguinte recomendação para Eleutério: «Encarregamos o nosso irmão e companheiro, Ireneu, de te entregar esta carta e pedimos-te que lhe deis bom acolhimento, como a zeloso que é pelo testamento de Cristo», «Se pensássemos que o posto cria a justiça, nós havíamos de o apresentar primeiro como sacerdote da Igreja, porque é isso que ele é». O nome de Ireneu deriva da palavra grega que significava «paz». Ireneu recebia uma missão de paz. Sempre seria ele agente de ligação, de união e de paz. A Gália era nessa altura país de missão e não tinha ainda, ao que parece, episcopado indígena. Ireneu, sucessor de Potino em Lião como bispo, nascera na Ásia Menor, talvez em Esmirna, pelos anos de 130-135. Na juventude, conhecera o santo bispo Policarpo. «Posso dizer, escrevia ele uns 30 anos depois, onde o bem-aventurado Policarpo se sentava para falar, como entrava e saía, qual era o carácter da sua vida, o seu físico, as conversas que tinha com o seu povo, como ele contava as suas relações com João e com os outros, que tinham visto o Senhor…». O seu espírito formara-se admirando as «testemunhas do Verbo da vida»; tinha portanto recebido em alto grau o culto da tradição. Compreende-se que as novidades gnósticas, tenham encontrado nele um adversário decidido. A gnose (palavra grega a significar ciência, conhecimento) pretendia oferecer a um escol conhecimentos superiores sobre Deus e o universo. A passagem difícil do infinito ao finito realizava-se, neste sistema, graças a emanações de seres intermediários, os leões, cujos acasalamentos estranhos faziam reviver as teogonias mitológicas. Ireneu escreveu contra a gnose. A refutação da falsa ciência, livro que se chama também Adversus haereses (Contra as heresias). Desculpava-se do seu mau estilo grego: «Vivemos entre os celtas e, na nossa acção junto deles, usamos muitas vezes língua bárbara». Mas o contacto com estes bárbaros, que traziam travada no coração pelo espírito a mensagem, da salvação, era salutar. Para vencer os inovadores, bastava quase revelar as doutrinas que propunham. O emprego da ironia, a propósito de todos estes partos de leões, seria fácil. Mas Ireneu procurava sobretudo converter os gnósticos: «Com toda a nossa alma, estendemos-lhe a mão, e não nos cansaremos de o fazer». Diante das fantasias mórbidas dos adversários, quanto parece simples a sua teologia, sã e optimista: «O Verbo de Deus, impelido pelo imenso amor que nos dedicava, fez-Se o que nós somos para nos fazer o que Ele próprio é». Sem descuidar a teologia, Ireneu expôs com felicidade particular o argumento da tradição: « A tradição dos apóstolos está manifesta no mundo inteiro; basta contemplá-la em qualquer Igreja, para ver a verdade quem quer. Podemos enumerar os bispos que foram instituídos pelos apóstolos, e os sucessores deles até nós; nada ensinaram, nada conheceram que se parecesse com essas loucuras. Porque se os apóstolos tivessem conhecido mistérios escondidos, com os quais tivessem instruído os perfeitos – isolados do resto e no desconhecimento do resto (dos cristãos) – seria sobretudo àqueles a quem entregaram as Igrejas que eles os comunicariam. Exigiam a perfeição absoluta, impecável, daqueles que lhes sucediam e a quem confiavam, em lugar deles, o cargo de ensinar… Levar-nos-ia longe de mais… enumerar os sucessores dos apóstolos em todas as Igrejas; não nos ocuparemos senão da maior e mais antiga, conhecida de todos, da Igreja fundada e constituída em Roma pelos dois gloriosíssimos apóstolos Pedro e Paulo; mostraremos que a tradição, que ela conserva dos apóstolos, e a fé, que ela anunciou aos homens, chegaram até nós, por sucessões regulares de bispos… É com esta Igreja (romana), por causa da autoridade da sua origem, que deve estar de acordo toda a Igreja, isto é, todos os fiéis vindos de toda a parte; e foi nela que todos estes fiéis conservaram a tradição apostólica». Ireneu escreveu também um livrinho, Demonstração da pregação apostólica. Estava perdido, mas foi descoberto em 1904, em tradução arménia. Na controvérsia sobre a data da Páscoa, Ireneu inclinava-se para o costume da Ásia, que festejava a ressurreição no domingo, e não noutro dia. Mas tendia também para salvaguardar a caridade, a tolerância. Procurava conter o papa Vítor, inclinado a excomungar os dissidentes. escrevera: «Não há Deus sem bondade». Finou-se Ireneu pelo ano de 202. Morreu mártir? Há no sentido afirmativo uma indicação do martirológio jeronimiano, outra do próprio S. Jerónimo e outra de S. Gregório de Tours. Os antigos bolandistas propendiam neste sentido; mas nada se pode afirmar ao certo. Santo Ireneu, segundo S. Gregório de Tours, foi enterrado na cripta da basílica de S. João, debaixo do altar; a esta basílica sucedeu uma igreja de Santo Ireneu, que deu o nome a um bairro de Lião. Em 1562, os calvinistas dispersaram as relíquias do santo. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt. Ver também http://es.catholic.net/santoral e www.santiebeati.it

• Heinrado, Santo 
O louco por Cristo

 Heinrado

Heinrado, Santo

Etimologicamente significa “protetor de um Estado”. Vem da língua alemã. O Evangelho é levedura que purifica e eleva a quem se deixa levar por sua vida e ensino. Este jovem, originário de Suabia, foi, sem lugar a dúvidas, uma das figuras mais populares em toda a Idade Média. Seus pais eram simples trabalhadores. Não suspeitavam que seu filho inclinasse sua vida pelo sacerdócio. A razão é muito simples: era algo que não se coadunava naqueles ambientes. Mais ou menos como ocorre hoje em dia. Como muitos outros, saiu em peregrinação para Terra Santa. Deve ter ali vivido tão intensamente as pegadas de Cristo, que, à sua volta, lhe puserem por nome “O Louco por Cristo”. Durante quarenta anos, se dedicou a percorrer Alemanha em plano de peregrino. Era tão simples e tão bom que todo o mundo o tratava como ao próprio Jesús. Em suas correrias apostólicas e sacrificadas, se acercou a um mosteiro em Renânia, Alemanha. Quando esteve ante a presença do abade do dito lugar santo, Heinrado o increpou pela sua pouca santidade de vida. E mandou que lhe desse uma paulada. Outra vez em Wesffalia, um cura lhe lançou os cães para que deixasse quanto antes a paróquia. A própria imperatriz Cunegunda ordenou que o açoutassem porque havia dito que ele era irmão do imperador. Quando o castigo tinha terminado, disse a ela:" Temos o mesmo Pai nos céus".Santa Cunegunda o lamentou e lhe pediu perdão. E tal como havia sido, assim morreu; só e abandonado numa cabana.
¡Felicidades a quem leve este nome! Comentários a P. Felipe Santos: al Santoral">fsantossdb@hotmail.com

• Vicenta Gerosa, Santa
Co-fundadora

Vincenza Gerosa

Vicenta Gerosa, Santa

Vicenta Gerosa nasceu em Lovere, no ano 1784, sobre o lago de Isso (Lombardia) de família de comerciantes acomodados e prósperos. Foi baptizada com o nome de Catalina Gerosa, sua infância transcorreu parte no colégio, incomodada por vários lutos e vicissitudes políticas. Devia também acostumar-se ao trabalho, mas sua ocupação preferida era recolher a outras jovens para as adestrar em vários trabalhos domésticos e estar juntas em oração. Era de grande proveito para sua alma a presença de dos sacerdotes santos, desejosos de desenvolver as obras de caridade. Lhe chegou um novo impulso com a chegada de Bartolomea Capitanio. Cedo Vicenta foi atraída por seu entusiasmo, e aceitou fundar com ela uma Congregação consagrada à caridade para com os necessitados e particularmente os enfermos. Com anterioridade se havia inscrito na Terceira Ordem franciscana, e do franciscanismo havia aprendido um espírito profundamente evangélico. Con sólo 26 años en 1833 muere Bartolomea Capitanio: su muerte pareció comprometerlo todo; pero Vicenta recibió consejos para continuar y fue así como superando una a una las dificultades de las diversas aprobaciones del gobierno austríaco y de la Iglesia, el 25 de marzo de 1835 se pudo proceder a la vestición en el nuevo Instituto. Desde entonces el Instituto se difundía y las casas se multiplicaban. La gran prueba del cólera en 1836 reveló al pueblo a aquellas nuevas hermanas como verdaderos ángeles de caridad. Sólo en 1841 pudo tener lugar la ceremonia de la profesión religiosa. Vicenta Gerosa viene a ser al primera en el Instituto de las Hermanas de la Caridad de María Niña. No quiso asumir el título de superiora, sino de hermana mayor. Redactó con particular sabiduría las Constituciones del Instituto pensando en la formación espiritual e intelectual de las nuevas hermanas. Sin grandes dotes de ingenio, sin gran cultura, Sor Vicenta Gerosa fue una maravillosa directora de espíritu y una hábil organizadora. Ella conocía al Crucificado, es decir, conocía el secreto del sacrificio, de la paciencia, por lo cual la serenidad y la confianza la acompañaban constantemente. En 1840 una carta apostólica de Gregorio XVI aprobaba el Instituto de Lovere. A la muerte de la hermana mayor, a los 63 años de edad el 20 de junio de 1847, ya se contaban 24 casas del Instituto de las Hermanas de la Caridad de María Niña esparcidas por todo el mundo, desde Palestina hasta América. También esto movió a Pío XII a la canonización de Santa Vicenta el 18 de mayo de 1950.

• Paulo I, Santo
XCIII Papa

Paulo I - Papa

Pablo I, Santo

Nasceu em Roma em 700, sendo irmão do falecido papa Estevão II e seu colaborador. Era diácono. Morreu em, Roma, em 28 de Junho de 767. Com a morte de Estevão II gerou-se um movimento que pretendia eleger como papa o filo bizantino Teofilato, mas a facção maioritária do clero e nobreza romanos, propensa à aliança com os Francos, elegeu em 29 de Maio de 757, o diácono Paulo, irmão do falecido papa Estevão II. Logo que foi eleito, escreveu ao rei Pepino, o Breve, dando-lhe conta da eleição. O rei respondeu amigavelmente, enviando-lhe uma madeixa de cabelos da sua filha Gisela e rogando-lhe que se dignasse ser seu padrinho. Ao mesmo tempo escreveu à nobreza e ao povo de Roma recomendando total fidelidade a São Pedro, à Igreja e ao papa. A concordância foi unânime e comunicada ao rei, mas para além desta adesão ao papa, o Senado e os magistrados compreenderam a necessidade do apoio ao rei dos Francos, a quem chamaram «patrício romano». Bizâncio, que não abandonava a ideia de reaver a Itália imperial, mostra-se ameaçadora. Paulo I recorda ao rei dos Francos as suas raízes religiosas e, fosse por pressão de Pepino, fosse por desejar ter o rei dos Francos do seu lado, os Longobardos restituem a Roma a as cidades reclamadas, como Paulo I comunicou ao rei em Abril de 764. Pepino renova ao papa a sua fé ortodoxa, confirmada por um concilio particular, de 767, que aprova a discutida veneração das imagens. Paulo I, como fizera seu irmão, dedicou-se ao restauro e construção de alguns edifícios religiosos, como a capela em honra de Santa Petronila, junto à basílica do príncipe dos apóstolos. Como o auxilio de Pepino, salvou e restaurou as catacumbas, devastadas pelos Longobardos, trasladando diversas relíquias dos mártires para as igrejas de Roma. Distinguiu-se pela sua extrema caridade para com os mais necessitados, visitando os encarcerados, usando a sua influência para comutação das penas dos condenados à morte e chegando a pagar as dívidas dos encarcerados para que fossem libertados. A sua bondade foi ao ponto de transformar o palácio que pertencia à família em mosteiro para receber os monges orientais acossados pelos ímpios. Morreu, vítima de febres malignas, em São Paulo Extramuros, sendo trasladado, três meses depois, para a Basílica de São Pedro. Do livro “O  PAPADO – 2000 anos de História”, de Mendonça Ferreira e Círculo de Leitores. Ver também www.es.catholic.net e www.santiebeati.it. No Livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt, possivelmente, por lapso. vem indicada a biografia do papa S. Leão II que faleceu 84 anos (!) antes de S. Paulo I.Este lapso deve ter sido causado pelo facto de Leão II ter falecido em 4 de Junho de 683 e sepultado só… em 28 do mesmo mês… penso eu, pelo que me dispenso de a publicar aqui neste blogue

María Pía Mastena, Beata
Fundadora

maria_pia_mastena

María Pía Mastena, Beata

MARÍA PIA MASTENA nasceu em 7 de Dezembro de 1881 em Bovolone, província de Verona. As testemunhas falam dos pais da beata como óptimos cristãos e muito fervorosos na prática religiosa e no exercício da caridade. Dos quatro irmãos, o último, Tarcisio, professou na Ordem dos Capuchinhos e morreu também em odor de santidade. A futura beata recebeu com grande fervor em 19 de Março de 1891 a primeira comunhão, em cuja ocasião emitiu privadamente o voto de castidade. Em 29 de Agosto recebeu o sacramento da Confirmação. Durante sua adolescência frequentou assiduamente as funções religiosas e se comprometeu nas actividades da paróquia, especialmente como catequista. Sentiu cedo a chamada à vida religiosa, continuando seu ideal em que sobressai sua grande devoção à Eucaristía e ao Santo Rosto. Na idade de 14 anos, pediu entrar no convento, mas só em 1901 foi aceite como postulante no Instituto das Irmãs da Misericórdia de Verona. Con el permiso de los Superiores, el 11 de abril de 1903, el mismo día que —sin saberlo— volaba al cielo la mística de Lucca, S. Gema Galgani, pronunció el « voto privado de víctima ». El 29 de septiembre de 1902 vistió el hábito religioso y el 24 de octubre de 1904 emitió los votos religiosos, imponiéndosele el nombre de Sor Passitea del Niño Jesús. La Beata vivió con generosa intensidad espiritual esta primera etapa de su vida religiosa y la recordará siempre como un tiempo de gracia y de bendición, hablando siempre con estima y agradecimiento de los superiores y de las religiosas del instituto Hermanas de la Misericordia. El fervor encontrado en este instituto la moverá a pronunciar más adelante el voto de buscar en todo lo más perfecto. Se dedicó a la enseñanza en diversos lugares de la región véneta, residiendo 19 años en Miañe, dedicándose además a un intenso apostolado entre los alumnos de todas las edades, enfermos e inválidos. Buscando secundar sus anhelos contemplativos, el 15 de abril de 1927, con la autorización de sus superiores y el « nulla osta » de la Santa Sede, entró en el monasterio cisterciense de Veglie. El 15 de noviembre de 1927, animada por el Obispo de Vittorio Veneto, abandonó el Monasterio, volvió a la enseñanza y emprendió la fundación de una nueva Congregación llamada Religiosas del Santo Rostro. Erigida canónicamente el 8 de diciembre de 1936, después de muchos sufrimientos, fue reconocida como Congregación de Derecho Pontificio el 10 de diciembre de 1947. En el futuro toda su actividad la dedicó a consolidar y extender la Congregación, promoviendo nuevas iniciativas en favor de los pobres, de los que sufren y de los enfermos, confiando al Instituto el carisma de « propagar, reparar, restablecer la imagen del dulce Jesús en las almas ». Murió en Roma el 28 de junio de 1951. El 13 de noviembre de 2005 la beatificó S.S. Benedicto XVI. Reproducido con autorización de Vatican.va

• Juan (John) Southworth, Santo
Sacerdote e Mártir

Juan (John) Southworth, Santo

Juan (John) Southworth, Santo

Martirológio Romano: Em Londres, em Inglaterra, são Juan Southworth, presbítero e mártir, que, por exercer seu sacerdócio nesse país, teve que suportar cárceres e desterros, e sob Oliverio Cromwell foi condenado a morte. Quando viu o patíbulo preparado em Tyburn, exclamou que era para ele o que foi a cruz para Cristo (1654).Etimologicamente: João = Deus é misericordioso, é de origem hebraica. Nasceu no ano 1592 em Samlesbury, Lancashire, Inglaterra. Estudou e se ordenou na Universidade Inglesa, em Douai, França. Regressou a Inglaterra 13 de Outubro de 1619 para atender aos católicos e lograr conversões. Preso e condenado à morte por sua fé em Lancashire em 1627, esteve em varias prisões. Ouviu a confissão final de Santo Edmundo Arrowsmith justamente uns minutos antes daquele mártir fosse levado ao patíbulo. Através da intercessão de Rainha Henrietta Maria, ele e outros quinze sacerdotes foram postos sob a protecção do embaixador francês e em 11 de Abril de 1630 foi enviado ao desterro em França. Pouco depois, o Padre João regressou a Inglaterra e trabalha com Santo Henry Morse. Eles laboraram incansável e intrepidamente ajudando aos enfermos durante o nascimento da praga de 1636.  Foi preso novamente por sua fé em Westminster em 28 de Novembro de 1637. Esteve encarcerado até 16 de Julho de 1640 quando o deixaram em liberdade por suas boas obras em favor dos mais necessitados. Novamente preso em 2 de Dezembro de 1640, foi encontrado culpável do crime de exercer o sacerdócio,e foi condenado à morte. Depois de 14 anos em prisão durante os quais trabalhou e ajudou a qualquer prisioneiro que mostrasse interesse na fé. Em 28 de Junho de 1654, foi enforcado, arrastado e esquartejado em Tyburn. Seus restos foram resgatados pelo embaixador espanhol em Inglaterra e enviados à Universidade Inglesa em Douai. Durante a revolução francesa os restos foram escondidos para evitar sua destruição, e se os reencontrou no ano 1927 e actualmente estão na Catedral de Westminster em Londres. É um dos Quarenta Mártires de Inglaterra e Gales. Foi canonizado em 25 de Outubro de 1970 pelo Papa Paulo VI.

• Argemiro de Cabra e de Córdoba, Santo
Mártir

- Argimiro de Cabra y de Córdoba, Santo

Argemiro de Cabra e de Córdoba, Santo

Martirológio Romano: Em Córdoba, na província hispânica de Andaluzia, santo Argemiro, mártir, que na perseguição sob os sarracenos em tempo de Mohamed II, sendo monge, e já avançado em idade, foi convidado pelo juiz a negar a Cristo, mas, por perseverar na confissão da fé, foi atormentado no potro e finalmente trespassado por uma lança (856). Etimologia: Argemiro = Exército famoso, vem do germano. Argemiro, nasceu em Egabro, actual Cabra; e morreu em Córdoba, em 28 de Junho de 856. Foi um religioso moçárabe em Al-Andaluz, venerado como santo com o nome de Santo Argemiro ou Santo Argimiro de Cabra. Argimiro foi durante algum tempo censor do emirato em Egabro, e ao afastar-se da administração se retirou a um mosteiro em Córdoba. Foi conduzido ante um juiz acusado de profissão do cristianismo e haver injuriado o profeta Maomé. Após alguns dias detido e encerrado em prisão, foi reconduzido ao juiz que se esforçou em convencê-lo mas não conseguiram fazê-lo mudar de parecer. Foi condenado a ser decapitado, sucedendo o martírio em 28 de Junho de 856, dia em que a Igreja o comemora.  Seu corpo permaneceu no patíbulo durante muitos dias até que por ordem do juiz foi trasladado à basílica de Santo Acisclo, perto de seu sepulcro e de Santo Perfeito

59920 > Sant' Argimiro di Cordova Martire 28 giugno MR

Argimiro di Cordova
59900 > Sant' Attilio Soldato e martire 28 giugno

Attilio
91710 > Beato Eimerado Sacerdote eremita 28 giugno MR

Beato Eimerado 
93307 > San Giovanni Southworth Sacerdote e martire 28 giugno MR

Giovanni Southworth 
23500 > Sant' Ireneo di Lione Vescovo e martire 28 giugno - Memoria MR

ireneo_lyon 
59930 > Sante Lucia Wang Cheng, Maria Fan Kun, Maria Qi Yu e Maria Zheng Xu Fanciulle cinesi, martiri 28 giugno MR

Lucia Wang Cheng

 
94423 > San Lupercio Martire 28 giugno

Lupercio

59940 > Santa Maria Du Zhaozhi Martire 28 giugno MR

Maria Du Zhaozhi 
91257 > Beata Maria Pia Mastena Fondatrice 28 giugno
Beata Maria Pia Mastena

59910 > Santi Martiri di Alessandria d'Egitto santi martiri Plutarco, Sereno, Eraclíde catecumeno, Erone neofita, e un altro Sereno, Eráide catecumena, Potamiena e Marcella, sua madre 28 giugno MR

Santi Martiri di Alessandria d'Egito (Plutarco, Sereno, Eraclide, Erone, Sereno, Eráide, Potamiena e Marcella 
89093 > San Paolo I Papa 28 giugno MR

Paulo I - Papa 
94260 > Beato Pietro de Oriona Mercedario 28 giugno

Beato Pietro de Oriona 
91468 > Santa Potamiena d’Alessandria 28 giugno

Potamiena d'Alessandria

92933 > Beati Severiano (Severijan) Baranyk e Gioacchino (Jakym) Senkivskyj Sacerdoti e martiri 28 giugno MR

Beato Severiano (Severijan) BaranykBeato Gioacchino (Jakym) Senkivskyj
32700 > Santa Vincenza Gerosa Vergine 28 giugno MR

vicenta_gerosa

http://es.catholic.net/santoral e www.jesuitas.pt, www.santiebeati.it e, ainda, do livro O PAPADO - 2000 anos de História, do Círculo de Leitores.

Recolha, transcrição e tradução incompleta

por António Fonseca