OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

sábado, 13 de agosto de 2011

Nº 1010 - (205)–13 de agosto de 2011 - santos de cada dia - 3º ano


Nº 1010
SANTOS PONCIANO e  HIPÓLITO
Mártires (235)
San PonzianoSant' Ippolito 1
Em 212, Orígenes, de passagem por Roma, quis ouvir um padre célebre pela ciência teológica: e o orador teve a habilidade de no seu discurso incluir um elogio do seu ilustre ouvinte. Foi assim que Hipólito apareceu pela primeira vez. Tudo ignoramos da sua juventude e dos seus princípios como clérigo. As heresias abundavam no fim do século II e princípios do III, e os papas Vítor (189-198), Zeferino (198-217) e Calisto (217-222) não eram subtis teólogos. Hipólito muito seguro de si mesmo, comentava a Sagrada Escritura, com escritos duma violência inaudita combatia os hereges, que tratava como sucessores dos filósofos pagãos. Ao mesmo tempo, expunha a sua própria teologia. Era viciada por amor cego da tradição; nas controvérsias trinitárias, desenvolvia a doutrina dos apologistas do século II e a sua especulação poderia levar a fazer do Verbo de Deus uma criatura. Acusou o papa Zeferino de ser modalista e suprimir a Trindade, mas visando sobretudo o seu conselheiro, Calisto. Quando este subiu a papa, em 217, Hipólito recusou-se a reconhecê-lo e colocou-se a si mesmo à frente duma contra-Igreja, ficando a ser o primeiro antipapa. Hipólito atacou violentamente o Pontífice romano, acusando-o de violência excessiva quanto à remissão dos pecados. Manifestava excessivo espírito tradicionalista: não conseguia compreender que atos de indulgência não arruinavam a antiga disciplina. Pior ainda: escandalizando-se de ver a Igreja reconhecer os casamentos entre as matronas e os homens de condição inferior – nulos diante da lei civil –, mostrava apego pueril a uma ordem social abolida precisamente pelas ideias cristãs, de que ele se julgava o mais fiel sustentáculo. No fim do século II, os cristãos do Oriente e do Ocidente tinham acabado por se entender, fixando a Páscoa no domingo a seguir ao 14 de Nisã. Parece que foi Hipólito quem, primeiro idealizou estabelecer uma regra, um cânone, que permitisse encontrar facilmente a que dia do calendário romano correspondia esse domingo. Indicou as datas das Páscoas para 112 anos a partir de 222. Os seus admiradores elevaram-lhe uma estátua: Hipólito está sentado numa cadeira cujos lados têm gravados o catalogo dos seus livros e os resultados do cálculo sobre os dias da Páscoa. Por desgraça, estes cálculos estão errados: ao fim de 16 anos já o erro era de três dias. Essa estátua conserva-se à entrada da biblioteca do Vaticano. No ano indicado de 222, morte de Calisto, o cisma ainda subsistia. A perseguição de Maximino em 235 é que lhe marca o fim. Querendo os perseguidores ferir a Igreja na cabeça, deportaram o papa S. Ponciano para a Sardenha e, vendo que Hipólito se dava como chefe da Igreja, mandaram-no também para o exílio. O Papa legítimo apresentou a demissão, e o antipapa fez o mesmo, acrescentando o convite aos seus partidários para que entrassem na grande Igreja. Ambos os desterrados morreram no exílio. Mas foram ambos honrados como mártires e os corpos voltaram para Roma; Ponciano foi enterrado com  os papas no cemitério que viria a tomar o seu nome. O dia 13 de Agosto celebra esta dupla transferência. Graças aos esforços dos seus antigos partidários ou por outras causas, o túmulo de Hipólito depressa se tornou meta de peregrinos. No fim do século IV, o papa S. Dâmaso embelezou-o, mandou transportar para ele a estátua, e acrescentou, da sua lavra, uma inscrição em verso. Apesar de tudo, a memória de Hipólito perdeu-se. Tinha escrito em grego, sem dúvida por amor à tradição. O abandono desta língua em Roma, que já quase não estava em uso no seu tempo, levou a que as suas obras caíssem, no esquecimento. Mas na época moderna operou-se manifesta desforra; os seus livros exumados e identificados constituem para nós preciosos testemunhos da teologia primitiva e a sua Tradição Apostólica conservou-nos as mais antigas orações litúrgicas romanas que até nós chegaram. Do Livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt  Áudio da RadioVaticana:  RadioMaria: e RadioRai: 
SÃO CASSIANO DE IMOLA
Mártir (em princípios do século IV)
San Cassiano di Imola2
Na sua viagem a Roma, esteve o poeta Prudêncio em Imola, Itália. Na basílica, reparou numa pintura a representar um homem coberto de chagas, com os membros dilacerados e rodeado de rapazio que por todos os lados lhe feria o corpo.«Isto que vê, disse-lhe o guarda do templo, não é tradição sem fundamento, história de velhas; o artista inspirou-lhe num facto verdadeiro, prova de fé robusta dos nossos pais». Descrevendo em seguida o quadro, contou-lhe tratar-se de S. Cassiano, mestre-escola muito consciencioso e severo no cumprimento do seu dever. Negou-se a sacrificar diante dos ídolos e foi entregue à justiça. O juiz sentenciou-o a uma morte espantosa e singular. Deu plena liberdade aos alunos para se rirem do seu mestre e o atormentarem como lhes parecesse, até tirar-lhe a vida. Todos puseram neles as mãos. Uns atiraram-lhe à cabeça as  tabuinhas da aula, e outros, o maior número, espetaram-lhe e dilaceraram-lhe as carnes com os estiletes que usavam para escrever na cera. O tormento foi muito demorado e doloroso. Por fim, Cassiano acabou depois de perder todo o sangue. Sucedeu isto em princípios do século IV. Prudêncio recolheu estes dados um século mais tarde, pelo ano de 402, quando fez a sua peregrinação a Roma. O culto de S. Cassiano, estendeu-se rapidamente pela Itália e pelo mundo inteiro. Do Livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt
WWW.ES.CATHOLIC.NET/SANTORAL
Ponciano e Hipólito, Santos
Agosto 13 Papa y presbítero, Mártires
ponciano-papaSant' Ippolito 2
Benildo (Pedro Romançon), Santo
Agosto 13 Maestro Lasallista
benildo_romancon
Radegunda, Santa
Agosto 13 Reina de França,
radegunda-francia
Casiano de Imola, Santo
Agosto 13 Maestro y Mártir
casiano-imola
maximo_confesor
Juan Berchmans, Santo
Agosto 13 Religioso Jesuita
JUAN-berchmans 
Ponciano, Santo
Agosto 13 Papa y Mártir
ponciano-papa
Juan Agramunt, Beato
Agosto 13 Presbítero y Mártir
juan-agramunt
jose-tapies
marcos-aviano
Jacobo Gapp, Beato
Agosto 13 Presbítero y Mártir
jacobo-gapp
Modesto García Martí, Beato
Agosto 13 Presbítero y Mártir
modesto-garcia-marti
San Cassiano di Imola2San Cassiano di Imola3San Cassiano di Imola4San Cassiano di Imola6San Cassiano di Imola5
San Cassiano di Todi Vescovo e martire
San Cassiano di Todi
Santa Concordia Martire
Santa Concordia1Santa Concordia2Santa Concordia3
Beata Gertrude di Altenberg Badessa premostratense
Beato Giovanni Agramunt
San Giovanni Berchmans 1San Giovanni Berchmans 4San Giovanni Berchmans 5
Beato Giuseppe (José) Bonet Nadal Sacerdote salesiano e martire
Beato Guglielmo Freeman
Sant' Ippolito Sacerdote e martire 13 agosto
Sant' Ippolito 1 Sant' Ippolito4
 Sant' Ippolito Martire romano
Pasqual Araguàs Guardia (nato a Pont de Claverol, Pallars Jussà, Lleida, il 17 maggio 1899),
Pere Martret Moles (nato a La Seu d’Urgell, Alt Urgell, Lleida, il 5 luglio 1901),

Silvestre Arnau Pasquet (nato a Gòsol, Berguedà, Barcelona, il 30 maggio 1911),

Josep Boher Foix (nato a Sant Salvador de Toló, Pallars Jussà, Lleida, il 2 novembre 1887),
Francesc Castells Areny (nato a Pobla de Segur, Pallars Jussà, Lleida, il 31 luglio 1876),

Josep Joan Perot Juanmarti
Beato Marco d’Aviano1Beato Marco d’Aviano2Beato Marco d’Aviano4Beato Marco d’Aviano5
San Massimo il Confessore Teologo bizantino
San Massimo il Confessore 1San Massimo il Confessore 2San Massimo il Confessore 3San Massimo il Confessore 4
Beati Patrizio O’Healy e Conn O’Rourke
Beato Pietro Gabilhaud
 San Ponziano Papa e martire
San Ponziano
Santa Radegonda Regina di Francia
Santa Radegonda 1
Beati Secondino Maria Ortega Garcia e compagni
San Sventiboldo Re di Lorena
San Sventiboldo

 San Vigberto Abate
San Vigberto



Compilação por
António Fonseca