OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Doutrina Católica; Fundação AIS; etc., etc.. – 28-10-2011

 

Desenvolvimento da Igreja, Doutrina, História

O caráter divino da Igreja

Posted by Doutrina Católica ⋅ 27/10/2011 ⋅ Deixe um comentário

Filed Under apresentações, Desenvolvimento da Igreja, História da Igreja, Igreja Católica Apostólica Romana

Prof. Felipe Aquino

Espírito Santo

‘Onde está a Igreja aí está o Espírito Santo’

Pela vida da Igreja, e sua história, podemos ver com clareza a sua transcendência e divindade. Nenhuma instituição humana sobreviveu a tantos golpes, perseguições, martírios e massacres. A sua divindade provém, antes de tudo, d’Aquele que é a sua Cabeça, Jesus Cristo. Ele fez da Igreja o Seu próprio Corpo (cf. Cl 1,18).

Podemos dizer que, humanamente falando, a Igreja, como começou, tinha tudo para não dar certo. Em vez de escolher os “melhores” homens do Seu tempo: generais, filósofos gregos e romanos, entre outros, Jesus preferiu escolher doze homens simples da Galileia, naquela região desacreditada pelos próprios judeus. “Será que pode sair alguma coisa boa da Galileia?” (Jo 1,46).

Para deixar claro a todos os homens de todos os tempos e lugares, o Senhor preferiu “escolher os fracos para confundir os fortes” (I Cor 1, 27), e também para mostrar que “todo este poder extraordinário provém de Deus e não de nós” (II Cor 4,7); para que ninguém se vanglorie do serviço de Deus.

Aqueles doze homens simples, pescadores na maioria, “ganharam o mundo para Deus” na força do Espírito Santo, que o Senhor lhes deu no dia de Pentecostes. “Sereis minhas testemunhas… até os confins do mundo”(At 1, 8). Pedro e Paulo, depois de levarem a Boa Nova da salvação aos judeus e aos gentios da Ásia e Oriente Próximo, chegaram a Roma, a capital do mundo na época, e ali implantaram o Cristianismo. Pagaram com suas vidas sob a mão criminosa de Nero, no ano 64, juntamente com tantos outros mártires, que fizeram o escritor cristão Tertuliano (220) dizer que: “o sangue dos mártires era semente de novos cristãos”. Estimam os historiadores da Igreja em cem mil mártires nos três primeiros séculos. Talvez isso tenha feito os Padres da Igreja dizerem que “christianus alter Christus” (o cristão é um outro Cristo).

Mas esses homens simples venceram o maior império que até hoje o mundo já conheceu. Aquele que conquistou todo o mundo civilizado da época, não conseguiu dominar a força da fé. As perseguições se sucederam com os Césares romanos, até que Constantino, cuja mãe se tornara cristã, Santa Helena, se converteu ao Cristianismo. No ano 313 ele assinava o edito de Milão, proibindo a perseguição aos cristãos, depois de três séculos de sangue.

Mesmo depois disso surgiu um outro imperador que quis acabar com o Cristianismo, Juliano, mas deu-se por vencido, e no leito de morte exclamou: “Tu venceste, ó galileu!”. Por fim, por volta do ano 380, o imperador Teodósio tornava o Cristianismo a religião do Império. Roma fora vencida pela força da fé.

“Tu és Pedro; e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja [...] e as portas do inferno jamais prevalecerão contra ela” (Mt 16,18). Depois da perseguição romana, vieram as terríveis heresias. Já que o demônio não conseguiu destruir a Igreja, a partir de fora, tentava agora fazê-lo a partir de dentro. De alguns patriarcas das grandes sedes da Igreja, Constantinopla, Alexandria, etc., surgiam as falsas doutrinas, ameaçando dilacerar a Igreja por dentro. Mas, ao mesmo tempo, o Espírito Santo suscitava os grandes defensores da fé e da sã doutrina, os Padres da Igreja: Inácio de Antioquia (†107), Clemente de Roma (102), Ireneu de Lião (202), Cipriano de Cartago (258), Hilário de Poitiers (367), Cirilo de Jerusalém (386), Anastácio de Alexandria (373), Basílio (379), Gregório de Nazianzo (394), Gregório de Nissa (394), João Crisóstomo de Constantinopla (407), Ambrósio de Milão (397), Agostinho de Hipona (430), Jerônimo (420), Éfrem (373), Paulino de Nola (431), Cirilo de Alexandria (444), Leão Magno (461) e tantos outros que o Espírito Santo usou para derrotar as heresias nos diversos Concílios dos primeiros séculos.

Assim, foi vencido o perigo do arianismo de Ário, o macedonismo de Macedônio, o monofisismo de Êutiques, o monotelitismo de Sérgio, o novacionismo de Novaciano, o nestorianismo de Nestório, além de muitos erros de doutrina.

E assim, guiada pelo Espírito da Verdade (cf. Jo 16,13), que haveria de conduzi-la “a toda a verdade”, infalível e invencível, a Igreja foi caminhando até nossos dias. Entre tantos outros combates, venceu a própria miséria dos seus filhos, muitas vezes, mergulhados nas trevas do pecado; venceu os bárbaros que queriam destruir Roma e a fé; venceu os iconoclastas que queriam suprimir as imagens sagradas; venceu os déspotas e reis que queriam tomar as suas rédeas sagradas; venceu o nazismo, venceu a força diabólica do comunismo que fez tantos mártires; enfim, venceu… venceu… e venceu…., não com a força das armas e do ódio, mas com a força invencível da fé e do amor.

Certa vez Stalin, ditador soviético, para desafiar a Igreja, perguntou quantas legiões de soldados tinha o Papa; é pena que não sobrevivesse até hoje para ver o que aconteceu com o comunismo. Jesus deixou a Sua Igreja na terra, como “Lumen Gentium”, a luz do mundo, até que Ele volte. Todas as outras igrejas cristãs são derivadas da Igreja Católica; as ortodoxas romperam com ela em 1050; as protestantes em 1517; a anglicana, em 1534, entre outras. Só a Igreja Católica existia no século I, no século V, no século X, no século XX; só ela tem uma história ininterrupta de 20 séculos; ensinando, sem erro, o que Cristo entregou aos Apóstolos, sem omitir nada. A sucessão dos Papas é ininterrupta desde São Pedro. Isso é um fato inigualado por qualquer outra instituição humana em toda a história. Por isso, nenhuma outra igreja pode pretender ser a Igreja que Jesus fundou. Só ela é como Jesus quis: una, santa, católica e apostólica.

A Igreja, portanto, é mais do que uma simples instituição humana, é divina; por isso, ela é como afirmou São Paulo: “A coluna e o sustentáculo da verdade” (cf. I Tm 3, 15). Assim como aquela coluna de fogo guiou os israelitas no deserto, a Igreja nos guia até o céu. Os Padres da Igreja cunharam aquela frase que ficou marcada: “Ubi Petrus, ibi ecclesia; ubi ecclesia ibi Christus” (Onde está Pedro, está a Igreja; onde está a Igreja está Cristo).

Santo Ireneu (140-202) dizia que “onde está a Igreja aí está o Espírito Santo”. E Santo Inácio de Antioquia (†107), já no primeiro século, ensinava: “Onde está Cristo Jesus, aí está a Igreja Católica”. No século IV, Santo Agostinho repetia que: “Onde está a Igreja, aí está o Espírito de Deus. Na medida que alguém ama a Igreja é que possui o Espírito Santo [...]. Fazei-vos Corpo de Cristo se quereis viver do Espírito de Cristo. Somente o Corpo de Cristo vive do seu Espírito”.

Fonte: http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/category/historia-da-igreja/

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»«««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««

FUNDAÇÃO AIS - Ajuda à Igreja que Sofre
Seja solidário com a Igreja necessitada. Dê um donativo!

NEWSLETTER 27/10/2011

NOTÍCIAS
AGENDA

Extremistas serão os vencedores da Primavera Árabe?

TUNÍSIA: Extremistas são os vencedores da Primavera Árabe?

O mundo segue com atenção a evolução política na Tunísia e o resultado das primeiras eleições livres, em 23 anos...

Braga: Um dia com Deus

BRAGA: Jovens bracarenses reafirmam "Hi God"

A Fundação AIS, em parceria com a Comissão Arquidiocesana de Justiça e Paz (Braga), irá dinamizar uma parte deste encontro, cujo tema é a Liberdade Religiosa...

Ver Mais

Ver Mais

Peça a um sacerdote da Igreja que Sofre que celebre uma missa pelas suas intenções »

CATÁLOGO
ORAÇÃO

Oferta de Missas »

OFERTA DE MISSA

Há inúmeras razões para oferecer a alguém próximo de si, este presente espiritual...

Adopte um Sacerdote »

ADOPTE UM SACERDOTE

Reze pelas vocações sacerdotais e pela santificação dos sacerdotes...

Ver Mais

Ver Mais

Siga a Fundação AIS no Facebook
Siga a Fundação AIS no Twitter!
Siga a Fundação AIS no YouTube!

© Fundação AIS, 2011

POR FAVOR, REENCAMINHE ESTA MENSAGEM PARA O SEU GRUPO DE AMIGOS. BEM-HAJA!

Recebeu este e-mail como subscritor da e-Newsletter da Fundação AIS. Não responda a esta e-newsletter. Caso pretenda contactar-nos, por favor, clique aqui.

Se não deseja receber mais e-newsletters, poderá remover o seu e-mail da nossa base de dados. Clique aqui.

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»«««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««

LEITURA ORANTE


Lc 6,12-19 - Entre os apóstolos, Simão e Judas Tadeu

Posted: 27 Oct 2011 07:01 PM PDT

Preparo-me para a Leitura, rezando:

Jesus Mestre, que dissestes:

"Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome,

eu aí estarei no meio deles",

ficai conosco,

aqui reunidos (pela grande rede da internet),

para melhor meditar

e comungar com a vossa Palavra.

Sois o Mestre e a Verdade:

iluminai-nos, para que melhor compreendamos

as Sagradas Escrituras.

Sois o Guia e o Caminho:

fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.

Sois a Vida:

transformai nosso coração em terra boa,

onde a Palavra de Deus produza frutos

abundantes de santidade e missão.

(Bv. Alberione)

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?

Leio atentamente, na minha Bíblia, o texto: Lc 6,12-19 e observo pessoas e as atitudes de Jesus.

Naquela ocasião Jesus subiu um monte para orar e passou a noite orando a Deus. Quando amanheceu, chamou os seus discípulos e escolheu doze deles. E deu o nome de apóstolos a estes doze: Simão, em quem pôs o nome de Pedro, e o seu irmão André; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu; Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu; Simão, o nacionalista; Judas, filho de Tiago; e Judas Iscariotes, que foi o traidor.
Jesus desceu do monte com eles e parou com muitos dos seus seguidores num lugar plano. Uma grande multidão estava ali. Era gente de toda a Judeia, de Jerusalém e das cidades de Tiro e Sidom, que ficam na beira do mar. Eles tinham vindo para ouvir Jesus e para serem curados das suas doenças. Os que estavam atormentados por espíritos maus também vieram e foram curados. Todos queriam tocar em Jesus porque dele saía um poder que curava todas as pessoas.

Lucas registra a oração de Jesus durante toda a noite. Afasta-se da multidão e dos opositores hostis, subindo à montanha para a oração. De manhã, chama seus discípulos escolhendo entre eles doze a quem chamou apóstolos. Jesus não chamou para seu grupo os mais preparados do seu tempo, mas, os mais disponíveis. Chamou simples pescadores – Pedro, André, Tiago, João. Chamou o cobrador de impostos. Chamou gente simples. Não significa que discriminou. Apenas, significa que o coração mais simples está livre de muitas preocupações e têm espaço para acolher. E os chamados receberam a missão de enviados – “apóstolos” - para anunciar o Reino, expulsar os espíritos maus e curar todas as doenças, uma missão de libertar as pessoas de todos os males.
2. Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim, hoje?
O meu Projeto de vida é o do Mestre Jesus Cristo? Pelo Batismo recebi a missão de discípulo e de missionário de Jesus. Os bispos da América Latina disseram em Aparecida: “Para não cair na armadilha de nos fechar em nós mesmos, devemos nos formar como discípulos missionários sem fronteiras, dispostos a ir “à outra margem”, àquela na qual Cristo não é ainda reconhecido como Deus e Senhor, e a Igreja não está presente”. (DAp 376). Cristo me chama também pelo nome. Como é a minha disponibilidade?
3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus? Sendo o dia do apóstolo Judas Tadeu, faço minha oração com todo o povo que o recorda hoje:

Oração a São Judas Tadeu

São Judas Tadeu, apóstolo escolhido por Cristo,

eu vos saúdo e louvo pela fidelidade e amor

com que cumpristes vossa missão.

Chamado e enviado por Jesus,

sois uma das doze colunas que sustentam

a verdadeira Igreja, fundada por Cristo.

Inúmeras pessoas, imitando vosso exemplo

e auxiliadas por vossa oração,

encontram o caminho para o Pai,

abrem o coração aos irmãos

e descobrem forças para vencer o pecado

e superar todo o mal.

Quero imitar-vos, comprometendo- me

com Cristo e com sua Igreja,

por uma decidida conversão a Deus e ao próximo,

especialmente o mais pobre.

E, assim convertido, assumirei a missão de viver

e anunciar o Evangelho,

como membro ativo de minha comunidade.

Espero, então, alcançar de Deus a graça que imploro

confiando na vossa poderosa intercessão.

(Faça o pedido da graça a ser alcançada…)

São Judas Tadeu, rogai por nós!
Amém!

Ouça o Hino a São Judas

4. Contemplação (Vida e Missão)

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou demonstrar pela vida que caminho com Jesus Mestre para anunciar onde vivo, trabalho, estudo; por onde passo deixo os sinais da proposta de Jesus Cristo.

Bênção

- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.

- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.

-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.

- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

AGORA, um gesto concreto:
- O blog http://leituraorantedapalavra.blogspot./com foi classificado entre os 100 mais votados. Vamos testemunhar a prioridade da Palavra de Deus em nossa vida, votando no selo indicado np blog, para que chegue ao topo.

- Se você quiser receber em seu endereço eletrônico o Evangelho do Dia, acesse o seguinte endereço e preencha o formulário de cadastro -
http://www.paulinas.org.br/loja/CentralUsuarioLogin.aspx
ou inscreva-se no RSS, no início do blog da Leitura Orante, à direita.

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««

O QUE É INTERCESSÃO?
COMO OS SANTOS CONSEGUEM OUVIR NOSSAS ORAÇÕES?
É PECADO PEDIR SUAS INTERCESSÕES?
É PECADO MANTER A RELÍQUIA DOS SANTOS?

http://jesusecatolico.blogspot.com/2011/10/intercessao-dos-santos.html

INTERCESSÃO DOS SANTOS

Dowgllazz Silva pergunta:

Porque os católicos rezam para santos além de rezar para Deus ? muitos deles nem estão na bíblia, só foram criados pela mente humana...

Caro Douglas:

Em nenhum lugar a Sagrada Escritura condena a veneração (coisa diferente de adoração, algo reservado somente a Deus) aos homens e mulheres de Deus, aliás, a Bíblia até incentiva a honra aos santos (santo não significa que seja santo como Deus, mas que é uma pessoa temente a Deus, que se salvou - no Novo Testamento vemos essa palavra muitas vezes empregada aos que se converteram).
Veja em segundo Reis 13, 20-21, o caso de Eliseu em que Deus cura através de suas relíquias (o que sempre acontece na Igreja de Jesus Cristo).
Em Eclesiástico 48,12, vemos a veneração do nome de Elias pelos judeus, um santo profeta de Deus:

"Quando Elias foi envolvido pelo turbilhão, Eliseu ficou repleto do espírito dele. Durante a vida, Eliseu não tremeu diante dos poderosos, e ninguém conseguiu dominá-lo. Nada era difícil demais para ele e, mesmo morto, ainda profetizou. Durante a vida realizou prodígios e, depois de morto, suas obras foram maravilhosas”.
No segundo livro dos Reis capítulo 2 vemos Eliseu utilizando uma relíquia de Elias:

"Então Elias pegou o manto, o enrolou e
bateu com ele na água. A água se dividiu em duas partes, de tal modo que os dois passaram o rio sem molhar os pés. [...] Pegou o manto de Elias, que havia caído, e voltou para a margem do Jordão. Segurando o manto de Elias, bateu com ele na água, dizendo: “Onde está Javé, o Deus de Elias?”Bateu na água, que se dividiu em duas partes. E ele atravessou o rio.”

Usava-se as relíquias de Paulo para realizar milagres:

"Deus fazia milagres extraordinários por INTERMÉDIO de Paulo, a tal ponto que bastava aplicar aos doentes os lenços e as roupas que tinham estado em contato com o seu corpo, para que as doenças e os espíritos malignos os deixassem.” (Atos 19,1).

Por intermédio de são Paulo, por sua intercessão Deus realizava vários e vários milagres.
Em Atos 5,12-13 vemos o povo venerando e honrando os Apóstolos:

“Muitos sinais e prodígios eram realizados entre o povo pelas mãos dos apóstolos. Todos os fiéis se congregavam, bem unidos, no Pórtico de Salomão. Nenhum dos outros ousava juntar-se a eles, mas o povo estimava-os muito.”

Vemos o povo de Israel honrando e venerando o patriarca Abraão

(São João 8 e Gálatas 3, 7).

Paulo considera Estevão mártir santo (cf. At 22, 20).
Deus mesmo honra seus santos, os ama e lhes aceita os pedidos, mesmo em vida, imagine depois de estarem com o Senhor!

Veja os mortos santos (= salvos) intercedendo diante de Deus:

“E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram. E clamavam com grande voz, dizendo: Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra?” (Apocalipse 6).

E a Sagrada Escritura é clara a respeito da intercessão dos salvos (isto é, dos santos):

“E veio um outro anjo que se colocou perto do altar, com um turíbulo de ouro. Ele recebeu uma grande quantidade de incenso, para oferecê-lo com as orações de todos os santos, no altar de ouro que está diante do trono. E da mão do anjo subia até Deus a fumaça do incenso com as orações dos santos.” (Apocalipse 8, 3-4)

A Igreja, desde os primórdios, e vê-se isso nos escritos do século I e II, que acreditava na intercessão dos mortos que foram salvos. Pelos méritos de Cristo, essas pessoas que foram salvas e já estão junto com o Senhor após sua morte, podem interceder pelos que ainda estão vivos.

A Igreja crê na Comunhão dos santos, isto é, a Igreja não é mutilada quando os seus fiéis morrem, mas a Comunhão da oração e dos seus dons se mantém.

A Igreja na eternidade e a Igreja na Terra é a mesma e única Igreja de Cristo, essa Comunhão não se acaba após a morte, muito pelo contrário, se intensifica. Os mortos estão vivos em Cristo e mantém contato através das orações e das bênçãos que recebem através de suas orações.

“E ele (Deus) nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez sentar nos céus, em virtude de nossa união com Cristo Jesus!” (Efésios 2, 6)

Por estarem os salvos (= santos) nos Céus, como se viu no Apocalipse 6 e 8, estão mais intimamente ligados ao Senhor, e pelos méritos de Cristo Jesus, conseguem de Deus graças para os que estão aqui neste mundo em busca de Deus.

E podemos pedir a eles graças, curas e milagres. Por que não? Não existe uma só proibição bíblica ou na Tradição da Igreja que nos motive a não pedir a um salvo no Céu, pela sua oração, alguma graça específica. Se em vida podemos pedir a intercessão dos que estão no caminho de Deus, por que não podemos pedir a eles depois que já estão nos Céus, assentados com Cristo à direita de Deus?

E como eles saberiam de nossas orações se não são oniscientes? Na onisciência de Deus, pela revelação de Deus a eles, os santos assistem os caminhos dos homens e da Igreja na Terra, veja em Apocalipse 6 que os santos mortos intercedem para que Deus faça justiça por aqueles que no mundo são perseguidos e até mortos pelo Reino de Deus.

Nós vemos também isto na parábola do Lázaro e do rico em que o rico assiste, mesmo depois de morto, e ainda estando no inferno, os seus parentes que ainda não se converteram dos seus caminhos errados e até intercede por eles, mas sem sucesso porque ele não está salvo (São Lucas 16). Imagine os santos que estão em completa comunhão com Deus!

Vemos isto até pela Palavra de Nosso Deus Jesus Cristo. No evangelho de S. Mateus (22, 30), Jesus Cristo ensina que os "santos são como os anjos de Deus no céu". Zacarias diz: "que o anjo intercedeu por Jerusalém ao Senhor dos exércitos" (1, 12 -13).

No Livro de Jeremias vemos:

"E o Senhor disse-me: ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante de mim, a minha alma não se inclinaria para este povo; tira-os da minha face e retirem-se."

(Jeremias 15, 1 ss).

No tempo de Jeremias, estavam mortos Moisés e Samuel, mas sua possível intercessão é confirmada pelas palavras do próprio Deus: "ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante de mim...", quer dizer que eles poderiam se colocar diante de Deus para pedir clemência para com aquele povo. Em outras palavras, Deus deixa clara a possibilidade da intercessão após a morte.

Algumas vezes nem recebemos algumas graças porque não as pedimos pela intercessão de nossos irmãos, mostrando assim nossa humildade em recorrer a outra pessoa mais próxima da Majestade Divina de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vemos no Livro de Jó:

"Tomai sete touros... e ide a meu servo Job... o meu servo Job... orará por vós e admitirei propício a sua face" (Jo 42, 8).

Deus somente “reconciliou” Consigo os amigos de Jó após a intercessão de seu servo Jó. Não adiantava eles orarem por eles mesmos.

No capítulo 12 de Números vemos que Miriam e Arão, irmãos de Moisés, foram punidos por Deus porque falaram mal de Moisés. Mas, por suas próprias orações não puderam ser curados de suas punições, e só foram curados mediante a intercessão de Moisés.

No capítulo 15 do Evangelho de São Mateus vemos que o Senhor Jesus não ouve as orações da Cananeia, porém, quando os Apóstolos intercedem por ela, Ele se digna ouvi-la. Eis aí o poder de intercessão da Igreja e dos santos (=salvos).

Jesus é o Sumo Sacerdote diante do Pai (isto é, o Grande Intercessor, o Grande Mediador), mas em Cristo também somos sacerdotes (sacerdote é aquele que intercede, oferece sacrifícios e media), veja:

‘‘Aquele que nos ama, que nos lavou de nossos pecados no seu sangue, e que fez de nós um reino de sacerdotes para Deus e Seu Pai.” (Apocalipse 1,9)
‘‘Cantavam um cântico novo, dizendo: Tu és digno de receber o livro e de abrir-lhes os selos, porque foste imolado , e resgataste para Deus, ao preço de Seu Sangue, homens de toda tribo, língua, povo e raça; e deles fizeste para nosso Deus um reino de sacerdotes, que reinam sobre a terra’‘ (Apocalipse 5,9-10)
“Vos tornais os materiais desse edifício espiritual, um sacerdócio santo para oferecer vítimas espirituais a Deus, por Jesus Cristo.” (1 Pedro 2,4-5)

Então interceder a Deus não é errado, e pode-se pedir oração aos santos que habitam os céus para que orem por nós ao Senhor, por meio dos méritos infinitos de nosso Senhor Jesus Cristo, para nossas necessidades espirituais e humanas. Eles as ouvem pelo poder de Deus e podem interceder por nós diante do Trono do Altíssimo, porque eles O estão contemplando face a face.

Espero ter sido claro a respeito dessa Verdade bíblica.

A Jesus a glória e a nós a Misericórdia!

tt

Postado por TT Anderson às 08:38

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»««««««««««««««««««««««««««««««««««««««

Posts colocados para este blogue, por

António Fonseca

Fratres in Unum - 28-10-2011

 

New post on Fratres in Unum.com


Assis, as intervenções dos delegados da religião ioruba, hinduísta e budistas

by G. M. Ferretti

ASSIS 2011 — AWIS AGBAYE (Ioruba): “RESPEITO PELAS RELIGIÕES INDÍGENAS”

(Assis, por nossos correspondentes)

“Chegou a hora para os líderes de todas as religiões do mundo de ter um novo quadro conceitual em que às religiões indígenas seja dado o mesmo respeito e consideração das outras religiões. Não podemos ter paz no mundo quando não respeitamos, abusamos ou desprezamos os nossos vizinhos”. Quem pediu isto foi Wande Abimbola, Awise Agbaye [1] que, para Assis, levou os cumprimentos dos povos da África e dos membros da religião ioruba [2] no mundo, da qual é porta-voz. Em seu discurso na Basílica de Santa Maria degli Angeli [3], Agbaye lembrou que “uma condição fundamental para a paz é que todas as pessoas de fé tenham respeito e amor umas pelas outras. Nos relacionamos com as pessoas pelo caráter que têm — disse — não com base na religião que praticam. Trabalhemos todos juntos por u m maior respeito, amor e justiça, enquanto, ao mesmo tempo, continuamos fiéis às doutrinas das religiões que abraçamos”. Pelo porta-voz também chegou um apelo ao pluralismo religioso, “a nossa religião, bem como as religiões praticadas por outras pessoas, são válidas e preciosas aos olhos do Todo-Poderoso” e ao respeito pela natureza, “enquanto à natureza não for dado o devido respeito e honra em nossos pensamentos e ações, os seres humanos não poderão encontrar a verdadeira paz e a tranquilidade que todos nós estamos procurando”.[4]

ASSIS 2011 — GOSWAMI (HINDU): “PAZ NÃO SE ALCANÇA COM MEIOS VIOLENTOS”

(Assis, por nossos correspondentes)

“A paz nunca pode ser alcançada através de meios violentos” é a mensagem levada à jornada de Assis por Acharia Shri Shrivatsa Goswami[ 5], indiano, representante da religião Hindu [6], que lembrou, em seu testemunho à basílica de Santa Maria degli Angeli, as figuras de Krishna[ 7], Buda [8], Mahatma Gandhi [9], Martin Luther King [10] e o bispo Tutu [11], “todos peregrinos da paz que afirmam que não há um caminho para a paz. A própria paz é o caminho. Nosso comum objetivo de paz pode ser alcançado através do nosso compromisso com a verdade. Para Mahatma Gandhi, a Verdade era Deus”. “Este compromisso — acrescentou Goswami — mesmo obstaculizado ou impedido, encontra igualmente o seu caminho através da não-cooperação não-violenta. A história dá testemunho de sua força”. Vinte e cinco anos após a reunião em Assis quisto pelo Papa João Paulo II, “devemos refletir sobre nosso progresso nessa estrada. Por que não chegamos mais perto de onde ele queria estar? Estamos em falta na parte interior da viagem? O diálogo – enfatizou o representante hindu — será um exercício fútil se não o empreendemos com humildade, paciência e o desejo de respeitar o outro, e isso sem esperar o mesmo em troca. Isto nos fará capazes de dizer ‘não’ à injustiça. Isto requer muita coragem e essas coragem virá somente pela oração”.

ASSISI 2011 — JA-SEUNG (BUDISMO): “UMA FRATERNIDADE EM FAVOR DA VIDA”

(Assis, por nossos correspondentes)

“Não há lugar para a violência ou o terrorismo na religião, que enfatiza como cada vida é preciosa e deve ser amada. Cada uma de nossas vidas é uma bela flor que faz do mundo uma única flor e o torna um lugar glorioso e magnífico”. São as palavras de Ja-Seung [12], presidente da “Jogye Order” (Budismo coreano [13]), dirigidas aos líderes religiosos presentes hoje em Assis. Contra a violência e o terrorismo, Já-Seung lançou a proposta de “uma fraternidade em favor da vida, para eliminar as raízes da violência e da guerra conduzida em nome da religião ou da ideologia; uma fraternidade em favor da paz, de modo que a coexistência harmoniosa e o respeito mútuo se tornem possíveis neste mundo, independente da religião, da raça e da cultura”. “Além do mais — continuou — deve mos aceitar nossas diferenças culturais e superar os conflitos culturais através da compreensão mútua e do crescimento espiritual”. Disto a necessidade de “uma fraternidade em prol da cultura e em favor da partilha, para ajudar aquelas pessoas que ainda sofrem com a pobreza, a fome e a injustiça”. Finalmente, concluiu, “gostaria de propor uma fraternidade em favor da ação, para que todos nós possamos experimentar esta verdade pessoalmente e ajudar a tornar este mundo puro e perfumado como uma flor”.

Fonte: Papa Ratzinger blog

Tradução: Giulia d'Amore di Ugento

_________________________________________________________________________________

 

[1] NdTª.: website de Wande Abimbola, Awise Agbaye.

[2] NdTª.: Religião Ioruba ou Yoruba.

[3] NdTª.: Continuaram usando os Sagrados Templos Católicos para homenagear, com discursos ao invés de orações, os ídolos e os demônios.

[4] NdTª.: O discurso dele, dentro da Basílica, é um manifesto anticatólico.

[5] NdTª.: Breve biografia.

[6] NdTª.: Religião Hindu. Os hindus acreditam num ‘espírito supremo cósmico’, que é adorado de muitas formas, representado por divindades individuais. O hinduísmo é centrado sobre uma variedade de práticas que são vistas como meios de ‘ajudar o indivíduo a experimentar a divindade que está em todas as partes’, e ‘realizar a verdadeira natureza de seu Ser’. Eles cultuam 330 mil divindades diferentes.

[7] NdTª.: De acordo com a tradição Hindu, Krishna é o oitavo avatar (manifestação corporal de um ser imortal, por vezes até do Ser Supremo, pode ser uma manifestação humana, animal ou uma combinação dos dois) de Vishnu (juntamente com Shiva e Brama formam a trimúrti, a trindade hindu, na qual Vixnu é o deus responsável pela manutenção do universo). É considerado, segundo o Movimento Hare Krishna (ISKCON), a Suprema Personalidade, sendo assim, a origem de todas as encarnações seguintes. Krishna e as suas histórias aparecem nas diversas tradições filosóficas e teológicas hindu. Embora, algumas vezes diferentes nos detalhes, ou até mesmo contradizendo as características de uma tradição particular, alguns aspectos básicos são compartilhados por todas elas. Estes incluem uma encarnação divina, uma infância e uma juventude pastoral e a vida como um guerreiro e professor. A imensa popularidade de Krishna fez com que várias religiões não-hindus que se originaram na Índia tivessem as próprias versões dele.

[8] NdTª.: Buda (Desperto, Iluminado) é um título dado na filosofia budista àqueles que despertaram plenamente para a verdadeira natureza dos fenômenos e se puseram a divulgar tal redescoberta aos demais seres. A palavra "Buda" denota não apenas um mestre religioso que viveu em uma época em particular, mas toda uma categoria de seres iluminados que alcançaram tal realização espiritual. As escrituras budistas tradicionais mencionam pelo menos 24 Budas que surgiram no passado, em épocas diferentes. De acordo com a tradição vixnuísta (os adoradores de Vixnu), o Buda é considerado o nono avatar de Vixnu.

[9] NdTª.: Mahatma Gandhi foi o idealizador e fundador do moderno Estado indiano e o maior defensor do Satyagraha (princípio da não-agressão, forma não-violenta de protesto) como um meio de revolução. Também inspirou gerações de ativistas democráticos e antirracismo, incluindo Martin Luther King e Nelson Mandela.

[10] NdTª.: Martin Luther King foi um pastor protestante e ativista político estadunidense. Morreu assassinado.

[11] NdTª.: Desmond Mpilo Tutu, bispo anglicano. Ao lado de Nelson Mandela, Desmond Tutu foi uma das figuras centrais do movimento contra o Apartheid.

[12] NdTª.: Breve biografia.

[13] NdTª.: O budismo na Coreia do Sul é dominado pela Ordem Jogye, uma seita sincrética, tradicionalmente ligado à tradição Seon. Já-Seung é seu atual líder.

G. M. Ferretti | outubro 27, 2011 at 1:21 pm | Categorias: Diálogo Inter-religioso, O Papa | Categories: Atualidades, Igreja, O Papa | URL: http://wp.me/pgELf-4fz

0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000

New post on Fratres in Unum.com


Eurodeputado ex-muçulmano chama a insistente política ecumênica com o Islã de “vocação ao suicídio”.

by G. M. Ferretti

 Magdi Allam é batizado por Bento XVI na Vigília Pascal de 2008.

Magdi Allam é batizado por Bento XVI na Vigília Pascal de 2008.

Por Edson Carlos de Oliveira - No dia 30 de agosto último, por ocasião da festa do Eid al-Fitr, a segunda mais importante para a religião islâmica, o Pe. Cerutti, na cidade de Cantù, Itália, distribuiu, dentro da Basílica de São Paulo, orações islâmicas para celebrar o fim do Ramadã e também textos místicos de Seyyed Hossein Nasr que cantam louvores ao Islã como a religião suprema.

Em artigo para o Il Giornale (19/9/2011), o eurodeputado Magdi Cristiano Allam (foto acima), muçulmano convertido ao catolicismo, fez duras críticas à atitude ecumênica do sacerdote, funcionário emérito da Basílica.

“Se você crê em Jesus, você não pode de forma alguma acreditar nem que Maomé era um profeta autêntico nem que o Islã é uma religião verdadeira. Ou você acredita em Jesus ou acredita em Maomé, ou você é cristão ou é muçulmano”, enfatizou o eurodeputado.

“O erro capital, continua Magdi Cristiano, que o Pe. Lino cometeu é ter aderido à ideologia do relativismo religioso que prega que, para amar ao próximo, você deve abraçar a religião dele. Assim, para amar ao muçulmano como pessoa, deve-se legitimar o Islã como uma religião, independentemente de seu conteúdo, do que está escrito no Alcorão e do que tenha dito ou feito Maomé".

Para o eurodeputado, tudo isto acontece num contexto “em que o relativismo religioso, desde o Concílio Vaticano II, está se espalhando dentro da Igreja”, enquanto que, em contrapartida, a atitude dos muçulmanos, “não só nada têm a ver com relativismo, mas, pelo contrário, eles nos condenam, judeus e cristãos, como hereges porque nos desviamos do reto caminho”.

Magdi Cristiano considera ingênuo imaginar que relativizando o cristianismo para legitimar o Islã vai torná-lo mais condescendente para conosco. E chama de “vocação para o suicídio” a atitude de oferecer a construção de mesquitas na Itália antes mesmo dos principais interessados a pedirem.

“Nós estamos nos tornando muçulmanos sem sermos forçados a se converter ao Islã. O que podem muçulmanos quererem mais de nós italianos ingênuos, tolos, ideologicamente coniventes e decididos a cometer suicídio?”, conclui o parlamentar europeu.

Agradecimento ao leitor Luiz Noronha pelo envio da notícia.

G. M. Ferretti | outubro 27, 2011 at 4:52 pm | Categorias: Diálogo Inter-religioso, Islamismo | Categories: Atualidades, Igreja | URL: http://wp.me/pgELf-4fQ

==============================================================

New post on Fratres in Unum.com


Assis III: hino à “deusa” Olokun é cantado dentro da Basílica de Santa Maria dos Anjos.

by G. M. Ferretti

Dentro da basílica de São Francisco: Wande Abimbola, um curandeiro e "sacerdote" pagão africano, representante da religião ioruba, cantou um hino à "deusa" Olokun durante o terceiro encontro inter-religioso de oração e peregrinação pela Paz mundial em Assis, Itália.

Em seu discurso, ele reivindicou fidelidade às doutrinas das diversas religiões presentes: “a nossa religião, bem como as religiões praticadas por outras pessoas, são válidas e preciosas aos olhos do Todo-Poderoso”.

G. M. Ferretti | outubro 28, 2011 at 9:21 am | Categorias: Atualidades, Diálogo Inter-religioso | Categories: Atualidades, Igreja | URL: http://wp.me/pgELf-4fW

00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000

New post on Fratres in Unum.com


Editorial de Rorate-Caeli: Assis Ignorado.

by G. M. Ferretti

Por Rorate-Caeli | Tradução: Fratres in Unum.com

Aparentemente é verdade: como um comentarista notou em seu próprio país, excluindo alguns diários italianos (e RAI, a rede estatal italiana, que ajudou a transmiti-lo), o encontro de Assis gerou apenas notas genéricas pelas agências de notícias reproduzidas por jornais nacionais ou locais. Na maioria das fontes principais, ele foi ignorado.

Tal fato deveria ser visto:

(1) Como algo bom, e talvez resultado de um bem sucedido esforço de minimizar a importância do evento? ou

(2) Como algo não especificamente bom, no sentido de que ele nutre a atual noção de que o Papado (e tudo o que ele representa) está progressivamente se tornando irrelevante (como na repetida ideia de que o Vaticano agora se sente tão sem importância como a República de Veneza antes de sua queda perante as tropas napoleônicas)?

Independente do que foi dito ou feito ontem em Assis, eventos como esse ocorrido lá tendem a ser retratados ou vistos no mundo secularizado como uma confirmação do que eles veem como irrelevância ou ostentação vazia da fé em geral – para muitos homens e mulheres, uma assembleia de líderes religiosos pode parecer mais despropositadamente patética ou causadora de pena do que inspiradora ou escandalosa. Talvez tenha chegado a hora da hierarquia eclesiástica deixar para trás algumas noções frívolas da segunda metade do século XX, inclusive a de promoção de um “movimento pela paz” amorfo.

[Imagem: Ludovico Manin, último Doge da Sereníssima República de Veneza.]

G. M. Ferretti | outubro 28, 2011 at 12:22 pm | Categorias: Diálogo Inter-religioso | Categories: Atualidades, Igreja | URL: http://wp.me/pgELf-4g0

0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000

Compilação e transcrição para este blogue por

António Fonseca

MAIS UMA NOTA INFORMATIVA - 28 DE OUTUBRO DE 2011

0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000

Em primeiro lugar, as minhas desculpas pelas omissões cometidas

embora com isso, possa não vir mal ao mundo…

mas sinto-me um bocado culpado e por isso renovo as minhas desculpas.

obrigado. AF.

Em seguida, os lapsos de que apenas hoje dei conta:

 

Ontem, 27 de Outubro, fez 6 anos que ocorreu o falecimento do Revº Padre António Inácio Gomes, que no período de 12 de Junho de 1964 até ao seu falecimento em 27/10/2005, foi responsável pela criação da Paróquia Experimental da Senhora do Porto que lhe foi atribuída  pelo Administrador Apostólico da Diocese do Porto, D. Florentino de Andrade e Silva. Presidiu depois em 22 de Março de 1966 ao Primeiro Encontro da Família Paroquial com o Padre Valdemar Alves Pinto; No mesmo dia mas em 1967, procedeu à ereção canónica da Paróquia da Senhora do Porto, sob Decreto de D. Florentino Andrade e Silva e em 26 de Novembro de 1967, inaugurou o pavilhão-capela do Bairro do Viso. Em Agosto de 1968, iniciou a campanha "Do tostão ao milhão" para a construção da Igreja da Senhora do Porto, procedendo-se em 11 de Setembro de 1969 à demolição da capela que ali existia anteriormente. Em 16 de Maio de 1971 foi efetuada a primeira celebração na cripta da nova Igreja e em 2 de Julho de 1977 finalmente celebrou-se a primeira Missa na nave da nova Igreja, que foi presidida por D. António Ferreira Gomes, Bispo do Porto.

Padre Inácio Gomes
Revº Padre António Inácio Gomes

Em Fevereiro de 1980 iniciou-se a campanha "Vamos construir a Igreja do Viso". Em 23 de Fevereiro de 1980 realizou-se o primeiro concerto na Igreja Paroquial pelo Coro da Sé Catedral do Porto e em 25 de Fevereiro de 1981 colocou-se ali o relógio na torre sineira. Em 1 de Agosto de 1983 deu-se início à construção da Igreja de S. Paulo do Viso. Foi colocado o sacrário na Igreja Paroquial em 28 de Dezembro de 1984; inaugurou-se a Igreja de S. Paulo do Viso em 17 de Março de 1985; em 14 de Maio colocação do Cristo Crucificado na Igreja Paroquial e em 18 de Dezembro de 1987 colocou-se também Cristo Crucificado em S. Paulo do Viso. Em 18 de Junho de 1989 foi sagrado o altar e dedicada a Igreja Paroquial de Nossa Senhora do Porto, em cerimónia presidida por D. Júlio Tavares Rebimbas, Arcebispo-Bispo do Porto e em 2 de Junho de 1990 foi colocado o sacrário na Igreja da Comunidade de S. Paulo do Viso.

Até ocorrer o seu falecimento em 27 de Outubro de 2005, o Padre António Inácio Gomes, teve ensejo de encetar novas "inaugurações" e realizar mais benefícios em toda a Paróquia, nomeadamente em 21 de Março de 2004 sob a presidência de D. Armindo Lopes Coelho, Bispo do Porto, quando procedeu à sagração do altar e à Dedicação da Igreja da Comunidade do Bairro do Viso, a S. Paulo.

Durante mais de 41 anos foi um Padre excepcional, sempre no mesmo local (Igreja Paroquial da Senhora do Porto e Igreja da Comunidade de S. Paulo do Viso) ambas fazendo parte da freguesia de Ramalde, no Porto.

Isto foi possível principalmente devido à sua grande fé a que agregou toda a população católica destes locais, que conseguiu arranjar os milhares de contos necessários para as referidas construções.

Em 2004 adoeceu, foi operado a um rim, esteve em Junho de 2005 na Igreja da Comunidade de S. Paulo, para a celebração da Comunhão solene. 2 meses depois, piorou, voltando a ser internado, falecendo na Casa de Saúde em 27 de Outubro de 2005 (dois dias antes de completar 79 anos...).

Domingo, dia 30/10, na Igreja Paroquial da Senhora do Porto, às 12 horas (meio-dia), será celebrada Missa de sufrágio do 6º aniversário do seu falecimento, pelo seu Colega e Amigo o Senhor D. Manuel Martins - Emérito Bispo de Setúbal, desta vez , infelizmente, sem a presença com a presença do Padre Mário Salgueirinho (que se encontra gravemente doente, depois de ter estado internado cerca de 15 dias no IPO, e que se encontra na sua residência – conforme j´+a mencionei a semana passada neste mesmo blogue…), e, que foi seu Colega de curso e com quem colaborou muitos anos, celebrando principalmente a Missa aos Sábados, na Senhora do Porto e aos Domingos na Igreja de S. Paulo do Viso..

Para o Padre Mário Salgueirinho, solicitamos as vossas orações

Quanto ao Padre António Inácio Gomes  desejemos que esteja em Paz com Deus, pedindo por todos nós. Ámen.

0000000000000000000000000000000000000000000=================================00000000000000000000000000000000000000

Omiti sem querer, que no passado dia 22 (sábado), foi pela primeira vez celebrada a memória litúrgica de João Paulo II (1920-2005), o Papa polaco que foi beatificado em Maio do corrente ano pelo seu sucessor, Bento XVI, no Vaticano. Esta data assinala o dia de início do pontificado de Karol Wojttyla. João Paulo II, foi eleito Papa a 16 de Outubro de 1978, tendo nascido em Wadovice (Polónia), a 18 de Maio de 1920, tendo falecido no Vaticano, a 2 de Abril de 2005.. Entre os seus principais documentos contam-se 14 Encíclicas, 15 Exiortações Apostólicas, 11 Constituições apostólicas e 45 Cartas apostólicas. Efetuou centenas de viagens por todo o Mundo, tendo vindo a Portugal 3 vezes. O dia da sua memória foi assinalado em Roma, na Polónia e em Portugal, além doutros países. Em Lisboa, a data foi celebrada na paróquia da Sé Patriarcal, com o lançamento de um disco de tributo ao Beato, que inclui o hino oficial da beatificação de João Paulo II, originalmente composto em italiano pelo maestro Marco Frisina, com adaptação e tradução para português pelo padre António Cartageno. Apresentou-se também um filme sobre João Paulo II e celebrou-.se uma missa evocativa da sua memória. Na Igreja da Encarnação, o Núncio Apostólico benzeu uma imagem de João Paulo II, para ser exposta à veneração dos fiéis. http://ecclesia.pt e http://voz-portucalense.pt

JohannesPaul2-portrait

JOÃO PAULO II  -  KAROL WOJTYLA

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»«««««««««««««««««««««««««««««««««««««

No domingo, 23 de Outubro, Dia Mundial das Missões, Bento XVI canonizou os seguintes novos santos GUIDO MARIA CONFORTI, LUÍS GUANELLA e BONIFÁCIA RODRIGUEZ DE CASTRO.

SÃO GUIDO MARIA CONFORTI

 Guido Maria Conforti - 5 de Novembro

5 de Novembro

SÃO GUIDO MARIA CONFORTI nasceu em Radavasc, diocese de Parma, em 30 de Março de 1865 e foi batizado no mesmo dia. Entrou no Seminário e foi ordenado presbítero em 22 de Setembro de 1888. Fundou a Pia Sociedade de São Francisco Xavier para as Missões Exteriores (Missionários Xaverianos), que dirigiu por muitos anos e animou com fervor, enviando alguns dos seus membros à China. Foi Arcebispo de Ravena e Bispo de Parma. Enfrentou inúmeros cansaços e dificuldades. Faleceu no dia 5 de Novembro de 1931, sobrecarregado por cansaços e por atividades, cheio de virtudes e de méritos. Beatificado por João Paulo II em 1996,

SÃO LUÍS GUANELLA

 Luigi Guanella - 24 de Outubro

24 de Outubro

SÃO LUÍS GUANELLA nasceu em Frascio, Campodolcino, diocese de Como, em 19 de Dezembro de 1824. Foi ordenado presbítero em 26 de Maio de 1866. Exerceu de forma exemplar o seu ministério pastoral com zelo e caridade apostólica. Foi um dos fundadores das congregações Filhas de Santa Maria da Providência e dos Serviços da Caridade. Toda a sua vida, generosamente  dedicada ao serviço dos pequenos, foi um constante e glorioso anúncio da paternidade de Deus. Faleceu em 24 de Outubro de 1915. Foi beatificado por Paulo VI em 1964.

Áudio da RadioMaria:

Santa BONIFÁCIA RODRIGUEZ DE CASTRO

Bonifácia Rodriguez de Castro - 8 de Agosto

8 de Agosto

Santa BONIFÁCIA RODRIGUEZ DE CASTRO nasceu em Salamanca, a Congregação das Servas de São José, um projeto inédito de vida consagrada feminina inserida no mundo do trabalho, à luz da Família de Nazaré. Em meio a muitas dificuldades, Bonifácia aceitou com admirável simplicidade e mansidão toda uma série de injustiças, humilhações e calúnias, sem jamais se lamentar, sem reivindicar nem protestar. Faleceu em 8 de Agosto de 1905. Foi beatificada por João Paulo II em 2003. (AJC) - http://voz-portucalense.pt

====================================000000000000000000000000========================================

Com data de 11 de Outubro de 2011, Bento XVI, através da Carta Apostólica “Porta da Fé”, proclamou um «Ano da Fé» de 11 de Outubro de 2012 a 24 de Novembro de 2013, em comemoração do 50º aniversário da abertura do Concílio Vaticano II, convocado pelo Papa Beato João XXIII. Esta Carta Apostólica, em forma de Motu Próprio, tem o título fundamentado em Actos 14, 27: “Assim que chegaram, reuniram a Igreja e contaram tudo o que Deus fizera com eles, e como abrira aos pagãos a porta da fé”. (…)  Recomendação para este”Ano da Fé”: «O Catecismo da Igreja Católica poderá ser um verdadeiro instrumento de apoio da fé, sobretudo para quantos têm a peito a formação dos cristãos, tão determinante no nosso contexto cultural». (António Jesus Cunha) - http://voz-portucalense.pt

 

Imagem2198

 

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««

Quereria mencionar mais algumas quantas notícias que saíram a público na Imprensa, na Rádio ou na Televisão, nomeadamente a reunião inter religiosa acontecida em Assis e as suas conclusões; outros assuntos relativos à Igreja Católica e outros a ela exteriores, como a morte de Kadafi que governou a Líbia durante 42 anos; a situação polítco-geo-económica em Portugal e na Europa; as  greves e manifestações, etc., etc., mas, todos nós (e alguns decerto mais bem informados do que eu, já tomaram a seu cargo (bem ou mal, ou assim, assim…) esses parâmetros, pelo que me dispenso de os fazer.

Resta-me por isso agradecer a vossa compreensão e Saudar-vos a todos como Irmãos em Cristo.

SEJA LOUVADO NOSSO SENHOR JESUS CRISTO E SUA MÃE MARIA SANTÍSSIMA, PELOS SÉCULOS DOS SÉCULOS. AMEN.

ANTÓNIO FONSECA

Nº 1086 - (280) - 28 DE OUTUBRO DE 2011 - SANTOS DE CADA DIA - 3º ANO

Nº 1086

SÃO MALCHION

Presbítero

Malchion é nome de origem semítica, que se deve aproximar de Malco, do nosso Rei ou Reis, e do grego Basílio. As formas Malachion ou Melchior estão menos testemunhadas, tratando-se da personagem que nos ocupa. Eusébio de Cesareia, essa fonte admirável para a antiguidade cristã, diz-nos que Malchion foi em Antioquia homem eloquente, um dos mestres do ensino sofistico nas escolas helénicas; devido à sua incomparável pureza na fé em Cristo, fora honrado com o sacerdócio para serviço desta Igreja. Num concílio realizado em Antioquia contra Paulo de Samosata, bispo herético, Malchion foi o único capaz de convencer de erro esse homem dissimulado e enganador. Eusébio acrescenta que os taquígrafos notaram a discussão e que ela lhe chegou por este processo; assim teve conhecimento dela também São Jerónimo. Este assim nos fala no seu De viris illustribus: «Malchion, padre muito eloquente da Igreja de Antioquia, ensinou retórica nesta cidade com o maior êxito. Discutiu, diante de secretários que tomavam notas, contra Paulo de Samosata, bispo de Antioquia… (Malchion) floresceu no tempo de Cláudio (II) e Aureliano» (pelo ano de 270). Um primeiro concílio não conseguira surpreender Paulo de Samosata e mostrá-lo em contradição com o ensino tradicional; foi para uma segunda sessão, em 268, que os prelados recorreram à dialéctica de Malchion. Devido à sua formação filosófica, ela era contundente e concreta. Conseguiu descobrir os defeitos de Paulo quanto à união do Verbo com o composto humano. Segundo Paulo, esta união era acidental, puramente moral. Malchion, pelo contrário, afirmava com toda a razão a unidade substancial do Deus-Homem. A seguir Malchion entrou na sombra. É mencionado nos sinaxários no dia 28 de Outubro, com Firmiliano, bispo de Cesareia: mas foram os dois que venceram Paulo de Samosata. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt.

SANTO SIMÃO e SÃO JUDAS TADEU

Apóstolos

Judas Tadeo y Simón Santos

Judas Tadeo e Simão Santos

Estamos mal informados sobre estes dois apóstolos. Na lista dos Doze, Simão vem no undécimo lugar em Marcos e Mateus, e no décimo em Lucas; Judas, no undécimo em Lucas e no décimo em Marcos e Mateus; dão a este o cognome de Tadeu. O lugar no fim da lista leva a pensar nos trabalhadores contratados às cinco horas da tarde (Mt 20, 6) ou nos convidados modestos (Lc 14, 10). Pode-se conjecturar que os nossos dois santos não eram os mais importantes do ilustre colégio: talvez vindos em último lugar, talvez mais novos? SIMÃO tinha o cognome de Cananeu, palavra hebraica que significa «zeloso». Isto recorda a afirmação de Elias: «Ardi de zelo por Javé» (I Rs 19, 10). Nicéforo Calisto (século XIV) diz que ele pregou na África e na Grã-Bretanha; coisa semelhante afirmam os autores gregos, mas são fontes sem autoridade. São Fortunato, bispo de Poitiers no fim do século VI, indica estarem enterrados Simão e Judas na Pérsia. Isto vem das histórias apócrifas dos apóstolos; segundo elas, foram martirizados em Suanir, na Pérsia. É o que refere o martirológio jeronimita. Outros dizem que Simão foi sepultado perto do Mar Negro; na Caucásia foi elevada em sua honra uma igreja entre o VI e o VIII séculos. Beda, pelo ano de 735, colocou os dois Santos no martirológio a 28 de Outubro; assim, ainda hoje os celebramos. Na antiga basílica de S. Pedro do Vaticano havia uma capela de dois santos, Simão e Judas, e nela se conservava o Santíssimo Sacramento. JUDAS, um dos Doze, era chamado também Tadeu ou Lebeu, que São Jerónimo interpreta como homem de senso prudente. Na Ceia pergunta a Jesus: «Senhor, como é que Te vais manifestar a nós e não ao mundo» E o Senhor respondeu: «Se alguém Me ama, guardará a minha Palavra; Meu Pai amá-lo-á e viremos a ele e faremos nele morada» (Jo 14, 22-23). Feliz Judas Tadeu que foi o primeiro a saber qual a condição para alojarmos a Deus mais completamente, mais interiormente que Zaqueu (Lc 19)! Honremos a Palavra Divina, e teremos de morada o divino hóspede. Este Judas não era o irmão de Tiago menor e primo de Nosso Senhor (Mt 13, 55; Mc 6, 3)? Era esse «Judas de Tiago», undécimo apóstolo para Lucas (6, 15-16) e último (quando faltava o Iscariotes) nos Atos 1, 13? Judas apóstolo era o mesmo que o «irmão» (primo) de Jesus, e primo de Tiago, bispo de Jerusalém? A identificação é discutível. É verosímil que fosse de Nazaré, filho de Coplas (ou Cleófas) e de Maria, irmão de Tiago, de José e de Simão, e com algumas irmãs. Temos uma epístola de Judas «irmão de Tiago», que foi classificada como uma das epístolas católicas. Parece ter em vista convertidos, e combate seitas corrompidas na doutrina e nos costumes. Começa com estas palavras: «Judas, servo de Jesus Cristo, e irmão de Tiago, aos chamados e amados por Deus Pai, e conservados para Jesus Cristo: misericórdia, paz e amor vos sejam concedidos abundantemente». Orígenes achava esta epistolazinha «cheia de forças e de graça do céu». É lícito pensar que foi Judas um desses «irmãos do Senhor» que partiam em missões com a sua «irmã» (cfr. 1 Cor 9, 5). Mas não sabemos para onde orientou os seus passos. Segundo São Jerónimo, Judas terá pregado em Osroene (região de Edessa), sendo rei Agbar. terá evangelizado a Mesopotâmia, segundo Nicéforo Calisto. São Paulino de Nola tinha-o como apóstolo da Líbia. Fortunato de Poitiers julgava-o enterrado na Pérsia; os martirológios latinos conservaram esta notícia, utilizando uma narração que o reúne com Simão. Eusébio de Cesareia narra que dois netos de Judas cultivavam uma propriedadezinha, mas que, sendo perseguidos como cristãos no tempo de Domiciano (96), acalmaram os perseguidores mostrando-lhes as mãos calosas e expondo-lhes a esperança que tinham num rei inofensivo – um rei do céu que só apareceria no fim do mundo. Estes dois netos foram muito honrados na Igreja e viveram até aos tempos de Trajano. Os sinaxários gregos falam dum Judas irmão de Tiago em Maio e em Junho, e dum Judas o «zeloso» em Maio. Concluamos com um autor do século XVIII: «O mais seguro em tudo isto está em confessarmos que ignoramos de facto, e em submetermos a nossa curiosidade à sabedoria de Deus, que nos esconde os seus maiores Santos, para nos ensinar a gostarmos de ficar ocultos e desconhecidos diante dos homens, para sermos melhor conhecidos por Ele». Conta-se que Nosso Senhor, em revelações particulares, teria declarado que atenderá os pedidos daqueles que, nas suas maiores aflições, recorrerem a São Judas Tadeu. Santa Brígida refere que Jesus lhe disse que recorresse a este apóstolo, pois ele lhe valeria nas suas necessidades. Tantos e tão extraordinários são os favores que S. Judas Tadeu concede aos seus devotos, que se tornou conhecido com o título de Patrono dos Aflitos e Padroeiro das causas desesperadas. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt. Ver também www.es.catholic e www.santiebeati.it

21875 > Santi Simone e Giuda Apostoli 28 ottobre - Festa MR

Áudio da RadioVaticana: e RadioRai:

21900 >
San Giuda Taddeo Apostolo 28 ottobre - Festa MR

Áudio da RadioVaticana: RadioRai: e RadioMaria:
21850 >
San Simone Apostolo 28 ottobre - Festa MR

Áudio da RadioVaticana: RadioRai: e RadioMaria:

94766 > Beato Bononato de Prexano 28 ottobre


Cirila, Santa
Outubro 28 Mártir,

Mártir

Etimologicamente significa “entrega ao Senhor” ou “senhora”. Vem da língua grega e persa. Há crentes neste terceiro milénio que se envergonham de anunciar o Evangelho. Vai-se a casa de alguém e se fala de tudo menos de Deus. Se por acaso sai o tema da Igreja é sempre para a criticar. E haveria que lhes dizer: ¿Não faz nada novo e bom? A jovem Cirila, ao contrário de nome masculino de que há vários santos, foi uma crente do século III, martirizada por amor a Cristo, por confessar sua fé incondicional ao que dá sentido à vida. Há duas Cirilas no calendário. Uma delas celebra sua onomástica em 5 de Junho. Era uma cristã de Cirene, Líbia. Durante a perseguição de Maximino, no ano 300, a obrigaram a oferecer o incenso aos deuses pagãos. Ao negar-se rotundamente, ela mesma apanhou o fogo e, em lugar de acender o incenso, cortou o punho e se queimou. Isto foi tão só o começo de uma série de torturas horríveis. A segunda jovem que leva este nome é a que se comemora hoje. Era uma santa do século III. A martirizaram com sua mãe pelo simples facto de ser cristãs. Há uma lenda que teve uma ampla difusão. Nela se conta que os pais pagãos quiseram casá-la. Ela respondeu – como tantas outras virgens – que seu esposo era muito mais rico e nobre. Se tratava daquele Jesus Cristo que muitos pagãos não conheciam. Foi graças a Cirila que foram aderindo à sua vida e doutrina. Ter-lhe-ia sido muito fácil queimar incenso aos deuses. Total, ¿que mais dá conta de salvar a pele? Mas esse gesto poderia supor, ante os sacerdotes e autoridades, a apostasia de sua fé. ¡Felicidades a quem leve este nome!

90410 > Santa Cirilla di Roma Vergine e martire 28 ottobre


91810 >
San Cirillo Venerato a Cellio 28 ottobre


91237 >
San Diomede il Giovane 28 ottobre


75500 >
Sant'Elio di Lione Vescovo 28 ottobre


75485 >
San Farone di Meaux Vescovo 28 ottobre MR


Fidel de Como, Santo
Outubro 28 Mártir,

Etimologicamente significa “fiel”. Vem da língua latina. Disse Miqueas: “Estou alerta aguardando ao Senhor, meu Deus e salvador. Se me sinto em trevas, o Senhor é minha luz”. Há em Como uma bela igreja românica, com abside e cúpula, dedicada a este santo. Fidel foi mártir nos primeiros séculos. E ainda que sua fama seja muito grande, as noticias existentes acerca de sua vida, não são muito abundantes que digamos. Provavelmente foi um missionário cristão, enviado pelo bispo de Milão às margens do lago, que todavia estava habitado por pagãos. Este bispo milanês era são Materno, do século III. Fidel pregou o Evangelho aos pagãos que adoravam a seus numerosos deuses. Há outra tradição que diz que era das Legiões imperiais.
Se fez um desertor ao se converter ao cristianismo. Eram os tempos em que Diocleciano publicou os primeiros éditos contra os seguidores de Jesus Cristo. Prenderam-no em Como, foi julgado e condenado à morte. Depois de sua morte, surgiram numerosas histórias acerca de sua vida, obra e milagres. Há narrações que falam de que a tumba de são Fidel está em Como, em algum de seus extremos. O certo é que antes do ano mil, as relíquias de são Fidel se levaram a Como à igreja de santa Eufémia. Em 1572 são Carlos Borromeu levou os restos a Milão. ¡Felicidades a quem leve este nome!

90408 > San Fedele di Como Martire 28 ottobre MR


75550 >
San Ferruccio di Magonza Martire 28 ottobre MR

Francisco Díaz del Rincón, Santo
Outubro 28 Mártir dominicano,

Francisco Díaz del Rincón, Santo

Francisco Díaz del Rincón, Santo

É o mais jovem do grupo de mártires dominicanos na China. Nasceu en Écija, Sevilha, em 2 de outubro de 1713, e nesta cidade se fez religioso em 1730, no Convento de São Paulo. Impulsionado por um fervente espírito missionário em 1735 já estava nas Filipinas e recebe o sacerdócio em Manila. Chegou à China em 1738. Poucos anos depois, em 1746, foi preso e, depois de grandes sofrimentos, morre enforcado em 28 de outubro de 1748, sendo depois queimado seu corpo. Era religioso de grande piedade e espírito penitencial. Foi beatificado por Leão XIII em 14 de Maio de 1893 e canonizado por João Paulo II em 1 de Outubro de 2000. Para ver mais sobre os 120 mártires em China faz "click" AQUI

92172 > San Francesco Diaz del Rincón Domenicano, martire 28 ottobre MR

Francisco Serrano, Santo
Outubro 28 bispo e mártir,

Francisco Serrano, Santo

Francisco Serrano, Santo

Nasceu em Hueneja (Granada) em 4 de dezembro 1695. Aos 18 anos tomou o hábito da Ordem dos Pregadores no Convento de Santa Cruz a Real de Granada. Em 1725 chega às Filipinas e em 1738 à China, onde foi missionário durante mais de 20 anos. Já na prisão, lhe chega a nomeação de bispo titular de Tipasa e coadjutor do Vigário Apostólico de Fukien, Pedro Sans, mas não pôde receber a consagração episcopal. Morre por asfixia, e logo seu cadáver foi queimado, em 25 de outubro de 1748. Se conservaram algumas relíquias suas. Teve grande austeridade, devoção ao rosário e fervor missionário. Foi beatificado por Leão XIII em 14 de Maio de 1893 e canonizado por João Paulo II em 1 de Outubro de 2000. Para ver mais sobre os 120 mártires na China faz "click" AQUI

92173 > San Francesco Serrano Vescovo e martire 28 ottobre MR

75470 > San Genesio di Thiers 28 ottobre MR


92888 >
San Germano di Talloires Abate 28 ottobre MR

João Alcober Figueiroa, Santo
Outubro 28 Presbítero dominicano e mártir,

Juan Alcober Figueroa, Santo

Juan Alcober Figueiroa, Santo

Nascido em Granada em 21 de dezembro de 1694. Vestiu o hábito dominicano no Convento de Santa Cruz a Real de sua cidade. Partiu para Manila, Filipinas, em 1725, onde passou 3 anos. Em 1728 chegou à China onde pregou o Evangelho durante 20 anos. Em 1741 é vigário provincial da missão. Preso em 1746 morre enforcado em 28 de outubro de 1748, sendo depois seu cadáver queimado. Se distinguiu especialmente por sua eficácia apostólica. Foi beatificado por Leão XIII em 14 de Maio de 1893 e canonizado por João Paulo II em 1 de outubro de 2000. Para ver mais sobre os 120 mártires na China faz "click" AQUI

92171 > San Giovanni Alcober Domenicano, martire 28 ottobre MR

Joaquín Royo Pérez, Santo
Outubro 28 Sacerdote dominicano,

Joaquín Royo Pérez, Santo

Joaquín Royo Pérez, Santo

Nasceu em Hinojosa (Teruel) em setembro de 1691 e recebeu o hábito dominicano em Valência. Aos 21 anos, todavía não era sacerdote, viaja para Manila, Filipinas, em 1712 e em 1715 entra na China, onde exerceu o apostolado durante 33 anos.
Para evitar maiores vexações aos cristãos por parte dos perseguidores que o buscavam, por conselho do bispo Pedro Sans, se entregou em suas mãos em 1746. Morre em 28 de outubro 1748, como os outros companheiros, asfixiado e depois seu corpo queimado. Era de uma extraordinária piedade e de grande eficácia apostólica. Foi beatificado Leão XIII em 14 de Maio de 1893 e canonizado por João Paulo II em 1 de outubro de 2000. Para ver mais sobre os 120 mártires na China faz "click" AQUI

75475 > San Gioacchino Royo Perez Martire in Cina 28 ottobre MR

75490 > San Giovanni Dat Martire 28 ottobre MR

José Ruiz Bruixola, Beato
Outubro 28 Pároco mártir,

José Ruiz Bruixola, Beato

José Ruiz Bruixola, Beato

Pároco de São Nicolás en Valencia. Estudou no Seminário de Valência. Ordenado em 1882, foi coadjutor de Quart de Poblet e depois esteve em várias paróquias da capital. Destacou-se por suas atenções aos pobres e enfermos. Amigo de dom José Bau, formou com ele uma escola de espiritualidade para o clero. Martirizado aos 79 anos. É um dos mártires da Guerra Civil espanhola. Para ver mais sobre os 233 mártires em Espanha faz "click" AQUI

93439 > Beato Giuseppe Ruiz Bruixola Sacerdote e martire 28 ottobre MR

94708 > San Leodardo 28 ottobre

Rodrigo Aguilar Alemán, Santo
Outubro 28 Mártir mexicano,

Rodrigo Aguilar Alemán, Santo

Rodrigo Aguilar Alemán, Santo

Nasceu em Sayula, Jalisco (Diocese de Cidade Guzmán), em 13 de março de 1875. Pároco de União de Tula, Jalisco (Diocese de Autlán). Sacerdote poeta de fina sensibilidade. Consagrou seu sacerdócio à Virgem Santíssima de Guadalupe. Com todo seu coração implorou: «Senhor, dá-nos a graça de padecer em teu nome, de selar nossa fé com nosso sangue e coroar nosso sacerdócio com o martírio ¡Fiat voluntas tua!» Por isso, quando teve que abandonar sua paróquia e ocultar-se na povoação de Ejutla, Jalisco, e quando chegaram as tropas federais para prendê-lo, seu rosto resplandecia de paz e gozo, e se despediu dizendo: «Nos vemos no céu». Na madrugada de 28 de outubro de 1927 foi conduzido à praça de Ejutla. Atiraram a corda a um ramo grosso de uma árvore de mango, fizeram um laço e o colocaram ao pescoço do sacerdote. Logo quiseram pôr à prova sua fortaleza e com altanaria lhe perguntaram: «¿Quem vive?» A valente resposta foi: «¡Cristo Rei e Santa María de Guadalupe!» Então a corda foi tirada com força e o senhor cura Aguilar ficou suspenso. Desceu de novo e repetiu-se-lhe a pergunta: «¿Quem vive?» Por segunda vez disse com voz firme: «¡Cristo Rei e Santa María de Guadalupe!» Novamente o mesmo suplicio e por terceira vez, o «¿Quem vive?» O mártir agonizante, arrastando a língua repetiu: «Cristo Rei e Santa María de Guadalupe». Foi canonizado em 21 de Maio do ano 2000 por João Paulo II Para ler mais sobre sua obra e vida faz "clik" AQUI
Texto reproduzido com autorização de Vatican.va

90113 > San Rodrigo Aguilar Aleman Martire Messicano 28 ottobre MR

Salvador Damián, Beato
Outubro 28 Mártir,

Salvador Damián, Beato

Salvador Damián, Beato

Veterinário de profissão, pai de seis filhos e viúvo. Desenvolveu sua profissão honestidade; de missa e comunhão diária, pertenceu a várias associações religiosas sendo sempre coerente com a fé católica. É um dos mártires da Guerra Civil espanhola. Para ver mais sobre os 233 mártires em Espanha faz "click" AQUI

93048 > Beato Salvatore Damiano (Salvador Damian) Enguix Garès Martire 28 ottobre MR


75480 > San Salvio di Amiens Vescovo 28 ottobre MR


75460 >
Santi Vincenzo, Sabina e Cristeta Martiri 28 ottobre MR

Ver este blogue no dia 27 de Outubro, ontem

===================================

0000000000000000000000000000000000000000000000

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

«««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

WWW.JESUITAS.PT.

WWW.ES.CATHOLIC.NET/SANTORAL

WWW. SANTIEBEATI.IT

Sites utilizados: Os textos completos são recolhidos através do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt. em que também incluo imagens recolhidas através de http://es.catholic.net/santoral,; em seguida os textos deste mesmo site sem tradução e com imagens, e por último apenas os nomes e imagens de HTTP://santiebeati.it.

NOTA INFORMATIVA: Como já devem ter reparado, de vez em quando, segundo a sua importância há uma exceção da 1ª biografia, que mais sobressai, – quando se trate de um dia especial, dedicado a Jesus Cristo, a Nossa Senhora, Anjos ou algum Santo, em particular – todos os restantes nomes (que não constem do livro citado – nem tampouco dos outros sites) surgem por Ordem alfabética, uma, duas ou três vezes, conforme figurem nos três sites indicados, que poderão ser consultados - se assim o desejarem – pelos meus eventuais leitores. LOGICAMENTE E POR ESSE FACTO, DIARIAMENTE, O ESPAÇO OCUPADO, NUNCA É IGUAL, ACONTECENDO POR VEZES QUE É DEMASIADO EXTENSO. As minhas desculpas e obrigado.

Responsabilidade exclusiva de ANTÓNIO FONSECA