OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Blogs católicos – 8-11-2011

New post on Fratres in Unum.com


Os maçons espanhóis “saem à luz” em sua primeira pesquisa: 11,6% católicos.

by G. M. Ferretti

43,6% se declaram cristãos; 35,4% se consideram pessoas “espirituais sem vínculo com nenhuma religião”.

Religión en Libertad | Tradução: Fratres in Unum.com: Segundo o primeiro Barômetro Maçônico elaborado pela Grande Loja da Espanha, que acaba de ser publicado nesta sexta-feira, 97,3% dos maçons espanhóis são crentes e 2,7% não crentes (embora nenhum ateu). Dos crentes, 32% se declaram cristãos e 11,6% se definem como católicos. O estudo está baseado na metodologia do barômetro do Centro de Investigações Sociológicas (CIS) e diz ter por objetivo se aproximar da sociedade e eliminar “visões deturpadas”. A Grande Loja da Espanha realizou a pesquisa com 152 perguntas respondidas pelos membros desta loja, que diz ter 3 mil membros. Os resultados da pesquisa mostram que 35,4% dos maçons na Espanha se consideram pessoas “espirituais sem vínculo com nenhuma religião”, 4,1% budistas; 3,4% protestantes; 2,7% anglicanos; outros 2,7% não crentes; 2% judeus; e os 2,7% restantes, crentes de outra religião.

Nenhum ateu

A pesquisa indica que “nenhum dos maçons participantes no estudo fazem parte dos 8,8% dos espanhóis que se consideram ateus”. De fato, cita que “a franco-maçonaria tem seu fundamento essencial na fé em um poder supremo”. Neste sentido, a Grande Loja da Espanha explica que a crença atua como “um elemento determinante no trabalho que cada maçom realiza sobre si mesmo” e que este trabalho consiste em construir a própria identidade, no seio de uma associação livre de homens que buscam a excelência em suas vidas”.

Ideologias políticas

Quanto às ideologias políticas, a maioria dos questionados (23,8%) se declara liberal, seguida dos sociais-democratas (16,3%) e dos conservadores (15,6%) Também, ao todo, há menos maçons que se declaram comunistas, nacionalistas, ecologistas ou socialistas que o resto da sociedade, e o número de conservadores é 3% superior.

O maior problema: a crise de valores, não a estagnação econômica.

Por último, o estudo mostra que os maçons espanhóis consideram que o maior problema que a Espanha enfrenta nesse momento é a “crise de valores”, diferentemente da maioria da sociedade espanhola que considera que seja a estagnação econômica.

G. M. Ferretti | novembro 7, 2011 at 2:27 pm | Categorias: Maçonaria | Categories: Atualidades | URL: http://wp.me/pgELf-4i

««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««

 

New post on Fratres in Unum.com


Um sacerdote espanhol a serviço do Motu Proprio.

by G. M. Ferretti

Por Paix Liturgique

Alguns meses atrás, apareceu em Espanha um livrinho intitulado “O Motu Proprio Summorum Ponificum: um problema ou uma riqueza?” cuja autoria é do superior da Fraternidade de Cristo Sacerdote e Santa Maria Rainha, o Padre Manuel Maria de Jesus. Não tardou muito e esta obra foi logo traduzida para português, o que é uma prova do interesse que a mesma suscita na Península Ibérica.

Editado a expensas do autor, o livro, que se centra sobre o essencial, vem romper com efeito o grande silêncio que envolve, em Espanha como em Portugal, a questão da livre celebração da missa tradicional permitida por Bento XVI. Este grande silêncio foi medido pelas sondagens que a Paix Liturgique encomendou para estes países: em Portugal, de acordo com o inquérito Harris Interactive de 2010, 74% dos católicos jamais tinham ouvido falar do Motu Proprio; em Espanha, segundo o inquérito Ipsos de 2011, o número alcançava os 81,7%.

Porque a obra do Padre Manuel é digna de mérito, propomos que se deixem levar pelo fio condutor desta entrevista que acompanha, ela própria, o espírito que anima este sacerdote, profundamente preocupado como está em obedecer ao Santo Padre, e a transbordar de alegria e gratidão pelo facto de ter descoberto a liturgia tradicional.

Continue lendo...

G. M. Ferretti | novembro 7, 2011 at 6:08 pm | Categorias: Fraternidade de Cristo Sacerdote e Santa Maria Rainha, O Papa, Summorum Pontificum | Categories: Atualidades, Igreja, Summorum Pontificum | URL: http://wp.me/pgELf-4io

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

 

New post on Fratres in Unum.com


O Concílio Vaticano II: mito e realidade.

by G. M. Ferretti

Síntese do XIX Congresso dos Estudos Católicos - Rimini 28, 29 e 30 de Outubro de 2011

O XIX Congresso de Estudos Católicos foi realizado, como de costume, em Rimini[1], de 28 a 30 de outubro 2011. Foram três dias de trabalhos intensos, nos quais se enfrentou, a partir de várias perspectivas, o problema do Concílio Vaticano II, da sua interpretação e das consequências factuais produzidas em quase cinquenta anos passados desde a sua abertura. O nível dos palestrantes e a amplitude de cada intervenção individual tornam simples a obra de quem é chamado a sintetizar um material tão ingente.

Os trabalhos foram abertos na noite de sexta-feira, 28, com a exposição histórica da Dr.ª Elena Bianchini Braglia[2] (Dal Risorgimento rivoluzionario all'aggiornamento conciliare), uma sólida dissertação retrospectiva que evidenciou como muitas das raízes da crise pós-conciliar possam ser facilmente encontradas a partir da Revolução Francesa e, no que respeita a Itália, a partir do Ressurgimento. A Tomada de Roma[3], ocorrida em 20 de setembro de 1870, ao contrário do que sustenta a maioria dos historiadores católicos contemporâneos, tornou objetivamente mais fraco e inseguro o papado, facilitou as infiltrações maçônicas e, sem dúvida, favoreceu indubitavelmente a obra dos chamados ‘católicos liberais’. A apresentação, portanto, percorreu, desde a contraposição oitocentista entre ‘católicos intransigentes’ e ‘transigentes’, a luta, sempre mais fraca por causa, provavelmente, do irromper do socialismo na cena europeia, contra o catolicismo liberal; o choque terrível, ganho apenas por algumas décadas, graças a São Pio X, com os teólogos modernistas e, finalmente, a aniquilação da doutrina social da Igreja pela Democracia Cristã[4], fundada por Romolo Murri[4], e pelo Partido Popular[6] de Dom Sturzo[7]. No início dos anos 60, portanto, a orientação cultural prevalente entre os católicos, após um processo de desagregação que durou mais de um século, estava efetivamente pronta para receber o ‘aggiornamento’ que trará o Concílio Vaticano II.

Read more of this post

G. M. Ferretti | novembro 7, 2011 at 9:00 pm | Categorias: FSSPX, Vaticano II | Categories: Atualidades, FSSPX | URL: http://wp.me/pgELf-4iw

==============================================

New post on Fratres in Unum.com


Um Grillo falante e rebelde vem ao Brasil. A convite da CNBB.

by G. M. Ferretti

O Grilo Falante famoso e o Grillo da CNBB.

O Grilo Falante famoso e o Grillo da CNBB.

A Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB e a Associação dos Liturgistas do Brasil (ASLI) promovem, de 31 de janeiro a 4 de fevereiro de 2012, em comemoração aos 50 anos da Constituição Sacrosanctum Concilium, o Seminário Nacional de Liturgia - Releitura da Sacrosanctum Concilium no contexto do Vaticano II e nos Documentos Latinoamericanos.

O conferencista convidado é o senhor Andrea Grillo, professor de teologia sacramental na Pontifícia Faculdade Teológica da Universidade de São Anselmo em Roma. O Grillo deve se dirigir especialmente aos "bispos responsáveis pela liturgia nos regionais, membros da Associação dos Liturgistas do Brasil, coordenadores regionais da pastoral litúrgica" e mais uma leva de "engajados" na auto-demolição da Igreja do Brasil.

Mas, afinal, quem é este Grillo falante da Itália? Ninguém menos que um frustrado pelas decisões do Sumo Pontífice.

Para o Grillo, se há algo de imperativo em seu mundo relavista, este único elemento é a reforma litúrgica de Paulo VI:

Não pode haver dúvida de que a Reforma Litúrgica não queria ser um detalhe marginal ou um novo enfeite para acrescentar à história da Igreja um particular não estritamente necessário.

Evidentemente, essa é a mesma concepção da anfitriã do encontro, a CNBB, que já na apresentação do evento esclarece:

Num contexto de mudança de época, queremos reafirmar os princípios teológico-litúrgicos da Constituição Sacrosanctum Concilium em seu jubileu de ouro, como primeiro documento a ser promulgado no Concílio Vaticano II. A reforma litúrgica determinada pela Carta Magna da Liturgia como nova etapa do Movimento Litúrgico somente poderá ser executada se compreendida, estudada e assumida por todos.

Enfim, o tão alardeado "aggiornamento" assumiu quase todas as liberdades -- religiosa, de consciência... -- do mundo moderno, menos a intolerável liberdade de liturgia! Ai de vós, libertários que ousam destoar do uníssono louvor à obra da comissão de Monsenhor Bugnini. É perigoso até reabilitarem o inferno exclusivamente para vós, pestes!

Seminário Nacional de Liturgia - SC 50 anos.

Seminário Nacional de Liturgia - SC 50 anos.

Pois bem: o Grillo é um insignificante, minúsculo ser que pretende bradar em alto e bom som que o "Rei [o Pontífice] está nu" e que, com Summorum Pontificum e Universae Ecclesiae, corremos o risco de ter um "Jurassic Park ritual" no qual se "perde o sentido da realidade e se toma o caminho do sonho, da ilusão e da mistificação".

Para além da pequenez do conferencista, o que realmente conta é a miséria intelectual -- e sobretudo a falta de Fé -- do episcopado brasileiro, que se deixa levar pelo canto da sereia de intelectuais do porte de um... Grillo.

Episcopado insosso e incapaz, que permanece refém de peritos obscurantistas de ideologias libertárias ultrapassadas. Afinal, na CNBB o relógio quebrou e estamos num eterno 1970.

Excelências, não seria a hora de um... "aggionarmento"?

G. M. Ferretti | novembro 8, 2011 at 8:48 am | Categorias: CNBB | Categories: CNBB, Igreja | URL: http://wp.me/pgELf-4iy

(((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((

De:
Passo-a-rezar.net (info@passo-a-rezar.net)

Enviada:
terça-feira, 8 de Novembro de 2011 00:21:41

Para:
aarfonseca@hotmail.com

SEMANA:
DOMINGO XXXIII DO TEMPO COMUM (13 Nov) + 33ª Semana Tempo Comum (14-18 Nov)
LEITORES:
Joana Vieira de Castro (pontos) + JAndré Rodrigues (texto bíblico)

TEXTOS:
Joana Viana Lopes

ZIP FILE:
2011-11-13.zip (toda a semana)

REFERÊNCIAS BÍBLICAS:

(dom) Slm 127
(seg) Ev Lc 18, 35-43
(ter) Ev Lc 19, 1-10
(qua) Slm 16, 1. 5-6. 8b-9a e 15
(qui) Ev Lc 19, 41-44
(sex) Ev Mt 14, 22-33
Domingo 13.11.2011
J. S. Bach, Sonata in G minor for oboe and harpsichord after BWV 1029 (allegro)
(CD) Transcriptions for oboe, Gonzalo X Ruiz [
Procurar ]
© Magnatune -
www.magnatune.com
Segunda 14.11.2011
Anónimo, Salvator Noster
(CD) The Black Dragon, medieval music from the 12th to the 15th centuries, Cançonier [
Procurar ]
© Magnatune –
www.magnatune.com
Terça 15.11.2011
Ladysmith Black Mambazo, Wenyukela - Raise Your Spirit Higher
(CD) Raise Your Spirit Higher [
Procurar ]
© Wrasse Records -
www.wrasserecords.com
Quarta 16.11.2011
Comunidade de Taizé, En Tí Confío Señor
(CD) Bendecid al Señor! [
Procurar ]
© Ateliers et Presses de Taizé –
www.taize.fr/pt
Quinta 17.11.2011
Anónimo, Diffusa est gratia
(CD) Vocal Music of the Cathedral Notre-Dame de Paris in the year 1200, Vox Nostra [
Procurar ]
© Magnatune –
www.magnatune.com
Sexta 18.11.2011
T. Damett, Salvatoris Mater
(CD) Music for Henry V & the House of Lancaster, The Binchois Consort, Andrew Kirkman [
Procurar ]
© Hyperion Records –
www.hyperion-records.co.uk

0000000000000000000000000000000000000000000000000000000

Nº 39 | Novembro de 2011

Semana dos Seminários - 06 a 13 de Novembro

Formar pastores consagrados totalmente a Deus e ao seu Povo


Senhor Jesus, Bom Pastor, que em obediência ao Pai dais a vida pelas ovelhas, concedei-nos as vocações sacerdotais de que a Igreja e o mundo tanto necessitam.
Fazei que as nossas famílias e comunidades sejam campo fértil, onde possam germinar. Abençoai o trabalho apostólico dos sacerdotes, catequistas e educadores
para que acompanhem a vocação sacerdotal daqueles que escolheis. Dai aos jovens seminaristas a coragem de Vos seguir e o dom de configurarem o seu coração com o Vosso. E que Santa Maria, Vossa Mãe, Rainha dos Apóstolos, os guie e proteja, até chegarem a ser pastores consagrados a Deus e ao seu Povo. ÁMEN.

Mais informações: http://www.ecclesia.pt/semanaseminarios2011

Projeto de Pastoral Vocacional Juvenil - LINK

.

EIS O HOMEM 11/12

Ciclo de Conferências

 

 

1º Ciclo | JUVENTUDE, ESCOLA E FAMÍLIA

Este ciclo de conferências resulta de uma iniciativa conjunta da Universidade Católica Portuguesa, da Pastoral Universitária, da Associação Católica do Porto e do Secretariado Diocesano da Pastoral da Cultura.

O 1º Ciclo de debates versa sobre a JUVENTUDE, ESCOLA E FAMÍLIA e tem arranque agendado para o dia 10 de Novembro, às 21h30, na Associação Católica do Porto. Pe. António Bacelar e Mariana Oswald falarão sobre a temática "Namorar, como?", o encontro será comentado por Margarida Guimarães e João Côrte-Real.


Local: Associação Católica do Porto (Rua de Passos Manuel, 54).

Programa: LINK

Missa Igreja Catedral 16 de Nov. - 17h

No próximo dia 16 de Novembro, no final da reunião do Conselho Presbiteral, às 17h, na Igreja Catedral, o Senhor D João Miranda Teixeira presidirá à Eucaristia que assinalará o termo do seu serviço como Bispo Auxiliar do Porto (1983-2011), continuando entre nós como Bispo no Porto

Formação

Estão abertas as inscrições para a Pós-Graduação em Gestão de Organizações de Economia Social da Católica.Porto.

Eis algumas informações úteis sobre o curso:

  1. 270h lectivas, com possibilidade de inscrição e frequência só de alguns módulos;

  2. Propinas: 2000 euros, com possibilidade de pagamento mensal;

  3. Data limite para as inscrições: 23 de Dezembro de 2011;

  4. Data de início das aulas: 6 de Janeiro de 2012;

  5. Horário das aulas: Sextas-Feiras, das 14h até às 18h e Sábados das 9h até às 13h;

  6. Possibilidade de habilitação como Auditor Interno de Qualidade;

  7. Possibilidade de obtenção de equivalência a metade dos créditos da parte escolar do Mestrado em Economia Social da Católica-Porto.

A ficha de inscrição e mais informações sobre esta pós-graduação estão disponíveis no respectivo site: http://www.porto.ucp.pt/formacaocontinua

Nas 7 quintas à conversa com...

No próximo dia 24 de Novembro, o Bar das Artes, da Universidade Católica do Porto recebe o novo ciclo "Nas 7 quintas à conversa com... ".

24 Nov: José A. Azeredo Lopes e Nuno Morais Sarmento | 15 de Dez: Irmã Irene Guia e Frei Fernando Ventura | 5 de Jan: Ana Brito e Cunha e António Lobo Xavier | 2 de Fev: Júlio Magalhães e Marcelo Rebelo de Sousa.

A iniciativa é promovida em parceria com a Associação Vida Norte e a Universidade para o Desenvolvimento Integral da Pessoa (UDIP).




)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

LEITURA ORANTE


Lc 17,7-10 - "Instrumento inadequado"

Posted: 07 Nov 2011 06:01 PM PST

Preparo-me para a Leitura Orante, rezando, com todos que se encontram na web:


Graça e Paz a todos os que se reúnem aqui, na web, em torno da Palavra. Juntos, rezamos ou cantamos o Salmo 94:
(Se, em grupo, pode ser rezado em dois coros ou um solista e os demais repetem)
- Venham, ó nações, ao Senhor cantar (bis)
- Ao Deus do universo, venham festejar (bis)
- Seu amor por nós, firme para sempre (bis)
- Sua fidelidade dura eternamente (bis)
- Toda a terra aclame, cante ao Senhor (bis)
- Sirva com alegria, venha com fervor (bis)
- Nossas mãos orantes para o céu subindo (bis)
- Cheguem como oferenda ao som deste hino (bis)
- Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito (bis)
- Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito (bis)
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.

1. Leitura (Verdade) O que diz o texto do dia?

Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 17,7-10

Façam de conta que um de vocês tem um empregado que trabalha na lavoura ou cuida das ovelhas. Quando ele volta do campo, será que você vai dizer: "Venha depressa e sente-se à mesa"? Claro que não! Pelo contrário, você dirá: "Prepare o jantar para mim, ponha o avental e me sirva enquanto eu como e bebo. Depois você pode comer e beber." Por acaso o empregado merece agradecimento porque obedeceu às suas ordens? Assim deve ser com vocês. Depois de fazerem tudo o que foi mandado, digam: "Somos empregados que não valem nada porque fizemos somente o nosso dever."

O discípulo é alguém que serve. É aquela pessoa que aprendeu a superar o próprio egoísmo. Compreendeu a sua missão de discípulo servidor e reconhece até, ser um “servo inútil”, quer dizer não é indispensável. Há uma outra compreensão desta expressão. Os santos a entenderam assim: o discípulo apenas é um instrumento de Deus, um canal do qual Deus se serve para comunicar a sua graça, o seu amor. O canal por si não realiza nada. É preciso que a graça de Deus passe por ele, É Deus quem age!
O que o texto diz para mim, hoje?
Pensando na forte expressão “somos servos inúteis” ou na tradução que li “ empregado que não vale nada”, recordo-me das palavras sábias e experientes do bem-aventurado Tiago Alberione, ao reler a história de Deus na sua vida. Disse ele: “Sou como um “semicego” (AD 202), iluminado e guiado passo a passo; uma vez mais o instrumento inadequado” (cf. AD 209)
Os bispos na Conferência de Aparecida lembraram: "Jesus convida a nos encontrar com Ele e a que nos vinculemos estreitamente a Ele porque é a fonte da vida (cf. Jo 15,1-5) e só Ele tem palavra de vida eterna (cf. Jo 6,68). Na convivência quotidiana com Jesus e na confrontação com os seguidores de outros mestres, os discípulos logo descobrem duas coisas originais no relacionamento com Jesus. Por um lado, não foram eles que escolheram seu mestre foi Cristo quem os escolheu. E por outro lado, eles não foram convocados para algo (purificar-se, aprender a Lei...), mas para Alguém, escolhidos para se vincular intimamente a sua pessoa (cf. Mc 1,17; 2,14). Jesus os escolheu para “que estivessem com Ele e para enviá-los a pregar” (Mc 3,14), para que o seguissem com a finalidade de “ser d’Ele” e fazer parte “dos seus” e participar de sua missão. (DA,131).
E eu me interrogo: Como é meu discipulado? Tenho consciência de que sou uma pessoa escolhida por Deus para seu serviço? De que sirvo a Deus e não a mim mesmo?

2. Meditação (Caminho)

3.Oração (Vida)

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo, espontaneamente, com salmos e concluo com a oração do bem-aventurado Alberione, cuja festa celebramos no dia 26 de novembro.

“Jesus, Mestre:
que eu pense com a tua inteligência, com a tua sabedoria.
Que eu ame com o teu coração.
Que eu veja com os teus olhos.
Que eu fale com a tua língua.
Que eu ouça com os teus ouvidos.
Que as minhas mãos sejam as tuas.
Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas.
Que eu reze com as tuas orações.
Que eu celebre como tu te imolaste.
Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém”.

4.Contemplação (Vida e Missão)

Qual meu novo olhar a partir da Palavra? Sinto-me discípulo/a de Jesus.

Meu olhar deste dia será iluminado pela presença de Jesus Cristo, acolhido no meu coração e no coração das demais pessoas.

Bênção- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Irmã Patrícia Silva, fsp

Sugestão de gesto concreto:

- Coloque a Palavra de Deus no topo do blog e da sua vida. Neste blog da Leitura Orante - http://leituraorantedapalavra.blogspot.com// - , em cima, do lado direito, clique no selo TOPBLOG e vote quantas vezes quiser. O blog já está entre os 100 classificados no 1º Turno.

- Se você quiser receber o Evangelho do Dia, acesse o seguinte endereço e preencha o formulário de cadastro -

http://www.paulinas.org.br/loja/CentralUsuarioLogin.aspx

ou

Assine RSS em

http://leituraorantedapalavra.blogspot.com//

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Responsabilidade da colocação destes postas neste blogue é de

António Fonseca

Nº 1097 (291) - 8 DE NOVEMBRO DE 2011 - SANTOS DE CADA DIA - 4º ANO

Nº 1097
Adeodato, Santo
LXVIII Papa, 8 Novembro
Adeodato, Santo
Adeodato, Santo
O Papa Adeodato I, o Deusdedit, foi pontífice num momento en que se começava a sentir cada vez mais claro e forte o sentimento de intolerância e de independência para com o poder bizantino. Houve levantamentos em Rávena, em Nápoles e na própria Roma. Os territórios governados pelos Lombardos, pelo contrário, gozavam de certa tranquilidade. Poucas são as notícias históricas: filho do subdiácono romano Estevão, foi durante quarenta anos sacerdote em Roma antes de suceder na cátedra pontifícia ao Papa Bonifácio IV em 19 de Outubro de 615. Morreu em novembro de 618, amado e chorado pelos romanos, que puderam apreciar o bom coração durante as grandes calamidades que atormentaram Roma durante os três anos de seu pontificado: o terramoto, que deu o golpe de graça aos marmóreos edifícios do Foro, já desbastados pelas continuas invasões dos bárbaros, e uma terrível epidemia chamada elefantíase.  Foi o primeiro Papa que estabeleceu com testamento doações para distribuir ao povo por ocasião dos funerais do sumo pontífice. Em Roma o Papa não só era o bispo e o pastor espiritual, mas também o guia civil, o juiz, o supremo magistrado, o que garantia a ordem.À morte de todo pontífice os romanos se sentiam sem proteção, expostos às invasões dos bárbaros nórdicos ou às vinganças do império de Oriente. A teoria medieval dos "dois sóis", o Papa e o imperador, que deveriam governar unidos ao mundo cristão, não era aceite em Constantinopla. O Papa Adeodato se demostrou um hábil mediador e paciente interlocutor com o outro "sol" que em realidade de verdade foi muito pouco solícito com Itália, exceção feita da vez que enviou ao exarca Eleutério para dominar a revolução de Ravena e de Nápoles. Foi a única ocasião em que o Papa Adeodato, ocupado em aliviar a sorte dos habitantes de Roma pelas calamidades já referidas, teve um contacto, ainda que indireto, com o imperador.  Teve fama de ser um taumaturgo: curava as formas mais graves de peste só em apoiar seus lábios sobre as chagas imundas dos enfermos. Barónio põe no Martirologio Romano um episódio que confirma a fama de santidade que rodeava o venerável pontífice "dado por Deus" (como diz a etimologia do nome) como guia dos cristãos numa época tão atormentada: durante uma de suas visitas aos enfermos, os mais abandonados, isto é os mais atacados pela terrível enfermidade da lepra, teria curado a um destes infelizes depois de o ter abraçado e beijado carinhosamente. O Liber pontificalis, recordando dois fatos de seu pontificado, afirma que Adeodato amou muito a seu clero, a que defendeu a respeito do clero monástico ou regular, privilegiado desde quando Gregorio Magno lhes havia confiado aos monges importantes cargos en el apostolado missionário e na mesma organização eclesial. O segundo facto se refere à faculdade de celebrar uma segunda missa o mesmo día (binação). Dele se conhece o selo de chumbo com que costumava marcar os documentos oficiais: o Bom Pastor entre as ovelhas e os símbolos cristológicos de alfa e ómega. Foi o primeiro que o usou. Sua forma é redonda, grande como uma moeda e em latim se chama bula, de que deriva bula. Deixou um presente de prata a cada clérigo que esteve em seus funerais.
76800 > Sant' Adeodato I (o Deusdedit) Papa 8 novembre MR
Áudio da RadioVaticana: e RadioMaria:
SANTO CARPO, SANTO PAPILO e SANTA AGATÓNICA
Mártires (século III)
Em Pérgamo, cidade da província romana da Ásia, foram chamados ao Tribunal: Carpo, que provavelmente era bispo de Gordo, cidade da Lídia; Papilo, diácono da Igreja de Tiatira, na mesma região onde tinha pregado o Evangelho, ganhando muitos seguidores para Cristo; e Agatónica, mulher nova, temente a Deus e a mãe dalguns filhos – o seu nome grego significada «denodada vencedora». Mas deste martírio não consta bem determinado o ano, segundo estudos recentes, deu-se no século III, sendo imperador Décio (250-253). O procônsul da Ásia, que se chamava Óptimo, tinha a residência em Éfeso, mas de vez em quando, por motivos de ofício, demorava-se em Pérgamo. Encontrando-se nesta cidade, apresentaram-se os mártires de Cristo, Carpo, Papilo e Agatónica. Sentando-se o procônsul, perguntou as Carpo: « – Como te chamas? – O bem aventurado respondeu: – O meu primeiro nome e o mais nobre é cristão. Mas, se queres saber o que uso no mundo, chamo-me Carpo. – Disse o procônsul: – Tu não ignoras as ordens dos nossos imperadores a respeito do culto que deveis prestar aos deuses que regem o universo. Portanto aconselho que vos aproximeis para sacrificar. – Carpo respondeu: – Eu sou cristão e adoro a Cristo, Filho de Deus, que veio nestes últimos tempos livrar-nos da escravidão do demónio e salvar-nos. Portanto, não é possível sacrificar eu aos vossos ídolos. – E, com a alma e franqueza que vemos nos mártires, continuou a falar dos que adoram a Deus em espírito e verdade. – Estes, dizia ele – por meio do Salvador foram tornados participantes da vida divina e da glória eterna, ao passo que os adoradores do demónio vêm todos a perecer no Inferno. – Então, o procônsul mandou, sem rodeios, que fosse enforcado e que, com unhas de ferro o descarnassem todo. Ele, sujeitando-se a esta carnificina, não fazia senão repetir em alta voz: – Sou cristão! Sou cristão! – Por fim, reduzido a pedaços, perdeu os sentidos e calou-se. – Entretanto, deixando Carpo, dirigiu-se a Papilo, e disse-lhe: – És senador? - Não, sou simples cidadão.De que cidade?De Tiatira. – Tens filhos?Sim, e muitos pela graça de Deus. – Um dos circunstantes gritou: – Diz ter filhos, segundo a sua fé cristã. – Retorquiu o procônsul: – Porque mentes, então, dizendo ter filhos?Não minto, mas digo a verdade. tenho filhos segundo Deus em toda a província e na cidade.Então sacrificas? Que decides?Desde pequeno servi a Deus e nunca sacrifiquei aos ídolos. Sou cristão e basta. na verdade, nada poderei dizer que seja maior e mais belo que isto. – Enforcado também ele, foi arranhado, cortado e dilacerado com três pares de unhas de ferro sem dar um gemido; mas, como atleta cada vez mais vigoroso, aguentou até ao fim o encarniçamento. Diante da insuperável constância dos Mártires, o procônsul não conseguiu encontrar outra saída que não fosse mandar que os lançassem às chamas. Recebida a sentença e descidos do estrado, ansiavam por chegada ao anfiteatro para se encontrarem quanto antes livres deste mundo. Papilo, o primeiro a ser empalado e levantado, ao acender-se o fogo, recolheu-se em tranquila oração e expirou. Depois foi espetado Carpo. Sorria como se tivesse uma visão bem-aventurada. As chamas tinham subido e, então o Mártir pronunciou uma prece de ação de graças, dizendo: – «Sejas bendito, ó Senhor meu, Jesus Cristo, Filho de Deus, pois, embora eu seja pecador, tornaste-me digno de participar na tua herança». Depois o fumo e o fogo tiraram-lhe a vida. Em seguida foi a vez de Agatónica. Vira os seus dois companheiros ir para o martírio como para nobre banquete, e desejava ansiosamente participar nele. Disse-lhe o procônsul: – Que decides? Anda, sacrifica! Queres, porventura, seguir os conselhos dos teus mestres? – Respondeu a Mártir: – Eu sou cristã, e nunca sacrifiquei aos demónios, mas só a Deus. – Nesta altura interveio o povo gritando: Tem compaixão de ti e dos teus filhos! – Disse o juiz: – Reflete bem , e efetivamente tem compaixão das tuas crianças, como to suplica o povo. – Agatónica respondeu: – Deus, que toma cuidado de todos, terá cuidado das minhas criancinhas.Sacrifica e não me obrigues a condenar-te à pena dos outros dois. – Respondeu Agatónica: Faz o que te aprouver. Eu vim para aqui disposta a padecer pelo nome de Cristo. A estas palavras o juiz condenou-a ao fogo. A Mártir, chegando ao lugar da execução, despojou-se dos seus vestidos e deu-os aos verdugos; a seguir, correu a estender-se sobre a estaca para se empalada. Então o povo, vendo uma mulher tão digna e tão bela condenada a uma morte cruel , horrorizado, exclamou: – Sentença dura! Decretos iníquos! Colocada na fogueira, enquanto as chamas a envolviam, Agatónica moribunda invocou três vezes o Senhor, dizendo: – Senhor, Senhor, Senhor, socorre-me Tu, pois sofro isto por Ti! E orando assim, expirou. depois os cristãos às escondidas furtaram as relíquias dos santos e guardaram-nas diligentemente para glória de Cristo e louvor dos mesmos Mártires. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt


76770 >

San Chiaro di Tours 8 novembre MR
Godofredo de Amiens, Santo
Bispo, 8 Novembro
Godofredo de Amiens, Santo
Godofredo de Amiens, Santo
Etimologicamente significa “paz de Deus”. Vem da língua alemã. Em junho de 2002 se fala muito da Convenção Europeia como uma forma de chegar a sua própria identidade, tendo em conta as raízes de seu passado... Há que ter confiança nos valores da solidariedade, a subsidiariedade e a transparência... A liberdade religiosa deve ser reconhecida a nível da Comunidade Europeia. Veio ao mundo no ano 1066 em Soissons e morreu aqui mesmo em 1115. De jovem viu que sua vocação se inclinava para ser monge. Aos 30 vivia muito feliz como um simples religioso na abadia de Mont-Martin. Em poucos anos soube dar prosperidade à abadia e a todos os arredores. Quando o arcebispo se inteirou de quem era este monge, ofereceu-lhe que se fizesse cargo da abadia de são Remígio, a mais importante de sua diocese.
Godofredo o contestou dizendo-lhe que não queria. Se o fizesse, seria como um homem que deixa a sua mulher para ir com outra mais guapa. Não obstante, se pensou o tema da obediência e, no fim aceitou não ser abade mas sim bispo de Amiens. Proveniente de uma vida monacal, forjada na austeridade, começou por reformar ao clero que estava sumido na ssmonía e não administrava os sacramentos. Uma grande degradação moral e religiosa. E não somente quis reformar o clero, mas também se pôs duro com os senhores que acampavam por seus foros. Estes últimos se uniram para lhe fazer a vida impossível. Se encontrou cedo sem amigos.
Por isso, uma noite saiu fugindo à Cartuxa para se esconder e viver em paz. O encontraram e obrigaram a voltar à diocese. Mas estava já extenuado de forças e morreu pouco depois na abadia de São Crispim de Soissons.
76750 > San Goffredo di Amiens Vescovo 8 novembre MR
ISABEL DA TRINDADE
Isabel de la Trinidad, Beata
Isabel de la Trinidad, Beata
Etimologicamente significa “juramento de Deus”. Vem da língua hebraica. Te encontras hoje ante uma mística de altos voos. Dessas pessoas que não se sabe se vivem na terra ou estão vivendo fisicamente aqui mas sua mente e coração estão no céu. Nasceu em Bourges, França, em 1880. Lhe custou muito em sua educação e maturidade pessoal acabar com o mau génio que tinha. Isto lhe ocorreu após a morte do pai. Aos 14 anos, fez voto de virgindade. Poucos anos depois começou a escrever suas revelações místicas ou sobrenaturais.. Aos 21 anos ingressou no convento carmelitano de Dijon. Nada mais que senão este:"Louvor de glória da Santíssima Trindade e crescer de dia para dia na estrada de amor aos Três". Apesar de sua juventude, exerceu e exerce uma grande influência na vida das pessoas mais sensibilizadas com o mundo de Deus. Seus livros “Elevações, Retiros, Notas Espirituais e suas Cartas constituem uma experiência mística trinitária excepcional.
Sua contemplação, sua solidão e seus arrebatamentos místicos nos fazem ver sua união com Deus trinitário. De seus livros tiramos algumas frases dignas de se reter na memória e no coração crentes:"Crer que um ser que se chama O Amor habita em nós em todo o instante do dia e da noite e que nos pede que vivamos em sociedade com Ele, eis aqui, vos confio, o que tenho feito de minha vida meu céu antecipado". "Meu Esposo quer que eu seja para Ele uma humanidade adicional na qual eu possa seguir sofrendo para glória do Pai e para ajudar a Igreja". Morreu no ano 1906 por causa de uma úlcera de estômago. Subiu aos altares em 25 de novembro de 1984. ¡Felicidades a quem leve este nome!
Isaías Boner, Beato
Sacerdote Augustino, 8 Novembro
Isaías Boner, Beato
Isaías Boner, Beato
Em 8 de novembro de 1471 morria em Cracóvia (Polónia). Havia sido professor de teologia na universidade, mestre de vida religiosa e espiritual, amigo e confidente dos santos e beatos do denominado felix saeculum Cracoviae, como Juan Kancio († 1474) o canónico regular Estanislao Kazimiercyk, o Casimiritano († 1489), de todos conhecido por seu zelo apostólico, vida austera, piedade mariana, e seu saber unir a quietude da oração con a ânsia agostinha da procura.  Se ignora o ano preciso de seu nascimento, mas se sabe que em 1415 vestiu o hábito Agostinho no convento de Sta. Catalina de Cracóvia. Eram os momentos obscuros do cisma de Ocidente e do triunfo das doutrinas heréticas de Hus, que não tardariam em incendiar o fogo da guerra sócio-religiosa na próxima Boémia.  En 1419 fue enviado a estudiar a Padua, y allí permaneció casi cuatro años, obteniendo el lectorado en teología y recibiendo la ordenación sacerdotal. De vuelta a Polonia fue encargado de dirigir a los jóvenes estudiantes profesos, asistiéndolos espiritualmente como maestro y como profesor de Sagrada Escritura en el estudio del convento. Nombrado visitador provincial, recorrió la provincia de Baviera. En 1443 consiguió el grado académico de magister en la Universidad Jaguelónica de su ciudad natal. En 1452 lo encontramos de nuevo en Ratisbona como delegado del P. General para presidir la celebración del capítulo de la Provincia.  Fuera de estos cargos de responsabilidad dentro de la Orden, prueba de la estima de que aun fuera de su patria gozaba entre los suyos el magister Poloniae, su principal actividad fue la enseñanza de las ciencias sagradas en la universidad de Cracovia, donde fue apreciado y querido por sus contemporáneos.  A su muerte fue sepultado en el claustro del convento. En torno a sus restos creció el culto popular, y comenzaron a serle atribuidos milagros y gracias. Y aunque el título de beato del que disfruta entre los suyos – en 1617 fue incluido entre los santos protectores de Polonia -, aún no ha sido ratificado por Roma, su tumba en la cripta de la iglesia de Sta. Catalina sigue siendo meta de un incesante peregrinar de devotos, muchos de ellos estudiantes universitarios.  Fueron varias las ocasiones en que se intentó iniciar la instrucción de la causa, pero lamentablemente en ninguna de ellas se consiguió llevarla a término. Por fin, el 20 de diciembre de 1994, de común acuerdo con el cardenal de Cracovia Francisco Macharski, la postulación general de la Orden solicitó oficialmente la apertura del proceso sobre la fama de santidad del denominado “beato”, virtudes heroicas y culto ininterrumpido.  Ultimados los trámites de ley, el 21 de diciembre de 1996 se clausuró la información cognoscitiva diocesana, el 1 de febrero de 1997 se obtenía de la Congregación de los Santos el nihil obstat para proceder, y el 5 de diciembre del mismo año el correspondiente decreto de validez del proceso llevado a cabo en Cracovia. Morreu em 8 de novembro de 1745
90170 > Beato Isaia Boner da Cracóvia 8 novembre (?)
BEATO JOÃO DUNS ESCOTO
(1266-1308)
Juan Duns Escoto, Beato
Juan Duns Escoto, Beato
Este franciscano nasceu em Maxton-on-Tweed, na Escócia, em 1266, e faleceu em Colónia, Alemanha, a 8 de Novembro de 1308. João é o seu nome de batismo: Duns é o apelido nobre; e Escoto, ou Scott ( = escocês) a indicação do seu país de origem. É um dos três doutores mais célebres da escolástica, sendo os dois outros S. Tomás de Aquino e S. Boaventura, aos quais ele muitas vezes se opõe. Ensinou em Cambridge, Oxford, Paris e por último em Colónia. «Fica-se pasmado, escreve Estevão Gilson, diante da imensidade do esforço realizado por este mestre, falecido com a idade de 42 anos». Foi a ele que a doutrina da Imaculada Conceição ficou devendo ser aceite nas escolas, onde ela era até então universalmente combatida. E ensinava que o Verbo teria encarnado, mesmo que Adão não tivesse pecado; mas neste caso não teria Ele sofrido. Paulo VI comparou a obra monumental de Duns Escoto a «uma grande catedral de arquitetura audaciosa, mas de construção tão sólida que pode desafiar os séculos»; dizia-se «persuadido de que este tesouro intelectual encerra armas próprias para combater eficazmente o ateísmo contemporâneo». Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt.Ver também www.es.catholic e www.santiebeabti.it
Juan Duns Escoto, Beato
Juan Duns Escoto, Beato
Sacerdote, doctor sutil y mariano (1265‑1308). Juan Pablo II aprobó su culto el 20 de marzo de 1993. Juan Escoto nació en Duns, en Escocia, hacia 1265, entró en la Orden de los Hermanos Menores hacia 1280 y fue ordenado sacerdote el 17 de abril de 1291. Completó los estudios entre 1291 y 1296 en París. Luego enseñó en Cambridge, Oxford y París, como bachiller, comentaba las “Sentencias” de Pedro Lombardo. Tuvo que abandonar la universidad, por no haber querido firmar una apelación al Concilio contra Bonifacio VIII, promovida por Felipe el Hermoso, rey de Francia. Regresó allí el año siguiente para obtener el doctorado, con una carta de presentación del Ministro general de la Orden, Padre Gonzalo Hispánico, que había sido su maestro, en la cual lo recomendaba como plenamente docto “sea por la larga experiencia, sea por la fama que se había extendido por todas partes, de su vida laudable, de su ciencia excelente y del ingenio sutilísimo” del candidato.
A fines de 1307 Juan Duns Escoto estaba en Colonia, donde enseñó. Quizás no hay doctor medieval más sobresaliente que este franciscano escocés, que estudió en Oxford, enseñó en París, fue expulsado por Felipe el Hermoso porque no quiso firmar la apelación antipapal y murió en Colonia, a la edad en que los otros filósofos comienzan a producir, como si la llama del pensamiento le hubiese quemado la juventud. El título de “Doctor Sutil” que le dieron, dice toda su sublimidad. Sus teorías sobre la Virgen y sobre la encarnación obtienen después de siglos la confirmación en el dogma de la Inmaculada Concepción y en el culto a la realeza de Cristo.
Elabora el misticismo pensante de San Buenaventura. Escoto es un metafísico y un teólogo. Empleó su agudeza de ingenio en la sistematización de los grandes amores de San Francisco: Jesucristo y la Virgen Santísima. La posteridad también lo ha llamado “Doctor del Verbo Encarnado” y “Doctor Mariano”. Tuvo numerosos discípulos y muy pronto llegó a ser y siguió siendo el jefe de la escuela franciscana, que se inició con el Beato Alejandro de Hales, se desarrolló con San Buenaventura, doctor Seráfico de la Iglesia, y llegó a su culminación en el Beato Juan Duns Escoto. Su doctrina está en perfecta armonía con su espiritualidad. Después de Jesús, la Virgen Santísima ocupó el primer puesto en su vida. Duns Escoto es el teólogo por excelencia de la Inmaculada Concepción. El estudio de los privilegios de María ocupó un puesto importantísimo en su vida. En una disputa pública, permaneció silencioso hasta que unos 200 teólogos expusieron y probaron sus sentencias de que Dios no había querido libre de pecado original a la Madre de su Hijo. Por último, después de todos, se levantó Juan Duns Escoto, tomó la palabra, y refutó uno por uno todos los argumentos aducidos contra el privilegio mariano; y demostró con la Sagrada Escritura, con los escritos de los Santos Padres y con agudísima dialéctica, que un tal privilegio era conforme con la fe y que por lo mismo se debía atribuir a la gran Madre de Dios. Fue el triunfo más clamoroso en la célebre Sorbona, sintetizado en el célebre axioma: “Potuit, decuit, ergo fecit (Podía, convenía, luego lo hizo)”. En Colonia, donde enseñaba, murió el 8 de noviembre de 1308.
76460 > Beato Giovanni Duns Scoto 8 novembre MR
Áudio da RadioRai:


94778 >

Beati Giovanni Jover e Pietro Escribà Martiri mercedari 8 novembre
SEVERO, SEVERIANO, CARPÓFORO e VITORINO, (ou os QUATRO SANTOS COROADOS)
e, ainda os santos mártires CLÁUDIO, NICÓSTRATO, SINFORIANO, CASTOR e SIMPLÍCIO
Mártires (entre 284 e 305)
Los Cuatro Santos Coronados
Os Quatro Santos Coroados
Foi na perseguição de Diocleciano, a mais cruel e inexorável de todas, as que deram a sua vida pela fé cristã os irmãos Severo, Severiano, Carpóforo e Vitorino. Intimados a sacrificar aos ídolos, recusaram com firmeza, motivo porque foram açoitados crudelissimamente até exalarem nos tormentos o último suspiro Lançados os seus cadáveres aos cães, foram por estes respeitados. Vendo isto, os cristãos tomaram-nos, indo sepultá-los na Via Lavicana, não longa da cidade, junto do túmulo dos santos mártires Cláudio, Nicóstrato, Sinforiano Castor e Simplício, que tinham sido já sacrificados pelo mesmo imperador, pois, sendo embora peritíssimos na escultura, de nenhum modo puderam ser levados a fazer as estátuas dos ídolos. Transportados depois para junto duma imagem do Sol para a adorarem, disseram que nunca prestariam honras divinas a uma obra das mãos do homem. por isso foram presos, açoutados, maltratados e, por fim, lançados ao rio. Existe na cidade de Roma uma igreja com o título de «dos quatro santos coroados», visto os seus nomes terem sido por muito tempo desconhecidos, sendo só mais tarde revelados por Deus. Nessa igreja foi dada sepultura honrosa não só aos quatro mais também aos últimos cinco, junto dos quais tinham sido sepultados aqueles. É neste dia celebrada a sua festa pela Igreja. Este templo romano foi título cardinalício do cardeal-Rei D. Henrique. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt Ver também www.es.catholic e www.santiebeati.it
Los Cuatro Santos Coronados
Los Cuatro Santos Coronados
Recordamos a cuatro hermanos mártires: Severo, Severino, Carpóforo y Victorino, que vivieron en la última parte del siglo III y a comienzos del IV. Servían como militares al emperador Diocleciano, pues gozaban de gran reputación como soldados, y tenían puesto honoríficos en la corte. Además, eran cristianos y no ocultaban su condición de tales; asistían a las reuniones y a los oficios divinos, generalmente realizados en las catacumbas, socorrían a los pobres y visitaban a los presbíteros.
En el año 304, Diocleciano decreto que todos los súbditos del Imperio sacrificasen públicamente a los dioses. Se desató de este modo, con mayor furor, la persecución contra los seguidores de Cristo, y prontamente los cuatro santos fueron apresados. Como se negaron a prestar juramento a los dioses, fueron llevados delante del ídolo de Esculapio y amenazados de muerte si no le rendían culto. Los cuatro gritaban: "¡Es un falso Dios!". Fueron azotados cruelmente, pero ellos continuaron gritando: "¡Nuestro Dios es Jesucristo!" Se los sometió a toda clase de tormentos. Y así, entregaron su vida. Diocleciano ordenó que sus cuerpos fuesen arrojados a la plaza, para que sirvieran de alimento a los perros. Afirma la tradición que transcurridos cinco días, ningún perro se les acercó, poniendo de manifiesto que los hombres eran más crueles que las bestias. Los cristianos, en secreto les dieron sepultura en una arenal. Sus restos están ahora en la iglesia que lleva el nombre de los Santos Coronados, en Roma. Los santos mártires Claudio, Nicóstrato, Sinforiano, Castor y Simplicio, cuyo recuerdo celebra la Iglesia también hoy, padecieron en la misma persecución y fueron sepultados en el mismo cementerio.  Éstos cinco eran escultores de profesión y se negaron a esculpir una estatua del dios Esculapio, para no dar lugar a idolatría. Diocleciano mandó que fuesen azotados, sus cuerpos se colocaron en cajones y arrojados al río. No es seguro que este hecho haya ocurrido en Roma o que en realidad ocurrió en Panonia (actual Hungría). No obstante sus restos descansan también en la iglesia de los Santos Coronados, en Roma.

Espíritus sublimes,
¡oh mártires gloriosos!,
felices moradores
de la inmortal Sión,
rogad por los que luchan
en las batallas recias,
que alcancen la victoria
y eterno galardón.
¡Oh mártires gloriosos
de rojas vestiduras,
que brillan con eternos
fulgores ante Dios!
Con vuestro riego crezca
de Cristo la semilla,
y el campo de las mieses
se cubra ya en sazón. Amén.
Hino de la Liturgia de las Horas
90427 > Santi Quattro Coronati Martiri 8 novembre MR


María Crucificada (Isabel María) Satellico, Beata
Virgem Clarissa, 8 Novembro
María Crucificada (Isabel María) Satellico, Beata
María Crucificada (Isabel María) Satellico, Beata
(1706‑ 1745), Virgem da Segunda Ordem. Beatificada por João Paulo II em 10 de Outubro de 1993. Isabel María nasceu em Veneza, filha de Pedro Satellico e Lucía Mander, em 31 de dezembro de 1706, se educou ao lado de seus pais e de um tio sacerdote. De saúde débil mas especialmente dotada para a música e canto, e grande disposição para a oração. Recebida entre as Clarissa de Ostra Vetere como educanda prestou serviço como diretora de canto e organista. Aos 19 anos de idade foi recebida no noviciado e tomou o nome de María Crucificada, por sua devoção à Santíssima Virgem e à Paixão de Cristo.À sublime contemplação unia grande austeridade e penitência, com as quais se fazia mais plenamente participante da Paixão do Senhor. Seu ideal foi a perfeita conformação a Cristo Crucificado, unida à caridade para com o próximo, e uma filial devoção à Santíssima Virgem. Eleita abadessa, se distinguiu por sua solicitude para com as irmãs e com os pobres.
90824 > Beata Maria Crocifissa Satellico Clarissa 8 novembre MR



90533 > San Severo di Cagliari Vescovo e martire 8 novembre

93286 >
San Villeado di Brema Vescovo 8 novembre MR

000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
Localização geográfica da sede deste Blogue, no Porto
Viso---mapa_thumb_thumb_thumb_thumb_
===================================
0000000000000000000000000000000000000000000000
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$


«««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


WWW.ES.CATHOLIC.NET/SANTORAL
WWW. SANTIEBEATI.IT
Sites utilizados: Os textos completos são recolhidos através do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt. em que também incluo imagens recolhidas através de http://es.catholic.net/santoral,; em seguida os textos deste mesmo site sem tradução e com imagens, e por último apenas os nomes e imagens de HTTP://santiebeati.it.
NOTA INFORMATIVA: Como já devem ter reparado, de vez em quando, segundo a sua importância há uma exceção da 1ª biografia, que mais sobressai, – quando se trate de um dia especial, dedicado a Jesus Cristo, a Nossa Senhora, Anjos ou algum Santo, em particular – todos os restantes nomes (que não constem do livro citado – nem tampouco dos outros sites) surgem por Ordem alfabética, uma, duas ou três vezes, conforme figurem nos três sites indicados, que poderão ser consultados - se assim o desejarem – pelos meus eventuais leitores. LOGICAMENTE E POR ESSE FACTO, DIARIAMENTE, O ESPAÇO OCUPADO, NUNCA É IGUAL, ACONTECENDO POR VEZES QUE É DEMASIADO EXTENSO. As minhas desculpas e obrigado.
Responsabilidade exclusiva de ANTÓNIO FONSECA