OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Nº 1195-2ª Página - EVANGELHO, SEGUNDO S. LUCAS - ANO B – 14 DE FEVEREIRO DE 2012

(14)

Nº 1195-2ª Página

EVANGELHO DE S. LUCAS

PRÓLOGO
NA SUBIDA PARA JERUSALÉM
 
 
A porta estreita – … Percorria as cidades e as aldeias, ensinando, a caminho de Jerusalém. Disse-Lhe alguém: «Senhor, são poucos os que se salvam?». Ele respondeu-lhe: «Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, porque muitos, digo-vo-lo Eu, tentarão entrar sem o conseguir. Uma vez que o dono da casa se levante e feche a porta, ficareis fora e batereis dizendo: “Abre-nos, Senhor!” Mas Ele responder-vos-á: “Não sei de onde sois”. Começareis, então a dizer: Comemos e bebemos contigo e Tu ensinaste nas nossas praças. Responder-vos-à: “Repito-vos que não sei de onde sois. Apartai-Vos de Mim, todos os que fazeis a iniquidade”. Lá haverá pranto e ranger de dentes, quando virdes Abraão, Isaac e Jacob e todos os profetas no reino de Deus, e vós a serdes postos fora. Hão-de vir do Oriente, do Ocidente, do Norte e do Sul; Sentar-se-ão à mesa do Reino de Deus. E há últimos que serão dos primeiros e primeiros que serão dos últimos.
 
 
A raposa Herodes – …Naquela altura, aproximaram-se d’Ele alguns fariseus que Lhe disseram: «Parte, vai-Te daqui, porque Herodes quer matar-Te»: respondeu-lhes: «Ide dizer a essa raposa: Agora estou a expulsar demónios e a realizar curas hoje e amanhã; ao terceiro dia atinjo o Meu termo. Mas hoje, amanhã e depois, devo seguir o meu caminho, porque não se admite que um profeta pereça fora de Jerusalém».
 
 
Apóstrofe a Jerusalém – …«Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas aqueles que te são enviados! Quantas vezes Eu quis juntar os teus filhos como a galinha, junta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste! Agora se vos deixará deserta a vossa casa. Digo-vo-lo Eu: Não Me vereis até chegar o dia em que digais: «Bendito seja Aquele que vem em nome do Senhor!»
 
 

(Continua em, 15/2/2012, esta descrição do EVANGELHO DE SÃO LUCAS)


Transcrição de António Fonseca