OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Explicação e um pedido de desculpas - 15 de Fevereiro de 2012

 

368776_1310893607_1376691004_n

Caros Amigos:

 

Devem ter reparado que no blogue de hoje foram inseridos alguns comentários – que, recolhi através de emails que me foram enviados há algum tempo atrás – e pelos quais me responsabilizo por os incluir no número de hoje. Porém, tenho explicações a dar:

Embora por princípio, não costume colocar assuntos “políticos e outros” que não se coadunam com o projeto «editorial» a que me propus desde o início desta missão a que destinei o Blogue SÃO PAULO (e Vidas de Santos)porque não estão ligados diretamente com a Igreja Católica – como “evangelização”, “vidas de Santos”, “ética religiosa (incluindo abortos, homossexualidade, aberrações morais, etc.,“ e, também, assuntos pessoais como aniversários e efemérides… há vários assuntos que, talvez devesse, pelo menos, assinalar quando ocorrem.

Realmente não era minha intenção fazer a publicação dos textos que foram hoje incluídos, pelo menos para já…, mas, isto de facto aconteceu, por lapso meu, ao tentar encontrar no ficheiro das mensagens, umas datas que me interessavam, inadvertidamente carreguei em “PUBLICAR” e os textos saíram.

Evidentemente que já não podia fazer nada acerca da sua não publicação e envio para alguns dos meus leitores, e por isso, resolvi conservar a sua edição, que no fim de contas até servirá em última análise para quebrar a monotonia dos meus habituais escritos e mostrar que os referidos assuntos, não têm sido por mim abordados nem escalpelizados, apenas por opção  pessoal, e que tal não quer dizer que eu esteja afastado de toda a vida social que decorre à minha volta, mas sim porque entendi que o meu blogue não se destina a destabilizar a “ordem…” instalada.

Peço portanto as minhas desculpas, aos leitores que porventura não tenham compreendido porque foi feita esta publicação. Foi apenas um mero descuido meu – e de qualquer modo – não pretendi de forma alguma, ferir a susceptibilidade de quem quer que seja.

Para finalizar  -  A MINHA “LINHA EDITORIAL” MANTEM-SE. No entanto, isso não impede que de vez em quando, eu não me venha a “meter noutros caminhos… (não habituais)”, pelo que agradeço a vossa compreensão.

 

Postado em 15-Fevereiro-2012  -  15,40 horas

António Fonseca

espanha

"ARTÍCULO DE ARTURO PEREZ REVERTE"
Arturo Pérez Reverte
CUIDADO...con lo que se avecina....es mas gordo de lo que os imagináis...un gobierno Europeo impuesto por los Neocon "Los Illuminatis" que irá quitando a corto plazo a los políticos demócratas y manipulando las elecciones...y colocando tecnócratas, nos queda poco. Los Indignados tienen más razón de lo que os podáis llegar a imaginar. No es una cuestion de PSOE ni de PP, nada tiene que ver. Esto solo se para negándonos a esas mentiras de pagar la deuda en que ellos nos han metido falsamente para tenernos hipotecados hasta nuestros nietos....se acabaron los Estados/Nación...adiós España.
Hay un problema laboral del colectivo de controladores aéreos que afecta al 1,2% de la población española (600.000 personas) y casi todos saltáis como energúmenos pidiendo hasta el linchamiento de ese colectivo cuando el día anterior hacen otra reforma del sistema laboral más restrictiva, quitan los 420 euros de ayuda a 688.000 parados que están en la ruina y anuncian cambios drásticos a peor en la ley de pensiones que afectan al 80% de la población y nadie se indigna ni dice nada. ¿Sois idiotas?
Estáis pidiendo a gritos al Gobierno que se apliquen medidas que quitan el derecho a la baja laboral, a los permisos retribuidos y a las horas sindicales, sacar militares a la calle ¿sois idiotas?
Estáis leyendo que mintieron en los vuelos de la CIA, en el caso Couso, que gente del PP cobraba de la trama Gürtel, que hay políticos que cobran más de 230.000 euros al año, pero que nos cuestan más de 3 millones de euros, que la corrupción en la política no es excepción, sino norma, que ellos mismos se adjudican el derecho a cobrar la jubilación máxima con pocos años en las Cortes y a nosotros nos piden 40 de cotización, banqueros que consiguen del gobierno medidas duras contra los trabajadores y que tenían que estar en la cárcel por delitos demostrados de fraude fiscal y no decís nada, os quitan dinero para dárselo a esa gente que cobra cientos de miles de euros año, especula con nuestro dinero, defrauda a Hacienda y seguís callados ¿sois idiotas?
Tenéis una monarquía que se ha enriquecido en los últimos años, que apoya a los poderosos, a EEUU, a Marruecos y a todo lo que huela a poder o dinero, hereditaria como en la Edad Media ¿sois idiotas?
En Inglaterra o Francia o Italia o en Grecia o en otros países los trabajadores y los jóvenes se manifiestan hasta violentamente para defenderse de esas manipulaciones mientras en España no se mueve casi nadie ¿sois idiotas?
Consentís la censura en los medios de comunicación, la ley de partidos, la manipulación judicial, la tortura, la militarización de trabajadores sólo porque de momento no os afecta a vosotros ¿sois idiotas?
Sabéis quién es toda la gentuza de las revistas del corazón, futbolistas supermillonarios pero jamás escucháis a nadie como Saramago o Chomsky u otros mil intelectuales veraces y comprometidos con vuestros problemas ¿sois idiotas?
Si mucha gente responde sí, aún nos queda un poco de esperanza de conseguir acabar con la manipulación de los políticos y poderosos.
Si la mayoría contesta no, entonces estamos jodidos.
EL GOBIERNO: Ha bajado el sueldo a los funcionarios, suprimido el cheque-bebé, congelado las pensiones y reducido la ayuda al desempleo, (EL PARO), para afrontar la crisis que han generado los bancos los políticos y los especuladores bursátiles.
Nos gustaría transmitirle al Gobierno lo siguiente:
Dediquen su empeño en rebajar LA VERGÜENZA DEL FRAUDE FISCAL,que en España se sitúa alrededor del 23% del P.I.B. (10 puntos por encima de la media europea) y por el que se pierden miles de millones de ¤uros, fraude que repercute en mayores impuestos para los ciudadanos honestos.
TENGAN LA VERGÜENZA de hacer un plan para que la Banca devuelva al erario público los miles de millones de euros que Vds. les han dado para aumentar los beneficios de sus accionistas y directivos; en vez de facilitar el crédito a las familias y a las empresas, erradicarlas comisiones por los servicios bancarios y que dejen de cobrar a los españoles más humildes ¤30.01, cada vez que su menguada cuenta se queda sin saldo. Cosa que ocurre cada 1º de mes cuando les cargan las facturas de colegios, comunidades, telefonía, Etc. y aun no les han abonado la nómina.
PONGAN COTO a los desmanes de las empresas de telefonía y de ADSL que ofrecen los servicios más caros de Europa y de peor calidad.
ELIMINEN la duplicidad de muchas Administraciones Públicas, suprimiendo organismos innecesarios, reasignado a los funcionarios de carrera y acabando con los cargos, asesores de confianza y otros puestos nombrados a dedo que, pese a ser innecesarios en su mayor parte, son los que cobran los sueldazos en las Administraciones Públicas y su teórica función puede ser desempeñada de forma más cualificada por muchos funcionarios públicos titulados y que lamentablemente están infrautilizados.
HAGAN que los políticos corruptos de sus partidos devuelvan el dinero equivalente a los perjuicios que han causado al erario público con su mala gestión o/y sus fechorías, y endurezcan el Código Penal con procedimientos judiciales más rápidos y con castigos ejemplares para ellos.
INDECENTE, es que el salario mínimo de un trabajador sea de 624 ¤/mes y el de un diputado de 3.996, pudiendo llegar, con dietas y otras prebendas, a 6.500 ¤/mes. Y bastantes más por diferentes motivos que se le pueden agregar.
INDECENTE, es que un profesor, un maestro, un catedrático de universidad o un cirujano de la sanidad pública, ganen menos que el concejal de festejos de un ayuntamiento de tercera.
INDECENTE, es que los políticos se suban sus retribuciones en el porcentaje que les apetezca (siempre por unanimidad, por supuesto, y al inicio de la legislatura).
INDECENTE, es que un ciudadano tenga que cotizar 35 años para percibir una jubilación y a los diputados les baste sólo con siete, y que los miembros del gobierno, para cobrar la pensión máxima, sólo necesiten jurar el cargo.
INDECENTE, es que los diputados sean los únicos trabajadores (¿?) de este país que están exentos de tributar un tercio de su sueldo del IRPF.
INDECENTE,es colocar en la administración a miles de asesores = (léase amigotes con sueldos que ya desearían los técnicos más cualificados)
INDECENTE, es el ingente dinero destinado a sostener a los partidos y sindicatos pesebreros, aprobados por los mismos políticos que viven de ellos.
INDECENTE, es que a un político no se le exija superar una mínima prueba de capacidad para ejercer su cargo (ni cultural ni intelectual).
INDECENTE,es el coste que representa para los ciudadanos sus comidas, coches oficiales, chóferes, viajes (siempre en gran clase) y tarjetas de crédito por doquier.
Indecente No es que no se congelen el sueldo sus señorías, sino que no se lo bajen.
INDECENTE, es que sus señorías tengan seis meses de vacaciones al año.
INDECENTE, es que ministros, secretarios de estado y altos cargos de la política, cuando cesan, son los únicos ciudadanos de este país que pueden legalmente percibir dos salarios del ERARIO PÚBLICO.
Y que sea cuál sea el color del gobierno, toooooooodos los políticos se benefician de este moderno "derecho de pernada" mientras no se cambien las leyes que lo regula.
¿Y quiénes las cambiarán? ¿Ellos mismos? Já.
Juntemos firmas para que haya un proyecto de ley con "cara y ojos" para acabar con estos privilegios, y con otros.
Haz que esto llegue al Congreso a través de tus amigos.
ÉSTA SÍ DEBERÍA SER UNA DE ESAS CADENAS QUE NO SE DEBE ROMPER, PORQUE SÓLO NOSOTROS PODEMOS PONERLE REMEDIO A ESTO, Y ÉSTA, SI QUE TRAERÁ AÑOS DE MALA SUERTE SI NO PONEMOS REMEDIO, está en juego nuestro futuro y el de nuestros hijos.
¿DONDE ESTÁ LA GENTE? QUE LEVANTAN MASAS PARA EL FÚTBOL Y NO PARA DEFENDER NUESTROS DERECHOS.

Email recebido em Julho de 2011

Resumindo: está tudo espatifado !...



O professor Álvaro Santos Pereira (Universidade de Vancouver, Canadá) colocou ontem no seu blogue "Desmitos" um post que é obrigatório ler para perceber o que devíamos estar a discutir na campanha eleitoral. Aqui fica a reprodução:
Nos últimos dias, a "campanha" eleitoral tem sido constituída por um rol de "factos" que só servem para distrair os(as) portugueses(as) daquilo que realmente é essencial. E o que é essencial são os factos. E os factos são indesmentíveis. Não há argumentos que resistam aos arrasadores factos que este governos nos lega. E para quem não sabe, e como demonstro no meu novo livro, os factos que realmente interessam são os seguintes:
1) Na última década, Portugal teve o pior crescimento económico dos últimos 90 anos;
2) Temos a pior dívida pública (em % do PIB) dos últimos 160 anos. A dívida pública este ano vai rondar os 100% do PIB;
3) Esta dívida pública histórica não inclui as dívidas das empresas públicas (mais 25% do PIB nacional);
4) Esta dívida pública sem precedentes não inclui os 60 mil milhões de euros das PPPs (35% do PIB adicionais), que foram utilizadas pelos nosso governantes para fazer obra (auto-estradas, hospitais, etc.) enquanto se adiava o seu pagamento para os próximos governos e as gerações futuras. As escolas também foram construídas a crédito;
5) Temos a pior taxa de desemprego dos últimos 90 anos (desde que há registos). Em 2005, a taxa de desemprego era de 6,6%. Em 2011, a taxa de desemprego chegou aos 11,1% e continua a aumentar;
6) Temos 620 mil desempregados, dos quais mais de 300 mil estão desempregados há mais de 12 meses;
7) Temos a maior dívida externa dos últimos 120 anos;
8) A nossa dívida externa bruta é quase 8 vezes maior do que as nossas exportações;
9) Estamos no top 10 dos países mais endividados do mundo em praticamente todos os indicadores possíveis;
10) A nossa dívida externa bruta em 1995 era inferior a 40% do PIB. Hoje é de 230% do PIB;
11) A nossa dívida externa líquida em 1995 era de 10% do PIB. Hoje é de quase 110% do PIB;
12) As dívidas das famílias são cerca de 100% do PIB e 135% do rendimento disponível;
13) As dívidas das empresas são equivalente a 150% do PIB;
14) Cerca de 50% de todo endividamento nacional deve-se, directa ou indirectamente, ao nosso Estado;
15) Temos a segunda maior vaga de emigração dos últimos 160 anos;
16) Temos a segunda maior fuga de cérebros de toda a OCDE;
17) Temos a pior taxa de poupança dos últimos 50 anos;
18) Nos últimos 10 anos, tivemos défices da balança corrente que rondaram entre os 8% e os 10% do PIB;
19) Há 1,6 milhões de casos pendentes nos tribunais civis. Em 1995, havia 630 mil. Portugal é ainda um dos países que mais gasta com os tribunais por habitante na Europa;
20) Temos a terceira pior taxa de abandono escolar de toda a OCDE (só melhor do que o México e a Turquia);
21) Temos um Estado desproporcionado para o nosso país, um Estado cujo peso já ultrapassa os 50% do PIB;
22) As entidades e organismos públicos contam-se aos milhares. Há 349 Institutos Públicos, 87 Direcções Regionais, 68 Direcções-Gerais, 25 Estruturas de Missões, 100 Estruturas Atípicas, 10 Entidades Administrativas Independentes, 2 Forças de Segurança, 8 entidades e sub-entidades das Forças Armadas, 3 Entidades Empresariais regionais, 6 Gabinetes, 1 Gabinete do Primeiro Ministro, 16 Gabinetes de Ministros, 38 Gabinetes de Secretários de Estado, 15 Gabinetes dos Secretários Regionais, 2 Gabinetes do Presidente Regional, 2 Gabinetes da Vice-Presidência dos Governos Regionais, 18 Governos Civis, 2 Áreas Metropolitanas, 9 Inspecções Regionais, 16 Inspecções-Gerais, 31 Órgãos Consultivos, 350 Órgãos Independentes (tribunais e afins), 17 Secretarias-Gerais, 17 Serviços de Apoio, 2 Gabinetes dos Representantes da República nas regiões autónomas, e ainda 308 Câmaras Municipais, 4260 Juntas de Freguesias. Há ainda as Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional, e as Comunidades Inter-Municipais;
23) Nos últimos anos, nada foi feito para cortar neste Estado omnipresente e despesista, embora já se cortaram salários, já se subiram impostos, já se reduziram pensões e já se impuseram vários
pacotes de austeridade aos portugueses. O Estado tem ficado imune à austeridade;
Isto não é política. São factos. Factos que andámos a negar durante anos até chegarmos a esta lamentável situação. Ora, se tomarmos em linha de conta estes factos, interessa perguntar: como é que foi possível chegar a esta situação? O que é que aconteceu entre 1995 e 2011 para termos passado termos de "bom aluno" da UE a um exemplo que toda a gente quer evitar? O que é que ocorreu entre 1995 e 2011 para termos transformado tanto o nosso país? Quem conduziu o país quase à insolvência? Quem nada fez para contrariar o excessivo endividamento do país? Quem contribuiu de sobremaneira para o mesmo endividamento com obras públicas de rentabilidade muito duvidosa? Quem fomentou o endividamento com um despesismo atroz? Quem tentou (e tenta) encobrir a triste realidade económica do país com manobras de propaganda e com manipulações de factos? As respostas a questas questões são fáceis de dar, ou, pelo menos, deviam ser. Só não vê quem não quer mesmo ver.
A verdade é que estes factos são obviamente arrasadores e indesmentíveis. Factos irrefutáveis. Factos que, por isso, deviam ser repetidos até à exaustão até que todos nós nos consciencializássemos da gravidade da situação actual. Estes é que deviam ser os verdadeiros factos da campanha eleitoral. As distracções dos últimos dias só servem para desviar as atenções daquilo que é realmente importante.
Álvaro Santos Pereira

fatima

Clique na Capelinha de Nossa Senhora de Fátima
SE QUISEREM ENTRAR EM DIRETO COM O SANTUÁRIO DE FÁTIMA E ASSISTIR ÀS CERIMÓNIAS DURANTE 24 HORAS POR DIA,CLIQUEM NA IMAGEM DA CAPELINHA E AGUARDRM A LIGAÇÃO.... MARAVILHA.....
Aos devotos de N.S. Fátima, isso é um presente:
CLIQUE NA CAPELINHA NO FIM DA PÁGINA
Você pode ver tudo que está acontecendo agora na Capelinha de Fátima.
É muito lindo, dependendo da sorte e do horário, vc pode assistir a missa, rezar o terço, ver os peregrinos, e muito mais e ao vivo...
São quatro horas de diferença mais ou menos.
Depoimento de quem enviou:
"Eu cliquei e estou participando do terço,é uma maravilha,Deus é muito bom,
Espero que todos tenha a mesma sorte.
Beijso,fk com Deus.
Sonia
"No outro dia quando cliquei estava um padre arrumando o altar. Se por acaso estiver havendo missa, conseguimos ver e ouvir tudo, inclusive quem está lá dentro assistindo
Eu fiquei emocionada!!! Qdo liguei ia começar o Terço.
Não é o máximo?! Eu vejo a capelinha todos os dias na tela, me faz muito bem.
...e que Fátima abençoe você e a todos, um abraço." Ângela
Capelinha virtual Nª Sª de Fátima
ligação direta 24 horas por dia
Maravilhoso!!!
É direto de Fátima , Portugal .
Só lembre que são 4 horas a mais de diferença.
Experimente... é um pedaço do céu...


Clique na foto e aguarde. (tela cheia no último botão à direita)

Fátima - Capelinha ligação directa 24 horas    por dia

Nº 1196 – 1ª Página – (46/2012) - SANTOS DE CADA DIA – 15 de Fevereiro de 2012

Ver Notas no final

email: aarfonseca0491@hotmail.com

Nº 1196 – 1ª Página – 2012

Tero_thumb_thumb_thumb_thumb_thumb_t[1]God-Remained-Posters_thumb_thumb_thu[2]

#####################################

13-2-12

Jardim geométrico em Leers  -  Alemanha

##################################### #####################################

Faustino e Jovita, Santos

Mártires (120)
Diácono e Presbítero

Faustino y Jovita, Mártires

Conta-se que dois irmãos, Faustino e Jovita, o primeiro sacerdote e o segundo diácono começaram a pregar o Evangelho em Brixia, (ou Bréscia), sua terra natal. Entretanto apareceu na Lombardia, vindo do Oriente, o césar Adriano para suceder ao imperador Trajano. O conde Itálico dirigiu-se ao seu encontro e informou-o do êxito da pregação cristã. Chegando a Brixía, o novo imperador quis instruir pessoalmente o processo dos dois apóstolos e começou por lhes infligir diversos tormentos. Depois, levou-os consigo para Roma e foi renovando, em cada jornada, os interrogatórios e a s torturas. Nada conseguiu abalar a constância dos dois irmãos. por isso Adriano recambiou-os para Brixía, a fim de serem decapitados na terra onde tinham exercido o seu zelo. (princípios do século II). Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt

41000 > Santi Faustino e Giovita Martiri 15 febbraio MR

Ascolta da RadioRai:

Cláudio La Colombière, Santo, Santo

Apóstolo do Coração de Jesus – sacerdote (1641-1682)

Claudio de la Colombiére, San

Cláudio de la Colombiére, São

Cláudio La Colombiére nasceu em São Sinforiano d’Ozon, Ródano (França). Morreu em Paray-le-Monial, a 15 de Fevereiro de 1682. Foi beatificado por Pio XI, a 16 de Junho de 1929, e canonizado por João Paulo II, a 31 de Maio de 1992. Conhecemos o Padre Cláudio La Colombiére principalmente pelas suas obras e pelo testemunho dos que mais de perto o acompanharam nos últimos anos de vida. Eis, em resumo, o retrato que dele nos dá o Padre Nicolau La Pesse, encarregado de editar os seus Sermões (Lião, 1684); espírito vivo, juízo seguro, fino e penetrante; alma nobre, jeito e graça; distinguia-se sobretudo pela sua maneira de pensar e pela elegância e precisão de expressão. Quando falava com as pessoas, a sua distinção e doçura conquistavam os espíritos e os corações. A união com Deus transparecia no seu rosto e nas suas palavras. A oração era nele habitual. Como era recto e esclarecido, julgava com extrema justiça sobre qualquer assunto que tivesse de tratar. Embora pertencesse a uma família muito cristã, declarou mais tarde: «tinha uma aversão horrorosa à vida que me comprometi a seguir quando entrei para a Companhia de Jesus». Passados 16 anos de vida religiosa, quando se preparava para a última profissão, escrevia: «Senti-me inclinado a imitar a simplicidade de deus nos meus afectos, amando só a Deus… Mas os meus amigos têm-me amizade, e eu tenho-lhes amizade a eles; vedes que é assim, e eu sinto-o… este sacrifício vai-me custar mais do que o primeiro que fiz deixando pai e mãe».Dotado de uma intensa afectividade, nobreza de alma, inteligência penetrante, Cláudio, descendente duma família de notários, sentia muito valor dos compromissos jurídicos e especialmente dos votos feitos a Deus. O Padre La Pesse, no prefácio já citado, escreve a este respeito: «Para compendiar uma vida inteiramente santa em poucas palavras, basta-me referir o voto que ele fez, com licença do diretor espiritual. É um voto capaz de assustar os mais espirituais, e não sei que outros o tenham feito, pelo menos na Companhia de Jesus. Este voto obriga o religioso a uma perfeição mais eminente. os que conhecem as Constituições Inacianas creio que pensarão como eu, e o outros não deixarão de admirar aquilo que talvez só a meia conhecem». Este voto de observar «as Constituições, as regras comuns, as regras da modéstia e as dos Sacerdotes» meditou-o Cláudio durante três ou quatro anos. Foi fruto da eleição dos seus Exercícios do mês, aos 33 anos, tendo 16 anos de vida religiosa. Contrariamente ao que se poderia temer, este voto contribuiu para fazer de Cláudio o homem mais amável possível: «O seu silêncio, a sua conversação, o seu porte, o seu modo de proceder, todo o seu exterior era tão natural e tão consertado que, em qualquer circunstância, parecia um homem de sociedade e um perfeito religioso». Este voto não consistias, portanto, essencialmente em praticar minúcias, mas em realizar o ideal do Sacerdote, vivido e descrito por Santo Inácio. Se Cláudio desce, com ele, aos mais pequeninos pormenores do comportamento externo, também, colmo ele liga muito mais importância à atitude interior: a atitude de Cristo, contemplada nos Exercícios e reproduzida por Santo Inácio, para os seus religiosos, nas Constituições. Porque lhe parece excelente o retrato, o Padre Colombiére adopta-o como programa de santidade, como o próprio mistério de Cristo, abismo de grandeza e de humildade, de obediência e de liberdade. O sentimento de libertação que Cláudio nota várias vezes no Diário espiritual, depois de ter adoptado este ideal, faz-nos crer que ele correspondeu realmente ao chamamento de Cristo. Além disso, foi também um desabrochar para o seu apostolado. Dois anos mais tarde (1677), estando em Londres, notará: «Encontro.-me agora numa disposição inteiramente oposta àquela em que me encontrava há dois anos. O temor ocupava-me totalmente e não me sentia nada inclinado ao exercício do zelo, por causa da apreensão em que estava de não poder evitar os perigos da vida ativa, para a qual via que a minha vocação me levava. Hoje esse temor desapareceu, e tudo o que há em mim me leva a trabalhar na salvação e santificação das almas. Parece-me que só por isso é que tenho amor à vida, e só amo a santificação porquanto reconheço que é um meio admirável de ganhar muitos corações para Jesus Cristo». E, alguns dias depois: «Sinto sempre um desejo cada vez mais intenso de me afeiçoar à observância das regras; e tenho muito gosto em praticá-las ; quanto mais exato sou na sua observância, tanto mais me parece que entro na perfeita liberdade; é certo que isso não me incomoda nada; pelo contrário este jugo torna-me, por assim dizer, mais leve. Considero isto como a maior graça que recebi em toda a minha vida». O discernimento espiritual que usou no seu próprio caso, usou-o também Cláudio no caso de Margarida Maria. Ajudou-a a chegar à pureza do amor de deus em total esquecimento de si mesma: «É preciso que vis lembreis que Deus pede tudo de vós, e não pede nada». Participando da Paixão do Redentor, e solidário com a humanidade pecadora, esforçou-se por penetrar cada vez mais intimamente no Coração de Cristo e por introduzir N’Ele as almas com a sua direção e escritos. A missão que recebeu de ser, em Londres, pregador da duquesa de Iorque, futura rainha de Inglaterra, deu-lhe ocasião de exercitar corajosamente um ministério perigoso, de suportar uma prisão onde contraiu a tuberculose, que em três anos o havia de vitimar, e de oferecer a Deus, aos quarenta anos, o sacrifício da vida. A fidelidade de Cláudio La Colombiére ao amor de Cristo tem a marca da sua época e do seu carácter. É austera e afectiva, cheia de doçura e de solidez, lúcida e corajosa, apesar da viveza da sua sensibilidade. Desenvolveu na prática atenta dos Exercícios e das Regras de Santo Inácio notáveis dons de espírito e de coração, até ao ponto de chegar a uma verdadeira elegância no heroísmo. (Ver apêndice 1, no fim do mês de Junho, Coração de Jesus, e biografia de Santa Margarida Maria Alacoque, 16 de Outubro). Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt. Ver também www.es.catholic e www.santiebeati.it.

41150 > San Claudio de la Colombiere Religioso 15 febbraio MR

Ascolta da RadioMaria:

 

• Ângelo de Sansepolcro, Beato
Presbítero e Ermitão

Ángelo de Sansepolcro, Beato

Ângelo de Sansepolcro, Beato

Martirológio Romano: Em Borgo, San Sepolcro, na Umbría, beato Ángel Scarpetti, presbítero da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho (1306). Etimologia: Ângelo = mensageiro. Vem da língua grega. O Beato Ângelo de Sansepolcro, irmão da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho, nasceu em Sansepolcro na primeira metade do século XIII. Uma antiga tradição local diz que pertencia à família Scarpetti. Entrou no convento dos Eremitas de Juan Bono em redor de 1254. Em 1256 o convento passou à nova Ordem dos irmãos Eremitas de Santo Agostinho. Dele se recordam alguns episódios milagrosos ocorridos durante sua vida, como o da ressurreição de um inocente condenado a morte. É provável, ainda que não certa, sua participação na missão para estender a Ordem a Inglaterra. Os escritores agostinhos de fins do século XVI, destacam suas principais virtudes: profunda humildade, caridade e pureza tanto de corpo como de espírito, através das quais conquistou entre os que o rodeavam fama de santo. Morreu em Sansepolcro em 1306. Em 1310, perto da igreja agostinha da cidade, surgiu uma confraria dedicada à Virgem Maria e ao ‘glorioso irmão Ângelo’, a que se lhe outorgaram privilégios os priores provinciais e gerais da Ordem. Enquanto aos irmãos, em 1555 deixaram a primeira igreja para mudar-se para a atual, levando com eles o corpo do irmão Ângelo, fixando em 29 de Setembro para a celebração da festa da trasladação de seu corpo. Esta festa foi suprimida em 1855. Em 1740 o corpo foi submetido a reconhecimento canónico pelo bispo de Sansepolcro monsenhor Raimundo Pecchioli. Em 1905 se iniciou o processo sobre o culto prestado a este servo de Deus, que conclui com a aprovação do mesmo em 1922. Actualmente seu corpo se conserva numa talha em madeira doirada e decorada com cenas da vida do beato, sob o altar mor da igreja de Santo Agostinho em Sansepolcro. O beato foi representado no século XIV um fresco, que, proveniente da antiga igreja Agostinha, agora está exposto no Museu Cívico de Sansepolcro. A última manifestação solene do culto tributado ao beato foi em Outubro de 1987 quando a urna contendo o corpo foi transportada processionalmente pelas ruas circundantes da igreja de Santo Agostinho.

90183 > Beato Angelo (Scarpetti) da Sansepolcro 15 febbraio MR

93964 > Beato Antonio Marini Mercedario 15 febbraio

41090 > San Decoroso di Capua Vescovo 15 febbraio MR


90200 > Sant' Euseo di Serravalle-Sesia Eremita 15 febbraio

91386 > Santa Giorgia Vergine 15 febbraio MR


41060 > Santi Isicio, Giuseppe di Roma, Zosimo, Baralo e Agape Martiri 15 febbraio MR


• Miguel Sopocko, Beato
Presbítero e Fundador

Miguel Sopocko, Beato

Miguel Sopocko, Beato

Miguel Sopocko nasceu em 1 de Novembro de 1888 em Nowosady (Juszewszczyzna), então naquela altura fazendo parte da Rússia Imperial. A autoridade czarista perseguia a Igreja Católica, e também aos polacos e lituanos dentro de seus territórios. Na família Sopocko, que era de nobre linhagem, as tradições polacas e católicas se conservam e fortaleciam. O jovem Miguel amadureceu nessa atmosfera religiosa e patriótica, sentia um forte desejo de serviço incondicional a Deus, à Igreja e à humanidade, por isso ingressou no Seminário Maior de Vilna. Em 15 de Junho de 1914, foi ordenado ao sacerdócio pelo Bispo Franciszek Karewicz. Por quatro anos (1914-1918) laborou como vigário paroquial em Taboryszki, onde abriu duas missões em Miedniki e Onżadw, assim como diversas escolas. Informado por alguém de que as autoridades alemãs da zona o buscavam para o prender, ele deixou a paróquia e mudou-se para Varsóvia. Ali assumiu o cargo de capelão do exército polaco. Enquanto se dedicava a seu ministério como capelão, ingressou a estudar na Faculdade de Teologia da Universidade de Varsóvia em que obteve um doutorado. Ao mesmo tempo, se graduou no Instituto Pedagógico Nacional. Em 1924, se converteu num dos coordenadores regionais dos capelães militares, com sede em Vilna. Em 1927, o arcebispo Romualdo Jalbrzykowski lhe encomendou a responsabilidade de ser o Diretor Espiritual do Seminário Mayor. Durante este mesmo período foi professor na Faculdade de Teologia na universidade Stefan Batory, também em Vilna. Finalmente pediu ao Arcebispo para o pôr em liberdade de sua pastoral castrense e do seminário. Seu desejo era dedicar-se totalmente aos estudos teológicos. Em 1934, recebeu o título de “docente” em teologia pastoral. Enquanto ensinava, nunca esqueceu a importância do serviço pastoral. Foi reitor da Igreja de São Miguel e também serviu como confessor de Irmãs da Congregação de Maria Mãe da Misericórdia. Um dos acontecimentos mais importantes na vida de Frei Sopocko se produziu em 1933, quando se converteu em diretor espiritual de Soror (agora Santa) Faustina Kowalska. Ele seguiu prestando assistência à Santa depois de que foi transferida a Łagiewniki, onde ela morreu em 5 de Outubro de 1938. Como seu confessor, ele empreendeu uma avaliação completa das experiências místicas de Soror Faustina sobre a devoção à Divina Misericórdia. Seguindo um conselho dado por ele, ela escreveu seu "Diário”, material que até ao momento segue sendo de valiosa inspiração espiritual. Soror Faustina, apoiando-se nas revelações del Salvador que experimentava ainda antes de chegar a Vilna, lhe falava o padre Sopocko das indicações que recebia durante essas revelações. Se tratava de pintar o quadro do Salvador Misericordioso, estabelecer a Festa da Divina Misericórdia para o primeiro domingo depois da Páscoa e fundar uma nova Congregação Conventual. A Divina Providência confiou a realização destas tarefas ao padre Sopocko. Apoiado na doutrina da igreja, buscava os argumentos teológicos que explicaram a existência da qualidade da misericórdia em Deus e os fundamentos para fixar como festa o dia mencionado nas revelações. Os resultados de suas investigações e os argumentos para introduzir o dia no calendário festivo da igreja, os apresentou em vários artigos nas revistas teológicas e em vários trabalhos autónomos acerca do tema da Divina Misericórdia. Em Junho de 1936 em Vilna, publicou o primeiro folheto titulado “Divina Misericórdia” com a imagem de Jesus Cristo Misericordioso na portada (criado pelo artista Eugeniusz Kazimirowski). Enviou essa publicação a todos os bispos reunidos na conferência do Episcopado em Czestochowa. Sem embargo, não recebeu nem uma resposta de algum deles. O segundo folheto titulado “Divina Misericórdia na liturgia” se publicou em 1937 em Poznan. Em 1938, ele estabeleceu um comité para construir a Igreja de Divina Misericórdia em Vilna. Sem embargo, este esforço teve que ser detido ao iniciar-se a Segunda Guerra Mundial. Mas apesar da guerra e da ocupação alemã, Frei Sopocko persistiu em seus esforços para promover a devoção à Divina Misericórdia. Cheio de zelo, ajudou constantemente a aqueles que foram oprimidos e ameaçados com o extermínio, por exemplo, a numerosa população judia. Afortunadamente, ele conseguiu evitar ser preso. Em 1942, junto com os professores e estudantes do seminário, foi obrigado a ocultar-se perto de Vilna. Permaneceria oculto por dois anos, foi nesse tempo que Frei Sopocko teve um rol importante na criação de uma nova Congregação Religiosa. Segundo as revelações de Soror Faustina, esta Congregação teria como fim promover a devoção à Divina Misericórdia. Depois da Guerra, ele escreveu a Constituição da Congregação, e trabalhou ativamente no crescimento e desenvolvimento do que nós conhecemos como a Congregação das Irmãs da Divina Misericórdia. Em 1947, Arcebispo Jalbrzykowski, que desde dois anos antes estava em Bialystok com sua Cúria diocesana, buscou que Frei Sopocko se mudasse para essa cidade. Ele aceitou uma posição como professor no Seminário Maior Arquidiocesano. Ali ensinou pedagogia, catequética, homilética, teologia pastoral, e espiritualidade. Adicionalmente, continuou impulsionando o apostolado da Divina Misericórdia. Também fez sérios esforços para obter a aprovação oficial para a devoção à Divina Misericórdia das autoridades da Igreja. Frei Sopocko trabalhou incansavelmente nos fundamentos bíblicos, teológicos e pastorais para explicar a verdade doutrinal acerca da devoção de Divina Misericórdia. Suas publicações se traduziram a numerosos idiomas, entre eles: latim, inglês, francês, italiano, e português. Frei Miguel Sopocko morreu em 15 de Fevereiro de 1975, em seu apartamento na Calle Poleska. Aclamado popularmente para sua santidade foi enterrado no cemitério da paróquia em Bialystok. Logo depois de iniciado o processo para sua Beatificação, seu corpo se trasladou para a Igreja da Divina Misericórdia em 30 de Novembro de 1988. Foi beatificado em 28 de Setembro de 2008 no Santuário da Divina Misericórdia em Bialystok, sob o pontificado de S. S. Bento XVI. Reproduzido com autorização de Vatican.va traduzido para espanhol por Xavier Villalta

94077 > Beato Michele Sopocko Sacerdote 15 febbraio

• Onésimo Santo
Discípulo de São Paulo,

Onésimo Santo

Onésimo Santo

Martirológio Romano: Comemoração do beato Onésimo, que, sendo escravo fugido, foi acolhido por Paulo e enviado como filho na fé, passando a estar vinculado a Cristo, tal como o apóstolo escreveu a seu amo Filémon (s. I). Etimologicamente significa “proveitoso”. Vem da língua grega. Este escravo, morto no ano 90, nomeia-o são Paulo brevemente numa de suas cartas: Te rogo em favor de meu filho, a quem engendrei entre cadeias, Onésimo, que em outro tempo te foi inútil, mas agora é muito útil para ti e para mim (Flm 10-11). Sabe-se que estava ao serviço de Filémon, o líder da cidade de Colossos. Tinha uma amizade muito íntima com Paulo porque foi um de seus conversos. Gozava de uma boa reputação como pessoa amável, generosa e hospitaleira. O pecado de haver roubado a seu dono, o confessou e pediu perdão. Desde então já nunca deixaria os passos de são Paulo, o apóstolo das gentes. Voltou de novo a casa de Filémon que o aceitou como a um verdadeiro irmão, já que são Paulo o nomeou de novo na carta aos de Colossos: Enquanto a mim, de tudo os informará Tíquico, o irmão querido, fiel ministro e conservo no Senhor, a quem vos envio expressamente para que saibais de nós e console vossos corações. E com ele a Onésimo, o irmão fiel e querido compatriota vosso. Eles vos informarão de tudo quanto aqui sucede (Col. 4;7-9). Tudo o resto de sua vida é um tanto desconhecido. Sem embargo, autores da solvência e garantia como são Jerónimo, afirmam que Onésimo chegou a ser pregador da Palavra de Deus, e algo mais tarde foi consagrado bispo, possivelmente de Bereia em Macedónia, e seu anterior dono foi também consagrado bispo de Colossos. Outras fontes afirmam que Onésimo pregou em Espanha e aqui sofreu o martírio. O que realmente deu impacto a este santo foi a visita que fez a são Paulo quando estava encarcerado em Roma, nas prisões Mamertinas, no mesmo Foro romano que hoje em dia ainda se podem ver. Este encontro deixou-lhe a alma tão cheia, tão feliz e tão impressionada pela atitude de Paulo prisioneiro por Cristo, que foi a origem de sua verdadeira conversão à fé de Cristo para toda sua vida. Domiciano sentiu vontade de o conhecer, não tanto para ver seus milagres e costumes, mas para acabar com sua vida no ano 90 ou 95. ¡Felicidades a quem leve este nome! “O agradecimento envelhece rapidamente” (Aristóteles). Comentarios a P. Felipe Santos: fsantossdb@hotmail.com

41200 > Sant' Onesimo Martire 15 febbraio MR

Ascolta da RadioVaticana:
Ascolta da RadioMaria:

41070 > San Quinidio Vescovo di Vaison-La-Romaine 15 febbraio MR


41080 > San Severo Prete in Abruzzo 15 febbraio MR

• Sigfrido, São
Biografia

Sigfrido, San

Sigfrido, São

Etimologicamente significa “ vitorioso”. Vem da língua alemã. Este santo, nascido em Inglaterra e morto na Suécia em 1045, é o padroeiro dos suecos/as. O motivo de que sendo inglês vivesse na Suécia, se deve a uma chamada que lhe fez o rei Olaf de Noruega que se havia convertido ao cristianismo. Sua vida cristã se viu cheia quando o ordenaram de sacerdote em York ou Glastonbury. Apenas teve a ordem sagrada, o rei Ethelred o enviou como missionário à Noruega com dois bispos. Depois de converter a muitos pagãos, Sigfrido seguiu para a Suécia em 1008. Já antes, outro santo havia deixado as sementes da fé no ano 830, ainda que o país tenha voltado a recair de novo no paganismo. Sigfrido construiu uma capela de madeira ao sul de Suécia e trabalhou com êxito em várias cidades. Com a ajuda de Deus converteu aos doze homens mais importantes, e outros muitos seguiram seu exemplo. A outros, entre os que há que incluir ao rei Olaf de Suécia, lhes chamou muito a atenção dos ornamentos e vasos empregados durante a celebração da Missa, a escuta da pregação e a dignidade nas cerimónias de adoração cristã. Mas foi sobretudo o exemplo do bispo e de seus missionários o que lhes atraiu verdadeiramente ao mundo impressionante de Deus. Calhou a Sigfrido a honra de poder ordenar a dois bispos nativos para missionar outros lugares. Também estendeu seu trabalho pastoral a Dinamarca. Aqui, sem embargo, encontrou as dificuldades próprias dos feiticeiros ou idólatras rebeldes. Deram morte a três de seus sacerdotes, e Sigfrido lhes deu sepultura. Disse aos idólatras:"Isto será vingado na terceira geração". E assim sucedeu. Sua festa se celebra tanto na Suécia como na Dinamarca. O fez santo o Papa Adriano IV. ¡Felicidades a quem leve este nome!

41100 > San Sigfrido di Vaxjo Vescovo 15 febbraio MR

• Walfredo della Gherardesca, Santo
Abade,

Walfredo della Gherardesca, Santo

Walfredo della Gherardesca, Santo

Martirológio Romano: Em Palazzuolo, na Toscana, santo Walfredo, abade, que depois de ter tido cinco filhos, decidiu,com sua esposa, abraçar a vida monástica (c. 765). Data de canonização: O Papa Pío IX o canonizou no ano 1861 (culto confirmado). Walfredo (Walfrido ou Galfrido) della Gherardesca, nasceu em Pisa, onde chegou a ser um próspero e estimado cidadão. Se casou com uma jovem de que estava profundamente enamorado e teve cinco filhos e, pelo menos, uma filha. Depois de muitos anos de matrimónio, Walfredo tinha dois amigos -e um era parente seu e se chamava Gundualdo, o outro era um corso chamado Fortis-, que viviam como ele, no mundo, mas se sentiam também inclinados à vida religiosa. Juntos discutiram sobre o futuro e um sonho os levou a escolher Monteverde, entre Volterra e Piombino, para fundar um novo mosteiro. Determinaram seguir a regra beneditina de Monte Cassino. Além de sua própria abadia de Palazzuolo, construíram também, a 25 quilómetros, um convento para mulheres, onde suas respectivas esposas e Ratruda, a filha de Walfredo, tomaram o véu. A nova fundação atraiu muitos noviços. Em pouco tempo, se contavam já sessenta monges, incluindo a Gimfrido, o filho predileto de Walfredo, e a André, o único filho de Gundualdo que, com o tempo, chegaria a ser o terceiro abade do mosteiro e escreveria a vida de santo Walfredo. Gimfrido era já sacerdote, mas num momento de tentação, fugiu do convento, levando consigo homens, cavalos e documentos que pertenciam à comunidade. Walfredo, muito angustiado, enviou alguns homens a procurá-lo. Ao terceiro dia, orando com seus monges pelo arrependimento e o regresso de seu filho, Walfredo pediu a Deus que enviasse ao jovem um sinal que durasse toda sua vida e no mesmo dia, Gimfrido foi feito prisioneiro e voltou arrependido ao mosteiro, mas com o dedo maior mutilado ao extremo que nunca mais pôde voltar a servir-se dele. Walfredo governou prudente e sabiamente a abadia durante dez anos. Gimfrido lhe sucedeu no governo e foi um magnífico superior, apesar de sua antiga queda.

91069 > San Wilfrido (Walfredo) della Gherardesca Abate fondatore di Palazzolo 15 febbraio MR



0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000

  • 00000000000000000000000000000000000000000000000000000000

  • Localização geográfica da sede deste Blogue, no Porto

  • Viso---mapa_thumb_thumb_thumb_thumb_[2]

  • http://confernciavicentinadesopaulo.blogspot.com

  • ===================================

  • 0000000000000000000000000000000000000000000000

  • $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$SS

    «««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

  • 1 - A integração dos textos editados MMI IMP S.r.l./IMP BV – impressa na União Europeia (Ver blogue nº 1153 – 3/1/12) que se refiram a alguns dos Santos hoje incluídos, continuara a ser efetuada diariamente desde que eu possua as respectivas pagelas na Coleção de Histórias de Santos que nos inspiraram, intitulada “Pessoas Comuns – Vidas Extraordinárias pelo que peço as minhas desculpas. AF.Hoje POR EXEMPLO foi incluído como

  • Complemento nas vidas de

  • Metódio e Cirilo e, ainda, Valentim, Santos.Estrela

  • 2 - Sites utilizados: Os textos completos são recolhidos através do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt. em que também incluo imagens recolhidas através de http://es.catholic.net/santoral,; em seguida os textos deste mesmo site sem tradução e com imagens, e por último apenas os nomes e imagens de HTTP://santiebeati.it.

  • 3 - Como já devem ter reparado, de vez em quando, segundo a sua importância há uma exceção da 1ª biografia, (ou biografias do Livro Santos de Cada Dia – já traduzidas – por natureza) que mais sobressaem, – quando se trate de um dia especial, dedicado a Jesus Cristo, a Nossa Senhora, Anjos ou algum Santo, em particular – todos os restantes nomes surgem por Ordem alfabética, uma, duas ou três vezes, conforme figurem nos três sites indicados, que poderão ser consultados - se assim o desejarem – pelos meus eventuais leitores. LOGICAMENTE E POR ESSE FACTO, DIARIAMENTE, O ESPAÇO OCUPADO, NUNCA É IGUAL, ACONTECENDO POR VEZES QUE É DEMASIADO EXTENSO.

  • Peço-vos a melhor compreensão e as minhas maiores desculpas e obrigado.

  • Responsabilidade exclusiva de ANTÓNIO FONSECA

    email: aarfonseca0491@hotmail.com

    http://bibliaonline.com.br/acf; http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt

  • Nº 1196-2ª Página - EVANGELHO, SEGUNDO S. LUCAS - ANO B – 15 DE FEVEREIRO DE 2012

    (14)

    Nº 1196-2ª Página

    EVANGELHO DE S. LUCAS

    PRÓLOGO
     
    NA SUBIDA PARA JERUSALÉM
     
    14 – Outra cura ao sábado – … Tendo entrado,  a um sábado, em casa de um dos principais fariseus, para comer. Todos O observaram. Achava-se ali, diante d’Ele, um hidrópico. Jesus, dirigindo a palavra aos legistas e fariseus, disse-lhes: «É permitido ou não curar ao sábado?» Mas eles ficaram calados. Tomando então o homem, curou-o e mandou-o embora. Depois disse-lhes: «Qual de vós, se o seu filho ou o seu boi cair a um poço, em dia de sábado, não o irá logo retirar em dia de sábado?» E a isto não puderam replicar.
     
     
    Convite à humildade – … Observando como os convidados escolhiam os primeiros lugares, disse-lhes esta parábola: «Quando fores convidado para um banquete nupcial, não ocupes o primeiro lugar, não tenha sido convidado alguém  mais digno do que tu, e venha o que vos convidou, a ti e ao outro, e te diga: Cede a este o teu lugar. Mas quando fores convidado, vai-te sentar no último lugar, e, assim quando vier o que te convidou dir-te-á: Amigo, sobe mais para cima. Então isto será uma honra para ti aos olhos de  todos os que estiverem contigo à mesa. Porque todo aquele que se exalta será humilhado, e o que se humilha será exaltado».
     
     
    A escolha dos convidados – Disse, depois, aos que o tinham convidado: «Quando deres um almoço ou um  jantar, não convides os teus amigos, nem os teus irmãos, nem os teus parentes, nem os teus vizinhos ricos; não vão eles também convidar-te por sua vez, retribuindo-te assim. Quando deres um banquete, convida os pobres, os aleijados, os coxos  e os cegos. E serás feliz por eles não terem com que te retribuir; ser-te-á retribuído na ressurreição dos justos».
     
    Parábola do grande banquete – Ouvindo isto, um dos convidados disse-Lhe: «Feliz o que comer pão no reino de Deus!» Ele respondeu-lhe: «Certo homem ia dar um grande banquete e fez muitos convites. À hora do banquete, mandou o seu criado dizer aos convidados: “Vinde, já está tudo pronto”. Mas todos unanimemente, começaram a esquivar-se. O primeiro disse: «Comprei um terreno e preciso de ir vê-lo; peço-te que me dispenses. Outro disse: Comprei cinco juntas de bois e tenho de ir experimentá-las; peço-te que me dispenses. E outro disse: Casei-me e, por isso, não posso ir». O criado regressou e comunicou isto ao seu senhor. Então, o dono de casa, irritado, disse ao criado: Sai imediatamente às praças e ruas da cidade e traz para aqui os pobres e os estropiados, os cegos e os coxos. O criado voltou e disse-lhe: Senhor, está feito o que determinaste, e ainda há lugar. E o senhor disse ao criado: sai pelos caminhos e cercados e obriga-os a entrar, para que a minha casa fique cheia. Pois vos digo que nenhum daqueles que foram convidados provará da minha ceia».
     
    Necessidade de renúnciaJuntaram-se-Lhe grandes multidões e Jesus, voltando-Se para elas, disse-lhes: «Se alguém vem ter Comigo e não aborrece a seu pai, mãe, esposa, filhos, irmãos, irmãs e até a própria vida, não pode ser Meu discípulo. Quem, dentre vós, querendo construir uma torre, não se senta primeiro a calcular a despesa para ver se tem com que acabá-la? Não suceda que, depois de assentar os alicerces, não a podendo acabar, todos os que viram, comecem a troçar dele, dizendo: este homem principiou a construir e não pôde acabar. Ou qual é o rei que parte para a guerra contra outro rei, e não se senta primeiro examinando se lhe é possível com dez mil homens opor-se àquele que cem contra ele com vinte mil? Se não pode, estando o outro ainda longe, manda-lhe embaixadores a pedir a paz. Assim, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem não pode ser Meu discípulo. Coisa boa é o sal; mas, se perder o seu sabor, com que se há-de temperar? Nem para a terra, nem para a estrumeira serve: deitam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, que oiça».

    (Continua em, 16/2/2012, esta descrição do EVANGELHO DE SÃO LUCAS)


    Transcrição de António Fonseca