OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

sexta-feira, 23 de março de 2012

OS TIPOS DE CATÓLICOS - 23-3-12

Do site:  ABRA-TE A RESTAURAÇÃO
OS TIPOS DE CATÓLICOS

Hoje trouxe para vocês uma lista de tipos de católicos, é humorístico, mas nos traz uma grande reflexão sobre como nós somos, como a nossa vida cristão é. Vamos ler e ver em qual nós nos enquadramos:

CATÓLICO CHICLETE- só mastiga a Palavra, mas não engole.

CATÓLICO PÁ: quando o padre está pregando, ele diz: "é pá ele!"

CATÓLICO BATERIA DESCARREGADA: sem nenhuma energia, nem fora para funcionar no Reino Deus.

CATÓLICO CARRINHO DE MÃO: precisa ser empurrado para trabalhar, principalmente na igreja.

CATÓLICO GATINHOS(AS): são contentes e animados quando mimados.

CATÓLICO BOLA DE GÁS: vive cheio de ar e pronto para explodir.

CATÓLICO ESCADA: ora estão subindo, ora estão descendo.

CATÓLICO PIPOCA: vive pulando daqui para ali; de igreja em igreja; não se firmam como membro de uma pastoral.

CATÓLICO PAPAGAIO: precisa ter o pé amarrado e a asa cortada para se manter na linha.

CATÓLICO CLIMA: inconstante na sua conduta.

CATÓLICO 6 HORAS: vive pedindo "iai cês horas por mim?"; "cês ora não esquece";"cês ora também pelo o meu cunhado...?"

CATÓLICO RAIMUNDO: um pé na igreja e outro no mundo.

CATÓLICO 333: meio besta.

CATÓLICO DE TIETES OU PORTADORES DE UMA CARTEIRINHA DE FÃ CLUBE: acompanha o padre onde ele for.

CATÓLICO NASCER DO SOL: podemos sempre contar com ele para um novo dia.

CATÓLICO ROCHA: firme, constante e imutável, sempre abundante na obra do Senhor.

CATÓLICO CHICLETE: só mastiga a Palavra, mas não engole.

CATÓLICO 007: esse é o agente secreto de Cristo infiltrado no submundo de satanás.

CATÓLICO LÓ-LÓ: está sempre saindo e voltando para as mãos de Deus.

CATÓLICO PAPAGAIO 2: sabe orar com no máximo 20 palavras.

CATÓLICO DENOREX: parece, mas não é.

CATÓLICO KIKO DO CHAVES: não se mistura com a "gentalha".

CATÓLICO LENTE PARAGUAI: enxerga espiritualmente menos que uma mula.

CATÓLICO NOÉ: nunca as coisas são com ele: " Noé comigo irmão."

CATÓLICO ALELUIA GLÓRIA A DEUS: o padre pregando: "Porque o diabo veio para matar..." e o católico: "aleluia glória a Deus".

CATÓLICO PÃO DE FÔRMA: miolo mole, casca grossa, chato e quadrado.

CATÓLICO CABELEIREIRO: trabalha só para fazer a cabeça dos outros.

CATÓLICO RIVAL DO: se acha o bom e o injustiçado.

CATÓLICO ESTRELINHA DE JESUS: qualquer coisa sai da igreja.

CATÓLICO BULE: de "pó café" (pouca fé).

CATÓLICO ESCOSTEIRO: só aparece em época de acampamento.

CATÓLICO KODAK: vive de revelação.

CATÓLICO COM DOM DE CANTO: fica la´no canto da igreja encostado e não quer saber de trabalhar.

CATÓLICO CELULAR: só vive desligado ou fora da área.

CATÓLICO MACHADO: qualquer ideia ele já corta.

Que tipo de crente você é??????

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

Post colocado em 23-3-12  -  22,35 h

António Fonseca

==================================

Do site: 

Alexandre e Alana

 

quarta-feira, 21 de março de 2012

Deus está me esculpindo

Deus está me esculpindo...
DEUS...
não me criou está me criando
não me formou está me formando
não me chamou está me chamando
não me amou está me amando
não me disse está me dizendo
não me salvou está me salvando
EU...
não cheguei lá estou indo
não virei santo estou sendo santificado
não m converti estou me convertendo
não me encontrei estou me encontrando
não sei o suficiente estou aprendendo
DEUS...
não me responde tudo ensina-me a pensar
não me leva sempre manda-me caminhar
não faz tudo por mim ensina-me a fazer
não me empurra aponta a direção
não me mostra tudo dá sinais
não pára o rio ensina-me a atravessá-lo
não tira os obstáculos ensina-me a superá-los
EU...
não sou um nada eu somo e multiplico
não sou coisa sou pessoa
não sou número sou indivíduo
não sou qualquer sou alguém
não me sobreponho ponho-me no meu lugar
não passo por cima caminho ao lado
não me deixo pisar mas também não piso
É Deus primeiro, depois eu e os outros, lado a lado.
Se tiver que perder algumas vezes, entenderei.
Daqui do meu ângulo, o mundo tem um só EU.
Além do meu pequeno "eu" o mundo tem 6,5 bilhões de outros.
O que mais existe no mundo é o "outro".
Não posso querer que tudo passe pelo meu inacabado eu.
Por isso, tomarei cuidado com este pronome.
Eu demais quase sempre quer dizer outros de menos.
Certamente não sou e não serei pessoa nota 10. Não sou máximo.
Além disso, o PROCOM não costuma recomendar produtos falsos.
Sou obra imperfeita e inacabada.
O jeito é deixar que Deus termine o que começou em mim.

www.padrezezinhoscj.com
Comentários para: online@paulinas.com.br

Post colocado em 23-3-12 - 22,35 h

António Fonseca

ATENÇÃO CATÓLICOS!!! : A situação da Igreja no Brasil … (e não só…) - 23 de Março de 2012

Do site:

O Ser Profeta das Nações

Just another WordPress.com weblog

 

ATENÇÃO CATÓLICOS!!! : A situação da Igreja no Brasil

fevereiro 20, 2010 Dyego Carlétti - Deixe um comentário

A cada dia intensifica-se um laicismo anti-católico no Ocidente, uma afronta a nossas raízes cristãs. No entanto, não percebemos uma reação forte por parte dos católicos. Podemos notar que também no Brasil o mesmo é crescente. A Igreja é colocada cada vez mais como a vilã da história e da sociedade, contrária ao progresso, etc.
Tudo isso, porque tem a coragem de denunciar seu comportamento pecaminoso no que fere a lei de Deus, inscrita no coração de cada homem: aprovação ao aborto, a união legal de pessoas de mesmo sexo – com adoção de crianças -, manipulação genética de embriões – como se fossem seres descartáveis -, inseminação artificial, eutanásia, suicídio assistido, controle egoísta da natalidade, distribuição de camisinhas e de pílulas do dia seguinte aos jovens etc.

A Igreja Católica, que é a Lumem gentium (Luz dos povos) faz a Luz de Cristo brilhar nas trevas deste mundo, missão que o Senhor lhe confiou, mas as trevas gritam contra ela. “… a vida era a luz dos homens; e a luz brilha nas trevas, mas as trevas não a compreenderam… Ele estava no mundo, e o mundo foi feito por meio dele, mas o mundo não o reconheceu” (Jo 1, 4-10).

Em nosso Brasil, a maioria do povo diz ser católica, nossas raízes são católicas, nossa cultura e nossa tradição são católicas, mas esse povo infelizmente é quase analfabeto em doutrina, e muitas vezes alienado da realidade política e social; isso o deixa a mercê das seitas e de minorias que desejam implantar ideologias contrárias à fé da maioria. Esse povo bom, mas inculto, que na sua maioria não lê um jornal ou revista, e só se informa pela televisão, facilmente se deixa enganar até mesmo por um governo que propõe medidas ofensivas a moral católica, como acontece agora com o Plano Nacional de Direitos Humanos – 3, que é desumano. Este Plano, por exemplo, propõe a aprovação do aborto, do casamento de pessoas do mesmo sexo com adoção de filhos, a retirada dos símbolos religiosos católicos das repartições públicas, restringe a livre expressão das ideias, incentiva as invasões de propriedades alheias, limita a ação da justiça nas reintegrações de posse a seus legítimos donos, sugere a revisão da Lei da Anistia, ameaçando agitar a sociedade etc.

No entanto, em que pese toda manifestação dos bispos, a maioria da população católica parece ainda inerte, imóvel, omissa, como se nada estivesse acontecendo. Ou não toma conhecimento dos fatos ou o ignora de maneira alienante. Também grande parte do povo católico se satisfaz com o pão e o circo oferecidos pelo governo que age de maneira imoral. Esse povo não reage nem mesmo quando a fé católica é ofendida, a Igreja atacada, os sacramentos profanados, os santos ridicularizados e muitas vezes caricaturados, etc.

Estamos sofrendo uma guerra declarada. Já vivemos um martírio incruento, e não será surpresa se em breve se tornar cruento, também em nosso país, como acontece hoje na Índia, no Iraque, na Arábia Saudita etc., onde milhares de cristãos são mortos pelo simples crime de seguirem a Jesus Cristo.

Como unir e acordar esse povo católico, para que de maneira organizada e ordeira enfrente essa onda anti-católica que atravessa o mundo e também o Brasil?

As forças do ateísmo e do laicismo anti-católico atuam fortemente nas universidades, na media e nos movimentos sociais, que se apoiam o governo e se beneficiam de seus recursos. Infelizmente um segmento da Igreja, avesso à autoridade da Igreja, desobediente ao que vem da Santa Sé, favorece muitas vezes a rebeldia contra a própria Igreja e fortalece o laicismo. Pois “Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir”. (Mt 12, 25).

Em nossa Igreja no Brasil, com uma desviada hermenêutica da chamada “opção preferencial pelos pobres”, acabamos abandonando os postos chaves na sociedade que outrora ocupávamos: as universidades, os laboratórios científicos, o mundo da cultura etc. Deixamos, assim, espaço aberto para que os marxistas pudessem fazer a cabeça daqueles que são hoje a cabeça da sociedade.

Infelizmente, não só no governo atual, mas também na Igreja, vemos o incentivo da política do “pão e circo”. Reunimos multidões de fiéis, lhe damos-lhes palavras bonitas – e tão vazias de conteúdo! -, algumas lágrimas e sentimentos à flor da pele. Muitos saem contentes, e tudo termina em nada… A profecia de Oséias é atualíssima: “Meu povo perece por falta de conhecimento” (Os 4,6). Já é hora de queremos deixar de contentar-nos com sermos cristãos superficiais. Precisamos dar-lhes alimento sólido, que os fortaleça na fé, tornando-a inabalável diante de qualquer contrariedade. O povo tem sede de verdade, mesmo que seja duro ouvi-la. Chega de pregações adocicadas, que não dizem nada! Cristianismo não é poesia! Precisamos de cristãos totalmente informados pela fé, que a testemunhem por toda parte, e não somente nas sacristias de nossas paróquias.

É preciso levar o povo católico a conhecer a verdade, ser informado, e deixar de ser manipulado; este é o grande desafio atual. Pensamos que a Igreja é capaz de furar essa crosta que impede esse povo bom e desinformado de tomar conhecimento e participar da luta contra, por exemplo, esse PNDH, porque a mídia jamais vai fazer isso. Como diz Pe. Paulo Ricardo “há uma espiral de silêncio” que precisa ser quebrada.

Temos que unir forças. Voltar a conquistar estes meios. Construir uma rede com as pessoas boas – não só na intenção, mas com qualidade espiritual, humana, profissional – e organizar com inteligência nosso apostolado. Temos a firme esperança aí que não contamos somente com meios humanos, e, por isso, devemos ser audazes. Nesse sentido, não podemos esquecer que, antes de qualquer técnica de ação, devemos estar inteiramente unidos a Deus através de nossas armas sobrenaturais. Daí deve derivar, diante de tudo, um profundo otimismo, não ingênuo, mas espiritual, fruto da convicção de que com Ele nos tornamos onipotentes.

Os filhos das trevas são os que deveriam tremer diante de nós, pois nossas armas são muitíssimo mais eficazes. Além de todo auxílio sobrenatural – que nos torna infinitamente superiores nesta guerra -, temos nossos púlpitos – quantos brasileiros vão a Santa Missa dominical! -, temos vários meios de comunicação – TV, jornais, internet -, e contamos – apesar de tudo – com grande credibilidade por parte de nosso povo brasileiro: eles confiam na Igreja!

O que fazer de concreto? Além da luta pela santidade – que é o que mais conta - já que é o Senhor o protagonista dessa luta -, devemos estreitar nossa rede de contato. Tentar entrar mais nesses meios que possuímos. Mais encontros de formação, retiros para os intelectuais, universitários, cientistas, jornalistas para atingir o povo.

É urgente levar esse povo católico, em massa, a participar, escrever às autoridades, aos políticos, fazer manifestações organizadas e ordeiras; sim, esse povo que vai à Missa, a grupos de oração, que participa dos novos Movimentos e das novas Comunidades, que prega o Evangelho da salvação pelo Rádio, pela TV, pela internet, etc. Aqui entra, sem dúvida, o papel importante das televisões católicas. Enfim, é preciso uma ação unida, coordenada, de todos os católicos frente a tudo que estamos vendo de errado sobre bioética, corrupção, PNDH, etc.

É preciso envolver as realidades que querem ser fiéis à Igreja (Opus Dei, Regnum Christi, Comunhão e Libertação, Caminho Neocatecumenal, Cursilhos de Cristandade, Renovação Carismática, Equipes de Nossa Senhora, Serra Clube etc.) e Comunidades de Vida (Canção Nova, Shalom, Obra de Maria etc.), incluindo também as paróquias e dioceses; além dos políticos católicos. Revelar ao mundo a unidade transcendental da Igreja, que nos une por cima de toda diferença. “Nisto conhecerão que sois meus discípulos…” (Jo 13,35).

É claro que isso é algo difícil, muito difícil, mas se todos nos mobilizarmos no sentido de buscar essa união podemos fazer algo. Será preciso “grandeza de alma” para se colocar as exigências do Reino de Deus acima das nossas. Não adianta permanecermos entre nós com choros e lágrimas, como se fossemos uma “equipe de consolo mútuo”. Muita gente silenciosa está descontente com tudo isso; é preciso envolvê-los. Há muitos sites na internet que mostram isso. E esse é um instrumento poderoso de articulação hoje.

Os inimigos da Igreja estão articulados e as forças da Igreja estão esparsas; esse é o problema. Receamos que se não fizermos algo hoje, amanhã talvez seja tarde, e quem sabe as leis não nos permitam amanhã pregar contra a homossexualidade, o aborto, o sexo livre, … e tudo o que é contrário à lei de Deus.

Sabemos que a audácia dos maus se alimenta da omissão dos bons. Não podemos fugir deste mundo, e muito menos simplesmente condena-lo. Jesus disse que não veio para condenar o mundo, mas para salva-lo; a nós cabe fazer o mesmo.

Ao vislumbrar o terceiro milênio da cristandade, o Papa João Paulo II convocou os cristãos para “pescar em águas mais profundas”, onde se encontram peixes mais numerosos e maiores. João Paulo II e Bento XVI nos enviam para alto mar (“duc in altum”). E para isso é preciso estarmos preparados; o mar é bravio, podem surgir as tempestades a qualquer momento, ondas altas, vento forte, ameaçando virar a barca.

Não podemos mais ficar pescando na praia, com varinha de bambu, linha fina e anzol pequeno. A evangelização, a conversão de almas para Deus, não é um passa-tempo; mas uma missão árdua, que precisa ser cumprida com esmero: preparo e oração. Não é fácil arrancar as presas dos dentes do lobo cruel e assassino. “Sem Mim nada podeis fazer” (Jo 15,5).

Mas, é preciso também o preparo. Paulo VI disse que a mediocridade ofende o Espírito Santo. Deus está pronto para mover os céus para realizar o que está além da nossa natureza, mas não moverá uma palha para fazer o que depende de nós. Ele faz o grão germinar, mas jamais virá preparar o solo e nele lançar a semente: “O Deus que te criou sem ti, não te salvará sem ti” (Santo Agostinho, Sermões 15,1).

O Papa João Paulo II na memorável vigília da Solenidade de Pentecostes no ano de 1998, mostrou a grande responsabilidade que têm, neste sentido, os novos Movimentos e as novas Comunidades:

“No atual mundo, frequentemente dominado por uma cultura secularizada que fomenta e propaga modelos de vida sem Deus, a fé de tantos é colocada à dura prova e frequentemente sufocada e apagada. Adverte-se, portanto, com urgência a necessidade de um anúncio forte e de uma sólida e profunda formação cristã. Como existe hoje a necessidade de personalidades cristãs maduras, conscientes da própria identidade batismal, da própria vocação e missão na Igreja e no mundo! E eis, portanto, os movimentos e as novas comunidades eclesiais: eles são a resposta, suscitada pelo Espírito Santo, a este dramático desafio no final do milênio. Vós sois esta providencial resposta”.

O mundo expulsa Deus cada vez mais; o secularismo toma conta da cultura, da mídia, da moda etc., a chama da fé é cada vez mais apagada nos lares, nas escolas e nas oficinas. O Papa pede “uma sólida e profunda formação cristã”. Sem isso não será possível pescar em águas profundas. Sem um bom conhecimento da doutrina, do Catecismo da Igreja especialmente, não poderemos dar ao mundo “a razão da nossa fé” (cf. 1Pe 3,15).

O Papa pede também “personalidades cristãs maduras”, certamente não só sacerdotes e bispos, mas leigos preparados, capazes de adentrar aos muros às vezes adversos das universidades, cinema, teatro, música, artes, meios de comunicação, política etc.

Ao lançar a Igreja em direção ao novo milênio, o Papa João Paulo II fez mais um forte apelo: “Uma nova evangelização!”. Se ele pediu uma “nova” é porque a anterior envelheceu; não certamente no seu conteúdo, mas na sua forma. Ele pediu: “com novo ardor, novos métodos e nova expressão”. O que significa isso?

Novo ardor, certamente no fogo do Espírito Santo que tem suscitado os movimentos e as Comunidades que brotam a cada dia. Sem esse “fogo” do céu, não haverá nova evangelização. Façamos sim planos e reuniões, projetos e programas, mas sob o fogo do Espírito, sem o qual tudo não passará de letra morta. Quanto tempo e energia já se perdeu por falta desse ardor do Espírito!

Novos métodos é certamente o que temos visto nas Comunidades e Movimentos: uma evangelização com um jeito novo: nas casas, nos rincões, pelas rádios, TVs, jornais, revistas, encontros, seminários, adorações, acampamentos de oração e estudo… É a “Primavera da Igreja” como dizia João Paulo II.

Nova expressão, uma nova maneira de viver o Evangelho, não mais individualista, mas em grupo, em comunidade, comprometidos conjuntamente com o trabalho do Reino do céu, na fraternidade, na correção fraterna, no amor mútuo, no compromisso com Deus e com a Igreja, “cum Petro e sub Petro”.

Vemos assim que a Igreja acredita profundamente nas Comunidades e Movimentos novos, que precisam se preparar, como verdadeiras “Companhias de Pesca”, e se lançarem sem medo, em nome do Senhor, em águas mais profundas, e buscar os grandes peixes.

Pe. Demetrio Gomes da Silva / Prof. Felipe Aquino

O que estamos fazendo para mudar?

http://youtu.be/DcX5B6D002Q

 

Vamos movimentar a população Católica desse País, principalmente os Jovens!!!!

Que bom que você assinou o nosso FEED!
Não deixe de ver também os outros artigos relacionados no BLOG!
Deus abençoe!!!

Categorias Catolicos, Igreja Católica, Reflexão

 

Post colocado em 23-3-12  -  22,10 h

António Fonseca

Nº 1233 – 1ª Página – (83/2012) - SANTOS DE CADA DIA – 23 de Março de 2012 - 4º ano

Ver Notas no final
Nº 1233 – 1ª Página – 2012
Tero_thumb_thumb_thumb_thumb_thumb_t[1]God-Remained-Posters_thumb_thumb_thu[2]
#####################################
Quaresma
##################################### #####################################
Toríbio de Mogrobejo, Santo
Padroeiro do Peru e dos Bispos Missionários

Bispo (1538-1606)

Toribio de Mogrovejo, Santo

Toribio de Mogrovejo, Santo

Foi grande benfeitor dos Índios da América Espanhola. Tiveram estes muito que sofrer devido à cobiça dos que se vieram a tornar senhores das terras que eles habitavam. Nos Estados Unidos foram quase todos exterminados. Frades houve que, chegando ao México, declararam que os Índios eram animais, “criados para estar ao serviço do homem como animais domésticos”. No Peru, os buscadores de ouro limitaram-se a tratá-los como escravos e embrutecê-los para tomarem conta do que era deles. Isto até ao dia em que Filipe II de Espanha nomeou Toríbio arcebispo de Lima (1581). A sua diocese era tão grande como metade da França. Visitou-a três vezes. A primeira visita durou sete anos. Todos os seus diocesanos estavam batizados, mas quase nenhum era cristão autêntico. Os clérigos que os pastoreavam davam mau exemplo e só pensavam mantê-los em submissão àqueles que os exploravam. O mérito de Turíbio esteve em levar estes Índios miseráveis a tomar consciência da sua dignidade de homens e em obrigar o clero a que os instruísse. Construiu escolas e igrejas, e fundou em Lima o primeiro seminário da América espanhola. Teve de lutar sem descanso com as autoridades civis, que o perseguiam, quanto podiam; ele era, porém, manso, paciente, hábil e de coragem indomável. O que é certo é que transformou o estado de coisas no Peru, onde se tornou impossível, voltar atrás. É compreensível que aspirasse ao descanso, ao fim de 25 anos de tais canseiras. caiu doente em Santa, Peru, e prometeu que recompensaria a primeira pessoa que lhe anunciasse que não escaparia. Não faltou quem aceitasse a missão. E Toríbio entregou-lhe o presente. Entoou em seguida o salmo: “Alegro-me com a notícia que me foi agora dada”. E morreu pouco depois. Nascera em Mayorga (Leão, Espanha), em 1538, e morreu a 23 de Março de 1606. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt. Ver também www.es.catholic e www.santiebeati.it

26500 > San Turibio de Mogrovejo Vescovo 23 marzo - Memoria Facoltativa MR

Ascolta da RadioVaticana:
Ascolta da RadioRai:
Ascolta da RadioMaria:

COMPLEMENTO

Nascido no seio de uma nobre família espanhola, Toríbio de Mogrobejo era um jovem de grande devoção. Em 1751, foi-lhe concedida uma bolsa de estudos para a Universidade de Salamanca, onde estudou leis e posteriormente ensinou. Na realidade, a sua virtude e conhecimentos de Direito Canónico e Civil levaram a que fosse nomeado juiz principal, no tribunal da Inquisição de Granada. Em 1575, a vida de Toríbio sofreu uma mudança radical, quando o Rei Filipe II o nomeou Arcebispo de Lima, no Peru. Toríbio apelou da decisão, afirmando que era unicamente um leigo, mas as suas objecções não foram aceites. Filipe necessitava de alguém com carácter forte e dedicação para ultrapassar os obstáculos postos pela cristianização do Peru. Toríbio foi ordenado sacerdote.  e depois consagrado Bispo. Em 1581, Toríbio chegou ao Peru. A sua diocese cobria cerca de 27 mil quilómetros quadrados de costa, montanhas e selva. Poucas estradas existiam, por isso Toríbio viajava a pé e expunha-se às tempestades, inundações, calor tropical e animais selvagens. Os habitantes, a maioria índios, estavam a ser maltratados pelos conquistadores espanhóis. Encontrou grande falta de sacerdotes e muitos índios batizados que pouco sabiam sobre a sua religião.
Um desafio Toríbio decidiu fazer a paz com os índios construindo estradas, escolas, igrejas, conventos e hospitais. Em 1591, fundou o primeiro seminário americano em Lima. Também aprendeu vários dialectos índios. Durante os 24 anos que passou no Peru, percorreu 3 vezes toda a diocese, dando esmolas aos necessitados e batizando meio milhão de pessoas. Hoje, é reconhecido como um missionário e reformador pioneiro.
No seu rasto
Toríbio fez muito para que o povo do Peru conhecesse e amasse Jesus Cristo.
Mas hoje o país continua a ter problemas políticos e muitas tribos índias, nas montanhas e na selva, ainda não conhecem o Evangelho. Em 1963, Peter Hocking fundou o programa Segadores, que mobiliza grupos de missionários para alcançar em  tribos distantes. Ao longo dos anos, os Segadores fundaram dezenas de igrejas, que depois entregam às missões peruanas. Nas áreas remotas, fazem seminários de estudos bíblicos para missionários residentes e para crentes. Fundamental para os Segadores é um programa de formação transcultural, que se desenvolve em 2 partes. Os estudantes preparam-se para trabalho de campo, com 2 semanas de aulas, seguido de um período em que vivem, no seio de uma comunidade índia, onde recebem formação prática sobre a vida na selva e os costumes tribais. O trabalho dos missionários é árduo, mas a recompensa é grande: a alegria de ajudar os meais necessitados a encontrar Cristo.
 
Oração
Senhor, pelo trabalho apostólico de São Toríbio e pelo Seu imenso amor à verdade, Vós ajudastes a Igreja a crescer. Possam os Vossos fieis continuar a crescer em Fé e santidade. Concedei-nos o que Vos pedimos por Jesus Cristo Nosso Senhor e Vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo, pelos séculos dos séculos. Ámen.
(Oração contemporânea)
 
No período da vida de São Toríbio (1538-1606) ocorreram diversos acontecimentos dos quais se destacam: O édito de Nantes termina a guerra de religião em França (14598); Vida de Ivan, o Terrível, Czar da Rússia (1530-1584); A Rússia inicia a conquista da Sibéria (1581); Colonos ingleses chegam a Plymouth, Massachusetts (1620).
 
 
Nícon e 199 companheiros, Santos
Mártires (251)

Nícon, natural de Nápoles, era ainda pagão quando assentou praça. A mãe, que era cristã, dera-lhe certa formação: durante um, combate perigoso, ouviram-no pedir o auxílio de N. S. Jesus Cristo, o que lhe assegurou o triunfo. Depois do licenciamento das tropas, voltou para junto de sua mãe; esta convenceu-o a fazer-se cristão. Mas, sem nada lhe dizer dos seus projetos, embarcou para Constantinopla, demorou-se algum tempo na ilha de Quio e aplicou-se lá, durante oito dias, ao jejum e à oração. Embarcou de novo e chegou perto de Monte Ganos, onde o Beato Teodósio de Cízico lhe administrou o baptismo, o conservou três anos junto de si para o formar na observância das regras e na prática das virtudes. Teodósio, ao morrer, confiou a Nícon a direção dos seus 199 discípulos e sagrou-o como bispo legionário. A perseguição obrigou Nícon e os seus religiosos a tomarem o caminho do mar; chegaram à Sicília, onde foram presos e chacinados por ordem do prefeito. Foi-lhes aplicado o suplicio a 23 de Março, pelo ano de 251, durante a perseguição de Décio. Estes mártires são venerados entre os Gregos, e José Hymnógrafo compôs um hino em honra deles. Não é verdade que o suplício tenha sido aplicado em Cesareia da Palestina. As Atas elevaram as vítimas até ao número de 199. Os Gregos consagram a estes mártires um ofício completo a 23 de Março. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt

Rebeca Pierrette (Rafqa Pietra Choboq) Ar-Rayès, Santa

Religiosa (1832-1914)

Rebeca Pierrette (Rafqa Pietra Choboq) Ar-Rayès, Santa

Rebeca Pierrette (Rafqa Pietra Choboq) Ar-Rayès, Santa

Nasceu no Líbano, em 1832, de pais honrados e piedosos, na aldeia de Himlaya, perto de Bikfaya. No baptismo recebeu o nome de Boutrossiéh (Petrina) e foi-lhe dada uma educação muito cristã. Aos 7 anos ficou órfã de mãe. O seu pai veio pouco depois a contrair novas núpcias. A madrasta porém, tinha-lhe pouco amor. Chegada à adolescência, foi para Damasco como empregada de uma família cristã. Ali permaneceu 4 anos. Tendo atingido a idade de casar , a família fez pressão sobre ela para que contraísse matrimónio. Recorrendo a Deus com fervorosa oração para que lhe desse luz na escolha do estado de vida que deveria abraçar, sentiu-se chamada à consagração ao Senhor no estado religioso. Dirigiu-se ao mosteiro das religiosas de Nossa Senhora de Bikfaya, onde, acolhida com carinho, foi alistada entre as Irmãs Mariamettes no dia 1 de Janeiro de 1853. depois dos votos, passou 7 anos no convento de Ghazir, aplicada à cozinha. Entretanto, ia estudando árabe, aritmética e caligrafia. Em 1860 foi mandada para casa de Deir Ei Kamar, onde se entregou a obras de caridade, sobretudo no tempo das convulsões civis, prestando a sua ajuda aos Jesuítas e às crianças. A seguir, desempenhou o cargo de educadora de meninas durante quase 8 anos. Recrudescendo a perseguição, que obrigou algumas Irmãs a regressar a suas casas, a serva de Deus, depois de muito orar, a 12 de Julho de 1871 ingressou no mosteiro de S. Simeão de Monjas Baladitas de Santo António do Líbano, em Ai Quarn, com o nome de Rebeca (Rafka). Quando um dia orava fervorosamente no oratório do mosteiro, sentiu-se inspirada a pedir ao Senhor que Se dignasse visitar a sua escrava com sofrimentos corporais. Deus ouviu-a. Com efeito, atacaram-na fortes dores de cabeça e começou a sofrer de cegueira. Ela dava graças ao Senhor pelos sofrimentos que lhe tinham sobrevindo, pois assim se julgava mais conforme à imagem de Cristo paciente. Todos os medicamentos aplicados foram inúteis, e o médico diagnosticou que a doença era incurável. Todavia, por prescrição de outro médico e com a anuência da Superiora, foi-lhe extraído um dos olhos, por um processo absolutamente cruel. Ela, no decorrer da intervenção, mantinha.-se serena, meditando na Paixão de Senhor. Pouco tempo depois, após outro tratamento igualmente inútil, começou a sofrer da vista esquerda e em, breve ficou completamente cega. Ao fim de 26 anos passados no mosteiro de S. Simeão, a serva de Deus, ceguinha foi transferida para Ad Dahr, onde, decorrido pouco tempo, começou também a sofrer dos ossos e aos poucos foi ficando paralítica. Assim provada pelo Senhor, veio a falecer santamente no dia 23 de março de 1914, com 82 anos de idade. Com razão o santo Padre João Paulo II, ao beatificá-la no dia 17 de Novembro de 1985, declarou: “A nova bem-aventurada legou ao seu país e à Igreja o misterioso sabor de uma existência totalmente impregnada do espírito de Cristo Redentor (…). As crianças corriam instintivamente para ela. Durante a perseguição de 1860 salvou a muitas. Conta-se que uma criancinha de Deir El Qamar escapou à morte, refugiando-se sob o manto da querida Irmã (…) Chegada aos 50 anos, gozando de boa saúde, a Irmã Rafqa, misteriosamente impulsionada pelo Espírito Santo, ambicionou a graça de ser visitada pela doença. Longe de ser vítima dum gosto mórbido da dor, ela sentia a atração mística de se conformar com Cristo sofredor. A partir de 1885 até à morte em 1914, padeceu diariamente de fortes dores de cabeça e dos olhos que a levaram à cegueira completa. A sua oração mais frequente era esta: – Em comunhão com os vossos sofrimentos, Jesus”. AAS 62 (19760) 8476-9; 74 (1982) 651-4; 78 (1986) 302-7). Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt

46725 > Santa Rebecca Pierrette (Rafqa Pietra Choboq) Ar-Rayes 23 marzo MR

 
Vitoriano, Santo
Mártir (484)
Victoriano, Frumencio y compañeros, Santos

Vitoriano, Frumêncio e companheiros, Santos

Hunerico, rei dos Vândalos da África (484), escreveu a Vitoriano, governador de Cartago, dando-lhe ordem de prender os cristãos católicos e de começar ele próprio por abraçar o arianismo. Vitoriano respondeu-lhe: “Mesmo que não houvesse outra vida além da presente, eu manter-me-ia fiel a Cristo, de quem recebi tantos benefícios. Mas acredito na vida eterna que Ele prometeu. Não contes portanto comigo para obedecer, mesmo que isso me custe ser lançado às chamas ou às feras”. Na verdade, esta resposta valeu-lhe perecer nos tormentos. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt. Ver também www.es.catholic e www.santiebeati.it. Comentários al P. Felipe Santos: al Santoral">al Santoral">fsantossdb@hotmail.com

Anunciata Colcchetti, Beata
Virgem

Anunciata Colcchetti, Beata

Anunciata Colcchetti, Beata

Martirológio Romano: No povo de Cemmo, de Lombardia, em Itália, beata Anunciata Cocchetti, virgem, que com fortaleza e humildade dirigiu o Instituto de Irmãs de Santa Doroteia, recentemente fundado (1882). Etimologicamente: Anunciata = Aquela que há sido informada, referente ao mistério da Anunciação. Fundadora das Monjas Doroteias de Cemmo, a madre Anunciata Cocchetti nasceu em Rovato (Brescia) em 9 de Maio de 1800; quando tinha sete anos de idade morreram seus dois pais e foi sua avó paterna que a criou, logrando que não lhe faltasse carinho, cuidados, educação e grandes ideais. Os sacerdotes da paróquia, e em particular dom Lucas de Conti Passi, foram seus diretores e guias espirituais para ajudá-la no crescimento humano e cristão, aos 17 anos abriu em sua casa uma escola para as meninas pobres do país. Aos 22 anos de idade obteve o título de mestra, com lo que se converteu na primeira professora da escola feminina de Rovato; naquele período teve a ocasião de conhecer a beata Magdalena de Canossa, que tinha a ideia de abrir uma casa de sua Congregação na zona bresciana; Magdalena intuiu que a jovem Anunciata estava destinada a um caminho diferente e assim o predisse. En 1824 cuando tenía 24 años, murió su abuela, y el tío Carlos, quien era el tutor de sus tres hermanos, hombre inmerso en la vida social y en la política, dispuso que Anunciata se les uniera en Milán, donde permaneció por seis años, tiempo en el que intentó convencerla de optar por un buen matrimonio y de apartarla de sus inclinaciones religiosas. Aunque Anunciata adquirió nuevas experiencias, no renunció a su vocación que cada vez era más clara, y que existía cuando le pidió a la beata Magdalena de Canossa ser admitida entre sus hijas. En el 1831 abandonó Milán y se fue a Cemmo en Valcamonica, entonces pequeña y desconocida zona de Italia, siempre siguiendo la guía de don Luca Passi; allí había una escuela creada por la noble Erminia Panzerini, y quien desde 1821 junto a algunas piadosas mujeres administraba la escuela dentro del espíritu de la obra de Santa Dorotea, pero la institución no tuvo éxito. Anunciata Cocchetti se unió a Panzerini como maestra, logrando un incremento en el número de alumnas y aumentando la ayuda a las jóvenes. Durante 10 años fue obediente, trabajadora y una fiel colaboradora de la directora de la escuela, a quien quiso y respetó, a pesar de las profundas diferencias de temperamento y mentalidad; se volvió madre y maestra para todas las chicas del valle, deseosas de instrucción y educación. En el 1842 la señora Panzerini murió, así ella ya era libre para optar por la vida religiosa, se trasladó a Venecia vistiendo el vestido religioso de las Monjas Doroteas, apenas fundadas por don Luca Passi; en octubre del mismo año regresó a Cemmo con otras dos religiosas que prácticamente eran fundadoras del instituto, emitiendo los votos en 1843. Por 40 años fue la apóstol de Valcamonica, mujer de una gran, robusta y práctica espiritualidad, ilustre en su espíritu de oración, piedad eucarística y un celo ardiente por la salvación de la juventud. Cada domingo, y siempre a pie, visitaba las parroquias de las regiones cercanas, la esperaban las animadoras de la obra de Santa Dorotea y contaba con la completa colaboración de los movimientos apostólicos de las parroquias. Laborando en el espíritu de la obra de Santa Dorotea, de quien era su convencida apóstol en todo el Valle, imprimió a su Instituto una apariencia propia, fundando en 1853 en Cemmo un noviciado propio, desarrollando el Instituto de un modo autónomo y también difundiéndolo fuera de Italia. A sus hijas dejó el ejemplo de una vida llena de una fe viva, de oración, de energía laboriosa, diciéndoles: "Amaos como buenas hermanas, haceos santas… obrando muy bien para las joven a vosotras confiadas". Murió a los 82 años el 23 de marzo de 1882, su cuerpo descansa desde 1951 en la casa santificada por su presencia a Cemmo. Fue beatificada por el papa a Juan Pablo II, el 21 de abril de 1991. traduzido por Xavier Villalta - Nota: Valcamonica es uno de los valles más extensos de los Alpes, con cerca de 90 kilómetros de largo y 1347 Km. cuadrados. Comienza en la Corna Trentapassi cerca de Pisogne, sobre el lago Iseo, y acaba en el Passo del Tonale, a 1883 metros sobre el nivel del mar. Pertenece a la región italiana de Lombardía, en las provincias de Brescia y Bérgamo.

52900 > Beata Annunciata Cocchetti Vergine 23 marzo MR

Beato Edmundo Sykes, presbítero e mártir

Em York, em Inglaterra, beato Edmundo Sykes, presbítero e mártir, que durante o reinado de Isabel I foi desterrado por ser sacerdote, e havendo regressado a Inglaterra de novo, foi preso e justiçado (1587).

46720 > Beato Edmondo Sykes Martire 23 marzo MR

Santo Fingar ou Guignero, mártir

Em Cornualles, santo Fingar ou Guignero, mártir (c. 460).

46670 > San Fingar (Guigner) Martire 23 marzo MR

Gualtério (Walter) de Pontoise, Santo
Abade

Gualterio (Walter) de Pontoise, Santo

Gualterio (Walter) de Pontoise, Santo

Martirológio Romano: Em Pontoise, perto de París, em França, são Gualtério, primeiro abade do mosteiro do lugar, que, renunciando a seu amor pela solidão, ensinou com seu exemplo aos monges a disciplina da Regra e fustigou no clero os costumes simoníacas (c. 1095). Etimologicamente: Walter = Gualtério = Aquele que comanda o exército, é de origem germânica. São Gualtério ou Walter, alcança celebridade no norte de França, por sua caridade e espírito religioso. Nascido em Andainville, Picardía, era noviço da abadia de Rebais quando se arriscou a atender e libertar de seu calabouço a um lavrador. Nomeado contra sua vontade para reger a abadia de Pontoise, Muito cedo se fez querer de todos os monges, sem embargo, se sentiu incapaz de ocupar o primeiro lugar, e por isso, aproveitando uma noite de lua nova, deixou sub-repticiamente Pontoise para ir a refugiar-se a Cluny, junto a Santo Hugo. Obrigado a regressar, se retira de novo a uma ilha de Loira, junto a Tours, tomando a seu cargo a capela de São Cosme e São Damião. A fama do desconhecido ermitão atrai as multidões. Volta a ser reconhecido e tem que regressar a Pontoise. Não lhe restava outra saída que recorrer ao Papa. Partiu para Roma contando com que Gregório VII, devidamente informado de sua indignidade, aceitaria sua demissão. Mas o Papa não se deixou convencer, deu ao santo varão suas melhores bênçãos e o obrigou a regressar, proibindo-o que voltasse a abandonar seu posto, o que cumpriu Gualtério ao pé da letra até ao fim de sua vida.

46690 > San Walter (Gualtiero, Gualterio) di S. Martino di Pontoise Abate 23 marzo MR

José Oriol, Santo
Confessor

José Oriol, Santo

José Oriol, Santo

Martirológio Romano: Em Barcelona, em Espanha, são José Oriol, presbítero, que, com a mortificação corporal, o cultivo da pobreza e a contínua oração, manteve uma constante união com Deus, enriquecido de dons celestiais (1702). Nasceu em Barcelona, Espanha, e ficou órfão de pai sendo todavia muito pequeno. Jovenzito foi admitido como acólito e cantor numa igreja, e vendo os sacerdotes sua grande piedade e devoção se propuseram custear-lhe os estudos de seminário. Passava muitas horas rezando ante o Santíssimo Sacramento no templo. Ordenado sacerdote, e havendo recebido na universidade o grau de doutor, se dedicou à educação da juventude. Era sumamente estimado pelas gentes e muito louvado por sua grande virtude e por seus modos tão amáveis que tinha no trato com todos, mas Deus o deixou ver o estado de sua alma e desde esse dia já não teve José nenhum sentimento de vaidade nem de orgulho. Se deu conta de que o que ante os olhos da gente brilha como santidade, ante os olhos de Deus não é senão miséria e debilidade. Desde o dia em que Deus lhe permitiu ver o estado de sua alma, José Oriol se propôs nunca mais voltar a comer carne em sua vida e jejuar todos os dias. A São José Oriol concedeu Deus o dom da direção espiritual. As gentes que iam a consultá-lo voltavam a suas casas e a seus ofícios com a alma em paz e o espírito cheio de confiança e alegria. Às pessoas que dirigia insistia em que sua santidade não fosse só superficial e externa, mas sobretudo interior e sobrenatural. O santo nunca atribuía a ele próprio nenhum dos prodígios que obrava. Dizia que tudo se devia a que seus penitentes se confessavam com muito arrependimento e que por isso Deus os curava. Em seus últimos anos obteve de Deus o dom de profecia e anunciava muitas coisas que iam a suceder no futuro. E até anunciou quando ia a suceder sua própria morte. Num dia do mês de Março do ano 1702, enquanto cantava em seu leito de enfermo um hino à Virgem Maria, morreu santamente. Tinha apenas 53 anos.

46740 > San Giuseppe Oriol Boguna Sacerdote 23 marzo MR

Metódio Domingo Trcka, Beato
Mártir Redentorista

Metodio Domingo Trcka, Beato

Metódio Domingo Trcka, Beato

Martirológio Romano: Em Leopoldvara, cidade de Eslováquia, beato Metodio Domingo Trcka, presbítero da Congregação do Santíssimo Redentor e mártir, que em tempo de perseguição por causa da fé, mudou seu peregrinar terreno na vida eterna com seu glorioso martírio (1959). Etimologicamente: Metódio = Aquele que é estudioso e investigador, é de origem grega. Dominick Trcka nasce em 6 de Julho em Frydlant nad Ostravici (atualmente República Checa), último dos sete filhos de Františka Šterbova e Tomaš Trcka. Foi batizado no dia seguinte de seu nascimento, em 7 de Julho de 1886. Cresce numa família católica onde recebe uma boa educação cristã. Uma de suas irmãs foi religiosa. Dominick começou seus estudos na escola elementar de Frydlant e depois passou ao instituto de Mistek. Durante o curso 1902/1903 começou a frequentar a classe sexta do Jovenado Redentorista a Cervenka. Após esses contactos, decidiu entrar na Congregação do Santíssimo Redentor. A etapa seguinte de sua vida religiosa foi seu ingresso no noviciado de Bilsko que começou em agosto de 1903. Emite a profissão religiosa em 25 de agosto de 1904 (curiosamente a data de seu martírio). Depois do noviciado continuou os estudos de filosofia e teologia no seminário redentorista, em Oborišt. Aqui se encheu dos ideais dos Santos Irmãos Cirilo e Metódio, primeiros evangelizadores de Europa Oriental e Patronos de Europa. Ambos são os fundadores dessas igrejas e os criadores de seus caracteres na escritura. Trcka queria com todo o coração trabalhar no campo da unidade da igreja. Em sua rara correspondência aparece com evidência que esperava com glória o dia de sua ordenação sacerdotal. Em 17 de Julho de 1910 é ordenado presbítero pelo arcebispo de Praga, o cardeal Leo Skrbensky. Depois de sua primeira missa, celebrada em 18 de Julho em São Kajetan a Praga, regressou a Oborište para terminar o último ano de estudos teológicos. De Oborište foi transferido a Praga (1911) onde começou, sob a guia do P. Fratišek Polepil, para o segundo noviciado e onde continuará como missionário. Seus superiores dão as seguintes informações: "O Padre Trcka, preparando a pregação, quer ser original. Não sempre o consegue, mas aceita as criticas. Enquanto à proclamação, o faz bem, afavelmente". Para ver mais sobre BEATO METÓDIO DOMINGO TRCKA, consultar site http://es.catholic.net/santoral.

90038 > Beato Metodio Domenico Trcka Sacerdote, martire 23 marzo MR

Santo Otón, eremita

Em Ariano, de Irpinia, em Itália, santo Otón, ermitão (c. 1120).

91968 > Sant' Ottone Frangipane Eremita 23 marzo MR

Beato Pedro, eremita

Em Gubbio, da Umbría, beato Pedro, presbítero da Ordem de Ermitãos de Santo Agostinho (c. 1306).

46710 > Beato Pietro da Gubbio Agostiniano 23 marzo MR

Santo Pedro Higgins,

religioso presbítero e mártir

Pedro Higgins, Beato

Pedro Higgins, Beato

Martirológio Romano: Na localidade de Naas, perto de Dublin, na Irlanda, beato Pedro Higgins, presbítero da Ordem de Pregadores e mártir, que por guardar fidelidade à Igreja Romana, no tempo do rei Carlos I foi enforcado sem julgamento. Data de beatificação: 27 de setembro de 1992 pelo Papa João Paulo II. Nasceu em Dublín (Irlanda) no ano 1601, e em 1622 decide sua vocação religiosa, entrando na Ordem de Pregadores. Enviado a Espanha, completa ali seus estudos. Se ordena sacerdote em 1627. Regressa a Irlanda em 1630 e é nomeado prior do convento de Naas. Em 1641, durante a rebelião contra os ingleses, se prodigalizou para hospedar aos sem tecto e para travar a onda de violências, salvando a muitas pessoas, inclusive protestantes, dos tumultos. No ano seguinte é preso e levado a Dublín, onde se lhe oferece a liberdade e a vida se passasse alo anglicanismo. Ao negar-se foi condenado à morte na forca, a sentença se leva a efeito num parque situado no centro de Dublín chamado St. Stephen´s Grenn em 23 de março de 1642. À hora de morrer recordou que ele era inocente, que havia auxiliado a muitos protestantes e que sua morte se devia somente à sua fé católica. E em prova disso exibiu uma carta em que o governador lhe oferecia a vida se renunciasse à sua fé. Se tiverem informação relevante para a canonização do Beato Pedro, escreva a: Irish Bishops‘ Conference - Saint Patrick’s College - Maynooth, County Kildare, IRLANDA

90814 > Beato Pietro Higgins Martire 23 marzo MR


94695 > San Benedetto Monaco in Campania, martire 23 marzo


46650 > Santi Domezio, Pelagia, Aquila, Eparchio e Teodosia Martiri 23 marzo



92715 > San Vittoriano Martire 23 marzo


93392 > Santi Vittoriano, Frumenzio e compagni Martiri 23 marzo MR

 
0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000

  • 00000000000000000000000000000000000000000000000000000000
  • Localização geográfica da sede deste Blogue, no Porto
  • Viso---mapa_thumb_thumb_thumb_thumb_[2]
  • ===================================
  • 0000000000000000000000000000000000000000000000
  • $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$SS
  • «««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
  • 1 - A integração dos textos editados MMI IMP S.r.l./IMP BV – impressa na União Europeia (Ver blogue nº 1153 – 3/1/12) que se refiram a alguns dos Santos hoje incluídos, continuara a ser efetuada diariamente desde que eu possua as respectivas pagelas na Coleção de Histórias de Santos que nos inspiraram, intitulada “Pessoas Comuns – Vidas Extraordinárias pelo que peço as minhas desculpas. AF.
  • Hoje POR EXEMPLO foi incluído como
  • Complemento na vida de
  • (Toríbio de Mogrobejo, Santo)Estrela
  • 2 - Sites utilizados: Os textos completos são recolhidos através do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt. em que também incluo imagens recolhidas através de http://es.catholic.net/santoral,; em seguida os textos deste mesmo site sem tradução e com imagens, e por último apenas os nomes e imagens de HTTP://santiebeati.it.
  • 3 - Como já devem ter reparado, de vez em quando, segundo a sua importância há uma exceção da 1ª biografia, (ou biografias do Livro Santos de Cada Dia – já traduzidas – por natureza) que mais sobressaem, – quando se trate de um dia especial, dedicado a Jesus Cristo, a Nossa Senhora, Anjos ou algum Santo, em particular – todos os restantes nomes surgem por Ordem alfabética, uma, duas ou três vezes, conforme figurem nos três sites indicados, que poderão ser consultados - se assim o desejarem – pelos meus eventuais leitores. LOGICAMENTE E POR ESSE FACTO, DIARIAMENTE, O ESPAÇO OCUPADO, NUNCA É IGUAL, ACONTECENDO POR VEZES QUE É DEMASIADO EXTENSO.
  • Peço-vos a melhor compreensão e as minhas maiores desculpas e obrigado.
  • Responsabilidade exclusiva de ANTÓNIO FONSECA
    http://bibliaonline.com.br/acf; http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt
  • AVISO IMPORTANTE - 23 de Março de 2012

     

     

    ATENÇÃO:

     

    Aviso importante:

     

     

    Devido à intrusão de vírus não identificado, ou -  “hackers” (O MAIS PROVÁVEL)  – o email que estava utilizando desde Janeiro, foi desativado pelo Hotmail há cerca de 8 dias; assim deixei de ter acesso aos meus contactos e, consequentemente todos foram varridos do meu computador, sem qualquer intervenção minha.

    Portanto, individualmente vou tentar contactar todos os sites de Blogs Católicos que através do endereço desativado me enviavam as suas newletters e emails, para me reinscrever novamente para um novo email: Aliás vou tentar comunicar também individualmente também para os meus contactos pessoais, a fornecer os meus novos endereços – o que decerto me vai levar algum tempo.

    Entretanto, aproveito esta página, para alertar os meus eventuais leitores, a fim de que não enviem nada para o endereço www.aarfonseca0491@hotmail.com, dado que, como acima disse ESTÁ DESATIVADO, por intervenção de terceiros não identificados 

    Aproveito esta nota, para vos dar conhecimento de que ontem, graças à ajuda de um familiar meu, consegui resolver os problemas do meu computador – e espero que definitivamente –.

    E como “depois da tempestade vem a bonança” venho congratular-me com a notícia de que o meu blogue (e desde Janeiro do corrente ano) já ultrapassou as 50 000 visualizações e até ontem, já foi lido total ou parcialmente por mais de 3 800 leitores.

    Muito obrigado a todos.

    António Fonseca

    =================================================

    São estes os meus endereços atuais:

    aarfonseca@hotmail.com

    antoniofonseca40@gmail.com

    Nº 1233-4 - «REZAR NA QUARESMA» - 23 de Março de 2012 –(Sexta-feira) – 4ª Semana da Quaresma

     

    4ª SEMANA DA QUARESMA

    Sexta-feira

    João 7, 1-2.10.25-30

    “Vede como fala abertamente.”

    ****************

    É fascinante a liberdade que Jesus tinha a falar e a agir.

    Ele não tinha medo de dizer a Sua Fé,

    de anunciar a bondade do Pai.

    Sem Se importar com as pressões e com as recusas.

    Esta liberdade,

    Esta força,

    vem-Lhe de dentro,

    do amor do Pai.

    Onde chega o Deus-amor,

    o medo desaparece.

    »»»»»»»»»»

    Tu me conheces, Jesus.

    Conheces os meus medos,

    as minhas contradições,

    os meus fingimentos.

    Quero sentir-me livre e forte como Tu.

    Faz-me entrar nessa relação de amor,

    alegria e paz que Tu tens com o Pai.

    E então a tua liberdade

    será também a minha.

     

    edisal@edisal.salesianos.pt

    http://www.edisal.salesianos.pt/

    000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000

    NOTA:

    O livrinho “REZAR NA QUARESMA – Um Caminho de mudança” consta de leituras –

    citação bíblica do Evangelho do dia;

    uma frase bíblica em destaque;

    uma imagem para ajudar a pensar;

    uma meditação que faz a ponte entre o Evangelho e os dias de hoje;

    uma proposta de oração.

    Dai que, durante este período de Quaresma, tal como ocorreu nos 2 últimos anos (como acima refiro), diariamente será aqui transcrito o texto do respectivo dia, solicitando a devida vénia às Edições Salesianas.

    António Fonseca

    aarfonseca0491@hotmail.com

    http://bibliaonline.com.br/acf

    Nº 1233 - 2ª Página - EVANGELHO, SEGUNDO S. LUCAS - ANO B – 23 DE MARÇO DE 2012

     
     
    (21)
     
     
    Nº 1233-2ª Página

    EVANGELHO DE S. JOÃO
     
     
    VIII – RESSURREIÇÃO DE JESUS
     
     
    21 – APARIÇÃO NAS MARGENS DO LAGO DE TIBERÍADES …Depois disto, Jesus manifestou-Se outra vez aos discípulos junto ao mar de Tiberíades e manifestou-Se assim: Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Gémeo, e Natanael, que era de Canaã de Galileia, assim como os filhos de Zebedeu e mais dois dos Seus discípulos. Disse-lhes Simão: «Vou pescar». Eles responderam: «Nós também vamos contigo». Saíram e subiram para o barco, mas naquela noite não apanharam nada. Ao surgir a manhã, Jesus apresentou-Se na praia, mas os discípulos não sabiam que era Ele. Disse-lhes então Jesus: «Rapazes, tendes algum peixe que se coma?» Responderam-Lhe: «Não»?. Disse-lhes Ele: «Lançai as redes para o lado direito do barco e haveis de encontrar». Lançaram-na, pois, e mal a podiam arrastar devido à grande quantidade de peixe. Então, o discípulo predileto de Jesus disse a Pedro: «É o Senhor». E, quando Simão Pedro ouviu dizer que era o Senhor, enfiou a túnica, pois estava nu, e lançou-se ao mar. Os outros discípulos, que estavam distantes da terra apenas uns duzentos côvados, voltaram no barco, puxando a rede com os peixes. Logo que saltaram para terra, viram ali umas brasas com peixe em cima, e pão. Disse-lhes Jesus: «Trazei dos peixes que apanhastes agora». Simão Pedro subiu à barca e puxou a rede para terra, cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes; e, sendo tantos, não se rompeu a rede. Disse-lhes Jesus: «Vinde comer». E nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar-Lhe: «Quem és Tu?» por saberem que era o Senhor. Então, Jesus aproximou-Se, tomou o pão e deu-lho, fazendo o mesmo com o peixe. Foi esta a terceira vez que Jesus Se manifestou aos Seus discípulos, depois de ter ressuscitado dos mortos.
     
     
    A TRIPLÍCE CONFISSÃO DE PEDRODepois da refeição, Jesus perguntou a Simão Pedro: «Simão, filho de João, tu amas-Me mais do que estes?» Ele respondeu: «Sim, Senhor. Tu sabes que Te amo». Jesus disse-lhe: «Apascenta os Meus cordeiros». Voltou a dizer-lhe segunda vez: «Simão, filho de João, tu amas-Me?» Ele respondeu: «Sim, Senhor. Tu sabes que Te amo». Jesus disse-lhe: «Apascenta as Minhas ovelhas». Perguntou-lhe terceira vez: «Simão, filho de João, tu amas-MePedro entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez. «Tu amas-Me?» E respondeu-lhe: «Senhor, Tu sabes tudo, Tu bem sabes que Te amo». Jesus disse-lhe: «Apascenta as Minhas ovelhas». «Em verdade, em verdade te digo: Quando eras mais novo, tu mesmo te cingias e andavas por onde querias; mas, quando fores velho, estenderás as tuas mãos e outro te cingirá e te levará para onde tu não queres». E disse isto para indicar o género de morte com que ele havia de glorificar a Deus. Depois destas palavras, acrescentou: «Segue-Me».
    Pedro, voltando-se, viu que o seguia o discípulo que Jesus amava, aquele que, durante a ceia, se inclinara sobre o Seu peito e Lhe perguntara: «Senhor quem é que Te vai entregar?» Ao vê-lo, Pedro disse a Jesus: «Senhor e deste que será?» Disse-lhe Jesus: «Se Eu quiser que ele fique até que Eu venha, que tens com isso? Tu segue-Me». Divulgou-se, pois, entre os irmãos, o boato de que aquele discípulo não morreria. Jesus, não lhe disse que não morreria, mas sim: «se Eu quiser que ele fique até que Eu venha, que tens com isso?».
     
     
     
    CONCLUSÃO
     
     
    É esse o discípulo que dá testemunho destas coisas e as escreveu; e nós sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. Há ainda muitas outras coisas que Jesus fez. Se elas se escrevessem, uma por uma, penso que nem o mundo inteiro poderia conter os livros que se tinham de escrever.
     
     
    =============================================================
     
     
    Amanhã, dia 24/3/12, se Deus o permitir, darei início à transcrição do livro dos ACTOS DOS APÓSTOLOS – que, como diz na sua Introdução - é a segunda parte dum único plano concebido por um único autor – o evangelista Lucas.
     
     
     

    António Fonseca

    aarfonseca0491@hotmail.com