OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

quinta-feira, 28 de junho de 2012

TELEFONE ESPERANÇA PORTUGAL–28-JUNHO-2012

Nossa Senhora de Medjugorje


ABORTO: Homem vale agora menos que um cão!!!!

Posted: 28 Jun 2012 04:44 AM PDT

Proposta de Código Penal libera o aborto, faz a vida humana valer menos que a de um cachorro, deixa-se pautar pela Marcha da Maconha, flerta com o “terrorismo do bem” e entrega nossas escolas ao narcotráfico. Fernandinho Beira-Mar e Marcola não pensariam em nada mais adequado a seus negócios!

Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/proposta-de-codigo-penal-libera-o-aborto-faz-a-vida-humana-valer-menos-que-a-de-um-cachorro-deixa-se-pautar-pela-marcha-da-maconha-flerta-com-o-%e2%80%9cterrorismo-do-bem%e2%80%9d-e-entrega-nossas/

A tal Comissão de Juristas encarregada de apresentar uma proposta de reforma do Código Penal terminou o seu trabalho e o entregou ao presidente do Senado, José Sarney. Se você quiser saber detalhes da tramitação, clique aqui. É possível também ler a íntegra. Há, sim, coisas positivas no novo texto, e não pretendo esgotar neste post tudo o que tem de ser dito a respeito. Mas há sugestões estúpidas, movidas por um tipo muito específico, mas não raro, de má consciência. Ela consiste no repúdio ao bom senso, rebaixado à mera condição de senso comum. Os tais juristas resolveram acolher a moral de exceção dos ditos“progressistas” supostamente “ilustrados”, que foi alçada a um imperativo ético. Essa doença tem nome: ódio ao povo, visto como um bando de selvagens que precisam ser civilizados pelas leis. O senso comum considera a vida humana uma expressão superior à de um cachorro? Segundo o norte ético estabelecido pelos juristas, um feto humano não vale o de um cão. O código que eles propõem também permitiria que nossas escolas fossem sequestradas pelo narcotráfico e inventa o terrorismo benigno.

Elejo alguns temas para comentar. E é bom que vocês comecem o debate na rede e façam a sua opinião chegar até os senhores senadores. Não é difícil encontrar o e-mail de contato. Basta entrar no sitedo Senado.

UM HOMEM VALE MENOS DO QUE UM CÃO
O aborto segue sendo crime, com possibilidade de prisão (Arts. 125, 126 e 127), mas o 128 ganhou, atenção, esta redação:
Art. 128. Não há crime de aborto:
I - se houver risco à vida ou à saúde da gestante;
II - se a gravidez resulta de violação da dignidade sexual, ou do emprego não
consentido de técnica de reprodução assistida;
III - se comprovada a anencefalia ou quando o feto padecer de graves e incuráveis anomalias que inviabilizem a vida extrauterina, em ambos os casos atestado por dois médicos; ou
IV - se por vontade da gestante, até a décima segunda semana da gestação, quando o médico ou psicólogo constatar que a mulher não apresenta condições psicológicas de arcar com a maternidade.
Parágrafo único. Nos casos dos incisos II e III e da segunda parte do inciso I deste artigo, o aborto deve ser precedido de consentimento da gestante, ou, quando menor, incapaz ou impossibilitada de consentir, de seu representante legal, do cônjuge ou de seu companheiro.

A vida é um direito protegido pela Constituição. O Código Penal não pode mudar um fundamento consagrado na Carta Magna. Mais: a aprovação de um código se faz por meio de projeto de lei, que requer maioria simples, em aprovação simbólica. A Constituição só pode ser alterada por emenda, com a concordância de três quintos da Câmara e do Senado, com duas votações em cada Casa.

O Código em vigência só permite a interrupção da gravidez em caso de estupro ou de a mãe correr risco de morrer. Por sua conta, o STF já foi além de suas sandálias e tornou legal, também, o aborto de fetos ditos anencéfalos — escrevo “ditos” porque, a rigor, anencefalia propriamente é uma impossibilidade. Se sem cérebro, o feto não se desenvolve. Sigamos. O que o texto faz, como fica patente, é recorrer a uma via oblíqua para legalizar o aborto volitivo. Basta que um médico OU psicólogo (atentem para o “ou”) ateste que a mulher não tem condições psicológicas de arcar com a maternidade.

É um acinte à inteligência e um atentado aos códigos de conduta de duas profissões. E os médicos e psicólogos sabem que estou certo. Pergunto:
a) desde quando médicos estão habilitados a assinar laudos psicológicos?
b) com base em qual fundamento teórico um psicólogo assinaria um laudo técnico atestando que a gestante não tem condições de arcar com a maternidade?

Pergunto aos juristas: médico e/ou psicológico poderiam, por exemplo, discordar da gestante? Digamos que ela manifestasse o desejo de abortar e se dissesse sem as tais condições… Um desses profissionais poderia objetar: “Ah, ela diz que não tem condições de ser mãe, mas a gente acha que sim…”? Tratar-se-ia, obviamente, da legalização pura e simples do aborto, ao arrepio da Constituição, de maneira oblíqua, longe do debate com a sociedade.

Por que afirmei que a vida de um cachorro valeria bem mais no novo Código Penal? Porque ele resolveu proteger os animais— e não é que seu seja contra, não. Então vamos a eles.

UM CÃO VALE MUITO MAIS DO QUE UM HOMEM
Leiam o que dispõe o Artigo 391:
Praticar ato de abuso ou maus-tratos a animais domésticos, domesticados ou silvestres, nativos ou exóticos:
Pena - prisão, de um a quatro anos.
§ 1o Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.
§ 2o A pena é aumentada de um sexto a um terço se ocorre lesão grave permanente ou mutilação do animal.
§ 3º A pena é aumentada de metade se ocorre morte do animal.

Os rodeios, obviamente, renderão cadeia. Nunca mais veremos — já não vemos — chimpanzés nos circos com roupinha de boneca e camisetas coloridas. Crueldade inaceitável! Alguém que submetesse, sei lá, uma cadela a um aborto poderia pegar quatro anos de cana. Já o feto humano iria para o lixo sem que a lei molestasse ninguém. Gosto de bicho. Infernizava minha mãe levando pra casa tudo quanto era animal abandonado. Mas os seres humanos me comovem um pouco mais.

UM CÓDIGO PENAL PARA NINAR VICIADOS, TRAFICANTES E EXPOR CRIANÇAS ÀS DROGAS
Os Artigos 212 a 224 tratam das drogas (páginas 340 a 344 do arquivo cujo link publiquei lá no primeiro parágrafo). De todas as insanidades existentes na proposta dos juristas, esse é, sem dúvida, o capítulo campeão. O financiamento ao tráfico, ora vejam!, entra na categoria dos “crimes hediondos”. Huuummm… Que comissão severa esta, não é mesmo? Então vamos ver o que diz o Artigo 212 (prestem atenção à “exclusão do crime”):

Art. 212. Importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar:
Pena - prisão, de 5 (cinco) a 10 (quinze) anos e pagamento de 500 (quinhentos) a 1.500 (mil e quinhentos) dias-multa.
§ 1º Nas mesmas penas incorre quem:
I - importa, exporta, remete, produz, fabrica, adquire, vende, expõe à venda, oferece, fornece, tem em depósito, transporta, traz consigo ou guarda, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, matéria-prima, insumo ou produto químico destinado à preparação de drogas;
II - semeia, cultiva ou faz a colheita, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, de plantas que se constituam em matéria-prima para a preparação de drogas;
III - utiliza local ou bem de qualquer natureza de que tem a propriedade, posse, administração, guarda ou vigilância, ou consente que outrem dele se utilize, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, para o tráfico ilícito de drogas.

Exclusão do crime
§2º Não há crime se o agente:
I - adquire, guarda, tem em depósito, transporta ou traz consigo drogas para consumo pessoal;
II - semeia, cultiva ou colhe plantas destinadas à preparação de drogas para consumo pessoal.
§3º Para determinar se a droga destinava-se a consumo pessoal, o juiz atenderá à natureza e à quantidade da substância apreendida, à conduta, ao local e às condições em que se desenvolveu a ação, bem como às circunstâncias sociais e pessoais do agente.
§4º Salvo prova em contrário, presume-se a destinação da droga para uso pessoal quando a quantidade apreendida for suficiente para o consumo médio individual por cinco dias, conforme definido pela autoridade administrativa de saúde.

Quanto amor pelo individualismo! noto, de saída, que ninguém “planta” em casa cocaína, crack ou ecstasy. O texto acima busca contemplar a reivindicação dos maconheiros organizados, que são considerados os… drogados do bem! Sim, senhores! Os “juristas” cederam ao lobby da turma da Marcha da Maconha. Acho que isso expõe a seriedade do trabalho. A causa tem um lobista muito influente — e não é o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que tem uma opinião absolutamente equivocada a respeito. O deputado Paulo Teixeira, líder do PT na Câmara e vice-presidente da CPI do Cachoeira, defende que se criem cooperativas para o plantio de maconha. Segundo ele, isso serviria para combater o lucro do traficante. Parece que ele é contra o lucro, mas não contra a droga.

Procura e oferta
Os nossos juristas resolveram reinventar a lei de mercado: ao descriminar totalmente o consumo de droga — DE QUALQUER DROGA —, é evidente que se está dando um incentivo e tanto ao consumo e se está, por óbvio, aumentando a demanda. Quando esta cresce, a tendência é haver um aumento da oferta — até com uma eventual inflação específica, não é? Será o paraíso dos traficantes. Imaginem um monte de gente querendo consumir os produtos à luz do dia, em praça pública, sem precisar se esconder. Alguém tem de fornecer.

Mas o que é “consumo individual”. Os juristas definiram: uma quantidade que abasteça o consumidor por pelo menos… CINCO DIAS! Huuummm… Os aviões do narcotráfico passarão a portar, evidentemente, o suficiente para caber nessa justificativa. É espantoso! Notem que, a exemplo da legalização do aborto, também nesse caso, o que se faz é legalizar as drogas por vias oblíquas, sem que o povo se dê conta.

Mas os juristas são pessoas preocupadas com os infantes, tá? Eles querem coibir o uso perto de crianças. Vamos ver o que propõem no Artigo 221, que trata do “uso ostensivo de droga”:

Art. 221. Aquele que usar ostensivamente droga em locais públicos nas imediações de escolas ou outros locais de concentração de crianças ou adolescentes ou na presença destes será submetido às seguintes penas:
I - advertência sobre os efeitos das drogas;
II - prestação de serviços à comunidade;
III - medida educativa de comparecimento a programa ou curso educativo.
§ 1º As penas previstas nos incisos II e III do caput deste artigo serão aplicadas pelo prazo máximo de 5 (cinco) meses.
§ 2º Em caso de reincidência, as penas previstas nos incisos II e III do caput deste artigo serão aplicadas pelo prazo máximo de 10 (dez) meses.
§ 3º A prestação de serviços à comunidade será cumprida em programas comunitários, entidades educacionais ou assistenciais, hospitais, estabelecimentos congêneres, públicos ou privados sem fins lucrativos, que se ocupem, preferencialmente, da prevenção do consumo ou da recuperação de usuários e dependentes de drogas.
§ 4º Para garantia do cumprimento das medidas educativas referidas no caput, a que injustificadamente se recuse o agente, poderá o juiz submetê-lo, sucessivamente a:
I - admoestação verbal;
II - multa.
§ 5º O juiz determinará ao Poder Público que coloque à disposição do infrator, gratuitamente, estabelecimento de saúde, preferencialmente ambulatorial, para tratamento especializado.

Voltemos um pouquinho à chamada “produção doméstica de drogas”. Como é que os preclaros vão saber se o pai que cultiva maconha em casa, para o seu consumo, fuma ou não a bagana na frente dos filhos, sobrinhos ou vizinhos? Obviamente, não vão saber. O que significa, no texto acima, “ostensivamente”? Qual é a distância do prédio que define “imediações das escolas”? Raio de 100 metros, de 200, de 500? O que impede um traficante de ter consigo uma quantidade de droga considerada de “uso pessoal” (para cinco dias, certo?) e dividi-la com alunos que estudam a um quilômetro do ponto de venda, distância que se percorre a pé sem grandes sacrifícios? De resto, um estudante-traficante poderá levar consigo a droga para vender na escola. Bastará não consumir dentro do prédio.

E no caso de o traficante, disfarçado de consumidor pessoal, ser flagrado, então, nas circunstâncias previstas no Artigo 221? Ora, meu caro pai, minha cara mãe, o sujeito que tentou aliciar o seu filho, ou que lhe forneceu droga, será severamente punido assim:
“I - advertência sobre os efeitos das drogas;
II - prestação de serviços à comunidade;
III - medida educativa de comparecimento a programa ou curso educativo.”

É ou não é de fazer qualquer traficante tremer nas bases? Alerto os senhores que, com esse Código Penal, o trabalho de repressão da Polícia Militar se tornaria virtualmente impossível. Uma operação como a da retomada da Cracolândia estaria descartada por princípio. Os zumbis do crack, em razão da natureza da droga, quase nunca têm pedras consigo. Eles estão é em busca de novas. Pesquisem: um usuário chega a fumar até 20 pedras por dia. Um traficante que fosse encontrado com 100 poderia alegar que é seu estoque de… cinco dias! Fernandinho Beira-Mar e Marcola não pensariam em nada mais adequado a seus negócios.

O TERRORISMO REDENTOR
A nova proposta de Código Penal pune, finalmente, o terrorismo. “Que bom!”, dirá você. Calma, leitor apressado! Como diria o Apedeuta, é “menas verdade”. O tema é tratado nos Artigos 239 a 242 do texto (da página 349 à 351). Já escrevi aqui algumas vezes que o Brasil só não tem uma lei antiterror porque o MST, por exemplo, seria o primeiro a ser enquadrado. O que propõe o texto no Artigo 239?

Art. 239. Causar terror na população mediante as condutas descritas nos parágrafos deste artigo, quando:
I - tiverem por fim forçar autoridades públicas, nacionais ou estrangeiras, ou pessoas que ajam em nome delas, a fazer o que a lei não exige ou deixar de fazer o que a lei não proíbe, ou;
II - tiverem por fim obter recursos para a manutenção de organizações políticas ou grupos armados, civis ou militares, que atuem contra a ordem constitucional e o Estado Democrático ou;
III - forem motivadas por preconceito de raça, cor, etnia, religião, nacionalidade, sexo, identidade ou orientação sexual, ou por razões políticas, ideológicas, filosóficas ou religiosas.
§ 1º Sequestrar ou manter alguém em cárcere privado;
§ 2º Usar ou ameaçar usar, transportar, guardar, portar ou trazer consigo explosivos, gases tóxicos, venenos, conteúdos biológicos ou outros meios capazes de causar danos ou promover destruição em massa;
§ 3º Incendiar, depredar, saquear, explodir ou invadir qualquer bem público ou privado;
§ 4º Interferir, sabotar ou danificar sistemas de informática e bancos de dados;
§ 5º Sabotar o funcionamento ou apoderar-se, com grave ameaça ou violência a pessoas, do controle, total ou parcial, ainda que de modo temporário, de meios de comunicação ou de transporte, de portos, aeroportos, estações ferroviárias ou rodoviárias, hospitais, casas de saúde, escolas, estádios esportivos, instalações públicas ou locais onde funcionem serviços públicos essenciais, instalações de geração ou transmissão de energia e instalações militares.
Pena - prisão, de oito a quinze anos, além das sanções correspondentes à ameaça, violência, dano, lesão corporal ou morte, tentadas ou consumadas.

Forma qualificada
§6º Se a conduta é praticada pela utilização de arma de destruição em massa ou outro meio capaz de causar grandes danos:
Pena - prisão, de doze a vinte anos, além das penas correspondentes à ameaça, violência, dano, lesão corporal ou morte, tentadas ou consumadas.

Vocês já encontraram o MST ou os aloprados da USP no §3, certo? Aquele que define como terrorismo “incendiar, depredar, saquear, explodir ou invadir qualquer bem público ou privado”. O otimista dirá: “Finalmente, vai acabar a impunidade”. Nada disso! Se o terrorismo tiver uma “motivação social”, o que os juristas querem é garantir justamente a impunidade. Vejam o que eles acrescentaram ao artigo:

Exclusão de crime
§ 7º Não constitui crime de terrorismo a conduta individual ou coletiva de pessoas movidas por propósitos sociais ou reivindicatórios, desde que os objetivos e meios sejam compatíveis e adequados à sua finalidade.

Caminhando para a conclusão
Quando pessoas ou grupos estiverem “movidos por propósitos sociais ou reivindicatórios”, então pode invadir, queimar e depredar. “Ah, Reinaldo, não é abem assim; o texto fala em‘meios compatíveis e adequados’… sei! Descaracteriza-se o crime para que fique por conta do subjetivismo do juiz…

Há mais coisas ruins na proposta, sim! Faço aqui o elenco de algumas. Noto que se trata de uma peça, como eles dizem,“progressista”, a despeito, certamente, da vontade da sociedade, que é majoritariamente contrária ao aborto, à legalização das drogas e à violência dos ditos“movimentos sociais”. Ocorre que os juristas parecem munidos de um espírito supostamente iluminista e civilizador, acima do pensamento da raia miúda.

Eles não querem fazer leis que estejam à altura das necessidades da população e adequadas a seus valores e ambições. Pretendem o contrário: que um dia esse povinho mixuruca esteja à altura dos valores e ambições das leis que eles propõem.

Comecem a marcação serrada sobre os senadores! Depois será a vez dos deputados. Nesses artigos que destaquei, e há muitos outros a comentar, vai-se decidir, afinal, se um ser humano vale mais do que um jumento, se os traficantes serão enquadrados pela lei ou enquadrarão a lei e se o Brasil reconhece a existência do terrorismo benigno.

Com a palavra, o Senado Federal!

Texto originallmente publicado às 6h11

Por Reinaldo Azevedo

Catequese de Bento XVI: Papa nos ensina como rezar

Posted: 28 Jun 2012 04:38 AM PDT

A lógica humana busca muitas vezes a autorrealização no poder, no domínio, mas a Encarnação e a Cruz “nos recordam que a plena realização está no conformar a própria vontade humana àquela do Pai, no esvaziar-se do próprio egoísmo para encher-se do amor e da caridade de Deus” e, assim, ser capaz de amar os outros. Foi o que enfatizou o Papa Bento XVI na audiência geral desta quarta-feira, 27. Na Sala Paulo VI, no Vaticano, o Pontífice deu continuidade ao ciclo de catequese sobre a oração segundo as Cartas de São Paulo. Desta vez, ele refletiu sobre a Carta aos Filipenses, escrita enquanto o apóstolo estava na prisão. Mesmo diante da morte iminente ele encontra força e alegria, pois o “Apóstolo nunca afastou seu olhar de Cristo, tornando-se semelhante a Ele na morte, ‘com a esperança de conseguir a ressurreição dentre os mortos'". Assim, o Santo Padre destacou que o homem não consegue se encontrar fechado em si mesmo. "É necessário ter uma escala de valores na qual em primeiro lugar está Deus, para afirmar como São Paulo: ‘julgo como perda todas as coisas, em comparação com esse bem supremo: o conhecimento de Jesus Cristo, meu Senhor’ (Fl 3,8). O encontro com o Ressuscitado lhe fez compreender que é Ele o único tesouro pelo qual vale a pena gastar a própria existência", salienta Bento XVI. Como rezar O Papa também especificou qual a melhor maneira de rezar, ressaltando que a oração é feita de silêncio e palavra, de canto e de gestos que envolvem a pessoa inteira: da boca à mente, do coração ao corpo inteiro. "O ajoelhar-se diante do Santíssimo Sacramento ou colocar-se de joelhos na oração expressa justamente a atitude de adoração diante de Deus, também com o corpo. Daí a importância de fazer isso não por hábito, com pressa, mas com profunda consciência. Quando nos ajoelhamos diante do Senhor, nós professamos a nossa fé Nele, reconhecemos que é Ele o único Senhor da nossa vida”, afirmou. Por fim, o Santo Padre aconselhou os fiéis a fixar o olhar sobre o crucifixo durante a oração, colocar-se em adoração mais vezes diante da Eucaristia e entregar a própria vida ao amor de Deus, "que se inclinou com humildade para elevar-nos até Ele".

Queridos irmãos e irmãs,

Nossa oração é feita, como vimos na quarta-feira passada, de silêncio e palavra, de canto e de gestos que envolvem a pessoa inteira: da boca à mente, do coração ao corpo inteiro. É uma característica que encontramos na oração hebraica, especialmente nos Salmos.

Hoje gostaria de falar sobre um dos cantos ou hinos mais antigos da tradição cristã, que São Paulo nos apresenta como aquele que é, de certo modo, o seu testamento espiritual: A Carta aos Filipenses. Trata-se, de fato, de uma Carta que o Apóstolo ditou na prisão, talvez em Roma. Ele sente que a morte se aproxima porque afirma que a vida será oferecida como libação (cf. Fil 2,17).

Apesar desta situação de grande perigo para sua integridade física, São Paulo, em tudo que escreveu expressa sua alegria de ser discípulo de Cristo, de poder ir ao Seu encontro, até o ponto de ver a morte não como uma perda, mas como ganho.

No último capítulo da Carta há um forte convite à alegria, característica fundamental do ser cristão e da nossa oração. São Paulo escreve: “alegrai-vos sempre no Senhor. Repito: alegrai-vos (Fl 4,4).

Mas como é possível se alegrar diante de uma condenação à morte então iminente? De onde, ou melhor, de quem São Paulo atrai a serenidade, a força e a coragem para ir ao encontro do martírio e do derramamento de sangue?

Encontramos a resposta no centro da Carta aos Filipenses, naquilo que a tradição cristã denomina “carmen Christo”, o canto para Cristo, ou mais comumente chamado “hino cristológico”; um canto no qual toda a atenção está centrada sobre os “sentimentos” de Cristo Jesus (Fl 2,5).

Estes sentimentos são apresentados nos versículos sucessivos: o amor, a generosidade, a humildade, a obediência a Deus, o dom de si. Trata-se não só e não simplesmente de seguir o exemplo de Jesus, como uma coisa moral, mas de envolver toda a existência no seu modo de pensar e agir.

A oração deve conduzir a um conhecimento e a uma união no amor sempre mais profundo com o Senhor, para poder pensar, agir e amar como Ele, Nele e por Ele. Exercer isso, aprender os sentimentos de Jesus, é o caminho da vida cristã.

Agora, eu gostaria de explanar brevemente alguns elementos deste denso canto, que reassume todo o itinerário divino e humano do Filho de Deus e engloba toda a história humana: do ser na condição de Deus, à encarnação, à morte de cruz e à exaltação na glória do Pai está implícito também no comportamento de Adão, do homem no início.

Este hino a Cristo parte do seu ser “en morphe tou Theou”, diz o texto grego, isto é, de estar na “forma de Deus”, ou melhor, na condição de Deus. Jesus, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, não vive o seu “ser como Deus” para triunfar ou para impor sua supremacia, não o considera um poder, um privilégio ou um tesouro invejável.

Na verdade, “despiu-se”, esvaziou-se de si assumindo, como diz o texto grego, a “morphe doulos”, a “forma de escravo”, a realidade humana marcada pelo sofrimento, pela pobreza, pela morte, assimilou-se plenamente aos homens, exceto no pecado, agindo assim como verdadeiro servo a serviço dos outros.

Neste sentido, Eusébio de Cesaréia, no século IV, afirma: “Ele tomou sobre si as fadigas daqueles que sofrem. Fez suas as nossas doenças humanas. Sofreu e passou por tribulações por nossa causa: isso em conformidade com seu grande amor pela humanidade” (A demonstração evangélica, 10, 1, 22).

São Paulo continua traçando o quadro “histórico” no qual se realizou esta inclinação de Jesus: “humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte (Fl 2,8). O Filho de Deus se tornou verdadeiro homem e cumpriu um caminho na completa obediência e fidelidade à vontade do Pai até o sacrifício supremo da própria vida. Ainda mais, o Apóstolo especifica “até a morte, e uma morte de cruz”.

Sobre a Cruz, Jesus Cristo chegou ao máximo grau da humilhação, porque a crucificação era a pena reservada aos escravos e não às pessoas livres: “mors turpissima crucis”, escreve Cícero (cfr In Verrem, V, 64, 165).

Na Cruz de Cristo, o homem é redimido e a experiência de Adão é remediada: Adão, criado a imagem e semelhança de Deus, afirma ser como Deus com suas próprias forças, coloca-se no lugar de Deus e assim perde sua dignidade original que lhe foi dada.

Jesus, em vez, estava “na condição de Deus”, mas inclinou-se, colocou-se na condição humana, na total fidelidade ao Pai, para redimir o Adão que está em nós e devolver ao homem a dignidade que havia perdido.

Os padres destacam que Ele se fez obediente, restituindo à natureza humana, através de Sua humildade e obediência, aquilo que foi perdido por causa da desobediência de Adão.

Na oração, no relacionamento com Deus, nós abrimos a mente, o coração e a vontade à ação do Espírito Santo para entrar naquela mesma dinâmica de vida, como afirma São Cirilo de Alexandria, o qual celebramos a festa hoje: “A obra do Espírito busca transformar por meio da graça na cópia perfeita de sua humilhação” (Carta Festiva 10, 4).

A lógica humana, em vez, busca muitas vezes a autorrealização no poder, no domínio, nos meios potentes. O homem continua querendo construir com as próprias forças a torre de Babel para chegar à mesma altura de Deus, para ser como Deus.

A Encarnação e a Cruz nos recordam que a plena realização está no conformar a própria vontade humana àquela do Pai, no esvaziar-se do próprio egoísmo para encher-se do amor e da caridade de Deus e, assim, tornar-se realmente capaz de amar os outros.

O homem não encontra a si mesmo permanecendo fechado em si, afirmando-se. O homem encontra-se somente saindo de si mesmo; somente saindo de nós mesmos nos encontramos. E se Adão queria imitar a Deus, isto em si não é ruim, mas errou na ideia de Deus. Deus não é alguém que só quer grandeza. Deus é amor que se doa já na Trindade e depois na criação. E imitar a Deus quer dizer sair de si mesmo e doar-se no amor.

Na segunda parte deste “hino cristológico” da Carta aos Filipenses, o sujeito muda, já não é Cristo, mas é Deus Pai. São Paulo destaca que é justamente por obediência à vontade do Pai que “Deus o exautou soberanamente e lhe outorgou o nome que está acima de todos os nomes” (Fl 2,9).

Aquele que se inclinou profundamente tomando a condição de escravo é exaltado, elevado acima de todas as coisas pelo Pai, que lhe deu o nome de “Kyrios”, “Senhor”, a suprema dignidade e senhorio.

Diante deste novo nome, de fato, que é o próprio nome de Deus, no Antigo Testamento, “todo joelho se dobrará no céu, na terra e embaixo da terra, e toda língua proclamará: ‘Jesus Cristo é Senhor’, para a glória de Deus Pai” (vv. 10-11).

O Jesus que é exaltado é aquele da Última Ceia que põe de lado suas vestes, pega uma toalha, abaixa-se para lavar os pés dos Apóstolos e pergunta a eles: “Sabeis o que vos fiz? Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. Logo, se eu, vosso Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar-vos os pés uns dos outros (Jo 13,12-14).

Isso é importante recordar sempre na nossa oração e na nossa vida: “a ascensão a Deus está justamente na descida ao humilde serviço, descida do amor, que é a essência de Deus e, portanto, a verdadeira força purificadora que permite ao homem perceber e ver Deus” (Jesus de Nazaré, Milão, 2007, p. 120).

O hino da Carta aos Filipenses nos oferece aqui duas indicações importantes para a nossa oração. A primeira é a invocação “Senhor” direcionada a Jesus Cristo, sentado à direita do Pai: é Ele o único Senhor da nossa vida, em meio a tantos “dominadores” que querem dirigir e guiar.

Por isso, é necessário ter uma escala de valores na qual em primeiro lugar está Deus, para afirmar como São Paulo: “julgo como perda todas as coisas, em comparação com esse bem supremo: o conhecimento de Jesus Cristo, meu Senhor” (Fl 3,8). O encontro com o Ressuscitado lhe fez compreender que é Ele o único tesouro pelo qual vale a pena gastar a própria existência.

A segunda indicação é a prostração, o "dobrar os joelhos" na terra e no céu, que recorda uma expressão do Profeta Isaías, onde indica a adoração que todas as criaturas devem a Deus (cfr 45,23). O ajoelhar-se diante do Santíssimo Sacramento ou colocar-se de joelhos na oração expressa justamente a atitude de adoração diante de Deus, também com o corpo.

Daí a importância de fazer isso não por hábito, com pressa, mas com profunda consciência. Quando nos ajoelhamos diante do Senhor, nós professamos a nossa fé Nele, reconhecemos que é Ele o único Senhor da nossa vida.

Queridos irmãos e irmãs, na nossa oração fixemos o nosso olhar sobre o Crucifixo, detamo-nos em adoração mais vezes diante da Eucaristia, para colocar a nossa vida no amor de Deus, que se inclinou com humildade para elevar-nos até Ele.

No início da catequese nos perguntamos como São Paulo podia se alegrar diante do risco iminente do martírio e do derramamento de seu sangue. Isso é possível somente porque o Apóstolo nunca afastou seu olhar de Cristo tornando-se semelhante a ele na morte, “com a esperança de conseguir a ressurreição dentre os mortos” (Fl 3,11).

Como São Francisco diante do crucifixo, digamos também nós: Grande e magnífico Deus, iluminai o meu espírito e dissipai as trevas de minha alma; dai-me uma fé íntegra, uma esperança firme e uma caridade perfeita, para poder agir sempre segundo os vossos ensinamentos e de acordo com a vossa santíssima vontade. Amém! (cfr Oração diante do Crucifixo: FF [276]).

Síntese da catequese e saudação do Papa em português

Queridos irmãos e irmãs,

Na oração, abrimos a mente, o coração e a vontade ao Espírito Santo, para fazer entrar a nossa existência na mesma dinâmica de amor que viveu Jesus. Sendo Deus, despojou-Se da sua glória, para Se fazer homem como nós e, assim, nos elevar até Deus. Esta epopéia de amor é celebrada num dos hinos mais antigos da tradição cristã: o chamado “hino cristológico”, que São Paulo nos deixou com esta exortação: “Tende em vós os mesmos sentimentos que havia em Cristo Jesus”. Foi pela sua amorosa obediência à vontade do Pai até à suprema humilhação da Cruz, que «Deus O exaltou e Lhe deu um Nome que está acima de todos os nomes»: Jesus é Senhor. A sua encarnação e a sua cruz recordam-nos que a plena realização está na conformação da própria vontade humana com a do Pai do Céu. Para isso é necessário adotar uma escala de valores, cujo primado seja dado a Deus como o único tesouro pelo qual vale a pena gastar a própria vida.

Amados peregrinos de Teresina e de São João da Madeira e todos os presentes de língua portuguesa, a minha saudação amiga! Possa esta vossa vinda a Roma cumprir-se nas vestes de um verdadeiro peregrino que, sabendo de não possuir ainda o seu Bem maior, se põe a caminho, decidido a encontrá-Lo! Sabei que Deus Se deixa encontrar por quantos assim O procuram; com Ele, a vossa vida não pode deixar de ser feliz. Sobre vós e vossas famílias, desça a minha Bênção.

cias

Quarta Feira V Semana do Tempo Comum

Posted: 28 Jun 2012 04:28 AM PDT

Laudes V. Vinde, ó Deus em meu auxílio. R. Socorrei-me sem demora. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia. Hino Ó noite, ó treva, ó nuvem, não mais fiqueis aqui! Já surge a doce aurora, o Cristo vem: parti! Rompeu-se o véu da terra, cortado por um raio: as coisas tomam cores, já voltam do desmaio. Assim também se apague a noite do pecado, e o Cristo em nossas almas comece o seu reinado. Humildes, vos pedimos em nosso canto ou choro: ouvi, ó Cristo, a prece, que sobe a vós, em coro. Os fogos da vaidade a vossa luz desfaz. Estrela da manhã, quão doce vossa paz. Louvor ao Pai, ó Cristo, louvor a vós também; reinais, no mesmo Espírito, agora e sempre. Amém. Salmodia Ant. 1 Em vossa luz contemplamos a luz. Salmo 35(36) A malícia do pecador e a bondade de Deus Quem me segue, não andará nas trevas, mas terá a luz da vida (Jo 8,12). –2 O pecado sussurra ao ímpio * lá no fundo do seu coração; – o temor do Senhor, nosso Deus, * não existe perante seus olhos. –3 Lisonjeia a si mesmo pensando: * ‘Ninguém vê nem condena o meu crime!’ –4 Traz na boca maldade e engano; * já não quer refletir e agir bem. =5 Arquiteta a maldade em seu leito, † nos caminhos errados insiste * e não quer afastar-se do mal. –6 Vosso amor chega aos céus, ó Senhor, * chega às nuvens a vossa verdade. –7 Como as altas montanhas eternas * é a vossa justiça, Senhor; – e os vossos juízos superam * os abismos profundos dos mares. – Os animais e os homens salvais: * 8 quão preciosa é, Senhor, vossa graça!– Eis que os filhos dos homens se abrigam* sob a sombra das asas de Deus. –9 Na abundância de vossa morada, * eles vêm saciar-se de bens. – Vós lhes dais de beber água viva, * na torrente das vossas delícias. –10 Pois em vós está a fonte da vida, * e em vossa luz contemplamos a luz. –11 Conservai aos fiéis vossa graça, * e aos retos, a vossa justiça! –12 Não me pisemos pés dos soberbos, * nem me expulsem as mãos dos malvados! –13 Os perversos, tremendo, caíram * e não podem erguer-se do chão. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Em vossa luz contemplamos a luz. Ant. 2 Vós sois grande, Senhor-Adonai, admirável, de força invencível! Cântico Jt 16,1-2.13-15 Deus, Criador do mundo e protetor do seu povo Entoaram um cântico novo (Ap 5,9). –1 Cantai ao Senhor com pandeiros, * entoai seu louvor com tambores! – Elevai-lhe um salmo festivo, * invocai o seu nome e exaltai-o! – –2 É o Senhor que põe fim às batalhas, * o seu nome glorioso é ‘Senhor’! –13 Cantemos louvores a Deus, * novo hino ao Senhor entoemos! – Vós sois grande, Senhor-Adonai, * admirável, de força invencível! –14 Toda a vossa criatura vos sirva, * pois mandastes e tudo foi feito! – Vosso sopro de vida enviastes, * e eis que tudo passou a existir; – não existe uma coisa ou pessoa, * que resista à vossa palavra! –15 Desde as bases, os montes se abalam, * e as águas também estremecem; – como cera, derretem-se as pedras * diante da vossa presença. – Mas aqueles que a vós obedecem * junto a vós serão grandes em tudo. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Vós sois grande, Senhor-Adonai, admirável, de força invencível! Ant. 3 Gritai a Deus aclamações de alegria! Salmo 46(47) ouvir: O Senhor, Rei do universo Está sentado à direita de Deus Pai, e o seu Reino não terá fim. –2 Povos todos do universo, batei palmas, * gritai a Deus aclamações de alegria! –3 Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo, * o soberano que domina toda a terra.–4 Os povos sujeitou ao nosso jugo * e colocou muitas nações aos nossos pés. –5 Foi ele que escolheu a nossa herança, * a glória de Jacó, seu bem-amado. –6 Por entre aclamações Deus se elevou, * o Senhor subiu ao toque da trombeta. –7 Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa, * salmodiai ao som da harpa ao nosso Rei! –8 Porque Deus é o grande Rei de toda a terra, * ao som da harpa acompanhai os seus louvores! –9 Deus reina sobre todas as nações, * está sentado no seu trono glorioso. –10 Os chefes das nações se reuniram * com o povo do Deus santo de Abraão, – pois só Deus é realmente o Altíssimo, * e os poderosos desta terra lhe pertencem! Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Gritai a Deus aclamações de alegria! Leitura breve Tb 4,14b-15a.16ab.19a Meu filho, sê vigilante em todas as tuas obras e mostra-te prudente em tua conversação. Não faças a ninguém o que para ti não desejas. Dá de teu pão a quem tem fome, e de tuas vestes aos que estão despidos. Dá de esmola todo o teu supérfluo. Bendize o Senhor em todo o tempo, e pede-lhe para que sejam retos os teus caminhos e tenham êxito todos os teus passos e todos os teus projetos. Responsório breve R. Para os vossos mandamentos, * Inclinai meu coração! R. Para os vossos... V. Dai-me a vida em vossa Lei!* Inclinai... Glória ao Pai. R. Para os vossos... CÂNTICO EVANGÉLICO(BENEDICTUS) Lc 1,68-79 Ant. Mostrai-nos, ó Senhor, misericórdia, recordando a vossa santa Aliança. O Messias e seu Precursor–68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, * porque a seu povo visitou e libertou; –69 e fez surgir um poderoso Salvador * na casa de Davi, seu servidor, –70 como falara pela boca de seus santos, * os profetas desde os tempos mais antigos, –71 para salvar-nos do poder dos inimigos * e da mão de todos quantos nos odeiam. –72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, * recordando a sua santa Aliança –73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, * de conceder-nos 74 que, libertos do inimigo, = a ele nós sirvamos sem temor † 75 em santidade e em justiça diante dele, * enquanto perdurarem nossos dias. =76 Serás profeta do Altíssimo, ó menino, † pois irás andando à frente do Senhor * para aplainar e preparar os seus caminhos, –77 anunciando ao seu povo a salvação, * que está na remissão de seus pecados; –78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, * que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,–79 para iluminar a quantos jazem entre as trevas * = e na sombra da morte estão sentados e para dirigir os nossos passos, * guiando-os no caminho da paz. – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Mostrai-nos, ó Senhor, misericórdia, recordando a vossa santa Aliança. Preces Demos graças e louvores a Cristo pela sua admirável condescendência em chamar de irmãos àqueles que santificou. Por isso, supliquemos: R. Santificai, Senhor, os vossos irmãos e irmãs! Fazei que vos consagremos de coração puro o princípio deste dia em honra da vossa ressurreição, – e que o santifiquemos com trabalhos que sejam do vosso agrado. R. Vós, que nos dais este novo dia, como sinal do vosso amor, para nossa alegria e salvação, – renovai-nos a cada dia para glória do vosso nome. R. Ensinai-nos hoje a reconhecer vossa presença em todos os nossos irmãos e irmãs,– e vos encontrar sobretudo nos pobres e infelizes. R. Concedei que durante todo este dia vivamos em paz com todos,– e a ninguém paguemos o mal com o mal. R. (intenções livres) Pai nosso... Oração Deus, nosso Salvador, que nos gerastes filhos da luz, ajudai-nos a viver como seguidores da justiça e praticantes da verdade, para sermos vossas testemunhas diante dos homens. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Conclusão da Hora O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Amém. Hora Média introdução ouvir: V. Vinde, ó Deus em meu auxílio. R. Socorrei-me sem demora. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia. Hino Cumprindo o ciclo tríplice das horas, louvemos ao Senhor de coração, cantando em nossos salmos a grandeza de Deus, que é Uno e Trino em perfeição. A exemplo de São Pedro, nosso mestre, guardando do Deus vivo e verdadeiro, em almas redimidas, o mistério, sinal de salvação ao mundo inteiro, também salmodiamos no espírito, unidos aos apóstolos do Senhor, e assim serão firmados nossos passos na força de Jesus, o Salvador. Louvor ao Pai, autor de toda a vida, e ao Filho, Verbo Eterno, Sumo Bem, unidos pelo amor do Santo Espírito, Deus vivo pelos séculos. Amém. Salmodia-- para salmodia complementar: clique aqui --Ant. 1 Ó Senhor, vós sois bendito para sempre: os vossos mandamentos ensinai-me! Salmo 118(119),9-16 II (Beth) ouvir: Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei Se me amais, guardareis os meus mandamentos (Jo 14,15). –9 Como um jovem poderá ter vida pura? * Observando, ó Senhor, vossa palavra. –10 De todo o coração eu vos procuro, * não deixeis que eu abandone a vossa lei! –11 Conservei no coração vossas palavras, * a fim de que eu não peque contra vós. –12 Ó Senhor, vós sois bendito para sempre; * os vossos mandamentos ensinai-me! –13 Com meus lábios, ó Senhor, eu enumero * os decretos que ditou a vossa boca. –14 Seguindo vossa lei me rejubilo * muito mais do que em todas as riquezas. –15 Eu quero meditar as vossas ordens, * eu quero contemplar vossos caminhos! –16 Minha alegria é fazer vossa vontade; * eu não posso esquecer vossa palavra. – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia. Ant. Ó Senhor, vós sois bendito para sempre: os vossos mandamentos ensinai-me! Ant. 2 Firmai os meus passos em vossos caminhos. Salmo 16(17) Dos ímpios salvai-me, Senhor! Nos dias de sua vida terrestre, dirigiu preces e súplicas. E foi atendido (Hb 5,7). I –1 Ó Senhor, ouvi a minha justa causa, * escutai-me e atendei o meu clamor! – Inclinai o vosso ouvido à minha prece, * pois não existe falsidade nos meus lábios! –2 De vossa face é que me venha o julgamento, * pois vossos olhos sabem ver o que é justo. =3 Provai meu coração durante a noite, † visitai-o, examinai-o pelo fogo, * mas em mim não achareis iniquidade. –4 Não cometi nenhum pecado por palavras, * como é costume acontecer em meio aos homens. – Seguindo as palavras que dissestes,* andei sempre nos caminhos da Aliança. –5 Os meus passos eu firmei na vossa estrada, * e por isso os meus pés não vacilaram. –6 Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis, * inclinai o vosso ouvido e escutai-me! =7 Mostrai-me vosso amor maravilhoso, † vós que salvais e libertais do inimigo * quem procura a proteção junto de vós. –8 Protegei-me qual dos olhos a pupila * e guardai-me, à proteção de vossas asas, –9 longe dos ímpios violentos que me oprimem, * dos inimigos furiosos que me cercam. – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia. Ant. Firmai os meus passos em vossos caminhos. Ant. 3 Levantai-vos, ó Senhor, e salvai a minha vida! II –10 A abundância lhes fechou o coração, * em sua boca há só palavras orgulhosas. –11 Os seus passos me perseguem, já me cercam, * voltam seus olhos contra mim: vão derrubar-me, –12 como um leão impaciente pela presa, * um leãozinho espreitando de emboscada. –13 Levantai-vos, ó Senhor, contra o malvado, * com vossa espada abatei-o e libertai-me! –14 Com vosso braço defendei-me desses homens, * que já encontram nesta vida a recompensa. = Saciais com vossos bens o ventre deles, † e seus filhos também hão de saciar-se * e ainda as sobras deixarão aos descendentes. –15 Mas eu verei, justificado,a vossa face * e ao despertar me saciará vossa presença. – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia. Ant. Levantai-vos, ó Senhor, e salvai a minha vida! Leitura breve Tg 4,7-8a.10 Obedecei a Deus, mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Aproximai-vos de Deus, e ele se aproximará de vós. Humilhai-vos diante do Senhor, e ele vos exaltará. V. O Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, R. E que confiam, esperando, em seu amor. Oração Senhor Jesus Cristo, que para salvar o gênero humano estendestes vossos braços na cruz, concedei que nossas ações vos agrade me manifestem ao mundo vossa obra redentora. Vós, que viveis e reinais para sempre. Conclusão da Hora V. Bendigamos ao Senhor. R. Graças a Deus. COMPLETAS QUARTA-FEIRA introdução ouvir: V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio. R. Socorrei-me sem demora. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia. Depois, recomenda-se o exame de consciência (...) Hino Agora que o clarão da luz se apaga, a vós nós imploramos, Criador: com vossa paternal misericórdia, guardai-nos sob a luz do vosso amor. Os nossos corações sonhem convosco: no sono, possam eles vos sentir. Cantemos novamente a vossa glória ao brilho da manhã que vai surgir. Saúde concedei-nos nesta vida, as nossas energias renovai; da noite a pavorosa escuridão com vossa claridade iluminai. Ó Pai, prestai ouvido às nossas preces, ouvi-nos por Jesus, nosso Senhor, que reina para sempre em vossa glória, convosco e o Espírito de Amor. Salmodia Ant. 1 Ó Senhor, sede a minha proteção, um abrigo bem seguro que me salva! Salmo 30(31),2-6 ouvir: Súplica confiante do aflito Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito! (Lc 23,46). –2 Senhor, eu ponho em vós minha esperança; * que eu não fique envergonhado eternamente! = Porque sois justo, defendei-me e libertai-me, † 3 inclinai o vosso ouvido para mim; * apressai-vos, ó Senhor, em socorrer-me! – Sede uma rocha protetora para mim, * um abrigo bem seguro que me salve! –4 Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza; * por vossa honra orientai-me e conduzi-me! –5 Retirai-me desta rede traiçoeira, * porque sois o meu refúgio protetor! –6 Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, * porque vós me salvareis, ó Deus fiel! Ant. Ó Senhor, sede a minha proteção, um abrigo bem seguro que me salva! Ant. 2 Das profundezas eu clamo a vós, Senhor!† Salmo 129(130) ouvir: Das profundezas eu clamo Ele vai salvar o seu povo dos seus pecados (Mt 1,21). –1 Das profundezas eu clamo a vós, Senhor, * 2 † escutai a minha voz! – Vossos ouvidos estejam bem atentos * ao clamor da minha prece! –3 Se levardes em conta nossas faltas, * quem haverá de subsistir? –4 Mas em vós se encontra o perdão, * eu vos temo e em vós espero. –5 No Senhor ponho a minha esperança, * espero em sua palavra. –6 A minh’alma espera no Senhor * mais que o vigia pela aurora. –7 Espere Israel pelo Senhor * mais que o vigia pela aurora! – Pois no Senhor se encontra toda graça * e copiosa redenção. –8 Ele vem libertar a Israel * de toda a sua culpa. – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Das profundezas eu clamo a vós, Senhor! Leitura breve Ef 4,26-27 Não pequeis. Que o sol não se ponha sobre o vosso ressentimento. Não vos exponhais ao diabo. Responsório breve R. Senhor, em vossas mãos * Eu entrego o meu espírito. R.Senhor. V. Vós sois o Deus fiel, que salvastes vosso povo. * Eu entrego. Glória ao Pai. R.Senhor. Cântico evangélico, ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos, guardai-nos também quando dormimos! Nossa mente vigie com o Cristo, nosso corpo repouse em sua paz! Cântico de Simeão Lc 2,29-32 Cristo, luz das nações e glória de seu povo –29 Deixai, agora, vosso servo ir em paz, * conforme prometestes, ó Senhor. –30 Pois meus olhos viram vossa salvação * 31 que preparastes ante a face das nações: –32 uma Luz que brilhará para os gentios * e para a glória de Israel, o vosso povo. – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos, guardai-nos também quando dormimos! Nossa mente vigie com o Cristo, nosso corpo repouse em sua paz! Oração Senhor Jesus Cristo, manso e humilde de coração, que tornais leve o fardo e suave o jugo dos que vos seguem, acolhei os propósitos e trabalhos deste dia e concedei-nos um repouso tranqüilo, para amanhã vos servirmos com maior generosidade. Vós, que viveis e reinais para sempre. Amém. O Senhor todo-poderoso nos conceda uma noite tranqüila e, no fim da vida, uma morte santa. R. Amém. Antífona final de Nossa Senhora Ó Mãe do Redentor, do céu ó porta, ao povo que caiu, socorre e exorta, pois busca levantar-se, Virgem pura, nascendo o Criador da criatura: tem piedade de nós e ouve, suave, o anjo te saudando com seu Ave!

AOS MORNOS , CUSPO FORA DA MINHA BOCA - LITURGIA DIÁRIA , 28 DE JUNHO DE 2012

Posted: 27 Jun 2012 08:41 PM PDT

AOS MORNOS CUSPO FORA DA MINHA BOCA...

TIBIEZA, A FRIEZA ESPIRITUAL

ASSIM DIZ JESUS NO LIVRO DO APOCALIPSE. NÓS ESTAMOS NUM TEMPO DE BATALHA FINAL, ONDE PODEMOS AFIRMAR QUE PELO MENOS 90% DE CATÓLICOS AINDA SÃO TÍBIOS, MORNOS, FROUXOS, APAGADOS... TODOS AINDA APEGADOS AO MUNDO. ACHAM QUE NADA TEM A VER COM ELES, E IMAGINAM - ERRADAMENTE - QUE VÃO SE LIVRAR DA CRUZ... E HOJE FAZEM DE TUDO PARA SE LIVRAR DELA. PARA QUE OUTROS AS CARREGUEM . OS QUE TÊM VERGONHA DE SE EXPOR EM PÚBLICO EM DEMONSTRAÇÕES DE FÉ, DESTES DEUS SE ENVERGONHARÁ DELES NA HORA DA APRESENTAÇÃO AO PAI. ESTÁ CHEGANDO O MOMENTO DA DECISÃO FINAL. A QUAL DOS SENHORES ESCOLHEREMOS?

A TIBIEZA :“NINGUÉM PODE SERVIR A DOIS SENHORES: ODIARÁ A UM E AMARÁ AO OUTRO; OU SE APEGARÁ A UM E DESPREZARÁ O OUTRO”. (MATTH., VI, 24). O SENHOR ADVERTE AOS QUE SÃO MORNOS : “CONHEÇO A TUA CONDUTA. NÃO É FRIO, NEM QUENTE. OXALÁ FOSSES FRIO OU QUENTE! MAS, PORQUE ÉS MORNO, NEM FRIO OU QUENTE, ESTOU PARA VOMITAR-TE DE MINHA BOCA” (AP 3,15-16) . HOJE, HÁ UM GRANDE ESVAZIAMENTO ESPIRITUAL NO MUNDO INTEIRO. O POVO ESTÁ CAINDO NA INDIFERENÇA RELIGIOSA. O RELACIONAMENTO COM DEUS TEM SE TORNADO FRACO, PRINCIPALMENTE POR AQUELES QUE JÁ O CONHECEM OU TIVERAM UMA PROFUNDA EXPERIÊNCIA COM ELE . O MAL DE TUDO ISTO É A CHAMADA TIBIEZA, QUE EM PRIMEIRO LUGAR É HESITAÇÃO EM RESPONDER AO AMOR DE DEUS. E SE DIZ SER TAMBÉM FROUXIDÃO, FRAQUEZA, INDOLÊNCIA, FALTA DE ARDOR, SER MORNO… A TIBIEZA É O HÁBITO NÃO COMBATIDO DO PECADO VENIAL. A TIBIEZA TEM LEVADO MUITOS À PROSTRAÇÃO ESPIRITUAL, AO DESÂNIMO PARA COM AS COISAS DE DEUS. MUITOS TÊM CAÍDO NO SEDENTARISMO ESPIRITUAL E SE ACOSTUMADO COM A PRESENÇA E AÇÃO DE DEUS NA SUA VIDA E NO MUNDO. NADA PARA A PESSOA TÍBIA É INTERESSANTE OU NOVO, TUDO VIRA ROTINA PARA ELA . MUITOS PADRES DEIXAM O MINISTÉRIO, PORQUE PERDERAM O SENTIDO DA SUA VOCAÇÃO, DEIXANDO-SE SER LEVADOS PELA TIBIEZA, ESFRIANDO NA VIDA DE ORAÇÃO, NA INTIMIDADE COM DEUS E, ASSIM, ACABAM POR DESPENCAR NO SEDENTARISMO E ATIVISMO. A VIDA VIRA ROTINA QUANDO NÃO SE FAZ MAIS AS COISAS COM FERVOR. PERDEU-SE A EMPOLGAÇÃO MISSIONÁRIA E O GOSTO DE SER CONSAGRADO AO SENHOR . ASSIM, MUITOS GRUPOS DE ORAÇÃO PERDERAM O ESSENCIAL, QUE É A INTIMIDADE COM DEUS, A VIDA NO ESPÍRITO E O ARDOR NA ORAÇÃO. DEIXANDO-SE SER APENAS CONDUZIDOS PELA RAZÃO HUMANA AFIM DE ENTENDER AS COISAS DO ESPÍRITO. A TIBIEZA ENTROU NA VIDA DE MUITOS GRUPOS POR CAUSA DA DISPUTA POR CARGOS, ONDE UM QUER SER MELHOR QUE O OUTRO, E MESMO A INVEJA TAMBÉM FOI ENTRANDO NOS GRUPOS . A TIBIEZA NOS AMARRA AOS PECADOS, PRINCIPALMENTE, AOS VÍCIOS E AOS VENIAIS. ELA RETIRA NOSSA FORÇA DE LUTAR PARA SERMOS MAIS DE DEUS E SUPERARMOS OS NOSSOS PECADOS E FALHAS. E ACABAMOS NOS ACOSTUMANDO COM O“FEIJÃO COM ARROZ DE TODO OS DIAS” DA VIDINHA DE ORAÇÃO QUE TEMOS. CONTENTAMO-NOS COM O POUCO, SABENDO QUE DEUS TEM O MUITO PARA NOS OFERTAR . ACABAMOS COMETENDO PECADOS DE OLHOS ABERTOS, COM PLENA CONSCIÊNCIA, ACEITANDO-OS NUMA BOA, SEM QUE SEQUER FAÇAMOS ALGUM ESFORÇO PARA EVITÁ-LOS . A TIBIEZA IMPEDE A NOSSA SANTIFICAÇÃO . SÃO GREGÓRIO ESCREVE: “A TIBIEZA, QUE DEIXOU O FERVOR, CAI NO DESESPERO”. A TIBIEZA É UM FERMENTO DO DIABO, QUE QUER ARRASTAR TODOS PARA O INFERNO, A COMEÇAR POR AQUELES QUE ESTÃO NA VIDA COM DEUS. O TÍBIO, MESMO DIANTE DA EUCARISTIA, TORNA-SE INSENSÍVEL . A EXEMPLO DE ALGUNS PADRES DA IGREJA, PODE-SE VER EM MAMON, O FALSO DEUS SOBRE QUE FALA NOSSO SENHOR, NÃO APENAS O DINHEIRO, MAS TAMBÉM OUTROS APEGOS TERRESTRES, MATERIAIS, QUE ENTRAVAM O PROGRESSO ESPIRITUAL. QUERO-VOS FALAR DA TIBIEZA, DOENÇA DA ALMA MUITO COMUM – ELA CONTAGIA A METADE OU BEM TRÊS QUARTOS DOS CRISTÃOS QUE ESTÃO EM ESTADO DE GRAÇA; E TAL É REALMENTE TERRÍVEL, JÁ QUE É PRECISO CRER NAS PALAVRAS DA ESCRITURA: “DEUS VOMITA OS MORNOS DE SUA BOCA”, I. É, ELE OS EXPULSA PARA LONGE DE SI, E POR CONSEQÜÊNCIA, ESSAS ALMAS ESTÃO EM GRANDE PERIGO DE CAIR NO INFERNO ETERNO, CASO NÃO MUDEM DE VIDA. ORA, A TIBIEZA, QUE AFETA TANTO OS CLÉRIGOS –I. É, OS PADRES E OS BISPOS – QUANTO OS LAICOS, SE ENCONTRA EM TRÊS TIPOS DE PESSOAS: 1) EM PRIMEIRO LUGAR, AS QUE SAÍRAM DUMA MÁ VIDA, EM ESTADO DE PECADO MORTAL, PARA RETORNAR A UMA VIDA NORMAL, EM ESTADO DE GRAÇA. MAS ENTÃO, SATISFEITAS CONSIGO MESMAS, CESSAM OS ESFORÇOS E NÃO QUEREM MAIS SE ELEVAR.....2) HÁ AQUELAS QUE, DEPOIS DE ATINGIREM UMA VIDA FERVOROSA, AMIÚDE BEM JOVENS, ESFRIAM PARA UMA VIDA DE TIBIEZA, DE MEDIOCRIDADE. DEUS VELA PARA QUE NÃO DESPENHEM PARA MUITO BAIXO! É O CASO DE INÚMEROS RELIGIOSOS, SE SE LEVAR EM CONTA AS PALAVRAS DA IMITAÇÃO, E A EXPERIÊNCIA COTIDIANA! 3) FINALMENTE, HÁ O CASO DOS CRISTÃOS QUE DE NATURAL SÃO FELIZES: ELES NUNCA BUSCARAM SE TORNAR MELHORES. DEVE-SE POIS SACUDIR-LHES A INDOLÊNCIA, O TORPOR – ELES DORMEM!; MAIS DAS VEZES, SÓ DE UMA COISA PRECISAM: UM BOM DIRETOR ESPIRITUAL, QUE LHES APONTARÁ OS CAMINHOS DA VIDA PERFEITA. MAS EM QUE CONSISTE ESTA TERRÍVEL DOENÇA ESPIRITUAL, IGNORADA POR TANTOS CRISTÃOS, E CONTUDO TÃO DIFUNDIDA? QUAIS SÃO OS SINTOMAS, ENTRE OS “BONS” CRISTÃOS? PODE-SE DISTINGUIR PELO MENOS DOIS: 1) CONFISSÕES E COMUNHÕES ROTINEIRAS; POR VEZES, MAIS E MAIS ESPAÇADAS. ORAÇÕES RÁPIDAS E SUPERFICIAIS, SEM CONCENTRAÇÃO PARA PÔR-SE DIANTE DE DEUS, PARA ENTRAR EM CONTATO COM ELE. SEM ORAÇÃO DIÁRIA, NÃO HÁ VERDADEIROS EXAMES DE CONSCIÊNCIA. 2) O CRISTÃO TÍBIO TENTA EVITAR UM POUCO O PECADO VENIAL, MAS CONSERVA OS “PECADILHOS”; NÃO SE SUBMETE TOTALMENTE A DEUS: QUEM É MUNDANO, CONTINUA MUNDANO; O AMANTE DOS BONS VINHOS E DA BOA VIANDA ASSIM PERMANECE; OS INTRIGANTES, OS FALADORES CONTINUAM A COMETER FALTAS CONTRA A CARIDADE, TRANQÜILAMENTE. EM SUMA, A TÍBIO VIVE AINDA EM ESTADO DE GRAÇA, MAS DE MANEIRA LÂNGUIDA, PREGUIÇOSA; DEIXA-SE LEVAR PELAS EMOÇÕES DO MOMENTO, SEJAM ELAS A PIEDADE, A CÓLERA OU OUTRA PAIXÃO QUALQUER. ELE SENTE O FUROR DE VIVER... ESTÁ SATISFEITO DEMAIS CONSIGO. QUAIS SÃO AS CAUSAS DESTA DOENÇA DA TIBIEZA? CONVÉM DISTINGUIR DUAS FASES DA VIDA: A JUVENTUDE E A MADUREZA, AINDA QUE NO FUNDO AS CAUSAS PROFUNDAS SEJAM IDÊNTICAS, NÃO IMPORTA A IDADE. 1) NA JUVENTUDE, HÁ DE SE APONTAR SOBRETUDO A DISSIPAÇÃO E A IMAGINAÇÃO, A DISPERSÃO. A DISSIPAÇÃO É NATURAL, DIRIA QUASE NORMAL, ENTRE OS JOVENS, SOBRETUDO EM NOSSA ÉPOCA. QUEREM VER TUDO, ESCUTAR TUDO, CONHECER TUDO. DAÍ O PRESTÍGIO DO AUDIOVISUAL, QUE FAVORECE ESSA TENDÊNCIA NATURAL. ELA TORNA DIFÍCIL O RECOLHIMENTO, A ORAÇÃO CONCENTRADA, AMBOS NECESSÁRIOS PARA O PROGRESSO NA VIDA ESPIRITUAL. DAÍ A SABEDORIA DA IGREJA AO INSTITUIR PEQUENOS SEMINÁRIOS, PARA PERMITIR O MELHOR DESENVOLVIMENTO, MAIS RÁPIDO E SEGURO, DA ALMA DAS CRIANÇAS. A IMAGINAÇÃO É A SEGUNDA CAUSA DA TIBIEZA: ÀS VEZES A EMOTIVIDADE ILUDE, E POR VEZES CHEGA A ENGANAR OS DIRETORES ESPIRITUAIS. A IMAGINAÇÃO PODE DAR ARES DE PROFUNDIDADE A UM PADRE QUE, EM VERDADE, É DISTRAÍDO. OUTRAS VEZES, OS JOVENS CONSTROEM ILUSÕES SOBRE O PORVIR, SOBRE SEUS FUTUROS TRIUNFOS. NÃO ESTANDO SUFICIENTEMENTE MADUROS PARA SE AFASTAREM DO AMBIENTE E DOMINÁ-LO, MUITOS JOVENS SE DEIXAM DOMINAR POR ELE, COMO A FOLHA QUE O VENTO CARREGA; ISSO EXPLICA O SUCESSO DAS MODAS – AS ROUPAS, AS MÚSICAS E OUTRAS MAIS. DAÍ VEM A TIBIEZA RELIGIOSA, ADMITINDO-SE QUE AINDA EXISTAM CRISTÃOS PIOS, POIS QUE A VIDA DO DISCÍPULO FERVOROSO DO CRISTO EXIGE ESFORÇOS, RECOLHIMENTO, UM CERTO DISTANCIAMENTO DO MUNDO: MUITOS MEMBROS DA AÇÃO CATÓLICA NÃO ENTENDERAM ISSO, E ENTÃO, EM VEZ DE CONVERTER O PRÓXIMO, POUCO A POUCO CONVERTERAM-SE AO MUNDO, POR ASSIM DIZER; UM BOM NÚMERO DENTRE ELES SE TORNARAM MARXISTAS. SÃO OS CRISTÃOS CAMALEÕES. 2) NA MADUREZA, É PRECISO ASSINALAR COMO CAUSA ESPECIAL DA TIBIEZA A AMBIÇÃO E A VIDA MUITO ATAREFADA. AMIÚDE ELEVAM A AMBIÇÃO AO POSTO DE VIRTUDE, POR CAUSA DA PROPAGANDA COMERCIAL E DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO. HOJE, É INADMISSÍVEL QUE UM HOMEM ACEITE SEU ESTADO DE VIDA: ELE DEVE SUBIR NA HIERARQUIA SOCIAL, E PARA ISSO, GANHAR MAIS. NESTE PASSO, DEPARAMO-NOS COM A PROIBIÇÃO DO CRISTO: “NÃO PODEIS SERVIR A DEUS E A MAMON” . E TANTO PIOR QUE DESTA AMBIÇÃO EXCESSIVA E MATERIALISTA DECORRE UMA VIDA MUITO ATAREFADA: QUANTAS VEZES OBSERVEI EU NA ARGENTINA PESSOAS QUE BATALHAVAM EM DUAS TRINCHEIRAS DIFERENTES: UM COMÉRCIO OU REPRESENTAÇÃO, E MAIS UM EMPREGO NA ESTRADA DE FERRO OU UM CARGO DE PROFESSOR. MUITOS ARGENTINOS SÓ TÊM UMA AMBIÇÃO: GANHAR MAIS, TER SUCESSO, POSSUIR UM CARRO, QUE MAIS? AS PREOCUPAÇÕES ESPIRITUAIS NÃO OCUPAM MAIS UM LUGAR DE VULTO EM SUAS VIDAS – AINDA QUE DIREITA E HONESTA – MUITO APEGADAS A ESTA TERRA. PODERÍAMOS AINDA CONTINUAR POR BASTANTE TEMPO O ESTUDO DAS CAUSAS DA TIBIEZA ENTRE CRISTÃOS PIOS: O ORGULHO, A FALTA DA VERDADEIRA CARIDADE, I. É, O EGOÍSMO ETC., TUDO LEVA À TIBIEZA. OS REMÉDIOS TAMBÉM SÃO FÁCEIS DE SE INDICAR, MAS MENOS FÁCEIS DE SE TOMAR, POIS: “O REINO DE DEUS PADECE VIOLÊNCIA, E SÃO OS VIOLENTOS QUE ENTRAM NELE”. ANTES DO MAIS, É FORÇOSO ORGANIZAR A VIDA DE PIEDADE, ADOTAR UMA NORMA DE VIDA, HÁBITOS RIGOROSOS, SE NÃO, A VIDA DEPENDERÁ DO CAPRICHO DO MOMENTO. POR EXEMPLO, A ORAÇÃO DE JOELHOS, DE MANHÃ E À NOITE, COM DURAÇÃO SUFICIENTE, RESPEITOSA, SÉRIA, DEVOTA. É DIZER QUE EXISTEM CRISTÃOS, QUE SE TEM NA CONTA DE BONS CRISTÃOS, E NÃO ORAM REGULARMENTE NEM DE MANHÃ NEM À NOITE! CONTUDO, ISSO É O MÍNIMO QUE SE EXIGE... SÃO COM CERTEZA TÍBIOS. O EXAME DE CONSCIÊNCIA DEVE SEMPRE ESTAR PRESENTE NA VIDA DE PIEDADE DUM CRISTÃO FERVOROSO, A CADA NOITE; O ROSÁRIO, A CADA DIA; E SE POSSÍVEL FOR, UNS QUINZE MINUTOS OU MEIA HORA DE MEDITAÇÃO OU ORAÇÃO; OU ENTÃO A LEITURA COTIDIANA DE ALGUMAS PASSAGENS DO NOVO TESTAMENTO OU DUM LIVRO DE ESPIRITUALIDADE. EM SEGUIDA, DEVE-SE ALIMENTAR DA SANTA MISSA, E DA SANTA COMUNHÃO E DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA RECEBIDOS PELO MENOS UMA VEZ POR MÊS; AINDA AQUI, HAVERIA MUITO A SE FALAR DA TIBIEZA INCONSCIENTE DE MUITOS CRISTÃOS TRADICIONALISTAS, QUE SE CONTENTAM COM DUAS OU TRÊS CONFISSÕES POR ANO. HÁ MISTER DE SE PREPARAR PARA A SANTA MISSA, O QUE É DIZER CHEGAR ANTES DE SEU COMEÇO. NESTE PONTO, PARECE-ME QUE OS CATÓLICOS INGLESES SÃO MAIS FERVOROSOS; NUNCA OS VI ATRASADOS... ENQUANTO ENTRE NÓS O ATRASO É HABITUAL, PROVA INCONTESTE DE TIBIEZA. GERALMENTE, UM BOM RETIRO É O REMÉDIO DEFINITIVO PARA ESSA DOENÇA, UM QUE DURE UNS CINCO DIAS. NARRA-SE O FATO SEGUINTE DA VIDA DE SÃO BERNARDO: UMA NOITE, ESTAVA ELE NO CORO, RECITANDO O OFÍCIO DIVINO COM SEUS MONGES, QUANDO DE REPENTE VISLUMBROU AO LADO DE CADA UM DELES UM ANJO, CADA QUAL A ESCREVER NUM LIVRO DE REGISTRO. ALGUNS ESCREVIAM EM LETRAS D’OURO; OUTROS, COM LETRAS DE PRATA; OUTROS AINDA, SÓ COM TINTA. HAVIA TAMBÉM OS QUE NADA ESCREVIAM. DEUS, NESTA VISÃO, QUIS COMUNICAR A SÃO BERNARDO A DIFERENÇA DE FERVOR ENTRE OS VÁRIOS MONGES: OS FERVOROSOS E OS MENOS FERVOROSOS; OS QUE TÃO-SÓ PRONUNCIAVAM AS PALAVRAS, SEM DEVOÇÃO; A ÚLTIMA CLASSE ERA A DOS PREGUIÇOSOS, QUE NÃO ORAVAM: ESTAVAM DE CORPO PRESENTE, MAS A ALMA VIAJAVA. A LIÇÃO É EVIDENTE PARA TODOS. COMO ORAMOS? COMO NOS APROXIMAMOS DOS SACRAMENTOS? COMO ASSISTIMOS AO SANTO SACRIFÍCIO DA MISSA? SE O PUDERAM TRANSFORMAR E DISTORCER TÃO A FUNDO, A PONTO DE NÃO MAIS DENOMINÁ-LO DE SACRIFÍCIO, MAS UMA EUCARISTIA, UMA REFEIÇÃO, COMO QUERIA LUTERO, NÃO FOI POR CAUSA DE NOSSA TIBIEZA PASSADA, DA TIBIEZA DE MILHÕES E MILHÕES DE CRISTÃOS? ESTAMOS A IMITAR AQUELA SENHORA QUE SE LASTIMAVA COM MONSENHOR DE LA MOTTE, BISPO DE AMIENS, DA DURAÇÃO EXCESSIVA DA MISSA PAROQUIAL. RESPONDEU-LHE O PRELADO: “SENHORA, SE ACHAIS A MISSA EXCESSIVAMENTE LONGA, TALVEZ SEJA A VOSSA PIEDADE EXCESSIVAMENTE CURTA.” QUE NÃO SE REPITA CONOSCO O MESMO, SE QUISERMOS CRESCER NA VIDA ESPIRITUAL, NO AMOR DE DEUS QUE PODE, POR SI SÓ, CONTENTAR NOSSA ALMA PLENAMENTE, NESTE E NO OUTRO MUNDO

LITURGIA DO DIA 28 DE JUNHO DE 2012

PRIMEIRA LEITURA: 2º REIS 24, 8-17

SANTO IRINEU , BISPO E MÁRTIR , (VERMELHO, PREF. COMUM OU DOS SANTOS - OFÍCIO DA MEMÓRIA) -LEITURA DO SEGUNDO LIVRO DOS REIS - 8JOAQUIM TINHA DEZOITO ANOS QUANDO COMEÇOU A REINAR, E REINOU DURANTE TRÊS MESES EM JERUSALÉM. SUA MÃE CHAMAVA-SE NOESTA, FILHA DE ELNATÃ, E ERA NATURAL DE JERUSALÉM. 9FEZ O MAL AOS OLHOS DO SENHOR, COMO O TINHA FEITO SEU PAI. 10FOI NESSE TEMPO QUE VIERAM OS HOMENS DE NABUCODONOSOR, REI DE BABILÔNIA, CONTRA JERUSALÉM, E SITIARAM-NA. 11DEPOIS, NABUCODONOSOR VEIO PESSOALMENTE DIANTE DA CIDADE, ENQUANTO SUAS TROPAS A SITIAVAM. 12JOAQUIM, REI DE JUDÁ, FOI TER COM O REI DE BABILÔNIA, ELE E SUA MÃE, SUAS TROPAS, SEUS OFICIAIS E SEUS EUNUCOS; E O REI DE BABILÔNIA O PRENDEU. ISSO FOI NO OITAVO ANO DE SEU REINADO. 13E COMO O SENHOR TINHA ANUNCIADO, LEVOU DALI TODOS OS TESOUROS DO TEMPLO DO SENHOR E DO PALÁCIO REAL, E QUEBROU TODOS OS OBJETOS DE OURO QUE SALOMÃO, REI DE ISRAEL, TINHA FEITO PARA O SANTUÁRIO DO SENHOR. 14LEVOU PARA O CATIVEIRO TODA A JERUSALÉM, TODOS OS CHEFES E TODOS OS HOMENS DE VALOR, AO TODO DEZ MIL, COM TODOS OS FERREIROS E ARTÍFICES; SÓ DEIXOU OS POBRES. 15DEPORTOU JOAQUIM PARA BABILÔNIA, COM SUA MÃE, SUAS MULHERES, OS EUNUCOS DO REI E OS GRANDES DA TERRA. 16TODOS OS HOMENS DE VALOR, EM NÚMERO DE SETE MIL, OS FERREIROS E OS ARTÍFICES, EM NÚMERO DE MIL, E TODOS OS HOMENS APTOS PARA A GUERRA, O REI DE BABILÔNIA OS DEPORTOU PARA BABILÔNIA. 17EM LUGAR DE JOAQUIM, O REI DE BABILÔNIA CONSTITUIU REI SEU TIO MATANIAS, CUJO NOME MUDOU PARA SEDECIAS. - PALAVRA DO SENHOR

SALMO RESPONSORIAL ( SALMO 78 )

REFRÃO: POR VOSSO NOME A VOSSA GLÓRIA, / LIBERTAI-NOS, Ó SENHOR!

1. SALMO DE ASAF. SENHOR, POVOS INFIÉIS INVADIRAM A VOSSA HERANÇA, PROFANARAM O VOSSO SANTO TEMPLO. DE JERUSALÉM FIZERAM UM MONTÃO DE RUÍNAS. OS CORPOS DE VOSSOS SERVOS EXPUSERAM COMO PASTO ÀS AVES, E OS DE VOSSOS FIÉIS ÀS FERAS DA TERRA. - R.

2. RIOS DE SANGUE FIZERAM CORRER EM TORNO DE JERUSALÉM, E NEM SEQUER HAVIA QUEM OS SEPULTASSE. TORNAMO-NOS, PARA NOSSOS VIZINHOS, OBJETOS DE DESPREZO, DE ESCÁRNIO E ZOMBARIA PARA OS POVOS QUE NOS CERCAM. ATÉ QUANDO, SENHOR?... SERÁ ETERNA VOSSA CÓLERA? SERÁ COMO UM BRASEIRO ARDENTE O VOSSO ZELO? - R.

3. DE NOSSOS ANTEPASSADOS ESQUEÇAIS AS CULPAS; VOSSA MISERICÓRDIA VENHA LOGO AO NOSSO ENCONTRO, PORQUE ESTAMOS REDUZIDOS A EXTREMA MISÉRIA. - R.

4. AJUDAI-NOS, Ó DEUS SALVADOR, PELA GLÓRIA DE VOSSO NOME; LIVRAI-NOS E PERDOAI-NOS OS NOSSOS PECADOS PELO AMOR DE VOSSO NOME. - R.

EVANGELHO: MATEUS 7, 21-29

PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO, SEGUNDO MATEUS - NAQUELE TEMPO, 21NEM TODO AQUELE QUE ME DIZ: SENHOR, SENHOR, ENTRARÁ NO REINO DOS CÉUS, MAS SIM AQUELE QUE FAZ A VONTADE DE MEU PAI QUE ESTÁ NOS CÉUS. 22MUITOS ME DIRÃO NAQUELE DIA: SENHOR, SENHOR, NÃO PREGAMOS NÓS EM VOSSO NOME, E NÃO FOI EM VOSSO NOME QUE EXPULSAMOS OS DEMÔNIOS E FIZEMOS MUITOS MILAGRES? 23E, NO ENTANTO, EU LHES DIREI: NUNCA VOS CONHECI. RETIRAI-VOS DE MIM, OPERÁRIOS MAUS! 24AQUELE, POIS, QUE OUVE ESTAS MINHAS PALAVRAS E AS PÕE EM PRÁTICA É SEMELHANTE A UM HOMEM PRUDENTE, QUE EDIFICOU SUA CASA SOBRE A ROCHA. 25CAIU A CHUVA, VIERAM AS ENCHENTES, SOPRARAM OS VENTOS E INVESTIRAM CONTRA AQUELA CASA; ELA, PORÉM, NÃO CAIU, PORQUE ESTAVA EDIFICADA NA ROCHA. 26MAS AQUELE QUE OUVE AS MINHAS PALAVRAS E NÃO AS PÕE EM PRÁTICA É SEMELHANTE A UM HOMEM INSENSATO, QUE CONSTRUIU SUA CASA NA AREIA. 27CAIU A CHUVA, VIERAM AS ENCHENTES, SOPRARAM OS VENTOS E INVESTIRAM CONTRA AQUELA CASA; ELA CAIU E GRANDE FOI A SUA RUÍNA. 28QUANDO JESUS TERMINOU O DISCURSO, A MULTIDÃO FICOU IMPRESSIONADA COM A SUA DOUTRINA. 29COM EFEITO, ELE A ENSINAVA COMO QUEM TINHA AUTORIDADE E NÃO COMO OS SEUS ESCRIBAS. - PALAVRA DA SALVAÇÃO

MENSAGEM DO DIA 25/02/2006 - ”QUERIDOS FILHOS, NESTE TEMPO DE GRAÇA QUARESMAL VOS CONVIDO A ABRIREM SEUS CORAÇÕES AOS DONS QUE DEUS DESEJA DAR-LHES. NÃO FIQUEM FECHADOS, MAS COM A ORAÇÃO E A RENÚNCIA DIGAM SIM A DEUS E ELE VOS DARÁ EM ABUNDÂNCIA. COMO NA PRIMAVERA A TERRA SE ABRE A SEMENTE E PRODUZ O CÊNTUPLO ASSIM O VOSSO PAI CELESTE VOS DARÁ EM ABUNDÂNCIA. EU ESTOU COM VOCÊS E VOS AMO, FILHINHOS, COM TERNO AMOR. OBRIGADA POR TEREM CORRESPONDIDO A MEU APELO” – MENSAGEM DE NOSSA SENHORA EM MEDJUGORJE

A IGREJA CELEBRA HOJE , SANTO IRINEU - CELEBRAMOS A MEMÓRIA DO GRANDE BISPO E MÁRTIR, SANTO IRINEU QUE, PELOS SEUS ESCRITOS, TORNOU-SE O MAIS IMPORTANTE DOS ESCRITORES CRISTÃOS DO SÉCULO II. NASCIDO NA ÁSIA MENOR, FOI DISCÍPULO DE SÃO POLICARPO, QUE POR SUA VEZ CONVIVEU DIRETAMENTE COM O APÓSTOLO SÃO JOÃO, O EVANGELISTA. AO SER ORDENADO POR SÃO POLICARPO, IRINEU FOI PARA A FRANÇA E ASSUMIU VÁRIAS FUNÇÕES DE SERVIÇO À IGREJA DE CRISTO (QUE CRESCIA EM NÚMERO DE COMUNIDADES E NECESSIDADE DE PASTOREIO). IMPORTANTE CONTRIBUIÇÃO DEU À IGREJA DO ORIENTE QUANDO FOI EM MISSÃO DE PAZ PARA UM DIÁLOGO COM O PAPA ELEUTÉRIO SOBRE A FALTA DE UNIDADE NA DATA DA CELEBRAÇÃO DA PÁSCOA, POIS O ORIENTE CORRIA AO RISCO DE EXCOMUNHÃO, SENDO FIEL AO SIGNIFICADO DO SEU PRÓPRIO NOME – PORTADOR DA PAZ – LOGROU ÊXITO NESSA MISSÃO, JÁ QUE ISTO NADA INTERFERIA NA UNIDADE DA FÉ. AO VOLTAR DA MISSÃO DEPAROU-SE COM A MORTE DO BISPO POTINO, O QUAL O HAVIA ENVIADO PARA ROMA E, SENDO ASSIM, FOI ELE O ESCOLHIDO PARA SUCESSOR DO EPISCOPADO DE LIÃO. ERUDITO, SIMPLES, ORANTE E ZELOSO BISPO, FOI SANTO IRINEU QUEM ESCREVEU CONTRA OS HEREGES, SOBRE A SUCESSÃO APOSTÓLICA E MUITO DOS DADOS QUE TEMOS HOJE, SOBRE A HISTÓRIA DA IGREJA DO SÉCULO II. ESTE GRANDE BISPO MORREU MÁRTIR NA PERSEGUIÇÃO DO IMPERADOR SEVERO. SANTO IRINEU, ROGAI POR NÓS!

Chiara Corbela Petrillo: uma nova Gianna Beretta Molla

Posted: 27 Jun 2012 01:49 PM PDT

Neste sábado, na igreja de Santa Francisca Romana, da capital italiana, foi celebrado o funeral da jovem Chiara Petrillo, falecida depois de dois anos de sofrimento provocado por um tumor.

A cerimônia não teve nada de fúnebre: foi uma grande festa em que participaram cerca de mil pessoas, lotando a igreja, cantando e aplaudindo desde a entrada do caixão até a saída.

A extraordinária história de Chiara se difundiu pela internet com um vídeo no YouTube, que registrou mais de 500 visualizações em apenas um dia.

A luminosa jovem romana de 28 anos, com o sorriso sempre nos lábios, morreu porque escolher adiar o tratamento que podia salvá-la. Ela preferiu priorizar a gravidez de Francisco, um menino desejado desde o começo de seu casamento com Enrico.

Não era a primeira gravidez de Chiara. As duas anteriores acabaram com a morte dos bebês logo após cada parto, devido a graves malformações.

Sofrimentos, traumas, desânimo. Chiara e Enrico, porém, nunca se fecharam para a vida. Depois de algum tempo, chegou Francisco.

As ecografias agora confirmavam a boa saúde do menino, mas, no quinto mês, Chiara teve diagnosticada pelos médicos uma lesão na língua. Depois de uma primeira intervenção, confirmou-se a pior das hipóteses: era um carcinoma.

Começou uma nova série de lutas. Chiara e o marido não perderam a fé. Aliando-se a Deus, decidiram mais uma vez dizer sim à vida.

Chiara defendeu Francisco sem pensar duas vezes e, correndo um grave risco, adiou seu tratamento para levar a maternidade adiante. Só depois do parto é que a jovem pôde passar por uma nova intervenção cirúrgica, desta vez mais radical. Vieram os sucessivos ciclos de químio e radioterapia.

Francisco nasceu sadio no dia 30 de maio de 2011. Mas Chiara, consumida até perder a vista do olho direito, não conseguiu resistir por mais do que um ano. Na quarta-feira passada, por volta do meio dia, rodeada de parentes e de amigos, a sua batalha contra o dragão que a perseguia, como ela definia o tumor em referência à leitura do apocalipse, terminou.

Mas na mesma leitura, que não foi escolhida por acaso para a cerimônia fúnebre, ficamos sabendo também que uma mulher derrota o dragão. Chiara perdeu um combate na terra, mas ganhou a vida eterna e deixou para todos um testemunho verdadeiro de santidade.

“Uma nova Gianna Beretta Molla”, definiu-a o cardeal vigário de Roma, Agostino Vallini, que prestou homenagem pessoalmente a Chiara, a quem conhecera havia poucos meses, juntamente com Enrico.

“A vida é um bordado que olhamos ao contrário, pela parte cheia de fios soltos”, disse o purpurado. “Mas, de vez em quando, a fé nos faz ver a outra parte”. É o caso de Chiara, segundo o cardeal: “Uma grande lição de vida, uma luz, fruto de um maravilhoso desígnio divino que escapa ao nosso entendimento, mas que existe”.

“Eu não sei o que Deus preparou para nós através desta mulher”, acrescentou, “mas certamente é algo que não podemos perder. Vamos acolher esta herança que nos lembra o justo valor de cada pequeno gesto do cotidiano”.

“Nesta manhã, estamos vendo o que o centurião viveu há dois mil anos, ao ver Jesus morrer na cruz e proclamar: Este era verdadeiramente o filho de Deus”, afirmou em sua homilia o jovem franciscano frei Vito, que assistiu espiritualmente Chiara e a família no último período.

“A morte de Chiara foi o cumprimento de uma prece. Depois do diagnóstico de 4 de abril, que a declarou doente terminal, ela pediu um milagre: não a própria cura, mas o milagre de viver a doença e o sofrimento na paz, junto com as pessoas mais próximas”.

“E nós”, prosseguiu frei Vito, visivelmente emocionado, “vimos morrer uma mulher não apenas serena, mas feliz”. Uma mulher que viveu desgastando a vida por amor aos outros, chegando a confiar a Enrico: “Talvez, no fundo, eu não queira a cura. Um marido feliz e um filho sereno, mesmo sem ter a mãe por perto, são um testemunho maior do que uma mulher que venceu a doença. Um testemunho que poderia salvar muitas pessoas…”.

A esta fé, Chiara chegou pouco a pouco, “seguindo a regra assumida em Assis pelos franciscanos que ela tanto amava: pequenos passos possíveis”. Um modo, explicou o frade, “de enfrentar o medo do passado e do futuro perante os grandes eventos, e que ensina a começar pelas coisas pequenas. Nós não podemos transformar a água em vinho, mas podemos começar a encher os odres. Chiara acreditava nisto e isto a ajudou a viver uma vida santa e, portanto, uma morte santa, passo a passo”.

Todas as pessoas presentes levaram da igreja uma plantinha, por vontade de Chiara, que não queria flores em seu funeral. Ela preferia que cada um recebesse um presente. E no coração, todos levaram um “pedacinho” desse testemunho, orando e pedindo graças a esta jovem mulher que, um dia, quem sabe, será chamada de beata Chiara Corbela.

Fonte: Zenit.

Transcrição direta do email recebido há pouco de TELEFONE ESPERANÇA PORTUGAL

para conhecimento dos meus eventuais leitores.

PARA LER E MEDITAR

 

ANTÓNIO FONSECA

28-6-12  -  23,15 HORAS

União de Blogs Católicos

União de Blogs Católicos

Nº 1330 – 2ª Página – CARTAS DE SÃO PAULO – Carta aos Filipenses - 28 de Junho de 2012 – (Quinta-feira)

antoniofonseca1940@hotmail.com

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

Como afirmei inicialmente, Envolvi-me nesta tarefa, pois considero ser um trabalho interessante, pois servirá para que vivamos mais intensamente a Vida de Jesus Cristo que se encontra sempre presente na nossa existência, mas em que poucos de nós (eu, inclusive) tomam verdadeira consciência da sua existência e apenas nos recordamos quando ouvimos essas palavras na celebração dominical e SOMENTE quando estamos muito atentos, porque não acontecendo assim, não fazemos a mínima ideia do que estamos ali a ouvir e daí, o desconhecimento da maior parte dos cristãos do que se deve fazer para seguir o caminho até Ele.

Como Jesus Cristo disse, aos Apóstolos, no dia da sua Ascensão ao Céu:

IDE POR TODO O MUNDO E ENSINAI TODOS OS POVOS”.

É apenas isto que eu estou tentando fazer. AF.

+++++++++++++++++++++++

Nº 1330 - 2ª Página

28 de Junho de 2012

CARTAS DE S. PAULO

S.-Paulo_thumb_thumb1_thumb_thumb_th

CARTA AOS FILIPENSES

4 

Portanto, meus queridos e saudosos irmãos, alegria e coroa minha, permanecei assim firmes no Senhor, caríssimos.

Unidade, alegria e paz – Recomendo a Evódia e a Sintique que tenham os mesmos sentimentos no Senhor. E a ti, fiel companheiro, peço-te que as ajudes, pois trabalham comigo no Evangelho, com Clemente e com os outros meus colaboradores, cujos nomes estão inscritos no livro da vida.

Alegrai-vos sempre no Senhor, repito, alegrai-vos. Que a vossa mansidão seja notória a todos os homens. O Senhor está perto.

Não vos inquieteis por coisa alguma, mas, em todas as circunstâncias, apresentai os vossos pedidos diante de Deus, com muita oração e preces e com ação de graças. A paz de Deus, que sobrepuja todo o entendimento, guardará os vossos corações, e os vossos pensamentos em Jesus Cristo. Quanto ao resto, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, tudo o que é virtuoso e louvável, é o que deveis ter em mente. O que aprendestes, recebestes, ouvistes de mim e vistes em mim é o que deveis praticar. E o Deus da Paz será convosco.

Agradecimento aos Filipenses – Muito me alegrei no Senhor por ter finalmente reflorescido o vosso interesse por mim; é certo que o sentíeis, mas não tínheis ocasião de o manifestar. Não é devido às privações que o digo, pois aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei viver na penúria e sei viver na abundância. Em tudo e em todas as circunstâncias, tenho aprendido a ter fartura  e a ter fome, a ter abundância e a padecer necessidade. Tudo posso n’Aquele que me dá a força. Contudo , fizestes bem em tomar parte na minha tribulação.

Vós bem o sabeis: No início do meu ministério, quando parti da macedónia, nenhuma Igreja comunicou comigo quanto a dar e a receber, senão vós. Já por duas vezes mandaste para a Tessalónica o que me era necessário. Não é que eu procure dádivas; o que procuro é o fruto abundante que delas resultará para vós. Agora que recebi de Epafrodito o que me enviastes, odor perfumado, sacrifício aceite, agradável a Deus. O meu Deus, da Sua parte, proverá com profusão a todas as vossas necessidades conforme as suas riquezas em Jesus Cristo. Glória a Deus, nosso pai, por todos os séculos dos séculos. Ámen.

Saudações finais – Saudai a todos os santos em Cristo Jesus. Os irmãos que estão comigo saúdam-vos. Todos os santos vos saúdam, especialmente os da casa de César. A graça do Senhor Jesus Cristo seja com o vosso espírito.

*************************************************************

Post colocado em 28 de Junho de 2012 – 10,15 horas

ANTÓNIO FONSECA

Prosseguirei esta tarefa, amanhã se Deus quiser, já com a CARTA AOS COLOSSENSES. AF

Nº 1330–1ª Página - (180/12) – SANTOS DE CADA DIA – 28 de Junho de 2012 (Quinta-feira) – 4º ano

antoniofonseca1940@hotmail.com
»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
Nº 1330 - 1ª Página – 2012
Imagem3189
»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
 

SANTO IRENEU

Bispo de Lião (202)

Ireneo di Leone

Ireneu, Santo

A 2 de Junho celebramos os mártires de Lião, imolados no ano de 177. Os sobreviventes, impressionados com a perturbação que despertava o movimento profético montanista, nascido na Ásia menor, enviaram cartas aos irmãos da Ásia e da Frígia, assim como a Santo Eleutério, bispo de Roma, papa. E pediram a Ireneu que lhes servisse de embaixador. Veio munido da seguinte recomendação para Eleutério: «Encarregamos o nosso irmão e companheiro, Ireneu, de te entregar esta carta e pedimos-te que lhe deis bom acolhimento, como a zeloso que é pelo testamento de Cristo», «Se pensássemos que o posto cria a justiça, nós havíamos de o apresentar primeiro como sacerdote da Igreja, porque é isso que ele é». O nome de Ireneu deriva da palavra grega que significava «paz». Ireneu recebia uma missão de paz. Sempre seria ele agente de ligação, de união e de paz. A Gália era nessa altura país de missão e não tinha ainda, ao que parece, episcopado indígena. Ireneu, sucessor de Potino em Lião como bispo, nascera na Ásia Menor, talvez em Esmirna, pelos anos de 130-135. Na juventude, conhecera o santo bispo Policarpo. «Posso dizer, escrevia ele uns 30 anos depois, onde o bem-aventurado Policarpo se sentava para falar, como entrava e saía, qual era o carácter da sua vida, o seu físico, as conversas que tinha com o seu povo, como ele contava as suas relações com João e com os outros, que tinham visto o Senhor…». O seu espírito formara-se admirando as «testemunhas do Verbo da vida»; tinha portanto recebido em alto grau o culto da tradição. Compreende-se que as novidades gnósticas, tenham encontrado nele um adversário decidido. A gnose (palavra grega a significar ciência, conhecimento) pretendia oferecer a um escol conhecimentos superiores sobre Deus e o universo. A passagem difícil do infinito ao finito realizava-se, neste sistema, graças a emanações de seres intermediários, os leões, cujos acasalamentos estranhos faziam reviver as teogonias mitológicas. Ireneu escreveu contra a gnose. A refutação da falsa ciência, livro que se chama também Adversus haereses (Contra as heresias). Desculpava-se do seu mau estilo grego: «Vivemos entre os celtas e, na nossa acção junto deles, usamos muitas vezes língua bárbara». Mas o contacto com estes bárbaros, que traziam travada no coração pelo espírito a mensagem, da salvação, era salutar. Para vencer os inovadores, bastava quase revelar as doutrinas que propunham. O emprego da ironia, a propósito de todos estes partos de leões, seria fácil. Mas Ireneu procurava sobretudo converter os gnósticos: «Com toda a nossa alma, estendemos-lhe a mão, e não nos cansaremos de o fazer». Diante das fantasias mórbidas dos adversários, quanto parece simples a sua teologia, sã e optimista: «O Verbo de Deus, impelido pelo imenso amor que nos dedicava, fez-Se o que nós somos para nos fazer o que Ele próprio é». Sem descuidar a teologia, Ireneu expôs com felicidade particular o argumento da tradição: « A tradição dos apóstolos está manifesta no mundo inteiro; basta contemplá-la em qualquer Igreja, para ver a verdade quem quer. Podemos enumerar os bispos que foram instituídos pelos apóstolos, e os sucessores deles até nós; nada ensinaram, nada conheceram que se parecesse com essas loucuras. Porque se os apóstolos tivessem conhecido mistérios escondidos, com os quais tivessem instruído os perfeitos – isolados do resto e no desconhecimento do resto (dos cristãos) – seria sobretudo àqueles a quem entregaram as Igrejas que eles os comunicariam. Exigiam a perfeição absoluta, impecável, daqueles que lhes sucediam e a quem confiavam, em lugar deles, o cargo de ensinar… Levar-nos-ia longe de mais… enumerar os sucessores dos apóstolos em todas as Igrejas; não nos ocuparemos senão da maior e mais antiga, conhecida de todos, da Igreja fundada e constituída em Roma pelos dois gloriosíssimos apóstolos Pedro e Paulo; mostraremos que a tradição, que ela conserva dos apóstolos, e a fé, que ela anunciou aos homens, chegaram até nós, por sucessões regulares de bispos… É com esta Igreja (romana), por causa da autoridade da sua origem, que deve estar de acordo toda a Igreja, isto é, todos os fiéis vindos de toda a parte; e foi nela que todos estes fiéis conservaram a tradição apostólica». Ireneu escreveu também um livrinho, Demonstração da pregação apostólica. Estava perdido, mas foi descoberto em 1904, em tradução arménia. Na controvérsia sobre a data da Páscoa, Ireneu inclinava-se para o costume da Ásia, que festejava a ressurreição no domingo, e não noutro dia. Mas tendia também para salvaguardar a caridade, a tolerância. Procurava conter o papa Vítor, inclinado a excomungar os dissidentes. escrevera: «Não há Deus sem bondade». Finou-se Ireneu pelo ano de 202. Morreu mártir? Há no sentido afirmativo uma indicação do martirológio jeronimiano, outra do próprio S. Jerónimo e outra de S. Gregório de Tours. Os antigos bolandistas propendiam neste sentido; mas nada se pode afirmar ao certo. Santo Ireneu, segundo S. Gregório de Tours, foi enterrado na cripta da basílica de S. João, debaixo do altar; a esta basílica sucedeu uma igreja de Santo Ireneu, que deu o nome a um bairro de Lião. Em 1562, os calvinistas dispersaram as relíquias do santo. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt. Ver também http://es.catholic.net/santoral e www.santiebeati.it

 

Heinrado, Santo
O louco por Cristo

Heinrado

Heinrado, Santo

Etimologicamente significa “protetor de um Estado”. Vem da língua alemã. O Evangelho é levedura que purifica e eleva a quem se deixa levar por sua vida e ensino. Este jovem, originário de Suabia, foi, sem lugar a dúvidas, uma das figuras mais populares em toda a Idade Média. Seus pais eram simples trabalhadores. Não suspeitavam que seu filho inclinasse sua vida pelo sacerdócio. A razão é muito simples: era algo que não se coadunava naqueles ambientes. Mais ou menos como ocorre hoje em dia. Como muitos outros, saiu em peregrinação para Terra Santa. Deve ter ali vivido tão intensamente as pegadas de Cristo, que, à sua volta, lhe puserem por nome “O Louco por Cristo”. Durante quarenta anos, se dedicou a percorrer Alemanha em plano de peregrino. Era tão simples e tão bom que todo o mundo o tratava como ao próprio Jesús. Em suas correrias apostólicas e sacrificadas, se acercou a um mosteiro em Renânia, Alemanha. Quando esteve ante a presença do abade do dito lugar santo, Heinrado o increpou pela sua pouca santidade de vida. E mandou que lhe desse uma paulada. Outra vez em Wesffalia, um cura lhe lançou os cães para que deixasse quanto antes a paróquia. A própria imperatriz Cunegunda ordenou que o açoutassem porque havia dito que ele era irmão do imperador. Quando o castigo tinha terminado, disse a ela:" Temos o mesmo Pai nos céus".Santa Cunegunda o lamentou e lhe pediu perdão. E tal como havia sido, assim morreu; só e abandonado numa cabana.
¡Felicidades a quem leve este nome! Comentários a P. Felipe Santos:
al Santoral">fsantossdb@hotmail.com

 

Vicenta Gerosa, Santa
Co-fundadora

Vincenza Gerosa

Vicenta Gerosa, Santa

Vicenta Gerosa nasceu em Lovere, no ano 1784, sobre o lago de Isso (Lombardia) de família de comerciantes acomodados e prósperos. Foi baptizada com o nome de Catalina Gerosa, sua infância transcorreu parte no colégio, incomodada por vários lutos e vicissitudes políticas. Devia também acostumar-se ao trabalho, mas sua ocupação preferida era recolher a outras jovens para as adestrar em vários trabalhos domésticos e estar juntas em oração. Era de grande proveito para sua alma a presença de dos sacerdotes santos, desejosos de desenvolver as obras de caridade. Lhe chegou um novo impulso com a chegada de Bartolomea Capitanio. Cedo Vicenta foi atraída por seu entusiasmo, e aceitou fundar com ela uma Congregação consagrada à caridade para com os necessitados e particularmente os enfermos. Com anterioridade se havia inscrito na Terceira Ordem franciscana, e do franciscanismo havia aprendido um espírito profundamente evangélico. Con sólo 26 años en 1833 muere Bartolomea Capitanio: su muerte pareció comprometerlo todo; pero Vicenta recibió consejos para continuar y fue así como superando una a una las dificultades de las diversas aprobaciones del gobierno austríaco y de la Iglesia, el 25 de marzo de 1835 se pudo proceder a la vestición en el nuevo Instituto. Desde entonces el Instituto se difundía y las casas se multiplicaban. La gran prueba del cólera en 1836 reveló al pueblo a aquellas nuevas hermanas como verdaderos ángeles de caridad. Sólo en 1841 pudo tener lugar la ceremonia de la profesión religiosa. Vicenta Gerosa viene a ser al primera en el Instituto de las Hermanas de la Caridad de María Niña. No quiso asumir el título de superiora, sino de hermana mayor. Redactó con particular sabiduría las Constituciones del Instituto pensando en la formación espiritual e intelectual de las nuevas hermanas. Sin grandes dotes de ingenio, sin gran cultura, Sor Vicenta Gerosa fue una maravillosa directora de espíritu y una hábil organizadora. Ella conocía al Crucificado, es decir, conocía el secreto del sacrificio, de la paciencia, por lo cual la serenidad y la confianza la acompañaban constantemente. En 1840 una carta apostólica de Gregorio XVI aprobaba el Instituto de Lovere. A la muerte de la hermana mayor, a los 63 años de edad el 20 de junio de 1847, ya se contaban 24 casas del Instituto de las Hermanas de la Caridad de María Niña esparcidas por todo el mundo, desde Palestina hasta América. También esto movió a Pío XII a la canonización de Santa Vicenta el 18 de mayo de 1950.

 

Paulo I, Santo
XCIII Papa

Paulo I - Papa

Pablo I, Santo

Nasceu em Roma em 700, sendo irmão do falecido papa Estevão II e seu colaborador. Era diácono. Morreu em, Roma, em 28 de Junho de 767. Com a morte de Estevão II gerou-se um movimento que pretendia eleger como papa o filo bizantino Teofilato, mas a facção maioritária do clero e nobreza romanos, propensa à aliança com os Francos, elegeu em 29 de Maio de 757, o diácono Paulo, irmão do falecido papa Estevão II. Logo que foi eleito, escreveu ao rei Pepino, o Breve, dando-lhe conta da eleição. O rei respondeu amigavelmente, enviando-lhe uma madeixa de cabelos da sua filha Gisela e rogando-lhe que se dignasse ser seu padrinho. Ao mesmo tempo escreveu à nobreza e ao povo de Roma recomendando total fidelidade a São Pedro, à Igreja e ao papa. A concordância foi unânime e comunicada ao rei, mas para além desta adesão ao papa, o Senado e os magistrados compreenderam a necessidade do apoio ao rei dos Francos, a quem chamaram «patrício romano». Bizâncio, que não abandonava a ideia de reaver a Itália imperial, mostra-se ameaçadora. Paulo I recorda ao rei dos Francos as suas raízes religiosas e, fosse por pressão de Pepino, fosse por desejar ter o rei dos Francos do seu lado, os Longobardos restituem a Roma a as cidades reclamadas, como Paulo I comunicou ao rei em Abril de 764. Pepino renova ao papa a sua fé ortodoxa, confirmada por um concilio particular, de 767, que aprova a discutida veneração das imagens. Paulo I, como fizera seu irmão, dedicou-se ao restauro e construção de alguns edifícios religiosos, como a capela em honra de Santa Petronila, junto à basílica do príncipe dos apóstolos. Como o auxilio de Pepino, salvou e restaurou as catacumbas, devastadas pelos Longobardos, trasladando diversas relíquias dos mártires para as igrejas de Roma. Distinguiu-se pela sua extrema caridade para com os mais necessitados, visitando os encarcerados, usando a sua influência para comutação das penas dos condenados à morte e chegando a pagar as dívidas dos encarcerados para que fossem libertados. A sua bondade foi ao ponto de transformar o palácio que pertencia à família em mosteiro para receber os monges orientais acossados pelos ímpios. Morreu, vítima de febres malignas, em São Paulo Extramuros, sendo trasladado, três meses depois, para a Basílica de São Pedro. Do livro “O PAPADO – 2000 anos de História”, de Mendonça Ferreira e Círculo de Leitores. Ver também www.es.catholic.net e www.santiebeati.it. No Livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt, possivelmente, por lapso. vem indicada a biografia do papa S. Leão II que faleceu 84 anos (!) antes de S. Paulo I. – Este lapso deve ter sido causado pelo facto de Leão II ter falecido em 4 de Junho de 683 e sepultado só… em 28 do mesmo mês… penso eu, pelo que me dispenso de a publicar aqui neste blogue

 

María Pía Mastena, Beata
Fundadora

maria_pia_mastena

María Pía Mastena, Beata

MARÍA PIA MASTENA nasceu em 7 de Dezembro de 1881 em Bovolone, província de Verona. As testemunhas falam dos pais da beata como óptimos cristãos e muito fervorosos na prática religiosa e no exercício da caridade. Dos quatro irmãos, o último, Tarcisio, professou na Ordem dos Capuchinhos e morreu também em odor de santidade. A futura beata recebeu com grande fervor em 19 de Março de 1891 a primeira comunhão, em cuja ocasião emitiu privadamente o voto de castidade. Em 29 de Agosto recebeu o sacramento da Confirmação. Durante sua adolescência frequentou assiduamente as funções religiosas e se comprometeu nas actividades da paróquia, especialmente como catequista. Sentiu cedo a chamada à vida religiosa, continuando seu ideal em que sobressai sua grande devoção à Eucaristía e ao Santo Rosto. Na idade de 14 anos, pediu entrar no convento, mas só em 1901 foi aceite como postulante no Instituto das Irmãs da Misericórdia de Verona. Con el permiso de los Superiores, el 11 de abril de 1903, el mismo día que —sin saberlo— volaba al cielo la mística de Lucca, S. Gema Galgani, pronunció el « voto privado de víctima ». El 29 de septiembre de 1902 vistió el hábito religioso y el 24 de octubre de 1904 emitió los votos religiosos, imponiéndosele el nombre de Sor Passitea del Niño Jesús. La Beata vivió con generosa intensidad espiritual esta primera etapa de su vida religiosa y la recordará siempre como un tiempo de gracia y de bendición, hablando siempre con estima y agradecimiento de los superiores y de las religiosas del instituto Hermanas de la Misericordia. El fervor encontrado en este instituto la moverá a pronunciar más adelante el voto de buscar en todo lo más perfecto. Se dedicó a la enseñanza en diversos lugares de la región véneta, residiendo 19 años en Miañe, dedicándose además a un intenso apostolado entre los alumnos de todas las edades, enfermos e inválidos. Buscando secundar sus anhelos contemplativos, el 15 de abril de 1927, con la autorización de sus superiores y el « nulla osta » de la Santa Sede, entró en el monasterio cisterciense de Veglie. El 15 de noviembre de 1927, animada por el Obispo de Vittorio Veneto, abandonó el Monasterio, volvió a la enseñanza y emprendió la fundación de una nueva Congregación llamada Religiosas del Santo Rostro. Erigida canónicamente el 8 de diciembre de 1936, después de muchos sufrimientos, fue reconocida como Congregación de Derecho Pontificio el 10 de diciembre de 1947. En el futuro toda su actividad la dedicó a consolidar y extender la Congregación, promoviendo nuevas iniciativas en favor de los pobres, de los que sufren y de los enfermos, confiando al Instituto el carisma de « propagar, reparar, restablecer la imagen del dulce Jesús en las almas ». Murió en Roma el 28 de junio de 1951. El 13 de noviembre de 2005 la beatificó S.S. Benedicto XVI. Reproducido con autorización de Vatican.va

Juan (John) Southworth, Santo
Sacerdote e Mártir

Juan (John) Southworth, Santo

Juan (John) Southworth, Santo

Martirológio Romano: Em Londres, em Inglaterra, são Juan Southworth, presbítero e mártir, que, por exercer seu sacerdócio nesse país, teve que suportar cárceres e desterros, e sob Oliverio Cromwell foi condenado a morte. Quando viu o patíbulo preparado em Tyburn, exclamou que era para ele o que foi a cruz para Cristo (1654).Etimologicamente: João = Deus é misericordioso, é de origem hebraica. Nasceu no ano 1592 em Samlesbury, Lancashire, Inglaterra. Estudou e se ordenou na Universidade Inglesa, em Douai, França. Regressou a Inglaterra 13 de Outubro de 1619 para atender aos católicos e lograr conversões. Preso e condenado à morte por sua fé em Lancashire em 1627, esteve em varias prisões. Ouviu a confissão final de Santo Edmundo Arrowsmith justamente uns minutos antes daquele mártir fosse levado ao patíbulo. Através da intercessão de Rainha Henrietta Maria, ele e outros quinze sacerdotes foram postos sob a protecção do embaixador francês e em 11 de Abril de 1630 foi enviado ao desterro em França. Pouco depois, o Padre João regressou a Inglaterra e trabalha com Santo Henry Morse. Eles laboraram incansável e intrepidamente ajudando aos enfermos durante o nascimento da praga de 1636. Foi preso novamente por sua fé em Westminster em 28 de Novembro de 1637. Esteve encarcerado até 16 de Julho de 1640 quando o deixaram em liberdade por suas boas obras em favor dos mais necessitados. Novamente preso em 2 de Dezembro de 1640, foi encontrado culpável do crime de exercer o sacerdócio,e foi condenado à morte. Depois de 14 anos em prisão durante os quais trabalhou e ajudou a qualquer prisioneiro que mostrasse interesse na fé. Em 28 de Junho de 1654, foi enforcado, arrastado e esquartejado em Tyburn. Seus restos foram resgatados pelo embaixador espanhol em Inglaterra e enviados à Universidade Inglesa em Douai. Durante a revolução francesa os restos foram escondidos para evitar sua destruição, e se os reencontrou no ano 1927 e actualmente estão na Catedral de Westminster em Londres. É um dos Quarenta Mártires de Inglaterra e Gales. Foi canonizado em 25 de Outubro de 1970 pelo Papa Paulo VI.

 

Argemiro de Cabra e de Córdoba, Santo
Mártir

- Argimiro de Cabra y de Córdoba, Santo

Argemiro de Cabra e de Córdoba, Santo

Martirológio Romano: Em Córdoba, na província hispânica de Andaluzia, santo Argemiro, mártir, que na perseguição sob os sarracenos em tempo de Mohamed II, sendo monge, e já avançado em idade, foi convidado pelo juiz a negar a Cristo, mas, por perseverar na confissão da fé, foi atormentado no potro e finalmente trespassado por uma lança (856). Etimologia: Argemiro = Exército famoso, vem do germano. Argemiro, nasceu em Egabro, actual Cabra; e morreu em Córdoba, em 28 de Junho de 856. Foi um religioso moçárabe em Al-Andaluz, venerado como santo com o nome de Santo Argemiro ou Santo Argimiro de Cabra. Argimiro foi durante algum tempo censor do emirato em Egabro, e ao afastar-se da administração se retirou a um mosteiro em Córdoba. Foi conduzido ante um juiz acusado de profissão do cristianismo e haver injuriado o profeta Maomé. Após alguns dias detido e encerrado em prisão, foi reconduzido ao juiz que se esforçou em convencê-lo mas não conseguiram fazê-lo mudar de parecer. Foi condenado a ser decapitado, sucedendo o martírio em 28 de Junho de 856, dia em que a Igreja o comemora. Seu corpo permaneceu no patíbulo durante muitos dias até que por ordem do juiz foi trasladado à basílica de Santo Acisclo, perto de seu sepulcro e de Santo Perfeito

 

59920 > Sant' Argimiro di Cordova Martire 28 giugno MR

Argimiro di Cordova
59900 > Sant' Attilio Soldato e martire 28 giugno

Attilio
91710 > Beato Eimerado Sacerdote eremita 28 giugno MR

Beato Eimerado
93307 > San Giovanni Southworth Sacerdote e martire 28 giugno MR

Giovanni Southworth
23500 > Sant' Ireneo di Lione Vescovo e martire 28 giugno - Memoria MR

ireneo_lyon
59930 > Sante Lucia Wang Cheng, Maria Fan Kun, Maria Qi Yu e Maria Zheng Xu Fanciulle cinesi, martiri 28 giugno MR

Lucia Wang Cheng

94423 > San Lupercio Martire 28 giugno

Lupercio

59940 > Santa Maria Du Zhaozhi Martire 28 giugno MR

Maria Du Zhaozhi
91257 > Beata Maria Pia Mastena Fondatrice 28 giugno
Beata Maria Pia Mastena

59910 > Santi Martiri di Alessandria d'Egitto santi martiri Plutarco, Sereno, Eraclíde catecumeno, Erone neofita, e un altro Sereno, Eráide catecumena, Potamiena e Marcella, sua madre 28 giugno MR

Santi Martiri di Alessandria d'Egito (Plutarco, Sereno, Eraclide, Erone, Sereno, Eráide, Potamiena e Marcella
89093 > San Paolo I Papa 28 giugno MR

Paulo I - Papa
94260 > Beato Pietro de Oriona Mercedario 28 giugno

Beato Pietro de Oriona
91468 > Santa Potamiena d’Alessandria 28 giugno

Potamiena d'Alessandria

92933 > Beati Severiano (Severijan) Baranyk e Gioacchino (Jakym) Senkivskyj Sacerdoti e martiri 28 giugno MR

Beato Severiano (Severijan) BaranykBeato Gioacchino (Jakym) Senkivskyj
32700 > Santa Vincenza Gerosa Vergine 28 giugno MR

vicenta_gerosa

00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000

Localização geográfica da sede deste Blogue, no Porto
Viso---mapa_thumb_thumb_thumb_thumb_[2]
http://confernciavicentinadesopaulo.blogspot.com
***************************************************************************************************************
NOTA:
Como podem verificar, existem umas alterações – que aliás, já vinham sendo estudadas há algum tempo, - dado que não me agradava muito a forma como vinha processando estes textos, pelo tempo e pelo trabalho que originava. Assim, a partir de agora e, enquanto “não mudar de ideias”, continuarei a utilizar a recolha dos nomes dos santos através do livro “SANTOS DE CADA DIA” de www.jesuítas.pt, e dos sites http://es.catholic.net/santoral e http://santiebeati.it., os textos (originais, sem tradução) e imagens ali publicados. Independentemente disso, poderei pontualmente efetuar a recolha através de outros sites, que serão referenciados, sempre que os utilizar. Só quando tiver possibilidade é que efetuarei traduções ou transcrições completas – estas, principalmente no caso em que ainda não as tenha efetuado em menções dos anos anteriores.
Quanto aos textos editados por MMI IMP S.r.l./IMP BV – impressa na União Europeia (Ver blogue nº 1153 – 3/1/12) na Coleção de Histórias de Santos que nos inspiraram, intitulada “Pessoas Comuns – Vidas Extraordinárias” também deixarei de os transcrever, embora possa referir os seus nomes
Continuarei ainda, a procurar colocar os nomes por Ordem alfabética (quando isso me for possível, pois de momento, ainda não resolvi o problema que a formatação está causando) – evidentemente após a inserção de um dia especial, dedicado a Jesus Cristo, a Nossa Senhora, Anjos ou algum Santo, em particular, que ocorram em cada dia.
Peço-vos a melhor compreensão e as minhas maiores desculpas e obrigado.
Responsabilidade exclusiva de ANTÓNIO FONSECA
email: antoniofonseca1940@hotmail.com
Obrigado. António Fonseca
Sites utilizados: http://bibliaonline.com.br/acf; http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt/
WWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWW
Porto, 28-6-2012 – 10,00 H
ANTÓNIO FONSECA