OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

Imagens e Frases de Natal Religioso

domingo, 15 de julho de 2012

Nº 1346-2 - IN MEMORIAM do Padre Mário Salgueirinho - 14 de Julho de 2012

NOTA:
Peço imensa esculpa aos meus leitores, pelo facto de apenas hojedia 15 - ser publicado  este texto, que deveria ter saído ontem, o que não sucedeu por não ter sido agendado antecipadamente. Obrigado.
António Fonseca
 
Caros Amigos: (Post para publicação em 14 de Julho de 2012 – 10,30 h).*
(Pde Mário Salgueirinho Barbosa)
Padre Mário Salgueirinho foi para todos nós um ser humano exemplar, uma pessoa marcante e ficam definitivamente as nossas vidas mais pobres sem o seu carácter, bondade e sabedoria.
Que descanse em paz com as honras do Senhor.
18\06\1927 - 29\10\2011
Do livro “Caminhos da Felicidade”
Uma senhora jovem
Há dias, quando cheguei ao meu local de trabalho, vi entrar um homem ainda muito jovem, nervoso, com uma preocupação estranha estampada no rosto. Perguntou-me inquieto:
- Não viu por acaso aqui uma senhora jovem e loura?
- Não, não vi! respondi surpreendido.Mas que se passa?
Ele explicou: «Minha mulher telefonou para casa dizendo que se ia suicidar. Procurei-a já em vários lugares onde costuma estar. Passei por aqui porque sei que ela vinha algumas vezes a esta igreja».
- Esteja calmo! Ela pode ter telefonado numa hora de desespero e, depois de serenar , ter reflectido e abandonado essa ideia.
- Peço-lhe uma oração por ela disse o marido, desaparecendo apressadamente
Eu elevei o pensamento a Deus nessa oração solicitada.

Mas nem sei se aquela senhora transtornada se segurou na berma do abismo do desespero. Não sei se vive ou se morreu..

Sei que a angústia daquele marido era sinal de que amava a mulher.

Sei que nas horas aflitivas do naufrágio existencial a âncora é lançada para o alto, numa prece a Deus.

E sei que há muita gente que é torturada por problemas angustiantes, mas que põe a sua vida nas mãos de Deus, o Senhor da vida.

Nós somos apenas administradores da vida. Não podemos abreviá-la nem eliminá-la, por maior que seja o horizonte.

Deus é um Pai amoroso que abre sempre uma janela inesperadamente a todas as situações, por mais graves e impossíveis que pareçam…

Porto, Dezembro de 1998
Mário Salgueirinho
======================================
Do livro “Dar é receber
A MÃO DA PROFESSORA
Nos Estados Unidos da América do Norte há em cada ano um Dia de Acção de Graças, em que os crentes agradecem a Deus todos os dons concedidos.
Na véspera desse Dia, uma professora da primeira classe do ensino primário mandou seus alunos desdenhar qualquer coisa que exprimisse gratidão.
Pensava que as crianças dos bairros pobres não seriam capazes de encontrar muitas coisas para agradecer. mas ficou surpreendida.
Quando recolheu os trabalhos, ficou admirada com mo desenho tosco do pequeno Douglas, um aluno raquítico e pobre. desenhou uma mão, em traços desajeitados.
Todos os alunos acharam graça ao desenho da mão, abstracto, sem legenda explicativa.
- De quem será esta mão? – interrogou a professora.
- É a mão de Deus que nos dá todas as coisas! – respondeu um aluno.
- É a mão do fazendeiro que nos dá aves e hortaliças! – respondeu outro.
A professora inclinou-se sobre a mesa de Douglas e interrogou-o: – De quem é a mão que desenhaste?

- É a sua mão, professora! – respondeu o pequeno timidamente

A mestra lembrou-se então de que várias vezes no recreio tinha pegado na mão de Douglas, magrinho e desemparado, como fazia a outras crianças. Mas aquele aluno marcou o gesto carinhoso da professora que o tornava um pouco mais feliz. estava ali a expressão dessa gratidão.

O aluno agradecia a manifestação de carinho, que não recebia de ninguém,.

E a professora agradecia a Deus o seu gesto de dar, de bem-fazer, simbolizado naquele desenho infantil.

Afinal, todos temos tantas oportunidades para estender a mão para mitigar o sofrimento dos outros, para transmitir visivelmente um pouco do amor de Deus a alguém; a alguém da nossa casa, do nosso trabalho, de todo o nosso relacionamento.

Porto, Dezembro/2003
Mário Salgueirinho
=========
http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt; http://bibliaonline.com.br/acf
A publicar em:
14-Julho-2012 - 22,30 horas

António Fonseca

Senhora de Medjugorje - 15 de Julho de 2012

Nossa Senhora de Medjugorje


Júlia, a anencéfala que deixou saudades

Posted: 14 Jul 2012 10:56 AM PDT

http://www.providaanapolis.org.br/juliaane.htm

Com a proximidade da sessão em que o Supremo Tribunal Federal votará a ADPF 54 (aborto de anencéfalos), convém assistir ao comovente depoimento dos pais de Júlia, uma criança anencéfala nascida em Anápolis (GO) em 04/03/2010 às 7h30min. Batizei-a logo após o parto. A mãe foi trazida em uma maca para se despedir de sua filha, conforme desejava. A criança morreu cerca de uma hora após o nascimento. Sabiamente, os pais de Júlia tomaram a decisão de amá-la até o último momento, rejeitando a “solução” do aborto que lhes fora proposta. Na transcrição a seguir, procurou-se conservar a linguagem falada, entrecortada por emoções.

Carla, mãe de Júlia:

Descobri no quinto mês de gravidez o problema da Júlia. Quando eu descobri o problema dela, a médica me explicou que poderia ser feito um aborto. Perguntei à médica se poderia continuar com a gravidez. Ela disse que poderia, mas que não tinha necessidade, que eu iria sofrer muito se prosseguisse com a gravidez. E se eu fizesse um aborto, […] iria evitar mais sofrimento para mim. Eu já estava decidida a continuar com a gravidez. Procurei o Pró-Vida de Anápolis para me orientar de alguma coisa. Foi no Pró-Vida que eu descobri o problema de minha filha, que eu entendi o problema dela. Eu sabia que ela não tinha formado o crânio. Até então era só isso. E que não tinha chance nenhuma de vida. Foi através do Pró-Vida que eu vi o relato de outras mães, que eu vi fotos de bebês anencéfalos, e entendi o problema da minha filha. E eu tive uma orientação e uma força muito grande para poder continuar coma minha gravidez. Eu tive um apoio muito grande.

Eu tinha um bebê de quatro meses [de nascido] quando descobri que estava grávida. E no início foi um susto muito grande. Eu estava tão feliz com a gravidez anterior que eu desejava muito essa criança. E ao mesmo tempo eu tinha que me preparar para o desfecho que teria esta outra filha que eu estava esperando. Tentei aproveitar ao máximo a minha gravidez. Pedi muito a Deus que eu queria vê-la antes de ela morrer. Era o meu maior desejo. Poder dar o Batismo para ela, ficar com ela pelo menos um momento que fosse...

Consegui levar minha gravidez até o final. Minha filha morreu uma hora depois do parto. Conheci minha filha. Vi ela viva ainda. É um sentimento que não tenho como explicar. Hoje eu penso nela... Eu queria ter mais tempo ainda com ela. Cada minutinho que eu passei com ela compensou todo o sofrimento que eu tive. Quando eu vi o rosto dela, foi a melhor sensação que eu já tinha sentido na minha vida.

Tenho outros dois filhos. Não tem como explicar. Quando eu olho as fotos da minha filha, quando eu me lembro dela, do meu parto… Como que as pessoas querem tirar... abortar uma criança que... tem tudo? Ela só não ia viver. Eu só não ia ver a minha filha. Mas durante a minha gravidez ela mexia muito, como a minha outra filha, às vezes até mais... [...] Ela morreu uma hora depois do parto. Eu fui para a Santa Casa ganhar neném. Olhar as fotos dela, lembrar dela… Nunca, nunca na minha vida, é uma coisa que não tem como nem pensar a questão de aborto. Não tem como pensar nisso. Como é que uma pessoa consegue?

Quando me cogitaram a ideia de fazer aborto — e foram várias vezes que minha médica tentou — eu não consigo imaginar palavras... Como eu poderia estar hoje se eu tivesse feito aborto da minha filha? É um sentimento, uma coisa que eu não consigo passar pela minha cabeça. Para mim não existe. É uma coisa que não existe.

Mas se tivesse [feito aborto], não me ajudaria em nada. Só iria piorar o sentimento que eu estava. O que ajudou muito foi o tempo que eu passei com minha filha... [...]

Mas tudo que eu pudesse imaginar se eu tivesse tirado... não iria me ajudar em nada e sim [teria] piorado muito mais a minha situação.

Como mãe, a maior satisfação que eu tenho foi o dia em que minha filha nasceu, que eu olhei para ela, que todo o amor que eu tinha por ela, quando eu olhei nela, aquilo me valeu a pena. Valeu e eu viveria tudo de novo se eu pudesse estar mais tempo com ela.

Eu não me arrependo, em momento nenhum de não ter feito aborto. [...] Mãe, ela está aqui para dar a vida e não para estipular uma hora e nem que esse filho tem que viver até aqui e pronto. Ela está dando a vida pelo filho... Se ele tem saúde, se ele vai viver ou não, independente do tempo que ele vai viver, ela vai dar a vida para ele; agora, tirar não.

Eu não me arrependo novamente de não ter feito o aborto. [...]. Eu acho que não tem como uma mãe estipular uma hora até que o filho tenha que viver. Uma mãe nunca vai se arrepender de carregar o filho, passar por uma gravidez, por qualquer dificuldade que seja. A dificuldade maior é saber que eu estipulei até uma hora de meu filho viver: “ele vai viver até aqui porque não vai ser bom para mim”.

Eu acho que a satisfação de uma gravidez, da hora de um parto, independente da hora que o filho vai viver, isso apaga qualquer sofrimento que uma mãe passa.

Kleber, pai de Júlia:

Graças a Deus, a gente conduziu até o final essa gravidez [...].

O aborto é um crime na verdade. As pessoas falam como se fosse uma coisa banal, e não é.

A gente conduziu até o final, graças a Deus, com a ajuda de Deus.

No dia que ela nasceu, a Carla ficou internada, eu acompanhei o enterro da minha filha. E depois que teve o desfecho do enterro, a sensação era de um dever cumprido, consciência limpa, graças a Deus. Acho que a principal lição foi essa: de consciência limpa perante a sociedade e perante Deus principalmente, de não ter feito alguma coisa de errado.

Carla (chorando):

Eu sinto saudade da minha filha... [...] Não tem nada que preencha o espaço dela. Eu tenho dois filhos, mas o lugar dela para mim está lá. Ela é minha terceira filha. Para mim não tem nada que preencha o lugar dela. É a minha filha. É alguém que... Hoje ela estaria com quatro meses. Então a gente lembra: “Hoje ela estaria com um mês, dois meses... E se ela estivesse aqui, como seria?...” A gente se lembra dela como alguém lá em casa. Ela tem um lugar dela para mim e nenhum dos meus filhos substitui ela. A gente pensa como ela estaria hoje... o tamanho com que ela estaria crescendo...

Anápolis, 13 de agosto de 2011.

Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz

Presidente do Pró-Vida de Anápolis

Retiro de 1 dia de Silêncio - Tema: "Seguindo Jesus, encontrando a paz interior"

Posted: 14 Jul 2012 06:27 AM PDT

Venha participar conosco em um dia de Retiro a realizar-se no dia 15/07/2012 das 9:00 às 16:00h, conduzido pelo Pe. Serafim Maria, FMDJ

Tema do retiro será:

"Seguindo Jesus, encontrando a paz interior"

Ser cristão é um caminho, ou melhor, uma peregrinação, um caminhar juntamente com Jesus Cristo. Ir naquela direção que Ele nos indicou e indica”. “Mas de qual direção se trata?” É o caminho da seqüela de Cristo. “O ser humano pode escolher a estrada fácil e evitar qualquer esforço. Pode descer a um nível baixo, para o que é indigno, pode enterrar-se no lodo da mentira e da desonestidade, mas Jesus caminha à nossa frente e caminha em direção ao alto”.
Ele [Jesus] nos conduz para o que é grande, puro, nos conduz para o ar sadio das alturas: para a vida segunda a verdade; para a coragem que não se deixa intimidar pelo palavreado das opiniões dominantes; para a paciência que suporta e sustenta o outro. Nos conduz à disponibilidade para com os que sofrem, para com os abandonados; para a fidelidade que está da parte do outro mesmo quando a situação se torna difícil. Nos conduz ao amor – nos conduz a Deus”.

O retiro será no Mosteiro Menino Jesus, na Av. Antônio Carlos Benjamim dos Santos, 3973, São Paulo, Próximo ao Terminal Varginha, em frente ao Campo do Rivelino, para mainformações, custos, e cadastro entre em contato conosco: 11 5526-2047 retirocmj@terra.com.br

HORÁRIO DA CASA

09h:00 ACOLHIDA E CAFEZINHO

09h:30min TERÇO MEDITADO COM MARIA

10h:00min LANCHE

10h:10min 1ª COLOCAÇÃO

11h:20min ORAÇÃO E MEDITAÇÃO EM SILÊNCIO

12h:00min ANGELUS / ALMOÇO

12h:30min MOMENTO DE LOUVOR

13h:00min 2ª COLOCAÇÃO

14h:00min ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO

14h:45min PREPARAÇÃO PARA MISSA

15h:00min MISSA

15h:50min CAFEZINHO E ENCERRAMENTO

Horários a serem seguidos religiosamente!!!!

AS CONFISSÕES INICIAM APÓS A PRIMEIRA COLOCAÇÃO 11:20HS E TERÃO O SEU TÉRMINO ÀS 13h:00.

OBSERVAÇÕES:

1) O RETIRO SERÁ CONDUZIDO EM UM CLIMA DE SILÊNCIO E MEDITAÇÃO.

2)PARA FAZER UM BOM RETIRO, TENHA COM VOCÊ, CANETA E CADERNO PARA ANOTAÇÕES, COMO TAMBÉM A SAGRADA ESCRITURA.

Com os retiros, pretendemos proporcionar um ambiente de silêncio, para que cada participante faça a experiência profunda do encontro pessoal com o Senhor.

Diz o Senhor: "Te conduzirei a um local solitário e falarei ao teu coração!” (Os 2,14).

Nosso empenho:

Com a ajuda de Nossa Senhora, nos empenhamos em transmitir um pouco da nossa experiência contemplativa e da nossa espiritualidade “Beneditina e Mariana”, embasados na “Palavra de Deus” e nas “Mensagens de Nossa Senhora Rainha da Paz”.

A jornada dos retiros é composta por Pregações, Meditações em silêncio, Adoração ao Santíssimo (conduzida), Oração do Santo Terço e Partilha do Grupo, encerrando com a Santa Missa.

Nosso desejo:

De um modo particular, nos esforçamos para que cada participante possa ser alimentado e convertido pela Palavra de Deus, fazendo o encontro vital com Cristo Palavra Viva que interpela, orienta e plasma o coração humano, e assim transforma-nos em servidores do anúncio evangélico. Pois é Cristo a única palavra e a única resposta para a nossa vida.

Desejamos também que cada participante faça uma profunda experiência com Maria Rainha da Paz, que nos ensina a rezar com o coração e a colocar Jesus no centro de nossas vidas.

O que encontrará:

Temos a certeza que encontrará aqui, um clima de acolhida, silêncio, paz, simplicidade e família e, sobretudo pessoas preparadas para acompanhar espiritualmente os grupos, indicando o caminho da “Escola de Oração e Santidade”. Este é o pedido feito por Nossa Senhora em Medjugorje, e que se encontra em comunhão com o Magistério da Igreja.

DEUS , PORQUÊ SOFREMOS TANTO ? - LITURGIA DIÁRIA , 14 DE JULHO DE 2012

Posted: 13 Jul 2012 07:37 PM PDT

DEUS , PORQUÊ SOFREMOS TANTO ?

“Ó DEUS ETERNO E ONIPOTENTE, QUE OLHAIS A TERRA E A FAZEIS ESTREMECER, PERDOAI AOS QUE VOS TEMEM E SEDE INDULGENTE COM OS QUE VOS IMPLORAM, A FIM DE QUE, DEPOIS DE VERMOS COM TERROR A VOSSA IRA ABALAR OS FUNDAMENTOS DA TERRA, SINTAMOS A VOSSA MISERICÓRDIA REPARAR OS ESTRAGOS PRODUZIDOS. PER DÓMINUM NOSTRUM JESUM CHRISTUM…”

QUEM É O HOMEM DIANTE DE DEUS? A QUEM PERTENCE O PRÓXIMO MINUTO DE SUAS VIDAS? O QUE PODE AJUNTAR A HUMANIDADE EM TORNO DE SI QUE ACRESCENTARÁ UM SÓ CÔVADO NOS SEUS DIAS? PARA QUE “DEUS” SE IRÁ INVOCAR A PROTEÇÃO OU QUANTA RIQUEZA SE PODERÁ ACUMULAR QUE COMPRARÁ SUA SAÚDE, SUA VIDA, SENDO QUE O TEU PRÓXIMO MINUTO DE VIDA NÃO TE PERTENCE? O AMANHÃ NÃO SE SABE SE HAVERÁ PARA NÓS. O MAIS RICO DOS HOMENS NÃO PODE DIZER: - NESTA MANHÃ TENHO CERTEZA QUE VIVEREI DURANTE A TARDE. AS TRÊS PERGUNTAS CLÁSSICAS DA FILOSOFIA: QUEM SOU? DE ONDE VIM? PARA ONDE IREI? A PERGUNTA CLÁSSICA DA ALMA QUE SOFRE: POR QUE DEUS PERMITE O SOFRIMENTO, SENDO ELE BOM? PARA NOSSA CONVERSÃO, PARA QUE SAIBAMOS QUE SOMOS TOTAL E ABSOLUTAMENTE DEPENDENTES D’ELE E QUE NADA QUE FAÇAMOS, NADA QUE PENSEMOS, NADA QUE CONSTRUIRMOS, PODERÁ IMPOR BARREIRAS À LEI NATURAL E DIVINA. AS TRAGÉDIAS VEM DE ENCONTRO AO OCIDENTE E AO ORIENTE; O PRIMEIRO MATERIALISTA, ARROGANTE, MERGULHADO NO CAPITAL, NA CONCORRÊNCIA DESUMANA, NA BUSCA DA PROSPERIDADE; NO CULTO AO CORPO, NO HEDONISMO; O SEGUNDO ATEU, PAGÃO E APÓSTATA E OBSTINADO EM IMITAR O OCIDENTE E SUA BUSCA PELO CAPITAL: UM ORIENTE QUE SE OCIDENTALIZA. DEUS PERMITE A DOR PARA TORNAR CARNE UM CORAÇÃO DE PEDRA, PARA RETIRAR AS TRAVES DOS OLHOS: - EU SOU O SENHOR, NADA EXISTIRIA SEM MIM E SE ALGUÉM ESTÁ VIVO É PORQUE PERMITO ESTE SEU MINUTO DE VIDA. VOLTEMOS NO TEMPO, AO TEMPO DE JÓ E DE SUAS DORES; ELE ESMAGADO POR DEUS QUESTIONA SEU SOFRIMENTO, E ESPECIALMENTE NOS CAPÍTULOS 38, 39 E 40 VEMOS A RESPOSTA DO SENHOR QUE FEZ O CÉU, A TERRA E QUE PERMITE QUE RESPIREMOS ENQUANTO LEMOS E ESCREVEMOS, TRABALHOS E DESCANSAMOS, SEM SABERMOS SE ESTE SERÁ NOSSO ÚLTIMO SUSPIRO NA TERRA: - ONDE ESTAVAS, JÓ, QUANDO LANCEI OS FUNDAMENTOS DA TERRA? FALA, SE ESTÁS INFORMADO DISSO. O DISCURSO DIVINO SE PROLONGA POR VÁRIAS LINHAS E JÓ SE RESIGNA E ACEITA SUAS DORES. ONDE ESTAVAS , QUANDO LANCEI OS FUNDAMENTOS DA TERRA? QUANDO CRIEI AS PLACAS TECTÔNICAS COM MINHA PROVIDÊNCIA PARA GOVERNAR PELA LEI NATURAL O MOVIMENTO DA TERRA? QUANDO AS FIZ PARA SEPARAR OS CONTINENTES UNS DOS OUTROS E FORMAR MEUS POVOS E NAÇÕES? QUEM TU ERAS QUANDO PUS LIMITES AO MAR PARA QUE ORDINARIAMENTE NO NORDESTE DE TEU PAÍS ELE FICASSE CONTIDO PELA TERRA? QUEM FECHOU AS PORTAS DO MAR PARA QUE ELE NÃO INVADISSE O SOLO QUE HABITAIS? ALGUM DIA INDICASTE À AURORA O SEU LUGAR DIZENDO QUE HAVERIA UMA AMANHÃ PARA MUITOS DE TEUS CIDADÃOS? TU FOSTE, ATÉ ÁS FONTES DO MAR COMO EU FUI E CRIEI, CONHECES AS PROFUNDEZAS DO ABISMO DA TERRA ONDE ERGUI OS ALICERCES? QUEM ÉS TU , QUEM SOIS VÓS POVOS DO MUNDO PARA SABER QUANDO IRÃO APARECER, PORVENTURA E POR MEU DESIGNO, AS PORTAS DA MORTE? FALEM-ME SE SABEM DE TUDO ISSO! EU FIXEI O TEMPO DA GRAVIDEZ DAS MULHERES, DA LEOA, DA CORSA. NÃO É A LEOA QUE ALIMENTA SEUS FILHOTES, SOU EU QUE CAÇO A PRESA PARA QUE SEUS FILHOTES SE ALIMENTEM, PORQUE QUANDO ELES GRITAM DE FOME, NÃO GRITAM PARA A LEOA QUE OS GEROU, MAS PARA MIM QUE PERMITO QUE ELA FAÇA SUA CAÇADA QUANDO OS LEÕEZINHOS ANDAM DE UM LADO PARA O OUTRO SEM COMIDA. SOU EU QUE ALIMENTO OS PÁSSAROS, QUE COLOQUEI A NEVE NO ALTO DAS MONTANHAS E FIZ DELA A MORADA DAS CABRAS MALTESAS. QUEM ERAS TU JÓ, HUMANIDADE INTEIRA QUANDO EU DETERMINEI QUEM VIVERÁ OU MORRERÁ, QUANDO A TERRA IRÁ TREMER, QUE PERMITE QUEM COMERÁ OU TERÁ FOME. JÓ SE RESIGNA, TOMA SOBRE SI SUAS DORES. ASSIM FAÇA A HUMANIDADE INTEIRA: NADA SOMOS SEM DEUS, PORQUE ELE PODE FAZER RUIR POR UM SÓ ATO DE VONTADE TODAS AS COLUNAS DA SOCIEDADE QUE HOJE RENUNCIOU O DOMÍNIO SOCIAL DE VOSSO FILHO CRISTO REI E DAQUELAS QUE OBSTINADAMENTE RECUSAM RECEBÊ-LO. POR FIM, DEUS DIZ AO SOFREDOR JÓ: ABAIXA TEU ORGULHO E NÃO REDUZA MINHA JUSTIÇA. SIM, A JUSTIÇA DIVINA É PARA CONTER NOSSO ORGULHO, PORQUE NEM TODA ENGENHARIA, NEM TODO DINHEIRO, NENHUMA PROSPERIDADE SERÁ CAPAZ DE ABRANDAR O PESO DO BRAÇO DE DEUS. FAZER TUDO O POSSÍVEL PARA SALVAR VIDAS É BOM, AMAR A DEUS É SUPREMO. POR QUE O SENHOR PERMITE A DOR? PARA QUE DIGAM QUE EU SOU O SENHOR VOSSO DEUS, QUE DETERMINEI QUE HOUVESSE MAIS UMA DIA DE VIDA NA SUA HISTÓRIA E QUE A QUALQUER MOMENTO O CHAMAREI PARA PRESTAR CONTAS DOS TALENTOS QUE ENTREGUEI PARA TODOS OS HOMENS E MULHERES

LITURGIA DO DIA 14 DE JULHO DE 2012

PRIMEIRA LEITURA: ISAÍAS 6, 1-8

XIV SEMANA COMUM* , (VERDE - OFÍCIO DO DIA) - LEITURA DO LIVRO DO PROFETA ISAÍAS - 1NO ANO DA MORTE DO REI OZIAS, EU VI O SENHOR SENTADO NUM TRONO MUITO ELEVADO; AS FRANJAS DE SEU MANTO ENCHIAM O TEMPLO. 2OS SERAFINS SE MANTINHAM JUNTO DELE. CADA UM DELES TINHA SEIS ASAS; COM UM PAR (DE ASAS) VELAVAM A FACE; COM OUTRO COBRIAM OS PÉS; E, COM O TERCEIRO, VOAVAM. 3SUAS VOZES SE REVEZAVAM E DIZIAM: SANTO, SANTO, SANTO É O SENHOR DEUS DO UNIVERSO! A TERRA INTEIRA PROCLAMA A SUA GLÓRIA! 4A ESTE BRADO AS PORTAS ESTREMECERAM EM SEUS GONZOS E A CASA, ENCHEU-SE DE FUMO. 5AI DE MIM, GRITAVA EU. ESTOU PERDIDO PORQUE SOU UM HOMEM DE LÁBIOS IMPUROS, E HABITO COM UM POVO (TAMBÉM) DE LÁBIOS IMPUROS E, ENTRETANTO, MEUS OLHOS VIRAM O REI, O SENHOR DOS EXÉRCITOS! 6PORÉM, UM DOS SERAFINS VOOU EM MINHA DIREÇÃO; TRAZIA NA MÃO UMA BRASA VIVA, QUE TINHA TOMADO DO ALTAR COM UMA TENAZ. 7APLICOU-A NA MINHA BOCA E DISSE: TENDO ESTA BRASA TOCADO TEUS LÁBIOS, TEU PECADO FOI TIRADO, E TUA FALTA, APAGADA. 8OUVI ENTÃO A VOZ DO SENHOR QUE DIZIA: QUEM ENVIAREI EU? E QUEM IRÁ POR NÓS? EIS-ME AQUI, DISSE EU, ENVIAI-ME. - PALAVRA DO SENHOR

SALMO RESPONSORIAL (SALMO 92)

REFRÃO: REINA O SENHOR, REVESTIU-SE DE ESPLENDOR

1. O SENHOR É REI E SE REVESTIU DE MAJESTADE, ELE SE CINGIU COM UM CINTO DE PODER. A TERRA, QUE COM FIRMEZA ELE ESTABELECEU, NÃO SERÁ ABALADA. - R.

2. O SENHOR É REI E SE REVESTIU DE MAJESTADE, ELE SE CINGIU COM UM CINTO DE PODER. A TERRA, QUE COM FIRMEZA ELE ESTABELECEU, NÃO SERÁ ABALADA. DESDE TODA A ETERNIDADE VOSSO TRONO É FIRME E VÓS, VÓS DESDE SEMPRE EXISTIS. - R.

3. VOSSAS PROMESSAS SÃO SEMPRE DIGNAS DE FÉ, E A VOSSA CASA, SENHOR, É SANTA NA DURAÇÃO DOS SÉCULOS. - R.

EVANGELHO: MATEUS 10, 24-33

PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO, SEGUNDO MATEUS - NAQUELE TEMPO, 24O DISCÍPULO NÃO É MAIS QUE O MESTRE, O SERVIDOR NÃO É MAIS QUE O PATRÃO. 25BASTA AO DISCÍPULO SER TRATADO COMO SEU MESTRE, E AO SERVIDOR COMO SEU PATRÃO. SE CHAMARAM DE BEELZEBUL AO PAI DE FAMÍLIA, QUANTO MAIS O FARÃO ÀS PESSOAS DE SUA CASA! 26NÃO OS TEMAIS, POIS; PORQUE NADA HÁ DE ESCONDIDO QUE NÃO VENHA À LUZ, NADA DE SECRETO QUE NÃO SE VENHA A SABER. 27O QUE VOS DIGO NA ESCURIDÃO, DIZEI-O ÀS CLARAS. O QUE VOS É DITO AO OUVIDO, PUBLICAI-O DE CIMA DOS TELHADOS. 28NÃO TEMAIS AQUELES QUE MATAM O CORPO, MAS NÃO PODEM MATAR A ALMA; TEMEI ANTES AQUELE QUE PODE PRECIPITAR A ALMA E O CORPO NA GEENA. 29NÃO SE VENDEM DOIS PASSARINHOS POR UM ASSE? NO ENTANTO, NENHUM CAI 30ATÉ OS CABELOS DE VOSSA CABEÇA ESTÃO TODOS CONTADOS. 31NÃO TEMAIS, POIS! BEM MAIS QUE OS PÁSSAROS VALEIS VÓS. 32PORTANTO, QUEM DER TESTEMUNHO DE MIM DIANTE DOS HOMENS, TAMBÉM EU DAREI TESTEMUNHO DELE DIANTE DE MEU PAI QUE ESTÁ NOS CÉUS. 33AQUELE, PORÉM, QUE ME NEGAR DIANTE DOS HOMENS, TAMBÉM EU O NEGAREI DIANTE DE MEU PAI QUE ESTÁ NOS CÉUS. - PALAVRA DA SALVAÇÃO

MENSAGEM DO DIA 25 DE JANEIRO DE 2007 - "QUERIDOS FILHOS! COLOQUEM A SAGRADA ESCRITURA NUM LOCAL VISÍVEL EM SUAS FAMÍLIAS E LEIAM-NA. ASSIM CONHECERÃO A ORAÇÃO COM O CORAÇÃO E SEUS PENSAMENTOS ESTARÃO EM DEUS. NÃO ESQUEÇAM QUE VOCÊS SÃO PASSAGEIROS COMO UMA FLOR DO CAMPO, QUE SE VÊ DE LONGE, MAS DESAPARECE NUM INSTANTE. FILHINHOS, ONDE QUER QUE VOCÊS VÃO, DEIXEM UM SINAL DE BONDADE E AMOR, E DEUS OS ABENÇOARÁ COM A ABUNDÂNCIA DE SUAS BÊNÇÃOS. OBRIGADA POR TEREM RESPONDIDO AO MEU CHAMADO!" - MENSAGEM DE NOSSA SENHORA EM MEDJUGORJE

A IGREJA CELEBRA HOJE , SÃO CAMILO DE LÉLLIS - NASCEU NO ANO DE 1550 NA ITÁLIA. FILHO DE PAI MILITAR, TAMBÉM SEGUIU ESSA CARREIRA, MAS NÃO PODE PROSSEGUIR DEVIDO A UM TUMOR EM UM DOS PÉS. RECORREU AO HOSPITAL DE SÃO TIAGO EM ROMA, ONDE VIVEU SUA COMPAIXÃO PELOS OUTROS DOENTES. PORÉM, ELE DEU UM 'SIM' AO PECADO, ENTREGANDO-SE AO VÍCIO DO JOGO, ONDE PERDEU TUDO E FICOU NA MISÉRIA TOTAL. SAIU DO HOSPITAL DEVIDO O SEU TEMPERAMENTO. FOI DE HOSPITAL EM HOSPITAL PARA CUIDAR DE SUA FERIDA, ATÉ BATER NA PORTA DOS FRANCISCANOS CAPUCHINHOS E ALI QUIS TRABALHAR NA OBRA DE DEUS. COM 25 ANOS COMEÇOU O SEU PROCESSO DE CONVERSÃO. NO HOSPITAL EM ROMA, DEUS SUSCITOU NELE A SANTIDADE DE VER NOS DOENTES A PESSOA DE CRISTO E TAMBÉM O CARISMA DOS 'CAMILIANOS'. CAMILO TAMBÉM VIVEU UMA BELA AMIZADE COM SÃO FELIPE NÉRI. ENTROU PARA OS ESTUDOS, FOI ORDENADO SACERDOTE, E VENDO A REALIDADE DOS PEREGRINOS DE ROMA, QUE NÃO TINHAM UMA ASSISTÊNCIA MÉDICA DIGNA, FOI BROTANDO NELE O CARISMA DE SERVIR A CRISTO NA PESSOA DO DOENTE, DO PEREGRINO. E MUITOS SE JUNTARAM A ELE NESSA OBRA. EM CADA SOFREDOR ESTÁ A PRESENÇA DO CRUCIFICADO. SÃO CAMILO PARTIU PARA O CÉU EM 1614. SÃO CAMILO DE LÉLLIS, ROGAI POR NÓS!

Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam

Posted: 13 Jul 2012 11:46 PM PDT

Conta a Irmã Lúcia:

E o anjo, ajoelhando em terra, curvou a fronte até ao chão. Levados por um movimento sobrenatural imitamo-lo e repetimos as palavras que lhe ouvimos pronunciar:
– Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam.
Depois de repetir isto três vezes, ergueu-se e disse:
– Orai assim. Os Corações de Jesus e Maria estão atentos à voz das vossas súplicas.
Na terceira aparição do anjo...
Rezamos aí o terço e a oração que na primeira aparição o Anjo nos tinha ensinado. Estando, pois, aí, apareceu-nos pela terceira vez, trazendo na mão um cálice e sobre ele uma Hóstia, da qual caíam, dentro do cálice, algumas gotas de sangue. Deixando o cálice e a Hóstia suspensos no ar, prostrou-se em terra e repetiu três vezes a oração:
– Santíssima Trindade, Padre, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.
(É bom rezarmos estas orações quando estamos diante do Sacrário, nas Missas ou diante do Santíssimo Sacramento exposto para adoração.)
ORAÇÃO DE NOSSA SENHORA
A vidente Lúcia (Irmã Lúcia) conta que Nossa Senhora em 13 de Julho de 1917 recomendou: “Sacrificai-vos pelos pecadores e dizei muitas vezes, em especial sempre que fizerdes algum sacrifício: Ó Jesus, é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria!”
Na mesma aparição, Nossa Senhora acrescentou:
“Quando rezais o terço, dizei depois de cada mistério: Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno; levai as almas todas para o Céu, principalmente as que mais precisarem”.
CONSAGRAÇÃO AO CORAÇÃO IMACULADO DE MARIA
Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, ao Vosso Coração Imaculado nos consagramos, em ato de entrega total ao Senhor. Por Vós seremos levados a Cristo. Por Ele e com Ele seremos levados ao Pai. Caminharemos à luz da fé e faremos tudo para que o mundo creia que Jesus Cristo é o Enviado do Pai. Com Ele queremos levar o Amor e a Salvação até aos confins do mundo. Sob a proteção do Vosso Coração Imaculado seremos um só povo com Cristo. Seremos testemunhas da Sua ressurreição. Por Ele seremos levados ao Pai, para glória da Santíssima Trindade, a Quem adoramos, louvamos e bendizemos. Amém.

 

Post colocado em 15-7-12  -  12,35 horas

ANTÓNIO FONSECA

Nossa Senhora de Medjugorje - 15 de Julho de 2012

Nossa Senhora de Medjugorje


Bento XVI escreve último livro da obra "Jesus de Nazaré"

Posted: 13 Jul 2012 05:55 AM PDT

O Papa Bento XVI está concluindo o terceiro e último volume da sua obra ‘Jesus de Nazaré’ neste período de férias em Castel Gandolfo, nos arredores de Roma. A notícia foi dada pelo diretor da Sala de Imprensa do Vaticano, Padre Federico Lombardi, nessa quinta-feira, 12, em coletiva de imprensa. Segundo ele, o Papa está trabalhando para "poder terminar" o novo libro, no qual se abordam os chamados "evangelhos de infância". O segundo livro do volume, sobre a fase ligada à morte e ressurreição de Jesus, foi apresentado em março de 2011. “Embora continue, naturalmente, a haver detalhes a discutir, todavia espero que me tenha sido concedido abordar a figura de Nosso Senhor de um modo que possa ser útil a todos os leitores que queiram encontrar Jesus e acreditar n’Ele”, lê-se no prefácio da obra. O primeiro volume de "Jesus de Nazaré" foi publicado em 2007 e é dedicado ao começo da vida pública de Cristo - desde o batismo à transfiguração. Toda a obra começou a ser escrita no verão de 2003, antes da eleição de Joseph Ratzinger como Papa. cançao nova noticias

Sexta Feira VII Semana do Tempo Comum

Posted: 12 Jul 2012 09:14 PM PDT

Laudes V. Vinde, ó Deus em meu auxílio. R. Socorrei-me sem demora. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia. Hino Sois do céu a glória eterna, esperança dos mortais, sois da casta Virgem prole, Unigênito do Pai. Dai àqueles que despertam seja a mente vigilante. Em louvor e ação de graças, nossa voz seja vibrante. Nasce o astro luminoso, nova luz ele anuncia. Foge a noite, foi a treva, vossa luz nos alumia. Nossa mente torne clara, faça a noite cintilar, purifique nosso íntimo até a vida terminar. Cresça a nossa fé primeira dentro em nosso interior; a esperança acompanhe, e maior seja o amor. A vós, Cristo, rei piedoso, e a vós, Pai, glória também com o Espírito Paráclito pelos séculos. Amém. Salmodia Ant. 1 Foi contra vós, só contra vós que eu pequei. Ó meu Deus, misericórdia e compaixão! Salmo 50(51) ouvir: Tende piedade, ó meu Deus! Renovai o vosso espírito e a vossa mentalidade. Revesti o homem novo (Ef 4,23-24). –3 Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! * Na imensidão de vosso amor, purificai-me! –4 Lavai-me todo inteiro do pecado, * e apagai completamente a minha culpa! –5 Eu reconheço toda a minha iniquidade, * o meu pecado está sempre à minha frente. –6 Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei, * e pratiquei o que é mau aos vossos olhos! – Mostrais assim quanto sois justo na sentença, * e quanto é reto o julgamento que fazeis. –7 Vede, Senhor, que eu nasci na iniquidade * e pecador já minha mãe me concebeu. –8 Mas vós amais os corações que são sinceros, * na intimidade me ensinais sabedoria. –9 Aspergi-me e serei puro do pecado, * e mais branco do que a neve ficarei. –10 Fazei-me ouvir cantos de festa e de alegria, * e exultarão estes meus ossos que esmagastes. –11 Desviai o vosso olhar dos meus pecados * e apagai todas as minhas transgressões! –12 Criai em mim um coração que seja puro, * dai-me de novo um espírito decidido. –13 Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, * nem retireis de mim o vosso Santo Espírito! –14 Dai-me de novo a alegria de ser salvo * e confirmai-me com espírito generoso! –15 Ensinarei vosso caminho aos pecadores, * e para vós se voltarão os transviados. –16 Da morte como pena, libertai-me, * e minha língua exaltará vossa justiça! –17 Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar, * e minha boca anunciará vosso louvor! – –18 Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, * e, se oferto um holocausto, o rejeitais. –19 Meu sacrifício é minha alma penitente, * não desprezeis um coração arrependido! –20 Sede benigno com Sião, por vossa graça, * reconstruí Jerusalém e os seus muros! –21 E aceitareis o verdadeiro sacrifício, * os holocaustos e oblações em vosso altar! – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Foi contra vós, só contra vós que eu pequei. Ó meu Deus, misericórdia e compaixão! Ant. 2 Conhecemos nossas culpas, pois pecamos contra vós. Cântico Jr 14,17-21 Lamentação em tempo de fome e de guerra O Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho! (Mc 1,15).–17 Os meus olhos, noite e dia, * chorem lágrimas sem fim; = pois sofreu um golpe horrível, † foi ferida gravemente * a virgem filha do meu povo! –18 Se eu saio para os campos, * eis os mortos à espada; – se eu entro na cidade, * eis as vítimas da fome! = Até o profeta e o sacerdote † perambulam pela terra * sem saber o que se passa. –19 Rejeitastes, por acaso, * a Judá inteiramente? – Por acaso a vossa alma * desgostou-se de Sião? – Por que feristes vosso povo * de um mal que não tem cura? – Esperávamos a paz, * e não chegou nada de bom; – e o tempo de reerguer-nos, * mas só vemos o terror! =20 Conhecemos nossas culpas † e as de nossos ancestrais, * pois pecamos contra vós! – Por amor de vosso nome, * ó Senhor, não nos deixeis! –21 Não deixeis que se profane * vosso trono glorioso! – Recordai-vos, ó Senhor! * Não rompais vossa Aliança! – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Conhecemos nossas culpas, pois pecamos contra vós. Ant. 3 O Senhor, somente ele é nosso Deus, e nós somos o seu povo e seu rebanho. Salmo 99(100) ouvir: A alegria dos que entram no templo O Senhor ordena aos que foram salvos que cantem o hino de vitória (Sto. Atanásio). =2 Aclamai o Senhor, ó terra inteira, † servi ao Senhor com alegria, * ide a ele cantando jubilosos! =3 Sabei que o Senhor, só ele, é Deus, † Ele mesmo nos fez, e somos seus, * nós somos seu povo e seu rebanho. – =4 Entrai por suas portas dando graças, † e em seus átrios com hinos de louvor; * dai-lhe graças, seu nome bendizei! =5 Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, † sua bondade perdura para sempre, * seu amor é fiel eternamente! – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. O Senhor, somente ele é nosso Deus, e nós somos o seu povo e seu rebanho. Leitura breve 2Cor 12,9b-10 De bom grado, eu me gloriarei das minhas fraquezas, para que a força de Cristo habite em mim. Eis por que eu me comprazo nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições e nas angústias sofridas por amor a Cristo. Pois, quando eu me sinto fraco, é então que sou forte. Responsório breve R. Fazei-me cedo sentir, * Ó Senhor, vosso amor! R.Fazei-me. V. Indicai-me o caminho, que eu devo seguir. * Ó Senhor. Glória ao Pai. R. Fazei-me. CÂNTICO EVANGÉLICO(BENEDICTUS) Lc 1,68-79 Ant. O Senhor visitou o seu povo e o libertou. O Messias e seu Precursor–68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, * porque a seu povo visitou e libertou; –69 e fez surgir um poderoso Salvador * na casa de Davi, seu servidor, –70 como falara pela boca de seus santos, * os profetas desde os tempos mais antigos, –71 para salvar-nos do poder dos inimigos * e da mão de todos quantos nos odeiam. –72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, * recordando a sua santa Aliança –73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, * de conceder-nos 74 que, libertos do inimigo, = a ele nós sirvamos sem temor † 75 em santidade e em justiça diante dele, * enquanto perdurarem nossos dias. =76 Serás profeta do Altíssimo, ó menino, † pois irás andando à frente do Senhor * para aplainar e preparar os seus caminhos, –77 anunciando ao seu povo a salvação, * que está na remissão de seus pecados; –78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, * que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,–79 para iluminar a quantos jazem entre as trevas * = e na sombra da morte estão sentados e para dirigir os nossos passos, * guiando-os no caminho da paz. – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. O Senhor visitou o seu povo e o libertou. Preces Levantemos o nosso olhar para Cristo que nasceu, morreu e ressuscitou pelo seu povo; e peçamos com fé: R. Salvai, Senhor, os que remistes com o vosso sangue! Nós vos bendizemos, Jesus, Salvador da humanidade, que não hesitastes em sofrer por nós a paixão e a cruz, – e nos remistes com o vosso sangue precioso.R. Vós, que prometestes dar aos vossos fiéis a água que jorra para a vida eterna,– derramai o vosso Espírito sobre todos os homens e mulheres. R. Vós, que enviastes vossos discípulos para pregar o evangelho a todas as nações,– ajudai-nos a proclamar pela terra inteira a vitória da vossa cruz. R. Aos doentes e infelizes que associastes aos sofrimentos da vossa paixão, – concedei-lhes força e paciência.R. Pai nosso... ouvir: Oração Pai todo-poderoso, derramai vossa graça em nossos corações para que, caminhando à luz dos vossos preceitos, sigamos sempre a vós, como Pastor e Guia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Conclusão da Hora O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Amém. Hora Média introdução ouvir: V. Vinde, ó Deus em meu auxílio. R. Socorrei-me sem demora. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia. HINO Cumprindo o ciclo tríplice das horas, louvemos ao Senhor de coração, cantando em nossos salmos a grandeza de Deus, que é Uno e Trino em perfeição. A exemplo de São Pedro, nosso mestre, guardando do Deus vivo e verdadeiro, em almas redimidas, o mistério, sinal de salvação ao mundo inteiro, também salmodiamos no espírito, unidos aos apóstolos do Senhor, e assim serão firmados nossos passos na força de Jesus, o Salvador. Louvor ao Pai, autor de toda a vida, e ao Filho, Verbo Eterno, Sumo Bem, unidos pelo amor do Santo Espírito, Deus vivo pelos séculos. Amém. Salmodia Ant. 1 Nós o vimos desprezado e sem beleza, homem das dores, habituado ao sofrimento. Salmo 21(22) Aflição do justo e sua libertação Jesus deu um forte grito: Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? (Mt 27,46). I ouvir:–2 Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes? * E ficais longe de meu grito e minha prece? –3 Ó meu Deus, clamo de dia e não me ouvis, * clamo de noite e para mim não há resposta! –4 Vós, no entanto, sois o santo em vosso Templo, * que habitais entre os louvores de Israel. –5 Foi em vós que esperaram nossos pais; * esperaram e vós mesmo os libertastes. –6 Seu clamor subiu a vós e foram salvos; * em vós confiaram e não foram enganados. –7 Quanto a mim, eu sou um verme e não um homem; * sou o opróbrio e o desprezo das nações. –8 Riem de mim todos aqueles que me vêem, * torcem os lábios e sacodem a cabeça: –9 'Ao Senhor se confiou, ele o liberte * e agora o salve, se é verdade que ele o ama!' –10 Desde a minha concepção me conduzistes, * e no seio maternal me agasalhastes. –11 Desde quando vim à luz vos fui entregue; * desde o ventre de minha mãe sois o meu Deus! –12 Não fiqueis longe de mim, porque padeço; * ficai perto, pois não há quem me socorra! – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Nós o vimos desprezado e sem beleza, homem das dores, habituado ao sofrimento. Ant. 2 Eles repartem entre si as minhas vestes, e sorteiam entre si a minha túnica. II ouvir:–13 Por touros numerosos fui cercado, * e as feras de Basã me rodearam; –14 escancararam contra mim as suas bocas, * como leões devoradores a rugir. –15 Eu me sinto como a água derramada, * e meus ossos estão todos deslocados; – como a cera se tornou meu coração, * e dentro do meu peito se derrete. =16 Minha garganta está igual ao barro seco, † minha língua está colada ao céu da boca, * e por vós fui conduzido ao pó da morte! –17 Cães numerosos me rodeiam furiosos, * e por um bando de malvados fui cercado. – Transpassaram minhas mãos e os meus pés * 18 e eu poso contar todos os meus ossos. = Eis que me olham e, ao ver-me, se deleitam! † 19 Eles repartem entre si as minhas vestes * e sorteiam entre si a minha túnica. –20 Vós, porém, ó meu Senhor, não fiqueis longe, * ó minha força, vinde logo em meu socorro! –21 Da espada libertai a minha alma, * e das garras desses cães, a minha vida! –22 Arrancai-me da goela do leão, * e a mim tão pobre, desses touros que me atacam! –23 Anunciarei o vosso nome a meus irmãos * e no meio da assembléia hei de louvar-vos! – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Eles repartem entre si as minhas vestes, e sorteiam entre si a minha túnica. Ant. 3 Que se prostrem e adorem o Senhor, todos os povos e as famílias das nações! III ouvir: =24 Vós que temeis ao Senhor Deus, dai-lhe louvores; † glorificai-o, descendentes de Jacó, * e respeitai-o toda a raça de Israel! –25 Porque Deus não desprezou nem rejeitou * a miséria do que sofre sem amparo; – não desviou do humilhado a sua face, * mas o ouviu quando gritava por socorro. –26 Sois meu louvor em meio à grande assembléia; * cumpro meus votos ante aqueles que vos temem! =27 Vossos pobres vão comer e saciar-se, † e os que procuram o Senhor o louvarão: * 'Seus corações tenham a vida para sempre!' –28 Lembrem-se disso os confins de toda a terra, * para que voltem ao Senhor e se convertam, – e se prostrem, adorando, diante dele, * todos os povos e as famílias das nações. –29 Pois ao Senhor é que pertence a realeza; * ele domina sobre todas as nações. –30 Somente a ele adorarão os poderosos, * e os que voltam para o pó o louvarão. – Para ele há de viver a minha alma, * 31 toda a minha descendência há de servi-lo; – às futuras gerações anunciará * 32 o poder e a justiça do Senhor; – ao povo novo que há de vir, ela dirá: * 'Eis a obra que o Senhor realizou!' – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Que se prostrem e adorem o Senhor, todos os povos e as famílias das nações! Leitura breve Ef 2,8-9 É pela graça que sois salvos, mediante a fé. E isso não vem de vós; é dom de Deus! Não vem das obras, para que ninguém se orgulhe. V. Que na terra se conheça o seu caminho. R. E a sua salvação por entre os povos. Oração Senhor Jesus Cristo, que fizestes o ladrão arrependido passar da cruz ao vosso Reino, aceitai a humilde confissão de nossas culpas e fazei que, no instante da morte, entremos com alegria no paraíso. Vós, que viveis e reinais para sempre. Conclusão da Hora V. Bendigamos ao Senhor. R. Graças a Deus. COMPLETAS SEXTA-FEIRA introdução ouvir: V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio. R. Socorrei-me sem demora. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Depois, recomenda-se o exame de consciência (...) Hino Agora que o clarão da luz se apaga, a vós nós imploramos, Criador: com vossa paternal misericórdia, guardai-nos sob a luz do vosso amor. Os nossos corações sonhem convosco: no sono, possam eles vos sentir. Cantemos novamente a vossa glória ao brilho da manhã que vai surgir. Saúde concedei-nos nesta vida, as nossas energias renovai; da noite a pavorosa escuridão com vossa claridade iluminai. Ó Pai, prestai ouvido às nossas preces, ouvi-nos por Jesus, nosso Senhor, que reina para sempre em vossa glória, convosco e o Espírito de Amor. Salmodia Ant. De dia e de noite eu clamo por vós. Salmo 87(88) Prece de um homem gravemente enfermo Mas esta é a hora, a hora do poder das trevas (Lc 22,53). –2 A vós clamo, Senhor, sem cessar, todo o dia, * e de noite se eleva até vós meu gemido. –3 Chegue a minha oração até a vossa presença, * inclinai vosso ouvido a meu triste clamor! –4 Saturada de males se encontra a minh’alma, * minha vida chegou junto às portas da morte. –5 Sou contado entre aqueles que descem à cova, * toda gente me vê como um caso perdido! –6 O meu leito já tenho no reino dos mortos, * como um homem caído que jaz no sepulcro, – de quem mesmo o Senhor se esqueceu para sempre * e excluiu por completo da sua atenção. –7 Ó Senhor, me pusestes na cova mais funda, * nos locais tenebrosos da sombra da morte. –8 Sobre mim cai o peso do vosso furor, * vossas ondas enormes me cobrem, me afogam. –9 Afastastes de mim meus parentes e amigos, * para eles tornei-me objeto de horror. – Eu estou aqui preso e não posso sair, * 10 e meus olhos se gastam de tanta aflição. – – Clamo a vós, ó Senhor, sem cessar, todo o dia, * minhas mãos para vós se levantam em prece. –11 Para os mortos, acaso, faríeis milagres? * poderiam as sombras erguer-se e louvar-vos? –12 No sepulcro haverá quem vos cante o amor * e proclame entre os mortos a vossa verdade? –13 Vossas obras serão conhecidas nas trevas, * vossa graça, no reino onde tudo se esquece? –14 Quanto a mim, ó Senhor, clamo a vós na aflição, * minha prece se eleva até vós desde a aurora. –15 Por que vós, ó Senhor, rejeitais a minh’alma? * E por que escondeis vossa face de mim? –16 Moribundo e infeliz desde o tempo da infância, * esgotei-me ao sofrer sob o vosso terror. –17 Vossa ira violenta caiu sobre mim * e o vosso pavor reduziu-me a um nada! –18 Todo dia me cercam quais ondas revoltas, * todos juntos me assaltam, me prendem, me apertam. –19 Afastastes de mim os parentes e amigos, * e por meus familiares só tenho as trevas! – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. De dia e de noite eu clamo por vós. Leitura breve Cf. Jr 14,9 Tu, Senhor, estás no meio de nós, e teu nome foi invocado sobre nós; não nos abandones, Senhor nosso Deus. Responsório breve R. Senhor, em vossas mãos * Eu entrego o meu espírito. R.Senhor. V. Vós sois o Deus fiel, que salvastes vosso povo. * Eu entrego. Glória ao Pai. R.Senhor. Cântico evangélico, ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos, guardai-nos também quando dormimos! Nossa mente vigie com o Cristo, nosso corpo repouse em sua paz! Cântico de Simeão Lc 2,29-32 Cristo, luz das nações e glória de seu povo –29 Deixai, agora, vosso servo ir em paz, * conforme prometestes, ó Senhor. –30 Pois meus olhos viram vossa salvação * 31 que preparastes ante a face das nações: –32 uma Luz que brilhará para os gentios * e para a glória de Israel, o vosso povo. – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos, guardai-nos também quando dormimos! Nossa mente vigie com o Cristo, nosso corpo repouse em sua paz! Oração Concedei-nos, Senhor, de tal modo unir-nos ao vosso Filho morto e sepultado, que mereçamos ressurgir com ele para uma vida nova. Por Cristo, nosso Senhor. O Senhor todo-poderoso nos conceda uma noite tranqüila e, no fim da vida, uma morte santa. R. Amém. Antífona final de Nossa Senhora Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida doçura, esperança nossa, Salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva, a vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas! Eia, pois, Advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre! Ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria.

A SEPARAÇÃO DE DEUS : O INFERNO - LITURGIA DIÁRIA , 13 DE JULHO DE 2012

Posted: 12 Jul 2012 07:19 PM PDT

A SEPARAÇÃO DE DEUS : O INFERNO

A EXISTÊNCIA DO INFERNO É ATESTADA POR NUMEROSAS PASSAGENS DA SAGRADA ESCRITURA, PELA TRADIÇÃO E PELO MAGISTÉRIO ECLESIÁSTICO. E GRANDES MESTRES DA VIDA ESPIRITUAL, COMO SANTO INÁCIO DE LOIOLA, RECOMENDAM QUE SE MEDITE SOBRE ESSE LOCAL DE TORMENTOS ETERNOS, COMO MEDIDA SALUTAR PARA SE ALCANÇAR A SALVAÇÃO

IMAGINE ALGUÉM NUMA SITUAÇÃO DE PESADELO, SOFRENDO TODAS AS DOENÇAS POSSÍVEIS, JUNTAS, AO MESMO TEMPO. QUER DIZER : TIVESSE NO CORAÇÃO, A DOR DO ENFARTE; NOS OLHOS, O TORMENTO PRODUZIDO POR UM TUMOR EM CADA OLHO; NA ESPINHA DORSAL, E COM REFLEXOS EM TODO O APARELHO SENSITIVO, OS EFEITOS DE UM CANIVETE DE FOGO QUE ESTIVESSE CONTINUAMENTE CORTANDO A ESPINHA DE ALTO A BAIXO, E TRITURANDO E ESMIGALHANDO, COM TODOS AQUELES COLAPSO E DORES; NO ESTÔMAGO, TODAS AS NÁUSEAS IMAGINÁVEIS (A NÁUSEA É UMA DAS SENSAÇÕES MAIS DESAGRADÁVEIS QUE PODE HAVER), MAS, AO MESMO TEMPO, NOS RINS, SENSAÇÃO DE UMA PEDRA ENORME QUE NÃO PASSA E OS CONGESTIONA; SENTISSE TODO O MAL-ESTAR DE UM HOMEM COM O SANGUE ALTAMENTE INFECCIONADO, NO QUAL CORRESSEM CONTINUAMENTE AS PIORES TOXINAS E VENENOS. SUPONHA QUE DAS NARINAS DESSA PESSOA SAÍSSE CONTINUAMENTE O PUS MAIS ASQUEROSO; NOS OUVIDOS HOUVESSE VERMES ROENDO CONTINUAMENTE OS TÍMPANOS, E PRODUZINDO DORES DE ESTALAR. EM UMA PALAVRA, HOUVESSE EM CADA CÉLULA A MAIOR DOR DE QUE AQUELA CÉLULA É CAPAZ, DE MANEIRA QUE A PESSOA SENTISSE, CONTINUAMENTE, ETERNAMENTE, SEM NENHUMA INTERRUPÇÃO, MILHÕES DE MARTELOS DESCARREGANDO SOBRE SI, COMPRIMINDO E CHAGANDO CONTINUAMENTE SEU CORPO. POIS BEM, TUDO ISSO É UMA IMAGEM FRACA, IRREAL, DOS TORMENTOS QUE O CORPO PADECE NO INFERNO, PORQUE OS SOFRIMENTOS INFERNAIS SÃO INCOMPARAVELMENTE PIORES DO QUE ESSES. POIS OS TORMENTOS ACIMA DESCRITOS AINDA PODEMOS IMAGINÁ-LOS ENQUANTO QUE AS TORTURAS INFERNAIS SÃO ESTRITAMENTE INIMAGINÁVEIS. PARA SE TER UMA IDÉIA DISSO, SANTO INÁCIO DE LOIOLA FAZ A COMPARAÇÃO ENTRE O FOGO DO INFERNO E O FOGO DA TERRA. TOMEMOS UMA CHAMA. NINGUÉM GOSTARIA DE SER CONDENADO A VIVER DENTRO DAQUELA CHAMA, QUEIMANDO-SE ETERNAMENTE. BASTARIA PROPOR A ALGUÉM QUE PUSESSE A MÃO NA CHAMA OU SOMENTE O DEDO INDICADOR, PARA QUE A PESSOA SUSTENTASSE UMA BATALHA DE ANOS PARA EVITAR ISSO . O FOGO DO INFERNO É TÃO MAIS DEVORADOR DO QUE O FOGO DA TERRA, QUE SE SE COLOCASSE UM ENORME ROCHEDO NAS CHAMAS INFERNAIS ELE SE CONSUMIRIA IMEDIATAMENTE, A PONTO DE NÃO RESTAR DO MESMO SENÃO UM MONTE DE CINZAS. TAL É O FOGO DO INFERNO. IMAGINEMOS AGORA UM CORPO VIVO – PORQUE O QUE VAI PARA O INFERNO NÃO É O CADÁVER, É O CORPO RESSUSCITADO E COM VIDA- POSTO ETERNAMENTE NUM FOGO CAPAZ DE, NUM SEGUNDO, LIQUEFAZER E QUEIMAR COMPLETAMENTE UM ROCHEDO. SANTO INÁCIO DE LOIOLA , EM SEUS “EXERCÍCIOS ESPIRITUAIS”, APRESENTA A MEDITAÇÃO DO INFERNO, RECOMENDANDO AO RETIRANTE “TOCAR, DE ALGUM MODO, AQUELE FOGO, CUJA AÇÃO QUEIMA A PRÓPRIA ALMA”. COM EFEITO, AS ALMAS DOS CONDENADOS, MORTOS ANTES DA RESSURREIÇÃO DOS CORPOS QUE OCORRERÁ NO FIM DO MUNDO , SÃO ATORMENTADAS DIRETAMENTE PELAS CHAMAS DO INFERNO. O CORPO NÃO SE DESINTEGRA : SE TODO ESSE TORMENTO ATINGISSE O HOMEM E, AO CABO DE UM MINUTO, DE UMA HORA, DE UM DIA QUE FOSSE, PASSASSE, ISTO SERIA NA REALIDADE TERRÍVEL, MAS, AFINAL, SERIA ALGO PASSAGEIRO. NO ENTANTO, NÃO É O QUE SE DÁ COM O INFERNO. O PERECIDO É ALI QUEIMADO CONTINUAMENTE E NUNCA O SEU CORPO SE DESINTEGRA, ELE NUNCA MORRE, NUNCA ACABA. DE MANEIRA QUE A CHAMA, AO MESMO TEMPO O TORRA E O MANTÉM ÍNTEGRO. O TORMENTO QUE ELE SOFRE AO CABO DE CINCO QUINQUILHÕES DE ANOS É O MESMO QUE PADECE NO PRIMEIRO MOMENTO EM QUE TOCOU TAL FOGO. E AQUELA CHAMA DEVORADORA, QUE NÃO PÁRA! ALÉM DO FOGO HÁ OUTROS TORMENTOS INTERNOS E EXTERNOS: SENSAÇÕES DESAGRADÁVEIS, CHEIROS PÚTRIDOS, VISÕES DE COISAS TRÁGICAS, AUDIÇÕES DE CACOFONIAS MONSTRUOSAS. NO PALADAR, A SENSAÇÃO DE INGERIR AS MATÉRIAS MAIS PURULENTAS E ASQUEROSAS, CONTINUAMENTE. ESTA É A SITUAÇÃO DE UM CONDENADO NO INFERNO. COMO É VERDADE O QUE DIZ O ESPÍRITO SANTO, NA SAGRADA ESCRITURA : “MEDITA NOS TEUS NOVÍSSIMOS E NÃO PECARÁS ETERNAMENTE!” (ECL. 7,40). A VISÃO DO INFERNO EM VIDA : O CRIADOR, EM SUA MISERICÓRDIA , TANTO QUER NOS LIVRAR DO INFERNO QUE DISPÔS QUE ALGUMAS ALMAS ELEITAS FOSSEM LÁ CONDUZIDAS EM VIDA, PARA QUE OS HOMENS SOUBESSEM, ATRAVÉS DESSAS TESTEMUNHAS, O QUE ESTÁ PREPARADO AO HOMEM QUE OUSA VIOLAR OS MANDAMENTOS DE SEU DEUS. ENTRE AS ALMAS PRIVILEGIADAS QUE TIVERAM A GRAÇA DE, EM VIDA, VER O INFERNO ENCONTRA-SE A GRANDE MÍSTICA ESPANHOLA DO SÉCULO XVI, SANTA TERESA DE JESUS : “HAVIA JÁ MUITO TEMPO QUE O SENHOR ME FAZIA MUITAS DAS MERCÊS QUE REFERI E OUTRAS GRANDÍSSIMAS, QUANDO UM DIA, ESTANDO EM ORAÇÃO, ACHEI-ME SUBITAMENTE, AO QUE ME PARECIA, METIDA CORPO E ALMA NO INFERNO. ENTENDI QUE QUERIA O SENHOR DAR-ME A VER O LUGAR QUE AÍ ME HAVIAM APARELHADO OS DEMÔNIOS, E EU MERECERA POR’ MEUS PECADOS. DUROU BREVÍSSIMO TEMPO, MAS, AINDA QUE VIVESSE MUITOS ANOS, TENHO POR IMPOSSÍVEL OLVIDÁ-LO. PARECEU-ME A ENTRADA UM BECO BEM LONGO E ESTREITO, SEMELHANTE A UM FORNO MUITO BAIXO, ESCURO E APERTADO. O SOLO TINHA APARÊNCIA DUMA ÁGUA, OU ANTES, DUM LODO SUJÍSSIMO E DE PESTILENCIAL ODOR, CHEIO DE RÉPTEIS VENENOSOS. NO FUNDO HAVIA UMA CONCAVIDADE, ABERTA NUMA PAREDE, A MODO DE ARMÁRIO, ONDE ME VI ENCERRADA ESTREITÍSSIMAMENTE. TUDO ISTO ERA DELEITOSO À VISTA, EM COMPARAÇÃO DO QUE ALI SENTI. ENTRETANTO, O QUE ESCREVI ESTÁ MUITO AQUÉM DA VERDADE.” MAS NÃO FOI SÓ NOS SÉCULOS PASSADOS QUE A PROVIDÊNCIA QUIS ALERTAR OS HOMENS PARA OS HORRORES DO INFERNO, MAS TAMBÉM NO ATUAL QUE ESTADEIA IMPIEDADE E A LUXÚRIA. COM EFEITO, EM 1923, FALECIA EM ODOR DE SANTIDADE A RELIGIOSA ESPANHOLA SÓROR JOSEFA MENÉNDEZ, DA SOCIÉTÉ DU SACRÉ COEUR DE JESUS . ASSIM, NARRA ELA UMA DE SUAS DESCIDAS AO INFERNO : “ENTÃO ARRASTARAM-ME POR UM LONGO CAMINHO MERGULHADO EM ESCURIDÃO. COMECEI A OUVIR DE TODOS OS LADOS BERROS MEDONHOS. PELAS PAREDES DO ESTREITO CORREDOR HAVIA NICHOS, UNS EM FRENTE DOS OUTROS, DE ONDE SAÍA FUMAÇA QUASE SEM CHAMA E COM CHEIRO INTOLERÁVEL. DALI, VOZES PROFERIAM TODA ESPÉCIE DE BLASFÊMIAS E PALAVRAS IMPURAS. ALGUMAS MALDIZIAM SEUS PRÓPRIOS CORPOS. OUTRAS SEUS PAIS: OUTRAS CENSURAVAM A SI MESMAS POR NÃO TEREM APROVEITADO TAIS OCASIÕES OU TAIS LUZES PARA ABANDONAREM O MAL. ERA UMA CONFUSÃO DE BERROS, DE RAIVA E DE DESESPERO . FUI PUXADA ATRAVÉS DESSA ESPÉCIE DE CORREDOR QUE NÃO TINHA MAIS FIM . DEPOIS DERAM-ME UM VIOLENTO EMPURRÃO QUE ME ENFIOU, DOBRADA ENTRE TÁBUAS INCENDIADAS E ESPETADA DE LADO A LADO POR AGULHAS EM BRASA . DIANTE DE MIM, ALMAS AMALDIÇOAVAM E BLASFEMAVAM . FOI O QUE MAIS ME FEZ SOFRER . MAS O QUE NÃO PODE TER COMPARAÇÃO COM TORMENTO ALGUM É A ANGÚSTIA DA ALMA QUE SE VÊ SEPARADA DE DEUS.” . INSTRUMENTO DA JUSTIÇA DIVINA : DEUS É INFINITO E POR ISSO TUDO O QUE ELE FAZ É MARCADO POR ESSE ATRIBUTO DE SUA DIVINDADE. ASSIM, QUANDO ELE PREMIA OS JUSTOS, É SUPERABUNDANTE EM SUA MISERICÓRDIA . MAS TAMBÉM É SUPERABUNDANTE QUANDO SE TRATA DE PUNIR O PECADOR QUE, TENDO RECUSADO OS INCONTÁVEIS CHAMADOS DE SUA GRAÇA, DE TER DESPREZADO SEUS INÚMEROS PERDÕES, MORRE EM ESTADO DE PECADO MORTAL . ASSIM ENSINAM OS TEÓLOGOS, COM BASE NA SAGRADA ESCRITURA, SER O INFERNO O PIOR DOS MALES ENQUANTO SUPLÍCIO E APLICAÇÃO DA VINGANÇA DIVINA: 1. PORQUE AQUELE FOGO É UM FOGO DE ENXOFRE, SEGUNDO AQUELAS PALAVRAS DO REAL PROFETA: FARÁ CHOVER SOBRE ELES SUAS REDES; O FOGO, O ENXOFRE, O VENTO DAS TEMPESTADES SERÁ O CÁLICE QUE IHES PREPARE (SI. 10,7). 2. É UM FOGO MUITO ARDENTE, MUITO CRUEL E PENETRANTE. 3. CONSOME DIRETAMENTE AS ALMAS DO MESMO MODO QUE OS CORPOS. 4. TAL FOGO NÃO ILUMINA; É UMA DENSA TREVA, E ATORMENTA OS RÉPROBOS NÃO SÓ COM SUA INTENSIDADE, MAS TAMBÉM COM SUAS TREVAS, SUA FUMAÇA E SEU INSUPORTÁVEL ODOR DE ENXOFRE. A ESSE PROPÓSITO, DIZ SÃO JOÃO NO APOCALIPSE: “E ESTE (O CONDENADO) BEBERÁ DO VINHO DO FUROR DE DEUS, QUE FOI DERRAMADO SEM MISTURA NA TAÇA DE SUA IRA E SERÁ ATORMENTADO COM O FOGO E O ENXOFRE DIANTE DOS SANTOS ANJOS E DIANTE DO CORDEIRO. E O FUMO DO SEU TORMENTO SUBIRÁ PELOS SÉCULOS DOS SÉCULOS E NÃO TERÃO REPOUSO. DIA E NOITE AQUELES QUE ADORAREM A BESTA E SUA IMAGEM, E OS QUE RECEBEREM A MARCA DO SEU NOME” (APOC. 14, 10-11) . “MEDITAI ESTAS TERRÍVEIS VERDADES, DIZ SANTO AGOSTINHO, E OPONDE AQUELE FOGO DO INFERNO ÀS CHAMAS DA PAIXÃO E DA COBIÇA QUE OS ATORMENTAM NESTA VIDA. O FOGO MATERIAL DE QUE NOS SERVIMOS SE APODERA DOS OBJETOS QUE RECEBE E OS CONSOME; MAS O FOGO DO INFERNO DEVORA OS RÉPROBOS E OS CONSERVA INTEIRAMENTE PARA CASTIGO”. SEPARAÇÃO DE DEUS – O MAIOR TORMENTO . POR SER DEUS INFINITAMENTE SÁBIO, INFINITAMENTE BOM E INFINITAMENTE BELO, ELE É INFINITAMENTE CATIVANTE: DEUS ATRAI. DEUS EMPOLGA, DEUS INTERESSA; A PESSOA FICA ÁVIDA DE VER TODOS OS SEUS MOVIMENTOS, TUDO QUANTO SE PASSA DENTRO DE SUA ESSÊNCIA, QUE IREMOS CONTEMPLAR FACE A FACE; DE MANEIRA QUE TUDO QUANTO O CÉU APRESENTA DE BELO NADA É EM COMPARAÇÃO COM O QUE CONTEMPLAREMOS DIRETAMENTE EM DEUS . O CONDENADO SABE QUE TODOS OS BEM-AVENTURADOS ESTÃO VENDO A DEUS. ELE, PORÉM, NÃO PODE FAZÊ-LO, ESTÁ MANTIDO À DISTÂNCIA, É O ESCORRAÇADO, PARA QUEM ISTO FOI PROIBIDO, PORQUE ELE NÃO É DIGNO, ESTÁ MARGINALIZADO. E FÁCIL IMAGINAR O TORMENTO QUE ISSO DEVE CAUSAR NELE, DEVORADO PELA INVEJA E PELO ÓDIO. PODE-SE ENTÃO TER UMA IDÉIA DOS MIL TORMENTOS QUE PERCORREM A ALMA DE UM PERECIDO . COM EFEITO, ENSINA A TEOLOGIA, A SEPARAÇÃO ELE DEUS É A PENA PRINCIPAL DOS CONDENADOS. UM DEUS PERDIDO, O BEM POR EXCELÊNCIA, O AUTOR E O MANANCIAL DE TODA A FELICIDADE. O DESEJO DE SER FELIZ É UM SENTIMENTO PROFUNDO, QUE DOMINA O HOMEM E O SEGUE POR TODA A PARTE; É O MÓVEL DE TODOS OS NOSSOS PASSOS E AÇÕES. TAL DESEJO É OBRA DO PRÓPRIO DEUS, E SÓ DEUS PODE SATISFAZÊ-LO: CRIOU O CORAÇÃO DO HOMEM PARA SI E SÓ ELE PODE ENCHÊ-LA. POR ISSO, AQUELE CORAÇÃO CHAMA O SEU DEUS COMO A SEU ÚNICO E SOBERANO BEM …..NA TERRA, O HOMEM, DISTRAÍDO E ENGANADO POR TUDO O QUE ESTÁ AO SEU REDOR, NÃO REFLETE BASTANTE SOBRE ESSA VERDADE, QUE PASSA DESAPERCEBIDA PARA AS PESSOAS DO MUNDO; MAS NO INFERNO NÃO HÁ DISTRAÇÕES, PORQUE JÁ NÃO HÁ ILUSÃO. A ALMA DO PECADOR, QUE DORMIA NA TERRA, DESPERTA NO INFERNO E DESPERTA PARA NÃO VOLTAR A DORMIR. VÊ A SEU DEUS COMO SEU ÚNICO BEM, COMO O ÚNICO OBJETO QUE PODERIA FAZÊ-LA FELIZ: SENTE, POR SUA NATUREZA, INTENSA ATRAÇÃO PARA SEU CRIADOR; MAS UM BRAÇO INVISÍVEL A DETÉM, A RECHAÇA, UM INTERVALO IMENSO A SEPARA DE SEU DEUS. CADEIAS QUE NÃO PODE ROMPER A DETÊM EM SEU CATIVEIRO. NENHUM DE NÓS GOSTA DE SER ODIADO, IMAGINEMOS O PRECITO SENTIR CONTRA SI, ETERNAMENTE, COMO QUE UM OLHO IRACUNDO QUE NUNCA DEIXA DE O OLHAR COM CÓLERA, SENDO ELE UM EXCOMUNGADO, UM REJEITADO, UM MISERÁVEL, POR TODA A ETERNIDADE. TODO ESSE ÓDIO, QUE CAI COMO UM GLÁDIO DE FOGO SOBRE A CABEÇA DO PRECITO, NO INFERNO, TEM COMO PRINCÍPIO E CAUSA PRIMEIRA A ESPANTOSA MALDIÇÃO COM QUE FULMINA O RÉPROBO NO MOMENTO DE SUA MORTE. COM EFEITO, A PARTIR DO INSTANTE EM QUE O PECADOR ENTRA NA ETERNIDADE, POR CAUSA DE UM SÓ PECADO MORTAL, ELE OUVE DO DIVINO JUIZ ESTA TERRÍVEL SENTENÇA: “AFASTA-TE DE MIM MALDITO, PARO O FOGO ETERNO” . E O CONDENADO ESTARÁ ENTÃO ETERNAMENTE SOB O PESO DAQUELA MALDIÇÃO DIVINA. TAL É O DESGRAÇADO ESTADO DOS CONDENADOS . É MUITO OPORTUNO, AO CONCLUIRMOS ESTAS LINHAS, RELEMBRAR A NECESSIDADE IMPERIOSA DESSE RECHAÇO RADICAL, TENDO EM VISTA QUE O INFLUXO PESTILÊNCIAL DE SATANÁS SE TORNA CADA VEZ MAIS INTENSO EM NOSSOS DIAS.NA MEDIDA EM QUE OS ÚLTIMOS VESTÍGIOS DA CIVILIZAÇÃO CRISTÃ VÃO SENDO EXTINTOS, O NEOPAGANISMO VAI DOMINANDO SEMPRE MAIS A CIVILIZAÇÃO E AS MANIFESTAÇÕES DA ANTICULTURA HODIERNAS - [FONTE: RESVISTA CATOLISCISMO ; 1. PLINIO CORRÊA DE OLIVEIRA, CONFERÊNCIA PRONUNCIADA PARA SÓCIOS E COOPERADORES DA TFP. EM 22 DE SETEMBRO DE 1973 ; 2. SANTA TERESA DE JESUS, LIVRO DA VIDA. EM OBRAS COMPLETAS, TOMO I, TRADUZIDAS PELAS CARMELITAS DESCALÇAS DO CONVENTO DE SANTA TERESA DO RIO DE JANEIRO, VOZES, PETRÓPOLIS, 1946 ; 3. JOSEFA MENÉNDEZ.APELO AO AMOR, EDITORA SANTA MARIA. RIO DE JANEIRO. 2ª EDIÇÃO, 1953, PP. 188·9 ; 4. PADRE BARBIER. TESOROS DE CORNELIO A LAPIDE, TOMO II, MADRID-BARCELONA. 1882, PP. 458 A 467]

LITURGIA DO DIA 13 DE JULHO DE 2012

PRIMEIRA LEITURA: OSÉIAS 14, 2-10

XVI SEMANA COMUM * , (VERDE - OFÍCIO DO DIA) - LEITURA DA PROFECIA DE OSEIAS - ASSIM FALA O SENHOR: 2MUNI-VOS DE PALAVRAS (DE SÚPLICAS) E VOLTAI AO SENHOR. DIZEI-LHE: PERDOAI TODOS OS NOSSOS PECADOS, ACOLHEI-NOS FAVORAVELMENTE. QUEREMOS OFERECER EM SACRIFÍCIO A HOMENAGEM DE NOSSOS LÁBIOS. 3O ASSÍRIO NÃO NOS SALVARÁ, NÃO MAIS MONTAREMOS NOSSOS CAVALOS, E NÃO MAIS TEREMOS COMO DEUS OBRA ALGUMA DE NOSSAS MÃOS, PORQUE SÓ JUNTO DE VÓS ENCONTRA O ÓRFÃO COMPAIXÃO. 4CURAREI A SUA INFIDELIDADE, AMÁ-LOS-EI DE TODO O CORAÇÃO, (PORQUE MINHA CÓLERA APARTOU-SE DELES). 5SEREI PARA ISRAEL COMO O ORVALHO; ELE FLORESCERÁ COMO O LÍRIO, E LANÇARÁ RAÍZES COMO O ÁLAMO. 6SEUS GALHOS ESTENDER-SE-ÃO AO LONGE, SUA OPULÊNCIA IGUALARÁ À DA OLIVEIRA E SEU PERFUME SERÁ COMO O ODOR DO LÍBANO. 7(OS DE EFRAIM) VIRÃO SENTAR-SE À SUA SOMBRA. CULTIVARÃO O TRIGO. CRESCERÃO COM A VINHA. E SERÃO FAMOSOS COMO O VINHO DO LÍBANO. 8QUE TERÁ AINDA EFRAIM DE COMUM COM OS ÍDOLOS? EU MESMO, QUE O AFLIGI, TORNÁ-LO-EI FELIZ. EU SOU COMO O CIPRESTE SEMPRE VERDE: GRAÇAS A MIM É QUE PRODUZES FRUTO. 9QUEM É SÁBIO ATENDA A ESTAS COISAS! QUE O HOMEM INTELIGENTE REFLITA NELAS, PORQUE OS CAMINHOS DO SENHOR SÃO RETOS. OS JUSTOS ANDAM POR ELES, MAS OS PECADORES NELES TROPEÇAM. - PALAVRA DO SENHOR

SALMO RESPONSORIAL (SALMO 50)

REFRÃO: MINHA BOCA ANUNCIARÁ VOSSO LOUVOR!

1. TENDE PIEDADE DE MIM, SENHOR, SEGUNDO A VOSSA BONDADE. E CONFORME A IMENSIDÃO DE VOSSA MISERICÓRDIA, APAGAI A MINHA INIQÜIDADE. LAVAI-ME TOTALMENTE DE MINHA FALTA, E PURIFICAI-ME DE MEU PECADO. - R.

2. NÃO OBSTANTE, AMAIS A SINCERIDADE DE CORAÇÃO. INFUNDI-ME, POIS, A SABEDORIA NO MAIS ÍNTIMO DE MIM. ASPERGI-ME COM UM RAMO DE HISSOPE E FICAREI PURO. LAVAI-ME E ME TORNAREI MAIS BRANCO DO QUE A NEVE. - R.

3. Ó MEU DEUS, CRIAI EM MIM UM CORAÇÃO PURO, E RENOVAI-ME O ESPÍRITO DE FIRMEZA. DE VOSSA FACE NÃO ME REJEITEIS, E NEM ME PRIVEIS DE VOSSO SANTO ESPÍRITO. - R.

4. RESTITUÍ-ME A ALEGRIA DA SALVAÇÃO, E SUSTENTAI-ME COM UMA VONTADE GENEROSA. - R.

5. SENHOR, ABRI MEUS LÁBIOS, A FIM DE QUE MINHA BOCA ANUNCIE VOSSOS LOUVORES. - R.

EVANGELHO: MATEUS 10, 16-23

PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO, SEGUNDO MATEUS - NAQUELE TEMPO, 16EU VOS ENVIO COMO OVELHAS NO MEIO DE LOBOS. SEDE, POIS, PRUDENTES COMO AS SERPENTES, MAS SIMPLES COMO AS POMBAS. 17CUIDAI-VOS DOS HOMENS. ELES VOS LEVARÃO AOS SEUS TRIBUNAIS E AÇOITAR-VOS-ÃO COM VARAS NAS SUAS SINAGOGAS. 18SEREIS POR MINHA CAUSA LEVADOS DIANTE DOS GOVERNADORES E DOS REIS: SERVIREIS ASSIM DE TESTEMUNHO PARA ELES E PARA OS PAGÃOS. 19QUANDO FORDES PRESOS, NÃO VOS PREOCUPEIS NEM PELA MANEIRA COM QUE HAVEIS DE FALAR, NEM PELO QUE HAVEIS DE DIZER: NAQUELE MOMENTO SER-VOS-Á INSPIRADO O QUE HAVEIS DE DIZER. 20PORQUE NÃO SEREIS VÓS QUE FALAREIS, MAS É O ESPÍRITO DE VOSSO PAI QUE FALARÁ EM VÓS. 21O IRMÃO ENTREGARÁ SEU IRMÃO À MORTE. O PAI, SEU FILHO. OS FILHOS LEVANTAR-SE-ÃO CONTRA SEUS PAIS E OS MATARÃO. 22SEREIS ODIADOS DE TODOS POR CAUSA DE MEU NOME, MAS AQUELE QUE PERSEVERAR ATÉ O FIM SERÁ SALVO. 23SE VOS PERSEGUIREM NUMA CIDADE, FUGI PARA UMA OUTRA. EM VERDADE VOS DIGO: NÃO ACABAREIS DE PERCORRER AS CIDADES DE ISRAEL ANTES QUE VOLTE O FILHO DO HOMEM. - PALAVRA DA SALVAÇÃO

APARIÇÃO ANUAL A JAKOV 25/12/2006. NOSSA SENHORA NOS DEIXOU A SEGUINTE MENSAGEM: "QUERIDOS FILHOS ! HOJE É O GRANDE DIA DE ALEGRIA E PAZ. ALEGRAI-VOS COMIGO. FILHINHOS, DE MODO PARTICULAR. OS CONVIDO A SANTIDADE NAS VOSSAS FAMILIAS. DESEJO, FILHINHOS, QUE TODAS AS VOSSAS FAMILIAS SEJAM SANTAS E QUE A ALEGRIA DIVINA E A PAZ QUE DEUS HOJE VOS MANDA REINEM E MOREM NAS VOSSAS FAMILIAS. FILHINHOS, ABRAM OS VOSSOS CORAÇÕES HOJE, NESTE DIA DE GRAÇAS. DECIDAM-SE POR DEUS E O COLOQUEM NO PRIMEIRO LUGAR NAS VOSSAS FAMILIAS. EU SOU VOSSA MÃE. VOS AMO E VOS DOU A MINHA BENÇÃO MATERNA" - MENSAGEM DE NOSSA SENHORA EM MEDJUGORJE

A IGREJA CELEBRA HOJE , SANTO HENRIQUE E SANTA CUNEGUNDES - MUITOS ACUSAM A IDADE MÉDIA COMO UM "TEMPO DE TREVAS" NA HISTÓRIA, E NÃO TEM COMO NÃO PENSAR ISTO SE NÃO ABRIRMOS OS OLHOS E OLHARMOS PARA O ALTO, POIS NESTE LUGAR É QUE SE ENCONTRAM AS LUZES DESTE PERÍODO, OU SEJA, OS INÚMEROS SANTOS E SANTAS. HENRIQUE E CUNEGUNDES FAZEM PARTE DESTE "LUSTRE", POIS VIVERAM UMA PERFEITA HARMONIA DE AFETOS, PROJETOS E IDEAIS DE SANTIDADE. HENRIQUE ERA FILHO DE DUQUE E NASCEU NUM CASTELO NA ALEMANHA EM 973. PERTENCIA À UMA FAMÍLIA SANTA E POR ISSO FOI EDUCADO TAMBÉM POR CÔNEGOS E, MAIS TARDE, PELO BISPO DE RATISBONA, ADQUIRINDO ASSIM TODA UMA ESPECIAL FORMAÇÃO CRISTÃ. CONTA-SE QUE ESPIRITUALMENTE ELE PREPAROU-SE INTENSAMENTE PARA ASSUMIR O TRONO DA ALEMANHA, MAS ISTO SEM SABER, POIS AINDA JOVEM SONHARA COM ESTAS BREVES PALAVRAS: "ENTRE SEIS"; E COM ISTO INTERPRETOU PRIMEIRAMENTE QUE TERIA SEIS DIAS ANTES DE MORRER, MAS, COMO NÃO ACONTECEU, PREPAROU-SE EM VISTA DE SEIS MESES E EM SEGUIDA SEIS ANOS ATÉ, POR PROVIDÊNCIA, ASSUMIR O REINADO. NO CASO DE HENRIQUE O ADÁGIO DE QUE "POR TRÁS DE UM GRANDE HOMEM ESTÁ UMA GRANDE MULHER" FUNCIONOU, POIS CASOU-SE COM A PRINCESA DE LUXEMBURGO, CUNEGUNDES, UMA MULHER DE MUITAS VIRTUDES E INÚMEROS DONS AO PONTO DE AJUDAR POR 27 ANOS SEU ESPOSO NA ORGANIZAÇÃO DO IMPÉRIO E IMPLANTAÇÃO DO REINO DE DEUS. COM A MORTE DE HENRIQUE II E SEU RECONHECIMENTO DE SANTIDADE, CONEGUNDES FOI MORAR NUM MOSTEIRO, ONDE CORTOU O CABELO, VESTIU HÁBITO POBRE E PASSOU A OBEDECER SUAS SUPERIORAS ATÉ IR AO ENCONTRO DE HENRIQUE NO CÉU, ISTO QUANDO TINHA 61 ANOS. SENDO ASSIM, AMBOS MORRERAM SOB A COROA DE SACRO ROMANO NO IMPÉRIO TERRESTRE E A COROA DA GLÓRIA NO IMPÉRIO CELESTE. SANTO HENRIQUE E SANTA CUNEGUNDES, ROGAI POR NÓS!

Transcrição postada em 15-7-12  -  12,05

ANTÓNIO FONSECA

Nº 1347 – 2ª Página – CARTAS DE SÃO PAULO – CARTAS PASTORAIS - 15 de Julho de 2012 – (Domingo)

antoniofonseca1940@hotmail.com

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

Como afirmei inicialmente, Envolvi-me nesta tarefa, pois considero ser um trabalho interessante, pois servirá para que vivamos mais intensamente a Vida de Jesus Cristo que se encontra sempre presente na nossa existência, mas em que poucos de nós (eu, inclusive) tomam verdadeira consciência da sua existência e apenas nos recordamos quando ouvimos essas palavras na celebração dominical e SOMENTE quando estamos muito atentos, porque não acontecendo assim, não fazemos a mínima ideia do que estamos ali a ouvir e daí, o desconhecimento da maior parte dos cristãos do que se deve fazer para seguir o caminho até Ele.

Como Jesus Cristo disse, aos Apóstolos, no dia da sua Ascensão ao Céu:

IDE POR TODO O MUNDO E ENSINAI TODOS OS POVOS”.

É apenas isto que eu estou tentando fazer. AF.

+++++++++++++++++++++++

Nº 1347 - 2ª Página

15 de Julho de 2012

CARTAS DE S. PAULO

S.-Paulo_thumb_thumb1_thumb_thumb_th

CARTAS PASTORAIS

O COMPORTAMENTO PESSOAL DE TIMÓTEO

5  -  Como tratar os diversos membros da Igreja – Não repreendas com aspereza o ancião, mas exorta-o como a um pai; aos jovens, como a irmãos; às anciãs, como a mães; às jovens, como a irmãs, com toda a pureza. Honra as viúvas, as que são verdadeiramente viúvas.

Se a viúva tiver filhos ou netos que ela lhes ensine antes de tudo, o respeito filial para com a própria família e a retribuir aos pais os cuidados que deles receberam, porque isto é agradável aos olhos de Deus.

A verdadeira viúva, aquela que ficou sozinha no mundo, põe a sua esperança em Deus, e persevera noite e dia em orações e súplicas.

Aquela que, pelo contrário, só pensa nos prazeres, embora viva, está morta. Recorda-lhes isto para que sejam irrepreensíveis.

Se algum não cuidar dos seus, e principalmente dos da sua casa, renegou a fé e é pior do que um infiel.

Nenhuma viúva com menos de sessenta anos pode ser inscrita na lista das viúvas; deve ter sido casada uma só vez e gozar de boa reputação, tendo educado os seus filhos, exercido a hospitalidade, lavado os pés aos santos, socorrido os infelizes e praticado toda a espécie de obras boas.

Rejeita as viúvas novas porque, quando os atrativos do prazer as apartam de Cristo, querem casar-se de novo, e incorrem assim na censura de violar o seu primeiro compromisso. Além disso, estando na ociosidade, habituam-se a andar de casa em casa, a ser não só ociosas, mas também palradeiras e curiosas falando do que não convém.

Quero, pois, que as viúvas se casem, criem filhos e governem bem as suas casas, para que não deem a ninguém ocasião de dizer mal, pois algumas já se extraviaram, seguindo a Satanás. Se algum crente tem viúvas na sua família, socorra-as, para que não se tornem pesadas à Igreja, a fim de que esta possa socorrer as que, verdadeiramente, são viúvas.

Os presbíteros que cumprem bem a sua missão são dignos de dupla honra, principalmente os que trabalham na pregação e no ensino. Pois a Escritura diz: Não ligarás a boca do boi que debulha e ainda: O que trabalha é digno do seu salário. Não recebas acusação contra um presbítero, se não for confirmada por duas ou três testemunhas. Aos que pecarem repreende-os diante de todos para infundir temor os outros. Conjuro-te, diante de Deus e de Jesus Cristo, e dos anjos escolhidos, a que guardes estas regras, com imparcialidade, nada fazendo por favoritismo. A ninguém imponhas as mãos inconsideradamente; não te faças cúmplice dos pecados alheios; conserva-te puro.

Não continues a beber só água, mas mistura-a com um  pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas frequentes indisposições.

Há pessoas cujas faltas são notórias, mesmo antes de serem levadas a juízo; quanto a outras, as faltas só se manifestam depois.

Do mesmo modo,  aparecem as boas obras; e, mesmo aquelas quer a princípio não são manifestas, não poderão permanecer ocultas.

*************************************************************

Post colocado em 15 de Julho de 2012 – 10,15 horas

ANTÓNIO FONSECA

Prosseguirei esta tarefa, amanhã se Deus quiser, já com a 1ª Carta a Timóteo (nº 6) - CARTAS PASTORAIS. AF

Nº 1347–1ª Página - (197/12) – SANTOS DE CADA DIA – 15 de Julho de 2012 (Domingo) – 4º ano

        antoniofonseca1940@hotmail.com
        »»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
        »»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
        Nº 1347 - 1ª Página – 2012
        Imagem3189
        »»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
        I-Am-Posters
        = EU SOU =

     

     

    »»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»«««««««««««««««««««««««««««««««««

     

    Boaventura, Santo 

    Religioso. Doutor da Igreja (1221-1274)

    Buenaventura, Santo

    Discípulo fervoroso de S. Francisco, que não se cansava de exclamar «Meu Deus e meu tudo», S. Boaventura não teve na vida outro anelo que não fosse o encontro com Deus. A sua vida é encontro constante com Ele. Nasceu em Bagnorea, perto de Viterbo, Itália, no ano de 1221 e, sendo ainda menino, quando se chamava João de Fidanza, S. Francisco de Assis passou junto de sua casa, pôs-.lhe na cabeça dolorida as mãos trémulas, curou-o de uma grave doença e exclamou: oh! boa ventura! Assim se pretende explicar a origem do seu nome de bom augúrio. Aos 17 anos entrou na Ordem de S. Francisco, o qual parece ter-lhe deixado, como Elias ao discípulo Eliseu, uma centelha do seu grande espírito.Aos 22 anos foi enviado a Paris e lá encontrou, felizmente, como mestre o Doutor Irrefragável, Alexandre d’Halés, que sabia animar a ciência com o sopro do espírito. S. Boaventura ouviu-lhe três anos as lições e, a seguir, em 1247, herdou a cátedra «do seu pai e seu mestre». Explicou as sentenças de Pedro Lombardo e a Sagrada Escritura até 1255.

    Buenaventura, Santo

    Em 1257 foi eleito Geral da Ordem Franciscana, cargo que desempenhou até 1274, pouco antes da morte. Aos 35 anos era o sucessor de S. Francisco e o mais genuíno representante do seu ideal. O professor sábio e piedoso revelou-se o mais prudente dos governantes. Com suavidade e energia defendeu a austeridade e simplicidade, e caminhou com tino e prudência entre os dois grupos, de observantes e relaxados, que ameaçavam dividir a Ordem de S. Francisco. Fez-se amar pela bondade, sem detrimento da disciplina. A pé ou montado num jumentinho, nas múltiplas viagens que teve de realizar por motivo do cargo, nunca interrompeu o estudo. Em 1260, o Capítulo geral da Narbona encarregou-o de escrever, como testemunha ocular, a vida do Fundador. retirou-se para o monte Alverne e humedeceu com lágrimas de devoção o pergaminho. Foi sempre amante da paz e inimigo de todo o rigor em excesso. Em 1274, trabalhou com êxito por harmonizar entre si os Cardeais que vieram a eleger Gregório X. Em paga, digamos, este pontífice fê-lo cardeal, mas contra a sua vontade. Conta-se que, ao trazerem-lhe os Enviados Pontifícios o chapéu cardinalício, encontraram Boaventura a lavar pratos num convento perto de Florença. Com,o resposta, disse aos Embaixadores que dependurassem o capelo numa árvore; entretanto, ficavam-lhe livres as mãos para poder ir buscá-lo. Em 1274, encarregou-o Gregório X de preparar todas as questões teológicas e disciplinares que haviam de ser tratadas no II Concílio de Lião. Morreu enquanto este era celebrado, a 15 de Julho de 1274. O funeral foi soleníssimo, presidido pelo papa e participando o rei de Aragão, Jaime o Conquistador, e todos os Padres do Concílio. A oração fúnebre esteve a cargo do célebre Pedro de Tarantásia, que depois foi papa com o nome de Inocêncio V. Foi canonizado em 1428 e declarado Doutor da Igreja em 1587. Durante a vida teve reputação de Santo e de sábio. O que mais admira é a flexibilidade do seu espírito. Professor, pregador, filósofo, místico e governante, foi sobretudo Santo, como lhe chamava Santo Tomás de Aquino. para ele, o termo de toda a ciência é a união da alma com Deus, e esta união realiza-se pelo amor. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt.. Áudio de RadioVaticana: RadioRai: e RadioMaria:

    Ana María Javouhey, Beata
    Fundadora

    Ana María Javouhey, Beata

    Ana María Javouhey, Beata

    A Beata Ana Maria pertence ao número – bastante grande – das Fundadoras de Institutos Religiosos Femininos surgidos em França, mal cessou a triste época do Terror. Nascida em Jallanges, na Borgonha, em 10 de Novembro de 1779, veio pouco depois para Chamblanc, verdadeira terra de seus pais, agricultores abastados. Aos 16 anos, Ana, até ali a alma viva da juventude da aldeia, ouviu claro apelo de Deus. A familia era cristianíssima: três irmãs vieram a ser as co-fundadoras do Instituto – Pedra, Maria Francisca e Claudina (esta, 2ª Superiora Geral); e dois irmãos foram exemplares. Ana, aos dezanove anos – 1798 – consagra-se definitivamente a Deus. Organiza para tal uma Celebração Eucarística clandestina e soleníssima, na granja do irmão Estêvão. Faz, em voz alta, voto de castidade perpétua e compromete-se a dedicar a vida ás crianças, aos pobres e aos doentes. Em 1800, o pároco de Chamblanc, já regressado duma expulsão, convence o pai, Baltasar, a deixar entrar a filha nas Irmãs da Caridade de Besançon. Era Superiora e Mestra das Noviças a própria fundadora. hoje Santa Joana Antide Thouret, antiga irmã de S. Vicente de Paulo, religiosa de grande valor. Foi ali que, num estranho sonho, a postulante Ana se viu rodeada de muitas pessoas, na maioria crianças, de todas as cores e sobretudo pretas… e ouviu: «São os filhos que Deus te dá. Sou Santa Teresa. serei a protetora da tua Ordem». Quando saiu de Besançon, Ana voltou a dar escola na sua terra. Começaram a segui-la, com o mesmo ideal de vida religiosa, não só as irmãs (com 16, 14 e 11 anos), mas também outras jovens. Em 1802, encontro providencial com Dom Augustin de Lestrange, restaurador da Ordem dos Trapistas em França, que acabara por organizar na Suiça dois mosteiros, de monges e monjas. Ana encaminha-se para a Trapa. Porém, nem ela nem os seus diretores podem esquecer o apelo íntimo e tão directo de Deus que a impele a fundar um novo Instituto. Volta a Chamblac e continua as suas actividades apostólicas nas aldeias, aqui e ali, com suas irmãs e outras jovens, até que o senhor Javouhey decidiu construir um autêntico «conventinho» anexo à casa paterna. Prelúdios da Fundação – Em Abril, Páscoa de 1805, Pio VII, regressando a Roma após a sagração de Napoleão, pára uns dias em Chalon-sur-Saône, a poucos quilómetros de Chamblanc. Ana e o seu grupinho assistem à missa do papa na linda igreja de S. Pedro, comungam da sua mão e no fim são-lhe apresentadas. Consta que Pio VII, ao abençoar Ana, lhe disse: «Coragem, minha filha, Deus fará por si grandes coisas». Na vigilia da Assunção de 1805, Ana fixou-se em Chalon. Sem tardar, a municipalidade oferece-lhe parte do antigo Seminário Maior desocupado, mobília e subsídios para a obra da educação da juventude – rapazes e raparigas. A capela de S. José dá o nome ao Instituto nascente, conhecido agora por «Sociedade de S. José». Entretanto, as futuras religiosas vinham, fazendo o seu Noviciado e observando uma Regra. 12 de Maio de 1807 – Fundação do InstitutoAna preparou a sua Profissão Religiosa com um Retiro prolongado em Dôle, nas montanhas do Jura. De regresso a casa, habilitou o seu grupinho para a mesma Consagração. No dia 12 de Maio de 1807, o novo Bispo de Autun presidiu à cerimónia na igreja de S. Pedro. Era acontecimento religioso nunca visto havia longos anos… Ana passou a chamar-se Ana-Maria. Aos votos religiosos juntaram um 4º voto, o de se dedicarem à educação da juventude. Naquela tarde, o mesmo Bispo reuniu as religiosas em capítulo e presidiu à eleição da Superiora Geral. Os votos recaíram sobre Ana-Maria. Expansão do Instituto – Chalon logo «enxameou», mas só pelas redondezas; umas dez casas que pouco sobreviveram. Em 29 de Maio de 1812, a fundação importante e duradoura de Cluny, primeira casa-Mãe da Congregação e primeiro, Noviciado bem organizado, deu o nome ao Instituto: «Irmãs de S. José de Cluny». A dimensão missionária – A dimensão missionária de S. José de Cluny, a princípio, parece não ter sido nada prevista pela Fundadora. Só na hora de Deus surgiu o largo horizonte das Missões longínquas, que mesmo em vida de Ana-Maria tomou vastíssima dimensão. O Prefeito da Instrução Pública da França autorizou a Superiora a abrir uma escola Oficial e recomendou este estabelecimento junto do Governo. isto tornou a Madre Javouhey conhecida nas «altas esferas». daí que quando, em 1816, o Intendente (Governador) da Ilha de Bourbon – hoje Reunião, no Índico – veio pedir ao Governo Francês mestres de escola para a sua ilha, ele indicou-lhe a Madre Ana-Maria como podendo resolver-lhe o problema. Assim, a 10 de Janeiro de 1817, partiram de Rochefort, a bordo do «Elephant», barco da marinha mercante,quatro novas professas, entre elas a própria superiora, que emitira os votos na véspera. A viagem do grande veleiro durou cinco meses e 18 dias, fazendo escala no Rio de Janeiro. Foi a primeira aventura missionária. Outras se lhe seguiriam: no Senegal, nas Antilhas Francesas, na América do Norte, em Pondichery e Karihal na Índia, nas Antilhas Inglesas, na Oceânia, em Madagáscar, etc.. Não tocámos no que foi o maior sofrimento da sua longa vida. tal como aconteceu a outros fundadores e fundadoras, sofreu grandes incompreensões da autoridade eclesiástica, sobretudo a do seu Bispo de Autun. A Madre Javouhey faleceu em 15 de Julho de 1851, na atual Casa-Mãe, em Paris, com 71 anos de idade e 44 de generalato, 14 dos quais passados em terras longínquas. Foi beatificada por Pio XII, em 15 de Outubro de 1950. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt..

    Vladimiro I de Kiev, Santo
    Príncipe

    Vladimir I de Kiev, Santo

    Vladimir I de Kiev, Santo

    Martirologio Romano: Em Kiev, cidade de Rússia (agora - Ucrânia), são Vladimiro, príncipe, que ao ser batizado recebeu o nome de Basilio, e se preocupou em propagar a fé ortodoxa nos povos que governava (1015). Etimologicamente: Vladimir = Senhor do mundo, é de origem eslava. Etimologicamente: Basilio = Aquele que é rei, é de origem grega. São Vladimiro Sviatoslávich o Grande (958 — 1015) foi o grande príncipe de Kiev que se converteu ao Cristianismo em 988, e iniciou o Batismo de Rus de Kiev. Era filho do príncipe Sviatoslav I. De acordo com a Crónica Primária, a crónica mais antiga de Rus de Kiev, seu nome real foi Volodímer ou em moderno russo Vladimir. Já como regente do principado, Vladimir continuou expandindo seus territórios. Em 981 conquistou numerosas cidades no que hoje é Galicia ucraniana; em 983 tomou controle da zona que se encontra entre Lituânia e Polónia, além de construir muitas fortalezas e colónias em volta de seu reino. Apesar do cristianismo ter ganho muitos adeptos, Vladimir permaneceu como pagão, chegando a ter até 800 concubinas e numerosas esposas, erigindo estátuas e templos pagãos. Sem embargo, por conselho de seus legados, Vladimir enviou a vários emissários a estudar as religiões de vários dos países vizinhos que lhe haviam pedido que se unisse a suas respectivas religiões. Finalmente converteu-se ao cristianismo, devido ao espanto em que ficaram seus emissários ao chegar a Constantinopla e ver os festivais que a Igreja Bizantina havia preparado para eles. No ano 988, negociou a mão da irmã do imperador Basilio II, Anna. Foi a primeira boda realizada entre uma princesa grega e um bárbaro, para o qual Vladimir foi batizado antes de poder formalizar o matrimónio. O batizado e o matrimónio lhe fizeram grandes mudanças em seu carácter. No seu regresso a Kiev, derrubou todos os monumentos pagãos e construiu numerosas igrejas. Sem embargo, existe outra verão sobre a conversão de Vladimir ao cristianismo. Em 987, Bardas Sclerus e Bardas Phocas se rebelaram contra o imperador Basilio II. Os dois rebeldes uniram forças por uns tempos, mas pouco depois Bardas Phocas se autoproclamou imperador. Basilio pediu ao Principado de Kiev ajuda, ainda que nessa época se consideravam inimigos. Vladimir acedeu em troca da mão de sua irmã, e aceitou converter-se ao cristianismo ortodoxo. Quando os arranjos para a boda terminaram, Vladimir enviou 6000 tropas ao império bizantino e puseram fim à revolta. Depois de seu matrimónio com Anna, formou um grande conselho com seus mais próximos conselheiros, além de seus 12 filhos. Morreu em Berestovo,perto de Kiev; seu corpo foi desmembrado e distribuído ente suas numerosas fundações sagradas e venerado como relíquia. Uma das universidades de Kiev leva o nome da personagem que cristianizou e civilizou a Rus de Kiev; a Ordem de São Vladimir se encontra na Rússia e o Seminário Teológico Ortodoxo de São Vladimir nos Estados Unidos. Seu dia se celebra em 15 de julho.

    Pompílio María Pirrotti, Santo
    Sacerdote Esculápio

    Pompilio María Pirrotti, Santo

    Pompílio María Pirrotti, Santo

    Martirologio Romano: En Campi Salentina (Apúlia), São Pompílio María Pirrotti, sacerdote, religioso da Ordem de Clérigos Regulares das Escolas Pias, pregador popular (1766). Na tarde de 15 de julho de 1766, véspera da Virgem do Carmo, rendia a Deus sua alma de apóstolo o santo esculápio Pompílio María. Nascido em 30 de setembro em 1710, sentiu aos dezasseis anos o chamamento à vida religiosa, e na raiz da quaresma pregada em sua pátria, Montecalvo Irpino, pelo padre reitor das Escolas Pias da vizinha capital de Benevento, localidades ambas da Itália meridional, escapou de sua casa ao colégio de residência do fervoroso pregador e lhe pediu a sotaina calasancia. As razões de seu bom pai, que seguiu atrás dele, e era notável advogado, foram estéreis ante a firme decisão do filho. E o noviciado e o neo professo, com seus estudos, não fizeram senão continuar o teor de vida inocente e penitente que já em casa havia levado. Allá, en efecto, muchas noches, tras la disciplina y la oración mental, el sueño se apoderaba de él en el propio oratorio doméstico y le tendía en el pavimento, con la cabeza apoyada sobre la tarima del altar, hasta la mañana siguiente. Terminada la carrera escolapia, ejerce el apostolado de la enseñanza durante catorce años, el primero de ellos con primeras letras en Turi y los trece restantes, con Humanidades y Retórica, en Francavilla, Brindis, Ortona, Chieti y Lanciano, más la prefectura de las Escuelas y la presidencia de la Archicofradía de la Buena Muerte. De su apostolado entre los alumnos se recuerdan rasgos de sobrenatural penetración. Uno de ellos es en Lanciano. Al comenzar su clase le advierten los chicos la ausencia de Juan Capretti. El padre Pompilio se reconcentra y a los pocos segundos exclama: "¡Pobre Capretti! No puede venir porque está moribundo... Pero no será nada. Vayan dos en seguida a preguntar por él". Y corren dos muchachos a su Casa con la anhelante pregunta. Sus padres se extrañan, habiéndole oído levantarse y creyendo que estaba en la escuela con toda normalidad. Suben temerosos a la habitación y, efectivamente, lo encuentran en el suelo, de bruces, sin sentido, próximo a expirar. Sobresaltados le levantan, le acuestan, le llaman repetidas veces, y al fin el pobre accidentado empieza a volver en sí, balbuciendo entre sollozos: "¡Padre Pompilio, padre Pompilio!". No sabía sino que, al levantarse, había sido presa de dolores y escalofríos que le hacían desfallecer sin dejarle gritar. Después sólo sabía que le había llamado su maestro y que ya se sentía vivir. Al volver al colegio los dos emisarios el padre tomó pie para encarecer la necesidad de estar a todas horas en gracia del Señor. Ni hay que añadir el prestigio de que aureolaban al humilde padre sucesos semejantes. Pero en aquella misma etapa docente, de 1733 a 1747, a los dos años de ordenado de sacerdote, el Capítulo provincial de 1736 acuerda facultarle para la predicación de la divina palabra, sin eximirle, naturalmente, de sus tareas escolares; y por todos aquellos mencionados colegios de la Pulla y de los Abruzos, en que enseña a tantos niños y jóvenes, empieza a enfervorizar desde el púlpito a hombres y mujeres, destacándose como misionero de fuerza y eficacia sorprendentes. Pronto merece el dictado de apóstol de los Abruzos, tras intervenciones maravillosas que impresionan a poblaciones enteras. En el mismo Lanciano, último de los colegios de esta etapa, cercana ya la hora de medianoche, Pompilio sale una vez de su habitación, abre la puerta de la iglesia, sálese a las calles vecinas y empieza a clamar despertando a los despreocupados durmientes, para que se levanten todos y acudan al templo, pues él inmediatamente les va a predicar. Hasta hace lanzar a vuelo las campanas llamando a sermón. Ante tamaña novedad todo Lanciano se alborota y se arremolina en torno al púlpito del apóstol. Y el santo vidente les anuncia estremecido que un horrendo terremoto se va a dejar sentir en toda la comarca, pero que ellos no teman, pues su celestial Patrona la Virgen del Puente intercede de manera singular por la afortunada población. En efecto, aún está hablando cuando un ronco fragor subterráneo, que avanza desde la lejanía, hace temblar el suelo y vacilar los edificios, oprimiendo de espanto y crispando de nerviosismo a la totalidad del auditorio. Afortunadamente, el seísmo se desvía, y un respiro de alivio sucede al agobio. La alarma del Santo no ha sido vana. La explosión de gratitud tras la oleada de terror es confesión colectiva del fruto de aquellas vigilias, henchidas de proféticas visiones, en que el santo predicador, cual otro Abraham, participa en la mediación y el secreto de los castigos y de las condescendencias divinas. Segunda etapa en la vida escolapia de San Pompilio es su estancia en Nápoles por otros doce años, 1747-1759. Tanto en el colegio de Caravaggio como en el de la Duquesa, ambos en la capital del reino napolitano, hallará campo más vasto para su celo. Desde Lanciano había solicitado del Papa el título de misionero apostólico. Benedicto XIV no le contestó; pero intensificó las misiones en las Dos Sicilias, en tanto que los superiores de la Orden desligaban a Pompilio de la tarea de la enseñanza para dedicarle plenamente a capellán permanente, predicador cotidiano y a confesor continuo de chicos y grandes en la iglesia de los respectivos colegios. Y en tal ambiente, y como director de la Archicofradía de la Caridad de Dios, se entrega a una vida apostólica fervorosísima, que Dios sella con incontables y sorprendentes prodigios. Tal vez hace falta en Nápoles un revulsivo así, cuando el regalismo de Tanucci, ministro del rey Carlos, el que luego en España será Carlos III, amenaza a la Iglesia en el reino no menos que el jansenismo de los capellorini. Una madre acude un día a la iglesia de Caravaggio con el inaplazable problema de que se le ha caído su hijito a un pozo. Pompilio se compadece, parte con ella hasta el brocal, hace la señal de la cruz, y en los procesos consta la maravilla de que el nivel de las aguas empieza a subir, como si el pozo las regurgitara, hasta que aflora el niño, ileso y sonriente, al alcance de la mano de su madre enloquecida. Una penitente del taumaturgo sufre los malos tratos de su marido, hombre vicioso y de áspera condición. Se encomienda a las oraciones de su confesor y experimentan las cosas tal cambio que hasta el esposo invita a un paseo por el campo el próximo domingo a su antes odiada mujer. Corre ella a contárselo al confesor, pero éste, sin darle total crédito, la pone en recelo y la aconseja que le llame, si llega a verse en peligro. Realízase lo del paseo dominical, mas ya en pleno campo el pérfido consorte saca un cuchillo y trata de asesinarla; pero, al invocar ella al padre Pompilio, aparece su figura demacrada y austera, arrebata el arma al asesino y le increpa de tal forma que cae de hinojos compungido y con promesa de confesión. Va, efectivamente, a confesarse a la mañana siguiente con el propio San Pompilio, y éste le muestra el consabido cuchillo. Pero lo más notable es que, a la hora precisa del frustrado atentado, el Santo estaba en público, en el púlpito de su iglesia, e interrumpió unos momentos su sermón, como abstraído en otra cosa, y lo continuó después sin aludir a nada. No tardó en saberse todo y quedó depuesto en los testimonios procesales. La bilocación no es fenómeno desconocido en las vidas de los santos. Más tierno y humano fue el incidente del sermón del 17 de noviembre de 1756. Lo interrumpió en el momento más inspirado de un párrafo vibrante; permaneció mudo unos minutos, que al expectante público parecieron eternos, y a continuación explicó: "Suplico un requiem aeternam por el alma bendita de mi madre, que en este instante acaba de fallecer". Y así innumerables hechos asombrosos. Mas la santidad no se prueba en los prodigios, sino en la tribulación y el sufrimiento. ¿Fue política externa de regalismo? ¡Fue política interna de separación de provincias entre la Pulla y la Napolitana? ¿Fueron —y es lo más probable— maquinaciones de los capellonni jansenistas que chocaban con las misericordiosas benignidades del confesonario del padre Pompilio? Lo cierto es que tanto del palacio real como de la cancillería arzobispal salieron órdenes a principios de 1759 suspendiendo del ministerio y desterrando del reino al taumaturgo de Nápoles. Los caballos de la calesa que le llevó primero al colegio de Posilino no quisieron arrancar hasta que el padre rector dio por obediencia la orden al propio desterrado. Consumado el primer paso, llegó de Roma el destino a Luga, en la Emlia, y a Ancona, en las Marcas, regiones centrales de Italia con colegios que no eran de la Pulla ni de Nápoles. De cuatro años fue esta que podemos llamar tercera etapa de la vida apostólica de San Pompilio, ni menos fervorosa ni menos fecunda que la de Nápoles o los Abruzos, y avalada además con la resignación y humildad con que abrazó toda obediencia. Pero el Señor dispuso su rehabilitación con la vuelta triunfal a Nápoles, el rectorado de Manfredonia, el apostolado en su ciudad natal de Montecalvo y el rectorado con el magisterio de novicios en Campi Salentino de la Pulla, donde brillaron sus últimos destellos y dejó con sus huesos la ejemplaridad de su santísima muerte. Por cierto, aquí revivió la figura del entero escolapio con sus preocupaciones docentes y hasta haciéndose cargo provisional de la escuela de los pequeñines. Pero no hay que omitir el doble carácter de externa austeridad y de dulzura interior que tiene las dos caras de la espiritualidad pompiliana. En pleno siglo XVIII, el de Voltaire y Rousseau, del enciclopedismo y del regalismo, del iluminismo y racionalismo, pródromos de la Revolución Francesa, San Pompilio predicó principalmente de los Novísimos o Postrimerías con los acentos de un San Vicente Ferrer, y plasmó la devoción a las almas del purgatorio en prodigios que pueden parecer ridículos al contarlos, pero que dejaron honda huella de pasmo y terror en los testigos presenciales al realizarse, como el rezar el rosario alternando con las calaveras de la cripta o carnerario de la iglesia de Caravaggio, o saludar y recibir contestación verbal de los esqueletos del cementerio de Montecalvo, y no en forma privada, sino ante multitudes. Por otra parte, su devoción a la Virgen obtuvo coloquios como el del Ave María contestado con un "Ave, Pompilio" de parte de la Mamma bel-la, como él llamó siempre a Nuestra Señora, y el bel-lo Amante fue el Corazón de Jesús, cuya devoción propagó con tantos favores y prodigios como Santa Margarita María de Alacoque. Fue, pues, San Pompilio una llamarada de sobrenaturalismo en los momentos mismos en que empezaba el intento de descristianización de los siglos XVIII y XIX de la Edad Moderna. Fue canonizado el 19 de marzo de 1934 por S.S. Pío XI.

    Ceslao de Cracóvia, Beato
    Presbítero Dominicano

    Ceslao de Cracovia, Beato

    Ceslao de Cracóvia, Beato

    Martirologio Romano: Em Breslau, na Silésia, beato Ceslao, um dos primeiros presbíteros da Ordem de Pregadores, que trabalhou pelo reino de Deus na Silésia e em outras regiões de Polónia (1242). Nascido na Polónia em 1180, foi um dos primeiros frades da Ordem de santo Domingo. Acompanhava o bispo de Cracóvia a Roma, junto com Jacinto de Polónia, quando atraídos pela vida e costumes do santo Padre Domingo ambos vestiram o hábito de nossa Ordem. Ceslao era já presbítero da colegiada de Santa María em Sandomierz quando entrou na Ordem. Notável por suas virtudes apostólicas, zeloso da missão de pregar o Evangelho e percorrendo a pé toda Silésia, ajudou a estender a Ordem e tomou parte na fundação da provincia de Polónia, de que foi provincial, especialmente do convento de Wroclaw (Breslavia). Morreu em 15 de julho de 1242. Suas relíquias se hão conservado em Wroclaw, numa capela que resultou intacta durante a segunda guerra mundial. Clemente XI confirmou seu culto no dia 27 de agosto de 1712.

    António Beszta-Borowski, Beato
    Sacerdote e Mártir

    Antonio Beszta-Borowski, Beato

    Antonio Beszta-Borowski, Beato

    Martirologio Romano: Na aldeia de Bielsk Podlaski, na Polónia, beato Antonio Beszta- Borowski, presbítero e mártir, que em tempo de guerra foi feito prisioneiro pelos inimigos da fé e fuzilado depois, descansando na paz de Cristo (1943). Nasceu em Borowskie Olki, Polónia, em 9 de setembro de 1880, ingressou na Casa Celestial em 15 de julho de 1943. Foi beatificado por S.S. João Paulo II em Varsóvia (Polónia) em 13 de junho de 1999 junto com outros 107 mártires polacos.

    Bernardo de Baden, Beato
    Laico

    Bernardo de Baden, Beato

    Bernardo de Baden, Beato

    Martirologio Romano: Em Montcallier, povo de Piemonte, beato Bernardo, marquês de Baden, que quando se dirigia a Oriente para defender aos cristãos, já que Constantinopla havia sido conquistada pelos inimigos, o surpreendeu a morte (1458).Etimologicamente: Bernardo = Aquele que é valente e batalhador, é de origem germânica. Moncalieri, cidade medieval a pouca distância de Turim é talvez a única em Itália a ter como patrono a um príncipe alemão. Bernardo filho do margravio de Baden Giacomo V e Catalina de Lotaringia, nasceu em 1428; Baden é uma região histórica da Alemanha sul-ocidental correspondente à Selva Negra e cujo centro mais importante, é hoje Baden Baden; o margravio na Idade Média, era um título equivalente ao de marquês, dado aos súbditos alemães, a quem era confiada a defesa das terras fronteiriças. De Bernardo se tem pouca informação sobre sua vida, foi educado na corte de França e encaminhado a carreira militar por Francesco Sforza (1401-1466). Em 1447 ao serviço da República Ambrosiana, participou na defesa de Milão durante a invasão dos venezianos. Se sabe que estuvo comprometido matrimonialmente con Magdalena, hija de Carlo VII de Francia, pero parece que la boda nunca se celebró. Posteriormente dejó la vida militar para seguir la carrera diplomática, más apta a su pacífica personalidad, dentro de este campo desarrolló su actividad al servicio del emperador Federico III, renunciando para ello al trono de Baden, título al que era heredero después de la muerte del padre; dejando la regencia a su hermano Carlos, para así dedicarse a cumplir misiones de paz entre numerosos principados Europeos. Cayó enfermo, y decide emprender el viaje para regresar a Baden atravesando el Piamonte, pero le llega a Moncalieri muere el 15 de julio de 1458 pese a los cuidados que recibió de los frailes franciscanos que lo hospedaron; posiblemente la causa de la muerte de este joven príncipe de 30 años, no fue la peste, sino las consecuencias del debilitamiento físico, después de que haber superado la fase aguda de aquella enfermedad, de haber estado contagiado no habría emprendido el viaje, lo que hubiese extendido la epidemia en otros lugares e incluso contagiado a sus acompañadores. Durante los solemnes funerales las virtudes de mensajero y operador de paz fueron exaltados, y ocurrió un primer milagro, con la curación inmediata de un moncalierese, enfermo gravemente en sus extrmidades inferiores. Fue enterrado en la iglesia de Santa María de la Scala y sobre su sepulcro siguieron sucediendo numerosos milagros, que hicieron extender la veneración y el culto de beato en varias regiones de Europa. El Papa Clemente XIV el 16 de septiembre de 1769 confirmó su culto, declarándolo patrón del Ducado de Baden, de la diócesis de Friburgo, de la ciudad de Moncalieri y de la de Vic en la diócesis de Nancy en Francia. Generalmente es representado vestido con la armadura, apoyado a un asta, en cuyo extremo hay una cruz o un estandarte. Moncalieri, en los días anteriores el 15 de julio, día de su celebración litúrgica, brinda toda una serie de manifestaciones religiosas, costumbres folcloricas, conmemorativas, con la procesión de la urna de plata que contienen las reliquias del beato Bernardo II margravio de Baden y su patrón responsable de la traducción: Xavier Villalta

    Santos Eutrópio, Zósimo e Bonosa, mártires

    Santi Eutropio, Zosima e Bonosa

    Em Porto Romano, santos Eutropio, Zósima e Bonosa, mártires (s. IV).

    São Félix, bispo e mártir

    Santi Catulino e companheiros

    Em Cartago, na via chamada dos Escilitanos, na basílica de Fausto, inumação de são Félix, bispo de Tibiuca e mártir, que por ordem do procurador Magniliano para que atirasse ao fogo os livros da Sagrada Escritura, respondeu que preferia ser ele queimado antes de tal fazer, pelo que o procurador Anulino mandou que o atravessassem com uma espada (303).

    Santos Catulino e companheiros, mártires

    Santi Catulino e compagni

    Em Cartago também, comemoração dos santos Catulino, diácono e mártir, louvado por santo Agostinho num sermão ao povo, e outros santos mártires que descansam na basílica de Fausto (303).

    Santos Felipe e dez meninos, mártires

    Santi Filippo e dieci infanti

    Em Alexandria, cidade de Egipto, santos mártires Felipe e dez crianças (c. s. IV).

    Santo Abudémio, mártir

    Abudemio

    Na ilha Ténedo, no Helesponto, santo Abudemio, mártir (s. IV).

    Santo Jacobo, bispo

    San Giacomo di Nisibi

    Em Nísibe, na Mesopotâmia, Jacobo, primeiro bispo desta cidade, que interveio no Concilio de Niceia e dirigiu seu rebanho em paz, alimentando-o espiritualmente e defendendo-o com energia dos inimigos da fé (338).

    Santo Plequelmo, bispo

    San Plechelmo

    Perto de Roermond, na ribeira do Mosa, nos Países Baixos, santo Plequelmo, bispo, oriundo de Nortumbria, que dedicou sua vida a dar a conhecer a muitos as riquezas da fé em Cristo (c. 713).

    Santo Gumberto, abade

    San Gumberto di Ansbach

    No mosteiro de Ansbach, em Franconia, santo Gumberto, abade, que fundou este mosteiro numa casa de campo de sua propriedade (c. 790).

    São José, bispo e confessor

    San Giuseppe Studita di Tessalonica

    Em Tesalia, trânsito de são José, bispo de Tesalónica, irmão de são Teodoro Studita, que durante sua vida de monje compôs muitos hinos e, promovido ao episcopado, teve que sofrer cedo muitos e cruéis tormentos, pois se viu precisado a defender a disciplina eclesiástica e as sagradas imagens. Relegado a Tesalia, morreu de fome (832).

    Santo Atanásio, bispo e confessor

    Atanasio di Napoli

    Em Nápoles, cidade da Campania, santo Atanasio, bispo, a quem as insidias de seu impio sobrinho Sergio fizeram sofrer muito, até ver-se inclusive expulso de sua sede episcopal. Sumido na miséria, voou ao céu em Véroli, país dos hérnicos (872).

    Santos Ansuero e 28 companheiros, monges e mártires

    Ansuero di Ratzeburg

    Em Ratzeburg, de Schleswig-Hostein, em Germania, santo Ansuero, abade e mártir, lapidado com outros 28 monjes pelos pagãos de Wendes, sublevados contra quem pregavam o Evangelho (1066).

    Santo David, abade

    Davide di Svezia (David de Vasteras)

    Em Västeras, na Suécia, santo David, bispo, que, originário de Inglaterra, abraçada a vida monástica como monje cluniacense foi a pregar a fé cristã aos suecos, e descansou piedosamente, já ancião, no mosteiro que ele mesmo havia fundado (c. 1082).

    Beato Miguel Bernardo Marchand, presbítero e mártir

    Beato Michele Bernardo Marchand

    No mar, ante a costa de Rochefort, beato Miguel Bernardo Marchand, presbítero e mártir, que durante a Revolução Francesa foi encarcerado em Rouen por ser sacerdote, sendo trasladado depois a uma velha nave, em que adoeceu e morreu (1794).

    Santo André Nguyên Kim Thông Nam (Nam Thuông), mártir

    Andrea Nguyen Kim Thong Nam

    Na provincia de My Tho, na Cochinchina, santo Andrés Nguyên Kim Thông Nam (Nam Thuông), mártir, o qual, em tempo do imperador Tu Duc, por ser catequista foi primeiro encarcerado e depois desterrado, obrigado a caminhar até ao desterro encadeado e carregado com um madeiro, pelo que morreu no caminho como autêntico mártir (1855).

    90649 > San Felice di Tubzak Vescovo e martire 15 luglio MR

    San Felice di Tubzak

    62760 > San Giacomo di Nisibi Vescovo 15 luglio MR

    San Giacomo di Nisibi

    62780 > San Giuseppe Studita di Tessalonica Martire 15 luglio MR

    San Giuseppe Studita di Tessalonica

    62770 > San Gumberto di Ansbach Abate 15 luglio MR

    San Gumberto di Ansbach

    62820 > Beato Michele Bernardo Marchand Martire 15 luglio MR

    Beato Michele Bernardo Marchand

    94196 > Beato Pietro Aymillo Vescovo 15 luglio

    Beato Pietro Aymillo

    62830 > San Pietro Nguyen Ba Tuan Martire 15 luglio MR

    San Pietro Nguyen Ba Tuan

    91589 > San Plechelmo Vescovo missionario 15 luglio MR

     San Plechelmo

    93584 > Sant' Uriel Arcangelo 15 luglio (Chiese Orientali)

    Sant' Uriel

    62675 > Santa Valentina Venerata a Nevers 15 luglio

    Santa Valentina

    Ver sites assinalados: www.es.catholic.net/santoral, www.santiebeati.it e www.jesuitas.pt

     

     

    00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
    Localização geográfica da sede deste Blogue, no Porto
    Viso---mapa_thumb_thumb_thumb_thumb_[2]
    http://confernciavicentinadesopaulo.blogspot.com
    ***************************************************************************************************************

     

    NOTA:
    Como podem verificar, existem umas alterações – que aliás, já vinham sendo estudadas há algum tempo, - dado que não me agradava muito a forma como vinha processando estes textos, pelo tempo e pelo trabalho que originava. Assim, a partir de agora e, enquanto “não mudar de ideias”, continuarei a utilizar a recolha dos nomes dos santos através do livro “SANTOS DE CADA DIA” de www.jesuítas.pt, e dos sites http://es.catholic.net/santoral e http://santiebeati.it., os textos (originais, sem tradução) e imagens ali publicados. Independentemente disso, poderei pontualmente efetuar a recolha através de outros sites, que serão referenciados, sempre que os utilizar. Só quando tiver possibilidade é que efetuarei traduções ou transcrições completas – estas, principalmente no caso em que ainda não as tenha efetuado em menções dos anos anteriores.
    Quanto aos textos editados por MMI IMP S.r.l./IMP BV – impressa na União Europeia (Ver blogue nº 1153 – 3/1/12) na Coleção de Histórias de Santos que nos inspiraram, intitulada “Pessoas Comuns – Vidas Extraordinárias” também deixarei de os transcrever, embora possa referir os seus nomes
    Continuarei ainda, a procurar colocar os nomes por Ordem alfabética (quando isso me for possível, pois de momento, ainda não resolvi o problema que a formatação está causando) – evidentemente após a inserção de um dia especial, dedicado a Jesus Cristo, a Nossa Senhora, Anjos ou algum Santo, em particular, que ocorram em cada dia.
    Peço-vos a melhor compreensão e as minhas maiores desculpas e obrigado.
    Responsabilidade exclusiva de ANTÓNIO FONSECA
    email: antoniofonseca1940@hotmail.com
    Obrigado. António Fonseca
    Sites utilizados: http://bibliaonline.com.br/acf; http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt/
    WWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWW
    Porto, 15-7-2012 – 10,00 H
    ANTÓNIO FONSECA