OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Vidas de Papas da Igreja Católica (17) - 26 de Dezembro de 2012


Caros Amigos:
Desde o passado dia 11-12 que venho a transcrição das Vidas do Papas (e Antipapas)
segundo textos do Livro O PAPADO – 2000 Anos de História.
*********************************
SÃO BONIFÁCIO I
Bonifcio I
Santo Bonifácio I
(De 418 a 422)
Foi eleito em 28 de Dezembro de 418.
Ainda antes do funeral de São Zózimo, o arcediago Eulalio dirige-se com alguns apaniguados para Latrão e faz-se aclamar papa.
No dia seguinte, a grande maioria dos presbíteros, refeita da surpresa, elege Bonifácio como papa, um presbítero douto e exemplar que tinha desempenhado com grande acerto difíceis missões diplomáticas no pontificado de Santo Inocêncio.
O imperador Honório, que estava em Ravena, foi mal informado, sanciona a eleição de Eulálio e decreta que Bonifácio se ausente de Roma. Logo que é posto ao corrente do que se tinha passado, e vendo a mentira de Eulálio, convoca um sínodo para o Espoleto, alargado aos bispos da Gália e do Norte de África, e a eleição de Bonifácio é confirmada em 3 de Abril de 419.
A grande preocupação deste papa foi o pelagianismo, que se tinha concentrado em Marselha, na Gália, e não hesitou em confirmar a condenação da heresia exarada por São Zózimo, o que lhe valeu a simpatia e a adesão de Santo Agostinho.
Durante este pontificado faleceu São Jerónimo, um grande Doutor da Igreja.
Segundo o Liber Pontificalis, São Bonifácio reforçou as disposições do seu antecessor quanto ao acesso ao sacerdócio, decretando que ninguém o pudesse receber antes dos 30 anos.
Está sepultado  no Cemitério de Máximo, junto à sepultura de Santa Felicidade, na Via Salária.

*****************************
EULÁLIO – (antipapa)
(De 418 a 419)
Após a morte de São Zózimo (418), o arcediago Eulálio não esperou que as cerimonias fúnebres terminassem, dirigiu-se à pressa para Latrão acompanhado dos seus apaniguados e fez-se aclamar papa em 27 de dezembro de 418.
O clero, depois da surpresa por esta atitude, reagiu e, no dia seguinte, elegeu São Bonifácio como papa.
O imperador Honório, que se encontrava em Ravena, foi mal informado, sanciona a eleição de Eulálio e manda que Bonifácio se ausente de Roma. Pouco depois, conhecendo a verdade, convoca um sínodo em Espoleto, alargado aos bispos da Gália e do Norte de África, onde a eleição de São Bonifácio foi confirmada, mas esta intromissão do poder civil na vida eclesiástica abriu um  precedente pouco edificante.
Eulálio não se convenceu e pela força das armas tenta entrar em Latrão. Finalmente, em 3 de Abril de 419, quando o imperador reconheceu Bonifácio, foi expulso de Roma.
São Bonifácio condenou a heresia exarada pelo seu antecessor, o que lhe valeu a adesão e a simpatia de Santo Agostinho, acabando com a ilegalidade do antipapa Eulálio, que a ele se viria a submeter.
*******************************
SÃO CELESTINO I
Celestino I
Santo Celestino I
(De 422 a 432)
Foi escolhido por unanimidade, sem oposição, e eleito papa em 10 de Setembro de 422, seis dias depois da morte de São Bonifácio.
O seu pontificado foi afectado por uma nova heresia, o nestorianismo, que atingia uma verdade fundamental no cristianismo: como podia Jesus Cristo ser simultaneamente Deus e Homem?
Cristo continuava a ser o problema, como já fora para outros hereges que lhe negavam a humanidade, reduzindo-o a simples aparência.
Elevado à dignidade patriarcal de Constantinopla em 428, Nestório afirmava  que Maria não podia chamar-se Mãe de Deus, mas simplesmente Mãe de Cristo, uma vez que, contra o que a Igreja sempre admitira, em Cristo não havia apenas uma Pessoa (a divina), mas duas: uma divina e outra humana. Maria gerara e dera à luz a Pessoa humana e, por isso, só essa podia chamar-se Mãe.
Saiu a contradizê-lo o bispo de Alexandria, São Cirilo, iniciando uma polémica cada vez mais contundente.
Celestino reúne um sínodo em Agosto de 430 e comunica ao bispo que condenava a doutrina de Nestório, encarregando-o, como seu legado, de comunicar ao patriarca de Constantinopla a sua destituição, caso não se retractasse por escrito. Ao mesmo tempo escreve a Nestório exortando-o à ortodoxia e avisando-o de que deveria obedecer às determinações do patriarca de Alexandria, sob pena de ser deposto.
Nestório discorda, não obedece e recorre ao imperador, pedindo que o assunto fosse julgado em concílio. O imperador concorda e São Celestino aceita e nomeia três delegados seus para a sua realização em Éfeso. Aberto o concílio no domingo de Pentecostes de 431, com a presença de quatro bispos, Nestório nega-se a comparecer, alegando a ausência de vários bispos orientais. São Cirilo, que adiara a abertura por 15 dias, dá início à discussão das doutrinas de Nestório, que foram condenadas por unanimidade.
Numa segunda sessão, com  a presença dos representantes antioquenos e dos legados do papa, confirma-se, de novo, a rejeição da doutrina nestoriana como herética. Os bispos antioquenos não aceitam tal decisão e protestam junto do imperador, que manda prender São Cirilo, mas depois muda de opinião e permite que o concílio se conclua em Setembro do mesmo ano.
Neste concílio foi também atribuído a Maria o titulo de «Mãe de Deus».
São Celestino suprimiu o semi-pelagianismo nas Gálias e enviou para a Irlanda e Escócia os apóstolos São Patrício e São Paládio, em campanha missionária.
Atribuiu-se-lhe a introdução do cântico dos salmos na liturgia, como preparação da celebração eucarística, bem como o «Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós», acrescentando à recitação da ave-maria.
Quando faleceu, deixou uma igreja não pacificada de todo, pois Nestório continuava a difundir as suas heresias. Foi sepultado no Cemitério de Santa Priscila e no túmulo os seus contemporâneos escreveram: «A sua alma santíssima goza já da visão de Deus».
Continua:…
Post colocado em 26-12-12 – 11H00
ANTÓNIO FONSECA

Nº 1511-3 - A RELIGIÃO DE JESUS - SANTO ESTEVÃO PROMÁRTIR - 26 de Dezembro de 2012

1511-3
Do livro A Religião de Jesus, de José Mª Castillo – Comentário ao Evangelho do dia – Ciclo A (2010-2011) – Edição de Desclée De Brouwer – Henao, 6 – 48009 Bilbaowww.edesclee.cominfo@edesclee.com: tradução de espanhol para português, por António Fonseca
Estrela O texto dos Evangelhos, que inicialmente estavam a ser transcritos e traduzidos de espanhol para português, diretamente através do livro acima citado, são agora copiados mediante a 12ª edição do Novo Testamento, da Difusora Bíblica dos Missionários Capuchinhos, (de 1982, salvo erro..). No que se refere às Notas de Comentários continuam a ser traduzidas como anteriormente.AF.
26 de Dezembro de 2012
SANTO ESTEVÃO PROMÁRTIR
Mt 10, 17-22
«Tende cuidado com os homens: Hão-de entregar-vos aos tribunais do Sinédrio e açoitar-vos-ão nas sinagogas; sereis levados perante governadores e reis, por Minha causa, para dar testemunho diante deles e dos pagãos. Mas, quando vos entregarem, não vos preocupeis nem com o que haveis de falar nem com o que haveis de dizer. Não sereis vós a falar, é o Espírito do vosso Pai que falará por vós. O irmão entregará o seu irmão à morte, e o pai, o seu filho; os filhos erguer-se-ão contra os pais e hão-de causar-lhes a morte. E vós sereis odiados por todos, por causa do Meu nome. Mas aquele que se mantiver firme até ao fim será salvo».
 
1 – Ontem, nós cristãos recordávamos o nascimento de Jesus, que segue sendo uma denúncia de todos os nossos abusos económicos e da corrupção em que se amassa a desgraça de milhões de criaturas. Hoje, o dia seguinte de um parto no desamparo, recordamos uma morte violenta. A morte do primeiro cristão, que irritou os fanáticos da religião. Se Jesus nos emociona com a única coisa que podia ter, a sua bondade; Estevão nos impressiona com  o que mais se destaca nele, sua liberdade
2Estevão era o líder de um grupo de judeus, que se haviam feito cristãos, mas que procediam do estrangeiro. Eram helenistas (de origem grega). O mais provável é que estes helenistas não sabiam hebreu. Por isso, seguramente tinham sérias diferenças com os cristãos de Jerusalém. Eram pior tratados dos que os cristãos de língua hebraica. E tinham diferenças importantes em dois assuntos básicos da religião. A Estevão o acusavam de que falava contra o templo e contra a lei (Act 6, 13).
3 – O facto é que Estevão havia dado conta de algo que, muito antes, viu o próprio Jesus: quando a religião dá mais importância “ao sagrado(o templo, a lei) do que “ao humano” (o que necessitam as pessoas), essa religião engana as pessoas, perverte os fiéis, e não leva a Deus. Mas, é claro: os dirigentes religiosos, os de então e os de agora, não suportam nem esta maneira de pensar nem este discurso. E ali começou o aterrador discurso dos cristãos, que disseram e dizem: «Eu, pela religião, mato!». Desde então há na Igreja vítimas e verdugos. É a máxima traição a Jesus,  e à sua Igreja.
0000000000000000000000000000000000000000000000000000000
=======================================================
Viso - mapa
http://confernciavicentinadesopaulo.blogspot.com/
Compilação (e tradução dos comentários) por António Fonseca
http://bibliaonline.com.br/acf;
NOTA FINAL:
Continuo a esclarecer que os comentários aos textos do Evangelho, aqui expressos, são de inteira responsabilidade do autor do livro A RELIGIÃO DE JESUS e, creio eu… apenas retratam a sua opinião – e não a minha ou de qualquer dos meus leitores, que eventualmente possam não estar de acordo com ela. Eu apenas me limito a traduzir de espanhol para português os Comentários.
NEM EU NEM NINGUÉM ESTÁ OBRIGADO A ESTAR DE ACORDO.
Mais uma nota ainda:
Estes são os meus endereços atuais:
Para contactos normais: antoniofonseca1940@hotmail.com
e sobre o blogue: - antoniofonseca40@gmail.com
Hiperligações normais que utilizo para textos insertos no blogue:
- http://bibliaonline.com.br/acf; http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt
Post para publicação em 26-12-2012 - 10,30 h
Até lá, se Deus quiser.
António Fonseca
http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt; http://bibliaonline.com.br/acf
Imagem no mapa



















Nº 1510-2 - O ANTIGO TESTAMENTO - LEVÍTICO “4” - 26 de Dezembro de 2012


antoniofonseca1940@hotmail.com

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
FELIZ  NATAL  DE  2012
e
BOM  ANO  NOVO  DE  2013
feliz-natal_thumb_thumb
ImageProxyCA9NMG6W
»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
Caros Amigos:
Ver por favor a edição de, 12 de Novembro, deste Blogue.
Resolvi simplesmente começar a editar o ANTIGO TESTAMENTO que é composto pelos seguintes livros:
GÉNESIS, ÊXODO, (Estes já estão…) – Faltam apenas 1120 páginas… sejamos optimistas.
LEVÍTICO, NÚMEROS, DEUTERONÓMIO, constantes do PENTATEUCO; JOSUÉ, JUÍZES, RUTE, 1º E 2º de SAMUEL, 1º e 2º Reis, (2) CRÓNICAS (paralipómenos), ESDRAS, NEEMIAS, TOBIAS, JUDITE, ESTER, 1º E 2. MACABEUS (Livros históricos); JOB, SALMOS, PROVÉRBIOS, ECLESIASTES, CÂNTICO DOS CÂNTICOS, SABEDORIA, ECLESIÁSTICO (Livros Sapienciais ); ISAÍAS, JEREMIAS, JEREMIAS – Lamentações, BARUC, EZEQUIEL, DANIEL, OSEIAS, JOEL, AMÓS, ABDIAS, JONAS, MIQUEIAS, NAUM, HABACUC, SOFONIAS, AGEU, ZACARIAS e MALAQUIAS (Profetas).
SÃO APENAS POUCO MAIS DE 40 LIVROS = 1260 PÁGINAS … (coisa pouca…)
Poderei porventura dar conta do recado? Se calhar, não!
Só Deus o sabe e decerto providenciará o que lhe aprouver!
SEI: que é uma tarefa ciclópica, impossível., etc., para os meus 72 anos. Desconheço se conseguirei executar esta tarefa e sei os limites que poderão antepor-se-me, mas CREIO EM DEUS TODO-PODEROSO que não me desamparará em ocasião alguma.
Com Fé e perseverança tudo se consegue e portanto irei até onde Deus me permitir, rezando todos os dias para que eu possa Evangelizar com os meios que tenho à disposição, durante o tempo que Deus Nosso Senhor Jesus Cristo entender.
Se o conseguir, darei muitas Graças a Deus
»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

Como afirmei inicialmente, Envolvi-me nesta tarefa, pois considero ser um trabalho interessante, pois servirá para que vivamos mais intensamente a Vida de Jesus Cristo que se encontra sempre presente na nossa existência, mas em que poucos de nós (eu, inclusive) tomam verdadeira consciência da sua existência e apenas nos recordamos quando ouvimos essas palavras na celebração dominical e SOMENTE quando estamos muito atentos,o que se calhar, é raro, porque não acontecendo assim, não fazemos a mínima ideia do que estamos ali a ouvir e daí, o desconhecimento da maior parte dos cristãos do que se deve fazer para seguir o caminho até Ele.
Como Jesus Cristo disse, aos Apóstolos, no dia da sua Ascensão ao Céu:
IDE POR TODO O MUNDO E ENSINAI TODOS OS POVOS”.

É apenas isto que eu estou tentando fazer. AF.
+++++++++++++++++++++++

Nº 1510 - 2ª Página

26 de Dezembro de 2012
ANTIGO TESTAMENTO

L E V Í T I C O
 
4 – SACRIFICIOS EXPIATÓRIOS PELO PECADO

4 – SACRIFICIOS EXPIATÓRIOS PELO PECADOO Senhor disse a Moisés: «Fala aos filhos de Israel e diz-lhes: Quando um homem tiver pecado por ignorância contra um dos mandamentos do Senhor, fazendo coisas que não deveria fazer se for o sacerdote já ungido, quem, pecou, causando escândalo ao povo, oferecerá ao Senhor, pelo pecado que cometeu, um novilho sem defeitos, como expiação. Apresentará o novilho diante do Senhor, à entrada da tenda da reunião, apoiará a mão sobre a cabeça do novilho, que imolará diante do Senhor. Depois, o sacerdote ungido tomará o sangue do novilho e levá-lo-á à tenda da reunião; molhará o dedo no sangue e fará sete aspersões diante do Senhor, na direção do véu do santuário. espalhará também sangue sobre as hastes do altar, em que se queima os perfumes diante do Senhor, e que está na tenda da reunião; e derramará o resto do sangue do novilho no receptáculo do altar dos holocausto que está à entrada da tenda da reunião. Oferecerá a gordura do novilho imolado pelo pecado, tanto a que envolve as entranhas, como a que está aderente: os dois rins com a gordura que os envolve na região lombar, e a membrana que separa o fígado dos rins. procederá como se procede com o novilho do sacrifício de ação de graças e queimará  tudo sobre o altar dos holocaustos. mas a pele do novilho, toda a sua carne, a cabeça, as pernas, as entranhas, com os excrementos, numa palavra, o novilho inteiro levá-lo-á para fora do acampamento, a um lugar puro, onde se deitam as cinzas, queimando tudo sobre lenha; será queimado no lugar onde se deitam as cinzas. Se toda a assembleia de Israel pecar por ignorância e, sem disso se aperceber, cometer alguma ação proibida pelos mandamentos do Senhor tornando-se assim culpada; se o pecado cometido por ela vier a ser  conhecido, a assembleia oferecerá em sacrifício expiatório um novilho que será conduzido para diante da tenda da reunião. Os anciãos da assembleia apoiarão as mãos sobre a cabeça do novilho, diante do Senhor, e imolá-lo-ão na presença do Senhor. Depois, o sacerdote ungido levará o sangue do novilho, para a tenda da reunião e, molhando o dedo no sangue, fará sete aspersões diante do Senhor, na direção do véu; espalhará sangue nas hastes do altar que está diante do Senhor, na tenda de reunião, e derramará o resto do sangue no receptáculo do altar dos holocaustos, que estará à entrada da tenda da reunião. Tirará toda a gordura do novilho para a queimar sobre o altar, procedendo com este novilho como procedeu com o novilho expiatório. Assim procederá o sacerdote para a expiação de todos, e ser-lhes-á perdoado. Depois, levará o novilho para fora do acampamento, queimando-o como ao antecedente. este é o sacrifício pelo pecado da assembleia dos filhos de Israel. Se um chefe pecou por ignorância, cometendo alguma ação proibida pelos mandamentos do Senhor, seu Deus, tornando-se assim culpado, ao reconhecer o pecado cometido, apresentará como oferta um bode macho sem defeitos. Apoiará a mão sobre a cabeça do bode, que degolará no lugar onde se degola o holocausto  diante do Senhor. É um sacrifício pelo pecado. O sacerdote  molhará o dedo no sangue da vítima oferecida pelo pecado, espalhá-lo-á nas hastes do altar, e derramará o resto do sangue no receptáculo desse mesmo altar. Queimará sobre o altar, toda a gordura, como se queima nos sacrifícios de ação de graças. Assim o sacerdote fará por esse chefe a expiação do seu pecado, e ser-lhe-á perdoado. Se for alguém do povo que pecou por ignorância, cometendo alguma ação proibida por um dos mandamentos do Senhor, tornando-se assim culpado, ao reconhecer que pecou, apresentará pelo pecado cometido, como oferta, uma cabra fêmea sem defeitos. Apoiará a mão sobre a cabeça da vítima oferecida pelo pecado e degolá-la-á no mesmo lugar do holocausto. O sacerdote molhará o dedo no sangue da vítima, espalhá-lo-á nas hastes do altar dos holocaustos, e derramará o resto do sangue no receptáculo do altar. Tirará toda a gordura, como no sacrifício de ação de graças, e queimá-la-a sobre o altar em agradável odor ao Senhor. Assim, o sacerdote fará expiação por esse homem, e ser-lhe-á perdoado. Se oferecer um cordeiro em expiação do pecado, oferecerá uma fêmea sem defeitos. Apoiará a mão sobre a cabeça da vítima oferecida pelo pecado e degolá-la-á em sacrifício expiatório, no lugar onde se degola o holocausto. O sacerdote molhará o dedo no sangue da vítima oferecida pelo pecado, espalhá-lo-á nas hastes do altar dos holocaustos, e derramará o resto do sangue no receptáculo do altar. Tirará toda a gordura, como se tira a gordura do cordeiro no sacrifício de ação de graças, e queimá-la-á sobre o altar, entre os sacrifícios queimados diante do Senhor. Assim fará o sacerdote expiação pelo pecado que esse homem cometeu, e ser-lhe-á perdoado.
5Se alguém, apresentado como testemunha, não quiser declarar o que viu ou o que sabe, ficará assim sobrecarregado com um pecado; se alguém tocar seja no que for de impuro, quer seja no cadáver de um  animal impuro, doméstico ou selvagem, ou no dum réptil, sem disso ter conhecimento, tornar-se-á também impuro e culpado. Ou se, inadvertidamente, tocar em qualquer impureza humana, e, mais tarde, vier a sabê-lo, tornar-se-á culpado. se alguém, falando irrefletidamente, se comprometer, por juramento, a fazer algo de penoso ou de agradável vindo a esquecê-lo reconhecendo-se depois culpado, deverá confessar o seu pecado. Apresentará ao Senhor, em expiação do pecado que cometeu, uma fêmea de gado miúdo, ovelha ou cabra, em sacrifício pelo pecado; e o sacerdote fará por ele a expiação do seu pecado. se não tiver meios para comprar uma ovelha ou uma cabra, oferecerá ao Senhor, em expiação do seu pecado, duas rolas ou duas pombas ainda novas; uma, como sacrifício pelo pecado, e outra, como holocausto. Levá-las-á ao sacerdote, que oferecerá primeiramente, a vítima do pecado: partir-lhe-á a cabeça, junto da nuca, sem a separar do pescoço; fará jorrar sangue da vítima, pelo pecado, sobre a parede do altar, e o resto do sangue será espremido no receptáculo do altar. É um sacrifício pelo pecado. Com a segunda ave, oferecerá um holocausto, segundo o ritual. Assim, fará o sacerdote, por esse homem, a expiação do pecado que ele cometeu, e ser-lhe-á perdoado. se não tiver meios suficientes para as duas rolas ou duas pombas ainda novas, apresentará como oferta, pelo seu pecado, a décima parte de um efá de flor de farinha, com o sacrifício expiatório; não lhe misturará azeite nem lhe porá incenso, porque é um sacrifício expiatório. Levá-lo-á ao sacerdote, que tomará um punhado como memorial e o queimará sobre o altar, entre os sacrifícios queimados diante do Senhor; é um sacrifício pelo pecado. Assim, fará o sacerdote expiação do pecado que esse homem cometeu, relativamente a um dos delitos mencionados, e ser-lhe-á perdoado. O que restar pertencerá ao sacerdote, como na oblação».
Sacrifícios de expiação – O Senhor disse a Moisés: «Se alguém cometer uma falta grave, desviando, por inadvertência, um dos objetos consagrados ao Senhor oferecerá por esta falta ao Senhor um carneiro sem defeito, escolhido no rebanho, no valor de dois siclos de prata, segundo o peso do santuário, com o oferta pelo delito. Reparará o dano que causou ao santuário juntando-lhe mais um quinto e entregando tudo ao sacerdote. Depois o sacerdote fará a expiação por ele, com o carneiro oferecido pelo delito, e ser-lhe-á perdoado. Se alguém pecar, violando um dos mandamentos do Senhor, e, não tendo a certeza do delito, estiver sob o peso de um pecado, apresentará ao sacerdote um carneiro sem defeito, escolhido no rebanho, conforme a avaliação da oferta pelo delito. O sacerdote fará por ele a expiação da falta cometida sem o saber, e ser-lhe-á perdoada. É uma oferta pelo delito, estando o homem culpado de um delito diante do Senhor». O Senhor disse a Moisés: «Se alguém pecar e cometer uma falta grave para com o Senhor, negando ao próximo um depósito, um valor que lhe tenha sido confiado, um objeto roubado, ou retendo em seu poder alguma coisa do seu próximo, ou negando ter encontrado um objeto perdido, e jurar falsamente, enfim, por qualquer um dos delitos pelos quais o homem pode tornar-se culpado, se pecar assim, e reconhecer a sua falta, restituirá o objecto roubado ou detido em seu poder, o depósito que lhe tinha sido confiado, ou o objecto perdido que encontrou. Da mesma forma, tudo quanto negou sob falso juramento pagá-lo-á integralmente, acrescentando-lhe um quinto do valor. Entregá-lo-á ao seu proprietário, no mesmo dia em que reconhecer a falta. Oferecerá ao Senhor, pelo seu delito, um carneiro sem defeito, escolhido do rebanho, conforme a troca de oferta pelo pecado, que entregará ao sacerdote; e o sacerdote fará, por ele, a expiação diante do Senhor, e receberá o perdão da falta de que se tornou culpado».

Arca-da-Aliana_thumb_thumb_thumb_thu[2]
A Arca da Aliança
0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
26 de Dezembro de 2012 - 10,15 h
ANTÓNIO FONSECA
map-1195aeac0b2f22222222222222222[2],

Nº 1511-1 - (361-12) - SANTOS DE CADA DIA - 26 de Dezembro de 2012 - 5º ano

antoniofonseca1940@hotmail.com
Oitava do Natal do Senhor
ImageProxyCAUZKAXC
Boas Festas
F E L I Z N A T A L e
A N O   N O V O  D E 2 0 1 3
»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
************************************************************
Nº 1511-1 - (361-12)
Imagem3189

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
I-Am-Posters
= E U   S O U =
»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»«««««««««««««««««««««««««««««««««
Nº 1511-1 – (361-12)

ESTEVÃO, Santo
Protomártir (entre 31 e 36)
Esteban, Santo
Estevão, Santo
Nos capítulos VI e VII dos Atos dos Apóstolos encontramos um longo relato sobre o martírio de Estevão, que é um dos sete primeiros Diáconos nomeados e ordenados pelos Apóstolos. Eis a descrição, tirada desse livro: «Estevão, porém, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. Levantaram-se então alguns da sinagoga, chamados dos Libertos e dos Cirenenses e dos Alexandrinos, e dos da Cicilia e da Asia e começaram a discutir com Estevão, e não puderam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava. Subornaram então alguns homens que disseram: “Ouvimo-lo proferir palavras blasfematórias contra Moisés e contra Deus”. E amotinaram o povo e os Anciãos e Escribas e apoderaram-se dele e conduziram-no ao Sinédrio; e apresentaram falsas testemunhas que disseram: “Este homem não cessa de proferir palavras contra o Lugar Santo e contra Lei; pois, ouvimo-lo dizer que Jesus, o Nazareno, destruirá este Lugar e mudará os usos que Moisés nos legou”. E todos os que estavam sentados no Sinédrio, tendo fixado os olhares sobre ele, viram o seu rosto como o rosto de um anjo». Num longo discurso, Estêvão evoca a história do povo de Israel, terminando com esta veemente apóstrofe: «”Homens de cerviz dura, incircuncisos de coração e ouvidos, resistis sempre ao Espírito Santo, vós sóis como os vossos pais. Qual dos profetas não perseguiram os vossos pais, e mataram os que prediziam a vinda do Justo que vós agora traístes e assassinastes? Vós que recebestes a Lei promulgada pelo ministério dos anjos e não a guardastes”.» Ao ouvirem estas palavras, exasperaram-se nos seus corações e rangiam os dentes contra ele. Mas ele, cheio do Espírito Santo, tendo os olhos fixos no céu, viu a glória de Deus e Jesus que estava à direita de Deus e disse: “Vejo os céus abertos e o Filho do homem que está à direita de Deus”. E levantando um grande clamor, fecharam os olhos e, em conjunto , lançaram-se contra ele. E lançaram-no fora da cidade e apedrejaram-no. e as testemunhas depuseram os seus mantos aos pés de um jovem, chamado Saulo. E apedrejavam Estevão que invocava Deus e dizia: “Senhor Jesus, recebe o meu espírito”. Depois, tendo posto os joelhos em terra, gritou em voz alta: “Senhor, não lhes contes este pecado”. E dizendo isto, adormeceu». Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas,pt
Dionisio, Santo
Dionisio, Santo
San Dionisio fue presbítero de la Iglesia de Roma en tiempo de los pontífices Esteban y Calixto II. Habiendo recibido este último la corona del martirio imperando Valeriano en 6 de agosto del año 258, quedó vacante la Santa Sede por la violencia de la persecución casi un año, hasta que nuestro Santo fue electo Papa el 2 de julio del 259. San Basilio ensalza hasta lo sumo su caridad, que se extendía hasta los últimos términos del Imperio. Cuando los godos después de haber saqueado a Cesaréa, capital de Capadocia, habían hecho esclavos y cautivos a los más de sus habitantes, escribió el buen Papa una carta de consolación a aquella ciudad, enviándola con un mensajero, y grandes sumas de dinero para el recate de varios cautivos. Dionisio condenó a Sabelio en un Concilio romano, y después confutó las blasfemias de Paulo de Samosata. San Atanasio y San Basilio usaron de sus elegantes escritos para probar la Divinidad del Hijo, y el último para probar también la del Espíritu Santo. San Atanasio testifica que los trescientos Padres del Concilio de Nicea no usaron de nuevas expresiones para defender la fe católica, sino de las que recibieron de los referidos pastores de la Iglesia, copiando particularmente las de San Dionisio Romano, y su amigo del mismo nombre, el Alejandrino. Este Santo Papa murió el 26 de diciembre del año 268.
Mártires de Songkhon (Tailândia)
BEATAS INÊS, LÚCIA KHAMBANG, ÁGATA FUTTA, CECÍLIA BUTSI, BIBIANA HAMPAI, MARIA FON e FILIPE SIFONG ONFITAK
Mártires na Tailândia (1940)
 Estrela Ver texto publicado ontem, dia 25/12-2011 neste blogue.
Em 1940, desencadeou-se na Tailândia uma perseguição feroz contra todos os que não aceitassem Buda como o seu Deus. O governo começou por expulsar os missionários estrangeiros. A seguir, com várias promessas, tentou atrair os cristãos ao budismo. Finalmente, condenou à morte os renitentes, Entre os heróis que preferiram a morte a renegar a própria fé, conta-se o catequista Filipe Sifong Onfitak , pai de 5 filhos, que nasceu no dia 30 de Setembro de 1907. Estudou na escola paroquial de Nong-seng e no seminário de Nok-khuek. Completou os estudos com êxito depois de sair do seminário. Foi professor na escola paroquial de Song-Khon perto da sua terra natal. Levava, juntamente com a família, uma vida exemplar. Respeitado por todos, era considerado um verdadeiro pai e chefe da comunidade cristã, depois da expulsão do padre missionário. Ele bem depressa se deu conta de que a sua vida corria perigo, mas não arredou pé. Os inimigos da fé católica, convencidos que a morte dele era um rude golpe para os cristãos, no dia 15 de Dezembro de 1940 chamaram-no a Makdahan. Enquanto ia a caminho, mataram-no nas margens do rio Tum Nok, perto de Fulakai, e ali o enterraram. Com a sua morte recrudesceu a perseguição. Tiraram as imagens das igrejas e destruíram-nas. Começaram a derrubar a catedral e a semear o terror. Obrigaram as religiosas de Song-Kong a depor o hábito. Elas responderam que podiam mudar de hábito, mas não de fé. No dia 25 de Dezembro de 1940 promoveram uma concentração na praça pública e proclamaram: «Está proibida a religião católica. Quem a seguir está condenado à morte. Se há aqui alguém que ainda queira ser cristão, que se apresente!». Levantou-se uma jovem de 16 anos, Cecilia Butsi, cozinheira da missão católica. Duas religiosas estavam presentes sem hábito. Foram a casa com a intenção de vestir o hábito e voltar. Eram Inês Fila e Lúcia Khambang. A primeira, que era a Superiora, escreveu uma carta, declarando que todas as da casa estavam dispostas a sofrer fosse o que fosse pela fé. No dia seguinte, vestiram-se como se fossem para uma festa e dirigiram-se para o cemitério a cantar os louvores de Deus. eis os seus nomes: 1. Irmã Inês Fila, de 30 anos. Tendo recebido o batismo ao 15, em 1924, entrou no Instituto as Irmãs Amantes da Cruz, em Siengvang. Foi depois para Song-Khon, onde, durante 7 anos, isto é, até à sua morte, se dedicou à educação de meninas, com grande espírito de oração e de renúncia própria, animada por generosa caridade para com todos. 2. Irmã Lúcia Khambang, de 23 anos. Nasceu em Viengkuk, a 22 de Janeiro de 1917. Recebeu o batismo nesse mesmo ano, e em 1925 o sacramento do crisma. Fez a profissão nas Irmãs Amantes da Cruz a 15 de Outubro de 1937. Três anos depois, derramou o seu sangue por Cristo e a Virgem Maria, a quem tinha muitíssima devoção. 3. Ágata Futta, leiga. Nasceu em 1881 de pais pagãos. Aos 21 anos recebeu o batismo e tornou-se cozinheira na escola do Sagrado Coração em Nonseng, depois em Pakse e finalmente nas Irmãs de Song-Khon. 4. Cecília Butsi, leiga. Veio à luz do dia a 16 de Dezembro de 1924. Dois dias depois foi batizada e crismada. Alegre, cristã fervorosa, não teve medo de dar a vida por Cristo. 5. Bibiana Hampai, leiga. Nasceu no dia 4 de Novembro de 1925 em Song-Khon. Muito fervorosa, ofereceu-se para substituir no martírio a neta de Maria Buakhai, que tinha horror à morte por suplício. 6. Maria Fon, leiga, que veio a este mundo no dia 6 de Janeiro de 1926, em Song-Khon. Muito piedosa, recebia os sacramentos com muita frequência e assim se preparou para dar a vida por Cristo na pujança dos seus 14 anos. O martírio glorioso dos sete Servos de Deus foi confirmado por rigoroso processo canónico e aprovado apelo Santo padre, João Paulo II, no dia 1 de setembro de 1988. O mesmo Sumo Pontífice proclamou-os beatos no dia 22 de Outubro de 1989. AAS 81 (1989) 377-82; L’OSS. ROM. 29-10.1989.
Nicodemos, o Consagrado, Santo
Fundador, 26 de dezembro
Etimologicamente significa “vencedor de um povo”. Vem da língua alemã. Dice Isaías:En una visión, Isaías oyó la voz del Señor que decía: ¿A quién enviaré? Y él contestó: Aquí estoy, envíame”. El santo de hoy nació en Procope, Serbia, hacia el año 1330 y murió en Tismana, Rumania, en el 1404. Estuvo durante mucho tiempo en el monasterio de Atos buscando la manera de santificarse. Volvió a Serbia a requerimientos del obispo y de las autoridades. Cuando se dio cuenta de que lo querían nombrar obispo y patriarca dela Iglesia de Serbia, se fue corriendo a Rumanía. Su gran mérito, entre otros, fue la fundación de monasterios en este país – que iba a perder su independencia posteriormente. Estos centros de espiritualidad serán más tarde los focos de verdaderos hogares cristianos y los bastiones contra la influencia islámica. Tuvo que dedicar gran parte de su tiempo a luchar contra los intrusos. No obstante, seguía fundando monasterios hasta el año 1387, que fundó el último. Hoy es la célebre abadía de Tismana, en la que él murió. Desde entonces, los rumanos van cada año en peregrinación para rezarle y darle gracias por el valor que tuvo en impedir la invasión musulmana. Estuvo, como Isaías, dando respuestas positivas a Dios en cuanto le ordenara en el interior de su corazón y en su continua unión con él mediante la plegaria. ¡Felicidades a quien lleve este nombre! “No todas las preguntas merecen respuesta” (Siro).
Vicenta María López y Vicuña, Santa
Fundadora
Vicenta Mara Lpez y Vicua, Santa
Vicenta María López y Vicuña, Santa
Fundadora das Religiosas de María Imaculada
(Cascante [Navarra] 22.III.1847 – Madrid 26.XII.1890)
Santa, fundadora das Religiosas de María Imaculada (Serviço Doméstico). Desde pequena recebeu uma esmerada educação humana e cristã. Seu pai, José María López, membro do Colégio de Advogados de Pamplona, foi seu primeiro mestre. A partir de 1857, com o fim de completar sua educação reside em Madrid, com seus tios maternos D. Manuel María e dona María Eulalia Vicuña. Estes haviam iniciado em Madrid uma obra apostólica e benéfica assistencial para a acolhida e educação de jovens serventes. Vicenta María continúa sus estudios en la misma casa de sus tíos a la que asisten profesores particulares. Su tía María Eulalia le elabora una distribución del tiempo, dedicado principalmente al estudio y a las prácticas religiosas. Solía también acompañar a su tía en las visitas al “Asilo de sirvientas”. Estas visitas abren sus ojos a una realidad nueva para ella y son como la semilla de la que brotará su vocación. Su colaboración e inclinación a trabajar en la obra iniciada por sus tíos van siendo cada vez mayores. A los 17 años, resuelta a dedicar su vida a aquel apostolado y convencida de la necesidad de fundar una congregación religiosa que garantice su continuidad, comunica la idea a su director espiritual el P. Víctorio Medrano SJ. El jesuita aprueba la idea con la consigna de dejar en suspenso la resolución para el porvenir. En el mes de marzo de 1868 hace Ejercicios Espirituales en el Primer Monasterio de la Visitación y sale confirmada en su decisión de fundar. En el mes de mayo escribe a sus padres, para informarles de que ya no la retiene en Madrid su educación, sino el seguir la vocación. Sus padres se oponen al proyecto y la obligan a ir a Cascante, donde permanece siete meses. Regresó a Madrid en febrero de 1869 y se dedicó por completo al desarrollo de la obra a favor de las sirvientas y a la elaboración de las Constituciones y reglas de la nueva congregación. La situación social y política retrasó el momento de la fundación pero Vicenta María con su tía María Eulalia y un pequeño grupo de señoras empezaron a hacer vida de comunidad a partir del 22 de febrero de 1871 en un piso de la plaza de San Miguel, número 8, en el que convivían con las jóvenes sirvientas acogidas. En julio de 1875, el P. Isidro Hidalgo y Soba SJ se hizo cargo de la dirección espiritual de Vicenta María y sus compañeras. En marzo de 1876, el siervo de Dios, Dr. Ciriaco María Sancha y Hervás fue nombrado Obispo Auxiliar de la Diócesis de Toledo con residencia en Madrid e intendente general de las Órdenes religiosas. La presencia en Madrid del Sr. Obispo Sancha y del P. Hidalgo fue providencial para el impulso definitivo de aquella obra y la fundación del nuevo Instituto. El 11 de junio de 1876, Solemnidad de la Santísima Trinidad, D. Ciriaco María Sancha impuso el hábito religioso a Vicenta María López y Vicuña y a otras dos compañeras suyas: nacía la Congregación de Hermanas del Servicio Doméstico (el nombre actual de la Congregación, después de varios cambios es “Religiosas de María Inmaculada”). La joven fundadora vivió en aquella jornada la felicidad de ver nacer la nueva Congregación y el sufrimiento que le proporcionaba la negativa de sus padres. Un mes más tarde, el 16 de julio, fueron admitidas otras seis jóvenes. Santa Vicenta María, respondiendo a la llamada del entonces canónigo del Pilar y más tarde cardenal, D. Antonio María Cascajares, fundó en Zaragoza (7.XII.1876) el segundo colegio para sirvientas. Antes de que se cumpliera un año de la fundación, la Madre Fundadora, abre la tercera casa en Jerez de la Frontera (2.VI.1877). Las dificultades se van sucediendo, las nuevas vocaciones van llegando lentamente, los medios económicos escasean, Santa Vicenta María se ve afectada por la tuberculosis desde marzo de 1879, pero íntimamente persuadida de que la obra es de Dios y en Él hemos de poner nuestra confianza, no ahorró esfuerzos ni sacrificios en sus tareas de formación de las religiosas y expansión de la Congregación. A la muerte de su madre, doña María Nicolasa Vicuña (24.XI.1883), traslada a su padre a la cada de Madrid donde vivirá hasta su muerte (5.VIII.1888). La cuarta casa la abre en Sevilla (14.III.1885) a instancias del jesuita, P. Celestino Suárez en el convento de San Benito cedido por el Sr. Arzobispo, D. Ceferino González y García Tuñón. Tres años más tarde (1.III.1888) inaugura otra casa en Barcelona, gracias al celo y desprendimiento económico de la sierva de Dios doña Dorotea de Chopitea y Villota. La última de las fundaciones, realizada en Burgos (7.XII.1889) la siguió en todos sus detalles desde Barcelona, donde la retuvieron los trámites para la compra de un terreno para edificar la casa. Postrada en cama por el estado de debilidad a que la había reducido su enfermedad, pronunció la formula de su profesión perpetua el 31 de julio de 1890, a las cinco y media de la mañana. Dos horas más tarde participó en la capilla de la primera celebración de este tipo que se tenía en la Congregación para recibir la profesión de nueve compañeras suyas. En sus apuntes de Ejercicios de 1868, había escrito “si vivimos bien, la muerte será el principio de la vida”. La última etapa de su vida es de un dolor intenso y continuado, pero también de una serenidad y alegría que encuentran todo su sentido en el sometimiento a la voluntad de Dios: “¿Lo queréis Vos, Dios mío? Pues yo también lo quiero” y “Lo que Vos queráis, Señor, lo que Vos queráis, no quiero anteponer mi querer al vuestro” fueron expresiones que repitió a menudo. Eran las dos menos cuarto de la tarde del día 26 de diciembre de 1890 cuando, después de haber bendecido por primera vez a sus Religiosas, tomó en sus manos el Crucifijo y una estampa de la Virgen y, mientras una sonrisa se dibujaba en su rostro, entregó su espíritu al Creador. Introducida la causa para su beatificación y canonización (19.II.1915), fue proclamada beata por el Papa Pío XII el 19.II.1950 y canonizada por el Papa Pablo VI el 25.V.1975. Su fiesta litúrgica se celebra el día 25 de mayo.
Zósimo, Santo
XLI Papa,
Zsimo, Santo
Zósimo, Santo
San Zósimo Papa y confesor, en Roma igualmente. Era griego, originario de Misuraca. Fue electo Papa el 18 de marzo del año 417. Tenía un temperamento fuerte. Nombró a su protegido, Patrocio de Arlés, metropolita de las provincias de Vienne y de Narbona, poniendo así bajo su control todo el clero de la Galia. Si se hubiera tomado la molestia de informarse, se habría enterado de que nadie, en esa región de Europa, quería a aquel ambicioso. De modo que, de un golpe, se granjeó el rechazo de los galos.  En Africa, apelando a decretos de los que nadie había oído hablar, exigió la rehabilitación de Apiario, un sacerdote condenado con toda justicia, de fondo y de forma. Y en cuanto a Pelagio y a Celestio, cuyos evidentes errores ni merecían ser denunciados, estuvieron a punto de convencerle de su estricta ortodoxia.  San Agustín se estremeció: ¿llegaría a cometer el papa otro error garrafal? Zósimo, no obstante, terminó condenando a Pelagio y a Celestio en su famosa Epístola tractoria. La providencia, felizmente, puso término a «aquel reinado torpe en el que se toleró la intromisión del Estado en los asuntos internos de la Iglesia romana, anegando por un tiempo todo lo que el trabajo silencioso y prudente de sus predecesores había logrado en favor de la independencia de la Iglesia». Murió siendo modelo de Pontífices el año 418. Extendió el uso del cirio pascual a todas las Iglesias. Defendió con más energía que prudencia el principio de los derechos de la Santa Sede.

Esteban, Santo
Diciembre 26 Protomártir
Dionisio, Santo
Diciembre 26 XXV Papa
Zósimo, Santo
Diciembre 26 XLI Papa

92651 > Beate Agnese Phila, Lucia Khambang e 4 compagne Protomartiri della Tailandia 26 dicembre MR

83250 > San Dionigi (o Dionisio) Papa 26 dicembre MR

83240 > Sant' Eutimio di Sardi Vescovo e martire 26 dicembre MR

91209 > Sant' Evaristo di Costantinopoli Abate 26 dicembre

94347 > Beato Giovanni Orsini Vescovo 26 dicembre

91637 > Beato Pagano di Lecco Domenicano 26 dicembre

94826 > Beato Pietro Boffet Martire mercedario 26 dicembre

36250 > Beato Secondo Pollo Sacerdote e martire 26 dicembre MR

22050 > Santo Stefano Primo martire 26 dicembre - Festa MR

91161 > Santa Vincenza Maria Lopez y Vicuna 26 dicembre MR

83230 > San Zenone di Maiuma Vescovo 26 dicembre MR

91633 > San Zosimo Papa 26 dicembre MR
00000000000000
00000000000000000000000
0000000000000000000000000000000000000
000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
Nossa Senhora de Fátima, pediu aos Pastorinhos:
“REZEM O TERÇO TODOS OS DIAS”
  • Tero1 - Cpia
    0000
    000000
    00000000
    0000000000000000000000000000000
    ===============================
    ==================================================
    NOTA INFORMATIVA:
    Sites utilizados: Os textos completos são recolhidos através do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt. em que também incluo imagens recolhidas através de http://es.catholic.net/santoral; em seguida os textos deste mesmo site sem tradução e com imagens, e por último apenas os nomes e imagens de HTTP://santiebeati.it.
    Responsabilidade exclusiva de ANTÓNIO FONSECA
    http://bibliaonline.com.br/acf; http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt
    00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
    Localização geográfica da sede deste Blogue, no Porto
    Viso---mapa_thumb_thumb_thumb_thumb_[2]
    ***************************************************************************************************************
    WWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWW
    Edição: 26-12-2012 – 10,00 H
    ANTÓNIO FONSECA
    photo
    map-a3f333ae641e222222222222222222
    Etiquetas Technorati:

    =============================================================================================================