OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Meus Amigos:

Acabo de verificar mesmo agora a com a adição de uma notícia publicada pelo site SANTA IGREJA que subscrevo, e, do qual por vezes, transcrevo notícias que considero importantes, que acabo de ultrapassar o número de 100 000 Visitantes do meu blogue (mais exactamente atingi o nº 100 008) desde 1 de Janeiro de 2012,  e que no contador por países que coloquei em 20 de Junho do mesmo ano já vai em 9 901. 

Não há dúvida que o dia de hoje fica bem assinalado com os números acima citados, além da notícia hoje transmitida pelo Santo Padre BENTO XVI - Joseph Ratzinger, de que vai resignar a partir das 20 horas do próximo dia 28 de Fevereiro corrente, pelo que dentro de pouco tempo terá de ser eleito novo Papa que dirigirá o destino de milhões de católicos em todo o Mundo.

Como Católico Apostólico Romano, estou feliz com esta Boa Nova que vai ter lugar no ANO DA FÉ que o mesmo Papa Bento XVI deliberou que fosse comemorado desde Outubro de 2012 até Novembro de 2013.

Fica aqui assim o 
MEU MUITO OBRIGADO A TODOS OS MEUS LEITORES 

por ter atingido este elevado número de Visitantes, e espero que continuem dando a vossa atenção àquilo que eu escrever aqui diariamente, por longo tempo, pelo menos o que Deus me deixar fazê-lo.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO E SUA MÃE MARIA SANTÍSSIMA POR TODOS OS SÉCULOS DOS SÉCULOS. 
ÁMEN


ANTÓNIO FONSECA




Este texto foi publicado em 9/2 pelo site SANTA IGREJA - 11 de Fevereiro de 2013

Caros Amigos:

Pelo menos é curioso que o site

SANTA IGREJA tenha publicado no passado dia 9, este texto… e o Santo Padre BENTO XVI tenha comunicado hoje (11-2) a sua resignação do Pontificado Papal. 

É APENAS A MINHA OPINIÃO PESSOAL…

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

Santa Igreja

Para: antoniofonseca1940@hotmail.com

Imagem de Santa Igreja

De:
Santa Igreja (noreply@blogger.com)Este remetente está na lista segura.

Enviada:
sábado, 9 de Fevereiro de 2013 21:49:09

Para:
antoniofonseca1940@hotmail.com

 

Santa Igreja


Um Papa certo para tempos incertos

Posted: 09 Feb 2013 10:23 AM PST

Pedro fala pela boca de Bento XVI. O legado que deixará à Igreja é um tesouro incalculável, desde a sua teologia a sua humildade cristã. 

A Doutrina Católica ensina que o Papa é o "Servo dos Servos de Cristo". Sob ele recai o múnus de Vigário de Cristo e de Pastor de toda a Igreja.

Nos primeiros séculos do cristianismo, mais precisamente no século III, a Igreja Católica sofreu grandes abalos, ora advindos das perseguições bárbaras e pagãs, ora dos próprios membros da Igreja, com suas heresias acerca da Pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo. Crises como as do Gnosticismo e do Arianismo teriam destruído a Igreja, dada a proporção de seus seguidores, não fosse a providência divina e a assistência do Espírito Santo ter suscitado grandes santos para a defesa de nossa fé, dando cumprimento a promessa de Cristo de que "as portas do Inferno não prevalecerão".

O ano de 451 foi marcado pelas grandes controvérsias cristológicas. Apartados da fé apostólica, inúmeros bispos passaram a acreditar na heresia monofisista. Essa heresia afirmava que Cristo possuía apenas a natureza divina. Contra isso, levantou-se o Papa São Leão Magno no seu famoso "Tomo a Flaviano", no qual declarava a união hipostática de Cristo, ou seja, que Jesus é verdadeiro Deus e verdadeiro homem. O discurso do Santo Padre foi aclamado pelos bispos conciliares, reunidos em Calcedônia, sob a célebre frase: "Pedro falou pela boca de Leão".

A Doutrina Católica ensina que o Papa é o "Servo dos Servos de Cristo". Sob ele recai o múnus de Vigário de Cristo e de Pastor de toda a Igreja. Por isso, o Santo Padre "é o perpétuo e visível princípio e fundamento da unidade, quer dos bispos, quer da multidão dos fiéis". Como sucessor de São Pedro, o Sumo Pontífice tem o santo dever de confirmar a todos na fé (Luc. 22, 31-32). Esse carisma da unidade na fé e na caridade fez com que o escritor inglês G.K. Chesterton dissesse uma vez, parafraseando um antigo ditado: "Se o Papa não existisse, seria necessário inventá-lo".

Assim, se os Bispos de Calcedônia diziam: "Pedro falou pela boca de Leão" - hoje podemos afirmar que Pedro está falando pela boca de Bento XVI. Joseph Ratzinger é o Papa certo para tempos incertos. Num momento em que a Igreja vive uma encruzilhada entre a apostasia do relativismo e o martírio da ridicularização, o testemunho valente do Bispo de Roma tem dado aos católicos, principalmente aos jovens, o impulso necessário para a vivência virtuosa e apostólica da fé cristã.

No final do ano passado, quando todos os prognósticos da mídia certificavam a falência da autoridade papal, devido às corajosas condenações do Papa Bento XVI ao aborto e em defesa do matrimônio, a mensagem do Santo Padre encontrou eco onde menos se esperava: na juventude. Incentivando os fiéis católicos e os homens de boa vontade - até mesmo os de outras religiões - a se unirem em defesa dos princípios inegociáveis da dignidade humana, o Papa pediu que a verdade fosse anunciada sem medo de represálias.

Contra todos os prognósticos da mídia esquerdista mundial a juventude está com o Papa e deseja ardentemente ver a Igreja de sempre reinante.

"No diálogo com o Estado e a sociedade, naturalmente a Igreja não tem soluções prontas para as diversas questões. Mas, unida às outras forças sociais, lutará pelas respostas que melhor correspondam à justa medida do ser humano. Aquilo que ela identificou como valores fundamentais, constitutivos e não negociáveis da existência humana, deve defendê-lo com a máxima clareza. Deve fazer todo o possível por criar uma convicção que possa depois traduzir-se em ação política".

Para surpresa de todos, mas sobretudo daqueles que são inimigos da Igreja Católica, o pedido do Santo Padre foi atendido. As ovelhas ouviram a voz de seu pastor (Jo 10.3). Em todo mundo começaram a surgir movimentos em defesa da vida e da família.

A maior marcha pela vida da história americana foi um dos muitos movimentos ao redor do mundo que atendeu ao apelo do Papa Bento XVI.

No Reino Unido, mais de mil padres e bispos assinaram uma carta aberta ao Governo contra a união de homossexuais. Na França, 800 mil pessoas foram às ruas de Paris dizer um veemente não ao projeto do governo socialista de legalizar o "casamento" gay. Na Irlanda, 30 mil pessoas marcharam contra a legalização do aborto. E nos EUA, na capital da terra da liberdade, Washington D.C., 650 mil pessoas, na sua maioria jovens, protestaram contra os 40 anos da aprovação do aborto no país . Foi a maior marcha pela vida de toda a história dos americanos.

Há poucos dias, durante outra Marcha pela Vida nos EUA, mas dessa vez em São Francisco, 50 mil pessoas pediram o fim da lei do aborto no Estado americano. Como fez durante a Marcha pela Vida em Washington D.C., Bento XVI enviou uma mensagem de apoio aos participantes do protesto. Uma das coordenadoras do evento, Eva Muntean, revelou ter ficado admirada com o silêncio que os manifestantes fizeram para se ouvir as palavras do Santo Padre: "Podia-se escutar um alfinete cair. Estava tão silencioso, todo mundo prestava atenção. Isso foi muito especial para nós".

Pedro fala pela boca de Bento XVI. Sim, e o legado que esse Papa deixará à Igreja é um tesouro incalculável, desde a sua teologia a sua humildade cristã. Bento XVI é o Papa da Dominus Iesus[01], da certeza de que a única Igreja de Cristo é a Católica. O Papa que desmantelou a Teologia da Libertação[02] e pôs abaixo a babilônia dos teólogos liberais. O Papa que ensinou ao homem que Cristo não veio trazer um mundo melhor, veio trazer Deus. Que desmascarou a "ditadura do relativismo", mostrando que o único caminho de felicidade para o homem é a verdade de Cristo. Que recordou os povos de que "caridade sem verdade é sentimentalismo"[03] e que "um governo sem princípios morais não passa de uma quadrilha de malfeitores". Que "Deus é amor"[04] e que somos "Salvos na Esperança"[05]. E, finalmente, que "a porta da fé[06], que introduz na vida de comunhão com Deus e permite a entrada na sua Igreja, está sempre aberta para nós".

O católico tem um amor natural pelo sacerdote, ainda mais pelo Papa. São Josemaria Escrivá, no seu livro "Caminho", agradecia a Deus com a seguinte expressão: "Obrigado, meu Deus, pelo amor ao Papa que puseste no meu coração".

Na Santa Missa "Pro Eligendo Romano Pontifice"[07] - Missa de abertura do Conclave - o Cardeal Joseph Ratzinger encerrou sua memorável homilia rogando a Deus para que mandasse um novo pastor à Igreja, e que este fosse capaz, acima de tudo, de guiar o rebanho "ao conhecimento de Cristo, ao seu amor, à verdadeira alegria". A festa que se seguiu na Praça São Pedro após o anúncio do Cardeal Medina de que Joseph Ratzinger era o novo Papa só viria a confirmar o pedido do antigo cardeal a Deus. Como bem disse o jornalista Peggy Noonan em um artigo para o The Wall Street Journal, "o primeiro milagre de João Paulo II não foi o da sua beatificação, o primeiro milagre de João Paulo II foi Bento XVI".

 

Porto, 11-2-13  -  19H34

ANTÓNIO FONSECA

Amor, Esperança e Caridade: As encíclicas de Bento XVI - Renascença

Amor, Esperança e Caridade: As encíclicas de Bento XVI - Renascença

Papa resigna. Documentos que marcaram um pontificado - Renascença

Papa resigna. Documentos que marcaram um pontificado - Renascença

Papa Bento XVI: Um colaborador da verdade - Renascença

Papa Bento XVI: Um colaborador da verdade - Renascença

Bento XVI resigna do Pontificado - 11 de Fevereiro de 2013

Bento XVI anuncia resignação por motivos de idade

Bento XVI anunciou hoje a resignação ao pontificado durante um consistório. (Em actualização)

More Sharing ServicesPARTILHAR

Bento XVI anuncia resignação por motivos de idade

11-02-2013 11:05

Bento XVI anunciou hoje a resignação ao pontificado durante um consistório. (Em actualização)

More Sharing ServicesPARTILHAR

António Fonseca  -  11-2-13  -  11h45

António Fonseca

Bento XVI anuncia resignação por motivos de idade

Bento XVI anuncia resignação por motivos de idade: Bento XVI anunciou hoje a resignação ao pontificado durante um consistório. (Em actualização)


  Bento XVI anuncia resignação por motivos de idade

11-02-2013 11:05
Bento XVI anunciou hoje a resignação ao pontificado durante um consistório. (Em actualização)

Continuarei a dar notícias sempre que possível.
ANTÓNIO FONSECA - 11-2-13  -  11h42

ÚLTIMA HORA - 11h00 - 11 de Fevereiro de 2013

 

O papa BENTO XVI acaba de resignar do seu Pontificado, tendo marcado o dia 28 de Fevereiro corrente para ficar SEDE VACANTE até se eleger novo Papa.

 

Acabo de ouvir na RÁDIO RENASCENÇA esta notícia por Áurea Miguel única jornalista portuguesa representante no Vaticano.

 

Dentro de algum tempo mais, darei notícias mais completas.

 

Porto  

11 de Fevereiro de 2013  -  11h28

 

ANTÓNIO FONSECA

Nº 1558–2 - O ANTIGO TESTAMENTO - NÚMEROS (24) - 11 de Fevereiro de 2013

2013

Sinai-peninsula-map_thumb_thumb_thum[2]

Mapa da Península do Sinai

Nº 1557

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

Caros Amigos:

Ver por favor a edição de, 12 de Novembro, deste Blogue.

Resolvi simplesmente começar a editar o ANTIGO TESTAMENTO que é composto pelos seguintes livros:

GÉNESIS, ÊXODO, LEVÍTICO, (Estes já estão…) – Faltam apenas 1080 páginas… sejamos optimistas.

NÚMEROS, DEUTERONÓMIO, constantes do PENTATEUCO; JOSUÉ, JUÍZES, RUTE, 1º E 2º de SAMUEL, 1º e 2º Reis, (2) CRÓNICAS (paralipómenos), ESDRAS, NEEMIAS, TOBIAS, JUDITE, ESTER, 1º E 2. MACABEUS (Livros históricos); JOB, SALMOS, PROVÉRBIOS, ECLESIASTES, CÂNTICO DOS CÂNTICOS, SABEDORIA, ECLESIÁSTICO (Livros Sapienciais ); ISAÍAS, JEREMIAS, JEREMIAS – Lamentações, BARUC, EZEQUIEL, DANIEL, OSEIAS, JOEL, AMÓS, ABDIAS, JONAS, MIQUEIAS, NAUM, HABACUC, SOFONIAS, AGEU, ZACARIAS e MALAQUIAS (Profetas).

SÃO APENAS POUCO MAIS DE 40 LIVROS = 1260 PÁGINAS … (coisa pouca…)

Poderei porventura dar conta do recado? Se calhar, não!

Só Deus o sabe e decerto providenciará o que lhe aprouver!

SEI: que é uma tarefa ciclópica, impossível., etc., para os meus 72 anos. Desconheço se conseguirei executar esta tarefa e sei os limites que poderão antepor-se-me, mas CREIO EM DEUS TODO-PODEROSO que não me desamparará em ocasião alguma.

Com Fé e perseverança tudo se consegue e portanto irei até onde Deus me permitir, rezando todos os dias para que eu possa Evangelizar com os meios que tenho à disposição, durante o tempo que Deus Nosso Senhor Jesus Cristo entender.

Se o conseguir, darei muitas Graças a Deus

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

Como afirmei inicialmente, Envolvi-me nesta tarefa, pois considero ser um trabalho interessante, pois servirá para que vivamos mais intensamente a Vida de Jesus Cristo que se encontra sempre presente na nossa existência, mas em que poucos de nós (eu, inclusive) tomam verdadeira consciência da sua existência e apenas nos recordamos quando ouvimos essas palavras na celebração dominical e SOMENTE quando estamos muito atentos,o que se calhar, é raro, porque não acontecendo assim, não fazemos a mínima ideia do que estamos ali a ouvir e daí, o desconhecimento da maior parte dos cristãos do que se deve fazer para seguir o caminho até Ele.

Como Jesus Cristo disse, aos Apóstolos, no dia da sua Ascensão ao Céu:

IDE POR TODO O MUNDO E ENSINAI TODOS OS POVOS”.

É apenas isto que eu estou tentando fazer. AF.

+++++++++++++++++++++++

Nº 1558 - 2ª Página

11 de Fevereiro de 2013

ANTIGO TESTAMENTO

N Ú M E R O S

250px-12_staemme_israels_cs_thumb1_thumb_thumb

Mapa com a distribuição das 12 tribos de Israel

VIDA DA TRIBO DE JACOB, DURANTE 40 ANOS NO DESERTO

24 – BALAÃO CONTINUA A ABENÇOAR ISRAEL Vendo que o Senhor Se comprazia em abençoar Israel, Balaão não recorreu, como das outras vezes, a operações mágicas, mas voltou o seu rosto para o deserto. Virando-se para ali, Balaão viu Israel, cujas tribos se espalhavam, pelo deserto, e o espírito divino apoderou-se dele, proferindo o seu Oráculo nestes termos:

 

«Palavra de Balaão, filho de Beor

Palavra do homem de olhar clarividente,

daquele que ouve o verbo divino, que goza da visão do Todo-Poderoso,

que se prostra, mas cujos olhos ficam abertos!

Como são formosas as tuas tendas, ó Jacob!

As tuas moradas, ó Israel!

Estendem-se como os vales,

como pomares ao longo dum rio;

Deus plantou-as como aloés,

como cedros nas margens das águas.

A seiva corre dos seus ramos,

e a semente é abundantemente regada;

o seu rei é mais do que Agag.

A sua realeza é soberana!

Quando Deus o fez sair do Egipto, o seu ímpeto foi como o de búfalo:

devora os povos que o atacam, quebra-lhes os ossos,

e tempera as suas flechas no seu sangue.

Deita-se, repousa como o leão e como o leopardo.

Quem ousará despertá-lo?

Felizes aqueles que te abençoam.

E desgraçado o que te maldiz!

 

Balac enfurecido contra Balaão, bateu as mãos e disse a Balaão: «Foi para amaldiçoares os meus inimigos que eu te chamei e tu persistes em abençoá-los por três vezes! Retira-te, pois, para o teu país: eu queria cobrir-te de honras, mas o Senhor impediu-o!» Balaão respondeu a Balac: «Não respondi eu aos emissários que me enviaste, dizendo-lhes: Ainda que Balac me dê o seu palácio cheio de prata e de oiro não poderei desobedecer ao Senhor agindo bem ou mal por minha própria iniciativa: o que o Senhor disser, eu o repetirei. E agora volto para junto do meu povo, mas escuta o que te quero anunciar, o que esse povo fará ao teu povo até ao fim dos tempos». E Balaão proferiu, assim, o seu Oráculo.

 

«Palavra de Balaão, filho de Beor,

palavra de homem de olhar lúcido.

Daquele que ouve o verbo divino e conhece o segredo do Altíssimo.

que goza da visão do Todo-Poderoso,

que se prostra, mas cujos olhos ficam abertos.

Vejo-o, mas não agora;

contemplo-o, mas não está próximo:

uma estrela sai de Jacob,

e um cetro flamejante surge do seio de Israel,

o qual despedaçará os cimos de Moab,

e derrubará todos os filhos de Set.

A Idumeia será sua conquista.

E a sua presa será Seir – seu inimigo;

e Israel triunfará.

Sim, de Jacob nascerá um dominador,

que varrerá os derradeiros habitantes das cidades».

 

Depois, viu Amalec e proferiu este Oráculo, dizendo:

«Amalec era o primeiro dos povos,

mas, de futuro, será aniquilado».

Viu o Quenita e proferiu o seguinte Oráculo, dizendo:

«Fortifica a tua morada!

Coloca o teu ninho sobre os rochedos!

Porque se ele for destruído, ó Quenita,

em pouco tempo Assur te levará cativo!»

 

Depois, viu Og, e proferiu este Oráculo:

«Ai!, quem viverá,

quando Deus fizer estas coisas?

Frotas abaladas da costa de Kitim

subjugarão Assur, subjugafrão Heber;

mas também ele será aniquilado».

 

Então Balaão levantou-se e partiu para a sua terra; e Balac também se pôs a caminho.

 

Fronteira-Egipto-Israel_thumb2_thumb[2]

Fronteira – Egipto-Sinai

VIDA DA TRIBO DE JACOB, DURANTE 40 ANOS NO DESERTO

Textos do LivroNÚMEROSdo ANTIGO TESTAMENTO

0000000000000000000000000000000000000000000000000000000

11 de FEVEREIRO de 2013 – 10.15 h

ANTÓNIO FONSECA

map-1195aeac0b2f22222222222222222[2],

http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt; http://bibliaonline.com.br/acf

000000000000000000000000000000

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt; http://bibliaonline.com.br/acf

Nº 1558 - 3 - A VIDA DOS PAPAS DA IGREJA CATÓLICA - (55) - 11 de Fevereiro de 2013

Nº 1558 - (3)

BOM ANO DE 2013

===============

Caros Amigos:

Desde o passado dia 11-12-12 que venho a transcrever as Vidas do Papas (e Antipapas)

segundo textos do Livro O PAPADO – 2000 Anos de História.

*********************************

ESTÊVÃO IX

Estevão IX (X)

Estêvão IX

(1057-1058)

A morte prematura e inesperada de Vítor II foi uma grande perda para a Igreja e para a Alemanha varrida por rebeliões e motins difíceis de controlar, porque Henrique IV era ainda criança e sua mãe, a imperatriz regente, não tinha força nem firmeza para os fazer terminar.
Em face da situação, a nobreza e o povo de Roma resolvera, eleger um  novo Papa sem consulta imperial e a escolha recaiu no cardeal Frederico de Lorena, que tinha sido conselheiro de Vítor II – acompanhando-o em todas as viagens e um dos enviados a Constantinopla, aquando da dissensão de Miguel Cerulário –, e que adoptou o nome de Estêvão IX ao ser eleito em 2 de Agosto de 1057.
Uma vez eleito, continuou a reforma eclesiástica, reunindo diversos sínodos e confirmando, com novos decretos, as constituições contra a simonia, o concubinato do claro e o casamento entre consanguíneos. Para isso rodeou-se de auxiliares competentes e zelosos, entre os quais sobressaía, além de Hildebrando, o vigoroso e douto São Pedro Damião.
O pontificado de Estêvão IX foi, infelizmente, breve, não podendo completar a ampla reforma que pretendia.
Tendo enviado Hildebrando à Alemanha para resolver algumas questões e sentindo-se acometido de grave enfermidade, fez jurar aos Romanos que, por sua morte, não procederiam à eleição de novo pontífice antes do regresso de Hildebrando.
Ainda quis deslocar-se à Toscana em missão pastoral, mas a morte surpreendeu-o em Florença e ficou sepultado no Duomo, a sua catedral.
 

*****************************

BENTO X  -  (ANTIPAPA)

 

Bento X  -  (antipapa)

(1058-1059)

Foi eleito papa em 5 de Abril de 1058, contra os cânones, com a ajuda dos romanos chefiados pelos condes de Túsculo, sem cumprirem o juramento que tinham feito ao papa Estêvão IX de que não elegeriam o seu sucessor antes de Hildebrando (monge de Cluny, que assim se chamava antes de tomar o nome de Gregório VII, ao ser eleito papa) regressar da Alemanha.

Entretanto, Hildebrando regressa e, com o apoio de São Pedro Damião. declara a eleição nula e consegue reunir um sínodo em Siena, de onde sai eleito Nicolau II.

Bento X, arrependido, apresenta-se a Nicolau II (1059), que lhe levanta a excomunhão e sai de Roma sem reclamar a sua possível legitimidade. Contudo, ao falecer em 1072, no pontificado de Gregório VII, este presta-lhe todo o aparato litúrgico nas exéquias, como se fosse de facto um autêntico papa.

Por este motivo alguns autores e historiadores consideram-no um verdadeiro papa e a verdade é que o pontífice que muitos anos depois veio a adoptar o nome de Bento chamou-se Bento XI (1303-1304).

A sua exclusão da lista de papas foi efectuada em 1904.

 

*****************************

NICOLAU II

Nicolau II

Nicolau II

(1055-1057)

Hildebrando, com, o apoio dos Romanos, consegue reunir vários Bispos e Cardeais em Siena e procede à eleição de um papa legitimo, sendo escolhido o bispo de Florença, Gerardo de Borgonha, que toma o nome de Nicolau II em 24 de janeiro de 1059.

Logo a seguir à eleição, entra em Roma acompanhado por Godofredo de Borgonha, duque de Lorena e Toscana, que, com as suas tropas, acaba com  a reação da facção dos condes de Túsculo.

Entretanto, Bento X, arrependido, apresenta-se a Nicolau II, que lhe levanta a excomunhão em que tinha incorrido.

Para evitar casos semelhantes no futuro, Nicolau II reúne em concílio em Roma, estabelecendo que à morte do papa incumbisse aos cardeais a eleição do sucessor, com obrigação de submeter em seguida, a escolha à aprovação dos restantes bispos, clero e povo, devendo também ser informado o imperador, ao qual caberia o privilégio de confirmar a escolha, mas sem que fosse ele a indicar o pontífice.

O mesmo concílio renovou os decretos contra a simonia e concubinato do clero, proibiu aos sacerdotes receber cargos eclesiásticos outorgados por autoridades civis e aos bispos serem proprietários das igrejas.

Em sínodos realizados em 1060 e 1061, confirmaram-se os mesmos decretos e explicitou-se que, no futuro, qualquer pontífice eleito contra os cânones estabelecidos seria considerado apóstata e excluído do pontificado como papa legitimo.

Num entendimento com os Normandos, recebe o juramento de vassalagem, e promessa de ajudarem a Igreja a conservar o seu património. mesmo com auxilio militar, se necessário fosse. Esta atitude foi muito mal recebida na Alemanha e poderia levar a um cisma se, entretanto. Nicolau II não tivesse falecido, em Florença, em cuja catedral ficou sepultado.

 

Continua:…

Post colocado em 11-2-2013 – 10H15

ANTÓNIO FONSECA

Nº 1558-1 - SANTOS DE CADA DIA - 11 de Fevereiro de 2013 - 5º ano

antoniofonseca1940@hotmail.com

Nº 1558

Bom

ANO  D 2 0 1 3


ImageProxyCA7N5Y5L

 

Véspera de Carnaval

************************************************************


Nº 1558-1 - (42-13)


Imagem3189

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


I-Am-Posters

= E U  S O U =

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»«««««««««««««««««««««««««««««««««


Nº 1558-1 – (42-13)


#####################################
##################################### #####################################
 
Digitalizar0003

NOSSA SENHORA DE LURDES

Invocação

Nuestra Señora de Lourdes

Abriu-se o Templo de Deus no céu (Ap 11, 19); o véu da fé rasgou-se e deixou-nos passar, a fim de vermos o céu, o que se passa lá em cima, a sua glória e perene juventude, a sua força e o seu poder. Isto é Lurdes (em francês Lourdes), a porta do céu que se entreabre.

Quando a ciência médica e cirúrgica pensava ter atingido o zénite do progresso, a Virgem Santíssima valia àqueles que os médicos desenganavam. Quando a ciência racionalista se ria do sobrenatural e tinha como infantis os Vaticanistas que aceitavam a palavra infalível do “ultrapassadoPontífice, que a 8 de Dezembro de 1854 definira solenemente a Imaculada Conceição, a muralha do sobrenatural deu passagem a Maria e ela apareceu no Sul de França a uma menina do campo, e disse-lhe também: «Sou a Imaculada Conceição”.

A festa de hoje, ao que parece, mereceria ser chamada Memória ou Comemoração das aparições, porque, na verdade, de 11 de Fevereiro a 10 de Julho, a bem-aventurada Virgem Imaculada dignou-se transmitir uma missão durante 18 Aparições.

1ª Aparição – 11 de Fevereiro. – Na manhã dessa quinta-feira, as duas irmãs Bernadette (ou Bernardina) e Antonieta, e uma amiga Joana Abadie, procuravam lenha junta à gruta de Massabielle, nas margens do rio Gave. As duas pequenas saltam sem dificuldade um regato. Bernadette descalça-se para meter os pés na água e passar ao outro lado.

Entretanto – escreve ela – “vi numa cavidade do rochedo uma moita, uma só, que se agitava como se estivesse muito vento. Quase ao mesmo tempo saiu do interior da gruta uma nuvem doirada, e logo a seguir uma Senhora nova e bela, bela mais que todas as criaturas, como eu nunca tinha visto nenhuma. Veio pôr-se  à entrada da concavidade, por cima de um tufo de verdura. Logo olhou para mim, sorriu-me e fez-me sinal para que me aproximasse, como o faria minha mãe. Tinha-me passado o medo, mas parecia-me que não sabia onde estava. Esfreguei os olhos, fechei-os, tornei-os a abrir; mas a Senhora estava lá sempre, continuando a sorrir-se e fazendo-me compreender não estar eu enganada. Sem saber o que fazia, tomei o terço e ajoelhei-me. A Senhora aprovou com um sinal de cabeça e passou para os seus dedos um rosário que trazia no braço direito. Quando quis começar a rezar e erguer a mão à testa, o meu braço ficou imóvel, como que paralisado. Só depois de a Senhora fazer o sinal da cruz é que eu o pude fazer também. A Senhora deixava-me rezar sozinha. Ela apenas passava as contas pelos dedos, sem falar. Só no fim de cada mistério dizia comigo: Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.

Quando acabou a reza, a Senhora voltou a entrar no interior do rochedo e a nuvem de oiro desapareceu com Ela”.

A quem lhe perguntava como era a Senhora, Bernadette fazia esta descrição: “Tem as feições duma donzela de 16 ou 17 anos. Um vestido branco cingido com faixa azul até aos pés. Traz na cabeça véu igualmente branco, que mal deixa ver os cabelos, caindo-lhe pelas costas. Vem, descalça, mas as últimas pregas do vestido encobrem-lhe um pouco os pés. Na ponta de cada um sobressai uma rosa doirada. Do braço direito pende um rosário de contas brancas encadeadas em oiro, brilhante como as duas rosas dos pés”.

2ª Aparição – 14 de Fevereiro. – Tudo, mais ou menos, como na primeira. Temendo que fosse alguma alma do outro mundo, como lhe tinham dito, Bernadette asperge o penedo com água benta.

Ela não se zanga – diz a pequena com satisfação. Pelo contrário, sorri para todos nós.

Nestas duas primeiras Aparições, Nossa Senhora nada disse, além de rezar as Glórias dos mistérios.

3ª Aparição – 18 de Fevereiro. – A celestial Aparição pergunta delicadamente à menina:

- Queres fazer-me o favor de vir aqui durante 15 dias?

- Assim o prometo – respondi.

- Também eu prometo fazer-te feliz, não neste, mas no outro mundo.

4ª Aparição – 19 de Fevereiro. – Enquanto a vidente rezava, uma multidão de vozes sinistras, que pareciam sair das cavernas da terra, cruzaram-se e entrechocaram-se, como os clamores duma multidão em desordem. Uma dessas vozes, que dominava as outras, gritava em tom estridente, raivoso, para a pastorinha: Foge! Foge daqui!

Nossa Senhora ergueu a cabeça, franziu ligeiramente a fronte e logo aquelas vozes fugiram em debandada.

5ª Aparição – 20 de Fevereiro.Nossa Senhora ensinou pacientemente, palavra por palavra, uma oração só para Bernadette, que ela devia repetir todos os dias.

6ª Aparição – 21 de Fevereiro. – “A Senhora – escreve a vidente – desviou durante um instante de mim o seu olhar, que alongou por cima da minha cabeça. Quando voltou a fixá-lo em mim, perguntei-lhe o que é que a entristecia e Ela respondeu-me:

- Reza pelos pecadores, pelo mundo tão revolto.

7ª Aparição – 23 de Fevereiro. – A Vidente, caminhando de joelhos e beijando o chão, vai do lugar onde se encontrava até à gruta. Nossa Senhora comunica-lhe um segredo que a ninguém podia  revelar.

8ª Aparição – 24 de Fevereiro. – A Santíssima Virgem disse estas palavras:

- Reza a Deus pelos pecadores! Penitência! Penitência! Penitência! Beija a terra em penitência pela conversão dos pecadores!

9ª Aparição – 25 de Fevereiro. – A Senhora disse-me:

- Vai beber à fonte e lavar-te nela.

Não vendo ali fonte alguma, eu ia ao rio Gave beber. Ela disse-me que não era ali. Fez-me sinal com o dedo mostrando-me o sítio da fonte. Para lá me dirigi. Vi apenas um pouco de lama. Meti a mão e não pude apanhar água. Escavei e saiu água mais suja. Tirei-a três vezes. À quarta já pude beber”.

Era a água milagrosa que tantos prodígios tem realizado.

Nossa Senhora mandou-lhe ainda fazer esta penitência pelos pecadores:

- Come daquela erva que ali está!

Quando troçavam da pequena por tão estranha ordem, respondia:

- “Mas vocês também não comem salada?”

10ª e 11ª Aparições – 27 e 28 de Fevereiro. – Na primeira destas visitas, a Virgem Imaculada tornou a mandar beijar o chão em penitência pelos pecadores; na segunda sorriu e não respondeu quando a Vidente lhe perguntou o nome.

12ª Aparição – 1 de Março. – A Aparição manda a Bernadette rezar o terço pelas suas contas e não pelas duma companheira, Paulina Sans, que lhe tinha pedido para usar as suas.

13ª Aparição – 2 de Março. – A Virgem pede:

- Vai dizer aos sacerdotes que tragam aqui o povo em procissão e que me construam uma capela.

14ª Aparição – 3 de Março. – A Senhora não aparece à hora habitual, mas sim ao entardecer e deu a explicação:

- Não me viste esta manhã porque havia pessoas que desejavam examinar o que fazias enquanto eu estava presente. mas elas eram indignas. Tinham passado a noite na gruta, profanando-a.

15ª Aparição – 4 de Março. – No segundo mistério do primeiro terço, Bernadette começa a ver Nossa Senhora. Acabou esse terço e rezou outros dois, refletindo ora alegria, ora tristeza.

Durante esta quinzena, Nossa Senhora comunicou à menina três segredos e uma oração com esta ordem:

- Proíbo-te de dizer isto, seja a quem for.

16ª Aparição – 25 de Março. – Na manhã da festa da Anunciação dirigiu-se para gruta a privilegiada menina.

Peguei no terço – escreve ela. Enquanto rezava, assaltava-me teimosamente o desejo de lhe pedir que dissesse o seu nome. Receava, porém, ser importuna com uma pergunta que já tinha ficado sem resposta mais de uma vez…

Num impulso, que não me foi possível conter, as palavras saíram-me da boca…

- Senhora, quereis ter a bondade de me dizer quem sois?

A única resposta foi uma saudação de cabeça, acompanhada dum sorriso. Nova tentativa, seguida de idêntica resposta.

À terceira vez que lhe perguntei, tomou um ar grave e humilde. Em seguida, juntou as mãos, ergueu-as… olhou para o céu… depois, separando lentamente as mãos e inclinando-as para mim, deixando tremer um pouco a voz, disse-me:

- Eu sou a Inmaculada Conceição”.

17ª Aparição – 7 de Abril.Nossa Senhora nada disse, mas verificou-se nesta aparição o chamado milagre da vela. A vela benta, que Bernadette segurava, escorregou-lhe pela mão, atingindo-lhe os dedos.

- Meu Deus, ela queima-se! – gritam várias pessoas.

- Deixem-na estar! – ordena o Dr. Dozous.

Bernadette não se queimou.

18ª Aparição – 16 de Julho. – Como é a festa de Nossa Senhora do Carmo, a Vidente assiste à missa e comunga na Igreja. À tarde sente que Deus a chama para a gruta, mas não pode aproximar-se devido à sebe e aos soldados que, por malvada ordem do governo, cercam o recinto. A menina contempla a Senhora, de além, do rio e da sebe.

Não via o rio, nem as tábuas – explicará ela mais tarde. Parecia-me que, entre mim e a Senhora, não havia mais distância que nas outras vezes. Só a via a Ela. Nunca a vi tão bela”.

Foi o último adeus da Senhora até ao céu.

Digitalizar0004

*****

Desde 1858, até hoje, contínuas multidões se têm reunido em Lurdes, ás vezes presididas por Papas ou seus Legados, e muito mais frequentemente por Bispos e Cardeais. Os milagres de curas são estudados com todo o rigor e só reconhecidos quando de todo certos. Mais numerosas são as curas de almas, embora mais difíceis de contar.

Como vimos, Nossa Senhora pediu a Bernadette que se dirigisse aos sacerdotes e lhes dissesse que levantassem uma capela no lugar das aparições.

- Uma capela! – comentou um sacerdote a quem foi comunicado o pedido. Tens tu dinheiro para erguê-la?

- Não tenho – disse com muita naturalidade a Vidente.

- Pois nós também não. Diz a essa Senhora que to dê.

Maria Imaculada deu mais do que dinheiro, Abriu-se o céu, choveram e continuam a chover ainda agora os seus tesoiros. “O dedo de Deus” está em Lurdes há para cima de cem anos.

****

Digitalizar0005

Quanto ao carácter sobrenatural das Aparições, indicamos alguns pensamentos que deveriam ser cotejados com os factos decorridos: Bernadette estava de perfeita e boa fé ao relatar as manifestações recebidas, e, sendo a menos nervosa das meninas, não foi vítima de exaltação entusiasta. O carácter sobrenatural deduz-se da atitude que prudentemente assumiu a Hierarquia da Igreja: o pároco, o bispo e tantos outros prelados e mesmo os vários Papas. E tenha-se presente que o estudo dos pretensos milagres se faz em Lurdes por uma comissão médica que trabalha com  a máxima seriedade.

Qual é a mensagem, que se depreende das 18 Aparições de Lurdes?

O elemento principal – responde Laurentin, grande teólogo da Virgemé a manifestação de Maria na sua Imaculada Conceição… O resto é função deste primeiro elemento e pode também resumir-se numa palavra: em contraste com a Virgem sem mancha, o pecado… Mas, inimiga do pecado, Ela é também amiga dos pecadores, não enquanto estão ligados às suas faltas ou se gloriam delas, mas enquanto se vêem esmagados pelos sofrimentos físicos e morais, consequência do pecado.

Reduzida à sua expressão mais simples, poderíamos sintetizar desta forma a mensagem de Lurdes: A Virgem sem pecado, que vem socorrer os pecadores. E para isso propõe três meios…: a fonte de águas vivas, a oração e a penitência”.

(Ver: SANTA BERNADETTE .- 18 de Fevereiro)

 

Transcrição direta através do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt

ADOLFO, Santo

Bispo (1224)
Sendo cónego de São Pedro de Colónia, Adolfo, conde de Teklenburg, foi visitar os monges cistercienses de Cap, nos confins dos ducados de Clèves e de Gueldre.
Esta abadia cisterciense continuava no seu fervor primitivo e a influência de São Bernardo, pouco antes falecido, ainda lá se fazia sentir. Velhos e novos acusavam as mais pequenas faltas em capítulo e flagelavam-se até ao sangue, para as expiar. Ao ver este espetáculo, o jovem cónego, cuja vida se passara até então em delícias, resolveu abandonar o mundo e pensar apena na salvação da alma. Entrou logo para essa comunidade e chegou rapidamente a eminente grau de perfeição.
Elevado a bispo de Osnabruck na Vestefália, conservou os hábitos piedosos que contraíra no claustro. Os historiadores dizem que administrava com sabedoria a sua Igreja e nada tinha mais a peito do que o esplendor do culto divino; e acrescentam que era para os leprosos que iam de preferência o seu afecto e as suas esmolas.
Entre estes, havia um  que vivia numa cabana muito afastada; ele visitava-o todas as vezes que por lá passava. O prelado ficava muito tempo a consolá-lo, falando-lhe da Paixão de Nosso Senhor, o que contrariava os seus acompanhantes, que se aborreciam a esperá-lo. Num dia em que o prelado devia passar por esses lados, resolveram sequestrar o leproso. Desta forma, pensavam eles, encontrando a cabana vazia, Adolfo passaria adiante e eles não perderiam tempo precioso. mas enganaram-se nos cálculos. Por uma espécie de milagre, o infeliz encontrava-se no local costumado, quando o bispo chegou. Teve ainda forças para agradecer ao grande amigo a sua bondade e exortações caritativas, e entregou a alma a Deus na sua presença.
Depois de governar a Igreja de Osnabruck durante vinte e um anos, Adolfo morreu em odor de santidade em 1224, e numerosos milagres tornaram famoso o seu túmulo.

 

Transcrição direta através do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt

Eloisa, Santa

Religiosa

Eloisa, Santa

Eloisa, Santa

Etimología: Eloisa = guerrera ilustre. Es de origen germánico. Nos encontramos hoy con una santa francesa. Pertenecía a una familia noble. Después de quedar viuda muy joven, se lo pasó francamente mal. Pronto pensó que los bienes del marido pasarían a la abadía benedictina de Notre Dame de Coulombs, en la diócesis de Chartres. Además del dinero, también le cedieron a la abadía dos iglesias parroquiales en 1033 y sus tierras anejas.
En su peregrinación por este mundo, volvió a casarse y enviudó en seguida. A raíz de esta muerte, Eloisa determinó vivir como una religiosa en la misma abadía de Coulombs. Le donó todos sus bienes, sin tener en cuenta nada de herencias para sus propios familiares. Mandó que le construyeran una pequeña habitación junto a la iglesia. Aquí se recluyó para siempre. Vivió como una verdadera santa hasta que murió en 1060.
Sus restos mortales fueron enterrados en la catedral de Chartres, en donde se conservan en la actualidad. Cuando en la vida se toma a Dios en serio, le es fácil al ser humano el desprendimiento de todo aquello que le impide alcanzar la meta de la santidad y el consuelo que dan los favores del cielo a quienes saben ser adoradores del Dios vivo. ¡Felicidades a quien lleve este nombre!

Tobias (Francisco) Borras Romeu, Beato

Religioso e Mártir

Tobías (Francisco) Borras Romeu, Beato

Tobias (Francisco) Borras Romeu, Beato

Martirologio Romano: En Vinaroz, en la región de Valencia, en España, beato Tobías (Francisco) Borras Romeu, religioso de la Orden Hospitalaria de San Juan de Dios y mártir, que consumó su glorioso sacrificio por odio a la fe durante la persecución religiosa (1937).  Etimología: Tobías = Yahveh es bueno, es de origen hebreo. Nació en San Jorge, España, el 14 de abril de 1861, y recibió la palma del martirio en Valencia, España, el 11 de febrero de 1936.
El 25 de octubre de 1992, fue beatificado por el Papa Juan Pablo II, junto con otros 70 compañeros, todos ellos Religiosos de la Orden Hospitalaria de San Juan de Dios.

Pedro de Jesus Maldonado Lucero, Santo

Sacerdote e Mártir

Pedro de Jesús Maldonado Lucero, Santo

Pedro de Jesús Maldonado Lucero, Santo

Sacerdote y Mártir

Martirologio Romano: En Chihuahua, en México, san Pedro Maldonado, presbítero y mártir, que durante la persecución, arrestado mientras administraba el sacramento de la penitencia, alcanzó el triunfo del martirio al ser golpeado en la cabeza (1927). Es el primer santo y mártir de Chihuahua, México.
Fecha de beatificación: 21 de mayo de 2000, hunto a 24 compañeros mártires, por el Papa Juan Pablo II.  Pedro de Jesús fue hijo legítimo del señor Apolinar Maldonado y de la señora Micaela Lucero, y tuvo siete hermanos. Nació en un barrio de la ciudad de Chihuahua conocido como San Nicolás. Pedro Maldonado entró al seminario docesano a los 17 años de edad, donde tuvo un buen desempeño, sin ser el mejor de los estudiantes. En los años de 1913 a 1914 ante la persecución religiosa muchos seminaristas huyeron a El Paso Texas, pero Pedro permaneció en la capital de Chihuahua, aunque fue también ordenado en El Paso Texas, ya que el Obispo de Chihuahua se encontraba enfermo en el Distrito Federal. Trabajó por los indígenas Tarahumaras y buscó reducir la cantidad de bebidas alcohólicas que se consumían. Vivió en el distrito de Jiménez y allí fue perseguido y en múltiples ocasiones, y golpeado por grupos masónicos aún dentro de la iglesia. El Padre Maldonado era sensible a las necesidades de la gente. Solía ayudar a los pobres con dinero y ropa y él mismo crió y educó a un huérfano pobre. Le gustaba visitar los campos en tiempo de cosecha y los campesinos le pedían que les bendijera los campos invadidos por plagas de langosta. Son muchos los testimonios de que más de una vez expulsó las langostas de los campos con su oración. Tuvo un interés especial en la educación católica de los niños, los jóvenes y los adultos y les explicaba la historia de la salvación por medio de fotografías. Entre 1926 y 1929 fue constantemente cazado según biógrafos "como a un animal". Los tres periodos de la persecución religiosa vieron al Padre Maldonado huyendo constantemente de la policía y de los agentes de gobierno. El Viernes Santo de 1936, mientras regresaba a su escondite en el poblado llamado La Boquilla, en Santa Isabel, después de una visita para ayudar a una mujer moribunda en la vecindad de la estación del tren del mismo pueblo, fue emboscado junto con sus acompañantes. Al día siguiente se contaron doscientos cartuchos en el lugar de la emboscada.
Su Martirio
El Padre Pedro de Jesús Maldonado murió en la ciudad de Chihuahua el 11 de febrero de 1937, en el día del aniversario número 19 de su cantamisa.
Fue sacerdote de la diócesis de Chihuahua y hasta el momento de su muerte había estado ejerciendo su ministerio en la parroquia de Santa Isabel, que tiene su sede en el pueblo del mismo nombre, al que los revolucionarios pocos años antes habían cambiado por el de General Trías, con la intención de borrar de la geografía chihuahuense toda alusión al catolicismo. La causa de su muerte fue una brutal y salvaje golpiza que le causó un severo daño cerebral y heridas en diversas partes del cuerpo. Esto sucedió en la presidencia municipal de Santa Isabel el 10 de febrero, Miércoles de Ceniza en aquel año, y terminó al día siguiente en Chihuahua. En el Registro Civil de la ciudad de Chihuahua, en el libro número 117, de la Sección de Defunciones, está registrada el acta número 171, firmada por el Juez del Registro Civil en la que hace constar que a las 17 horas. 15 minutos, del jueves 11 de febrero de 1937, recibió un oficio del Juzgado 1o. de lo Penal, número 106, del Distrito Morelos, Chihuahua, en el que se le comunica que le fue practicada la autopsia de ley al cadáver de quien en vida llevara el nombre de PEDRO MALDONADO y se ordena proceder de inmediato a su inhumación. Según esa misma acta, el difunto contaba al momento de fallecer 42 años de edad, era sacerdote católico originario de la ciudad de Chihuahua y vecino de General Trías. Dice también que era hijo legítimo del señor Apolinar Maldonado y de la señora Micaela Lucero, ya fallecidos, y que tenía siete hermanos. Que la causa de su muerte fueron lesiones en el cráneo, y que se trataba, presuntamente de un homicidio. El juez dispuso también que se verificara la inhumación del cadáver ese mismo día a las dieciocho horas en el Panteón de Dolores, en el lote particular de la familia Enríquez.
Firme y constante creencia popular de que murió como mártir
Como se ve, la suposición del juez, basada en la autopsia, sobre la causa de muerte del sacerdote, es que fue por homicidio, cosa que posteriormente sería probada por los testigos oculares y los documentos relacionados con el caso, realizado bajo el abrigo de la ley. Para el pueblo de Chihuahua, así como para sus hermanos sacerdotes y el obispo diocesano, don Antonio Guízar y Valencia, el Padre Maldonado fue un mártir. Esta firme y constante creencia popular fue confirmada por la voz oficial de la Iglesia cuando el Papa Juan Pablo II lo declaró beato en 1992 lo canonizó en el año 2000. El Padre Maldonado fue el único sacerdote sacrificado durante los largos y tortuosos años de persecución religiosa en Chihuahua y por esa misma razón su caso amerita atención especial. Todavía más que la muerte de Pancho Villa, el asesinato del P. Maldonado conmocionó no sólo al pueblo de Chihuahua sino también más allá de las fronteras del estado y de México. Lo que más horrorizó a la gente fueron los métodos bestiales y la brutalidad empleados en el asesinato. El Padre Maldonado fue asesinado en un tiempo en que la persecución religiosa de los años treinta, desatada en México bajo el gobierno del general Lázaro Cárdenas, estaba declinando. En Chihuahua, Gustavo Talamantes había sucedido al despótico Rodrigo M. Quevedo en la silla gubernamental algunos meses antes. La conmoción que provocó el asesinato del P. Maldonado no benefició al gobierno recién instalado de Talamantes y provocó el escepticismo en los esfuerzos y la autenticidad de Cárdenas por pacificar a México. Plutarco Elías Calles vivía en exilio en los Estados Unidos, deshonrado públicamente y arrojado del poder por su propio hijo político. Lo acompañaba Luis L. León, ex-gobernador de Chihuahua y ex-ministro de gobierno. La sombra de Rodrigo M. Quevedo perseguía al gobierno de Talamantes, para quien el alcalde de Ciudad Juárez, hermano de Quevedo, se había convertido en un verdadero dolor de cabeza. Los políticos, que se llamaban a sí mismo revolucionarios, de la noche a la mañana se volvieron ricos y también los miembros de sus familias. La tortura y el asesinato eran comunes en los calabozos de los cuarteles de policía. Los gritos de los prisioneros eran ahogados por los trenes que pasaban en medio del silencio de la noche en la ciudad de Chihuahua. El 23 de octubre de 1985 la Santa Sede dio el ´Nihil obstat" (nada obsta) para que se abriera oficialmente la Causa. El 13 de julio de 1986 Mons. Adalberto Almeida y Merino publicó el decreto por medio del cual se daba inicio oficialmente a la Causa de Canonización del Padre Maldonado. El 4 de febrero de 1992 la Santa Sede aprobó por unanimidad la Causa de los Mártires Mexicanos, conocida como "Causa del Siervo de Dios Cristóbal Magallanes y sus 24 compañeros mártires", entre los cuales se contaba al Padre Maldonado. De ellos 22 eran sacerdotes y tres eran laicos. El que estos mártires fueran "compañeros" no significa que hubieran muertos todos juntos, sino que el proceso de beatificación y canonización los englobaba a todos en el mismo grupo. Casi todos estos mártires murieron entre 1926 y 1928, excepto el P. David Galván Bermúdez, que fue asesinado en 1915, y el P. Pedro Maldonado, que fue asesinado en 1937. Los esfuerzos anteriores culminaron el 22 de noviembre de 1992, cuando el Papa Juan Pablo II beatificó solemnemente, en la basílica de San Pedro, al P. Cristóbal Magallanes y a sus 24 compañeros mártires, entre éstos al padre Pedro Maldonado. Después de la beatificación el proceso siguió adelante para obtener también la canonización, que es la culminación del proceso y que autoriza a venerar a estos mártires no sólo en sus propias regiones sino en todo el mundo. El 28 de junio de 1999, en presencia del Papa Juan Pablo II, la Congregación de las Causas de los Santos promulgó los decretos para la canonización de los mártires. Finalmente, el 10 de marzo del año 2000, en Consistorio ordinario público, el Papa Juan Pablo II señaló oficialmente la fecha del 21 de mayo del Año del Gran Jubileo del 2000 para la canonización de nuestros mártires.

Conviene que recordemos todos sus nombres:
Cristobal Magallanes Jara, Sacerdote
Roman Adame Rosales, Sacerdote
Rodrigo Aguilar Aleman, Sacerdote
Julio Alvarez Mendoza, Sacerdote
Luis Batis Sainz, Sacerdote
Agustin Caloca Cortés, Sacerdote
Mateo Correa Magallanes, Sacerdote
Atilano Cruz Alvarado, Sacerdote
Miguel De La Mora De La Mora, Sacerdote
Pedro Esqueda Ramirez, Sacerdote
Margarito Flores Garcia, Sacerdote
Jose Isabel Flores Varela, Sacerdote
David Galvan Bermudez, Sacerdote
Salvador Lara Puente, Laico
Pedro de Jesús Maldonado Lucero, Sacerdote
Jesus Mendez Montoya, Sacerdote
Manuel Morales, Laico
Justino Orona Madrigal, Sacerdote
Sabas Reyes Salazar, Sacerdote
Jose Maria Robles Hurtado, Sacerdote
David Roldan Lara, Laico
Toribio Romo Gonzalez, Sacerdote
Jenaro Sanchez Delgadillo
David Uribe Velasco, Sacerdote
Tranquilino Ubiarco Robles, Sacerdote
Para ver las biografías de los Mártires Mexicanos del siglo XX
Haz Click AQUI

Pascual I, Santo

XCVIII Papa

Pascual I, Santo

Pascual I, Santo

Martirologio Romano: En Roma, memoria de san Pascual I, papa, que, llevado por la devoción, trasladó muchos cuerpos de mártires desde las catacumbas a distintas iglesias de la ciudad (824).
Etimología Pascual, nombre masculino cristiano-romano "Paschalis", de origen griego, evoca la celebración religiosa de la Pascua.

 

Perteneciente a una familia noble, en el momento de su elección como papa ocupaba el cargo de superior del monasterio de San Esteban en Roma y, tras su consagración recibió como presente del hijo de Carlomagno, Ludovico Pío (también llamado Luís el Piadoso), los territorios de Córcega y Cerdeña y la confirmación, mediante el Pactum Ludovicianum, de las donaciones hechas al papado en las décadas precedentes por Pipino el Breve y Carlomagno: Roma, Tuscia, Perúgia, Campania, Tívoli, Exarcado de Rávena, Pentápolis y Sabina), estableciéndose los límites del Estado de la Iglesia, dentro de los cuales el pontífice gozaba de plena soberanía.
Durante su pontificado tuvo que hacer frente a la segunda crisis iconoclasta que desde 814 vuelve a aparecer en Constantinopla, bajo el mandato del emperador bizantino León V, y que debido a las persecuciones sufridas provocó una importante afluencia de monjes griegos a Roma, y que encontraron refugio en los monasterios, recién construidos, de San Práxedes, Santa Cecilia y Santos Sergio y Baco.
En 823, coronó al hijo de Ludovico, Lotario, como emperador corregente con su padre. Durante su pontificado, realizó el traslado de muchas reliquias de mártires a las iglesias y monasterios romanos y prestó ayuda a los cristianos de Palestina y España en sus luchas contra los sarracenos.
Falleció en Roma, el 11 de febrero de 824, mientras comisionados imperiales enviados por Ludovico Pío investigaban la muerte de dos funcionarios papales que, partidarios de primacía del emperador sobre el papa en asuntos terrenales, habían sido asesinados por sirvientes del pontífice.
Pascual, que había sido acusado de haber sido el instigador de dichas muertes negó, bajo juramento cualquier implicación pero quizás debido a esto el pueblo romano se negó a que fuera enterrado en la Basílica de San Pedro por lo que sus restos descansan en la iglesia de San Práxedes.

Gregório II, Santo

LXXXIX Papa

Gregorio II, Santo

Gregório II, Santo

Martirologio Romano: En Roma, en la basílica de San Pedro, sepultura de san Gregorio II, papa, que en los tiempos difíciles bajo el emperador León el Isáurico trabajó en defensa de la Iglesia y del culto de las sagradas imágenes, y envió a san Bonifacio a predicar el Evangelio en tierras de Germania (731).
Etimología: Gregorio = Aquel que esta siempre preparado, es de origen griego.

Los historiadores le llaman el mejor Papa del siglo VIII, y en él se advierte muy bien la paradoja de los pontífices -constructores de puentes, según la etimollogía- que resume de modo espectacular la de todo cristiano obligando a la dualidad de atender a las cosas de este mundo y de no vivir más que para Dios.
Gregorio era romano de nacimiento y ya prestó grandes servicios a la Iglesia bajo los pontificados de Sergio I y Constantino I; a este último le acompañó en un viaje a Oriente como asesor, contribuyendo a resolver de manera pacífica -y desgraciadamente, también provisional- una enconada controversia.
Desde el 715, cuando fue elegido Papa, se desvive por una parte en la doble labor de defensa y de conquista espiritual: reconstruir monasterios como Montecasino, cuna de la orden benedictina, y consolidar las murallas de Roma, pero pensando también en pueblos paganos a los que había que llevar el Evangelio (él fue quien mandó a san Bonifacio a la Germania).
Bifronte tuvo que ser así mismo su actitud política: por el norte los lombardos amenazaban con engullir el papado, por el sur los bizantinos aumentaban sus exigencias, y con el emperador León Isáurico, que favorecía a los iconoclastas, el reto adquiría especial gravedad.
San Gregorio tuvo que jugar arriesgadamente a dos tableros, el humano y el divino, el de la fe y el de la diplomacia, conteniendo a la vez a los bárbaros y a los archicivilizados bizantinos. No sólo Roma o Italia, el orbe entero, la plenitud de la fe y toda la política del mundo pesaban sobre sus hombros, como sobre los de cualquier Papa, cruzando el puente del tiempo hacia la orilla de la eternidad.

Soteris, Santa

Virgem e Mártir

Soteris, Santa

Soteris, Santa

Martirologio Romano: En Roma, en la vía Apia, en el cementerio que lleva su nombre, santa Soteris, virgen y mártir, que, como relata san Ambrosio, renunciando por causa de la fe a la nobleza y a los honores de su familia, no se prestó a inmolar a los ídolos, ni se dejó vencer por las injurias humillantes, ni temió morir herida por una espada (c. 304).

San Ambrosio reconoce orgullosamente a esta santa como la honra mayor de su familia.
Soteris descendía de una larga línea de cónsules y prefectos, pero su gloria principal radica en el desprecio que, por amor a Cristo, sintió por su noble cuna, sus riquezas, su gran belleza y todo lo que el mundo considera tan valioso.
Desde muy joven consagró su virginidad a Dios y para evitar los peligros a que estaba expuesta, se negó resueltamente a portar cualquier ropaje o adorno que hiciera resallar su belleza. Su virtud la preparó para confesar la firmeza de su fe, cuando se inició la persecución de Diocleciano y Maximiano contra los cristianos y ella fue obligada a comparecer ante los magistrados.
Por orden del juez la abofetearon y Soteris dio gracias al cielo por verse maltratada en la misma forma que su Salvador. Aunque el juez mandó que la torturaran cruelmente, no consiguió que la santa exhalara un gemido o derramara una lágrima.
Al fin, vencido por su constancia, ordenó que fuera decapitada. Debemos admitir que no sabemos claramente si lodo esto sucedió a un mismo tiempo o en varias etapas. Puede ser que Santa Soteris haya sido aprehendida y torturada cuando era una jovencita durante la persecución de Decio y que cincuenta años después, bajo Diocleciano, alcanzara la corona del martirio, al morir decapitada por su fe.

Santos Mártires de Numidia, mártires
Conmemoración de los numerosos santos mártires, que durante la persecución bajo Diocleciano fueron apresados en Numidia y, no queriendo entregar las Sagradas Escrituras conforme al edicto del emperador, fueron víctimas de crueles suplicios (s. IV in.).


San Castrense, mártir
En Castel Volturno, en la Campania, san Castrense, mártir (s. inc.).


San Secundino, obispo
En Apulia, san Secundino, obispo (s. V/VI).


San Severino, abad
En Chateâu-Laudon, en la Galia, san Severino, abad del monasterio de Agaune (s. VI).


San Ardano, abad
En Borgoña, san Ardano, abad de Tournus (1066).

40480 > Sant' Ardagno (Ardano) Abate di Tournus 11 febbraio MR


93962 > Beato Bartolomeo di Olmedo Sacerdote mercedario 11 febbraio


26100 > Beata Vergine Maria di Lourdes 11 febbraio - Memoria Facoltativa MR


90646 > San Castrense (Castrese) di Sessa Vescovo e martire 11 febbraio MR


40500 > Sant' Elisa (Eloisa, lat. Helvisa) Reclusa 11 febbraio


89089 > San Gregorio II Papa 11 febbraio MR


40440 > Santi Martiri della Numidia 11 febbraio MR


89098 > San Pasquale I Papa 11 febbraio MR


90125 > San Pedro De Jesus Maldonado Lucero Sacerdote e martire 11 febbraio MR


94534 > Beato Pietro da Cuneo Francescano, martire 11 febbraio

40460 > San Secondino Vescovo 11 febbraio MR


40470 > San Severino di Agaune Abate 11 febbraio MR


40430 > Santa Sotere Vergine e Martire 11 febbraio MR


40490 > Beato Tobia (Francesco) Borras Romeu Religioso e martire 11 febbraio MR

0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000

000000000000000000000000000000000000000000000000000000
____________________________________________________________________




  • Nossa Senhora de Fátima, pediu aos Pastorinhos:
  • “REZEM O TERÇO TODOS OS DIAS”




  • Tero1 - Cpia
  • /////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
  • NOTA:
  • Como decerto hão-de ter reparado, são visíveis algumas mudanças na apresentação deste blogue (que vão continuar… embora não pretenda eu que seja um modelo a seguir, mas sim apenas a descrição melhorada daquilo que eu for pensando dia a dia para tentar modificar para melhor, este blogue). Não tenho a pretensão de ser um “Fautor de ideias” nem sequer penso ser melhor do que outras pessoas. Mas acho que não fica mal, cada um de nós, dar um pouco de si, todos os dias, para tentar deixar o mundo um pouco melhor do que o encontramos, quando nascemos e começamos depois a tomar consciência do que nos rodeia. No fim de contas, como todos sabemos, esta vida é uma passagem, e se Deus nos entregou o talento para o fazer frutificar e não para o guardar ou desbaratar, a forma que encontrei no “talento” de que usufruo, é tentar fazer o melhor que posso, aliás conforme diz o Evangelho.
    Assim, a principiar pela imagem principal, a partir de hoje, e se possível todos os dias, ela será modificada mediante o que eu for encontrando passível de aproveitamento para isso. Em conformidade com o que digo, na minha 1ª postagem de hoje (e a última de ontem, 31 de Dezembro) editarei diariamente, pelo menos, mais três páginas,
  • (sendo a Pág. 1Vidas de Santos; Pág. 2O Antigo Testamento; e Pág. 3O Papado – 2000 anos de história). Além disso, semanalmente (ao Domingo e alguns dias santificados – quando for caso disso –) a Pág. 4A Religião de Jesus; e a Pág. 5 - Salmos) e, ainda, ao sábado, a Pág. 6In Memorian.
    Outros assuntos que venham aparecendo emergentes dos acontecimentos que surjam tanto em Portugal, como no estrangeiro; e, ainda, alguns vídeos musicais (ou outros) que vão sendo recolhidos através do Youtube e foram transferidos para o meu canal “antónio0491” que se encontra inserido logo após o Título e sua descrição.
    Registe-se também que através de Blogs Católicos, União de Blogs Católicos, etc., estou inscrito em muitos blogs que se vão publicando em Portugal, Brasil, e outros países, que, por sua vez, também publicarão este blogue. Há ainda mais algumas alterações que já fiz e vou continuando a efetuar na parte lateral do blogue, retirando ou colocando vários complementos.
    Como também já deve ser do conhecimento de muitos, encontro-me inscrito na rede social, Google + Facebook, e outros, individualmente e, também ali poderão encontrar este blogue. O meu correio electrónico foi modificado e será inscrito no início de cada página (pelo menos na primeira, de cada dia).
    Para terminar, gostaria de que os meus leitores se manifestassem, bastando para tal marcar o quadrado que entendam, que segue sempre abaixo de cada publicação, como aliás eu faço, relativamente aos blogues que vou vendo sempre que me é possível, com o que ficaria muito grato
    Desculpem e Obrigado mais uma vez – António Fonseca

    0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000




  • 00000000000000000000000000000000000000000000000000000000

    Localização geográfica da sede deste Blogue, no Porto
    Viso---mapa_thumb_thumb_thumb_thumb_[2]
    http://confernciavicentinadesopaulo.blogspot.com
    ===================================
    0000000000000000000000000000000000000000000000
    $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$


    «««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

  • Meus endereços:
  • Nome do blogue: SÃO PAULO (e Vidas de Santos)
  • Endereço de Youtube: antonio0491@youtube.com
  • António Fonseca