OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Carmen Monarcha no Programa Hebe - Parte 2



ANTÓNIO FONSECA

6-6-13

1 notícia ruim, 3 boas, 1 bem sintomática, e a orquestra macabra da agenda homossexual

Lavras Resiste!: ESTARÁ COMEÇANDO A CONTRA-REVOLUÇÃO FRANCESA?

Lavras Resiste!: ESTARÁ COMEÇANDO A CONTRA-REVOLUÇÃO FRANCESA?: Tradução de extratos do artigo : Raphael de la Trinité POR QUE A MÍDIA BRASILEIRA NÃO DÁ O DEVIDO DESTAQUE A ISSO? "PATRULHAS...





SEGUNDA-FEIRA, 27 DE MAIO DE 2013

ESTARÁ COMEÇANDO A CONTRA-REVOLUÇÃO FRANCESA?






Tradução de 
extratos do artigo
Raphael de la Trinité





POR QUE A MÍDIA BRASILEIRA NÃO DÁ O DEVIDO DESTAQUE A ISSO?

"PATRULHAS IDEOLÓGICAS" CENSURAM COMENTÁRIOS E FOTOS "INDESEJÁVEIS"





Foto fantástica da Rua Rennes completamente tomada pelos manifestantes. VIVA A FRANÇA CATÓLICA! (26/5/2013)



“Os socialistas alcançam a vitória... mas saem derrotados. O apoio ao governo socialista despenca de forma assustadora” (em abril, só 25% do eleitorado dão apoio a Hollande)


Acontece na França um fenômeno de opinião pública novo, que marcará história. Desta vez, os números não dizem respeito à conjuntura econômica. Correspondem a um fenômeno de opinião inédito e extraordinário, que atinge profundamente os espíritos e se espalha por toda a França.

É um estado de resistência ativa em face dos ataques revolucionários, e se destaca por quatro pontos, que até aqui não se conheciam:


1. O movimento tem raízes ideológico-religiosas.

2. É impulsionado por jovens, por casais e por celibatários, tanto homens quanto mulheres.

3. A estratégia do movimento é inovadora e percuciente.

4. Esse movimento tem um caráter irreversível. 




JPEG - 95.2 KB
Eloquente matéria de capa de “Le Point” (18/4/2013): Estará nascendo uma Contra-Revolução Francesa, de amplitude semelhante e sentido oposto ao da exaurida Revolução de 1789?


Enquanto os parlamentares de esquerda festejavam a aprovação do chamado "matrimônio" homossexual, gritando freneticamente: "igualdade, igualdade!", com aplausos cadenciados, um grupo de jovens, postados nas galerias da Assembléia Nacional Francesa interrompeu o "carnaval" da esquerda, hasteando uma bandeira branca com a palavra "Referendo".



Nisso, o presidente da Assembléia, o socialista Claude Bartolone, fora de si, ordenou aos gritos: "TIREM DAQUI À FORÇA ESSES INIMIGOS DA DEMOCRACIA [SIC!]. ESSES NÃO TÊM DIREITO DE ESTAR AQUI!"[1]



Quer dizer que a "democracia" só vale... para os que estão de acordo com o socialismo! Dessa concepção nasceu o "Comitê de Salvação Pública", Robespierre e o Terror na Revolução Francesa.
 

*** * ***


Na grande frente anti-socialista, a presença católica é determinante.

O site "Boulevard Volteire" (cujo nome não deixa margem a duvidas) descreve o perfil dos manifestantes: "Esses resistentes são...Católicos! ...Eles estão começando a compreender que o liberalismo, que enlouqueceu, está fracassado [...]. Trata-se de famílias e, sobretudo, de jovens, que "saíram às ruas para dizer 'basta!' aos destruidores da sociedade[2]".

Outro site acrescenta: são pessoas "de alto nível espiritual e dogmático, seguros de sua fé e do sangue de 1500 anos que corre em suas veias,  e como franceses, conscientes  do que representa essa herança[3] [católica]".


Como não poderia deixar de ser, lamentavelmente, "La Croix", órgão do episcopado francês (que, mais uma vez, tomou uma posição ambígua e concessiva em relação ao assunto), mostra-se alarmado com a polarização política no país. E explica que, para a esquerda, "retroceder é impossível, pois seria renegar a si mesma", acrescentando que o vigor da resistência dos católicos faz surgir "o risco" de uma "guerra civil". Noutros termos, faz de tudo para acalar a voz dos verdadeiros católicos[4].

O conhecido analista Ivan Rioufol comenta o extraordinário fenômeno da opinião pública francesa que sai de sua apatia e conclama à luta:

"A esquerda mal acredita no que vê. Acha-se atingida no seu ponto mais sensível! De fato, não conseguiu prever a nova indignação popular. Justamente a esquerda, que tanto procurou lisonjear a juventude, descobre agora, estupefata, a multidão dos indignados que lhe viram as costas:milhares de jovens desafiam o poder estabelecido, rechaçando o seu projeto de 'matrimônio' e de adoção para os homossexuais [...]. Por outro lado, a esquerda não compreende nada a respeito do que se passa. Insiste em ver os manifestantes 'extremistas', 'fanáticos', 'exaltados', 'homofóbicos' [...]".

Essa grosseira "satanização" ignora o essencial: isso que está aparecendo é o despertar de uma juventude... que caminha em direção oposta ao legado da velha sociedade que chega ao seu fim. Quer dizer, [já se foi a época] dos adeptos de maio de 1968 [revolução estudantil anárquica], e de sua ideologia relativista do "politicamente correto".

Desse legado revolucionário, tais jovens "recusam tudo, começando por recusar o desprezo à família, à nação, à cultura. Faz vários anos que as pesquisas de opinião pública apontaram esse novo perfil da juventude, que se inscreve numa reação a 40 anos de sucessivos desastres ideológicos. De agora em diante, essa juventude quer escrever uma nova História"[5].






[1] www.lifesitenews.com/news/france-passes-gay-marriage

[2] www.bvoltaire.fr/francoisteutsch/le-peuple-catholique-sest-leve-et-il-a-de-beaux-restes,18934

[3] www.gloria.tv/?media=428401&postings

[4] BRUNO FRAPPAT, Sommes-nous devenus fous? (“¿Nos hemos vuelto locos?”), “La Croix” 19-4-2013

[5] http://video.lefigaro.fr/figaro/video/rioufol-la-jeunesse-veut-ecrire-une-nouvelle-histoire/2310117112001/

3 comentários:

  1. Parabéns
    pelo conteúdo do blog e pela defesa da fé Católica.
    (minha família toda seguirá e acompanhará suas postagens).
    Abraços.
    Responder
    Respostas
    1. Muito obrigado! Fico feliz em poder ajudá-los.

      Pode me escrever sempre.

Nº 1673 - 2ª Página - O ANTIGO TESTAMENTO - SAMUEL I - (22) - 6 de Junho de 2013


6 de Junho de 2013

Nº 1673 - 2ª Página
antoniofonseca1940@hotmail.com
2013

250px-12_staemme_israels_cs_thumb1_t
Distribuição das Tribos em ISRAEL

Nº 1673
»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
Caros Amigos:
Ver por favor a edição de, 12 de Novembro de 2012, deste Blogue.

Resolvi simplesmente começar a editar o 
ANTIGO TESTAMENTO 
que é composto pelos seguintes livros:

GÉNESIS, ÊXODO, LEVÍTICO, NÚMEROS, DEUTERONÓMIO, constantes do PENTATEUCO, JOSUÉJUÍZES, RUTE,– (Estes já estão…)

Faltam apenas 875 páginas…(mais ou menos) - Sejamos optimistas.

  1º E 2º de SAMUEL, 1º e 2º Reis, (2) CRÓNICAS (paralipómenos), ESDRAS, NEEMIAS, TOBIAS, JUDITE, ESTER, 1º E 2. MACABEUS (Livros históricos); JOB, SALMOS, PROVÉRBIOS, ECLESIASTES, CÂNTICO DOS CÂNTICOS, SABEDORIA, ECLESIÁSTICO (Livros Sapienciais ); ISAÍAS, JEREMIAS, JEREMIAS – Lamentações, BARUC, EZEQUIEL, DANIEL, OSEIAS, JOEL, AMÓS, ABDIAS, JONAS, MIQUEIAS, NAUM, HABACUC, SOFONIAS, AGEU, ZACARIAS e MALAQUIAS (Profetas).

!!!SÃO APENAS POUCO MAIS DE 40 LIVROS = 1260 PÁGINAS …!!! (coisa pouca…)

Poderei porventura dar conta do recado? Se calhar, não! Só Deus o sabe e decerto providenciará o que lhe aprouver!
SEI: que é uma tarefa ciclópica, impossível., etc., para os meus 73 anos (*) .

Desconheço se conseguirei executar esta tarefa e sei os limites que poderão antepor-se-me, mas CREIO EM DEUS TODO-PODEROSO que não me desamparará em ocasião alguma. Com Fé e perseverança tudo se consegue e portanto irei até onde Deus me permitir, rezando todos os dias para que eu possa Evangelizar com os meios que tenho à disposição, durante o tempo que Deus Nosso Senhor Jesus Cristo entender.

Se o conseguir, darei muitas Graças a Deus

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

Como afirmei inicialmente, Envolvi-me nesta tarefa, pois considero ser um trabalho interessante, pois servirá para que vivamos mais intensamente a Vida de Jesus Cristo que se encontra sempre presente na nossa existência, mas em que poucos de nós (eu, inclusive) tomam verdadeira consciência da sua existência e apenas nos recordamos quando ouvimos essas palavras na celebração dominical e SOMENTE quando estamos muito atentos, – o que se calhar, é raro, porque não acontecendo assim, não fazemos a mínima ideia do que estamos ali a ouvir e daí, o desconhecimento da maior parte dos cristãos do que se deve fazer para seguir o caminho até Ele.
Como Jesus Cristo disse, aos Apóstolos, no dia da sua Ascensão ao Céu:

IDE POR TODO O MUNDO E ENSINAI TODOS OS POVOS”.

É apenas isto que eu estou tentando fazer. AF.

+++++++++++++++++++++++


Nº 1673 - 2ª Página

6 de Junho de 2013

ANTIGO TESTAMENTO

SAMUEL
400px-1759_map_Holy_Land_and_12_Trib[2]

Mapa antigo de Israel

1º Livro de SAMUEL


Rei David

(22)


20 - DAVID ENTRE OS MOABITAS -  David saiu dali e refugiou-se na caverna de Odelão. Os seus irmãos e toda a sua gente souberam-no e foram juntar-se a ele. Todos os que se visam angustiados, endividados e descontentes  foram ter com David, e ele tornou-se o seu chefe. E juntaram-e a ele cerca de quatrocentos homens. Daqui, David partiu para Masfa, em Moab. E disse ao rei de Moab: «Permite que meu pai e minha mãe venham viver no meio de vós, até que eu saiba o que Deus quer de mim». Apresentou-os, pois, ao rei de Moab, e ficaram com ele durante todo o tempo que David permaneceu naquela fortaleza. Mas o profeta Gad disse a David: «Não fiques na fortaleza. Parte e vai para a terra de Judá». David partiu e veio para o bosque de Haret.

Morte dos sacerdotes de Nob  -  E Saul foi informado de que haviam descoberto David e a sua gente. Estava Saul em Gabaa, sentado debaixo de uma tamareira, na colina, com a sua lança na mão, rodeado por todos os seus criados. Saul disse-lhes: «Escutai, filhos de Benjamim: Será que o filho de Isaí dará a todos vós campos e vinhas? Irá ele fazer de todos vós chefes de milhares e chefes de centenas?  Porque vos conjurastes contra mim? Nenhum de vós me veio dar conhecimento da aliança que meu filho fez com o filho de Isaí; ninguém se deu ao trabalho de me avisar que meu filho instigava o meu servo contra mim, para me armar ciladas até hojeDoeg, o edomita, que era o primeiro entre os criados de Saul, respondeu: «Eu vi o filho de Isaí em Nob, na casa de Aquimelec, filho de Aquitob. Este consultou o Senhor por ele e deu-lhe víveres, e o que é mais, entregou-lhe a espada do filisteu Golias». O rei mandou chamar o sacerdote Aquimelec, filho de Aquitob, com toda a casa de seu pai, e os sacerdotes que estavam em Nob. E estes vieram todos apresentar-se ao rei. Saul disse-lhe: «Escuta, filho de Aquitob!» Ele respondeu:  «Que me queres, Senhor?» Disse-lhe Saul: «Porque conspiraste contra mim, tu e o filho de Isaí? Deste-lhe pão e uma espada e consultaste a Deus por ele, a fim de que ele continue a sublevar-se contra mim e me arme ciladas até ao dia de hoje». Aquimelec respondeu ao rei: «Haverá entre todos os teus criados alguém mais fiel do que David, genro do rei, fiel às tuas ordens e um homem estimado por toda a tua casa? Foi porventura apenas hoje que consultei a Deus por ele? Longe de mim outra ideia! Não impute o rei crime algum a seu servo, nem à sua família! O teu servo nada sabe desse negócio». O rei disse: «Tu morrerás Aquimelec tu e toda a casa de teu pai». E dirigindo-se aos guardas que o rodeavam., disse-lhes: «Ide e matai os sacerdotes do Senhor, pois fizeram se cúmplices de David, sabiam da sua fuga e não mo denunciaram». Mas os guardas do rei recusaram-se a levantar a mão contra os sacerdotes do Senhor. Então o rei ordenou a Doeg: «Investe tu contra os sacerdotes». E Doeg, o edomita, aproximou-se e matou os sacerdotes. Matou naquele dia oitenta e cinco homens que vestiam o efod de linho. Ordenou também Saul que fosse passada ao fio da espada a cidade sacerdotal de Nob, matando homens e mulheres, meninos. crianças de peito, bois, jumentos e ovelhas. Contudo, escapou um filho de Aquimelec, filho de Aquitob, chamado Abiatar, que se refugiou junto de David.  Abiatar contou-lhe que Saul tinha mandado matar os sacerdotes do Senhor. David disse-lhe: «Eu bem suspeitava naquele dia, que estando ali Doeg, o edomita, iria contar tudo a Saul. Sou eu o culpado da morte de toda a casa de teu pai. Fica comigo e não temas. Aquele que odiar a minha vida, odiará igualmente a tua. Junto de mim serás tu igualmente salvo».



******************************

Estes são os textos do 1º Livro de “SAMUEL” do ANTIGO TESTAMENTO 


0000000000000000000000000000000000000000000000000000000


6 de JUNHO de 2013 – 10.15 h
ANTÓNIO FONSECA


7map-1195aeac0b2f22222222222222222[2]


http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt; http://bibliaonline.com.br/acf
000000000000000000000000000000
++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Nº 1673 - (157-13) – 1ª Página - SANTOS DE CADA DIA -




Nº 1673


6 DE JUNHO DE 2013


Sexta-feira

Ver Notas no final

e-mail: antoniofonseca1940@hotmail.com

Nº 1673 - (157-13) – 1ª Página

009

Nº 1673-1 - (157-13)

Imagem3189_thumb1_thumb_thumb_thumb_[1]IAmPosters_thumb122222222222222


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

E U   S O U


AQUELE   QUE   SOU

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»««««««««««««««««««««««««««««««
*********************
##################################### #####################################

NORBERTO, Santo
Fundador (1080-1134)

Norberto, Santo
Norberto, Santo

Norberto nasceu em Santen, pertencente ao ducado de Cleves, Alemanha, no ano de 1080, de ilustre família, aparentada com os Imperadores. Seu pai tinha um castelo com terras e vassalos. Norberto recebeu educação esmerada. Ficou sendo apreciado pelos conhecimentos literários, pela graça da conversa, pela grandeza de alma e pelas maneiras aristocráticas. Foi agraciado com uma conezia que o ligou ao estado religioso, e até recebeu ordens menores e subdiaconado; mas daqui não quis passar, porque o atraía mais o mundo que a Igreja. Assistia a todas as festas da corte com os cabelos perfumados, um colar de ouro ao pescoço, um manto de seda e arminhos. O Imperador Henrique V nomeou-o capelão e a seguir ofereceu-lhe o bispado de Cambraia, mas Norberto negou-se a aceitá-lo. Passou a juventude, segundo frase sua, «como cidadão de Babilónia, escravo do prazer e prisioneiro dos seus caprichos». Em 1114, quando tinha 34 anos de idade, continuava na inconsciência da vida dos sentidos quando se dirigiu a Freten, aldeola da Vestefália, acompanhado por um criado. De repente, rompe uma violenta tempestade e cai um raio aos pés do cavalo que montava, abrindo-se grande fosso na terra, no qual por pouco ficou sepultado. Quando, passada uma hora, voltou a si, ainda se notava o cheiro a enxofre. Mudança completa se realizou no cavaleiro, como outrora em Paulo. Voltou ao palácio, deixou para sempre os vestuários preciosos, vestiu-se de um tecido de cilício e começou a vida rígida e austera de asceta. Ordenou-se sacerdote, vendeu o castelo que herdara dos pais e distribuiu entre os pobres as riquezas, conservando para si dez moedas de prata. Mesmo esta insignificância lhe pareceu desconfiança na Providência e por isso desfez-se delas. Desde agora será apenas o pregador da pobreza e da austeridade evangélica. Como missionário, caminha sempre descalço, vive de esmolas, dorme nos hospitais e nos mosteiros, e troveja contra os vícios, especialmente contra a simonia. Quatro anos levava de pregações apostólicas pelas margens do Reno e das províncias de França, quando em Valenciennes se lhe uniu Hugo, capelão do bispo de Cambraia. Ficam sendo já dois os missionários. Um dia detém-se Norberto ao lado de Soissons, num valezinho de difícil acesso e de aparência desolada. Dizem-lhe que aquele lugar se chama Praemonstratum. «É o lugar do meu descanso e o porto da minha saúde». No meio do bosque havia uma capela com uma imagem de S. João BaptistaNorberto ficou lá com o seu companheiro Hugo. Vieram mais colegas, construiu-se à volta da capela e assim ficou constituído, no Natal de 1121, o primeiro mosteiro de cónegos regulares premonstratenses. O Fundador deu-lhes hábito branco, colocou-os sob a regra de Santo Agostinho e mandou-lhes viver como monges e servir ao próximo como clérigos. S. Norberto prosseguiu as suas excursões apostólicas pela Bélgica, Alemanha e França. Em 1126 prega em Espira e aclamam-no como bispo de Madgeburgo; não pôde resistir à vontade de Deus, manifestada pelo Imperador e pelo papa. Fez a entrada triunfal na diocese, montado num burro. Continuou sempre a andar descalço e impondo agora como bispo, a moral cristã, com o exemplo e a palavra. Ao cabo de doze anos de pontificado, estava o seu corpo esgotado. Passou na cama quatro meses e morreu a 6 de Junho de 1134. A sua juventude longínqua – tinha 54 anos – chorava-a como perdida nas amargas alegrias do mundo, mas consolava-se com o fervor dos discípulos que deixava atrás de si, cheios de entusiasmo pela penitência e pelo apostolado. www.jesuitas.pt. Ver também http://es.catholic.net/santoral


MARCELINO CHAMPAGNAT, Beato
Fundador (1789-1840)

Marcelino Champagnat, Santo
Marcelino Champagnat, Santo

Marcelino Champagnat nasceu em Marlhes, freguesia rural da diocese francesa de Lião, que se ergue sobre o planalto de Pilar, entre Saint-Etienne e Le Puy, a 20 de Maio de 1789, ao tempo em, que as vitórias da águia napoleónica entusiasmavam a nação inteira. À simplicidade agreste da serra, por onde Marcelino passa os dias como pastor dum pequeno rebanho, chega o eco esbatido de Austerlitz e de Iena. mas a família é humilde. Habituada ao trabalho duro da gente do campo e não sente necessidade de muitos estudos. Enviado pelo Arcebispo à busca de aspirantes ao seminário, passa pela terra o Padre Duplaix, que fala ao rapaz de quinze anos na vocação ao sacerdócio. Abrem-se as portas do Seminário, primeiro em Verrières, depois em Lião. Passaram onze anos. À ordenação sacerdotal de 22 de Julho de 1816 sucede a nomeação para coadjutor da paróquia de La Valla. Quando ainda se debruçava sobre os livros de teologia, impressionado pelos muitos pontos fracos que na prática do cristianismo, em época de subversões e paixões politicas, como as da França em princípios do século XIX, costumam aflorar, concebeu com alguns colegas o projeto de fundar uma Sociedade de sacerdotes que, sob a protecção de Nossa Senhora, se dedicasse às missões paroquiais e à educação da gente nova. Para se ocuparem exclusivamente neste segundo ponto, lembrou Marcelino a conveniência dos Irmãos nesta Sociedade. A ideia ficou-lhe na alma. Antes de partir para La Valla, dois dias depois de ordenado sacerdote, passa pelo santuário de Fourvière e, consagrando toda a vida à Mãe de Deus, confia-lhe a intenção de fundar um Instituto de Irmãos, cujo fim especifico fosse o ensino e a educação cristã da infância e da juventude. Uma placa de bronze, colocada à direita do altar, recorda este facto e assinala o lugar onde nasceu a Sociedade de Maria. Passam alguns meses. É o encontro de uma noite – com um rapaz de 16 anos, moribundo, ignorante das mais fundamentais verdades da fé – que o decide a começar sem demora a realização do sonho que vinha acalentando desde os tempos de seminarista. Colaboradores? Para começar, dois jovens paroquianos que lhe aceitam a proposta. Morada? Uma casa em ruínas, situada na colina fronteira, não longe da residência paroquial, adquirida com dinheiro emprestado. Onde dormir? Em duas camas de madeira fabricadas pelo coadjutor de La Valla. Meios de subsistência? A indústria caseira de pregos, bastante geral na região. Foi isto no dia 2 de Janeiro de 1817. Temeridade e imprudência? Não importavam as críticas maldizentes e destrutivas, porque tudo se esvai. Que pode faltar-nos…? – perguntava M. Champagnat aos poucos membros do seu Instituto. Ainda que o mundo se voltasse todo contra nós, nada devemos temer porque Deus está do nosso lado. Por onde começar? Pela adaptação ás circunstâncias, encarando as dificuldades à medida que se apresentam. Antes de mais, os lugarejos escondidos nas vertentes das montanhas, onde a pequenada, em tempo de chuva, não sabe o que há-de fazer. Vão-se os Irmãos, dois a dois, e ensinam a ler, escrever e contar, explicam o Catecismo e habituam-se a não dizer «não» às obras de Deus. Abram-se mais os horizontes: sem deixar as crianças da aldeia, não se percam de vista as terras de missãoTorna-se necessária a assistência mais assídua do Fundador na comunidade? Pois bem, pede dispensa do trabalho paroquial de La Valla. Já não basta a primeira casa para abrigar as vocações que Deus lhe envia? Adquire-se um terreno nas margens do rio Gier e levanta-se o eremitério de Nossa Senhora que seria o centro do Instituto durante mais de trinta anos, e guardaria os restos mortais de M. Champagnat quando, a 6 de Junho de 1840, depois de recomendar aos seus fidelidade, amor mútuo e devoção à Padroeira do Instituto, morreu… Estavam abertas quarenta casas e passavam de duzentos os Irmãos Maristas. Como reação contra os erros da Revolução Francesa, Marcelino Champagnat recebera de Deus a missão que muito bem descreveu Bento XV: pôr de sobreaviso o mundo «contra os falsos profetas. Eram profetas que se apresentavam como defensores dos direitos do povo, anunciando uma era de liberdade, de fraternidade e de igualdade; mas quem não os reconheceria disfarçados, à maneira de lobos vestidos de ovelhas?» Toda a atividade da Congregação se inspira neste conselho do Fundador: «Lembrai-vos que Maria é a nossa Mãe, o nosso Modelo e a nossa Primeira Superiora». Marcelino Champagnat foi beatificado a 29 de Março de 1955, por Pio XII. porque ele disse: «Todas as dioceses do mundo estão no nosso pensamento», os seus filhos professos são hoje uns 7 000, distribuídos pelos vários continentes. Em Portugal entraram em 1947, têm a casa provincial em Lisboa, ensinam alunos externos em Lisboa, Porto e Carcavelos, têm casa de formação para o Instituto em Ermesinde, Chaves e Vouzela. Os prédios que tinham em Angola e Moçambique foram nacionalizados. Paulo VI dizia, em 1973, a um grupo internacional de Irmãos: «O Instituto Marista, por ser dedicado ao ensino, e Nós sabemos com que êxito, faz jus ao agradecimento dos bons, ao encorajamento dos que realmente desejam a educação da juventude». www.jesuitas.pt e http://es.catholic.net/santoral – www.santiebeati.it.

FILIPE, Santo

Diácono

Filipe - Apóstolo

São Filipe era um dos sete primeiros diáconos e aquele que, nos Actos dos Apóstolos, é nomeado imediatamente depois de Santo Estêvão. É também chamado evangelista por S. Lucas, pois pregou em muitos lugares, com fervor e resultado extraordinário, o Evangelho. É ainda por este motivo que Santo Ambrósio, Santo Agostinho e Tertuliano lhe dão a qualidade de apóstolo, ainda que ele não seja um dos doze que Nosso Senhor escolheu. Depois do martírio de Santo Estêvão, saiu de Jerusalém e foi para a Samaria, a fim de aí anunciar a vinda do Filho de Deus e trabalhar na conversão dos infiéis. A sua palavra foi acompanhada de grandes milagres; libertou muitos possessos e curou grande número de coxos, paralíticos e outros doentes. os samaritanos escutaram-no com extremo interesse, e muitos deixaram a sua falsa religião, judaico-pagã, para abraçarem a verdadeira. Simão, o Mago, que até então os havia enganado pelos seus prodígios, chamando-se a Grande Virtude de Deus, entrou no número dos convertidos e recebeu o baptismo. Sendo necessário confirmá-lo a outros, S. Pedro e S. João dirigiram-se para a Samaria. O Espírito Santo desceu de maneira visível. Simão teve ardente desejo de receber o poder miraculoso; encontrando S. Pedro e S. João, ofereceu-lhes avultadas quantias. Mas S. Pedro censurou-o severamente e ameaçou-o com um castigo terrível de Deus, se porventura não fizesse penitência. Em seguida, Filipe recebeu ordem de um anjo para sair da Samaria e ir pelo caminho que conduz de Jerusalém a Gaza, ao lugar onde o Espírito Santo o conduzisse. Partiu e numa carruagem viu um homem que voltava de Jerusalém e lia o profeta Isaías. Era um eunuco, ou um dos primeiros ministros de Candace, rainha da Etiópia, que viera adorar a Deus em Jerusalém. Então, o Espírito que conduzia Filipe disse-lhe: «Aproxima-te desta carruagem e junta-te ao homem que nela vai». Aproximou-se e notou que ele lia esta passagem do capítulo 53: «Foi entregue à morte como ovelha e como cordeiro que não grita entre as mãos daquele que o tosquia; ele não abre a boca; pela sua humildade foi julgado contra toda a espécie de justiça. Quem é que poderá contar a sua geração?» Perguntou ao eunuco se entendia bem o que lia. Este respondeu-lhe que não era bastante esclarecido para o entender sem que ninguém lho explicasse; e notando nele alguma coisa de divino, pediu-lhe que o acompanhasse na carruagem, a fim de lhe descobrir o sentido, dizendo-lhe: «De quem fala este profeta, dele mesmo ou doutro?» S. Filipe explicou-lhe os mistérios do Filho de Deus e da sua missão entre os homens, da sua paixão e morte, da necessidade de crer n’Ele e de ser baptizado em seu nome para ser salvo. A graça concorreu com a palavra do grande evangelista, e tocou tão no íntimo do coração deste infiel que, tendo avistado uma fonte à borda do caminho, diz a Filipe: «Eis aqui a água, que impede que eu seja baptizado?» «Se vós credes de todo o coração em Jesus Cristo, responde o santo, nada o impede». Assim, desceram ambos da carruagem e Filipe batizou o eunuco. Após esta celebração, um anjo arrebatou-o e o eunuco nunca mais o viu; mas persuadiu-se de que este homem lhe fora enviado extraordinariamente por Deus para o pôr no caminho da salvação. Filipe foi levado para Azot, no país dos Filisteus, e continuou a pregar em todas as cidades da região, até que chegou enfim a Cesareia da Palestina, sua terra natal. A mulher, que ele tinha antes de ser chamado à escola de Nosso Senhor, de quem era discípulo, deixara-lhe quatro filhas; passou o resto da vida em companhia delas. Teve a honra de receber em sua casa S. Paulo, na viagem, que fazia da Ásia para Jerusalém. Afirma uma tradição grega que este feliz discípulo foi bispo dos Tralianos, na Ásia Menor, na Província da Lídia. Outra tradição narra que fez uma viagem à Abissínia para aí anunciar o Evangelho. Estes povos invocam-no de modo muito particular. Do livro SANTOS DE CADA DIA de www.jesuitas.pt - es.catholic.net/santoral e www.santiebeati.it



Bispo,

Alejandro de Fiésole, Santo
Alejandro de Fiésole, Santo

Na região de Bolonha, na Emilia, trânsito de santo Alexandre, bispo de Fiésole, que, de regresso da cidade de Pavía, a que havia ido para reclamar perante o rei dos longobardos os bens de sua igreja, retidos por usurpadores, estes o afogaram atirando-o a um rio.

Confessor,
Guido Maramaldi, Santo
Guido Maramaldi, Santo

Etimologicamente significa “o que guia e conhece todos os caminhos”. Vem da língua alemã. ¡Que se regozije o coração simples! ¡Ditoso quem tenha um coração de criança! Todas as realidades de Deus estão neleGuido foi um confessor do século XIV. Pertencia a uma familia de Nápoles de origem nobre. Eram quatro irmãos, e em todos eles brilhava a flor da simplicidade, um dos dons grandes que Deus concede às pessoas que querem sê-lo. Um foi um soldado valoroso; outro, um brilhante homem de governo e primeiro ministro de Nápoles; o terceiro foi um arcebispo exemplar de Bari e, mais tarde, chegou a ser cardeal da Igreja. O menos brilhante aos olhos do mundo, era Guido. Escolheu o caminho da humildade em lugar do caminho da ambição. Entrou muito jovem na Ordem dos Dominicanos. Encontrou dificuldades para entrar por motivos de saúde, muito mais que por causas familiares. Uma vez que entrou na Ordem, se revelou como um dominicano de primeira linha na pregação – o típico desta Ordem – e por sua virtude. Foi o mestre do convento napolitano; depois foi como missionário a terras do Sul. Na Sicília adquiriu uma fama sensacional como um comunicador claro.  Todo o mundo que o escutava, entendia tudo. Sabia adaptar-se aos ouvintes com a linguagem adequada. Em Ragusa fundou um novo convento. Foi nomeado pela Santa Sede Inquisidor da fé em Nápoles. O exerceu com prudência. Morreu no ano 1309. ¡Felicidades a quem leve este nome! Comentários a P. Felipe Santos: fsantossdb@hotmail.com

Sacerdote e Mártir,
Inocencio Guz, Beato
Inocencio Guz, Beato

Martirologio Romano: En Sachsenhausen, na Alemanha, beato Inocencio Guz, presbítero da Ordem dos Irmãos Menores Conventuais e mártir, que, durante a ocupação militar de Polónia, sua pátria, por um regime contrário à religião e aos homens, foi assassinado pelos guardas do campo de concentração por causa de sua fé em Cristo. ( 1940) Data de beatificação: 13 de junho de 1999 pelo papa João Paulo II junto a outros 107 mártires polacos da última Guerra Mundial na Polónia. José Adalberto Guz nasceu em 18 de março de 1890 em Lvov, sendo batizado aos poucos dias na paróquia de Santo Andrés Apóstolo. Feitos os estudos primários e o bacharelato, escolheu a vida religiosa e ingressou na Ordem dos Irmãos Franciscanos Menores Conventuais em 25 de agosto de 1908, tomando o nome de frei Inocêncio. Fez os primeiros votos em 26 de agosto de 1909, e passou ao convento de Cracóvia onde fez os estudos filosóficos e teológicos. Feita a profissão perpétua em 8 de dezembro de 1912, se ordenou sacerdote em 2 de junho de 1914. Foi destinado sucessivamente aos conventos de Hanaczow, Czyzki, Halicz, Varsóvia, Lvov y Radomsko. Logo foi destinado à casa de Grodno, onde se encontrou com santo Maximiliano Kolbe, que por então dirigia a revista El Caballero de la Inmaculada. Passou logo ao convento de Níepokalanów e foi confessor da comunidade, vice mestre de coristas, e professor de canto no seminário menor seráfico. Passou em 1936 a Grodno e aqui estava quando se declarou a II Guerra Mundial. Preso pelos soviéticos em 21 de março de 1940, pôde fugir da cadeia de Grodno, mas ao atravessar as linhas fronteiriças russo-alemãs foi detido pelos alemães, e levado ao campo de concentração de Dzialdowo, de que passou logo a Sachsenhausen. Aqui padeceu muitos maus tratos, adoeceu e foi morto às mãos da guarda do campo em 6 de junho de 1940.  Bibliografía: AÑO CRISTIANO Edición 2003 Autores: Lamberto de Echeverría, Bernardino Llorca y José Luis Repetto Betes Editorial: Biblioteca de Autores Católicos (BAC) Tomo VI Junio ISBN 978-84-7914-729-7

Mártires.
Paulina de Roma y familia, Santos
Paulina de Roma e familia, Santos

A existência da mártir santa Paulina está fora de toda dúvida, já que é mencionada em muitas hagiografias antigas, juntamente com Artemio e Cândida. Se comemora em 6 de junho no Martirologio Romano, baseando-se na "Pasión de Pedro y Marcelino" que conta que: Artemio era o guardião da prisão romana onde estavam prisioneiros dois cristãos e futuros mártires chamados Pedro e MarcelinoArtemio tinha uma filha chamada Paulina que estava possuída pelo demónio. Pedro lhe prometeu a libertação de sua filha se se convertessem ao cristianismo, Artemio se negou já que pensava que o santo mártir estava louco. Mas depois de presenciar um milagre se converteu junto com sua esposa Cândida e sua filha Paulina que foi curada. Denunciado como cristão ante o juiz Sereno, Artemio foi sentenciado a morrer, junto com sua familia, na Via Aurélia. As duas mulheres, Cândida e Paulina, foram lançadas numa fossa e logo enterradas sob uma massa de pedras, enquanto Artemio foi executado com uma espada. Logo se indica que Artemio e Paulina foram enterrados na Basílica de São Pancrácio na Via Aurélia e Cândida foi enterrada numa igreja da via Portuense.

=================================





  • Nossa Senhora de Fátima, pediu aos Pastorinhos
  • “REZEM O TERÇO TODOS OS DIAS”
  • aos-ps-de-mARIA22222222222222
  • /////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
  • NOTA:
  • Como decerto hão-de ter reparado, são visíveis algumas mudanças na apresentação deste blogue (que vão continuar… embora não pretenda eu que seja um modelo a seguir, mas sim apenas a descrição melhorada daquilo que eu for pensando dia a dia para tentar modificar para melhor, este blogue). Não tenho a pretensão de ser um “Fautor de ideias” nem sequer penso ser melhor do que outras pessoas. Mas acho que não fica mal, cada um de nós, dar um pouco de si, todos os dias, para tentar deixar o mundo um pouco melhor do que o encontramos, quando nascemos e começamos depois a tomar consciência do que nos rodeia. No fim de contas, como todos sabemos, esta vida é uma passagem, e se Deus nos entregou o talento para o fazer frutificar e não para o guardar ou desbaratar, a forma que encontrei no “talento” de que usufruo, é tentar fazer o melhor que posso, aliás conforme diz o Evangelho.
    A PARTIR DE HOJE AS PÁGINAS SERÃO NUMERADAS PELA ORDEM ABAIXO INDICADA:
    Pág. 1 – Vidas de SantosPág. 2 – O Antigo Testamento; e Pág. 3 – ENCONTRO DIÁRIO COM DEUS - Além disso, semanalmente (ao Domingo e alguns dias santificados – quando for caso disso –) a Pág. 4 – A Religião de Jesus; e a Pág. 5 - Salmos) e, ainda, ao sábado, a Pág. 6 – In Memoriam.


  • 00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000






  • 00000000000000000000000000000000000000000000000000000000
  • Localização geográfica da sede deste Blogue, no Porto
  • Viso---mapa_thumb_thumb_thumb_thumb_[2]
  • ===================================
  • 0000000000000000000000000000000000000000000000
  • $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$SS