OS MEUS DESEJOS PARA TODOS

RecadosOnline.com

sexta-feira, 14 de junho de 2013

ANDRE RIEU: LA GRAN NOCHE DE MUSICA DE VIENA (THE GREAT NIGHT OF MUSIC...

André Rieu - Silence in the Alps

André Rieu - Silence in the Alps

R.I.P. - ANTÓNIO MOURA DE OLIVEIRA - 14 DE JUNHO DE 2013


Aos Bancários da área de jurisdição do Sindicato dos Bancários do Norte, sejam ou não sócios e aos Beneficiários dos SAMS-SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICO-SOCIAL


Faleceu o ANTÓNIO MOURA DE OLIVEIRA, que trabalhou no Sindicato dos Bancários do Norte desde 1947 até se reformar (por volta de 1987).

Embora tardiamente, e por motivos técnicos que originaram uma avaria no meu computador, só hoje me é possível fazer aqui referência a este facto e render a minha singela homenagem ao meu Melhor Amigo, ao meu quase Irmão e ao meu Chefe que me ensinou tudo o que aprendi e consegui levar a cabo nos 40 anos em que trabalhei para a Classe Bancária.


ANTÓNIO MOURA DE OLIVEIRA,começou a trabalhar em 1 de Outubro de 1947, (com 12 anos de idade) no Sindicato dos Bancários  do Norte "que nessa altura não tinha ainda esse nome" e que teve a sua primeira sede na Rua João das Regras e, depois na Praça Humberto Delgado e finalmente foi para a Rua Cândido dos Reis, junto dos Clérigos.



Devido a uma queda ocorrida há mais ou menos 15 dias, numa quinta que a família possuía para os lados de Guimarães, onde ia de vez em quando com os filhos, quis subir uma escada, perdeu o equilíbrio e caiu fracturando o crânio. Levado para o Hospital de Guimarães, onde esteve algumas horas, foi transferido para o Hospital de Santo António, onde veio a falecer no passado dia 10 (dia de Portugal). Por razões forenses do âmbito da Medicina Legal, apenas no dia 12 o seu corpo foi colocado em câmara ardente, na Capela Mortuária da Igreja de Aldoar, tendo-se realizado o féretro para o cemitério de Paranhos, ontem dia 13, (dia de Santo António) pelas 10 horas, para jazigo de família. A missa do 7º dia será celebrada no próximo dia 15 (sábado) às 19 horas, na Igreja Nova de Aldoar.



No primeiro parágrafo, falo em "minha singela homenagem" e vou agora explanar porque o faço:



Em Fevereiro de 1962, fui prestar provas de admissão no Sindicato dos Empregados Bancários do Distrito do Porto (creio que era assim designado nessa altura) e tive ali o primeiro contacto com o Moura de Oliveira, que resultou numa grande empatia entre nós, que a partir de 4 de Março com a minha entrada ao serviço como simples Escriturário, foi aumentando gradualmente e rapidamente se tornou numa Grande AMIZADE que se prolongou até hoje. Era total o nosso acordo sobre todos os pontos de vista profissional e completava-mo-nos mutuamente nas decisões que marcaram a nossa passagem pelos serviços do Sindicato (e ultimamente, desde 1976) pelos serviços dos SAMS.



Através dos conhecimentos profundos que ele tinha sobre os Serviços e sobre a Classe Bancária representada pelo Sindicato, fui obtendo também os mesmos conhecimentos e com a ajuda primacial dele e de mais alguns colegas, nomeadamente, Manuel Monteiro, Álvaro Ribeiro e Manuel Ricardo, consegui convencer a Direcção em exercício em 1975/76 a lançar os alicerces para a fundação dos SAMS-Serviços de Assistência Médico-Social que se tornaram em muito pouco tempo, uma referência de Sistema de Saúde, em muitos aspectos, melhor do que o próprio Serviço Nacional de Saúde.



No antigo Sindicato (hoje conhecido por SBN/SAMS) o Moura de Oliveira era perito (digamos assim) na Contabilidade, tendo chegado a ser Chefe dos Serviços. Entretanto, e pós 25/4/74, os interesses políticos tentaram apoderar-se do Sindicato e colocaram na Chefia dos Serviços, gente da sua cor, relegando-o para lugar secundário, voltando apenas a ser Chefe da Contabilidade.



Quando se deu início à laboração dos SAMS, pensei e consegui que o Moura de Oliveira fosse transferido da Contabilidade do Sindicato para ser ele o Chefe dos Serviços Administrativos, o Manuel Ricardo fosse o Chefe dos Serviços Clínicos, e ambos fossem coadjuvados por mim, o que foi aprovado integralmente pelos Corpos Gerentes (Conselho de Gerência dos SAMS e Direcção do SBN). Esta situação ficou a vigorar durante dois ou três anos, mas entretanto outros poderes mais altos se levantaram e a minha posição foi alterada para Chefe de Secretaria, embora efectivamente até 1987, eu exercesse as funções de substituto de qualquer dos referidos Chefes, quando eles estavam ausentes, por qualquer motivo. 



Bem, mas isto é outra história, que ficará para outra oportunidade, se Deus quiser.



O Moura de Oliveira, a partir de determinada altura (que neste momento não posso precisar...) começou a ter problemas de saúde (coração, etc.) e entrou em situações de baixas contínuas por ordem médica, resultando daí que os Serviços Clínicos e Administrativos estavam a ser chefiados pelo Manuel Ricardo e muitas vezes por mim, quando este estava de férias, ou doente ou por qualquer outro motivo de ausência forçada. Quando em 1987 fui transferido por convite (e a meu pedido) para o Sindicato, como Chefe da Secretaria de Apoio à Direcção, funções que exerci durante 10 anos, deixei de ter contacto frequente com o Moura de Oliveira, mas a amizade e o respeito mútuo, mantinha-se e aumentava dia a dia.



Já com mais de 40 anos de serviço, o António reformou-se devido aos problemas de saúde, e pouco depois, em 2001, ficou viúvo e tendo os filhos a sua vida própria, ficou a viver sozinho e durante

muito tempo, pôde fazer a sua vida regularmente, passeando, indo à quinta, caçando, lendo, vendo filmes antigos na TV, etc., A determinada altura a saúde começou a declinar e a Alzheimer apoderou-se dele. Como não podia estar só, foi residir para os Apartamentos da TrofaSenior onde os filhos o iam visitar frequentemente até que sucedeu o desenlace final, no passado dia 10.


Curiosamente, na passada semana, tinha pensado que algo não estaria bem com ele, e tentei falar com dois colegas para irmos lá em breve fazer-lhe uma visita, o que acabou por não acontecer infelizmente.



Eu perdi um Amigo (o meu melhor Amigo durante mais de 51 anos); um Irmão e um Chefe competentíssimo; (tudo o que soube, ali, foi-me ensinado por ele) o Sindicato e os SAMS perderam um Trabalhador conhecedor dos meandros de toda a  actividade sindical dos bancários; e a Classe Bancária perdeu o mais antigo e o melhor Colaborador de todas as Direcções que passaram pelo Sindicato dos Bancários desde 1947 - ou seja há quase 66 anos.



Registe-se ainda que seu pai, António Oliveira, foi o primeiro Chefe da Secretaria do Sindicato, tendo lá estado a trabalhar mais de 25 anos e faleceu em 16/1/1973; Sua irmã Eva Oliveira, também ali trabalhou desde o início dos serviços clínicos, (21-7-1959) como empregada dos consultórios de Estomatologia, reformou-se e  faleceu em 2004, após prolongada doença; e sua irmã Maria de Fátima Oliveira, deu entrada em 1/4/1965, como enfermeira, tendo chegado a Chefe de Enfermagem dos SAMS e actualmente encontra-se na situação de reforma desde 1/4/2005. (*)




Considerei sempre que a família Oliveira fez sempre parte da minha própria Família, e como o António foi o meu melhor Amigo, quase irmão, também a Maria de Fátima, marido e filhos, usufruem desta mesma Amizade e sinto que o mesmo acontece com eles. Claro que aqui também estão incluídos o António, a Paula, a Cristina e a Teresa, seus filhos, que atrevo-me a considerar também quase como meus filhos.



Gostaria de expressar aqui o sentimento de grande Saudade, pelo Amigo, e Irmão (e Chefe) que perdi, e a quem tudo devo e garanto aqui desde já  que espero continue durante muitos anos através da Maria de Fátima, e faço sinceros votos para que a Classe Bancária do Norte de Portugal, não esqueça nunca o melhor trabalhador que jamais o Sindicato teve ao seu serviço.





(*) Tanto o Moura de Oliveira, como a Fátima e eu, trabalhamos exactamente 40 anos ao serviço dos bancários!!!




ANTÓNIO FONSECA

Funcionário reformado do SBN/SAMS



Nº 1681 - 2ª Página - O ANTIGO TESTAMENTO - SAMUEL I - (30) - 14 de Junho de 2013


14 de Junho de 2013

Nº 1681 - 2ª Página
antoniofonseca1940@hotmail.com
2013

250px-12_staemme_israels_cs_thumb1_t
Distribuição das Tribos em ISRAEL

Nº 1680
»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
Caros Amigos:
Ver por favor a edição de, 12 de Novembro de 2012, deste Blogue.

Resolvi simplesmente começar a editar o 
ANTIGO TESTAMENTO 
que é composto pelos seguintes livros:

GÉNESIS, ÊXODO, LEVÍTICO, NÚMEROS, DEUTERONÓMIO, constantes do PENTATEUCO, JOSUÉJUÍZES, RUTE,– (Estes já estão…)

Faltam apenas 875 páginas…(mais ou menos) - Sejamos optimistas.

  1º E 2º de SAMUEL, 1º e 2º Reis, (2) CRÓNICAS (paralipómenos), ESDRAS, NEEMIAS, TOBIAS, JUDITE, ESTER, 1º E 2. MACABEUS (Livros históricos); JOB, SALMOS, PROVÉRBIOS, ECLESIASTES, CÂNTICO DOS CÂNTICOS, SABEDORIA, ECLESIÁSTICO (Livros Sapienciais ); ISAÍAS, JEREMIAS, JEREMIAS – Lamentações, BARUC, EZEQUIEL, DANIEL, OSEIAS, JOEL, AMÓS, ABDIAS, JONAS, MIQUEIAS, NAUM, HABACUC, SOFONIAS, AGEU, ZACARIAS e MALAQUIAS (Profetas).

!!!SÃO APENAS POUCO MAIS DE 40 LIVROS = 1260 PÁGINAS …!!! (coisa pouca…)

Poderei porventura dar conta do recado? Se calhar, não! Só Deus o sabe e decerto providenciará o que lhe aprouver!
SEI: que é uma tarefa ciclópica, impossível., etc., para os meus 73 anos (*) .

Desconheço se conseguirei executar esta tarefa e sei os limites que poderão antepor-se-me, mas CREIO EM DEUS TODO-PODEROSO que não me desamparará em ocasião alguma. Com Fé e perseverança tudo se consegue e portanto irei até onde Deus me permitir, rezando todos os dias para que eu possa Evangelizar com os meios que tenho à disposição, durante o tempo que Deus Nosso Senhor Jesus Cristo entender.

Se o conseguir, darei muitas Graças a Deus

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

Como afirmei inicialmente, Envolvi-me nesta tarefa, pois considero ser um trabalho interessante, pois servirá para que vivamos mais intensamente a Vida de Jesus Cristo que se encontra sempre presente na nossa existência, mas em que poucos de nós (eu, inclusive) tomam verdadeira consciência da sua existência e apenas nos recordamos quando ouvimos essas palavras na celebração dominical e SOMENTE quando estamos muito atentos, – o que se calhar, é raro, porque não acontecendo assim, não fazemos a mínima ideia do que estamos ali a ouvir e daí, o desconhecimento da maior parte dos cristãos do que se deve fazer para seguir o caminho até Ele.
Como Jesus Cristo disse, aos Apóstolos, no dia da sua Ascensão ao Céu:

IDE POR TODO O MUNDO E ENSINAI TODOS OS POVOS”.

É apenas isto que eu estou tentando fazer. AF.

+++++++++++++++++++++++


Nº 1681 - 2ª Página

14 de Junho de 2013

ANTIGO TESTAMENTO

SAMUEL
400px-1759_map_Holy_Land_and_12_Trib[2]

Mapa antigo de Israel

1º Livro de SAMUEL


Rei David

(30)


30  -  SAQUE E INCÊNDIO DE SICELEG PELOS AMALECITAS  David e os seus homens chegaram a Siceleg ao terceiro dia, quando já os amalecitas tinham feito numa incursão no Negeb e em Siceleg, ferindo e incendiando a cidade. Haviam tomado as mulheres e todos os que ali se achavam, desde o menor até o maior; não mataram ninguém, mas levaram-nos todos como cativos  para a sua terra. David e seus homens encontraram pois, a cidade incendiada e suas mulheres, filhos e filhas, levados cativos. Por isso choraram até mais não poderem.  As duas mulheres de David, Aquinoam e Jezrael e Abigail do Carmelo, viúva de Nabal, estavam também cativas.
David afligiu-se em extremo, porque o seu povo queria apedrejá-lo pela amargura de perderem os seus filhos e filhas. Mas David reconfortou-se no Senhor, seu Deus. E disse ao sacerdote Abiatar, filho de Aquimelec «Traze o meu efod». Abiatar trouxe-lhe o efod. David, consultou o Senhor, dizendo: «Devo perseguir essa gente? Alcançá-la-ei?» O Senhor respondeu-lhe: «Persegue-os, porque os alcançarás e os vencerás».
David pôs-se em marcha com os seiscentos homens da sua tropa e chegaram  à torrente do Besor. Aqui ficaram os que já estavam esgotados.
David continuou a perseguição com quatrocentos homens, pois duzentos tinham ficado para trás, extremamente extenuados  para poderem atravessar a torrente do Besor.
Encontraram no campo um egípcio e levaram-no a  David. Deram-lhe pão para comer e água para beber, um pedaço de torta de figos secos e duas tortas de uvas secas. Ele comeu e recobrou as forças, pois passara três dias e três noites sem nada comer ou beber. David disse-lhe: «Quem és e donde vens?» Ele respondeu: «Sou um jovem egípcio escravo de um amalecita. Meu senhor abandonou me há três dias, porque caí doente.  Fizemos uma incursão no Negeb dos cereteus, no território de Judá, no Negeb de Caleb, e incendiamos Siceleg». David disse-lhe: «Queres conduzir-nos a essa gente?» Respondeu-lhe o homem: «Jura-me pelo nome de Deus, que não me matarás, nem me entregarás ao meu senhor, e eu te levarei ao lugar onde se encontra aquela tropa».
Guiados pelo egípcio, encontraram os amalecitas espalhados por todo o campo, comendo, bebendo e festejando a enorme presa que tinha trazido da terra dos filisteus e de Judá. David atirou-se sobre eles desde o romper do dia até à tarde do dia seguinte. Só escaparam quatrocentos homens, que fugiram montados em camelos.
David recuperou tudo que os amalecitas tinham tomado, libertando também as suas duas mulheres.  E não  faltou ninguém, nem pequeno nem grande, nem filho nem filha, nem nada do espólio que tinham levado! David trouxe tudo de volta. E tomou todos os rebanhos e manadas, à frente dos quais os homens iam gritando: «Eis a presa de David!».
David foi, depois, juntar-se aos duzentos homens deixados na torrente do Besor, que, por cansaço, não o puderam seguir. Eles fora ao encontro de David e da sua tropa, e David saudou-os ao chegar junto deles.
Mas todos os malvados e perversos que se encontravam na tropa de David, começaram a dizer: «Visto que eles não nos acompanharam, nada lhes daremos do espólio recuperado, salvo a mulher de cada um e seus filhos. Que os recebam e se retirem!». David disse-lhes: «Não faças assim com o que o Senhor nos deu, depois de nos ter protegido e colocado nas nossas mãos a tropa que se tinha levantado contra nós! Quem poderia aceitar a proposta que fazeis? A parte dos que ficaram junto às bagagens será igual à daqueles que foram ao combate. Faça-se a divisão com equidade». A partir daquele dia, David estabeleceu em Israel este costume e este direito que tem  vigorado até hoje. Voltando a Siceleg, David enviou uma parte do espolio aos anciãos de Judá, seus parentes, com esta mensagem  «Recebei este presente  proveniente do espólio tomado aos inimigos do Senhor». Enviou igualmente aos de Betel, de Ramot, do Negeb, de Jeter, de Aroer, de Sefamot, de Estamo, de Racal, aos das cidades dos cineus, aos de Arama, de Cor-Asan, de Atac, de Hebron e de todas as cidades por onde David tinha passado com os seus homens.

******************************

Estes são os textos do 1º Livro de “SAMUEL” do ANTIGO TESTAMENTO 


0000000000000000000000000000000000000000000000000000000


14 de JUNHO de 2013 – 10.15 h
ANTÓNIO FONSECA


7map-1195aeac0b2f22222222222222222[2]


http://es.catholic.net; http://santiebeati.it; http://jesuitas.pt; http://bibliaonline.com.br/acf
000000000000000000000000000000
++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Nº 1681 - (165-13) – 1ª Página - SANTOS DE CADA DIA - 14 DE JUNHO DE 2013 - 5º ANO




Nº 1681


14 DE JUNHO DE 2013



Ver Notas no final

e-mail: antoniofonseca1940@hotmail.com

Nº 1681 - (165-13) – 1ª Página

009

Nº 1681-1 - (165-13)

Imagem3189_thumb1_thumb_thumb_thumb_[1]IAmPosters_thumb122222222222222


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

E U   S O U



AQUELE   QUE   SOU

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»««««««««««««««««««««««««««««««
*********************
##################################### #####################################


SANTO ELISEU
Profeta

Eliseu

Este profeta do século IX antes de Cristo, cujo nome significa saúde de Deus, foi discípulo de Elias. nasceu em Abelmeula, na tribo de Manassés, a dez milhas de Segtopólis. Elias encontrou-o a lavrar, pôs sobre ele a sua capa, e Eliseu deixou a lavoura, os pais e parentes, e seguiu-o; desde então, recebeu também o espírito profético. os prodígios que em seguida obrou deram-no a conhecer como herdeiro das virtudes e graças do antigo profeta. Passou a pé enxuto as águas do Jordão, trocou as más qualidades da água de Jericó; socorreu o exército de Josafat e Jorão, que estavam morrendo de sede, e predisse-lhes a completa vitória que alcançariam sobre os moabitas; aumentou milagrosamente o azeite que uma pobre viúva tinha em casa; ressuscitou o filho duma mulher sunamita, curou a lepra de Naamã, general sírio; predisse os males que Hazael causaria aos israelitas e anunciou a Joás, rei de Israel (798-783) que tantas vitórias ganharia aos Sírios quantas vezes ferisse a terra com a sua flecha – profecias que se cumpriram com a maior exactidão. Desde esta época, a Sagrada Escritura (1º e 2º dos Reis) passa em silêncio as obras do profeta Eliseu, que é bem de crer tenham sido notáveis, esforçando-se ele por fomentar o bem dos seus compatriotas. Morreu durante o reinado de Joás, que, tendo ido visitá-lo e conhecendo que morreria, exclamou chorando: «Pai em, pai meu, carro de Israel e seu condutor». estas foram também as palavras que o mesmo Eliseu disse a Elias no rapto misterioso deste. No mesmo ano da sua morte sucedeu que, sendo assaltados por ladrões moabitas certos homens que iam enterrar um defunto, lançaram este na cova e sepulcro de Eliseu, que foi tudo o que acharam mais à mão; e logo que o morto tocou nos ossos do profeta, recuperou a vida. Eliseu foi um desses homens extraordinários que de vez em quando enviava a Divina Providência ao mundo, em tempos de corrupção e obscurantismo, para reanimar a fé dos bons e aterrar com prodígios os malvados. S. Jerónimo diz que o sepulcro deste profeta faz tremer os demónios. Do livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt; Ver também www.es.catholic.net/santoral e www.santiebeati.it

SANTOS ANASTÁCIO e FÉLIX, e, SANTA DIGNA
Mártires (852)

Digna, Anastasio y Félix, Santos
Digna, Anastácio e Félix, Santos

Santo Anastácio era padre de Córdova, homem venerável que fora elevado ao sacerdócio depois de passar muitos anos no estado monástico. No dia seguinte ao martírio de Santo Fândila, (VER DIA 13 DE JUNHO) apresentou-se diante das autoridades da cidade e atacou, também em termos veementes, os inimigos da fé. Cortaram-lhe imediatamente a cabeça. Ao mesmo tempo que ele, foi executado um monge chamado Félix, originário da Getúlia, na África, que viera por acaso a Espanha, convertendo-se aí e abraçando o estado monástico. Os corpos de ambos foram dependurados como de São Fândila. A tarde do mesmo dia viu igualmente o martírio duma jovem monja chamada Digna. Esta que, por causa da sua profunda humildade, se considerava como a última das suas irmãs, dizia muitas vezes da maneira mais comovedora: «Não me chameis Digna, mas antes Indigna, que o meu nome deve dizer o que eu sou». Viu uma noite, durante o sono, Santa Águeda, com a aparência duma esplendorosa beleza, tendo na mão lírios e rosas. A santa mártir entregou-lhe um lírio vermelho, animando-a a combater corajosamente por Cristo. Digna, a partir de então, apaixonou-se por um vivo desejo de martírio; e quando a notícia da execução de Anastácio e de Félix lhe chegou, compreendeu que a sua hora tinha vindo; saiu secretamente do mosteiro, apresentou-se diante do juiz e censurou-o claramente dos assassínios que pouco antes cometera em pessoas culpadas unicamente por adorarem o verdadeiro Deus e por acreditarem na Santíssima Trindade. Por sua vez, foi decapitada e dependurada como os dois precedentes, pelo ano de 852. A Igreja reuniu estes três mártires em 14 de JunhoDo livro SANTOS DE CADA DIA, de www.jesuitas.pt; Ver também www.es.catholic.net/santoral e www.santiebeati.it

Metodio de Constantinopla, Santo
Metódio de Constantinopla, Santo

Defensor de imagens durante a segunda perseguição iconoclasta, nasceu em Siracusa a finais do século oitavo; morreu em Constantinopla em 14 de Junho de 846. Filho de uma rica família, veio a Constantinopla quando era jovem intentando obter um posto na corte. Mas um monge o persuadiu de que mudasse de intenção e entrasse para um mosteiro.Sob o imperador León V (O Arménio, 813-820) se iniciou a perseguição iconoclasta por segunda vez. Quase todos os monges eram aguerridos defensores das imagens; Metódio permaneceu do lado de sua ordem e se distinguiu por sua oposição ao governo. Em 815 o patriarca Nicéforo I (806-815) foi deposto e exilado por sua resistência às leis iconoclastas; em seu lugar se impôs Theodotus I (815-821). Nesse mesmo ano Metódio foi a Roma, aparentemente enviado pelo deposto Patriarca, para reportar o assunto ao Papa (Pascoal I, 817-824). Permaneceu em Roma até que Leão V foi assassinado em 820 e sucedido por Miguel II (820-829). Esperando coisas melhores do mudasse a política de governo e restaurasse ao Patriarca Nicéforo. Mas Miguel só aumentou a ferocidade da perseguição. Tão cedo regressou a Constantinopla, tendo entregue a carta e exortado ao imperador a actuar de acordo com ela, foi severamente castigado (com 70 chibatadas), levado à ilha Antigoni em Propontis, e aí foi encarcerado numa tumba fora de uso. A tumba havia sido concebida como um edifício de certo tamanho; Metódio viveu nela sete anos. Em 828 Miguel II, não muito tempo antes de sua morte, mitigou a perseguição e proclamou uma amnistia geral. Tirando vantagem disso, Metódio saiu de prisão e regressou a Constantinopla quase esgotado por suas privações. Seu espírito não estava rompido e retomou a defesa das imagens com o mesmo zelo que antes. Miguel II foi sucedido por seu filho Teófilo (829-842), que causou a última e mais feroz perseguição dos veneradores de imagens. Metodio resistiu directamente ao imperador e foi novamente açoitado e encarcerado no palácio. Mas essa mesma noite escapou ajudado por seus amigos da cidade, que o esconderam em sua casa e lhe vendaram as feridas. Por esta razão, o governo confiscou a casa. Mas vendo que Metodio não ia a ser dobrado pelo castigo, o imperador tratou de o convencer com argumentos. O resultado de sua discussão foi que Metodio em certo grau persuadiu o imperador. De qualquer maneira, até ao final de seu reinado, a perseguição foi mitigada. Theophilus morreu em 842 e imediatamente mudou toda a situação. Sua esposa Theodora chegou a ser regente para seu filho Miguel III (El Borracho, 842-867). Ela havia sido sempre uma secreta veneradora de imagens e agora que tinha o poder, imediatamente começou a restaurar imagens, libertar os confessores prisioneiros e a regressar tudo às condições do Segundo Concilio de Nicea (787). O patriarca de Constantinopla, Juan VII (832-842), era um iconoclasta posto pelo governo e ao persistir na sua heresia, foi deposto e Metodio foi feito patriarca em seu lugar (842-846). Metodio ajudou então a imperatriz-regente na sua restauração. Convocou um sínodo em Constantinopla (842) que aprovou a deposição de Juan VII e de sua sucessão. Não teve que fazer novas leis sobre imagens. Os Decretos de Nicea II que haviam recebido o assentimento do Papa e de toda a igreja como os de um Concilio Ecuménico foram postos novamente em efeito. Em 19 de Fevereiro de 842, as imagens regressaram aos templos em solene procissão. Esta foi a primeira "Festa da Ortodoxia", observada em memória daquele evento no primeiro domingo de Quaresma de cada ano por toda a Igreja Bizantina. Metodio então procedeu a depor a todos os bispos iconoclastas por todo seu patriarcado, substituindo-os por veneradores de imagens. Ao fazê-lo, parece ter atuado severamente. Se formou uma oposição contra ele que por pouco se voltou num cisma organizado. O Patriarca foi acusado de violação; mas a mulher em questão, ao ser interrogada admitiu que havia sido comprada pelos inimigos de Metodio. Em 13 de Março de 842Metodio, com grande honra para Constantinopla, comprou as relíquias de seu predecessor Nicéforo (que havia morrido no exilio). Foram expostas por algum tempo no templo da Sagrada Visão e logo enterrados no dos ApóstolosMetodio foi sucedido por Ignacio, em cujo tempo se iniciou o grande cisma de Photius. Metodio é um santo para católicos e ortodoxos. É mencionado no Martirologio Romano (14 Junho), nesse dia a Igreja Bizantina mantém sua festa junto à do profeta Eliseu. Com os outros patriarcas é aclamado defensor de imagens, no serviço da festa da Ortodoxia: "A Germanus, Tarasius, Nicephorus e Metodio, verdadeiros altos sacerdotes de Deus e defensores e mestres da Ortodoxia, R. Memoria Eterna (triple)." Os Sírios Uniatos (N.T.: membros da Igreja Oriental que estão em união com a Igreja Católica Romana, e reconhecem ao Papa romano como supremo em questões de fé, mas mantém sua própria liturgia, rito e disciplina) celebram sua festa no mesmo dia. Os ortodoxos têm uma curiosa lenda: que suas orações e as de Teodora salvaram a Theophilus do inferno. Está narrada no Synaxarion para a festa da Ortodoxia.




=================================





  • Nossa Senhora de Fátima, pediu aos Pastorinhos
  • “REZEM O TERÇO TODOS OS DIAS”
  • aos-ps-de-mARIA22222222222222
  • /////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
  • NOTA:
  • Como decerto hão-de ter reparado, são visíveis algumas mudanças na apresentação deste blogue (que vão continuar… embora não pretenda eu que seja um modelo a seguir, mas sim apenas a descrição melhorada daquilo que eu for pensando dia a dia para tentar modificar para melhor, este blogue). Não tenho a pretensão de ser um “Fautor de ideias” nem sequer penso ser melhor do que outras pessoas. Mas acho que não fica mal, cada um de nós, dar um pouco de si, todos os dias, para tentar deixar o mundo um pouco melhor do que o encontramos, quando nascemos e começamos depois a tomar consciência do que nos rodeia. No fim de contas, como todos sabemos, esta vida é uma passagem, e se Deus nos entregou o talento para o fazer frutificar e não para o guardar ou desbaratar, a forma que encontrei no “talento” de que usufruo, é tentar fazer o melhor que posso, aliás conforme diz o Evangelho.
    A PARTIR DE HOJE AS PÁGINAS SERÃO NUMERADAS PELA ORDEM ABAIXO INDICADA:
    Pág. 1 – Vidas de SantosPág. 2 – O Antigo Testamento; e Pág. 3 – ENCONTRO DIÁRIO COM DEUS - Além disso, semanalmente (ao Domingo e alguns dias santificados – quando for caso disso –) a Pág. 4 – A Religião de Jesus; e a Pág. 5 - Salmos) e, ainda, ao sábado, a Pág. 6 – In Memoriam.


  • 00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000









  • 00000000000000000000000000000000000000000000000000000000
  • Localização geográfica da sede deste Blogue, no Porto
  • Viso---mapa_thumb_thumb_thumb_thumb_[2]
  • ===================================
  • 0000000000000000000000000000000000000000000000



  • $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$SS